Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Maferezim

Membros
  • Total de itens

    10
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

3 Neutra

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Canela, Gramado, Nova Petrópolis, Porto Alegre, São Francisco de Paula, São Lourenço do Sul, Florianópolis, Curitiba, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa, Santos, São Paulo, Cabo Frio, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Alto Paraíso de Goiás, Maragogi, Olinda, Recife, João Pessoa, Natal, Colonia del Sacramento, Montevideo, Buenos Aires, La Plata, San Pedro de Atacama, Santiago, Valparaíso, Viña del Mar, Copacabana, Isla del Sol, La Paz, Potosí, Santa Cruz de la Sierra, Sucre, Uyuni.

Últimos Visitantes

153 visualizações
  1. Maferezim

    Uyuni para Lá Paz

    Fiz o trajeto de ônibus. Cheguei do Salar e fui até a rua da garagem dos ônibus (qualquer pessoa pode te indicar onde é, tudo o que importa em Uyuni fica muito perto). Ali, pesquisei algumas empresas e decidi pela mais barata, comprei na hora, deixei minha mochila para eles guardarem e fui comer algo e tomar uma cerveja enquanto não dava o horário do ônibus sair. Os ônibus são confortáveis sim, padrão melhor que os ônibus executivos aqui no Brasil - mas não são leito. Se você estiver viajando sozinha, esses ônibus têm uma fileira com duas poltronas e uma fileira com uma poltrona só, assim você pode viajar sem ninguém do seu lado. Tinha cobertor e as poltronas inclinam bem, deu para dormir tranquila.
  2. Maferezim

    Mil dólares para 17 noites na Bolívia. É suficiente? ME AJUDEM

    haha sem problemas! Mandei lá! Qualquer dúvida me avisa!
  3. Maferezim

    Mil dólares para 17 noites na Bolívia. É suficiente? ME AJUDEM

    @menezeslucas Claro! Mandei pra ti!
  4. Maferezim

    Mil dólares para 17 noites na Bolívia. É suficiente? ME AJUDEM

    @Marcella Gomes tenho sim! Se quiser me passa seu e-mail que te mando!
  5. Maferezim

    Mil dólares para 17 noites na Bolívia. É suficiente? ME AJUDEM

    @Arlindo Teixeira enviei o roteiro para seu e-mail! Como ele foi feito antes da viagem, então obviamente algumas coisas não deram certo - mas a maioria deu rsrs. Se tiver alguma dúvida, pode perguntar! Abraços!
  6. Maferezim

    BUENOS AIRES

    Olá! Há muita coisa legal para se fazer na cidade e nos arredores. Para uma primeira viagem, eu faria o básico do básico. Vou colocar tudo o que considero interessante para uma primeira visita, mas não sei se faz seu estilo de viagem, então pode ser que você não goste rsrs. A primeira dica é comprar o cartão SUBE, pois com ele é muito mais fácil andar de transporte público (é difícil conseguir moedas para pagar os ônibus, que não aceitam notas). Ele pode ser comprado nos guichês das estações de metrô ou nos kioscos (tem um a cada esquina). O preço oficial do SUBE é ARS 25. Aí é preciso carregar o cartão com créditos. Quanto mais se usar, mais baratas as passagens ficam. A passagem metrô custa ARS 7,50 ( o metrô funciona de segunda a sábado das 5h às 23h. Aos domingos e feriados, das 8h às 22h). A passagem ônibus custa entre ARS 6 a ARS 7 (os ônibus funcionam 24 horas por dia). Em relação aos passeios, começaria pela Plaza de Mayo. Além da praça em si, há vários prédios históricos ao seu redor, como El Cabildo (antiga sede da administração colonial), o antigo Palacio del Gobierno de la Ciudad de Buenos Aires, a Catedral Metropolitana, o Banco de la Nación Argentina e o principal edifício da praça, a Casa Rosada, que tem visitas guiadas gratuitas nos finais de semana e feriados, das 10h às 18h. As reservas devem ser feitas online aqui, com cerca de 15 dias de antecedência e há tours em português (sábados, domingos e feriados às 12h30 e 14h30). Anexo à Casa Rosada, há o Museo Casa Rosada com visitas gratuitas, das 10h às 18h, de quarta a domingo e feriados. Próximo à praça está o Café Tortoni, o mais antigo da cidade. Fundado em 1858, funciona no mesmo lugar desde 1880. Entre seus clientes estavam os escritores Jorge Luis Borges, Luigi Pirandello, Federico García Lorca e Julio Cortázar, o músico Arthur Rubinstein e o mítico Carlos Gardel. Lá tem espetáculos de tango - mais simples que os shows caros e suntuosos oferecidos por outros lugares - que na minha opinião fazem perder toda a essência do tango. Também iria à La Boca, o bairro mais antigo da cidade, casa de um dos mais icônicos times de futebol argentino, o Boca Juniors (ali que fica o La Bombonera, o estádio do time) e o famoso Caminito, uma ruela tortuosa, que foi transformada em um museu a céu aberto com 150m de comprimento, grande valor cultural e turístico, principalmente pela influência do tango. Na Feria de Artistas Plásticos de Caminito (diariamente, das 11h às 18h no inverno e das 11h às 20h no verão) há diversos artistas contemporâneos expondo e vendendo suas obras. Vá também à Plaza del Congreso, que possui um imponente monumento e à praça vizinha, a Mariano Moreno, que tem uma das réplicas originais de “O Pensador” do escultor francês Auguste Rodin. E não deixe de admirar, nem que for apenas por fora, o imponente Congreso Nacional, é o segundo maior edifício parlamentário do mundo. Ele também possui visitas guiadas gratuitas todas as segundas, terças, quintas e sextas, às 12h30. Deve-se chegar com 1h de antecedência. Você pode também dar uma caminhada pela Calle Florida, a rua que é o paraíso das compras em Buenos Aires. É nessa rua que estão as Galerias Pacifico, um dos centros comerciais mais frequentados da cidade. Não deixe de ir ao Obelisco, um dos maiores símbolos da cidade. Próximo a ele está o Teatro Colón, um dos teatros líricos mais importantes do mundo. Há visitas guiadas diariamente, das 9h às 17h (ARS 300) e também é possível comprar ingresso para algum espetáculo que esteja em cartaz. Num domingo, não deixe de ir à Plaza Dorrego. Aos domingos é onde ocorre a feira de antiguidades de San Telmo, muito famosa e cheia de coisas no mínimo interessantes. Após a feira, dá para ir ao Mercado de San Telmo, ali se encontra de tudo, de antiguidades a cafés exclusivos (de terça a sexta das 10h30 às 19h30, sábados, domingos e feriados das 9h às 20h). Visite também o Puerto Madero, bairro de ruas com nomes de mulheres destaques e do metro quadrado mais caro da cidade. Lá fica a Puente de la Mujer, a única obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava na América Latina e o Buque Museo Fragata Sarmiento - um museu dentro de um navio (funciona de segunda a domingo, das 10h às 19h, a entrada é ARS 10). Não deixe de perambular pelo bairro da Recoleta, um dos mais elegantes de Buenos Aires e ótimo para passear a pé. O Cementerio de la Recoleta parece mais um museu, cheio de mausoléus suntuosos. Lá estão enterrados, além de Eva Perón (em um mausoléu simples, mas com certeza o mais visitado), presidentes, escritores, prêmios Nobel, militares, políticos, atletas. Ao lado do cemitério está a Basílica Nuestra Señora del Pilar que permite visitas a um pequeno museu e claustros dos monges (ARS 25). Próximo também está o Malba, ou Museo de Arte Latinoamericano, um dos mais interessantes da cidade. É no Malba que está exposto o Abaporu, de Tarsila do Amaral (ARS 120, às quartas o preço é ARS 60 - funciona de quinta a segunda, das 12h às 20 e às quartas, das 12h às 21h). Na Recoleta também está a Floralis Genérica, imponente escultura de 23m de altura e 18 toneladas, doada à cidade por seu autor, o arquiteto argentino Eduardo Catalano. Representa todas as flores do mundo e suas pétalas voltadas para o céu se abrem às 7h30 e se fecham às 20h30 - só não sei se ela está funcionando, pois passou muito tempo quebrada, embora tenha sido consertada há alguns anos. Se puder, visite também Palermo, o maior bairro da cidade. Ele se divide em diversos sub-bairros como Palermo Hollywood, Palermo Soho, Palermo Viejo, Palermo Chico, Palermo Botânico, Las Cañitas. Atualmente é considerado o melhor pólo gastronômico, cultural e artístico de Buenos Aires. Ali estão os Bosques de Palermo, que abriga diversos parques diferentes, como o Jardim Botânico, o Planetário Galileu Galilei, o Hipódromo de Palermo, o Rosedal e o Jardim Japonês. Desculpe pelo post longo, espero ter ajudado!
  7. Maferezim

    Mil dólares para 17 noites na Bolívia. É suficiente? ME AJUDEM

    Boa tarde! Eu levei exatamente essa quantia quando fui. Fiquei 20 dias e o dinheiro deu sim. Só saquei um pouco mais lá porque quis comprar alguns souvenires para trazer ao Brasil. Ao levar seu dólares, prefira notas de 20 para cima, as casas de câmbio pagam menos para notas menores. Também não costumam aceitar notas velhas, acabei trazendo 15 dólares de volta em notas de 5 e 1 porque não aceitaram alegando que estavam muito gastas. Mas tudo realmente depende do seu estilo de viagem. Eu fiquei em hostels, em quartos compartilhados (exceto em Copacabana e na Isla del Sol, mas só porque consegui quarto privado pelo mesmo preço do compartilhado). Sempre tomava o café da manhã no hostel (quando estava incluso) para economizar um pouco com alimentação. Indico os seguintes hostels: La Paz: Loki Hostel; Sucre: The Beehive Project; Potosí: Hostel Casa Blanca; Copacabana: Hostal Florencia; Uyuni: Hostal Reina del Salar. Fiz os passeios que podia por conta própria e só contratei agência quando realmente era preciso, como para o Salar de Uyuni, a mina de prata em Potosí, o Monte Chacaltaya e Sítio Arqueológico de Tiwanaku (esse último mais por causa da importância de um guia para entender sobre essa civilização). Se for usar táxis, sempre combine o preço antes com o motorista, pois lá os táxis não possuem taxímetro e se não combinar antes eles vão querer cobrar o preço que bem entenderem. As vans coletivas (usadas quase que exclusivamente por bolivianos) são uma boa opção para quando for fazer passeios mais distantes, mas elas só saem quando lota, então pode demorar um pouco. Ônibus são muito baratos. Se quiser, tenho um roteiro bastante detalhado da minha viagem e posso te mandar. Uma boa viagem para você, com certeza vai amar a Bolívia!
  8. Maferezim

    Santiago + Atacama em Novembro/2018

    @mixellett no Atacama faz bastante frio e venta muito, recomendo uma segunda pele e um casaco corta vento (além de gorro, cachecol e luvas). Nos Gêiseres del Tatio peguei temperatura de -15º e literalmente congelei. É bom se vestir em camadas, porque ao longo do dia as temperaturas vão aumentando e você vai ter que tirar alguma peça de roupa. Eu fiz todos os passeios com a Colque Tours - exceto o Tour Astronômico que fiz com a Space (recomendadíssimo!). A maioria dos tours foi maravilhosa, mas teve um apenas ok e outro muito ruim, tudo por causa do guia - pois é ele quem vai fazer sua experiência ser única. A agência pode ser ótima, mas se algum guia não for, você vai ter um passeio péssimo. Reclamamos desse guia ruim e ele não foi escalado para nenhum dos outros tours que fizemos (ufa!). O melhor guia que tive foi um italiano que mora há mais de 20 anos no Atacama, chamado Gino. Ele nos levou a lugares que os outros tours não passavam, contava ótimas histórias e era muito engraçado e isso fez toda a diferença. Não sei se ele ainda está na Colque Tours, mas vale muito a pena procurar por ele, principalmente para o tour do Salar de Tara, no qual ele é expert. Se você fechar todos os tours com uma mesma agência pode pechinchar que com certeza vai conseguir desconto. Espero ter ajudado!
  9. @gabylanes eu fiz o trajeto em 2016. Escolhi o trem justamente pelo imaginário em torno dele, por ser o "trem da morte". Ele demora bem mais que o ônibus. O ônibus de Puerto Quijarro (fronteira com Corumbá-MS) demora em torno de 10h para chegar a Santa Cruz, enquanto o trem (Expreso Oriental - o mais em conta, que custa 100 bolivianos) demora em torno de 17h. Você pode ver os horários e tarifas dos trens nesse link: http://www.fo.com.bo/SERVICIOS/Pasajeros/SitePages/TarifasItinerarios.aspx
  10. Maferezim

    Alguém voou recentemente com a BOA (Boliviana de Aviación )?

    Fiz o trajeto Santa Cruz-Sucre no fim de 2016 com a BOA e não tive nenhum problema. O voo saiu no horário, a aeronave estava em boas condições, o atendimento foi ok. O voo é rápido e as paisagens vistas do alto são incríveis!
×