Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Roberta Bollineli

Membros
  • Total de itens

    26
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

27 Excelente

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    @Rubiaaaa Oi td bem???? Eu amei Arequipa, não esquece de entrar na catedral que eh maravilhosa!!! E Machu Picchu vale muito a pena!!!! Entao, minha virada foi em Copacabana na Bolívia, lá não tinha nada pra fazer, mas em Cusco com certeza você encontra muitas coisado legais se for passar lá, em Arequipa também porque a cidade eh bem grande. Nas duas tem muita balada, barzinho e festas em hosteis. Você vai amar!!!!
  2. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    @alana.barros isso mesmo!!!!! Hahahahahahaa a dica eh ir no seu ritmo que no fim da tudo certo! Se quiser o relato todo te mando por e-mail!!!!!!!
  3. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    26/12 MONTANHAS COLORIDAS – 5200 metros de altitude! Acordamos as 3:40 hs da manhã porque nos foi dito que o tour sairia as 4:15 hs, fomos para a recepção esperar e tomamos um chá de coca. O guia foi aparecer só as 5hs da manhã e desta vez o ônibus parou em frente ao hostel! Depois de 3hs de viagem paramos em um lugar para o café da manhã, foi bem gostoso com chá, café, pães, geleia, manteiga e ovos... não mudava muito do café da manha do hostel, mas estava bem gostoso. O banheiro era nojento, mas era o que tinha para aquele momento. Aproveitamos para usar porque depois só banheiro pago. O guia também nos deu um bastão para cada, para facilitar o trekking e um tecido na cor laranja para amarrar na mochila(tanto o bastão quanto o pano tinham que ser devolvidos na hora de ir embora, caso contrário rinhamos que pagar!) e assim nos identificarmos no tour, já que teriam muitos outros turistas com agencias diferentes. Cada agência tinha sua cor e um nome, o nosso era Pachamana (Mãe Terra). Gente, esqueci o nome do guia e da agencia, desculpa!!!! Mais uns 15 minutos chegamos à entrada da montanha. O guia fez uma breve explicação de como seria o trekking e o horário que deveríamos estar no ônibus para regressar a Cusco. Também disse que era possível alugar cavalos para subida da montanha e que recomendava isso para quem achasse que não fosse conseguir. Só uma ressalva aqui que os cavalos não vão até o topo, eles te deixam mais ou menos a 5000 metros de altitude e os outros 200 metros você anda a pé. Eu e mais algumas pessoas do Pachamana alugamos cavalo, pagamos 60 soles só para subir e a descida seria a pé. Eles estavam cobrando 60 soles só um treco ou 90 soles os dois trechos. Todos arrumaram seus cavalos e o meu nada de vir... Quando chega um cara que era responsável por um dos cavalos e fala que precisava me pesar... Chamou de gorda na cara dura, mas ele não estava errado!!!! Gente, fiquei de boca aberta com a modernidade que eles usam para pesar as pessoas!!! Vou contar para vocês: ele simplesmente agachou, me pegou no colo e me jogou em cima do cavalo hahahahaha tomei um susto!!!! O guia veio do meu lado porque viu minha cara de pavor, falou que era para eu ficar calma que não iria cair e que iria ter umas 3 paradas ao longo do caminho que eu deveria andar a pé e depois subir no cavalo de novo para minha segurança e do cavalo. Eu sou do interior, acostumada com rodeio, mas gente, eu estava gelada em cima dele! Fui dando uns gritos e o cara que conduzia ficava bravo, quando eu via gritava de novo. O acerto ia ser feito só no fim da trilha. Observação muito importante: Eu morri de medo de cair do cavalo e não duvido que pessoas já caíram (já ouvi relatos), os cavalos vão pela lama e eu achei que a qualquer momento fossem entalar lá, fora que vão bem próximo ao precipício e param do nada para tomar água em riachinhos, eles inclinam e você inclina junto. Andam uma distância de mais ou menos 1h30hs na altitude, eles cansam! Além da sua segurança tem a segurança e qualidade de vida do animal, eu tenho um peso na consciência muito grande até hoje de ter ido a cavalo. Ouvi muitas pessoas falarem que eles estão acostumados e tal... mas depois que eu fiz isso eu vi como fui egoísta com o bichinho. O condutor fala que o animal sobe e desce uma vez só, mas na descida vi vários oferecendo o cavalo de novo depois de vários percursos, além disso meu condutor dava várias chicotadas na cara do cavalo, eu ficava bem brava e ele me odiava mais ainda. Enfim, eu fui a cavalo mas não me orgulho nada disso. A primeira descida foi para pagar 10 soles de entrada no local, todos pagam. O condutor parou em uma pedra, eu desci mas estava tão dura e mole ao mesmo tempo de medo que me joguei em cima dele. Depois paramos mais algumas vezes, eu descia do cavalo e ia a pé mais ou menos uns 50 metros porque eram caminhos mais difíceis de andar. O guia dava agua para o cavalo, eu via de longe, e ficava sentado me esperando. Geralmente essas caminhadas eram em subidas, então eu sentia bastante. Subia de novo no cavalo e depois andava mais. Em alguns trechos o condutor gritava para o cavalo correr, ele ia com tudo e eu pedia pelo amor de Deus para ir devagar, que não havia necessidade. Me via caindo de cara na lama e quebrando vários membros! Chegamos a mais ou menos 5000 metros de altitude, ai tem uma placa que cavalo não é mais permitido. Desci me jogando no condutor como fiz em todas as descidas, paguei os 60 soles e dei clube social e barrinha de cereal, ele deu para o cavalo também e eu fiquei de olho até o bichinho comer tudo. Respirei fundo, agradeci a Deus e continuei a caminhada de mais ou menos 200 metros até o topo. Devo ter demorado uns 20 minutos até concluir. Quando cheguei ao topo estava aliviada por estar viva e por ter uma vista maravilhosa na minha frente! Tirei meu celular para bater fotos e o maledito descarregou, não entendi porque a carga estava cheia!!!! Me deu um negócio, não encontrava a Jaque nem o Marcelo para usar o celular deles para tirar fotos, então conectei no Powerbank e esperei um pouco. Não deu 5 minutos falou que meu celular estava com carga completa, achei esquisito mas consegui tirar muitas fotos. Depois conversando com o Marcelo, ele me disse que a mesma coisa aconteceu com o dele... Levem carregador portátil porque se acontecer com você não fica sem fotos lá em cima. Cheguei uma meia hora antes que a Jaque e o Marcelo, fiquei andando um pouco la em cima, tem um mirante mas ele estava com muita neblina, nem me arisquei gastar energia para não ver nada. Senti a cabeça meio esquisita, não era dor mas parecia que ela flutuava e estava difícil caminhar, eram os efeitos da altitude. Um australiano do nosso grupo me deu uma bala de coca, mas não mudou muita coisa. Não passei mal nem nada, só tive esse sintoma quando cheguei lá em cima. Nisso o guia chegou e explicou sobre o local, lá de cima a gente via também a Salkantay com o pico nevado e várias outras montanhas. A vista é maravilhosa!!! A Jaque disse que cansou bastante, que quase pensou em pegar o cavalo, mas conseguiu chegar. Achou o trekking para as Montanhas Coloridas mais pesado que para Laguna Humantay, mas aqui também conta que as montanhas são mais altas e a Jaque também já estava bem cansada. O pessoal ficou lá em cima e eu como sou lerda e ia voltar a pé já comecei a descer, óbvio que a Jaque e o Marcelo me ultrapassaram. Parei para banheiro, gastei 2 soles. Começou a chover e depois chuva de pedra!!!!! Muitos granizos enormes caindo na minha cabeça. Coloquei a capa de chuva mas tive que tirar a luva porque estava molhando, fiquei com bastante frio na mão. Na volta pude apreciar mais o cenário, tinha muitos animais como carneiros, lhamas e alpacas soltos, muitas montanhas cercando, riachinhos que cortavam o local, era bem bonito. Andei mais ou menos 1:30hs e cheguei no ônibus. Acabada, molhada e com frio. A Jaque e o Marcelo já estavam lá, claro, e contei para eles como foi ir a cavalo, eles riram do guia me pegando no colo pra me pesar... e no fim dormimos até a parada do almoço, que não foi longe. Às 15hs, mais ou menos, paramos no mesmo lugar que tomamos o café da manhã para termos o almoço. Os dois estavam inclusos no valor de 80 soles que pagamos ao Romário no meu segundo dia. Foi bem gostoso o almoço dessa vez: sopa de entrada, depois um buffet com carnes, saladas, batata, mandioca.... e um chá de anis digestivo. Almoçados, entramos no ônibus e continuamos até o Cusco. A estrada é meio chatinha, tem muitas curvas e vai próxima ao precipício, a Jaque tem labirintite e ficou um pouco enjoada, mas nada muito sério. Talvez um remedinho ajude quem passa muito mal. Chegamos mais ou menos as 18:30hs em Cusco, o ônibus novamente não parou em frente ao hostel então caminhamos uns 15 minutos. Chegando lá conversei com o Manoel, ele também trabalha na agência de viagens do hostel, e falei que precisava comprar passagem para Arequipa para o dia seguinte. Ele me indicou a Tranzela (recomendo muito!!!!). Disse que geralmente cobram 50 soles, mas entrando no site estava de 90 a 100 soles a passagem. Então chamou um táxi e foi comigo até a rodoviária, e ele mesmo negociou. O negócio funciona assim lá: se um peruano pega um táxi lá ele paga 3 soles, se um estrangeiro pega ele paga 6 soles. Se um peruano compra um sorvete lá ele paga 2 soles, se um estrangeiro compra ele paga 4 soles... e assim vai! Já vi isso acontecendo com gringo no Brasil. Paguei 20 reais em uma canga e o gringo 60 reais... Enfim, como eu tinha que ficar com boquinha de siri para não estragar a negociação, eu fiquei! Paguei 50 soles na passagem de Cusco para Arqeuipa e 60 soles a passagem de Arequipa para Puno, ambas com a Tranzela. Na volta paguei o táxi, deu 4 soles. Voltei para o hostel, fui pegar minhas roupas na lavanderia, estava faltando um top, mas acharam!!! Encontrei com a Jaque e fomos jantar porque esse dia tínhamos jantar gratuito!!!!! O Marcelo apareceu por lá também e jantou com a gente (ele só dormia e tomava banho no Pariwana porque do resto fazia tudo no Inka junto com a gente hahaha). Cervejeiros que somos, tomamos uma Cusquenha cada por 10 soles. O Marcelo foi embora porque no dia seguinte ia fazer Laguna Humantay. Eu e a Jaque tomamos mais uma cusquenha por 10 soles cada e fomos dormir. GASTOS DO DIA Entrada Montanhas Coloridas – 10 soles Cavalo – 60 soles Banheiro – 2 soles Passagem Cusco - Arequipa – 50 soles Passagem Arequipa – Puno – 60 soles Táxi – 4 soles Cervejas – 20 soles TOTAL: 206 soles
  4. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    25/12 UM DIA A TOA!!!! No fim acabei não indo mesmo a Laguna Humantay, mas a Jaque foi. Conversei com ela e ela disse que a trilha foi bem puxada, mas ela chegou. Tinha a opção também de ir a cavalo ou mula algo assim. Ela disse que pode ter sentido o trekking até lá por estar cansada dos outros dias de passeio e por dormir pouco. Ela adorou, falou que o lugar é lindo e recomenda. Se quiserem posso pedir para ela escrever um tópico mais detalhado desse passeio. Só uma dica, assim como todos os passeios, vão de tênis e roupas confortáveis! Uma moça foi de salto alto fazer esse trekking e obviamente teve que ir a cavalo... Acordei por volta do meio dia, dormi bastante e estava precisando disso. Uma parte de mim estava arrependida de não ter ido mas outra estava dando graças a deus de descansar um pouco e ficar a toa. Como tinha perdido o café da manhã pulei direto para o almoço. Fui para o bar do hostel mesmo e pedi aquele mesmo prato do segundo dia: franco com molho de cogumelos, purê de batata e vegetais por 15 soles e acabei comprando uma água pequena lá mesmo por 3 soles. Encontrei o chileno da noite anterior, o Benjamin, e fiquei ensinando umas coisas em português pra ele e ele umas expressões em espanhol para mim. Depois chegou o colombiano, o Alex e fiquei mais um tempo por lá conversando com eles. Fui levar roupas para lavar, no hostel mesmo e eles cobraram 4 soles o kg, deixei 3kg de roupas, dando 12 soles o valor. Deixei no hostel mesmo, mas não recomendo. Eu odiei a lavagem deles, minhas roupas voltaram todas muito amassadas, aquela blusinha mais bonitinha que levei e disse que me arrependi foi por causa disso. Ela amassou tanto que não tinha o que fazer com ela. As outras usei amassadas mesmo na cara e na coragem e vida que segue, até a próxima lavagem em Arequipa que foi muito boa! Acabei encontrando o Romário no hostel, expliquei que não fui ao passeio e ele disse que seria possível me reembolsar 50% do valor do passeio (40 soles), fiquei mais aliviada!!!! Passei no mercado e comprei mais um pacote com 6 clubes sociais (eles me salvavam nos passeios full day!) e uma água grande de 1,5L por 6,10 soles tudo. Aproveitei a preguiça e fui dormir mais um pouquinho, até a Jaque chegar. Ela chegou mais ou menos umas 19:30, e para nossa surpresa não tinha mais jantar no hostel. Geralmente começava a servir as 17:30hs e ia até umas 20/20:30 hs. Mas no dia 25/12 eles fizeram um tal de Jantar de Natal no bar do hostel e por isso não serviu mais nada, só os pratos estipulados para quem participasse. Eu não participei, custava 40 soles e tinha bastante opção de comida, só bebida que não estava incluída no valor. A Jaque me mostrou as fotos, a lagoa é maravilhosa, super clarinha! E me contou da dificuldade. Ela falou muito bem do guia, ele chamava Nilton Ccopa Lopes (inclusive esse é o instagram dele) e era da Wink Tours. Disse que o guia sabia muito, tirava todas as dúvidas além de manter o grupo unido e não disparar na frente igual ao guia do Vale Sagrado e largar os mais debilitados hahahaha. A fome bateu, o Marcelo foi no hostel encontrar a gente e saímos para jantar. Fomos em um restaurante bem próximo ao hostel, ele fica numa rua virando a direita e no andar de cima, sentido a Plaza de Armas. Pedimos uma pizza e uma coca, dividimos por 3 e gastamos apenas 10 soles cada. A pizza estava bem gostosa!!! Depois voltamos para o hostel e apagamos! GASTOS DO DIA Almoço – 15 soles Água – 3 soles Lavanderia – 12 soles Mercado – 6,10 soles Jantar – 10 soles TOTAL GASTO: 46,10 Mas como nesse dia tive a devolução de 40 soles, total gasto foi de 6,10 soles!
  5. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    @Wesley_Justino Obrigada!!!!!! Já escrevi outro tópico ... MAchu Picchu
  6. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    @eraldotelles Obrigada!!!!! Vou contar toda a viagem porque foi simplesmente fantástica +)
  7. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    24/12 FINALMENTE, MACHU PICCHU!!!! Depois de muito sonharmos com o Machu Picchu, chegou o dia!!!! Acordamos umas 3:40 da manhã, as 4:15 hs subimos para o café da manhã e para nossa surpresa o coreano e o francês que trocamos de lugar no trem também estavam lá!!!! Foi bem engraçado porque eles também não se conheciam e foi coincidência. A gente tomou café juntos, conversamos um pouco e quando foi umas 5hs fomos para a fila do ônibus. Esqueci de mencionar que o Romário não havia nos dado o voucher do ônibus de ida e volta de Águas Calientes a Machu Picchu, aquele de que pagamos 24 dólares (custa 12 dólares o treco). No dia anterior, quando a Jaque e o Marcelo foram fazer o treckking na montanha e eu fiquei no hostel do Marcelo, cobrei o Romário e ele me mandou as fotos dos comprovantes. Segundo o Romário não era necessário trocar esses vouchers por passagem, era só apresentar na hora de entrar no ônibus, mas eu como sou desesperada parei em um guichê em frente à fila do ônibus e perguntei para a mulher. A vendedora esta num humor muiiito agradável #sqn, e na maior má vontade disse que tinha que trocar os vouchers sim e que não encontrava o meu. (Porque ela não fez questão de procurar!) No fim ela procurou direito e me deu uns papéis impressos de subida e descida. A Jaque aguardava na fila, quando voltei ela foi e novamente a mulher foi muito simpática #sqndenovo. Pediu o passaporte da Jaque, mas ela só estava com RG. Quis complicar a vida dela dizendo que não poderia aceitar o RG, a Jaque já mandou uma nela falando que entrou no país com RG e que o documento era válido. Dai a mulher entregou as passagens dela. Mais tarde quando encontramos o Marcelo, ele também comentou da má vontade da atendente. Não estava frio igual aos relatos que li do dia de Machu Picchu, foi com uma calça de ginástica, uma blusa da Hering e um corta vento, que logo depois virou excesso de peso de tanto calor que fez nas ruínas. As 5:15hs mais ou menos começaram a chegar os ônibus. Conforme ia chegando as pessoas iam entrando até completar os veículos. Chegamos por volta das das 5:40 hs lá em cima e fomos para a fila de entrada do parque. Não contratamos guia, mas me disseram que vale muito a pena e tem vários na entrada, também era possível fechar o guia no hostel com o Romário. Começou a chover e tivemos que colocar as capas de chuva, já me deu aquele desespero, não ia conseguir ver nada em um dos passeios que mais esperei na viagem e talvez o mais caro de todos também! O portão abriu as 6hs em ponto. Mostramos o ticket de entrada que contava horário do primeiro período (6:00 – 12:00 se não me engano) e passaporte ou RG e entramos. Começaram as subidas e eu pra variar quase morrendo, xingando e invocando os santos para me levarem flutuando! Sobe, sobe e sobe (para mim pareceu isso!). Lá em cima vimos dois sentidos para irmos. Se não me engano um era para Machu Picchu e outro para o Portal do Sol. Tinha lido vários relatos que o Portal do Sol era onde chegava o pessoal da trilha inca, que a visão la de cima era simplesmente maravilhosa. OK, vamos por esse caminho. Demorei 1h20 mais ou menos para chegar lá, entre muitas pausas, xingamentos, escorregões e sensação que daquela trilha não passava. Encontramos varias pessoas chegando da trilha inca e nenhum [email protected]¨##*$ (xingamentos) nos disse nada, teve até um que disse que era tão lindo lá que ele não tinha nem palavras. Mas falou em inglês acho e a gente não percebeu a ironia. A Jaque disparou e eu fui no meu ritmo, chegando lá ela estava sentadinha junto com outros turistas e a vista era... SÓ NEBLINA!!!!!! Me bateu um ódio, andei a toa!!! Um guia disse que achava que por volta das 8hs da manhã íamos conseguir ver alguma coisa, mas não vimos nada! Neblina continuou, dai ele disse que achava que só iria abrir a tarde e a gente foi embora de lá. A volta foi mais tranquila, a gente avisava os brasileiros que passavam que lá estava com muita neblina e talvez não estivesse aberto ainda. Gente, uma observação: EU SOU MUITO SEDENTÁRIA, ENTÃO QUALQUER CAMINHADA PARA MIM É DIFIÍCIL! JÁ VOCÊ PEGA E VAI, NÃO DEIXE DE FAZER AS TRILHAS PORQUE EU RECLAMEI. SÓ VAI... QUE UMA HORA VOCÊ CHEGA E VALE MUITO A PENA J Voltamos e pegamos o outro sentido, o parque ainda estava com neblina mas querendo abrir o sol, creio que o Portal do Sol ainda estivesse com neblina porque é bem mais alto. Andamos por tudo, vimos lhamas, uma pessoa fez questão de monopolizar a lhama, então nos não conseguimos muitas fotos com ela. A Jaque foi fazer pose sentada em um lugar, dois guardas começaram a apitar e mandar ela sair de lá hahahahahahahhahaa Tem bastante fiscalização nesse sentido. O parque também é cheio de setas, ou seja, você só pode seguir um caminho, se foi por esse caminho não tem como voltar, só saindo do parque e entrando de novo. E foi o que aconteceu com a gente. Tivemos que sair para depois entrar de novo e tirar fotos com o céu aberto. Quando saímos aproveitei para ir ao banheiro, paguei 2 soles para isso. Dai sentamos um pouco e comemos nossos snacks. Aproveitei e carimbei meu passaporte, na saída do parque tem uma mesa com o carimbo de Machu Picchu e você mesmo vai lá e carimba seu passaporte, não esqueçam de fazer isso!!! Encontramos os cariocas que ganharam o vinho no Indio Feliz e o francês do hostel. Conversamos um pouco e depois entramos de novo.Para entrar é só mostrar seu ingresso e passaporte na porta novamente. Andamos mais pelo parque, fomos até uma casinha que fica no ponto alto, dai o céu já estava aberto e as fotos ficaram maravilhosas!!!!! Eu amei Machu Picchu!!! E achei que segui corretamente a sequência para ver as ruinas: primeiro no tour de meio período, depois no Vale Sagrado e por fim Machu Picchu, acho que se começar por Machu Picchu as outras perdem a graça, porque Machu Picchu é gigante, maravilhoso e cheio de energias positivas!!! As 11:15hs começamos a sair do parque, porque precisávamos fazer a trilha de 10km para hidrelétrica e estar as 14:30hs em ponto para pegar a van até Cusco. Umas 11:30hs já estávamos do lado de fora, pegamos o ônibus e começamos a descer. Do nada escuto umas moças falando com o motorista e pedindo para descer, me bateu um estalo e perguntei se era o inicio da trilha e elas confirmaram. Descemos também. A gente estava com vontade de ir ao banheiro, com fome e sem água. Achamos que fosse dar tempo de comprar antes da trilha, mas não deu e começamos a andar. A trilha tem pedaços de terra e pedaços com muitas pedras, mas ela é muito tranquila de fazer. Problema foi ter andado bastante em Machu Picchu e depois feito ela, desgastou um pouco mas nada impossível. Se você tiver tempo e quiser fazer apenas um dos percursos de trilha e o outro de trem, sugiro que faça a ida para Águas Calientes de trilha (a van sai as 5hs da manhã do hostel e chega umas 12hs parece que na hidrelétrica) e a volta de trem, porque dai você já estará meio cansado da subida a Machu Picchu e descansa no trem. Esqueci de comentar também que o trem você pode pegar em Poroy (a estação fica a uma meia hora de carro de Cusco, mas as passagens são bem mais caras e não tem horário com muita frequência) ou em Ollantaytambo como a gente fez. De Ollantaytambo para Cusco são 2 horas de carro mais ou menos. O Marcelo voltou de trem de Águas Calientes para Ollantaytambo e lá conseguiu um táxi compartilhado (ele chorou o preço e o táxi disse que levava, mas ia pegar pessoas pelo meio do caminho) por 30 soles se não me engano. Eu e a Jaque tivemos que fazer esse roteiro louco que incluiu Vale Sagrado, trem e trilha por falta de tempo no roteiro de viagem da Jaque. Mas você pode fazer Vale Sagrado em um dia (dia 1), voltar para Cusco, conhecendo Pisaq que a gente não conheceu e no dia seguinte (dia 2) pegar a van até a hidrelétrica, fazer a trilha até Águas Calientes e pernoitar lá, no outro dia (dia 3) ir até Machu Picchu (de trilha que é de graça ou de ônibus que custa 12 dólares o trecho), voltar para Águas Calientes (de trilha ou ônibus), e voltar para Cusco (de trem até Poroy e mais 30 minutos táxi até Cusco ou de trem até Ollantaytambo 2hs de trem mais 2hs de van ou táxi até Cusco ou de trilha de 10 km até a hidrelétrica e mais van de 6hs de duração da hidrelétrica até Cusco). Tem várias opções, você só precisa ver quanto tempo tem no roteiro para isso e quanto está disposto a gastar. Andamos os 10km, parando para fotos e banheiro, em ritmos diferentes em 2:15hs, teve gente que fez em 3hs, teve gente que fez em 1h. Isso não importa, o que importa é chegar até as 14:30hs na hidrelétrica para não perder a van. Dividimos uma água grande de 1,5L que custou 6 soles (3 para cada) e a Jaque pagou 1 sole do banheiro. Uns 15 minutos antes de concluir a trilha, paramos em um restaurante para almoçarmos. Pagamos 10 soles cada no menu do dia que tinha: entrada (tipo um salpicão de frango), uma sopa, depois uma carne (pedimos um frango empanado) e mais feijão, arroz e batata frita. Vinha também um suco. Não estava gostoso mas a fome era muito, só que também sobrou muita comida e a gente podia facilmente ter dividido. Aproveitamos e compramos outra água grande por 9 soles (4,50 cada), usamos o banheiro gratuito e fomos terminar a trilha. O final da trilha para chegar a hidrelétrica foi meio chatinho, talvez por conta da barriga cheia, mas tinha muita descida inclinada com pedras. Chegamos na hidrelétrica, eu feliz da vida e vi várias vans. Perguntamos pela SAKURA que era o nome da nossa van e fomos informados que ela estava lá na frente, precisávamos andar mais! E tudo para os peruanos são 5 minutos.... encontramos tipo um posto policial, o peruano disse que ainda tínhamos que andar mais 5 minutos... Enfim, chegamos e achamos a van. Chegamos 14:25 mas tivemos que aguardar até as 15hs. O motorista nos chamou, o Romário já tinha passado nossos nomes, não precisava de voucher, e entramos na van. Acho que por ser dia 24/12 véspera de Natal, o motorista e o copiloto dele precisavam de frutas para a ceia, paramos em umas 3 quitandas e eles iam comprando frutas. O motorista sem cinto, mas dirigia bem e com mais calma, aparentemente... Tivemos que parar porque tinha um policial fazendo vistoria nos ônibus e vans, o nosso motorista logo puxou o cinto de segurança e quando o policial entrou uma vendedora veio atrás dele e deu grito pelo orelha dele PINA PELADA!!!!! Eu e a Jaque quase morremos de tanto rir, a gente não aguentou!!! Se fosse no Brasil com certeza a vendedora ia ouvir do policial por desacato e bla bla, mas lá parecia tudo normal, a galera da van tirando 1 sol para comprar a Pina Pelada! Hahahahhahaha Depois teve uma pausa para banheiro e comer, um pessoal pediu um lanche bem bonito e cheiroso mas eu e a Jaque estávamos bem cheias do almoço da hidrelétrica. Só comprei um pacote de Orion por 3,50 soles e usei o banheiro por 1 sole. A gente também tinha uns snacks que tinham sobrado. Quando foi 19:30hs passamos por Ollantaytambo, e a tranquilidade do nosso motorista se evaporou! Os motoristas no Peru tem a mania de buzinar muito, jogar o veiculo em cima e também estacionar em locais proibidos, daí outros veículos não conseguem passar. Uma van na nossa frente estava parada em um local proibido, provavelmente para pegar algum passageiro, dai nosso motorista começou a buzinar sem parar. Só sei que o motorista da van que estava estacionada no lugar proibido começou a xingar nosso motorista, ele saiu da van, bateu a porta com tudo e os dois começaram a se peitar no meio da rua. Eu medrosa que sou já imaginei tiro saindo e todo mundo tendo que abaixar na van pra se proteger. No fim os dois pararam de se peitar, não teve tiros, cada um foi para seu veiculo e continuamos viagem como se nada tivesse acontecido. Chegamos em Cusco por volta das 21:00 hs, a van nos deixou em frente ao hostel Wild Rover, porque toda Plaza de Armas e todas as outras ruas estavam fechadas para o Natal. Andamos cerca de 15 a 20 minutos até o hostel. Eu e a Jaque jantamos duas empanadas em um lugar bem próximo ao hostel por 4 soles cada (8 soles no total), não estava gostosa mas era a única coisa aberta por causa do Natal. Conhecemos uns chilenos e colombianos no hostel, dai fomos para o bar encontrar eles para passarmos a virada. Não podíamos ficar até tão tarde porque no dia seguinte a gente ia sair as 4:30hs da manhã para fazer Laguna Humantay. Gastamos mais uns 30 soles em cerveja, lá tinha um esquema que se você acertasse um balde com a tampinha da cerveja ganhava free shot. Acho que como pessoal estava em clima natalino, todos ganhavam free shot a todo momento. No fim acabei desistindo de ir a Laguna Humantay, a Jaque foi dormir e eu continuei lá, estava bem cansada dos passeios e então resolvi aproveitar a noite no bar do hostel e deixar o passeio pra lá. Gastei uns 30 soles no bar do hostel aquela noite. GASTOS DO DIA Banheiro em Machu Picchu = 2 soles Água dividida = 4,50 soles Almoço = 10 soles Banheiro volta Cusco = 1 sol Orion = 3,50 soles Jantar = 8 soles Bar = 30 soles TOTAL = 59 soles
  8. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    23/12 VALE SAGRADO E ÁGUAS CALIENTES Acordamos bem cedo e fomos fazer check out, deixamos nossos mochilões no depósito. Não paguei pelas diárias porque eles estavam sem troco. Como eu ia voltar depois de Machu Picchu deixaram acertar no último dia. Conseguimos tomar café da manhã bem rapidão, inclusive o Marcelo estava por lá e deu uma filadinha de boia. Tomei um chá de coca para ficar bem ao longo do dia. Estava mais friozinho, Cusco é uma cidade muito fria pelo fato de ser alta. Praticamente todos os dias usei calça comprida e jaqueta corta vento. De dia colocava a segunda pele embaixo da blusa e ao longo do dia tirava, ia com um top por baixo então ficava fácil tirar. Confesso que assustei um pouco com o frio afinal fui no verão, na minha cabeça era para chover e não fazer frio! Por isso o arrependimento de não ter levado blusa de manga comprida. 6:45 o guia chegou para irmos fazer Vale Sagrado. Novamente andamos muito para chegar até o busão. Fizemos vários sítios arqueológicos, todos usando Boleto Turístico para entrar. Começamos por Chincero, depois Maras e Moray, na Salineras tivemos que pagar 10 soles de entrada e valeu muito a pena. Paramos para almoçar em Urubamba em um buffet mais ruim de peeeor que existe! Tudo gelado, sem gosto, carnes duras... mas era o que tinha. Recomendo levar snacks e muita água, os lugares são bem quentes e o esforço para andar na altitude faz seu organismo pedir muita água. Depois do almoço fizemos o lugar mais bonito e também mais difícil que foi Ollantaytambo. Se eu xinguei mentalmente e verbalmente nos outros sítios, nesse me vi morta e enterrada. Só subida, mas o lugar é sensacional e vale cada pensamento de morte. Alias, falando em morte, os sítios não tem segurança alguma. Você anda perto de precipícios, cheio de pedras e se cair caiu, ninguém vê. Então respeite quando tiver cordas e placas falando para não passar... Os caminhos para ir para os passeios são muito precários, muitas curvas, muito precipício e geralmente chacoalha bastante, se você passar mal com isso é interessante tomar algum remédio, desde que não dê sono senão perde o passeio. A Jaque e o Marcelo foram explorar o outro lado, eu alcancei o guia que tinha disparado na nossa frente e fiquei lá quietinha. No sítio também tem lhamas, tirei várias selfies com elas!!!! Não fizemos Pisaq porque foi o último sítio e seria a volta para Cusco, paramos em Ollantaytambo porque nosso trem era as 19hs para Águas Calientes. As 14:30 acabou o tour para a gente. Pegamos nossos casacos no ônibus e fomos encontrar o hostel do Marcelo, ele iria pernoitar lá. Achei a cidade linda!!! Toda organizada. Achamos o hostel, a Jaque e o Marcelo inventaram de ir escalar uma montanha, eu fiquei no hostel descansando, usando o wi fii e colocando músicas brasileiras para os staffs que eram umas gracinhas de legais. Não lembro o nome do hostel, mas o Marcelo adorou. Eles voltaram e fomos a um barzinho, tomamos margarita e comemos um prato que era guacamole com um negócio que parecia pastel, tomamos cerveja também. Cada um gastou 21 soles. Nos despedimos do Marcelo e fomos pegar o trem, precisei ir ao banheiro no meio do caminho, gastei 1 sole. Mostramos nossas passagens de trem e fomos aos nossos lugares. Não estávamos juntas, mas nos bancos ao lado. Pedimos para trocar de lugar com um coreano e ele topou. Depois chegou um francês ao lado do coreano e seguimos viagem. Para nossa surpresa o trem saiu e fomos de costa, o trem ia para um sentido mas nossas poltronas estavam viradas para o outro lado hahahaha Foi esquisito. Deram um cookie integral para a gente e a opção de suco, café ou leite. Não me pergunte o porque ( a Jaque disse que eu disse que queria algo quentinho) eu pedi café com leite, misturei com o álcool do barzinho e sim, depois deu um mal estar. Chegamos as 20:30hs e fomos para o hostel para tomar banho e depois jantar, porém o bicho ficava no topo de uma escadaria gigantesca, mudamos de ideia e fomos jantar. Uma amiga indicou o restaurante Indio Feliz, mas não deixaram a gente entrar apesar de estar vazio, disseram que estavam 100% reservados. Então saímos e fomos ao restaurante da frente. Tinhamos encontrados uns brasileiros no trem e eles viram a gente, falamos sobre o Indio Feliz e um deles foi até lá, usou a lábia que só tinha ido para Águas Calientes para jantar lá e bla bla bla e ganharam um vinho!!!!!! Façam isso fica a dica!!!! Acabamos comendo um sanduiche bem ruim, largamos quase tudo, a gente podia ter dividido. Gastamos 15 soles. Paramos na pracinha de Águas Calientes para algumas fotos, ela é bem bonita, depois compramos uma água de 1,5L por 4 soles. Encaramos a escadaria do Hostel Casa Paz e chegamos lá! Já fizemos o check out porque no outro dia íamos sair muito cedo. Gastamos 30 soles cada na diária. O hostel era bem simples, como disse anteriormente um pouco mofado, mas tinha água quente e também uma aranha na minha cama. A Jaque quase morreu quando viu uma borboleta voando no quarto. Tomamos antialérgicos e apagamos. GASTOS DO DIA Entrada Salineras de Maras – 10 soles Bar – 21 soles Banheiro – 1 sole Hostel Casa Paz Águas Calientes – 30 soles Água – 4 soles Jantar – 15 soles TOTAL: 81 soles
  9. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    22/12 CHEGADA DA JAQUE E TOUR POR CUSCO Acordei com dor de cabeça e meio enjoada, devia ser mal de altitude junto com um pouco de ressaca e esforço físico para subir na bicama! Eu confesso que estava morrendo de medo de passar mal pela altitude, mas durante toda a viagem os únicos sintomas que senti foram: dor de cabeça poucas vezes, tipo um enjoo mas também bem poucas vezes e dificuldade em caminhar (isso sempre, até o último dia!!!!). Andava dois centímetros e parecia que tinha corrido uma maratona!!!! Os chás de coca que tomava de manhã me ajudavam muito, não comprei Soroche Pills, folhas e balas de coca não funcionavam comifo. Fui tomar café da manhã (vários pães, geleia, manteiga, chá, leite e café) e depois fui até a recepção pedir para que me trocassem de cama e me deixassem na cama debaixo. Graças a Deus tinha cama disponível!!!! Comprei uma água grande no hostel por 6 soles e aproveitei e tomei bastante chá de coca. Estava indo dormir, mas a Jaque chegou. Foi aquela gritaria no hostel!!! Fiquei muito feliz com a chegada dela. O pessoal do hostel deixou ela tomar café da manhã mesmo ela não o tendo aquele dia. Quando estava indo para o quarto, encontrei a Carol. Gente, a Carol fez intercâmbio comigo em Vancouver há 5 anos atrás!!!!! A gente se tinha no Facebook mas não mantínhamos contato. Foi uma surpresa muiiiitoo legal!!!!! Carol, já tô com saudade!!!! Ela fez trilha inca, quem quiser posso pedir para ela escrever como foi. A Carol e o irmão dela tinham fechado os tours no hostel, então seguimos a dica. Resolvemos fechar os passeios no próprio hostel, já tínhamos noção de valores pedidos pelas agências. Conversamos primeiro com um rapaz que esqueci o nome, mas foi o Romário que deu descontos pra gente, inclusive ganhamos dois jantares no hostel pós passeios. Fechamos (nomes das agências que fizemos estarão em cada tópico!): - Tour de meio período para sítios arqueológicos em Cusco: 30 soles (quem quisesse entrar na Igreja de San Domingos tinha que pagar mais 15 soles de entrada na hora) - Boleto turístico general: 130 soles (ele serva para 10 dias consecutivos, tem o que serve para dois dias e custa 70 soles, mas como íamos fazer vários sítios arqueológicos tivemos que comprar o de 130 soles) - Vale Sagrado: 60 soles com almoço incluído (no dia teria que pagar mais 10 soles para entrar na Salineiras – super recomendo) - Van da hidrelétrica para Cusco: 40 soles (ida e volta é 70 soles) - Laguna Humantay: 80 soles com café da manhã e almoço (na hora deveria pagar 10 soles de entrada) - Montanhas Coloridas: 80 soles com café da manhã e almoço ( na hora deveria pagar 10 soles de entrada) - Ônibus de Águas Calientes para Machu Picchu e vice versa: 24 dólares (eles só aceitavam em dólares!!!!! Não sei se na porta aceitam pesos) - Entrada Machu Picchu: 152 soles (no hostel o Romario só fez a solicitação, esse valor pagamos em um local específico que vende o ticket) Fomos primeiramente a Peru Rail. A Jaque precisou comprar o trem dela de Ollantaytambo para Águas Calientes e fomos na Peru Rail, mesmo local que eu comprei antecipadamente pela internet, e ela gastou 62 dólares, chorou mas não adiantou. Eu havia avisado ela da promoção, mas ela estava com problema com cartão e não conseguiu comprar na época. Tivemos que ir de trem porque a Jaque estava com o roteiro apertado, então não tínhamos outra opção a não ser pagar trem para ir e fazer trilha na volta para economizar alguns dólares. Aproveitei para trocar meu voucher pela passagem de trem, para isso dei o número de confirmação que me enviaram por e-mail após a compra ser efetuada, passaporte e o cartão de crédito que fiz a compra. Depois fomos para o local que vendia a entrada de Machu Picchu, bem próximo a Peru Rail e a Plaza de Armas. Pagamos 152 soles para entrada no primeiro turno, o segundo turno é mais barato. Fomos fazer câmbio. O melhor que achamos foi em uma rua próximo a Plaza de Armas, lotada de casas de câmbio, dólar a 3,23 e real a 0,92. Se for para Arequipa o real vale muito mais lá, o dólar o mesmo valor!!! Passamos no mercado e compramos alguns snacks (cube social) por 3,10 com 6 unidades e água de 1,5L por 2,10. Voltamos ao hostel e pagamos o Romário. Almoçamos por lá mesmo, comida muito boa. Pedimos um frango com molho de Champion, purê de batata e legumes, indicação da Carol por 15 soles. Tinha os pratos do dia por 10 soles, mas acabamos indo no maior. As 13:30hs chegou o guia do tour. O Marcelo acabou indo com a gente, éramos o trio Rute, Raquel e Tonho (piada interna!!!). O ônibus estava estacionado bem longe do hostel e o guia ligou o turbo e saiu voando na nossa frente, eu que já não aguentava andar fui quase engatinhando achando que ia cuspir o coração. Encontramos o restante do pessoal do tour. Estava ameaçando chover, então compramos uma capa de chuva por 3 soles, choramos muito e de 5 foi para 3. Era uma capa bem vagabundinha, mas era comprida e a que eu levei era curta. Deu muito bem para o gasto até o fim da viagem. Primeira parada foi a igreja de San Domingos, o pessoal pagou 15 soles para entrar, nós não quisemos e fomos andar por uns locais mais pertos. Na hora combinada voltamos para lá para encontrar o pessoal. Entramos no ônibus, o guia era o Gabriel e a agência era Dannys Tour.O motorista parecia que ia tirar a mãe da forca, sentou o pé e dirigiu como um legítimo peruano. Paramos em quatro sítios arqueológicos durante o tour, se não me engano: Sacsayhuaman, Q’enqo, Puka pukara e Tambomachay Em cada sítio iam furando o Boleto Turístico, ele era o passe para entrar nos locais. Não vou escrever sobre os sítios nem sobre detalhes dos passeios que são explicados pelo guia para não perder a graça quando chegar lá. Mas quem tiver alguma dúvida além de valores, horários e agência pode me perguntar!!!!!! Gente, eu sou uma pessoa extremamente sedentária! Cada passo, cada subida de degrau ou cada mexida eu sentia, respiração ficava ofegante, coração parecia que ia sair pela boca. A Jaque e o Marcelo já eram mais atreeeetas, eles iam no ritmo deles e eu no meu, uma hora encontrava! Façam isso, não tentem ir mais do que podem para não passar mal. Se não aguentar para, respira, descansa e depois vai. Chegamos umas 19:30hs do tour, o ônibus parou bem longe do hostel porque a noite eles fecham as ruas e transporte maiores não passam.Andamos uns 15 minutos até chegar ao hostel. Ganhamos o jantar desse dia, pedimos macarrão com molho bolonhesa que estava muito gostoso e mais duas cervejas por 12 soles as duas (6 para cada). Arrumamos mochilão e mochila de ataque porque no dia seguinte íamos para Águas Calientes. Paramos no Mama África porque a Jaque queria muito sair, eu estava acabada que não conseguia quase ficar de olho aberto. Ficamos 2 horas no máximo lá e fomos para o hostel. GASTOS DO DIA - Água no hostel: 6 soles - Tour meio período: 30 soles - Boleto Turístico: 130 soles - Vale Sagrado: 60 soles - Van Hidrelétrica de Ollantaytambo para Cusco: 40 soles - Laguna Humantay: 80 soles - Montanhas Coloridas: 80 soles - Ônibus Machu Picchu (ida e volta): 24 dólares – 77,52 soles - Entrada Machu Picchu: 152 soles - Snack: 3,10 soles - Água mercado: 2,10 soles - Almoço: 15 soles - Capa de chuva: 3 soles - Cerveja: 6 soles TOTAL: 684,72
  10. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    Gente, é possível fazer a viagem com muito menos gastos que eu fiz: quem não bebe por exemplo, economiza muito! Comprei passagem em cima da hora, comi tudo que eu queria, tem lugares mais baratos e também é possível cozinhar em alguns hosteis (MIOJÃO!!!). Hosteis mais baratos, seguro viagem mais barato.... dá pra economizar bastante!!!!! Dois antes do meu embarque achei um tópico no Mochileiros.com do pessoal que estaria na mesma época que eu mochilando. Logo mandei um whatsapp para a Yasmin e ela me colocou no grupo. Conheci várias pessoas por ele!!!! DE SÃO PAULO PARA CUSCO – CONEXÃO EM LIMA Cheguei em São Paulo um dia antes porque sou do interiorrrrr (não vou inserir essas despesas, nem das roupas e acessórios que tive que comprar para levar!). Dormi na casa dos meus tios e no dia 21/12 as 4hs da manhãmeu tio Fê e minha prima Ju me levaram para Aeroporto de Guarulhos. s2 Fiz check in e por indicação da moça da LATAM levei meu mochilão para o setor de cargas especiais ou frágeis, não lembro direito o nome, mas não coloquei na esteira, levei e outro lugar para outra pessoa despachar. O voo saiu exatamente as 8:15hs da manhã, durou 5 hs de viagem, parando em Lima para conexão. Em Lima passei primeiro pela imigração, o que foi bem tranquilo. Me deram um papel no avião para preencher, mas não precisei entregar na imigração porque não tinha itens para declarar Policial apenas carimbou meu passaporte e fez perguntas do tipo: quanto tempo vai ficar, qual a finalidade da viagem? Busquei o mochilao, que chegou junto com todas as outras malas e tive que sair do aeroporto para ir até o setor de voos domésticos e fazer check in, despachando novamente o mochilão que desta vez foi com todas as malas. Estava morrendo de fome, fui informada por um segurança que na ala do embarque também tinha restaurantes, então já fui direto para lá. Mas.... não tinha! Tinham apenas dois cafés com preços bem salgados, na parte que não é do embarque tem vários restaurantes e talvez tenha comidas mais gostosas e baratas. Parei no segundo restaurante (fica um do lado do outro), tinha só opção de lanche ou macarrão, pedi um lanche que estava bem meia boca (chamava Butifan) por 25 soles. Era um lanche feito em um pão de forma maior, com um presunto que não tinha gosto de presunto e sim de salsicha em conserva, cebola, tomate e maionese e mais 6 soles em uma água pequena. Fiquei esperando dar o horário do voo, porém ele atrasou! E muito. Fiquei mais de 4hs esperando. Saiu era mais de 17hs, horário que eu já deveria estar em Cusco. Entrando no avião encontrei o Marcelo (o Tonho!), perguntei aonde ele iria ficar em Cusco e acabamos dividindo um táxi quando chegamos lá. Chegamos ao aeroporto de Cusco, pegamos os mochilões e fomos ate o táxi de referência do aeroporto. A corrida estava por 30 soles, mas como eram duas pessoas fizeram a generosidade de fazer por 40 soles. Gastamos 20 soles cada um. Masssss nossos hosteis eram coisa de 2 quarteirões, se soubéssemos poderíamos ter parado em um e economizado 5 soles! Cusco e todo Peru tem um trânsito que é um caos!!!! Eu fiquei desesperada dentro do carro. Uma buzinaiada só! Buzinam pra tudo, jogam o carro em cima, brecam em cima, famílias com crianças de colo se jogam em cima dos carros para atravessar a rua, só que eu não vi um acidente.... Quando for atravessar estique as duas mãos, igual policial faz, dai você consegue atravessar com um pouco mais de folga. E não tente ir pela faixa de pedestre, eles não respeitam!! Marcelo foi deixado primeiro no Pariwana e depois o querido do taxista fez o favor de errar o hostel, teve que dar uma volta no quarteirão que com aquele vuco vuco me fez perder mais 20 minutos dentro do carro. Eu já estava agoniada. No fim ele parou e me indicou o hostel, sóque era o hostel errado!!! Acho que queria se livrar logo de mim, então subi a pé alguns metros e achei meu hostel. Fiz check in no Inka Wild Hostel, fui encaminhada para um quarto compartilhado com umas 10 beliches, e como sou sortuda me deram a cama de cima. Adorei o hostel, tinha uma área com mesas de ping pongo, bar... bem legal! Você encontrava gente toda hora do dia. Tomei um banho, falei com meus pais e fui encontrar o Marcelo para gente jantar. Fomos à Plaza de Armas, lá é lotado de barzinhos, escolhemos um chamado Mushrooms, em cima dele fica o famoso Mama África. Eu tinha prometido que ia fazer uma alimentação correta, sem carne vermelha e sem álcool (amo cerveja!!!!) e como sou de cumprir minhas promessas me afoguei no frango a passarinho e nas litrões com o Marcelo. Plaza de Armas em Cusco durante a noite! (em anexo!) Tomamos Cusquenha e Pilsen, Marcelo também é fã de cerveja então provamos as locais. Gastamos 15 soles cada do frango com fritas + 20 soles de cerveja porque era happy hour (2 por 20). Fomos caminhar pela Plaza e várias pessoas nos abordaram na rua oferecendo Free Shot, a gente foi parando em todos, todos com aula de Salsa e os shots eram Cuba, eu não gosto muito então meu parceiro Tonho Marcelo ia tomando. Fomos em uns 5 bares aquela noite e terminamos no Mama África. Conheci o Felipe e o Alisson no Mama África, eles eram do grupo de whatsapp da galera que estava mochilando no mesmo período que eu. Super gente boa os dois!!!!! O Felipe representou os brasileiros na dança do balcão e ganhou uma camiseta do bar. Gastei mais uns 40 soles em cerveja no restante da noite. Nesse meio tempo já dava pra sentir o efeito da altitude, estava super difícil subir escada ou dançar muito rápido, coração parecia que ia sair pela boca, juro que não era o efeito do álcool!!!!! Eu e o Marcelo nos despedimos do pessoal e fomos embora. Estava a maior chuva do planeta, então resolvemos ir de táxi e foi com um clandestino mesmo! Ele cobrou 5 soles ao todo, 2,50 soles para cada. Meu hostel estava com a porta fechada, ele esperou eu entrar antes de ir embora. Cheguei no hostel, troquei de roupa e fui tentar dormir, mas quem disse que eu subia na bicama? Fiquei entalada na escada, com metade do corpo na cama e metade fora, comecei a chorar de desespero como se isso fosse ajudar e não tinha ninguém acordado pra me dar um empurrãozinho. A altitude começou a judiar de mim... altitude mais umas cervejinhas, né!!!! Fiz tanta força que achei que uma veia da cabeça tivesse estourado, mas deitei na cama. Deu uns 10 minutos me deu vontade de ir ao banheiro, queria chorar de novo, mas dessa vez de ódio. Foi um parto descer daquilo também.Fui ao banheiro ofegando porque estava difícil andar fora o esforço da beliche... voltei e subi na cama, mais outra veia explodida na cabeça! Esperei o coração desacelerar e voltar a respirar com mais calma, e daí dormi como um baby.... GASTOS DO DIA Almoço no aeroporto: 25 soles lanche + 6 soles água = 31 soles Táxi aeroporto ao hostel: 20 soles Jantar: 15 soles frango com batata + 50 soles cerveja = 65 soles Táxi bar para hostel: 2,50 soles Total: 118,50 soles
  11. Roberta Bollineli

    MOCHILÃO SOZINHA PELO PERU, BOLIVIA E CHILE

    Esqueci de mencionar que levei na mala 1 blusa segunda pele e uma calça segunda pele, a blusa foi muito usada, já a calça usei 2 ou 3 vezes só!
  12. Oi, Pessoal!!!!! Meu nome é Roberta e no fim de Dezembro de 2017 fiz meu primeiro mochilão. Fui para o Peru, Bolívia e Chile, num total de 20 dias viajando. Só a primeira semana do mochilão que eu estava acompanhada por uma amiga que já conhecia, o restante fiz tudo sozinha, conheci muitas pessoas, culturas e lugares sensacionais. Passei alguns perrengues, mas faz parte!!!!! Antes de ir fiz muitas pesquisas!!!! Muitas mesmo!!! Foram meses lendo relatos, conversando com amigos que já foram e tentando achar gente pra ir comigo. Quero deixar meu agradecimento para Laryssa Vivi que teve a maior paciência comigo, ela foi uns meses antes que eu e me deu muitas dicas, me ajudou muito com roteiro e me incentivou a não desistir mesmo indo sozinha. Valeuuuu Laryssa!!!!! Também agradeço o Jeff RUIM, ele foi uns anos antes, não fez o mesmo roteiro que eu, mas deu dicas super válidas e o maior incentivo!!!!! Valeuuuu Jeff. Meus pais me chamaram de louca por, primeiro, colocar todas as minhas roupas em uma mochila e, segundo, por ir sozinha para o "perigo e pobreza da América do Sul". Eu amei, recomendo e voltaria!!!! Meu roteiro foi assim: 21/12 São Paulo – Cusco 22/12 Cusco 23/12 Cusco – Vale Sagrado e Águas Calientes 24/12 Machu Picchu 25/12 Cusco 26/12 Cusco 27/12 Cusco – Arequipa 28/12 Arequipa 29/12 Arequipa 30/12 Arequipa - Puno 31/12 Puno – Copacabana 01/01 Copacabana – La Paz 02/01 La Paz 03/01 La Paz – Uyuni 04/01 Uyuni – 1º dia de Tour 05/01 Uyuni – 2º dia de Tour 06/01 Uyuni (3º dia de Tour ) – Atacama 06/01 a 10/01 – Atacama 10/01 Atacama – São Paulo Observação - Diminuiria um dia em Cusco, um em Arequipa e talvez um no Atacama, aumentaria talvez um dia e La Paz ou iria conhecer outra cidade do Peru. O que levei no Mochilão (60L Quechua): - 3 calças de ginasticas, 3 compridas e uma mais curta - 8 blusas (4 blusas eram daquelas de algodão da Hering, só mudou a cor kkkkk, 1 de ginástica que não amassava, 1 mais bonitinha e 2 de alcinha com pano mais bonitinho pra sair) – não levaria a blusa mais bonitinha porque amassou inteira e não consegui usar mais e só levaria uma de alcinha ao invés das 2. - 2 calças jeans – só levaria uma - 1 jaqueta moletom - 10 calcinhas - 1 par de chinelos - 1 pijama (usei uma calça de ginástica velha que ficou por lá e uma blusa de pijama) - 3 tops de ginástica - 2 sutiãs - 1 gorro - 1 par de luvas - 1 blusa segunda pele - 1 calça segunda pele (quase não usei, mas acho que foi mais de preguiça) - 1 biquini - 1 toalha de secagem rápida - 1 shorts (não levaria) - 1 rolo de papel higiênico - 1 pacote com 100 lenços umedecidos - 1 secador de cabelo (não levaria) - 2 tênis (um no pé e outro na mala – só usei um!) - 8 pares de meia (2 térmicas, 2 de trilha e 4 normais) - 1 shampoo pequeno - 1 condicionador pequeno (tive que comprar outro lá) - 1 sabonete em barras (tive que comprar outro lá) - 1 saboneteira - 1 desodorante aerossol - 1 gilete (não usei) - 1 alicate de unha (não usei) - protetores solares: corpo, rosto e boca - 1 repelente - 1 capa de chuva (não levaria, compraria lá) - 1 soro fisiológico Na mochila de Ataque: - jaqueta corta vento - minhas maquiagens (base, pó, corretivo, rímel, batom e pincéis) – peso totalmente morto!!! Não usei nada - 1 escova de cabelo - 1 escova de dente - 1 pasta de dente pequena - 1 fio dental - 1 pinça - 1 espelhinho - 1 lixa de unha - celular - carregador celular - carregador portátil de celular + carregador - adaptadores de tomada (não usei, porque meus carregadores já tinham saída em formato de bolinha) - 1 T - 1 pen drive (não usei) - lacinhos de cabelo - 1 fone de ouvido (não usei) - 1 caneta - 1 pasta com documentos: voucher passagem, ticket trem de Ollantaytambo a Águas Calientes, Vouches Passagem Todo Turismo de La Paz para Uyuni, Certificado de Vacinação Internacional, Passaporte, Confirmação de Hosteis, Roteiro e TODOS os papeis que me entregavam nas imigrações) - Capa de chuva para mochilão - Remédios (plasil, neosaldina, mioflex, amoxicilina, emosec, repoflor, eno,.... e um kit todo) - Band Aid - 1 óculos de sol Observações - Não levei bota, porque comprei uma muito ruim da Quechua na Decatlhon e machucou meu pé, dai levei um tênis waterproff da Quechua muito bom e no fim só usei ele. - Não levei, mas recomendo levar: Bepanthol (boca fica destruída!), cachecol, blusa mais fina de manga comprida, álcool em gel, colírio e remédio para o fígado. - PAPEL HIGIÊNICO É MUITO NECESSÁRIO! Comprei Antecipadamente - Passagens aéreas - R$2000 que podia ser parcelado até em 10x, entrando por Cusco e saindo por Calama. - Trem de Ollantaytambo para Águas Calientes – comprei só este trecho, porque fui de trem e voltei de trilha. Comprei pela Peru Rail (no site dele mesmo) na Black Friday e paguei 45 dólares, o preço normal para época era 62 dólares. - Ônibus da Todo Turismo de La Paz para Uyuni – R$133,00 semi leito, mas o meu era leito – indico fortemente que comprem as poltronas 10 ou 11 se não me engano, não senta ninguém na sua frente e elas descem mais que as outras! Certificado de Vacinação Internacional - Exigido pela Bolívia, não me pediram, mas eu tinha comigo, vai que... Hostels - Já deixei todos reservados pelo Brasil, como ia sozinha não queria ficar batendo de porta em porta pechinchando valor e vendo se tinha vaga. -Todos foram pagos no local e NÃO antecipadamente. Seguro Viagem - Fiz pela Mondial, paguei R$230,00 (podia parcelar até em 3x). Fiz o mais caro porque a diferença era de R$70 reais apenas e com cobertura maior, não precisei usar mas vi muita gente passando mal. Façam! Dinheiro Levei 1800 dólares (usei 1000 dólares) + 400 soles (levaria apenas 100 soles do Brasil para despesas iniciais, como táxi do aeroporto ao hostel) + R$300 reais + 3mil pesos chilenos (não levaria) + cartão de crédito para emergência (usei no aeroporto na volta apenas) Paguei no Brasil por 0,0062 no peso chileno e R$1,23 no sol peruano – super caro! Cartão de Crédito: tenho Mastercard do Banco do Brasil, desbloqueei um mês antes de ir. Dois dias antes de embarcar liguei no banco e fui informada que não estava desbloqueado porque no Peru tinha uma norma a ser seguida, deveriam informar não sei quem lá sobre meu possível uso do cartão e demoraria 72hs para confirmarem se deu certo. No fim deu certo! Veja certinho com seu banco... Táxi - Usei no Peru e na Bolívia – não tem taxímetro, portanto negocie antes. Não pegue qualquer táxi pela sua segurança. Hosteis que fechei (pelo Booking) - CUSCO Inka Wild Hostel: SUPER RECOMENDADO - cama confortável, banheiros limpos, comida muito boa e barata, tem bar pra quem quiser se divertir um pouco, excelente localização, próximo a Plaza de Armas, com café da manhã, tem agência no local com preços bem em conta, deixei mochilão no depósito para ir para Machu Picchu. - ÁGUAS CALIENTES Casa Paz Hostel: OK – tinha uma aranha na minha cama, mas vida que segue! Era o hostel mais barato que encontrei, bem próximo da pracinha e do ponto de ônibus para subir Machu Picchu, mas tinha que subir uma ladeira imensa para chegar até ele, tinha café da manhã super gostoso, quartos cheiravam um pouco de mofo, mas pelo valor e por uma pernoite eu voltaria. Sfatt acordou antes das 4hs da manhã para fazer nosso café. - AREQUIPA Los Andes Bed & Breakfast: SUPER RECOMENDADO – cama de solteiro super confortável e quentinha, quarto super limpo, com loker e criado mudo individual, café da manhã e localização muito boa, meio quarteirão da Plaza de Armas. - COPACABANA San Cristobal (reservei outro, mas me mudaram para esse...) NÃO RECOMENDO – sujo, banheiro sujo, sem café da manhã, staffs de mal com a vida. Única coisa que prestou foi a localização. - LA PAZ Loki: RECOMENDADO -.não achei o melhor hostel que eu fiquei, mas estava limpo, cama confortável e quarto quentinho, bar para se distrair e conhecer gente, boa localização, comida melhor que da rua, sem café da manhã. - SAN PEDRO DE ATACAMA: Ckappin: SUPER RECOMENDADO – hostel simples, com quarto pequeno e sem café da manhã, mas me senti em casa. Staffs muito legais e ótima localização, melhor valor que encontrei em San Pedro de Atacama.
  13. @Yasmin Felix Tbm vou para Uyuni no dia 03/01 a noite, faço Salar no dia 04 (tour de 3 dias) e vou pro Atacama no dia 06. Estou indo sozinha, podemos combinar de fazer juntas =)
  14. @msouza97 Muitooooo obrigadaa!!!!! Todas suas dicas estão anotada!!!
  15. @msouza97 Muiiito obrigada pelas informações!!!! Acho que com a Ilha em greve nem compensa pernoitar lá, né? No fim então vc só conheceu um lado da ilha? Foi no barco das 8:30 e voltou que hs? Minha intenção seria fazer o passeio e ir para La Paz no mesmo dia
×