Ir para conteúdo

798791

Membros
  • Total de itens

    231
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    6

798791 venceu a última vez em Fevereiro 9

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

118 Excelente
  1. Alternativa para levar dinheiro

    cara, não tem muito para onde fugir, qualquer opção que você escolher, ou é bem insegura, tem um monte de taxas ou é muito burocrática. A maneira mais barata, seria levar um mala cheia de dólares em espécie, e esconder eles embaixo do colchão, mas você teria coragem de levar o dinheiro de 6 meses assim? Se você tiver conta corrente num grande banco brasileiro (Itau, Bradesco e Santander são os melhores) e tiver um cartão múltiplo internacional, mesmo que a função crédito não esteja ativa, você pode usar o seu cartão de débito para sacar moeda local nos caixas automáticos de qualquer banco. O ruim é cada saque custa uns 10 ou 15 Reais, então é bom sacar o máximo possível a cada saque, e tem 6.38% de IOF. Cartão de crédito também dá para usar nas compras, tem os mesmos 6.38% de IOF do cartão de débito, o ruim, é que se precisar de dinheiro vivo, a taxa de cada saque no cartão de crédito custa o dobro do cartão de débito. Uma outra opção seria um cartão pré-pago em Dólares feito aqui no Brasil, por que você não vai achar cartão pré-pago em Rúpias, mas você paga 6.38% logo de cara cara carregar o valor nele, mesmo que não gaste o dinheiro, no cartão de débito e crédito, você só paga IOF sobre o dinheiro que realmente gastar lá. Mas como o cartão é em dólares e você vai gastar em Rúpias, tem uma taxa adicional de 2 ou 3% em cada compra ou saque, o que torna a opção meio inviável. Uma outra opção seria abrir uma conta corrente na Indonésia e fazer uma remessa para lá, mas é bem burocrático abrir a conta, precisa do Visto de Residência temporária, comprovante de residência, etc... Não sei se você teria toda a documentação necessária. Levar em espécie e depois carregar num cartão pré-pago indonésio, geralmente não é permitido, pois eles não costumam emitir cartão pré-pago para estrangeiros. Alguns poucos países permitem que estrangeiros façam cartões pré-pagos em dólares, nos EUA é possível fazer se não me engano, mas tem taxa de manutenção, taxa de 3 ou 4% por usar ele em Rupias, taxa de saque, etc, e no final das contas dá praticamente o mesmo de usar o cartão de débito/crédito brasileiro. Ou seja, é um problema sem solução, então o ideal é você dividir o seu dinheiro em várias formas, para não colocar todos os ovos numa cesta só e se f. se algo der errado. Na minha opinião, eu também levaria uns 2 mil dólares em espécie inicialmente e depois usaria o cartão de débito o Itau, que é um dos que tem as menores taxas, para ir sacando dinheiro direto da conta. Mas eu também teria um cartão pré-pago em dólares carregado com uns 100 ou 200 dolares, e que possa ser recarregado pela internet, para você usar algo dê errado com o seu cartão de débito internacional. E claro, um cartão de crédito brasileiro mesmo, para emergências e imprevistos.
  2. Viagem 01 março

    Como o dia 05 já vai ser um dia meio perdido mesmo, eu também iria direto para Salzburg, comprando um ticket de direto do aeroporto de Viena para Salzburg no horário das 15:00 ou 15:30, assim você tem uma certa folga para um eventual atraso na chegada em Viena. Se tiver o azar do voo atrasar e perder o trem que você comprou antecipado na www.oebb.at, você vai até o centro, na estação Wien Hauptbahnhof e compra uma passagem no trem da Westbahn até Salzburg, é um pouco mais caro que o trem da OEBB comprado antecipado, mas sempre custa o mesmo valor. Fica em Salzburg nos dia 6, 7 e 8, fazendo um bate-volta até Hallsttat num destes dias, de preferência num dia de sol, fique de olha na previsão do tempo por causa disto. No dia 09 você pega o trem para Praga, sai as 10:12 da manhã de Salzburg, o faz uma conexão em Linz/Donau e segue para Praga, chegando em Praga as 16:00, é um dia perdido. Fica os dias 10, 11 e 12 em Praga No dia 12, pega o trem ou ônibus das 17:00 ou 18:00 para Viena. Fica em fica em Viena os dias 13, 14 e 15 Dia 15 pega o trem das 18:00 ou 19:00 para Budapeste Passa os dias 16, 17 em Budapeste E pega o voo de volta no dia 18, dependendo do horário do voo, dá para ter a manhã e tarde toda livre em Budapeste, indo para o aeroporto só quando começar a escurecer mesmo. Mas se achar que é pouco tempo em Budapeste, daria para tirar um dia de Salzburg, indo para Praga no dia 08 de manhã, e adiantando o resto em 1 dia.
  3. É possível ir com uma passagem só de ida pra europa?

    Até o BREXIT ser aprovado, cidadãos e portadores de passaporte Europeus tem livre acesso ao Reino Unido seja para turismo, residir ou trabalhar, não precisa de passagem de volta. Só tem que cuidar da burocracia normal que qualquer cidadão que for residir no UK precisa fazer. Mas ninguém sabe como vai ficar depois que o Brexit for aprovado, se cidadãos europeus vão precisar de visto especial para residir e trabalhar, e muito mês como vai ficar a situação dos que já estão lá. A última conversa que eu ouvi a respeito do assunto, era de que cidadãos da União Europeia que já estivessem com residência fiscal a pelo 3 anos no UK, teriam o visto concedido automaticamente, os demais teriam que aplicar para um visto, mesmo que já estivessem lá. Mas isto era só conversa, isto pode ter mudado completamente, uma vez que nada ainda foi aprovado em relação ao Brexit. O seu filho possui cidadania italiana, então poderia ir sem problemas, mas o seu marido, acho que teria problemas em fixar residência legalmente no UK, pois pelo que eu entendi, ele não possui cidadania ainda, talvez somente somente um visto de residência de longa duração italiano. Mas o ideal seria você entrar em contato com o consulado do Reino Unido mais próximo e se informar direito direto na fonte com quem realmente sabe das regras em detalhes para ver como fica a situação de vocês, uma vez que passagens só ida deve ser a menor das suas preocupações num caso destes.
  4. Rússia - Não recomendo.

    .
  5. Sugestão de cidade para visitar antes de Praga

    A ideia do bate-volta é você acordar, se vestir, tomar café da manhã, ir até a estação de trem/ponto de ônibus, ir até o destino, passar o dia lá, e voltar no final da tarde, comprar algo para jantar voltar para o hotel e dormir, tudo isto sem mala, mochila, etc, pois você deixou tudo guardado no hotel onde você está hospedado. Bate- volta bom é aquele que você decide lá na hora se vai fazer ou não, escolhendo o melhor dia lá na hora também. Pois num bate-volta como por exemplo pra Cesky Krumlov, praticamente todas as suas atividades são ao ar livre, e se for um dia chuvoso, você se f. por que não vai conseguir fazer nada. Ou seja, se você pretende fazer bate-volta, não deixe para fazer eles no último dia, pois se resolver chover neste dia, irá arruinar completamente o seu bate-volta, tente fazer o bate-volta num dia de clima bom no meio da sua estadia, até por que no último dia, você provavelmente já vai estar estressado e preocupado com o horário do trem para Berlin, e ai se você estiver numa outra cidade, lá longe, e você se atrasar um pouco para voltar, corre o risco de perder o trem/ônibus para a outra cidade. Sempre fique de olho na previsão do tempo para os dias seguintes, e vá ajustando a programação conforme o clima, se o único dia de clima bom for no segundo dia, faça o bate-volta neste dia, e deixe os outros dias para ficar na cidade, afinal de contas, Praga e Viena são cidades bem maiores, e onde é muito mais fácil você achar algo interessante para fazer num dia de chuva do que em Cesky Kromlov e Bratislava. Então não teria nenhum problema em você "descer" até Cesky Krumlov para depois voltar a subir até Praga, a ideia do bate-volta é exatamente esta, você ter um dia inteiro livre para curtir a cidade, sem preocupação e malas/mochilas para carregar.
  6. Sugestão de cidade para visitar antes de Praga

    são várias possibilidades, eu teria as seguinte sugestões: - ficar 1 dia a mais em Viena e fazer um bate-volta a Bratislava - ficar 1 dia a mais em Viena e fazer um bate-volta a Salzburg, é meio longe, mas se realmente quiser e acordar cedo, dá para fazer sem problema. - ficar 1 dia a mais em Praga e fazer um bate-volta a Cesky Krumlov - fazer um pit-stop de 1 ou 2 dias em Dresden entre Praga e Berlin - fazer um bate-volta a Dresden saindo de Berlin - fazer um bate-volta até Potsdam saindo de Berlin
  7. Respostas: 1 - Isto é uma grande mentira que as pessoas insistem em acreditar e ficar repetindo sem nem se dar um mínimo de trabalho em conferir se é realmente verdade. Despachar bagagem não é absurdamente caro, se você já incluir bagagem despachada no momento da compra da passagem, despachar uma mala custa uns 20 Euros em média. O que não pode, é você chegar lá no aeroporto com uma mala imensa, pesando 20 Kg e sem ter comprado bagagem despachada antecipadamente, ai sim você será barrado e eles irão cobrar um preço muito mais caro do que se tivesse reservado junto com a compra da passagem. Só para comprar os valores: Passagem de trem de Bruxelas até Colônia custa 20 Euros, e uma passagem de Colônia até Berlin custa uns 40 Euros, total de 60 Euros. Passagem de avião pela Ryanair de Bruxelas até Berlin eu achei por 19 Euros em vários dias de julho, uma mala despachada de até 20 Kg inclusa no momento da compra custa 15 Euros, ir até o aeroporto de Bruxelas é caro, custa 16 Euros, somando tudo, passagem, bagagem e ida ao aeroporto de Bruxelas, dá 50 Euros. O custo de ir do aeroporto de Berlin até o centro eu não inclui na conta, pois custaria o mesmo que você pagaria num bilhete de metrô para ir da estação de trem até o seu hotel. Claro que tanto os preços dos trens e voos são dinâmicos, e aumentam quanto mais perto da data e quanto maior a procura, então pode acontecer de em alguns dias específicos, as passagens de avião estarem muito caras e o trem ser mais barato, mas se comprar com boa antecedência, geralmente você consegue voos baratos. 2 - Os Horários saindo de Budapeste para zagreb são ruins, você vai ter que sacrificar metade de um dia em Budapeste, ou então metade de um dia em Zagreb, supondo que você não queira sacrificar Budapeste: Dia 1 de manhã cedo você sai de Budapeste, chegando de meio dia em Zagreb, você passa a tarde e dorme em Zagreb. Dia 2 você sai cedo de Zagreb e vai até Split, você vai chegar lá depois do almoço, passa a tarde em Split e dorme lá. Dia 3 você sai de manhã cedo de Split e vai até Hvar, até se acomodar e estar livre para sair, vai ser quase almoço. Dia 4 é um dia inteiro livre em Hvar Dia 5, você sai de manhã cedo de Hvar em direção a Dubrovnik, o porto é meio longe da parte turística e de onde ficam os hosteis, então até você se acomodar, vai ser horário do almoço. Dia 6 dia inteiro livre em Dubrovnik Dia 7 ida para a Grécia, já iria sacrificar um dia inteiro da Grécia, e empurrar o problema para frente.. Algumas pessoas até podem se contentar com 1 dia e meio em Hvar e Dubrovnik, mas pessoalmente eu acho que é meio pouco, eu fiquei 2 dias e meio em cada uma delas e achei que foi aceitável, menos tempo teria ficado meio corrido demais para fazer com calma as coisas que eu queria fazer lá. 3 - Se achou passagens que lhe sirvam e não estejam muito caras, sem problema, só comentei isto por que é bem raro você achar algo que não custe uma fortuna, e ainda tem o problema de encaixar nas datas certas pois não é todo dia que tem voos.
  8. Hospedagem em Amsterdã

    Amsterdam é uma cidade relativamente pequena, qualquer local no centro é bom. Somente teria algumas ressalvas quanto ao red light district. Até umas 22:00 horas é super sossegado na rua, mas depois os turistas vão embora, ficam na rua basicamente só os bêbados, drogados, prostitutas e seus clientes e os traficantes de drogas...
  9. AirChina - Recomendam?

    Apesar de falar que só pode levar um volume de bagagem de mão, quando viajei com a Air China para Madrid, eu levei uma mala de bordo, e mais uma mochila pequena, para laptop, carregadores e documentos, e ninguém reclamou. Mas por via de dúvidas, a minha mala de bordo não estava muito cheia, se reclamassem a mochila ainda cabia dentro da mala de bordo. Então eu não acredito que eles impliquem caso um dos volumes que você levar for pequeno, e caiba embaixo do assento. Eles costumam implicar quando são dois volumes grandes, que não cabem embaixo do assento.
  10. Ou seja, pense e planeje muito bem esta logística de transporte com a Grécia e Croácia antes de comprar qualquer coisa, pois se começar a comprar as coisas sem pensar na sequencia ou final da viagem, quase certeza que você vai se f. , chegando lá em Dubrovnik e descobrir que a única forma de ir para a Grécia nas datas que você precisa é uma passagem de avião que custa 400 Euros (R$ 2.000) ou então encarar 50 horas de ônibus. Planejando muito bem isto antes, você pode tentar inverter algumas cidades, mesmo que em teoria fique fora da ordem, mas conseguir preços melhores nos deslocamentos complicados. Pode acontecer até mesmo de você ter que trocar um deslocamento de 20 Euros Amsterdam para Bruxelas por outro de 70 Euros até Croácia, mas se isto lhe fizer economizar 300 Euros na passagem entre Croacia e Grécia, você está no lucro....
  11. Berlin fica muito longe de Bruxelas para você ir por terra, vá de avião, comprando a passagem antecipada, mesmo pagando para despachar bagagem numa low-cost, ainda vai ser mais barato do que pagar trem/ônibus entre Bruxelas e Berlin, e principalmente muito mais rápido, uma vez que você tem pouco tempo a quantidade coisa que você gostaria de conhecer na Croácia e Grécia. Zagreb, Split , Hvar e Dubrovnik em somente 5 ou 6 dias não dá, pois é tudo longe e demorado lá na Croácia. Outra complicação é você ir da Croácia para a Grécia, as opções de transporte costumam ser bem poucas, e com preços geralmente meio proibitivos. Sem contar que passagens de volta para o Brasil saindo da Grécia ou croácia costumam ser absurdamente caras. Então conseguir conciliar Grécia e Croácia no mesmo roteiro costuma dar bastante dor de cabeça, e a maioria acaba optando só por uma ou então encaixa Grécia e Croácia entre outras cidades grandes onde haja bastante oferta de voos com preço aceitável, com por exemplo, depois de Amsterdam, você segue de avião para a Croácia, volta de avião para Berlin, vai de avião para a Grécia e volta de avião para a Bélgica, de onde você volta para casa. Mas mesmo assim muitas vezes não dá certo, pois a oferta de voos para a Grécia e Croácia mesmo nestes cidades grandes é bem pequena, geralmente são só 2 ou 3 voos por semana, por exemplo, só na terça e sábado, o que pode não encaixar nos seus planos e estragar tudo, obrigando você a passar mais ou menos dias em algum local do que você gostaria, e isto pode atrapalhar um monte na próxima cidade...
  12. Paris/Londres/Amsterdam e Roma - 20 dias julho e agosto

    Olá, seja bem vinda. você está "ressuscitando dos mortos" um tópico de 8 anos atrás, da próxima vez por favor abra um novo tópico só pra você. O que você considera preços bons? O preço das passagens varia muito de um dia para o outro devido a maior ou menor procura, mas dando uma olhada em algumas datas aleatórias para início de julho, ainda achei com certa facilidade facilidade passagens de trem Eurostar entre Londres e Paris custando 50 Euros. O trem de Paris até Amsterdam ainda não está disponível para compra, dá para comprar só 90 dias antes da data, mas se comprar logo nos primeiros dias, você consegue comprar passagens de trem direto da Thalys custando uns 35 Euros. Trem entre Veneza e Roma custa uns 30 ou 40 Euros na Trenitalia comprando uns 90 dias antes. E se você está achando isto caro, melhor você reavaliar a sua viagem, por que estes valores são baratos, e se você está achando isto caro, provavelmente você vai ter problema de falta de dinheiro com o resto da viagem. Também achei com certa facilidade passagem aérea de Amsterdam para Veneza ou Roma no skyscanner.com custando na faixa de 50 ou 70 Euros, etas estão meio caras, mas também nem tanto assim, levando em conta que você vai viajar bem no meio da alta-temporada, quando tudo está lotado e mais caro. Tente fazer nesta sequencia: Londres > Paris Amsterdam, ai você pode usar trem para ir de uma para a outra, que é mais barato que avião. De Amsterdam você segue de avião para Roma ou Veneza, se desloca entre as duas de trem.
  13. O problema é que passagens para a Europa estão caras, está bem difícil você conseguir alguma passagem custando menos de 3 mil reais, o que já dá um terço do dinheiro que ele tem... E com estes 3 mil só de passagens, dá para ele viver 2 meses aqui na America do Sul... Isto sem contar que se você chegar la na Europa para ficar 6 meses, mesmo que seja no leste Europeu, você tem que ter bastante sorte para entrar, por que geralmente a imigração quer saber muito detalhadamente o que você vai fazer este tempo todo por lá, e como vai se sustentar. Na America do sul, é bem mais simples, não tem tanta regra e restrição, e principalmente o custo é muito menor, mesmo comparado ao leste Europeu. O quão longe você consegue ir depende muito de como você vai gastar o seu dinheiro no dia-a-dia, por exemplo, se for pagar hostel, vai facilmente uns 30 ou 40 reais por cada dia, e se gastar mais uns 20 reais por dia de comida, em um mês já dá 1.800 reais por mês. Mas se você conseguir dormir na barraca em alguns dias dá para economizar o dinheiro do hostel, ou se ficar num hostel onde tenha cozinha e você possa ir no supermercado comprar algumas coisas e fazer as suas refeições em casa, dá para comer uma semana inteira com 50 reais.... Mas dormindo o tempo todo na barraca, você não vai ter geladeira e nem cozinha para guardar as coisas, obrigando você a comer mais comida pronta, que é mais cara do que aquela que você compra no supermercado e prepara você mesmo "em casa". Cousurfing não é comer e só dormir de graça, a etiqueta e boas maneiras de qualquer couchsurfing é você se oferecer pra ajudar a pagar as despesas, seja pagando algum valor em dinheiro, seja pagando uma boa refeição para o seu anfitrião, ajudar nas tarefas domésticas, etc, e não só chegar lá e explorar o seu anfitrião sem oferecer nada em troca.. Então é uma questão de você chegar num meio termo que lhe atenda.
  14. É possível ir com uma passagem só de ida pra europa?

    eu já fui e voltei para a Europa acho que umas 20 vezes nos últimos 12 anos, seja a trabalho como turismo. Pelo que eu lembro, umas 4 ou 5 vezes pediram sim para ver as passagens de volta, em algumas vezes só pediram quando eu iria embora, sem pedir para conferir as passagens, e teve umas duas ou três vezes em que não pediram absolutamente nada, o agente só olhou o passaporte, a minha cara e carimbou... Mas se lhe pedirem as passagens e você não tiver elas, é caixão, as chances de deixarem você entrar são praticamente nulas. O que eu percebi, é que quanto mais novo você for, ou cara de novinho você tiver, mais eles implicam, pois eles sabem que geralmente alguém jovem não tem muito vínculo que lhe faça voltar ao Brasil, e que muitas vezes estão dispostos a se arriscar mais que alguém mais experiente.
  15. Ajuda em Roteiro de Mochilão 3 meses

    Só tem que cuidar que as vezes a passagem de low-cost é barata, mas ai você tem que pagar 10 euros para ir até o aeroporto na cidade de origem, mais 10 euros para ir do aeroporto até o centro na cidade de destino, e se ainda tiver que pagar para despachar bagagem, aquela passagem de 19 Euros da low-cost, acaba custando na verdade 59 Euros, sendo que pegando um trem você gastaria 29 ou 39 euros e sairia do centro, chegaria no centro e não tem estresse com limite de bagagem. Ou seja, as vezes até pode ser interessante isto que você falou, mas nunca dá para olhar só preço da passagem low-cost, tem que considerar todo o custo envolvido, e depois que você faz isto, na maioria das vezes para trechos curtos acaba sendo mais barato ir de trem/ônibus mesmo. Mas nos trechos mais longos, onde trem/ônibus leva mais de 5 horas, ir de low-cost geralmente é a melhor opção.
×