Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Halmaxi

Membros
  • Total de itens

    8
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

18 Boa

1 Seguidor

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Hoje faz 12 dias que botei o pé na estrada. Gostei demais do post! Tomei uma chuva logo no primeiro dia. Que chuva! Sem barraca, sem lona, sem nada. Quase me fez desistir e voltar pra casa. Tenho que juntar dinheiro pra comprar uma lona, vai demorar um pouco, partindo dos meus 45 centavos de saldo atual kkkkkkkkkkk também percebi que devia ter uma caneca, uma lanterna, uma garrafa maior pra levar água, uma espécie de marmita ou algo assim, que é sempre bom carregar um pacote de macarrão, ou umas batatas, etc, etc, etc. Mas é vivendo que se aprende! E, vou te contar, vivi mais nesses 12 dias do que em 20 anos... Nada se compara!
  2. Irmão, faz 12 dias que eu fiz o mesmo! Me identifiquei demais com a sua história! No dia 22/02/2018, saí de casa com apenas uma mochila pequena, cem reais a mais que você (270,00) e uma vontade louca de sobreviver. Tomei essa decisão depois de pensar seriamente, sem drama ou desespero, na possibilidade de acabar com minha própria vida, simplesmente por falta de interesse em continuar vivendo. Foi então que me veio a ideia de que a morte é, na verdade, um renascimento. Morri para o mundo e renasci para mim mesmo. Desapareci, sem deixar rastro, pra nunca mais voltar. Não disse adeus para os amigos, não prestei contas no trabalho e nem encerrei o contrato de aluguel. Só peguei a mochila e saí. Nesse momento estou em Paraty-RJ, decidido a seguir para o sul em direção ao Uruguai. Minha carteira agora tem apenas 45 centavos, mas disposição não falta. Me sinto mais vivo e mais feliz do que nunca! Confesso que faz muito pouco tempo que estou na estrada e que muita coisa ainda me espera, mas para aqueles que pensam em fazer algo assim, mas tem medo, só posso dizer uma coisa: você não precisa ser um "aventureiro", só precisa de 20 cegundos de uma coragem insana. O medo é normal e a coisa pode ficar feia. Por três dias eu passei fome e não tive onde dormir, mas segui em, e apesar do desespero, não desisti. Consegui um lugar pra dormir e também para comer. Não desista, a vida encontra um jeito e tudo se resolve se você seguir em frente com seus sonhos.
  3. Simplesmente incrível! Uma verdadeira inspiração para mim, que uma semana atrás larguei tudo, de uma forma muito mais brusca É sem nenhum trocado no bolso, e meti o pé na estrada. Deixei pra trás a família, a casa alugada com todas as minhas coisas dentro, dois empregos e uma namorada que super apoiou minha decisão. Cortei toda forma de contato com tudo e com todos que fizeram parte da minha vida, joguei fora o meu chip e exclui todas as redes sociais. Radical, estúpido e perigoso? Sim! Está valendo a pena? Cada segundo! Indescritível a sensação de ser completamente livre para ir onde as suas pernas puderem te levar!
  4. Então, cara, estou em Paraty faz uma semana, vivendo como voluntário em um hostel, só posso dizer que gostei demais daqui. É uma cidade super tranquila e super segura, por ser um local de Turismo, sempre tem gente diferente pra conhecer. A cidade de Paraty, no centro, não tem praias que sejam boas para banhos. Você pode conhecer Trindade e dar uma olhada nas cachoeiras, tem a parte histórica e o forte pra conhecer também. Tudo isso você faz em 3 dias, se gostar de acordar cedo. Falo pelo minha experiência nos dias em que estou aqui, mas como não estou fazendo Turismo, diretamente, estou um pouco por fora de algumas coisas.
  5. Também queria saber. Estou na estrada, procurando alguma companhia, pelo menos temporária pra seguir comigo.
  6. Já tá na estrada? Estou nessa parada! Nesse momento estou em Paraty-RJ, alguém pelas redondezas?
  7. Me identifiquei muito com alguns pontos da sua história, principalmente a parte da cobrança. Bom, o que tenho pra dizer é que acabei de fazer o que você planeja, só que sem planejar. Acordei dois dias atrás e resolvi por o pé na estrada. Simples assim. Sem dinheiro, sem nada. Meu ponto de partida foi a cidade de Cabo Frio, agora estou em Paraty vivendo como voluntário em um hostel. Aprendi a fazer pulseiras e vou tentar vender para fazer alguma grana.
×
×
  • Criar Novo...