Ir para conteúdo

Ro St

Membros
  • Total de itens

    13
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

6 Neutra

1 Seguidor

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Wesley, te recomendo monitorar a quantidade de entradas disponíveis para Machu Picchu no site, mas não comprar por lá! Eu comprei as minhas diretamente no Escritório do Ministério do Turismo em Cusco, é bem fácil de achar lá e fica muito mais barato!!!
  2. Oi Rodrigo! Não entramos no sítio arqueológico de Ollanta! Fomos sozinhos na manhã do dia seguinte, pois pernoitamos lá para pegar o trem de tarde. Havia lido que o sítio de Ollanta era muito bonito, e no passeio das vans teria-se pouco tempo para curtir. Foi uma ótima ideia que tivemos!! Havia pouquíssimo movimento lá dentro, deu para curtir bem de boa! Quando fomos embora, por volta do meio-dia, começou a entrar mais gente. Ano passado, o "ingresso" era válido por 2 dias, então perfuraram os nossos em todos os outros sítios arqueológicos ficando disponível Ollanta para o dia posterior.
  3. Estive na Noruega agora no final do ano (do dia 22/12/18 até 24/12 - véspera de Natal). Estive em Tromso por 3 dias (2 pernoites) e 2 dias em Oslo. Também passei 10 dias na Suécia (3 em Gotemburgo e 7 dias no sul - Karlskrona), e passei o dia 31/12 em Copenhagen. Achei a Escandinávia cara, e a Noruega foi o lugar mais caro. Eu e o meu namorado comemos o básico do básico: biscoitos como lanche durante o dia, pão com uma "Nutella" genérica como café da manhã, e fazíamos um panelão de macarrão com salsicha como janta. Foi na Noruega também, especificamente em Oslo que encontrei os souvenir's mais caros: um imã de geladeira custava 39 NOK! Entretanto, com certeza, é um país com uma natureza espetacular!!!!! Pesquisei muito sobre Trolltunga/Preikestolen/Stavanger, além de Bergen, mas desisti em razão dos custos, além de tudo ficar um pouco mais cinzento e perigoso de ir (fazer hiking) no inverno.
  4. @meduardavargas e @fabianolimas vcs ficarão até quando na Suécia? Meu namorado, que mora em SP, irá no início de Dezembro/2018 para lá (Karlskrona). Ficará por 3 meses lá num "intercâmbio", mas a trabalho. Eu moro no RS, e irei entre o dia 15/12 retornando após o Revellion.
  5. Opa, encontrei alguém como eu!!! Sempre começo a planejar/monitorar preços com bastante antecedência. E foco as experiências culturais, e não conforto de hospedagem e/ou ficar comendo. Ainda não li todo o post, mas percebi que me ajudará bastante na minha próxima viagem à Europa! muito tri!
  6. Olá Vanessa, tudo bem? Então, o que aprendi, por conta própria, é de começar a monitorar os preços de passagens aéreas já quando tu tem a vontade de ir para determinado país/região/Estado. Quando comecei a pensar em ir pro Peru (lá por Setembro, acho) as passagens estavam nesta margem que falaste: 15k/20k... Daí teve promoção na BlackFriday por uns 9k/10k, mas não comprei por questões pessoais. Por sorte comprei mais barato do que na BlackFriday!. Contudo, pelo o que venho acompanhando em relatos aqui no Mochileiros, e tb no site 'Melhores Destinos" (que uso como principal ferramenta para monitorar por pontos), não está e não estará fácil comprar passagens baratas neste ano... Combustível caro, cobrança por bagagem despachada/marcação de assento/antecipação de vôo... Não está fácil! Ah, a passagem interna fiquei monitorando pelo Skyscanner. Resumindo: minhas dicas são: comece a monitorar, dar print de tela e salvar em uma pasta do PC/e-mail os valores das passagens para os lugares que sonhas/tens vontade de ir. Mesmo que demore vários meses ou até 1ano/ 2anos... Para teres noção, pq passagem aérea é algo que oscila mto! Tenho o APP do Melhores Destinos, e para valores em dinheiro, monitoro pelo Skyscanner. Tb pesquise logo, quais as melhores épocas para ir (pra MaPu no verão é mais barato, mas é a pior época). Espero ter te ajudado.. Fique à disposição.
  7. Marcoss Pires, desculpe, não recebi notificação de comentários , teria respondido antes! Agora não deve adiantar para ti a minha resposta! Mas caso outra pessoa fique com a mesma dúvida... Depende: nossa moeda desvalorizou-se mto em razão da turbulência política e econômica do nosso país! Enquanto estivemos lá, a cotação do real não parava de baixar! E até ano passado o real valia mais do que o sol peruano. Achei que conseguiria uma cotação do dólar boa em razão da valorização mundial do dólar, mas ficou em torno de S 3,25 (3,25 soles para cada dólar).
  8. Acompanhando! Estou pensando seriamente em ir pro Leste Europeu em 2019 ou 2020!
  9. Estive do dia 06 ao dia 11 (de Junho/2018) na região. Chegamos no dia 06/06 e apenas saímos para jantar e trocar alguns dólares neste 1º dia. Até não sentimos muito o soroche, mas tinha organizado bem os dias e chegamos por volta das 17/17:30 no hostel. No dia 07/06 compramos os ingressos de Machu Pichhu no Escritório do Ministério do Turismo peruano (sem taxas, no efectivo mesmo). Fechamos tb o tour pelo Valle Sagrado. No dia do passeio (do tour) É OUTRA AGÊNCIA DE VIAGENS que "executa" o passeio, misturando turistas de várias agências. ISSO É O NORMAL AO MENOS, pelo o que já havia lido em relatos aqui no Mochileiros. NÃO HÁ DIFERENÇA! Nós pegamos o tour completo (Chinchero, Maras, Moray, Salineras, Ollantaytambo e Pisac SEM ALMOÇO por 40 soles para cada um! Tb passeamos por Cusco para ACLIMATAR! No dia 08/06 fizemos o tour e pernoitamos em Ollanta. Dia 09/06, de manhã, visitamos o sítio arqueológico de Ollanta sem pressa, e de tarde pegamos o trem. Dia 10/06 fomos pela escadaria (e voltamos por ela) para M.P. NÃO PEGAMOS GUIA EM MACHU PICCHU e NÃO SENTIMOS FALTA. Mas isso vai de cada um... Fizemos no nosso tempo, tirávamos fotos onde e por quanto tempo queríamos! Dia 11/06, de manhã, passeamos mais um pouco por Cusco e de tarde pegamos vôo até Lima, e depois bus até Huaraz.
  10. Junto-me ao "coro" de agradecimento aos relatos que li aqui e que me ajudaram a evitar perrengues e tomar decisões quanto ao roteiro e afins. Juntamente com o meu namorado, fui pro Peru do dia 06/06 à 15/06. Comprei as passagens GRU X Lima (meu namorado mora no Vale do Paraíba, eu moro no RS), na primeira semana de Dezembro, por 8500 pontos Multiplus o trecho para cada um + R$ 500 no total das taxas (4 trechos). Compramos as passagens de Lima X Cusco no site da LCPeru por 180 soles peruanos, cada trecho, diretamente no site da Cia. Não deu para comprar pelo cartão de crédito, daí foi feito pelo SafetyPay. Esta compra foi feita no mês de abril, quando havíamos definido totalmente as datas do roteiro da viagem. Estava decidida a comprar as passagens internas com Cia Peruana pq os preços da Latam e da Avianca eram muito maiores. Sabia que corria pouco risco dos vôos serem atrasados/cancelados (como é a fama quando se voa por estas Cias) em razão da época (inverno ser mais seco) e pelos horários dos vôos (li aqui, e em vários outros blogs que o problema é no aeroporto de Cusco - se pousar ou decolar após às 17h, a chance de ter alteração é enorme). Eliminei a Viva Air (Viva Colômbia), pois vi que era a pior dentre as nacionais. Pelo o que li, a Peruvian seria a melhor, mas não tivemos stress com a LCPeru. Voamos nos 2 trechos com aviões Boeing 737, com direito a uma mala despachada de 30Kg para cada um (a minha deu exatos 10Kg). Lanches bem básicos (pacotinho de nuts variados) com direito a Inka Kola. Passeio para o Valle Sagrado: fizemos o tour completo (Chinchero, Maras, Moray, Ollanta e Pisac +Salineras) mas SEM ALMOÇO por 40 soles por pessoa. Levamos lanche! Ida para Machu Picchu: acabamos indo e voltando com o trem Vistadome da PeruRail por US$ 40 o trecho (Cyberday promotion), comprados no final de Abril. Ida para Huaraz: fomos pela MovilTours na opção "Ejecutivo Vip" por 45 soles peruanos o trecho, para assento de reclinação de 160 graus. O preço normal para este tipo de assento/serviço é 65 soles, mas comprando com certa antecedência consegue-se encontrar alguns assentos promocionais. Terminada a informação sobre o investimento financeiro, irei tecer brevemente sobre o nosso roteiro e outras dicas e percepções, mas procurando evitar o óbvio. DIA 06/06 Vôo GRU X Lima: saída às 7h40min (aguardamos em torno de 30min dentro do avião para poder decolar em razão do FLUXO aéreo, cfme explicação do piloto). Resultou em 1h de atraso na chegada: pousamos ao meio-dia em Lima. Avião super confortável ( poltronas no formato 2-3-2). Vôo Lima x Cusco: saída às 14h40min (atraso de alguns minutos no portão de embarque - fomos de bus até o avião). "PERRENGUE": Reservei todas as minhas hospedagens pelo Booking, que informava que a hospedagem de Cusco ofereceria transfer. Escrevi mensagem para eles ainda em SP. Acessando os 30min de wifi free do Aeroporto de Lima, e não haviam respondido. Chegamos em Cusco e... Não tinha wifi free e nada de transfer. Pagamos 25 soles para um taxista fazer a corrida até o bairro de San Blás. "RECOMENDO": Jantamos no SUMAQ II, na Calle Siete Angelitos - nosso restaurante em Cusco. Barato, sem movimento, pizza em forno a lenha. Pão de alho e massa da pizza feitos artesanalmente e de forma excelente. Wifi bom tb. 07/06 Compramos os ingressos para Machu Picchu no "escritório" do Ministério da Cultura do Peru em effectivo (em soles, sem taxa extra nenhuma). Fiquei monitorando pelo site oficial a disponibilidade dos ingressos e, deu certo. "RECOMENDO": Mês de Junho é cheio de comemorações em Cusco. Pegamos vários eventos tri em razão do Corpus Christi, concurso de dança das escolas infantis de todo o Valle (ainda tem o Inti Raymi no "solstício do inverno"). Passeamos por Cusco mas sem entrar nas opções pagas de museus,etc. Só compramos o boleto parcial (70 soles por pessoa). "DETALHE IMPORTANTE": Fizemos a carteirinha internacional pq estudante paga metade no boleto "general" (o mais completo), mas tem a mesma regra que M.P.: só até 25 anos! pqp!!!! E tem outra: li aviso lá no Cosetur, que a carteirinha da ISIC (que nós fizemos) não teria mais validade nos próximos meses! 08/06 Fizemos o tour pelo ValleSagrado, mas sem entrar no Parque A. de Ollanta, pois pernoitamos naquela cidade, daí curtimos o acervo na manhã do dia 09/06 com toda a calma do mundo! Pq como vários relataram, é pouco tempo para contemplar e tirar fotos durante o tour grupal. Fora que, de manhã estava vazio!!!! (além dos tours grupais serem de tarde, a Copa do Mundo diminuiu mtooo o movimento lá na região! "DICA": se puderem ir lá pra Cusco/M.P. durante algum evento mundial importante (Copa/Olimpíadas) será ótimo! Nada de empurra-empurra, tumulto, dificuldade pra enquadrar fotos... oh maravilha!!!! 09/06 Ollanta de manhã, e de tarde pegamos o trem às 14h. Ollanta é muito agradável, mas bem pequena, com poucas opções de gastronomia (após às 21h, ao menos). De tarde pegamos o trem - confortável, pontual, etc. Ao chegarmos em Águas Calientes, encontramos a galera que reserva hospedagem por agência aguardando ser chamado... Meio ruim isso! Jantamos o prato menu (como em quase todos os dias no Peru) por 12 soles apenas! E com direito a Pisco Sour dupla gratuita! Pq? Copa do Mundo! Poucos turistas, vários restaurantes... É galera do "mete a faca no turista"! Nos mercadinhos os preços se mantinham exorbitantes, mas estavámos bem preparados. Só queria ter comprado BANANA (plátano) pois li no blog ApureGuria, que isso atraia as ilhamas em M.P.! Mas 1 sole por 1 plátano.. não! 10/06 Subida pela escada inca: mais do que dor nos joelhos pelos quase 35 anos "de velhice", senti minhas coxas "ficando pelo caminho". Me apavorei comigo mesma, ao ter que parar várias vezes para descansar, mas conseguimos fazer o trajeto em 1h10min! Não pegamos guia, segundo informações que colhi, só o pessoal dos grupos das agências não conseguem escapar. Se fez falta/se foi melhor, acho que é questão de opinião pessoal. Pesquisamos sobre a historia de M.P. antes da viagem. Enquanto a galera dos grupos guiados tinha poucos minutos para tirar fotos dos lugares, quase zero de tempo para contemplar a energia "em paz", nós tivemos, e muito! Saímos às 10h40min, tendo feito as 2 voltas no parque. Sentado um pouco para lanchar. Explorado tudo o que tínhamos à disposição (não pegamos nenhuma montanha). Na saída começou a chover. Uma garoa, mas constante. Não descemos muito rápido para evitar escorregões na escadaria, mas deu uns 45-50 minutos. Só na estação do trem é que fui ao WC. Ah! Sou alérgica a borrachudos, passei repelente, mas não senti nada de mosquitos querendo incomodar. Como pegamos o trem às 13h30min, chegamos cedo em Ollanta e fui tranquilo voltar de "colectivo" até Cusco (10 soles). "SOBRE AS VIAGENS COM O TREM": é disponibilizado wifi... Que era ótimo, rápido! 11/06 De manhã compramos alguns souvenirs e de tarde pegamos nosso vôo para Lima. Gastamos aproximadamente 5h no aeroporto de Lima (bus para Huaraz era às 23h30min - coloquei baita margem de segurança), usando o wifi do Starbucks, e tb resolvendo um PERRENGUE! "PERRENGUE": no dia anterior à saída do Brasil (05/06) recebo e-mail automático da Latam - nossa volta teria um atraso de 12 HORAS!!!! (vôo da volta seria às 23h30min de 15/06 com escala de uns 40min em Assunção). Só que o vôo "novo" sairia às 24h de Lima. E vôo saindo de Assunção às 5h40min não "existia" mais, e sim, só às 3h da madrugada (o que era inviável), ou às 17h - resultando numa chegada às 8h DA NOITE, quando inicialmente seria às 8h DA MANHÃ do dia 16/6. Escrevi no Twitter, no Facebook da Latam... expliquei que só teria wifi e em poucos momentos durante a viagem... Esperei por 1 semana para que tivessem a competência de resolverem. Nada! Escrevi minha reclamação no ReclameAqui. Entretanto, usei o tempo ocioso para buscar o guichê peruano da Latam. As atendentes alegavam que não poderiam remarcar os vôos por ter comprado por pontos. Mas, com mta insistência, e mostrando os e-mails de confirmação da época da compra com essa diferença absurda, elas resolveram o problema! Pegamos vôo direto, saindo às 24h30min de Lima! Então, salvem sempre suas negociações com print de tela e tal para estarem munidos!!!! 12-14 de Junho Chegamos em Huaraz às 7h e o Scheler (Artizona Trekking) nos buscou e levou até o nosso hotel. O check-in só seria permitido a partir do meio-dia, mas em razão do Scheler ter bom relacionamento com os donos do hotel, pudemos fazer check-in mais cedo e comer o desayuno. Assim como em Cusco e Ollanta, espirrava muita água do chuveiro (ducha) e emporcalhava o chão sem pano/toalha. Ficamos espantados, negativamente, com a sujeira vista pelas ruas de Huaraz. Nosso hotel ficava localizado na Av. 27 de Noviembre, a umas 2 quadras da avenida principal (da Plaza de Armas), tinha muiiito movimento de motocars, collectivos, carros, buzinas... Consideramos a cidade de Huaraz tb a mais barulhenta em relação as milhares de buzinadas ouvidas enquanto se caminha pelas calçadas (todo mundo parece ser Uber com seu próprio carro lá - não vimos bus pelas ruas da cidade). Tirando isso... nossos 2 passeios feitos - o Glaciar Pastoruri e a Laguna 69 foram maravilhosos! A caminhada até o Glaciar é curta, mas por causa da altitude, e pelo nariz escorrendo pelo friozinho, foi "puxadinho". A caminhada para a Laguna 69 é bem mais longa, mas é muiiiito bonito o caminho, e não possui apenas pontos de subida. Mas cansa bastante! Na volta tomamos banho no hotel (pagamos 10 soles por pessoa pelo "late check-out"), jantamos e fomos para mais uma viagem de bus com assentos reclináveis de 160 graus. Ah! Jantamos guacamole (com feijão preto junto - delicioso!) e um sanduíche quente para cada um no Café Andino (Jirón Simón Bolívar). Foi indicação de outros brasileiros que conhecemos durante o hiking, pois havíamos comentado sobre nossa avaliação "mediana para não-boa" dos restaurantes de Huaraz que havíamos pesquisado). Como estávamos extenuados pelo hiking, nesta viagem dormimos até Lima "apagamos"! SEGUE IMAGENS DO CAMINHO ATÉ A LAGUNA 69 Em Lima, "matamos" umas 5h no aeroporto, até que pudemos despachar as nossas malas, e daí partimos para Miraflores para explorar um pouco a cidade. Comemos Ceviche e um Arroz com Mariscos delicioso por 40 soles (Calle Berlim, ao lado da Casa de Ceviche, um restaurante que nem aparece no Google... Tapadita/Tarapadita... a atendente foi muiiiito atenciosa explicando os pratos!). Além disso, comemos este combo para 2 pessoas (um combo para 2! perfeito!). Fomos a pé no Parque del Amor e no Larcomar. Na volta...ninguém queria nos levar para o aeroporto... tudo em razão do alto tráfego! Com muita súplica, consegui um "Uber" por 40 soles (ele queria 70). Tinha alguns que nem faziam preço, ao informarmos que queríamos ir ao aeroporto já negavam a corrida! "DICA": evite ao máximo os horários de pico para se deslocar em Lima! (era uma sexta-feira, 19h). No vôo de volta ao Brasil (Lima x GRU) tivemos a desagradável surpresa do avião ser um usado nas rotas nacionais - assentos no formato 3-3-3, que reclinam pouco, sem tela de entretenimento... E a janta/lanche era "alguma coisa parecida com um tabule" e frango - frio (!!!!), um pedaço de bolo, 3 torradinhas e um potinho de cream cheese. OPINIÕES FINAIS/ "DESCOBERTAS": *** Se quiseres fugir dos custos do cartão de crédito, boa notícia: em todos os lugares aceitava pagar em dinheiro - alguns em dólar, inclusive. *** Alguns restaurantes/lojas/hospedagens e o Scheler (passeios em Huaraz) cobravam uma taxa de aproximadamente 5% se usasse o cartão de crédito!!!! *** Não sei como foi para os outros mochileiros que contrataram os passeios com o Scheler em Huaraz. Mas para nós, foram outras 2 agências que noas levaram (no mesmo esquema do tour do Valle Sagrado - turistas de várias agências). Inclusive, na volta da Laguna 69, o guia/agência não deixou a galera nas suas respectivas hospedagens. Todos tiveram que descer em frente da "oficina" da agência, a uma quadra da Plaza de Armas. Pra nós até era perto do nosso hotel, mas pra quem estava longe, foi uma baita sacanagem depois do cansaço físico do hiking!!! *** Vários relatos me ajudaram na montagem do roteiro, mas para mim, o melhor foi do Ronald Zirbes ( *** Levei R$ 500 que troquei em Cusco, mais US$ 580. Já havia comprado antecipadamente as passagens GRU X Lima (pontos Multiplus- 8500 pontos por trecho+R$ 250 de taxa para cada um), os trechos Lima X Cusco por SafetyPay, as passagens de trem e de bus (Huaraz) por cartão de crédito mesmo (direto nos sites). Só paguei em cartão de crédito algumas hospedagens (uns R$ 400) e restaurante (uns R$ 150), porque ficamos com receio que acabasse a nossa grana em espécie. No final, voltei com 100 dólares e 25 soles peruanos! *** Considerei muito satisfatório o nosso roteiro, apenas em Huaraz e em Lima saiu um pouco fora do imaginado. Dormimos mal no ônibus (não conseguimos descansar), daí a ideia que era, ir no dia 12/6 "direto" pro Glaciar, fazer a Laguna Churup por conta dia 13, teve uma pequena alteração. Dia 12/6 para descansar, dia 13 o Glaciar. Em Lima tb modificamos um pouco. Eu tinha comprado o bus com a opção de parar na "rodoviária" da MovilTours que fica no distrito de "La Victoria", que é o mais perto de Miraflores. Mas meu namorado não estava afim de perambular com a mala dele, daí descemos na "rodoviária" Tomás Valle, e de lá fomos pro aeroporto, esperando o horário para poder despachar as malas. Até existe um guarda-volumes no aeroporto, mas era por hora/$ e ficaria caro... *** O aeroporto de Lima não tem mais terminais, como GRU e vários outros aeroportos brasileiros, assim, tinha muita gente para poucas mesas na praça de alimentação. E sem opção de salas de "espera" fora da área dos portões de embarque. Era difícil encontrar mesa/cadeiras. ***Fiz minhas reservas de hospedagem pelo Booking e não tive nenhum estresse com as acomodações. *** Nos sentimos seguros andando pelas áreas turísticas. Um pouco menos em Lima e Huaraz, mas na região do Valle Sagrado foi mto de boa! Isso que, dia 08/06 - dia do Valle Sagrado Tour, ficamos uns 30 minutos num paradero em Pisac (isso após às 18h, e já escuro), e em torno de 1 hora no paradero em Urubamba aguardando locomoção. A locomoção entre Pisac e Urubamba foi uma van lotadaça por 4 soles. Já o deslocamento entre Urubamba e Ollanta (onde pernoitamos antes de ir para águas Calientes) foi de "Uber" compartilhado por 3 soles por pessoa!!!!!! *** Repito a dica de que, se puderem visitar a região de Cusco/M.P. durante um evento mundial, aproveitem, porque a muvuca é bem menor! E Junho é um mês de comemorações em Cusco! *** O guia do passeio para o Glaciar repassou uma dica que seguimos à risca, e reproduzo aqui: COMA CHOCOLATES PARA REPOR ENERGIAS GASTAS PELO ESFORÇO FÍSICO. MASSSSSSS, NA VOLTA! Ou, ao menos, quando estiveres no local destino (lá na contemplação da Laguna, por exemplo), PARA EVITAR ENJÔOS! *** Não achamos "tudo aquilo" Miraflores! Nada do que um bairro de bom padrão, assim como há em SP, em POA... Ah, lá o trânsito não era caótico. Aliás, que trânsito mais agressivo!!!! Trancam cruzamentos, carros/motos/ônibus/caminhões...vão "cortando a frente"... e isso é "normal" para eles! Fora a "proliferação" de ubers autônomos! Sinal de luz/buzinadas...quanta poluição sonora! *** Os peruanos são maravilhosos, conseguem entender e se fazer entender com o Português, mas para pechinchar... algumas palavrinhas em espanhol ajudam bastante!!!! Acho que é isso, AMEIII o Peru! Quero voltar o quanto antes!
  11. Promo de passagem da PeruRail hoje (24/4/18) e amanhã (25). Trens para viajaer até dia 30/6 com 50% de desconto!!!!
  12. Para quem tem receio de fazer a trilha da hidrelétrica ou simplesmente não quer... a PERURAIL está com promoção de hj (24/4/18) até amanhã (25) onde se consegue comprar com 50% de desconto!!! Eu e meu namorado estávamos discutindo sobre como ir a M.P.: eu querendo fazer a trilha (iremos em Junho, época mais amena) e ele com medo, queria ir de trem! Acabei vendo a info desta promo no site do Melhores Destinos... Corram caso queiram ir de trem!
  13. És acostumada a fazer trekking em alta altitude Tabata? Estou montando o roteiro para 9 dias, querendo incluir além de Cusco e M.P., tb Ausangate e sua Rainbow Mountain, e Huaraz. Contudo, conversei com um mochileiro que foi pro Peru, e este me desaconselhou a fazer Huaraz junto pq seria pouco tempo....
×
×
  • Criar Novo...