Ir para conteúdo

Thaís Gaudencio

Membros
  • Total de itens

    1
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

3 Neutra
  1. Dia 1 - 09 de Dezembro de 2017 Chegamos no Aeroporto de Calama as 11:00 e pegamos um transfer para San Pedro do Atacama (Transvip). Caso você pague apenas um trecho, o valor é de 12.000 pesos. Pagando a ida e a volta, o valor passa a ser 20.000. O transfer te deixa na porta do hotel. Ficamos eu, meu pai e minha tia no Hotel Corvatsch. Ele funciona também como Hostel e possui ainda uma agência de viagens. O hotel fica super bem localizado, a equipe é maravilhosa e os quartos super confortáveis. Como chegamos cedo, 12:20, e o check-in era as 14:00, almoçamos no Sol Cor (ou algo parecido), na Rua Calamar. A comida é muito boa mas o serviço é demorado. Vale a pena quando a fome não é muita e o tempo não é curto. Entrada, prato principal e sobremesa custam 7.000 pesos. Às 16:00 fizemos o passeio da Laguna Cesar. Fizemos pela agência do hotel com o motorista e guia Florêncio, que realmente entende da região e é muito simpático. Esse passeio permite mergulho nas lagoas de sal. A primeira delas é super pequena e você deve aguardar em uma fila gigante pela chuveirada. Preferimos pular esse banho e conversar com o guia sobre a região. Passamos depois por outros dois laguinhos, onde um deles também pode-se tomar banho, para irmos ao último, Tebinquiche, que é belíssimo e onde permite-se passear apenas pela sua borda. No fim do passeio é servido um lanche com pisco (bebida típica do Chile). Paga-se pelo acesso aos lagos 17.000 pesos e o passeio saiu por 36.000. É importante lembrar de levar sempre uma garrafa de água, protetor e no caso de tomar banho, uma toalha. O retorno foi as 20:00. A noite comemos uma empada do mercadinho em frente ao hotel. Que aliás, tem de tudo. Dia 02 - 10 de Dezembro de 2017 Logo cedo meu pai mediu a pressão e descobriu que estava 25/18. Corremos para o hospital da cidade, que fica vizinho a agência bancária na praça principal (5 minutos do hotel a pé) e fomos atendidos pelo enfermeiro. Depois de receber oxigênio, descobriu-se que meu pai estava com o mal da altitude e foi recomendado que ele voltasse imediatamente para Santiago. O que foi feito assim que sua pressão regularizou, na tarde do mesmo dia. Almoçamos, eu e minha tia, no hotel em frente ao nosso, no esquema de entrada, prato principal e sobremesa por 6.000 pesos. As 16:00, fomos fazer o passeio do Vale da Lua e da Morte. Como não sairia passeio de nossa agência, usamos a de uma agência ao lado da Sorveteria Babalu. Fomos em um ônibus com mais 15 pessoas e com guias bem novas que conheciam muito pouco da região. O passeio do Vale da Lua é lindo e inclui a subida ao mirante e a visita a Caverna de Sal (que leva em torno de 20, 30 minutos com trechos feitos com o auxílio da laterna do celular). Saindo de lá, passamos pelo Vale da Morte e fomos ver o pôr-do-sol no mirante Coyote. O passeio custou 38.000 pesos e a entrada no parque, 3.000. O passeio acaba as 20:00. Jantamos no Sol Cal (ou algo parecido) um sanduíche e uma salada. Acho que por 4.000 pesos. Não esquecer da água, protetor e de tênis confortável. Dia 03 - 11 de Dezembro de 2017 Depois de dois dias de andança, resolvermos passar o dia pela cidade. Conhecemos a igreja na praça da cidade com seu teto feito a partir de madeira de cacto, conhecemos o mercado de artesanato e fomos andar pelas ruas de San Pedro. Aproveitamos para trocar dinheiro na casa de câmbio, na mesma rua do centro turístico (Rua Toconao) e bater perna pela lojinhas espalhadas pelas poucas ruas. Almoçamos no Casa de Piedra, na Rua Caracoles, com menu com entrada e prato principal por 6.000 pesos. Tomamos sorvete na Sorveteria Babalu e fomos curtir a rua e os cachorros gigantescos da cidade. Jantamos no Blanco, um restaurante mais chique com pratos em torno de 9.000 pesos. Dia 04 - 12 de Dezembro de 2017 Acordamos cedo para fazermos o passeio para Pedras Rojas. Não fomos pela agência do hotel, mas lá mesmo organizaram uma van para irmos. Saímos as 7:00 com a guia Andrea (se não me engano). Ela é ex funcionária do hotel, fala inglês, espanhol e português, além de arriscar outras línguas. Entende MUITO da região e é extremamente simpática. A primeira parada do passeio é em uma cidade próxima, Toconao, onde conhecemos a pracinha e sua torre, e passamos em uma lojinha de artesanatos onde provamos pêssegos oferecidos pela dona e visitamos seu quintal com lhamas e pedras da região. De lá fomos conhecer o lago dos flamingos, onde fazemos uma caminhada de 20 minutos para ver os animais e depois tomarmos o café da manhã. Saindo dessa lago, passamos pelos campos de flores e fomos para Pedras Rojas. Essa foi, definitivamente, a vista mais bonita que já vi na vida. Paramos para caminhar pelas pedras e à beira do lago, para seguir viagem para as lagunas altiplânicas, onde almoçamos. Voltamos par caminhar por mais 20 minutos na primeira laguna e retornamos à estrada. Antes de retornar para San Pedro, paramos em um vilarejo para conhecer sua igreja, depois de passar por grandes cânions e suas belíssimas pedras resultantes de erupções vulcânicas. O passeio terminou as 19:00. Jantamos algum RO que tínhamos no quarto. São pagos dois parques no valor de 5.000 pesos cada um, e o passeio saiu por 80.000 pesos Dia 05 - 13 de Dezembro de 2017 O passeio hoje saiu às 5:30 da manhã. Fomos para o Gêiseres del Tatio e Vale dos cactos. Como saímos muito cedo, tivemos que sair bem agasalhada. Pegamos um frio de 7 graus que é essencial para observarmos o gêiseres, resultando da água a 85 graus, por causa do vulcão, que encontra o frio da superfície a 5, 7 graus. O passeio foi feito por uma agência que também não foi do hotel com um guia não muito preocupado em nos explicar o que víamos. Depois de olharmos vários gêiseres voltamos pra van onde tomamos nosso café da manhã. De lá passamos em outra região com outros deles, e onde, em algumas épocas do ano é possível tomar banho (segundo o guia, desde junho está proibido). Saímos de lá e passamos por um lago também com muitos patos e flamingos e em uma cidade bem pequena com uma igrejinha e um local onde servem churrasquinho de lhama. Por fim, antes de voltar para a cidade, passamos pelo vale dos cactos, que estão em um cânion lindíssimo. Novamente, o parque custa 5.000 pesos e o passeio custou 80.000 (mais o passeio do dia seguinte). O passeio terminou as 13:00 e na volta da cidade almoçamos da Carmen, pertinho do nosso hotel. Dia 06 - 14 de Dezembro Último dia de deserto! Fomos pro Vale do Arco Íris com a agência do hotel. Saímos às 8:00 depois de tomar café da manhã no hotel. A estrada para o Vale está sendo reformada, então levamos mais do que a 1:30 programada para chegar na primeira parada, os petroglifos. O lugar é lindo é se paga 3.000 pesos para o seu acesso. É cheio de desenhos rupestres e você leva 20 minutos caminhando por entre os rabiscos. De lá fomos pro Vale, onde caminhamos por 30 minutos para então lancharmos. Por fim, passamos pelo rio e voltamos para a cidade. Almoçamos na Carmen e jantamos empanadas do mercadinho da frente do hotel novamente. Dia 07 - 15 de Dezembro Às 6:00 a Transvip passou no hotel para nos levar ao aeroporto em Calama para voltarmos para Santiago. DICAS: - Nessa época do ano a temperatura varia de 8 a 29 graus. Quando o sol nasce, rapidamente a temperatura chega a 18 graus e no começo da noite fica por volta disso também. - Como o sol é forte, sempre esteja com protetor solar e com garrafas de água. - As caminhadas não exigem botas. Com um tênis confortável, você se vira. - Como o frio não é grande, um moletom funciona. Nos gêiseres faz mais frio é é interessante levar um casaco mais forte, cachecol, luvas e gorro. - O passeio das lagunas altiplânicas e dos gêiseres são em alta altitude (mais de 4.000 metros). É interessante fazer depois de alguns dias no deserto e durante a subida beba pequenos goles de água e se for o caso, tome chá de coca. - No dia do passeio dos gêiseres, à tarde, é possível fazer o passeio das termas de puritama. Como eu não sou muito de mergulhos em lagos e lagoas, pulei o passeio, mas ouvi falar que vale muito à penas e não é duradouro. - Um passeio clássico dessa viagem é o Salar de Tara. Como é próximo e muito parecido com o passei que já tinha feito no deserto da Bolívia em anos anteriores, preferimos não fazer. - As festas são proibidas na cidade (é proibido dançar e beber sem fazer pedido de comida), mas acontecem em locais mais afastados e descobre-se no boca a boca. - O câmbio é melhor em Santiago, então já leve seu dinheiro em pesos chilenos ou em dólar. - Existem vários locais para aluguel de bicicletas. Para os que têm fôlego, é um passeio bem clássico também. - Não consegui reserva para o passeio astronômico (http://www.almaobservatory.org/en/outreach/alma-observatory-public-visits/). É realmente científico, mas exige antecedência de 4 meses. * Compramos a passagem de Santiago para Calama pela LATAM do Chile (bem mais barata que pela LATAM do Brasil) e custou 312,00 reais. O hotel para 3 pessoas custou 1.071,00 reais (por pessoa).
×
×
  • Criar Novo...