Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Murilo Pereira

Membros
  • Total de itens

    16
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

18 Boa

Sobre Murilo Pereira

  • Data de Nascimento 05-08-1986

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Brasil: São Paulo (SP), Ubatuba (SP), Brotas (SP), São Francisco do Sul (SC), Blumenau (SC), Joinville (SC), Curitiba (PR), Ilha do Mel (PR), Campo Grande (MS), Portugal, Inglaterra, Irlanda, Irlanda do Norte, Bolívia, Argentina, Paraguai
  • Próximo Destino
    Salta (Argentina) Santiago e Atacama (Chile)
  • Tópicos que recomendo
    Mato Grosso do Sul
  • Ocupação
    Professor de Educação Física
  • Meu Blog

Últimos Visitantes

332 visualizações
  1. @Cloris Macedo Ola tudo bem? A empresa que eu contratei se chama "Barro Bike", entretanto existem dezenas de agencias pelo centro, indico dar uma pesquisada nos preços e condições que cada empresa oferece. É bem rápido fazer essas cotações e o pessoal é bem atencioso. Se você pretende passar alguns dias em La Paz, não feche nada online. Deixe pra fazer isso lá! você vai economizar bastante fazendo isso!! espero ter ajudado!! obrigado
  2. @karine signorini Ola td bem? Obrigado por ler o relato!!! É super bom o aeroporto lá! me surpreendi!! pode passar a noite lá de boa!!!
  3. @menguimaraes Ola td bem? Obrigado por ler o relato!!! Eu não comprei na hora, eu comprei pelo celular um dia antes qnd ja estava lá! Pelo que pesquisei, em geral as passagens lá são baratas então não necessita de comprar com tanta antecedência não! espero ter ajudado!!!! boa viagem!!!
  4. @Luana Larissa Ola tudo bem?? Obrigado por ler o relato!! Então, vale a pena o passeio de um dia sim! da pra conhecer boa parte do salar, o passeio vai até a ilha e passa pelo monumento dacar!! se você esta com orçamento apertado, ou não tem muita disposição para o passei de 3 dias, o de 1 dia é bem legal tbm!!! recomendo!
  5. Murilo Pereira

    Buenos Aires – Roteiro de 6 dias

    Ola @JORLANE tudo bem? Olha, vai ser meio complicado responder a sua pergunta, porque muitas coisas interferem nos gastos. Eu por exemplo levei por volta de 500,00 reais em 2015 e deu pra ficar de boa os 5 dias, e eu praticamente sai e comi fora todos os dias, mas não sou de comprar cacarecos e lembrancinhas pra ninguém, então creio que cada pessoa tenha um gasto bem diferente. Espero ter ajudado!! abraços e obrigado!!
  6. Murilo Pereira

    Buenos Aires – Roteiro de 6 dias

    @jhmluna Excelente!!! espero que dê tudo certo!!! abraços e boa sorte!
  7. Murilo Pereira

    Buenos Aires – Roteiro de 6 dias

    @fabio candeia Ola Fabio! acho que é meio corrido e um pouco cansativo tentar fazer todo o roteiro em 3 dias! vai depender um pouco da sua disposição e da sorte para não pegar nada lotado ou com filas!!!Abraço e boa sorte!!!!
  8. Murilo Pereira

    Buenos Aires – Roteiro de 6 dias

    @jhmluna Ola! td bem? Recoleta e o centro não são tão distantes. Recomendo você pegar um mapa e der uma olhadinha, no google msm! Eu optei pelo centro, pois muitas coisas são possíveis de se fazer a pé! como por exemplo ir até a Recoleta a pé! As principais atrações estão na região próxima ao centro, como a plaza de maio, puerto madero, casa rosada, feira de san telmo, teatro colon, tudo isso é de fácil acesso de a pé! Mas dê uma boa pesquisada e opte por ficar no lugar onde fique mais acessível pra você! Outra vantagem é que a linha de metro bem no Obelisco e vários pontos de ônibus! Geralmente também hostels localizado na região central são um pouco mais salgados, mas nada exorbitante! eu fiquei nesse aí: https://www.brazilian.hostelworld.com/hosteldetails.php/Hostel-Suites-Obelisco/Buenos-Aires/17950?dia=500&gclsrc=aw.ds&gclid=CjwKCAjwwbHWBRBWEiwAMIV7E51JKGmgD6v5JEWW6LQ89gppbk24_UfKHmvDI0sIOINk4tdZAIyPkxoCSnAQAvD_BwE&sub_publisher=ADW&sub_ad=b&sub_keyword=&uniqueclickID=7737010621959282314&adposition=1t3&creative=231041703753&network=g&source=adwordshostelnamesbr Espero ter ajudado!!! qlq coisa só escrever que tento responder!!! grande abraço!
  9. Olá Pessoal tudo bem? O post de hoje será pra falar dessa maravilha localizada no interior de São Paulo. Brotas. Brotas é um município brasileiro localizado no interior do Estado de São Paulo. É o 28º maior município paulista em extensão territorial e 1.312º do Brasil com 1.101,468 km². (wikipedia). Além de tudo, com seus aproximados 30.000 mil habitantes Brotas é uma linda cidade, com casarões e arquitetura colonial (lindo). Antes de partirmos já havíamos fechado um pacote super em conta com a empresa Ecoação da qual eu super recomendo!! (Os caras são feras, e muito atenciosos) vou deixar o link da empresa aqui para quem quiser conferir! Como iriamos ficar só 4 dias para aproveitar o feriado prolongado de outubro, o nosso pacote constava de Rafting, Canyoning, e day use no parque Aventurah. Além de 3 noites na Pousada do Sol, lugar muito limpo e organizado, staffs atenciosos e prestativos além de um maravilhoso café da manhã! (Gulosos). O link da pousada vocês encontram aqui! Tudo em 5x de 137,00 reais. (Pra ninguém reclamar não é?) Além disso visitamos por conta o Ecoparque Cassorova e o Hotel Fazenda Areia que Canta onde detalharei mais pra frente. A alimentação em Brotas não é das mais caras, sendo que num almoço self service pagamos 35,00 reais para comer à vontade. (Em conta se levar em consideração que é uma cidade turística). A noite você encontra várias pizzarias com preços que variam de 30,00 a 70,00 reais além de esfirrarias, espetos e restaurantes. Nosso primeiro dia foi uma quinta feira, fomos a pousada deixamos nossas coisas e seguimos para a Ecoação para pegar nossos vouchers das atividades que estavam programadas para os próximos 2 dias. Após pegarmos algumas informações na agência seguimos para o Ecoparque Cassorova. Esse parque contém além de restaurante, lanchonete, piscina, possui duas belíssimas cachoeiras. Fica a aproximadamente 30 km do centro da cidade e o day use para acesso ao parque foi no valor de 60,00 reais. A cachoeira Cassorova com uma queda de 60 metros de altura e uma deliciosa piscina natural considerada umas das 8 cachoeiras mais bonitas do Brasil, e a cachoeira dos Quatis ao final de uma trilha de 30 minutos no meio da mata preservada com uma queda livre de 46 metros. Passamos a tarde toda no Ecoparque e saímos de lá bem cansados após as trilhas. Vale muito a pena! Voltamos a pousada para nos arrumar e sair para comer, mas não demoramos a voltar pois o outro dia seria de pura adrenalina. No outro dia. chegamos as 7:20 da manhã na agencia para receber as instruções do rafting, explicando como deveríamos sentar, nos portar e utilizar o remo. Equipe muito boa e competente. Logo após as fotos, saímos em 2 ônibus em direção ao rio Jacaré-Pepira e em cerca de 30 minutos aproximadamente já estávamos na beira do rio fazendo um alongamento enquanto os guias ajeitavam os botes. Após isso foram aproximadamente 1:30 de pura adrenalina e diversão. Ao final ainda recebemos água, suco e uma deliciosa pinga com mel. A parte da tarde ficou reservada para utilizarmos o day use do parque Aventurah, com direito a tirolesa, é um parque ótimo para quem vai com crianças. Vou deixar o link aquipara os curiosos! O terceiro dia foi destinado ao Canyoning, ou Cachoeirismo, que é a descida de rapel na cachoeira, (e confesso que foi a coisa mais foda que já fiz!!). Localizado no Sitio Cachoeira 3 Quedas localizado à 23 km do centro, pudemos descer as duas maiores cachoeiras do local com direito a muito medo, superação, adrenalina e um mergulho no final. Foi simplesmente sensacional. Primeiramente fomos encaminhados a uma estrutura de madeira de aproximadamente 3 metros para fazer o treinamento e receber as orientações o que foi muito importante para aprendermos como iriamos fazer a descida. Logo após fomos para a primeira cachoeira, a Cachoeira das Andorinhas com uma descida de 22 metros e em seguida para a Cachoeira da Figueira com uma descida de 47 metros debaixo da queda d’água (espetacular!). Tudo durou aproximadamente 3 horas e almoçamos maravilhosamente bem por lá mesmo. Com pratos comerciais a partir de 30,00 reais. A parte da tarde ficou por conta do Museu do Calhambeque e do Parque dos Saltos um parque lindo bem no meio da cidade totalmente de graça onde tem várias quedas d’agua e os locais e turistas podem se banhar, mergulhar ou receber uma hidromassagem natural. Vale a Pena! No último dia tomamos aquele café da manhã maravilhoso da pousada fizemos o checkout e fomos direto para o Hotel Fazenda Areia que Canta (detalhe aqui é fazer a reserva antecipada!) Em aproximadamente 3 horas de passeio pudemos conhecer uma grande parte da fazenda além da nascente totalmente preservada da Areia que Canta onde é possível fazer flutuação e fazer literalmente a areia cantar! Logo após somos encaminhados a uma trilha que nos leva a uma pequena praia natural e mais duas quedas d’agua belíssimas dentro do próprio local. O valor para acesso à fazenda foi de 90,00 reais no domingo. Mas durante a semana esse valor é bem menor, entretanto vale muito a pena conferir esse belíssimo lugar! Hora de voltar pra casa mas com aquele sentimento de dever cumprido. Foram 4 dias intensos e muito proveitosos, esperando a próxima oportunidade de voltar a Brotas novamente. É isso aí galera, qualquer dúvida é só deixar aí nos comentários que respondo!! Não deixe de dar uma curtida lá no blog https://aos30resolvimudar.wordpress.com/blog/ Até a próxima! =P
  10. @Tadeu Pereira Muito bom! conheci vários mochileiros que estavam indo para o Peru também! estou programando minha ida pra lá ano que vem!! espero que tenha ajudado com alguma coisa!!! um forte abraço e boa viagem!
  11. @Davi Soares Ola Davi, obrigado por perguntar! Então, eu só peguei avião no trecho Santa Cruz / La Paz, tanto na ida quanto na volta e particularmente achei barato. Cada passagem saiu por aproximadamente 250,00 reais. Se parar pra pensar que de avião é possível fazer em 1 hora o que levaria umas 9 horas de ônibus, para mim vale o custo e benefício. Espero ter ajudado. Qlq dúvida é só perguntar! VLW
  12. @LaBrasil Ola blza? Obrigado por perguntar. Ficamos 10 dias na Bolivia e gastamos aproximadamente. 2.000,00 reais cada um. Porém, pegamos avião ida e volta entre La Paz e Santa Cruz, e também compramos vários cacarecos pelo caminho. Essa valor pode variar bastante dependendo do tipo de hospedagem que você escola e o tipo de locomoção. Mas uma viagem de 10 dias como a nossa pode ficar um valor bem abaixo desse que mencionei. Espero ter ajudado!! Qlq coisa só perguntar que tentarei responder! VLW
  13. No final da tarde de um sábado frio saímos de Três Lagoas, minha amiga Marjorie e eu em direção a Campo Grande/MS onde tudo começaria, cheios de expectativas do que seria a nossa viagem. Nosso ônibus sairia de Campo Grande as 23:59 com destino a Corumbá pela viação andorinha, (pagamos 117,00 reais cada) chegamos em Campo Grande com tempo por volta das 20:00 horas pois fomos de carona, então houve tempo para uma refeição digna de quem está iniciando uma aventura. Seguimos para a rodoviária por volta das 22:30 e lá esperamos pelo nosso ônibus. Chegamos em Corumbá as 6:00 horas da manhã pontualmente, porém perdemos o ônibus que nos levaria a fronteira que no domingo passa de 1 em 1 hora. Como não queríamos gastar com táxi o jeito foi esperar o próximo. (Para quem está indo e assim como nós não quer gastar muito dinheiro com táxi que cobra por volta de 50,00 reais para levar até a fronteira, pode optar por pegar o ônibus que saí da frente da rodoviária ele se chama Cristo Redentor, com ele você deve ir até o terminal e lá trocar pelo outro chamado Fronteira. Esse te levará até a Policia Federal). Chegamos na Polícia por volta das 7:30 da manhã do domingo, e tinha uma baita fila. Ficamos por volta de uma hora lá e então seguimos para a Imigração Boliviana. Essa sim demorou!! Ficamos lá por volta de umas 2:30 esperando a nossa vez. Apesar de termos levado nossas carteirinhas de vacinação internacional, eles não nos pediram para ver. (mas vale a pena levar pois a Interpol nos abordou 2 vezes e pediram para ver, mas isso eu conto mais para frente!! A dica aqui é, LEVE A SUA!). Seguimos então para a Terminal de Buses (Rodoviária) de Puerto Quijaro de táxi, e isso nos custou 30,00 bolivianos. A partir de agora os valores mencionados serão em bolivianos (a moeda de lá). Para converter é só dividir por 2!! pois trocamos nosso dinheiro na fronteira por um câmbio de 2 por 1. Antes de irmos viajar minha amiga e eu já tínhamos decidido em não ir pelo trem da morte e sim de ônibus pela comodidade e pelo tempo que gastaríamos para chegar até Santa Cruz. Resolvemos então comprar nossas passagens de ônibus Puerto Quijaro a Santa Cruz pela internet pelo site ticketsbolivia.com. Escolhemos a empresa Pioneira Trans Bolivia, e foi a pior escolha da vida. (NÃO COMPREM!) Existem na rodoviária muitas empresas de ônibus e nós inocentemente compramos antecipadamente pela internet pensando não haver muitas e tivemos problemas com essa empresa tanto na ida como na volta. Chegamos no Terminal de Puerto Quijarro por volta das 15:00 horas da tarde pois fomos almoçar e não estávamos com muita pressa pois nosso ônibus só sairia as 18:00 horas. Lá conhecemos alguns brasileiros e um mexicano que iriam pegar o mesmo ônibus e ficamos conversando até que a moça do guichê chega até nós e simplesmente diz que o ônibus não iria rodar pois havia quebrado. Nesse momento entramos em desespero. Havíamos pago as passagens (100 bolivianos cada) via cartão de crédito pela internet e no guichê não havia dinheiro para estorno. Depois de muitas ligações para a empresa e de sair do guichê por 25 minutos para buscar dinheiro a moça veio e nos devolveu o dinheiro, fomos rápido em uma das empresas da rodoviária e conseguimos comprar as 2 ultimas poltronas de um ônibus que sairia as 20:00 horas. (mais duas horas de espera) o jeito foi esperar tomando uma Paceña gelada. Por volta das 20:30 nosso ônibus saiu em direção a Santa Cruz e nós simplesmente apagamos. Nossa aventura só estava começando e nós já estávamos nos divertindo!! Continuando nossa história, chegamos a Santa Cruz (segunda cidade mais importante da Bolivia) por volta das 5 horas da manhã, e logo que descemos do ônibus já fomos surpreendidos por 2 policiais da Interpol Boliviana. Ainda estávamos com um pouco de sono, e nos assustamos muito com isso. Eles nos pediram todos os documentos e aqui vai uma dica super importante. (na fronteira, quando você passa pela policia boliviana eles carimbam seu passaporte e te dão um outro papel, uma espécie de formulário. Mesmo se você entrar só com o RG no pais eles vão te dar esse papel) é importantíssimo que você o guarde muito bem, pois foi com esse papel que eles encrencaram com uma moça que conhecemos no ônibus pois ela havia perdido o dela e eles começaram a fazer pressão nela dizendo que a deportariam, mas no final ela precisou pagar 100 bolivianos e eles a liberaram (mediante a propina). Santa Cruz é uma cidade muito amigável e muito bonita, a primeira impressão que tivemos na rodoviária horrível em que chegamos tinha ficado para trás. Pegamos um taxi é fomos direto para a plaza 24 de septiembre e tudo acontece praticamente em torno da praça que é onde está localizado a Catedral Basílica, a Casa do Governo, alguns museus, e vários bares e restaurantes, um deles onde mais gostamos foi o Irish Pub bem ao lado da praça. Nosso hostel ficava bem perto da praça cerca de 4 ou 5 quarteirões e era um hostel novíssimo, barato e o staff Manoel super atencioso e prestativo vou deixar o link AQUI, pois vale a pena se hospedar lá! A nossa janta foi numa pizzaria muito boa em Santa Cruz chamada La Bella Napolli, um lugar lindo e agradável, com uma pizza super saborosa. Gastamos lá um total de 160,00 bolivianos para dividir entre nós 2. Ficamos em Santa Cruz um dia e uma noite e no dia seguinte pegamos o nosso voo para La Paz. Como não tínhamos programado nada de ante mão, decidimos ir de avião pois o percurso entre Santa Cruz e La Paz é de aproximadamente 12 horas de ônibus enquanto que de avião é de apenas 1 hora. Compramos as passagens alí na hora mesmo e pagamos aproximadamente 500,00 bolivianos o que dá o valor de (250,00 reais aproximadamente). pela BOA – Boliviana de Aviación, é claro que de ônibus é mais barato, porém se você quer economizar um pouco mais, vale a pena ir no Terminal de Buses e comprar direto nos guichês, porém você pode fazer tudo online AQUI. correndo o mesmo risco que corri como conto no primeiro post desta série. Nossa chegada em La Paz foi aproximadamente as 9:15 da manhã e estava muito frio, estranhamos bastante nossa chegada na cidade pois estávamos numa temperatura de 30 graus em Santa Cruz e passamos para os 9 graus em uma hora, sem falar na altitude e do bendito “soroche” que nos fez ficar com bastante tontura. La Paz esta localizado a 3.660 metros de altitude acima do nível do mar, com uma população estimada em 2 087 597 habitantes. Lá está localizado a cede do governo boliviano apesar de não ser legalmente a capital do país. Chegamos a La Paz pela manhã e logo de cara ao descer do avião já sentimos a diferença de temperatura. Rapidamente puxamos nossos casacos da mochila e fomos pegar um táxi. Pegar um táxi na Bolivia é muito fácil, ainda mais no aeroporto, difícil mesmo é o transito (tenebroso) e para quem não está acostumado a desrespeitar as leis de transito pode se assustar um pouco. De cara os efeitos da altitude são um pouco de tontura e náuseas, que vão piorando conforme o tempo que se é exposto nesse meio. Porém, depois da primeira noite e de alguns chás de coca tudo parece bem melhor. Chegamos ao nosso hostel 1 hora depois de enfrentar aquele transito cabuloso e é claro que não poderíamos não escolher o Wild Rover para nos hospedar. É um hostel muito bacana, cheio de jovens, com uma comida muito boa e festas melhores ainda. Após fazer o check-in deixamos as nossas coisas em nosso quarto e fomos para a rua bater perna. Esse hostel está localizado bem próximo a Sede do Governo, da Praça Murillo, Catedral Metropolitana de La Paz e andando mais um pouco estamos na região da Igreja de São Francisco e do Mercado de las Brujas. Tudo isso possível de ser feito a pé, apesar das subidas bem íngremes. Bem ao lado da Igreja de São Francisco é uma rua muito comercial e ali é possível achar várias agências de turismo vendendo pacotes dos mais variados gostos. Pesquisando um pouco, decidimos que no dia seguinte iríamos conhecer o Chacaltaya que é uma montanha onde está a mais alta estação de esqui do mundo, porém desativada. E no outro dia iriamos fazer a famosa decida de bike pela montanha o Down Hill. Neste dia andamos bastante, e já começamos a comprar alguns dos presentes para o povo pidoncho!! (o almoço neste dia foi carne de lhama, é uma delícia e eu recomendo). Voltando ao hostel tomamos um banho e fomos para o pub que fica alí dentro mesmo. Conhecemos varias pessoas e eu ainda ganhei uma competição de quem comia doritos de pimenta sem usar as mãos mais rapidamente e de quebra ganhei uma camiseta exclusiva do hostel! sou foda!! =P Amanhecer com aquela ressaca que ninguém merece e ainda sentindo os efeitos da altitude foi foda, estava muito mal e o jeito foi tomar um chá de coca e mascar algumas folhas para ajudar. Seguimos para o Chacaltaya as 7 da manhã e subir aqueles 200 metros de ressaca foi a coisa mais difícil que já fiz na vida, valendo a pena cada paisagem que eu via pela frente. realmente uma experiencia única. A segunda parada do dia foi no Valle de la luna, um sitio arqueológico onde sua formação rochosa se parece com a lua. há boatos de que a transmissão da primeira expedição para a lua era falso e forjado, dizem que essa transmissão foi feita naquele local. De volta ao hostel ao final do dia, eu simplesmente tomei um banho, jantei e capotei! O dia seguinte foi o dia do Down Hill saímos do hostel por volta das 7 da manhã e o melhor é que as empresas mandam as vans nos pegarem na porta do hostel sendo bem comodo para nós. Chegando no local de partida, o guia nos explicou como seria o dia, como deveríamos proceder em caso de acidentes e para evitá-los e eu todo animado mal sabia que seria a maior adrenalina. Com certeza um dos melhores passeios que fiz até hoje valendo muito a pena realizar essa descida. De quebra no meio do caminho ainda parei para fazer uma descida de tirolesa e ao final fomos para um sitio aproveitar nosso almoço (incluso) e a piscina (mentira, estava frio)! De volta ao hostel, tomamos um banho e fomos sair para jantar num restaurante muito diferente, diferente mesmo, chamado 1700, muito peculiar para saber mais clique Aqui. Apesar da decoração bem underground sua comida é deliciosissisima (como diria o Chaves) e o menu claro que foi Lhama’s meat! O outro dia foi o dia de conhecer a famosa feira del alto. uma feira de rua onde você pode comprar de tudo, tudo mesmo! a preços muito baixos, jaquetas de frio muito boas por 70,00 bolivianos é de cair o queixo! (hora dos presentes)!! Aproveitamos bastante o dia na feira e a maravilhosa vista do bondinho vermelho que nos levou até lá, mas infelizmente a brincadeira estava acabando, e já era hora de partir. Saímos de lá e fomos ao Terminal de Buses achar a passagem mais barata que tinha para nos levar até Uyuni! As 20 hrs do mesmo dia estávamos prontos para embarcar para nossa próxima aventura. Uyuni nos esperava!! Bom, após deixarmos La Paz seguimos de ônibus (o mais barato que encontramos no terminal) com destino a Uyuni. Saímos por volta das 20 hrs e chegamos lá por volta das 4 da manhã num frio de arrepiar o pelos das costas. Sério tava muito frio! Se vocês vão nessa época do ano (julho) levem agasalhos! Entramos na primeira agencia que achamos ao descer do ônibus(já estavam abertos) e ali nos esquentamos um pouco com um fogareiro que estava ligado e um chá de coca bem quente! O pessoal foi muito simpático em nos receber (Tiago Tur). A priori minha amiga e eu iriamos fazer o tour de 3 dias, mas como já estávamos bem cansados de toda aventura, optamos por fazer o tour de 1 dia apenas o que nos saiu por 120,00 bolivianos. Uyuni está localizado no departamento de Potosí e no departamento de Oruro, no sudoeste da Bolívia, no altiplano andino, a 3.650m de altitude. O Salar de Uyuni. Com mais de 10.500 km², e estimados 10 bilhões de toneladas de sal, o salar é o maior deserto de sal do mundo. (wikipedia). Partimos as 10 da manhã em direção ao cemitério de trens. Eram locomotivas utilizadas no transporte de minério até a costa do pacífico, no início do século XX sendo hoje um lugar enorme com muitos vagões velhos que o pessoal adora tirar foto!!! 1 hora para fotografar, partimos em direção a um pequeno vilarejo com uma feira livre local e ali iríamos almoçar em seguida num restaurante com uma comida deliciosa (que já estava inclusa no pacote)! Saindo de lá, fomos em direção à imensidão do deserto de sal, (cara é realmente impressionante o tamanho daquele lugar!) Um verdadeiro deserto pois não se vê nada além do sal e das enormes montanhas no horizonte a quilômetros de distância. Depois de aproximadamente 1 hora de carro chegamos até o monumento construído para o Rally Dakar que passou pelo lugar em 2014, há também um restaurante e no local um hotel de sal (que não funciona mais) existe também o monumento das bandeiras (pausa para as fotos). Montamos no carro novamente e foi o momento de se enfiar (literalmente) no deserto de sal. Andamos como se não tivesse fim, ai andamos mais ainda. Então depois de termos andado muito, era hora de parar no meio do deserto para as famosas fotos de perspectiva. Todos pro carro novamente e nossa ultima parada do dia seria na Isla del Pescado ou Ilha do Pescado, Constitui-se numa pequena elevação de terra, cercada de sal por todos os lados. Em pleno salar, é um dos poucos pontos com alta concentração de seres vivos. Entre estes, destacam-se cactos com até dez metros de altura, com mais de 600 anos de idade (wikipedia). Nesse lugar você pode pagar em torno de 50 bolivianos e fazer um tour pela ilha ou apenas aproveitar algo no café que tem na entrada. Pausa de aproximadamente 1 hora e meia, e todos pro carro de novo para a volta na cidade. Com mais uma parada no meio do deserto para apreciar o mais bonito por do sol que já vi na vida! Após um dia super cansativo, era hora de voltar pra pegar o ônibus de volta a La Paz, mas como ainda tínhamos 2 horas fomos comer uma pizza na praça central da cidade onde há vários restaurantes. (Gente que pizza maravilhosa!). A volta pra La Paz e pra casa foi semelhante. Chegamos por volta das 4 da manhã em La Paz e fomos para um hotel descansar pois nosso voo que já estava comprado a 2 dias partiria só as 18 horas. Ali no hotel mesmo, preparamos a nossa volta. Reservamos o mesmo hostel da ida em Santa Cruz, e compramos todas as passagens de ônibus pela internet. Foram praticamente 2 dias a nossa viagem de volta, mas com uma sensação maravilhosa de dever cumprido. Jamais teremos uma experiencia como esta, então a lição que fica disso tudo é que devemos sempre valorizar nossa cultura e nosso povo, desapegando das coisas materiais e aproveitando mais esse mundo que Deus nos deixou de presente para ser explorado! É isso aí pessoal, É claro que o post dessa aventura ficou bem resumido então se vocês gostaram ou tem alguma duvida que não ficou claro no post deixem ai nos comentários que responderei pra vocês! Confira essa e outras aventuras lá no blog https://wordpress.com/view/aos30resolvimudar.wordpress.com assim vocês me dão uma força!!! VLW e até a próxima!
  14. estou planejando ir pra salta em julho e seu post me ajudou bastante. vou chegar a salta partindo do atacama. meio que o caminho inverso que você fez. tem alguma dica?
×