Ir para conteúdo

234234

Membros
  • Total de itens

    355
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    13

Tudo que 234234 postou

  1. Tem um potencial problema nesta parte. Os voos de Recife para Lisboa costumam chegar meio tarde em Lisboa, perto do almoço, e como seriam voos separados, você teria que deixar pelo menos umas 4 ou 5 horas de intervalo entre os voos, para que você tenha tempo para passar na imigração que costuma ter filas imensas em Lisboa, retirar bagagem, sair para a área pública, fazer um novo check-in, despachar bagagem, passar no raio-x e chegar a tempo do embarque do voo para Toulouse e ainda ter um mínimo de folga para um eventual atraso na chegada em Lisboa. A pergunta é, vai ter voo para Toulouse com intervalo de no mínimo 5 horas entre a sua chegada em Lisboa e a partida para Toulouse, que não seja muto caro, e o voo chega lá em Toulouse num horário decente? Onde você não precisa gastar 30 ou 40 euros de táxi de madrugado do aeroporto até o centro? Pessoalmente eu acho que 3 dias é mais que suficiente, mas isto depende dos seus interesses, por exemplo, se quiser visitar a fabrica da Airbus e museu aeronáutico, vai quase um dia inteiro só para isto. Eu não gosto de Airbnb, geralmente é longe, muitas vezes os horários de check-in e check-out são bem limitados, você não costuma poder chegar a qualquer horário, tem que combinar com o proprietário horário para entregar e pegar chaves, horários que muitas vezes não batem com os seus planos, etc... Alem de o modelo de negócio do airbnb ser baseado em sonegação de impostos, e não agregar nada para a maioria das cidades onde opera, só faz o preço dos aluguéis para moradores subir, por que ao invés de alugar por mês a um morador local, o proprietário prefere alugar por dia para turistas, cobrando 4 vezes mais caro, então por motivos éticos, pessoalmente eu só uso se não tiver outra opção viável. Mas cada um faz o que achar melhor, e se você achar válido, sem problema. Eu estou meio em dúvida se Avignon e Arles não ficariam mais fáceis a partir de Montpelier, você teria que dar uma olhada nos horários e preços dos trens, mas a diferença deve ser pouca. Como toda cidade grande, Marselha tem um monte de problemas, criminalidade, furtos em áreas muito movimentadas, etc... Mas sendo sincero e realista, infelizmente comparando com a criminalidade que temos em qualquer capital brasileira, Marselha é praticamente um oásis de segurança. É possível, mas Mont Saint Michel fica meio longe de Paris para um bate-volta, e é caro, custa 54 Euros só de passagens de trem para ir e volta a MSM, fora os ingressos de lá. Se quiser visitar MSM, eu recomendaria ficar uns 3 ou 4 dias na região e explorar a partir de lá, aproveitando para visitar alguns locais no Vale do Loire. Já conhece a Itália ou Espanha? Dá para fazer um roteiro bem interessante pela Itália e Espanha nestes 15 dias restantes. Ou você prefere ficar na França? Só uma observação, julho pode ser absurdamente quente no sul da França, Espanha e Itália, com temperaturas podendo chegar na casa dos 35ºC ou 40ºC e muito seco, o que pode atrapalhar um pouco algumas atividades e causar algum desconforto.
  2. A distribuição dos dias está relativamente boa, não teria muito o que mudar, só vou colocar algumas observações pontuais a respeito de alguns locais para você pensar e avaliar. Roma: 5 Dias OK, uma vez que o Vaticano consome 1 dia inteiro ou 2 dias dependendo do seu ritmo. Veneza: A cidade é relativamente pequena, e compacta, e cara, a maioria das pessoas acaba não ficando tanto tempo, mas se você for descontar meio dia para chegar lá e se acomodar, 3 dias dá para fazer tudo com bastante calma. Florença: Idem a Veneza, a cidade não é tão grande, a maioria das pessoas fica só 2 dias, mas se for descontar meio dia de deslocamento para chegar lá, dá para fazer tudo com bastante calma. Milão: É uma cidade meio polêmica, e sem graça, principalmente se for comparar com Veneza, Florença e Roma, e a maioria das pessoas volta meio desapontada com Milão, principalmente se deixar paro final da viagem, depois de você já ter visto um monte de locais muito mais interessantes, então é recomendável colocar ela meio no começo da viagem, para que as coisas ainda sejam novidade. A maioria das pessoas também não costuma ficar mais que 1 dia ou no máximo 2 dias em Milão, então se você não tiver nenhum interesse específico por lá, e se não quiser fazer nenhum bate-volta as cidades próximas, avalie bem se precisa realmente de tanto tempo em Milão, eu pensaria seriamente em passar 1 dia de Milão para a Costa Amalfitana pela dificuldade logística de se chegar e sair desta última. O restante estaria OK, sem nada a acrescentar ou mudar.
  3. O voo de vocês chega por qual cidade e o voo de volta é por qual cidade? Pelo que eu entendi, vocês vão viajar daqui a 3 semanas, mas você ainda não definiu a ordem das cidades? E por consequência também não fez as reservas de hospedagem e comprou as passagens dos trens? Ou pretende fazer tudo com carro alugado? Não faça as coisas na correria e desespero, sem pensar direito, mas é muito recomendável que você agilize esta parte, por que de agora em diante, faltando menos de 30 dias para a viagem, os preços dos hotéis e trens só aumentam dia após dia, mesmo sendo baixa temporada. Por exemplo, o trem entre Roma e Florença, se você comprar hoje para viajar daqui a 3 semanas, custa em torno de 30 euros, se deixar para comprar no dia, ou 1 ou 2 dias antes, irá custar 40 ou 50 Euros, e se tivesse comprado 60 ou 90 dias antes, teria custado 19 euros. E o mesmo se aplica em vários outros trajetos que vocês terão que fazer. E se a ideia é pegar um carro alugado, saiba que ele é meio inútil em cidades grandes como Roma, Florença, Milão e Veneza, o transito é horrível, as ruas estreitas, não tem onde estacionar, e os estacionamentos caros, a maior parte do centro que é onde ficam as atrações turística é somente para pedestres, você acaba deixando o carro parado o dia inteiro num estacionamento caro enquanto faz as coisas a pé. Então se for pegar carro, eu pegaria só em partes bem pontuais do roteiro, com na parte onde onde você vai a Cinque Terre, Pisa/Lucca, Siena e San Gimignano e depois novamente quando você for a Costa Amalfi. A mesma coisa em relação aos hotéis, quanto mais próximo da data, mais caras costumam ser as diárias, e se não tiver reservado nada antecipado, você corre o risco de só achar locais ruins e caros, ou então perder praticamente um dia inteiro em cada cidade correndo atrás de hotel que não seja muito ruim e que caiba no seu orçamento.
  4. Tem certeza que sobram 2 ou 3 dias? Não esqueça que o dia 1 não conta, por que é o dia de saída do Brasil, e como a maioria dos voos chega na Europa no dia seguinte após o almoço, até você passar na imigração, ir até o centro, achar o hotel e fazer check-in, geralmente já é final da tarde e vocês estarão mortas de sono e cansaço da noite em claro no avião, ou seja, e o dia 2 também costuma ser um dia perdido. E no dia da volta, dependendo do horário do voo de vocês, também será um dia praticamente perdido, pois 4 ou 5 horas antes do horário do voo você tem que largar tudo o que estava fazendo e começar a se mexer para ir ao aeroporto, então pode ser outro dia meio perdido, e você perdeu 3 dias de viagem só em função dos aeroportos e chegar lá. Tem outro detalhe, Costa Amalfitana fica meio fora de mão, se não estiver com carro alugado, você tem que primeiro ir até Nápoles, lá pega um trem até Sorento, onde finalmente você pega um ônibus para as cidades da Costa Amalfitana propriamente ditas. E contando o tempo de viagem no trem, o tempo de espera nas baldeações dos trens/ônibus, achar hotel e fazer check-in, você vai gastar quase um dia inteiro para chegar lá na Costa Amalfitana e se acomodar no hotel e outro dia para ir embora de lá. Então na verdade, provavelmente você terá que pensar em qual cidade cortar 1 ou 2 dias, para acomodar este tempo perdido nos deslocamentos, e não em incluir mais locais.
  5. Já pensou no fato de que pode chover? E se você tiver comprado os ingressos antecipados da Torre Eiffel e Louvre, pode acontecer de você ter que encarrar a visita a Torre Eiffel, um lugar ao ar livre, debaixo de chuva, frio e vento gelado o que é horrível, por que já tem ingresso comprado para aquele dia, e no dia seguinte, quando estiver fazendo um lindo dia de sol, você passar o dia inteiro enfurnada no Louvre, sem nem ver o sol... Ou então você ter comprado o ingresso para a Capela Sistina num dia de sol e "escaldantes" 20ºC e no dia seguinte, quando você querer visitar o Coliseu e Fórum estar chovendo e você ter que fazer tudo debaixo de chuva, uma vez que são ao ar livre... Então viajando no inverno, pessoalmente eu recomendo comprar a maioria dos passeios lá na hora mesmo, ajustando a programação de acordo com a previsão do tempo, e só comprar antecipado aqueles locais que realmente precisarem ser comprados antecipados, como por exemplo Galeria Borghese em Roma. Vai lhe custar algum tempo esperando nas filas, mas no inverno eu ainda acho melhor perder algum tempo na fila, do que arriscar ter que encarrar frio e chuva por que você comprou ingresso antecipado justo no único dia de chuva.
  6. Isto depende muito da cada pessoa e de onde você vem, os Suecos diriam para levar biquíni, por que para eles vai estar quente, mas o pessoal de Manaus diria que tem levar 10 casacos, pois para eles vai estar super frio! kkkk Nesta época do ano as temperaturas em Roma e Barcelona costumam ficar entre 10ºC de manhã cedo e 20ºC no meio da tarde, em Veneza e Paris é um pouco mais frio, de manhã cedo costuma fazer 5ºC e uns 15ºC no meio da tarde. Mas também é comum ter uma massa de ar polar meio adiantada e derrubar as temperaturas para abaixo de zero, principalmente da segunda quinzena de novembro em diante. Então você tem que levar roupa para encarrar 0ºC, um bom casado forrado, daqueles que você fica parecendo o bonequinho da Michelin é vital, e usar a estratégia das camadas, para pode ir tirando ou acrescentando camadas de roupa conforme a variação de temperatura do dia. Uma camiseta/blusa fininha de mangas longas por baixo, uma blusa de lã ou moleton, e por cima de tudo o casaco forrado, e uma legging ou pijama por baixo dos jeans. Não pode esquecer de levar um tênis/sapato fechado, onde não entre água e vento gelado tão facilmente, não precisa ser impermeável, mas um que seja mais fechado e não um daqueles tênis de corrida, que deixa passar todo o vento e água, pois não tem nada pior que ficar o dia todo com pé molhado e gelado, pegue um número maior, para que você possa usar 2 pares de meia se achar que está muito frio. E claro, meias de algodão ou lã de cano longo, nada daquelas meia "invisíveis" ou cano curto, o vento vai congelar as suas canelas, luvas, cachecol e gorro para proteger as orelhas do frio. Previsão do tempo: Roma: https://www.accuweather.com/en/it/rome/213490/month/213490?monyr=11/01/2018 Veneza: https://www.accuweather.com/en/it/venice/216711/month/216711?monyr=11/01/2018 Paris: https://www.accuweather.com/en/fr/paris/623/month/623?monyr=11/01/2018 Barcelona: https://www.accuweather.com/en/fr/paris/623/month/623?monyr=11/01/2018
  7. Eu deixaria um bate-volta a Brugges como carta na manga, para o caso de você achar que já viu e fez quase "tudo" nos dias 12 e 13, ai no dia 14 você pega o trem para Brugges e passa o dia lá e volta a noitinha para Bruxelas É 1h de trem para ir e outra 1h para voltar, cada trecho custa uns 15 Euros se não me engano, dá para comprar as passagens lá na hora por que é um trem regional.
  8. Se você quiser, você faz tudo isto em um único dia e sobra tempo... rss Manneken Pis é ir lá, tirar 2 fotos e ir embora, você não gasta 5 minutos, o Palácio Real, para quem vem de Paris e visitou Versailles, vai ser meio brochante, então é ir lá, tirar 2 ou 3 fotos e ir embora, também não vai mais que 10 minutos, o Brussels Park idem, não leva mais que 10 minutos, Galeries Royales Saint-Hubert se você não for do tipo que fica olhando vitrine ou se não tiver dinheiro para comprar nada lá nas lojas caras, também é só atravessar e em 5 minutos está "resolvido"... Não vi o Parc du Cinquantenaire, ele rende boas fotos... Mas Bruxelas fica interessante quando você senta num restaurante pede uma cerveja trapista e algo para comer ou beliscar e fica vendo o movimento, apreciando a boa comida e cerveja, ai você lvanta evai dar uma volta para queimar as calorias e álcool, até achar uma lojinha vendendo wafles, chocolates, outra cerveja trapista, rsss Mas se este tipo de programa não for muito a sua praia, você pode acabar meio frustrado com Bruxelas, como eu fiquei na primeira vez que estive lá a uns 13 anos atras, quando eu era bem mais novo e este tipo de coisa não me interessava nenhum um pouco, e quando eu também não tinha dinheiro para nada isto, kkkkk Ano passado, 13 anos depois, voltei a Bruxelas, mas com uma nova abordagem, para apreciar a boa comida e cerveja, e desta vez eu gostei muito da cidade, ficou sendo uma das minhas preferidas. Na tarde do segundo dia e último dia em Bruxelas, estávamos sentados eu e minha esposa num café tomando uma cerveja, nisto chegou um senhor já idoso que aparentava ser cliente habitual do local, mas como todas as mesas estavam ocupadas, e a nossa era uma mesa de 6 lugares, oferecemos um lugar para ele sentar, conversa vai, conversa vem, descobrimos que ele era um escritor belga, não lembro o nome de cabeça agora, com vários livros publicados, ficamos lá umas 3 horas só conversando e tomando cerveja...
  9. Sugestões de leitura para vocês mesmas conseguirem escolher um roteiro do que visitar em cada país: Irlanda: https://www.google.com.br/search?q=roteiro+5+dias+irlanda Escócia: https://www.google.com.br/search?q=roteiro+5+dias+escocia Itália: https://www.google.com.br/search?q=roteiro+10+dias+italia
  10. O ideal seria entrar por Veneza ou Roma e sair por Dublin, ou ao contrário, entrando por Dublin e saindo por Veneza ou Roma. Mas pode ser que nos dias que vocês podem viajar as passagens para estes locais estejam absurdamente caras e em compensação passagens para Madrid estejam bem mais baratas. Fazendo algumas contas e simulações, você pode chegar a conclusão que pegar um voo até Madrid, passar 1 ou 2 dias em Madrid e pegar um voo low-cost separado para Dublin, visitar a irlanda, ir para a Escócia, visitar a Escócia e pegar um voo low-cost separado de volta a Madrid, seja muito mais barato do que entre e sair pela Irlanda/Itália. Ou seja, por onde entrar e sair vai depender dos preços das passagens que você encontrar, se o preço das passagens não importa, entre por Dublin e saia por Veneza ou ao contrário, mas se o preço importar, vocês vão ter que ter muuuuuita paciência, sentar e pesquisar e simular um monte de combinações possíveis até achar uma que caiba no seu orçamento. Só não esqueça que se você escolher alguma outra cidade para entrar e sair, vocês terão que pagar a parte um voo desta cidade até Irlanda/Escócia/Itália e depois de volta até esta cidade, facilmente isto lhes custa R$ 300 ou R$ 400 adicionais, alem de fazer vocês "perder" 2 ou 3 dias dó já pouco tempo disponível. Então para valar a pena chegar e voltar por uma outra cidade, a passagem tem que ser pelo menos uns R$ 500 mais barato do que entrar por Dublin e voltar pela Itália ou vice-versa.
  11. Depende exatamente do que vocês queiram fazer em cada um destes países, mas por exemplo só passando pelos 3 "clássicos" italianos (Roma, Florença e Veneza) você precisaria de pelo nenos 8 ou 9 dias. Ai se ficar uns 5 ou 6 dias na Irlanda, para poder ir a algumas cidades do interior alem de Dublin, mais uns 5 ou 6 dias na Escócia, para ver algo a mais do que Edinburgh, já totaliza 18 ou 20 dias. Lembre que o dia da saída do Brasil não conta como dia aproveitável, a maioria dos voos chega na Europa só a tarde do dia seguinte, então o dia da chegada lá também não conta, e o dia da volta também geralmente é um dia meio perdido, pois dependendo do horário do voo de vocês, não sobra tempo para nada neste dia. Então tem que planejar bem, para que a viagem de vocês caiba nestes 17 dias líquidos que vocês teriam. Mas tem um porem, julho é alta temporada, e as passagens já são bem caras, e se vocês ainda insistirem em viajar a qualquer custo no sábado, primeiro dia de férias, e voltar no domingo, último dia de férias, as passagens podem ser mais caras ainda!!! E eu não me surpreenderia se uma passagem nestas condições custar 5 ou 6 mil reais. Estes dias costumam ter passagens mais caras, muitas vezes viajar 2 ou 3 dias depois, por exemplo sair do Brasil numa terça-feira e voltar numa quinta-feira resulta em passagens muuuito mais baratas, as vezes a diferença é de 2 mil reais ou mais só nas passagens quando se pega estes dias menos movimentados. O que eu quero dizer com isto, é que o tempo de vocês é apertado, vocês vão viajar na época mais cara do ano, e por causa disto o preço das passagens passagens podem tornar a viagem inviável, então eu sugiro que vocês estejam abertas a ideia de diminuir o número de dias de viagem e a quantidade de países para somente 2 países caso as passagens nos dias das suas férias estejam muito caras, fazendo isto, muitas vezes você consegue economizar um monte de dinheiro, as vezes quase o suficiente para uma outra passagem em janeiro, na baixa temporada...
  12. Exato! Tem mais isto ainda. Sem uma passagem de volta, muto provavelmente você terá que gastar muita saliva para tentar convencer o pessoal da companhia aérea a lhe deixar embarcar, por que se você for barrada no aeroporto por não ter passagem indo embora da Europa, não importa para onde seja, desde que seja indo embora, geralmente recai sobre a companhia aérea que lhe levou até lá, o custo lhe trazer de volta, alem de ela poder ser multada.
  13. Os berlinenses nativos estão putos da vida com a onda de estrangeiros que "invadiu" a cidade na última década, segundo estatísticas oficiais, 30% da população de Berlin é de estrangeiros e se for contar os alemães não nascidos em Berlin a quantidade de "forasteiros" passou de 30% para 60% da população de Berlin. Esta invasão de forasteiros está causando vários problemas, como por exemplo uma disparada dos aluguéis, e do custo de vida, e isto está causando muito descontentamento entre a população menos favorecida e esclarecida. Os berlinenes também estão descontentes com o fato de esta invasão de turistas estar "destruindo" o seu modo de vida, um barzinho que que era sossegado, onde o cara ia tomar a sua cervejinha calmamente, de repente sai num guia de viagens qualquer e na semana seguinte está lotado de turistas asiáticos e americanos mal educados... Além disto, historicamente sempre que tem-se algum tipo de crise, aumenta o nacionalismo, o xenofobismo e o extremismo de direita. Infelizmente isto não é um problema só de Berlin ou da Alemanha, a Itália, Hungria, Polônia, Holanda, Catalunha, Reino Unido, Eslovênia, Austria, Rep Tcheca, EUA, etc estão passando pelo mesmo. Sem querer entrar em uma discussão política, e também não vou responder a nada relacionado a política, até mesmo no Brasil estamos sofrendo disto, em condições normais, um Bolsonaro da vida, um nacionalista xenófobo de direita com tendências fascistas, nunca estaria liderando pesquisas eleitorais para presidência. Inclusive tem relatos nos últimos meses de algumas agressões grupos anarquistas contra estrangeiros em Barcelona, Budapeste, Amsterdam Dresden e Veneza, não foram em áreas turísticas, mas sim em áreas de periferia. Só espero que esta fase passe logo, e não piore e voltemos a fase que o mundo viveu nos anos 70, com governos autoritários em vários países, algumas vezes eleitos democraticamente, e que tiveram consequências terríveis na maioria dos casos, mas que a maioria das pessoas parece ter esquecido.
  14. Uma outra novidade que saiu na mídia alemã de ontem para hoje, é que o novo governo italiano (nacionalista de direita), desistiu de vender a Alitalia nas atuais condições. Agora os planos seriam estatizar novamente a empresa, com o governo assumindo a empresa e vendendo uma participação minoritária para investidores, inclusive uma delegação do governo italiano estaria na China tentando convencer alguns investidores a comprar uma participação minoritária na empresa. Em resumo, a mesma novela de sempre, a Alitalia já foi a falência várias vezes, sempre o governo italiano enfiou algumas centenas de milhões de Euros na Alitalia, convenceram um incauto a entrar de sócio no negócio e também investir algumas centenas de milhões de dólares com a promessa de que desta vez a coisa vai, mas como é quase "estatal", um grade cabide de empregos e ineficiência, ninguém nunca resolve os problemas, e alguns anos depois a Alitalia está novamente a beira da falência, e a novela começa de novo... Em fim, está acontecendo bem aquilo que foi comentado a alguns comentários atras, quando a água chegar no pescoço, o governo italiano desperdiça mais alguns milhões e garante mais alguns anos de sobrevida a empresa, sem nunca resolver os problemas dela, por coisas assim que o governo da Itália também sempre vive a beira da falência...
  15. Delta + Air France + Alitialia + Virgin tem uma joint-venture, consorcio de empresas para comercializar e operar algumas rotas de forma compartilhada, dividindo os custos e receitas. Então em alguns aeroportos estas 4 empresas utilizam a mesma empresa terceirizada para realizar todo o atendimento, as vezes até nos mesmos balções de check-in, eles só mudam o logotipo da empresa no monitor, e as vezes nem mudam os papéis da impressora, então é comum você pegar um voo da Delta com cartão de embarque impresso num papel da Air France e assim por diante. Mas procurando nas notícias recentes aqui na Alemanha, saiu uma reportagem de que a Air France/Delta desistiram de disputar a compra da Alitalia e estariam encerrando a joint-venture com a Alitalia nas próximas semanas por que a Alitalia não estaria conseguindo realizar os investimos programados na joint-venture.
  16. Eu também acho que não deve desistir não, como falamos, você vai ter um pouquinho de dificuldades em alguns momentos, gastar um pouquinho mais, mas se você se preparar bem antes de viajar, você consegue se virar lá sem grandes problemas. Mas se mesmo assim você não se sentir confiante para ir a Paris, mas quiser visitar outro país, pense em Madrid. Madrid não tem o charme e fama de Paris, mas também é uma ótima cidade para se visitar, e em Madrid você consegue se virar relativamente bem falando só português, a maioria dos espanhóis entende o português sem problemas.
  17. Não é bem assim, só chegar lá e pedir para renovar para mais 90 dias, você tem que ter uma boa justificativa para que a renovação seja concedida, e tem que ser pedida com boa antecedência, se deixar para pedir faltando menos de 30 dias, as chances de ser negado são grandes. Justificativas que costumam ser aceitas são: tratamento médico, acompanhamento de familiar em tratamento, término de cursos de curta duração, etc, mas precisa ter como comprovar isto. Se o motivo da prorrogação for só turismo, geralmente ela não é concedida.
  18. Isto depende de cada companhia aérea, cada companhia aérea tem regras diferentes. Em algumas você pode levar uma mala/mochila de até 10 Kg e medindo 55 cm x 35 cm x 25 cm mais uma outra bagagem menor, como uma bolsa de criança. Mas em outras companhias aéreas, só pode levar um único volume, e em algumas o único volume tem que ser pequeno, de no máximo 5 Kg... Então você tem que verificar os limites exatos em cada companhia aérea com que for viajar, geralmente eles tem estas informações no site.
  19. Em resumo a regra diz que você pode ficar no máximo 90 dias a cada 180 dias. Então se você já ficou 90 dias em Portugal, tem que ficar no mínimo 90 dias fora antes de voltar. E não basta ir a Espanha, você tem que ficar 90 dias fora de qualquer país que seja membro do Tratado de Schengen, pois os 90 dias não só para cada país, mas sim para todos eles. Mas se ainda você não ficou 90 dias acumulados nos 180 dias anterior, pode voltar a qualquer momento, desde que a soma de dias nunca ultrapasse 90 dias nos últimos 180 dias.
  20. Pelo que eu entendi, então Londres, Oslo e Lisboa seria só para conexão de voos? Cada trecho será comprado separado? Vale a pena todo este pinga-pinga? Já pensou que o primeiro voo deste pinga-pinga todo pode ser cancelado e o próximo voo com vagas que conseguirem encaixar você for só 2 dias depois, ou então o atrasar um monte, umas 5 ou 6 horas, e você perder o segundo e terceiro voos e colocar tudo a perder caso tenha comprado cada trecho separado e com pouco intervalo entre eles Avalei bem os riscos de um pinga-pinga destes, muitas vezes acaba em furada, principalmente se for com pouco intervalo entre os voos.
  21. A passagem até o Japão costuma ser cara pra caramba, tem toda a burocracia para tirar o visto, você gasta 2 dias de viagem para chegar lá e outros 2 dias para voltar Então a maioria das pessoas simplesmente acha que é muito dinheiro e esforço para ficar só 7 dias, e acaba ficando mais tempo no japão, ficando pelo menos uns 12 ou 14 dias para fazer valer a pena a montanha de dinheiro gasto e todo o esforço para chegar lá no Japão. Sim, precisa tirar visto para a Correia do Sul, e também precisa tirar visto para o Japão. Cara isto varia muito muito, depende muito do que você for comer, mas no Japão a comida no geral é cara, se não me engano, eu gastei o equivalente a uns 40 Dólares por dia só com alimentação, e eu fui em locais caros não.
  22. Se você não está satisfeita com o seu emprego e vida atual, você tem que mudar, achar outra coisa para fazer, neste ponto você está certa. Mas fazer mestrado, e ainda mais no exterior, não é como se inscrever num cursinho de inglês, onde você só precisa fazer a matricula e pagar o boleto, tem um monte de coisas para você pensar antes de decidir fazer um mestrado no exterior. Você já foi aprovada num programa de mestrado em Portugal? Está participando de algum programa de iniciação científica da sua universidade? Está participando de algum projeto de pesquisa da universidade? Tem algum projeto de pesquisa ou área de pesquisa em mente? Já sabe quais universidades tem mestrado na sua área de interesse? Tem como se sustentar lá? Tem como pagar pelas aulas do mestrado, que geralmente não são de graça para estrangeiros? Tem alguma bolsa de estudos? Tem algum professor da sua universidade que possa escrever uma carta de recomendações, explicando por que você seria um bom candidato para o mestrado? Pergunto isto, por que quando eu fui fazer o meu mestrado na Alemanha, eu fiz a inscrição numa universidade, fui aprovado mas não consegui bolsa de estudos, e eu não tinha condições de pagar 10.000 Euros por ano de anuidade da universidade + 400 Euros por mês de aluguel, comida e transporte. Tive que desistir do primeiro mestrado, por que seria impossível trabalhar e ainda estudar para o mestrado, fiquei mais 2 anos no Brasil, trabalhando meio período juntando dinheiro e estudando inglês e alemão (na maioria dos mestrados precisa ser fluente em 1 ou 2 idiomas estrangeiros) e participando de projetos de iniciação científica da universidade onde fiz a graduação, até finalmente conseguir ser aprovado num mestrado e uma bolsa de estudos do governo alemão na Alemanha. E mesmo assim não foi fácil, eu só consegui bolsa do Daad que dava isenção da anuidade de 10.000 Euros da universidade (100 mil Reais pelos 2 anos de mestrado), tive que me virar para pagar as despesas de aluguel, comida e transporte, que mesmo sendo beeeem econômico giravam na casa dos 400 a 500 euros (R$ 2.000 a R$ 2.5000) mensais. As despesas do dia-a-dia eu paguei com as economias que fiz durante os estágios no Brasil, mas não foi suficiente para todo o mestrado, mesmo conseguido um estágio remunerado na universidade nos últimos 6 meses do mestrado, teve alguns meses onde precisei de ajuda dos meus pais para pagar as despesas.
  23. Qual o horário de chegada e partida dos seus voos? Dependendo dos horários dos seus voos, é muito melhor pegar um hotelzinho barato perto do aeroporto e dormir num local seguro e numa cama confortável, do que passar a noite na praça de alimentação do aeroporto e correr o risco de lhe furtarem a carteira ou bolsa enquanto você cochilou, tenho vários conhecidos que passaram por isto enquanto dormiam em aeroportos e rodoviárias... A uns 2 anos atras eu tinha um voo com conexão em Brasilia, o primeiro voo chegava as 22:00 e o seguinte só no dia seguinte as 09:00. Lembro que peguei um hotel baratinho perto do aeroporto, pelo que me lembro, a diária do hotel não custou mais do que 50 ou 60 Reais e o táxi/uber até o hotel outros 10 ou 15 reais. E se pegar um hotel com café da manha, ainda dá para tomar um bom café da manhã no hotel "de graça", um café e um pão de queijo no aeroporto vão lhe custar facilmente 20 Reais, e se estiver com fome, vai facilmente 30 reais para tomar um café da manhã no aeroporto...
  24. PS. Esta parte "europeia" da sua viagem já demandaria pelo menos uns 18 a 20 dias de viagem contanto o tempo perdido nos deslocamentos para chegar lá. Você também não deu muitos detalhes do que mais você quer visitar no sudoeste asiático, se seria só Singapura e Bangkok ou se quer visitar mais locais, e nem quanto tempo tempo você teria disponível para a viagem. Então fique atento para não colocar coisa demais e depois não caber na sua viagem, ou então virar uma correria insana do começo ao fim, como parece ter sido a sua viagem anterior, onde você provavelmente gastou um monte de dinheiro mas passou correndo em um monte de locais, e parece que não conseguiu aproveitar direito a maioria dos locais. Outro detalhe: Munich durante a Oktoberfest é um local absurdamente caro, Amsterdam, Oslo e Londres são alguns dos locais mais caros de toda a Europa, e Singapura não é dos locais mais baratos do Sudoeste Asiático, ou seja, são locais que não "combinam" muito uma viagem "low-cost". Então fique atento para ver se isto ai tudo cabe no seu orçamento, principalmente neste momento de alta no preço do Dólar/Euro e que dependendo do resultado das eleições, pode fazer o dólar passar dos R$ 5,00 e Euro passar dos R$ 6.00 e Libra ultrapassar os R$ 7.00 facilmente...
×
×
  • Criar Novo...