Ir para conteúdo

Gustavo X

Colaboradores
  • Total de itens

    70
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Gustavo X postou

  1. Gustavo X

    Marrocos

    Olá, pessoal! Minha esposa e eu vamos passar 3 dias completos em novembro no Marrocos. Ficaremos hospedados em Casablanca e gostaria de informações e dicas de quem esteve por lá do que não podemos deixar de ver e fazer na cidade, além de saber se vale a pena passarmos um dia em Rabat. Pensamos em sair bem cedo de Casablanca e ir de trem até Rabat, retornando no final da tarde/início da noite. Agradeço desde já pela ajuda. Valeu!
  2. Gustavo X

    Mundial de Clubes 2012

    Olá, pessoal! Consegui ingressos para os dois jogos. Para o jogo em Toyota, vou ficar no pior setor, e, para Yokohama, no segundo pior. Foram os que estavam disponíveis. O site da Fifa precisa de um servidor melhor para aguentar tantos acessos, lamentável isso acontecer com uma entidade do tamanho dela. Tenho algumas dúvidas a respeito de transporte e outras coisas no Japão, creio que alguém poderá ajudar. Vou chegar dia 10 em Tokyo e saio do Japão apenas dia 18, exceto nos dias dos jogos, terei todos os outros livres pra passear. 1. Os shinkansen partem de uma só estação ou de várias em Tokyo? 2. Dá tempo de ir a Hiroshima, conhecer algumas coisas e voltar no mesmo dia, partindo de Tokyo? 3. Quais são 3 cidades imperdíveis no Japão, depois de Tokyo? 4. Em Tokyo, existe uma diferença muito gritante entre lugares para ficar? Falo no sentido de localização e facilidade para deslocamento. Estou encontrando preços muito diferentes para hospedagem, desde 500, 600 reais para os 8 dias que vou ficar lá até 3000 ou mais. Desde já agradeço pela ajuda de quem puder dar uma força!
  3. Gustavo X

    Mundial de Clubes 2012

    Olá, pessoal! Sou mais um louco do bando que vai para o Japão ver o Timão! Consegui comprar passagens pela Alitalia pagando R$ 3100,00, com todas as taxas inclusas para fazer o seguinte: Saio de SP no dia 8 de dezembro, chego em Roma no dia 9 cedinho, saio de lá no meio da tarde e chego em Narita no dia 10. Depois, no dia 18 saio de Tokyo, vou para Roma e faço conexão para Bologna. No dia 23, saio de Bologna, vou para Roma e, em seguida, embarco de volta para SP. Tudo isso pelo preço que consegui ficou super barato, levando em consideração o stop over e o destino final, que é o Japão. Ainda não reservei hostel por lá e vou comprar os ingressos quando começarem as vendas no dia 9 de setembro. Estarei no Japão com um monte de amigos que sempre acompanham o Timão, vamos nos falando para invadir a terra do sol nascente e mostrar a força da Fiel! Abraços a todos!
  4. Olá, pessoal! Sempre que planejo viagens, levo em consideração as atrações que existem em cada lugar que vou e que me interessam. Pensando assim, fica mais fácil de montar um roteiro em que dê tempo de conhecer tudo o que quero sempre. Da maneira como você colocou, gabiwn, sua viagem vai ser super corrida e você vai perder muito tempo com os deslocamentos, como os amigos já comentaram. Analise e veja direitinho o que te interessa nos lugares, depois defina quanto tempo você vai ficar em cada um para não acabar ficando tempo demais em algum e de menos em outro. No mais, aproveite muito sua viagem!
  5. Olá, pessoal! Alguém que já tenha visitado San Marino sabe se é possível visitar o circuito de Ímola, onde infelizmente o grande Ayrton Senna sofreu aquele acidente que acabou tirando sua vida? Se for possível, pode-se ir a qualquer dia? Estarei pela região em dezembro este ano e gostaria de ir até o local, além de conhecer mais coisas que sejam interessantes em San Marino. Desde já agradeço pela ajuda!
  6. Olá, pessoal! Fiquei 1 mês em Cape Town no final do ano passado, estudei na Good Hope do Centro da cidade e fiz muita coisa por lá, quem precisar de informações é só falar! Abraços!
  7. Olá, ddourado! Antes de mais nada, desculpe-me por não ter respondido suas dúvidas, vi que você disse que iria pra Vic Falls em junho e postou a mensagem em maio. Enfim, você foi para lá? Se ainda não foi, avise que te passo o máximo de informações que puder. Abraço!
  8. Olá, Patrick. Cape Town sofre com os mesmos problemas da maioria das cidades grandes de países de terceiro mundo. Nas áreas próximas ao Waterfront, nos bairros de Sea Point, Cape Point e em Camps Bay você vai poder andar em segurança quase que o tempo todo, pois são lugares que sempre tem muita gente nas ruas, nos bares, restaurantes, etc. Em bairros menos movimentados, após o anoitecer as ruas ficam mais desertas, o que pode ser sinal de perigo para quem estiver sozinho, principalmente. Como você estará em um país novo para você, um lugar "estranho", procure estar sempre com mais pessoas quando sair à noite ou quando ir a locais onde você ainda não tiver ido por lá. O trem que eles chamam de metrô é péssimo, e não é recomendável você usá-lo depois que anoitecer também, o nível de criminalidade dentro dos vagões é alto e mesmo as pessoas que moram lá não o utilizam depois que a noite cai. Por esse motivo, o trem para de operar relativamente cedo todos os dias. Sobre furto de malas no aeroporto, isso é um risco que corremos em qualquer lugar do mundo. Mais uma vez, por se tratar de um país subdesenvolvido, as chances de você ter problemas é maior que se você estivesse indo para a Alemanha, por exemplo, mas também existe a possibilidade de nada de ruim acontecer, como no meu caso. Durante todo o tempo que passei na África do Sul, Zâmbia e Zimbábue não tive um problema sequer. Em geral, tome as mesmas precauções que já tomamos aqui no Brasil que tudo deverá correr bem pra você. Aproveite Cape Town, é uma cidade linda, cheia de lugares muito legais pra conhecer. E além de Cape Town, tem muito lugar legal na África do Sul, se você tiver oportunidade não deixe de conhecer o máximo de lugares que você puder. Boa sorte e boa viagem!
  9. Olá, Renato. Sim, você consegue o visto entrando na Zambia por fronteira terrestre sem problemas. Abraço e boa viagem!
  10. Olá, pessoal! Estive em Formosa há alguns dias e, consequentemente, fui visitar o salto do Itiquira. Gostei muito do lugar, não é nada de outro mundo, mas é aconchegante e muito gostoso. O parque municipal é bem conservado e simples, sem coisas desnecessárias que só servem para encher linguiça. Vejam abaixo informações relevantes em algumas fotos que tirei para quem se interessar em visitar o Itiquira: Abraços a todos!
  11. Olá, pessoal! Adorei minha passagem por Brasília, vou escrever um relato em breve e posto aqui inclusive com algumas fotos. Abraços a todos e obrigado pelas dicas!
  12. Olá, pessoal! Alguém sabe me dizer as atuais condições da rodovia que liga Ciudad del Este e Assunção e em quanto tempo a viagem pode ser realizada? Estou indo para Foz amanhã e vou quinta para Assunção de carro, se não for muito ruim a estrada. Quanto se gasta de pedágio entre ida e volta, em guaranis? Carimbando o passaporte na entrada do Paraguai na ponte da amizade eu não devo ter problemas com guardas querendo tirar dinheiro de mim ou preciso de algum outro documento para transitar no Paraguai como turista? Desde já agradeço pela ajuda. Abraços!
  13. Olá, pessoal! Irei mais uma vez para a região de Foz/Iguazu/Ciudad del Este mês que vem para ver o jogo do Corinthians contra o Nacional, do Paraguai, e gostaria de saber se alguém tem dicas de lugares legais para ir em Ciudad del Este. Nada relacionado a compras, mas algo como pontos turísticos legais, lugares bonitos, etc. Alguém conhece? Abraços!
  14. Obrigado pelas dicas, marioluc e Cris, com certeza serão muito úteis! Depois que voltar da viagem conto como foi.
  15. Olá, pessoal. Vou a Brasília no próximo dia 30 de março e gostaria de saber se é possível visitar as atrações da cidade aos fins de semana, pois terei o sábado e o domingo inteiros para conhecê-la. Além disso, dos lugares abaixo listados, onde é possível entrar para visitar e onde só dá para ver por fora? - Palácio da Justiça - Congresso Nacional - Palácio da Alvorada - Palácio do Jaburu - Catedral Metropolitana - Banco Central - Memorial JK - Lago do Paranoá Exceto o lago, acredito que os outros lugares devem ter horários específico para visitação. Ou estou errado? Dois dias são suficientes para ver tudo? Desde já agradeço pela ajuda de quem puder dar algumas dicas!
  16. Gustavo X

    Zâmbia

    Olá, pessoal! doberista, você pode contratar o rafting com os guias que ficam logo em frente à entrada do parque nacional do lado da Zambia. Quanto ao safári para ver leopardos não sei te dizer, mas informando-se neste mesmo local você conseguirá informações com certeza, quase tudo é concentrado por lá. Nos hotéis e hostels da região também você pode se informar de muita coisa e agendar os passeios. Aproveite a viagem e divirta-se!
  17. Olá, Bianca. A respeito da malária, não tomei nenhuma medida, mas é bom ter cuidado. Um amigo que esteve por lá algumas semanas antes de mim foi picado pelo mosquito que transmite a doença e ficou mal por uns 2 ou 3 dias, no hospital. Não sei se há alguma vacina semelhante à da febre amarela, mas, se haver, tome-a sem pensar duas vezes. Não fiz nenhum grande safári lá, fiz apenas uma visita e caminhada com leões numa reserva que existe em Livingstone, onde os leões nascem e são criados passando por algumas etapas antes de serem soltos na floresta para viverem independentes. O site do lugar é o seguinte: www.lionencounter.com. Coloquei o vídeo desse passeio que fiz no YouTube, dê uma olhada para você ter uma ideia melhor: http://www.youtube.com/watch?v=hm9YQJHyGEc O vídeo foi produzido pelo pessoal lá da reserva e tem duas pessoas que fizeram o passeio comigo mas nem lembro de onde são. Além disso, o passeio é um pouco maior do que se vê no vídeo, vale a pena fazer, os guias falam sobre a vida dos leões, como eles passam pela adaptação à vida selvagem antes de serem soltos, etc., bem interessante.
  18. Olá, pessoal. Tive a oportunidade de visitar a fronteira entre Livingstone (Zambia) e Victoria Falls (Zimbabwe) em outubro de 2011 e vou escrever um relato em partes de como foi meu tempo por aquelas bandas. Antes de começar, escrevi um tópico somente para informações relevantes a respeito das formalidades de entrada e saída dos países, quem precisar é só conferir: formalidades-de-entrada-e-saida-zambia-e-zimbabwe-t62379.html PARTE 1 Parti para Livingstone numa sexta-feira bem cedo, tendo saído de Cape Town, África do Sul. Inicialmente, meu voo deveria ser direto para Livingstone, mas a cia aérea da Zambia chamada Zambezi (fujam dessa cia, é horrível) cancelou o voo por falta de aeronave e fui obrigado a ir de Cape Town até Johannesburg e depois para Livingstone. Isso fez com que eu perdesse aproximadamente 4 horas do meu dia. De Cape Town para Jo'burg fui colocado num voo de uma cia sul-africana chamada Velvet Sky (www.flyvelvetsky.com), uma low cost da África do Sul. Voo relativamente tranquilo e após quase duas horas cheguei a Jo'burg, onde aguardei por um voo da British Airways para seguir até Livingstone. Mais uma vez, um voo tranquilo e desembarquei no aeroporto da cidade por volta das 13h30. Após a parte burocrática de entrada no país, peguei o transfer gratuito oferecido pelo hostel (www.backpackzambia.com) onde fiquei hospedado depois de aguardar outras pessoas que ficaram no mesmo lugar também terminarem as formalidades de entrada no país. O final da tarde já se aproximava e o calor infernal da região nesta época do ano tomava conta de todos, então acabei aproveitando o restante do dia apenas para andar um pouco por Livingstone, conhecer algumas pessoas que estavam no hostel, colher algumas informações sobre atrações turísticas, etc. O hostel Jollyboys Backpackers tem boa infra-estrutura e é bem barato, somente as instalações dos banheiros é que não são muito boas, impossível tomar um banho descalço, pelo menos para mim. Após várias cervejas locais bem geladas fui tentar dormir para acordar cedo no dia seguinte, tarefa não muito fácil naquele calor infernal. Felizmente tive uma noite de sono até que boa, considerando as circunstâncias e pude aproveitar bem o dia seguinte. Depois de acordar e comer alguma coisa, peguei o transfer também gratuito do hostel até a entrada do parque nacional das Victoria Falls do lado da Zambia. A entrada para o parque custa US$ 20,00 e é possível caminhar por uma grande parte do lugar em meio a babuínos, muita vegetação e vistas lindas. Após 1h, 1h30 de caminhada saí do parque e fui até um local onde ficam disponíveis guias locais que levam turistas até outras partes das cataratas e à alucinante devil's pool, uma piscina natural que se formou à beira de uma das quedas d'água das Victoria Falls. Os guias cobram US$ 35,00 geralmente por pessoa para este serviço. O caminho até a devil's pool é tortuoso e um pouco difícil em algumas partes, mas nada que não possa ser feito com calma e devagar por quem não tem muita experiência ou pique para grandes caminhadas. Durante o caminho paramos para tirar fotos (vou postar algumas depois) em diversos locais e o guia foi contando histórias da região, desde a chegada de David Livingstone, inglês que liderou o desbravamento da região, até os dias atuais. Partes da caminhada foram feitas andando sobre lugares com água, outras sobre areia fervando (impossível fazer descalço, a não ser que você queira aprender a dança africana da areia quente), outras sobre pedras... O resultado foi uma bolha só em um dos dedos do meu pé esquerdo, até que não foi tão ruim, vi uma pessoa que acabou machucando o pé ao escorregar em uma pedra e teve bastante dificuldade para terminar o caminho, mas felizmente não foi nada muito grave. A chegada à devil's pool é altamente refrescante, essencialmente. Naquele dia a temperatura chegou a 44 graus, o sol fritava o cérebro de todos que estavam por lá. Entrar na água àquela altura era a melhor coisa do mundo. E foi. Sempre com guias, pequenos grupos chegam até uma pedra grande que serve de trampolim para a devil's pool e as pessoas vão saltando, uma de cada vez, e grupos de até 4 ou 5 pessoas ficam juntas na beira da queda d'água, sempre com um guia de pé para proteger e auxiliar a todos. É aterrorizante ver onde os caras ficam de pé, um erro ali é fatal. Todos podem ficar debruçados na parte mais extrema da queda para tirar fotos e olhar para baixo, uma sensação indescritível. Não tinha a mínima vontade de sair daquele lugar, mas era preciso, pois havia muita gente esperando para também ir lá. O pior de tudo é a caminhada de volta, mais uma vez tortuosa, lenta e muito quente. Apesar de algumas adversidades, as vistas e o fato de estar num lugar tão bonito e diferente compensaram todo o esforço. Saí do parque nacional do lado da Zambia entre 14h e 15h, e parti para o Zimbabwe. Conto na segunda parte do relato como foi assim que sobrar um tempinho para escrever novamente. Abraços a todos!
  19. Olá, pessoal. Estive na região da fronteira entre Zambia (cidade de Livingstone) e Zimbabwe (cidade de Victoria Falls) em outubro passado e trago algumas informações sobre vistos e formalidades de entrada e saída para compartilhar com todos. Cheguei na região sob um calor de mais de 40 graus tendo partido da África do Sul. Desembarquei em Livingstone e fui enfrentar a fila da imigração no minúsculo aeroporto desta cidade da Zambia. Por sorte, a fila para quem precisava do visto era menor do que a de quem não precisava, então demorei uns 30 minutos até conseguir ser atendido. Para entrar na Zambia, brasileiros precisam apresentar passaporte válido e o certificado internacional de vacinação de febre amarela, além de pagar a taxa do visto, que no meu caso foi de US$ 80,00, pois adquiri o visto de múltiplas entradas. Se você não for sair e voltar para a Zambia no período em que for visitar a região, a taxa para o visto de uma única entrada é mais baixa. IMPORTANTE: não é necessário levar foto, o que antes era exigido. Saí de Livingstone e parti para Victoria Falls, no Zimbabwe, após fazer um passeio do lado da Zambia do parque nacional das Victoria Falls. Fui a pé mesmo, passei na imigração da Zambia para sair do país e após atravessar a ponte que liga os dois países na região caminhei por mais uns 15 minutos até chegar a imigração do Zimbabwe. A taxa para o visto de entrada única é de US$ 30,00 e você precisa ter uma página em branco no passaporte, pelo menos, além do certificado de vacinação da febre amarela. Mais uma vez, não é necessário foto nenhuma. Seu passaporte receberá o visto que ocupa a página inteira do passaporte, por isso a necessidade de uma estar em branco. Depois de visitar o lado do Zimbabwe das Victoria Falls, retornei à Zambia, onde estava hospedado. Passei mais uma vez pela imigração do Zimbabwe para sair do país e de novo pela da Zambia, para entrar novamente. No dia em que deixei a Zambia para retornar à África do Sul, paguei uma taxa de saída no próprio aeroporto que não me lembro ao certo de quanto foi, acredito que US$ 30,00, ou um pouco menos. Enfrentei uma grande fila no aeroporto, pois além de ser pequeno e possuir apenas UM raio-x, os voos que saem da cidade para outros destinos na África e na própria Zambia decolam num período de tempo bem próximo. Como em quase todos os lugares do mundo, a saída é bem mais tranquila que a entrada e os pontos negativos da saída de Livingstone são destacados pela precariedade do aeroporto e dos serviços nele oferecidos. Espero poder contribuir com estas informações e se tiver deixado passar alguma coisa atualizo o post outra hora. Sintam-se à vontade para fazer perguntas, ajudarei no que eu puder. Abraços e boa viagem a todos!
  20. Olá, pessoal. Voltei da África do Sul há alguns dias, fiquei um mês por lá e fui também à Zambia e Zimbabwe. A maior parte do meu tempo passei em Cape Town, uma cidade maravilhosa. Aos que pretendem visitar a cidade, fiquem muito atentos às mudanças no tempo, a coisa vira de uma hora pra outra MUITO rápido. Visitar a Table Mountain, por exemplo, depende de tempo bom, aberto, e pouco vento no caminho do bondinho. Outro lugar que tem passeios constantemente cancelados é a Robben Island. É preciso comprar os tickets antes de ir até lá e quase impossível encontrar para o mesmo dia ou até 1 ou 2 seguintes, mesmo em baixa temporada. Uma boa opção é comprar pela Internet, e, se caso o passeio for cancelado por algum motivo, eles devolvem o dinheiro ou agendam outro dia e horário. Também dá para comprar o ticket para a Table Mountain pela Internet, inclusive fica mais barato que comprar na hora. Existe um passe turístico que pode ser comprado em Cape Town que dá direito a um dia inteiro nos ônibus turísticos, visita à Table Mountain e ao Two Oceans Aquarium, quem for fazer as 3 coisas pode economizar alguns rands comprando tudo junto. Para ir ao Cape Point é legal alugar um carro, na minha opinião. Além de ficar longe da cidade, as vistas durante a viagem são lindas e pode ser uma experiência bacana para quem nunca dirigiu em mão inglesa. Um passeio inesquecível e imperdível em Cape Town. Ah, quem puder ficar hospedado na região do Green Point ou Sea Point, não hesite, são os melhores lugares da cidade. Fácil para se locomover, perto de tudo, inclusive do Waterfront. Abraços a todos e curtam muito a África do Sul, um país super legal e cheio de coisas lindas!
  21. Olá, pessoal. Edu, eu não me lembro o nome da locadora que locamos o carro em Santiago, peguei um folheto no hostel e fui até eles. Sobre o mar em Valpo e Viña, a água é muito gelada mesmo. Fora que a temperatura ambiente a partir do mês de março dificilmente passa de 20 graus. De qualquer forma, vale muito a pena conhecer, são lugares muito bonitos e Valpo é uma cidade bem diferente.
  22. Gustavo X

    Zâmbia

    Olá, pessoal. Visitarei a região da fronteira da Zambia com o Zumbabwe no fim de outubro, quando voltar para o Brasil postarei informações para ajudar a galera.
  23. Rod, Muito bacana o roteiro que você fez, as histórias e as fotos que você postou. Numa próxima visita à Itália certamente irei fazer pelo menos uma parte disso que você fez, super legal. Parabéns!
  24. Oi, Katia. Eu só compro um chip se o plano pré-pago da operadora compensar para a utilização de conexão de dados. Aqui no Brasil, por exemplo, você pode comprar um da Tim ou da Claro e pagar alguns centavos por dia para usar a Internet o quanto quiser, compensa MUITO. Infelizmente, não são em todos os lugares que temos opções assim, então, quando não dá pra fazer algo desse tipo uso a Internet só em redes wi-fi mesmo ou em casos de extrema necessidade, o roaming internacional é caro demais. Se você for fazer chamadas locais e alguma operadora local oferecer boas condições para um plano pré-pago, também vale a pena comprar um chip pra usar na viagem com certeza. Uma dica legal: o site www.maxroam.com comercializa um chip que dá pra usar em diversos países pagando muito pouco, dê uma olhada e veja se o que eles oferecem atendem as suas necessidades. Precisando de alguma coisa, pode perguntar!
×
×
  • Criar Novo...