Ir para conteúdo

Felipe Rozante

Membros
  • Total de itens

    50
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

22 Excelente

Sobre Felipe Rozante

  • Data de Nascimento 04-03-1988

Bio

  • Ocupação
    Designer Gráfico

Informações de Viajante

  • Próximo Destino
    Itália

Últimos Visitantes

662 visualizações
  1. Falo na perspectiva de quem está indo fazer intercâmbio, conheço muita gente que sofreu para juntar dinheiro para realizar esse sonho, não é todos que tem condições, ainda mais saindo da facul. Há muito outros gastos envolvidos, como escola, aluguel. 3 mil é o que o governo pede, mas é preciso levar mais, vendo o todo, vai muita grana, por isso tem que planejar muito.
  2. Se seu objetivo é viajar, com certeza a Irlanda é a melhor opção. Além disso, para receber o visto, é mais fácil, menos burocracia, e arrisco dizer que o intercâmbio não é mais caro que outros países. Para nós brasileiros é complicado juntar os 3 mil euros que eles pedem, e não é suficiente para os 8 meses, aconselho a levar no mínimo 4 mil, mas ainda passa apertado. Acomodação em Dublin é cara e no primeiro mês você terá muito gasto, e você não poderá mexer nos 3 mil até tirar o visto, o que pode demorar. Então as vezes é melhor adiar um pouco o intercâmbio para juntar dinheiro, ainda mais você que está saindo da facul. Mas posso dizer que é uma experiência incrível, então se possível vá. Fiz intercâmbio em 2017 para Dublin, e estou pensando em voltar ano que vem. Sobre a escola, cheguei a fazer alguns orçamentos, e digo que R$ 12.5 mil não está tão caro, comparando com os orçamentos que recebi no fim do ano passado, quando comecei a planejar a volta. Não sei qual a escola e os extras que estão inclusos neste orçamento, mas não sei se achará valor menor em uma boa escola. Para ter uma ideia em 2017, recebi o orçamento da escola ISE, a tarde com duas semanas de acomodação + seguro obrigatório + livro + exame final estava 9.5 mil, hoje já subiu para quase 14 mil.
  3. Voltando para o Brasil da Irlanda, eu precisei despachar meu mochilão no guichê de malas especiais, por causa das alças e cordões. O tamanho estava dentro das especificações, foi questão de segurança do aeroporto, segundo a atendente as alças poderiam prender nas esteiras e danificar a mala ou as próprias esteiras. Não tomei o devido cuidado, nem imaginava que isso poderia acontecer, foi a primeira vez que precisei despachar o mochilão. Não sei se for por essa razão, de despachá-la em outro lugar, mas o mochilão foi extraviado. chegou no voo seguinte, fiquei que nem bobo esperando na esteira e ela nunca apareceu. Então na via da dúvida, melhor embalar, comprar uma capa, ou pelo menos amarrar as alças.
  4. Conheço algumas pessoas que não renovaram, e algumas delas se arrependeram, que é meu caso, eu precisei voltar para saber que deveria ter renovado. Tinha alguns motivos para voltar, mas hoje vejo que alguns eram irrelevantes outros são o motivo pelo qual vou tentar outra cidade.
  5. Não, fiquei somente 8 meses, posso voltar e ficar por mais 16 meses como estudante.
  6. Estou pensando em voltar para Irlanda, estava pensando em ir pelo mês de novembro tb, mesma época que fui da primeira vez, mas agora tô pensando em ir em janeiro, para pegar os 2 meses de férias no verão e passar o fim de ano por aqui. Vai para Dublin? Eu estou querendo ir para o interior, provavelmente Limerick.
  7. Bem bacana seu roteiro, para 20 dias creio que conseguirá aproveitar bem nessas cidades. 5 e 7 dias em Londres e Paris estão de bom tamanho, eu até igualaria os dias nessas cidades, deixando 6 e 6, considerando que um dia em cada cidade será pra deslocamento e adaptação. E claro, dependendo do seu interesse nessas cidades. Bélgica só fui pra Bruxelas, 2 dias lá está de bom tamanho tb, deixando o outro dia pra um bate-volta. 4 dias em Amsterdã alguma pessoas podem achar muito, pode usar um dia pra um bate-volta tb. Isso tirando o dia de chegada na Europa e volta para o Brasil, que vc deve levar em consideração nessa conta de dias.
  8. Olá Lydia, vou deixar o link para o meu relato da viagem, lá eu falo quanto eu gastei com acomodação, transporte e alimentação. Não fui para Varsóvia, mas deve ser legal.
  9. Tirando o dia da chegada (14) e o da volta (19), você terá uns 4 dias inteiros. Como o tempo é pouco, eu ficaria por Dublin mesmo. Poderia ainda reservar um dia para ir para Belfast, ou ir para as cidades vizinhas como Howth, Bray, Wicklow ou ainda se estiver com um grupo maior, dá para alugar uma carro e conhecer o interior.
  10. Olá Diego. Budapeste, Bratislava, Cracóvia e Berlim são demais, você com certeza irá aproveitar bem. Praga é legal também. 11 cidades em 20 dias está apertadíssimo, para incluir Amsterdã e Bruxelas, como a Juliana bem falou. Você não pode esquecer também que o teletransporte ainda não foi inventado, os dias de deslocamento serão praticamente perdidos, como entre Budapeste e Cracóvia, são 8 horas de ônibus. Tem que levar em consideração o tempo de deslocamento até o próximo destino, a ida até a acomodação, fazer check in e se estabelecer. Isso toma bastante tempo. Se me permitir, vai uma sugestão de roteiro: Dia 0 - Ida para Munique Dia 1 - Chegada em Munique (dia perdido, se chegar cedo talvez dê para fazer algo, mas depende se descansou no avião, acostumar com o fuso horário, etc.) Dias 2, 3 e 4 - Munique Dia 5 - Ida para Berlim Dias 6, 7 e 8 - Berlim Dia 9 - Ida para Praga Dias 10, 11 e 12 - Praga Dia 13 - Ida para Viena Dias 14 e 15 - Viena Dia 16 - Ida para Bratislava de manhã Dia 17 - Ida para Budapeste no fim da tarde Dias 18, 19 e 20 - Budapeste Dia 21 - Ida para Cracóvia Dias 22, 23 e 24 - Cracóvia Dia 25 - Volta para o Brasil Dia 26 - Chegada no Brasil Eu fiz um mochilão muito próximo a esse, só que invertido e sem Viena e Munique. Foram 18 dias, e vai chegando no fim, vai dando uma cansada mesmo. Como você já está com a ideia de tirar Munique, talvez possa usar esses dias para ir para Varsóvia ou deixar a viagem mais curta. Se você pretende chegar e sair por Berlim, talvez seja interessante você quebrar os dias entre a chegada e a saída, tipo dois dias na chegada e 1 na volta, para estar na cidade no dia anterior ao embarque caso aconteça algum pepino. Mas claro que tem que ver valores se não compensa comprar passagem multi-destinos. Falando das cidades que visitei posso dizer sobre Cracóvia que é uma cidade pequena, fiquei 2 dias inteiros lá e visitei bastante coisa, incluindo Auschwitz, 3 dias na minha opinião é um tempo bom pra explorar com mais calma. Em Budapeste fiquei 2 dias, não vi tudo, gostaria de ter ficamo mais, a cidade é bem grande, 3 ou 4 dias devem ser suficientes para a cidade. Só 1 dia em Bratislava acho pouco, principalmente se for fazer bate-volta de um dia a partir de Viena, aconselho passar pelo menos uma noite, foi uma das minhas cidades favoritas, fiquei 2 noites lá, cheguei de Budapeste as 14h e aproveitei o resto deste dia e o dia seguinte inteiro, no outro dia de manhã fui para Praga, 3 dias lá está de bom tamanho para conhecer as principais atrações, assim com Berlim. Espero ter ajudado, vai nos atualizando sobre seus planos que vamos tentando ajudá-lo.
  11. Na minha opinião vale, mas acredito que você aprenderá mais no dia a dia do que na escola, por isso é bom intercâmbio que permita trabalhar por meio período, no trabalho é onde você estará em contato realmente com o inglês. Além disso respirar uma nova cultura, viver em um novo país, é uma experiência incrível. Você chegou a fechar o intercâmbio? Logo em maio veio a bomba que a T2T havia falido. Espero que não tenha sido prejudicado.
  12. Usei o mapy.cz quando fiz o mochilao para a Europa e foi super útil. Mas tem que baixar offline, ele tem pacotes por cidades para você baixar só o conteúdo da cidade que vc está.
  13. Concordo com você, hehe. Falo para dar uma geral mesmo, que foi o meu caso quando fui, mas não entrei em museu nada, só andei pela rua, mas isso vai da vontade de cada um.
  14. Sobre ir de ônibus, já li de muita gente aqui no fórum. Minha preocupação maior era se tinha guarda-volumes para guardar as malas caso fizesse o stop-over. Vou pensar mais ainda sobre a melhor forma, pensar os prós e contras, talvez pegar uma excursão que passe no Mosteiro da Batalha e em Óbidos. Ainda tem tempo. Essa era minha ideia inicial, mas tinha pensado em chegar logo depois do almoço em Córdoba e sair para Sevilha no dia seguinte no final da tarde. Mas imaginei que até chegar no hotel, levar as malas e depois no dia seguinte deixar as malas no hotel até a hora de partir, pois o check out é sempre cedo e depois ter que voltar lá para pegar ia tomar muito tempo. Fazendo um bate-volta tem menos tempo mas não tem essas preocupações, mas não tinha me ligado no distância. Vou pensar mais sobre isso também. -- Gostaria de ir para Granada também, mas não sei se prolongará muito a viagem e tornará cansativa. Iria no final da tarde saindo de Córdoba, ficaria duas noites, um dia inteiro mais a manhã/tarde do outro. Valeu Poiuy pelas dicas e ajuda.
  15. Oi Fernanda, fiz um roteiro muito parecido com o seu. Comecei por Cracóvia, depois Budapeste, Bratislava, Praga, Dresden e terminei em Berlim. Tirando Viena e Munique, fiz praticamente o seu roteiro invertendo a ordem das cidades. Fiz todos os trajetos de ônibus com a Flixbus, e foi tudo tranquilo. São 7 horas de Cracóvia a Budapeste e tem ônibus a cada 2 horas e é direto. Para Praga, acho que são 2 horas a mais de viagem, mas acredito que seja de boa também. O ônibus é confortável, tem wifi, usb para carregar celular e tudo mais. Cracóvia, Budapeste e Praga por não ser euro, e Bratislava apesar de adotar o euro, achei bem barata comparando com outras cidades europeias. Na viagem eu pelo menos jantava em restaurantes, em local turístico até, lógico que via cardápio pra não entrar em roubada, mas comia e bebia bem com 10 a 15 euros e com os 10% de serviço. Posso indicar o Ariel (no bairro de Kazimierz) e o Pod Wawelem (na Rynek Główny) além do pub Alchemia (na Plac Nowy, também no bairro de Kazimierz) em Cracóvia. Em Budapeste, vale almoçar no Mercado Municipal, tem bastante restaurantes e barracas de comida de rua no andar superior. Para jantar tem o Café Vian na Liszt Ferenc tér. E não dei de ir no Szimpla Kert, o lugar é sensacional. Bratislava indico o The Flag Ship e o Slovak Pub. Em Praga vá no U Magistra Kelly, esse já é meio fora da zona turística, é subindo para o Castelo, fica perto das embaixadas da Alemanha e dos EUA. É uma rua meio deserta que também leva ao Castelo, mas pela parte de trás, chegando no Monasterio de Strahov e passando por um parque que tá belas vistas. Tem o Pivovarský dům e o Hospůdka Na Hradbách no Vysehrad, outro local que indico, é o outro "castelo" de Praga, com menos gente e o restaurante fica em um lugar alto que dá boas vistas da cidade, na verdade não é restaurante é uma barraca de rua com cerveja e porções. Dá uma olhada no meu relato para mais locais - https://www.mochileiros.com/topic/84017-mochilão-europa-central-18-dias/?tab=comments#comment-773943
×
×
  • Criar Novo...