Ir para conteúdo

foal2000

Membros
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

11 Boa

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Cintia, realmente a população é na sua grande maioria negros e indianos, mas circulei tranquilamente pelas ruas, todos fora muito gentis aonde pedi informações ou comprei algo.
  2. Oi Diego Nem sempre eles usam o Caravan no tour rsrsrs. É um lugar muito diferente: sem calçadas, sujo, 90% das casas de madeira, valetas de água nas ruas (não sei se era esgoto). O mar é muito feio, puro barro. Quanto a segurança, sinceramente não me senti menos seguro que por exemplo, no RJ...
  3. Como um aficionado por cachoeiras e cascatas, meu objetivo principal era conhecer Kaeiteur Falls. Mas percebi que não seria fácil. A única forma de ir lá é por via aérea saindo de Georgetown, porém, não existem voos regulares, você precisa contar com uma lotação minima de uma das duas agências de viagens de Georgetown que fazem voos "turísticos" para lá. Só com o voo confirmado você pode planejar a viagem, ou você corre o risco de chegar lá e não conseguir ir até Kaeiteur Falls. Bom, fiquei aguardando uma oportunidade, e uma semana antes me informaram que havia uma unica vaga em voo numa segunda feira. Passei os dados do cartão de crédito para garantir o voo e corri para providenciar o resto. Com milhas tirei passagens de ida e volta de Porto Alegre para Boa Vista. Por e-mail reservei passagens de Lethen para Georgetown pela Trans Guyana. Fiz reservas de hotéis, uma noite em Boa Vista e três em Georgetown por um site de reservas online. Chequei em Boa Vista de madrugada, depois de viajar o dia todo. De manhã fui para o terminal onde saem os táxi lotação para Lethen. Levou menos de 20 minutos para lotar a Doblo e se fomos em direção a Guiana. Lá, primeiro passamos na Polícia Federal para carimbar o passaporte, depois na imigração da Guiana. Lá primeiro você apresenta o sua carteira de vacinação internacional para ver se a vacina de febre amarela está em dia. Depois você vai para a imigração, lhe fazem algumas perguntas, como de onde você está vindo. Falei Porto Alegre, o rapaz não entendeu e me deu duas opções: "Boa Vista or Manaus", daí falei que era Manaus mesmo. Depois passei para uma outra sala onde um agente do país me pediu uma "gorjeta". Liberado, do lado de fora da imigração havia um táxi da Guiana me esperando. Pedi para me levar ao aeroporto mas que antes me levasse e uma casa de câmbio. Na casa de câmbio troquei R$ 500 e sai cheio de notas de 5 mil dólares da Guiana. Cheguei no aeroporto, fiz o check in, onde você e sua mala são pesados, e partimos em direção a Georgetown em um pequeno avião bimotor turbo-hélice. Chegando em Georgetown, como já era tarde, peguei um táxi e fui para o Hotel. Pelo telefone, pedi uma pizza no Pizza Hut. No dia seguinte, um domingo, pela manhã parti conhecer à cidade, que estava meio deserta. Passei pelos principais pontos turísticos, entre elas obviamente a St. George's Cathedral, uma imponente igreja de madeira que é um simbolo da cidade. Na segunda pela manhã parti para o aeroporto da cidade para iniciar a aventura para Kaieteur falls e Orinduik Falls. Havia um grande quantidade de turistas do Canadá e dos Estados Unidos, que lotaram dois aviões Cesna Grand Caravan de 12 lugares cada. Eu era o único brasileiro. Partimos primeiro em direção a Kaieteur falls. Antes de pousar o piloto fez um sobrevoo pela cascata e em seguida pousou. Fizemos três pequenas trilas que nos levaram a três visões diferentes da cachoeira. A terceira sem dúvida é a mais emocionante, você está mais próxima da cachoeira e fica na borda de um precipício, o guia lhe orienta a se aproximar agachado da borda e deitar, para evitar riscos (como vocês podem ver na foto). Muito emocionante para quem esperava há anos a oportunidade de conhecê-la! De lá partimos para Orinduik Falls, que fica na divisa com o Brasil. As cascatas são muito bonitas mas sem a imponência da Kaieteur falls. Neste local sofri bastante com insetos, mesmo usando repelente. Parecia que o repelente brasileiro não era feito para os insetos daquela região. De lá partimos e ainda fizemos mais uma parada "bônus" na Baganara Island Resort, uma linda ilha acessível apenas por via aérea, com um resort onde você pode se hospedar. Partimos de lá já estava anoitecendo de volta a Georgetown. No outro dia, fiz o trajeto de volta para Boa Vista, mas ainda tive tempo de passear mais um pouco em Georgetown, estive em uma espécie de shopping center, provei algumas frutas exóticas do local e até comprei algumas lembranças!
×
×
  • Criar Novo...