Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

MariaTNeves

Membros
  • Total de itens

    5
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

3 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. @Juliete Alves De 2015 pra cá a regra deve ter mudado, eu tenho os dois carimbos no passaporte. Por via das dúvidas, quem definitivamente não quer correr o risco de ter esse carimbo no passaporte (por questões de trabalho em países árabes, por exemplo), é bom se informar antes.
  2. MariaTNeves

    5 dias sozinha em Roma ! Com muitas fotos

    Excelente relato, só uma observação, o formato da praça é o de uma chave, a Chave de Pedro.
  3. MariaTNeves

    Roma em 4 dias, é possìvel?

    Apesar do post antigo, resolvi escrever assim mesmo. Eu gostei muito da cidade das duas vezes em que estive, é muita história e cultura juntas no mesmo lugar. É suja? É. É caótica? Sim. Mas acho que isso faz parte do "ar romano". A paz, a tranquilidade, o ambiente bucólico eu deixaria pra esperar na Toscana. A cidade é cara? Depende, eu acho a França absurdamente mais cara e olha que não estou falando só de Paris. O norte da europa também é bem caro, então eu diria que no meu ranking, Roma está no meio. Quanto ao excesso de turistas, essa é a realidade do novo milênio, não vai mudar. Aliás, a tendência é piorar cada vez mais, como disse uma conhecida, o mundo está ficando pequeno e os lugares possíveis de visitação também (com tantos lugares em guerra, a violência urbana, atentados etc). Com a globalização, a forma de encarar o turismo mudou e os chineses e indianos estão por todos os lados, em qualquer lugar. Eles chegam de repente em seus ônibus, descem e saem empurrando todos, sem se importar se você está ali pronto pra tirar a foto do ano. Mas vejam, a Times Square é lotadíssima, o Torre Eiffel é lotadíssima, a Estátua da Liberdade é lotadíssima, o Cristo no Rio é lotadíssimo, o Burj Khalifa então... o segredo é se programar, comprar antecipado, procurar passeios mais exclusivos e assim evitar filas quilometricas. Aliás, uma observação: a maior fila que já peguei em toda minha vida foi em Foz do Iguaçu: foram 2 horas para comprar o ingresso e outras 3 para entrar. Isso mesmo, 5 horas só pra entrar no parque das cataratas e olha que nem tinha chineses. Foi caótico. E no entanto, no dia anterior estava vazio. Então foi azar mesmo. Acontece. Eu não acho que o fato das pessoas começarem a falar inglês descaracterize alguma cidade, pelo contrário. Quem quer falar italiano, fala italiano, quem quer falar inglês, fala inglês. Ter opções é maravilhoso, e acho que falar inglês é coisa de país que se preocupa com o turismo. #ficaadicabrasil Eu não falo italiano e na primeira vez peguei um trem rumo a Foggia, fiquei na cabine errada porque ninguém falava nada além de italiano e sabia explicar nada. Foi uma dor de cabeça que poderia ter sido evitada se as pessoas ali falassem inglês. Os ciganos do leste europeu realmente são um problema, aliás, em qualquer grande cidade europeia atualmente. Sei de uma pessoa que foi roubada no metro de Paris e foi na força mesmo. Quando as portas do metro se abriram, um grupinho cercou a pessoa, arrancou a bolsa e saiu correndo, aproveitando-se do fato de que as portas fecharam para seguir viagem, então tenha sempre os mesmos cuidados que você teria no Rio ou em São Paulo. Enfim, acho que Roma é uma cidade que precisa ser visitada. Pode não ser tão linda ou tão limpa quanto outras cidades europeias, mas como eu falei a história, a cultura e a importância supera tudo isso.
  4. Juliete, Israel carimba passaporte, tanto na entrada como na saída. Para não ter o carimbo no passaporte é necessário fazer uma solicitação e explicar o porquê de não querer o carimbo. Informe-se certinho sobre o procedimento junto à embaixada brasileira em Israel.
  5. MariaTNeves

    Procedimentos de Fronteiras Jordânia, Israel, Egito, Libano. 25 dias

    Oi Manuel, a postagem é antiga mas vou responder porque pode ajudar outros. Eu já fiz por terra Egito - Jordania - Israel e como Israel foi a última etapa, não tive problemas com o carimbo no passaporte. Aliás, recebi carimbo de entrada e saída em todos. Meu marido morou alguns anos em Israel e de lá passou tranquilamente para o Egito sem problemas, no sentido contrário ao que fiz. Acredito que com a Jordânia você também não terá transtornos. Os dois países têm acordos de paz firmados com Israel. Foram duas fronteiras bem tranquilas, a da Jordania se não me engano tem até um pequeno free shop. Fique atento ao Líbano, acho que lá você pode ter um pouco de dor de cabeça. Sei que a fiscalização de entrada lá é bem rigorosa, como a de Israel (e diferente da Jordania e Egito, onde é bem relax). Eles costumam abrir malas, fazer milhares de perguntas, abre de novo, pergunta de novo. Bem parecido com Israel, só que com menos tecnologia. Pelo menos é o que dizem, não conheço. Aliás, a dica de Israel é quanto às perguntas feitas. Geralmente depois de passar sua mala por sei lá quantos raios x, os guardas perguntam se você tem A, B ou talvez C na mala. Na verdade, eles já sabem o que você tem na mala, as perguntas são só pra testar o viajante e ver o que ele vai responder. E obviamente todas as fronteiras são altamente militarizadas, especialmente as de Israel. Por isso, cuidado com fotos e videos, geralmente eles pedem para guardar câmeras e celulares.
×