Ir para conteúdo

234234

Membros
  • Total de itens

    355
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    13

Tudo que 234234 postou

  1. Praia no norte da França? Em Outubro? Você está ciente de onde está se enfiando? Final de setembro e começo de Outubro já costuma ser frio no norte da França, as temperaturas máximas não costumam passar dos 18ºC, e as mínimas chegam aos 5ºC. Para os Islandeses, Noruegueses, Suecos, Finlandeses ainda é quente, mas para os brasileiros já costuma ser super gelado! Tem certeza que você quer ir lá passar frio na praia deserta? Previsão do tempo para Deauville: https://www.accuweather.com/pt/fr/deauville/142410/september-weather/142410?monyr=9/1/2018&lang=pt-pt Se você quer visitar uma praia francesa nesta época do ano, tem que ir para o sul da França onde ainda estará relativamente quente e não para o norte da França, onde já vai estar bem frio. Cannes e Nice, no sul da França são locais que tem praia, e onde ainda estará relativamente quente nesta época, mas mesmo assim, vai ter vento, e ele vai ser frio mesmo com sol e 25ºC, não espere ver praias lotadas, a temporada de verão no sul da França vai só até começo de setembro, depois disto, a cada semana que passar, vai haver menos gente na praia. Mas Cannes, Nice e o sul da França em geral ficam longe demais de Paris para um bate-volta, você teria que ir para lá e pernoitar pelo menos 2 ou 3 noites lá para fazer valer a pena, aproveitando para visitar alguns outros locais no sul da França neste tempo, como por exemplo, Mônaco, Marselha, Aix-en-Provence, etc... Previsão do tempo para Cannes: https://www.accuweather.com/pt/fr/cannes/136419/september-weather/136419?monyr=9/1/2018
  2. Na verdade eu faria umas cotações invertendo o roteiro, indo de Barcelona a Lisboa, depois Amsterdam, Paris, Strasburgo, Basel, Pisa e voltando a Girona/Barcelona. As vezes só inverter o roteiro rende uma economia de 100 ou 200 Euros na soma total de todas as passagens. Mas tem que simular e cotar as duas opções para ver se realmente tem alguma diferença significativa.
  3. No geral, acho que está um roteiro bom, só precisaria de alguns pequenos ajustes aqui e ali devido a logística de transporte talvez não ajudar muito em alguns pontos. E se a viagem é para ser agora em Setembro/Outubro, eu não enrolaria muito para fechar o roteiro e já comprar as passagens locais lá na europa, pois com tão pouca antecedência, de agora em diante os preços não baixam mais, na verdade só vão subir mais a cada semana que passar. Mas também não faça e compre nada no desespero e sem pensar direito, pois só tem uma coisa pior que comprar em cima da hora, e é comprar por impulso e sem pensar direito, invariavelmente fazemos besteira e acaba saindo bem caro concertar depois para que não fique um roteiro ruim. Os preços saindo direto de Girona para Pisa são bem interessantes, e facilita a sua vida por ir direto a Pisa, o único porem é que em alguns dias da semana o voo sai num horário muito cedo, as 07:00 da manhã, e se você tiver o azar de pegar voo justo neste dia, você vai ter que acordar as 04:00 da manhã para estar pegando um táxi as 4:30 para o aeroporto. E fique atenta ao limite de bagagem da Ryanair, por que estourar o limite, pode ficar bem caro despachar lá no aeroporto. Então se você acha que não vai conseguir se virar só uma bagagem de mão, já inclua bagagem despachada no momento da compra das passagens, será muito mais barato do que deixar para pagar lá no aeroporto. O deslocamento de Pisa para Basel (Basileia) não é dos mais fáceis, rápidos ou baratos. Basel fica bem longe de Pisa, de ônibus seria 11 horas de viagem durante a noite, com você provavelmente chegando morta de cansaço e sono em Basel, pois geralmente as pessoas não conseguem dormir direto no ônibus. De trem seriam umas 9 horas de viagem durante o dia, ou seja, você sai de manhã cedo de Pisa e vai até Milão, onde pega outro trem até Basel, chegando a noite em Basel, e costuma ser meio caro. Avião, só tem voos as segundas, quartas e sextas, o que pode gerar algum problema se não encaixar direito nos dias que você precisa ou gostaria de viajar, talvez você precise aumentar ou diminuir 1 ou 2 dias em Pisa e Basel para ajustar com os dias que tem voos. Ha trens regionais de Basel a Estrasburgo de hora em hora, então este é sossegado, dá para comprar lá na hora mesmo. Ir de Estrasburgo para Amsterdam também é meio complicadinho, são 10 horas de ônibus, em alguns dias o ônibus sai de manhã cedo e chega a noite em Amsterdam, e em outros dias sai as 01:30 da madrugada e chega as 11 em Amsterdam, ambos horários horríveis, um estraga o dia inteiro, e o outro é de madrugada... Trem não melhora muita coisa, também seriam umas 7 horas de viagem, com uma conexão em Paris, você sai de manhã cedo de Estrasburgo e chega a noite em Amsterdam. E voos diretos de Estrasburgo para Amsterdam costumam custar os olhos da cara. Então o ideal seria você inverter esta parte, ir de Estrasburgo para Paris, fica muito mais perto, rápido e barato, e depois ir de Paris para Amsterdam e por fim de Amsterdam a Lisboa. Bruges fica meio fora de mão para se fazer um pit-stop entre Paris e Amsterdam, pois não há trens diretos entre elas. Saindo de Paris, você teria que pegar um trem até Bruxelas, e lá em Bruxelas pegar outro trem até Bruges, pegando o trem as 07:50 ou 08:20, os primeiros trens do dia com horário "decente", você chegaria em Bruges lá pelas 11:00 horas. E para não chegar muito tarde da noite em Amsterdam, você já teria que sair de Bruges lá pelas 17:00, para chegar em Bruxelas a tempo de pegar o trem das 18:50 para Amsterdam, que já chegaria as 21:00 em Amsterdam. Ou seja, muito empenho, tempo e dinheiro gasto para ir a Bruges para ficar lá menos de 4 horas, tempo que não dá para ver e fazer quase nada. Então se for fazer um pitstop entre Paris e Amsterdam, faça ele em Bruxelas, este sim é viável de ser feito. De Amsterdam para Lisboa e de Lisboa para Barcelona não tem jeito, tem que ser de avião. Mas passagens de Amsterdam para Lisboa costumam ser meio caras, então já se prepare para gastar um pouco mais neste trecho.
  4. Somente o consulado ou serviço de estrangeiros ai do país onde você está poderá lhe responder isto com certeza, mas normalmente não é autorizado. O que eu sei que existe, é um prolongamento da estadia, mas você tem que dar entrada nisto antes do visto vencer e ter uma justificativa aceitável para o prolongamento da estadia.
  5. Se você já fez as cotações das passagens e a volta pela Air France não ficou absurdamente cara, sem problema nenhum ir com uma e voltar com outra, é só levar os e-ticktes das passagens. Só fique atento ao custo disto, para ver se realmente vale a pena no seu caso, pois a Air France costuma cobrar o dobro para uma passagem só de ida ou só de volta.
  6. Na verdade não é bem um problema do hotel, mas sim um mecanismo de segurança do cartão. Quando você faz duas compras internacionais no mesmo estabelecimento com pouco tempo de intervalo, quase sempre a Mastercard ou Visa bloqueiam o cartão preventivamente, e você tem que desbloquear, mas o atendimento das administradoras de cartão quase nunca sabe explicar isto direito e joga a culpa em outra coisa. O que o hotel poderia mudar, é cobrar tudo de uma vez só, evitando assim que os cartões sejam bloqueados. Mas que bom que deu certo.
  7. Mas independente disto, na maioria dos casos, comprar só ida e depois só volta costuma ser muito mais caro do que comprar uma passagem de ida e volta juntas. Somente em alguns casos bem específicos comprar ida e volta é mais barato, na maioria dos casos é bem mais caro do que comprar ida e volta juntas. Se a ideia é voltar por uma cidade diferente que você chegou, compre as duas passagens juntas usando a opção "Várias Cidades", "Multiplos Destinos" , "Open Jaw" ou algo similar que todas as empresas aéreas tem.
  8. Retirar passagem no aeroporto? Como assim? Atualmente você não "retira" passagens no aeroporto, mas sim compra pela internet e recebe o e-ticket por e-mail, que você imprime e leva junto. Lá no aeroporto o que você recebe é somente o cartão de embarque, com o número do seu assento e portão de embarque e um código de barras para que passe nas verificações de segurança, mas o que vale para a imigração é o e-ticket que você recebe por e-mail na hora da compra da passagem. Na verdade você já precisa apresentar as passagens e-tickets aqui no Brasil antes de embarcar. Geralmente as companhias aéreas nem deixam você embarcar saindo do Brasil se não apresentar um e-ticket voltando para o Brasil ou indo embora da Europa, pois caso você tenha problemas com a imigração por não ter passagens indo embora de lá, a empresa aérea fica responsável por lhe trazer de volta, alem de ser multada. E por causa disto, elas costumam exigir que você apresente um e-ticket da passagem de volta já no embarque saindo do Brasil.
  9. Provavelmente eles perguntem o que você faz no Brasil, fale a verdade, que você juntou o dinheiro com empregos anteriores, e que vai começar a estudar após a viagem. Afinal, não tem outra coisa que você possa falar, a não ser mentir, mas se por que se eles descobrirem ou desconfiarem que você está mentindo, será bem pior, então sempre fale a verdade. Isto é lenda, simplesmente não é verdade, eles não afrouxam a imigração só por que tem mais gente, na verdade acho que é até o contrário, eles até apertam um pouco a fiscalização em épocas de muita gente, pois eles sabem que é justo nestes momentos que o pessoal tenta entrar irregularmente. Mas se você estiver com tudo certo e não contar uma história sem sentido na imigração, não tem o que temer, dificilmente terá problemas. Irlanda, Irlanda do Norte, Escócia, Pais de Gales e Inglaterra formam um espaço comum, onde não existe processo de imigração para circular entre eles. Você só passa na imigração no primeiro país, e depois pode circular livremente entre eles sem passar na imigração, eventualmente tem alguma fiscalização para reforçar a segurança ou pegar ilegais, mas se estiver com tudo certo, não tem o que temer. Cuidado com esta história, você vai no inverno, vai ficar relativamente bastante tempo, precisa levar mais roupa pesadas para o frio, e uma mochila de 45 Litros (o limite máximo permitido) geralmente é meio pequeno para levar tudo o que você precisa no inverno, ou se couber na mochila, não sobra um espacinho sequer para você comprar uma lembrancinha. Então valie bem se você vai conseguir virar um mês inteiro durante o inverno só com uma mochila de 45 Litros, para não descobrir em cima da hora que não cabe tudo dentro da mochila, ou ser barrada lá no aeroporto com uma mochila maior, e ter que pagar R$ 300 ou 400 para despachar lá na hora, sendo que se tivesse planejado, e comprado bagagem despachada antes, custaria bem mais barato.
  10. Tirando hostel, que seria uns 20 a 25 Euros/libras por dia, uma estimativa de gastos realista de um turista/mochileiro ainda fica na faixa dos 40 a 50 Euros/Libras por dia. Dividindo £ 1.000 por 50, daria para uns 20 dias no Reino Unido, e dividindo 500 Euros por 50, daria para uns 10 Dias na França. Como você falou que seriam uns 14 dias no Reino Unido, e uns 10 entre Irlanda e França, a principio seria uma quantia suficiente para não passar aperto, mas sem esbanjar. Mas independente disto, tenha uma reserva para imprevistos, pode ser um cartão de crédito, pois voos e trens cancelados por mau tempo podem lhe custar uma boa quantidade de dinheiro com despesas não previstas. Não sei qual cotação você usou, mas tem que usar a cotação Turismo e não a comercial, você pode dar uma conferida no valor real neste site, não esqueça de somar 1.1% de IOF para dinheiro em espécie e 6.38% para cartão. https://www.avscambio.com.br/taxas-de-cambio-curitiba Estas cotações também podem mudar bastante até o final do ano, podem mudar tanto para baixo e lhe ajudar, ou para cima e lhe prejudicar, então é bom sempre ter uma folga de uns 10% a 15% para acomodar as eventuais flutuações do câmbio.
  11. Você vai ter que pagar hostel lá? Ou vai ficar na casa de amigos? Ou já vai ir com eles pagos daqui? Uma diária de hostel custa em média 20 a 25 Libras/Euros, um almoço ou jantar num restaurante simples, pedindo um prato simples + algo para beber custa entre 15 e 20 Libras/Euros. Lanche na rua, custa 2 a 4 Libras/Euros dependendo do que for pedir, um café, chocolate quente, chá, você vai tomar vários por dia devido ao frio, custa 2 ou 3 Libras/euros, metrô/ônibus custa uns 2 Euros/Libras por viagem e você vai usar um monte em Londres e Paris, eu separo pelo menos 5 Euros/Libras para isto. Você não vai querer atravessar meio mundo para ficar lá do lado de fora das atrações turísticas passando frio e morrendo de vontade de entrar, mas não o poder fazer por se pagar os 15 Euros/Libras de ingresso, você não terá dinheiro para almoçar amanha. Eu separo entre 10 e 15 Euros/Libras por dia para passeios e ingressos... Somando 20 Libras de hostel + 15 Libras de almoço + 15 Libras de lanches e café na rua, lanches para jantar e café da manhã + 5 Libras para metrô + 15 Libras para ingressos e passeios, dá 70 Libras por dia, já sendo econômico. Economizando bastante, talvez você consiga reduzir para uns 60 Euros/Libras por dia, mas não tem muito o que fugir deste valor se você precisar pagar hospedagem, alimentação, metrô e passeios. Se conseguir ficar hospedada na casa da sua amiga em Londres, você pode reduzir estes custos um pouco, mas você precisa providenciar uma carta convite da sua amiga, com ela assumindo a responsabilidade pela sua estadia, e ela tem que estar legalmente lá, e ter condições de lhe receber, pois os agentes de imigração podem querer verificar a situação da sua amiga...
  12. Você está ciente da época que você vai? Que vai ser inverno por lá, e que o clima na Escócia e Irlanda que normalmente já é ruim, provavelmente será uma merda, com muito frio, chuva, vento e dias cinzentos, e que por causa disto muitos passeios que por ventura você queira fazer podem não estar funcionando ou serem uma merda? Então viajando no inverno, seja realista e não criei expectativas demais quanto a Escócia e Irlanda durante o inverno, pois o clima pode não colaborar e estragar quase todos os seus planos. https://www.e-dublin.com.br/irlanda-em-alerta-vermelho-por-conta-da-tempestade-emma/ Outra coisa, cuidado com os dias 25/12 e 01/01, são dias complicados, onde nada abre, em algumas cidades como Londres nem metrô, ônibus e táxi funcionam nestes dias.
  13. Seguro saúde com cobertura de 30 mil Euros e validade no Espaço Schengen. No mais, é isto mesmo, o que você é de passagens de volta compradas e marcadas, reservas de hospedagem, seguro saúde, dinheiro suficiente e saber explicar o que você pretende fazer lá. O suficiente para pagar as suas despesas. Se você for pagar hostel, uma refeição decente por dia e lanche nas demais refeições, entradas e passeios e metrô, você vai gastar em torno de 60 a 70 Euros/Libras por dia, que é a quantidade mínima recomendada, mas sempre é bom ter um pouco mais, para algum imprevisto. quanto dias você vai ficar na França ou outros países que usam Euros? Toda vez que você troca dinheiro, você perde em torno de 5% do valor do dinheiro, então você já vai perder 5% quando trocar os seus Reais por Libras, e depois quando trocar as Libras por Euros, você perde outros 5%... Então ao invés de levar só libras, leve também alguns Euros já do Brasil, assim você não perde tanto dinheiro assim nas múltiplas conversões. Dependendo de quantos dias você ficar na França ou outros países que usem Euro, eu recomendaria levar meio a meio, metade libras e outra metade em euros, ou se for ficar menos tempo na França, levar uns 25% a 30% em Euros e o resto em Libras. E se por acaso sobrarem ou algumas libras você sempre pode trocar os seus Euros por Libras... As regras e exigências são exatamente iguais em Londres, Dublin, Edinburgh, Lisboa, Madrid, etc... Se você estiver indo com tudo certo, dificilmente terá problemas com a imigração, independente de por onde você entre, mas se estiver indo fazer coisa errada ou tiver problemas com os comprovantes, provavelmente vai ter problema em qualquer lugar que você entrar. Só um detalhe, se você comprar uma uma passagem SP x Lisboa e depois Lisboa x Dublin/Edinburgh, você vai ter uma passagem adicional pela imigração para se preocupar. Por que neste caso, comprando separado até Lisboa, primeiro você teria que passar na imigração de Portugal, registrando a sua entrada no Espaço Schengen, retirar a bagagem, fazer um novo check-in, passar no raio-x e imigração registrando a saída do Espaço Schengen. E ao chegar em Dublin/Edinburgh, passaria pela imigração novamente, e quando for para a França, passaria novamente pela imigração do Espaço Schengen.
  14. A Transilvânia fica ao norte de Buchareste, e Constança ao leste, e a Bulgária ao sul, o que acaba criando um problema de logística. Primeiro você teria que subir até Brasov, perde metade de um dia só para subir até lá, depois você tem que descer de volta a Bucareste e ir a Constança, vai um dia inteiro nisto. E depois novamente voltar a Bucareste para descer até Sofia, vai outro dia inteiro nisto... Uma vez lá na Bulgária, você teria que descer mais ainda, até a região de Plowdiw e Rila, para então voltar a Sofia, onde você faria todo o caminho que você acabou de fazer, de volta até a Ucrânia... Então se for fazer algo por lá, sem gastar uma fortuna com passagens aéreas, a minha sugestão é escolher só um sentido para a sua rota, ou seguir sentido sul, em direção a Bulgária, Macedônia e Albania, ou então sentido norte, em direção a Moldávia e Ucrânia. Misturar os dois, muito provavelmente vai ficar caro e complicado. Escolha um ponto final para o seu roteiro, de onde você consiga voltar para Bucareste ou para casa de forma fácil e sem que custe uma fortuna, e ajuste o roteiro entre Bucareste e esta cidade da melhor maneira possível.
  15. Concordo com a @LF Brasilia, esta região ai é bem complicada em questão de transporte, as vezes você está em uma cidade relativamente grande em um país, a 100 Km de outra cidade relativamente grande em outro país, e simplesmente não tem nenhuma ligação direta prática entre as duas cidades. E quando tem, muitas vezes você depende um único horário diário de trem ou ônibus, isto quando tem transporte público regular, e não é aquele esquema das van fretadas. Ou seja, não é um local para você viajar sem planejamento adequado, com pouco tempo e dinheiro, isto pode deixar a viagem bem frustrante, devido a você eventualmente não conseguir fazer o que gostaria de fazer por que não pôde arcar com os custos de um voo caro ou por que teve que ficar dias em algum lugar por que não tinha opção de transporte para ir embora de lá nos dias que você gostaria de ir, e com isto você perder alguma cidade muito importante para você. Mas se você quer ir a Kiev, você tem que terminar a primeira parte em Sofia, que é único local com transporte direto e prático para Kiev, mas isto não significa que seja barato e rápido, geralmente é rápido e caro (avião) ou barato mas extremamente demorado.
  16. Ucrânia não faz parte da União Europeia, o que cria uma lista enorme de dificuldades e custos adicionais para as empresas aéreas de de ônibus, por causa disto é mais complicado e caro, exige taxas, seguros e autorizações extras, que fazem muitas vezes a rota não ser viável economicamente, uma vez que naturalmente já não tem muito movimento devido as ligações econômicas fracas, pois a ucrânia tem mais ligações econômicas com os países mais ao norte Polônia, Lituânis, etc, pois Ucrânia e Bielo Russia forem parte dos Reinos Polonês e Lituano no passado. Ou seja, operar um voo ou ônibus da Bulgária, Romênia para a Ucrânia é bem mais complicado, caro e burocrático do que operar um voo/ônibus para qualquer outro destino dentro da União Europeia.
  17. Eu morrei 1 ano em Munich antes de mudar para Düsseldorf. O que eu achar interessante, você pode achar a maior chatice do mundo, e vice-versa, então o máximo que eu posso fazer é citar algumas das atrações mais populares de Munich, e ai você avalia se lhe interessam ou não. Deutsches Museum: é um dos locais mais visitados de Munich, para quem gosta de tecnologia e engenharia é uma atração imperdível, pesquise no google imagens por "Deutsches Museum Munich" para ter uma ideia do acervo em exposição. BMW Museum: este é para os apaixonados por carros. Palácio Residenz: foi residência de inverno dos reis bávaros Palácio e parque Nymphenburg: Foi residência de verão dos reis bávaros Alte Pinakothek, Neue Pinakothek e Pinakothek der Moderne: são 3 museus de arte que ficam na mesma praça, e com repertório que varia do clássico dos séculos 15 e 16 até arte contemporânea da década atual Englischen Garten: Um enorme parque verde no centro da cidade que durante o verão fica lotado, no verão sempre tem música ao vivo no Biergarten Chinesischen Turm que fica no meio do parque. No inverno, costuma ser meio frio para andar no parque, mas mesmo assim nos finais de semana tem bastante gente no parque fazendo caminhada e passando tempo. Centro histórico: Frauenkirche (igreja mediável), Rathaus (prédio da prefeitura em estilo barroco), Peterskirche (você pode subir na torre desta igreja e ter uma visão espetacular da Frauenkirche e Rathaus), Asamkirche (uma igreja barroca com decoração interior espetacular), Viktualienmarkt (feira com venda produtos regionais, biergarten e comida típica), Odeonsplatz uma praça bem interessante, Bayerisches Nationaltheater, os portões medievais da cidade (Isartor, Sendlinger Tor, Karlstor) Hofbräuhaus: Maior cervejaria típica alemã de toda alemanha Augustiner-Keller: o maior Biergarten da alemanha com espaço para 5 mil pessoas, mas no inverno pode estar meio frio para ficar na área aberta. Campo de concentração de Dachau: fica a 30 minutos do centro de Munich. Entre outras.... Mas o melhor são os bate-voltas de trem que você faz a partir de Munich usando o Bayern Ticket - Fussen: é onde ficam os castelos de Neuschwanstein e Hohenschwangau - Nürberg: uma das cidades muradas medievais mais bem preservadas da Alemanha, com um castelo medieval, muros medievel circundando boa parte da cidade, e várias igrejas góticas. - Salzburg: cidade do Mozart, um centro histórico bem conservado e uma fortaleza de onde você tem uma excelente vista. - Garmisch-Partenkirschen: fica literalmente aos pés dos Alpes, lá você pode subir até o alto do Zugspitze de teleférico, esquiar na neve, etc... Entre várias outras, só para ficar nas mais populares. Amsterdam tem bastante coisa para se visitar também, como por exemplo: Rijksmuseum(um dos mais importantes do mundo em arte clássica), Van Gogh Museum, Casa de Anne Frank, Heineken Experience, o centro histórico, o passeio de barco pelos canais, etc... Berlin tem uma enormidade de museus, como por exemplo: Bode-Museum, Pergamonmuseum, Neues Museum, Altes Museum, Deutsches Historisches Museum, todos estes ficam numa ilha do rio Spree e demanda um dia inteiro para visitar todos e vai faltar tempo. Alem disto tem o DDR Museum que retrata a vida da Alemanha Oriental comunista, Checkpoint Charlie, Topographie des Terrors, Portão de Brandenburgo, East Side Gallery, Alexanderplatz, Reichstags, Kaiser-Wilhelm-Gedächtnis-Kirche, Gendarmenmarkt, etc, etc... Mas concordo que durante o inverno pode ser meio frio demais em Berlin para quem não está acostumado.
  18. Não existe atualização de fotos ou dados de passaporte, pois os seus dados, digitais e foto ficam gravados no chip embutido capa do passaporte, e se você precisar alterar algo, tem que emitir um novo passaporte pelo processo normal de emissão de passaporte, ou esperar o vencimento dele, em 5 ou 10 anos, para então atualizar a foto quando for emitir um novo passaporte.
  19. Leve em conta que no final do ano os dias são bem curtos, as 3 ou 4 da tarde já está completamente escuro, e depois que escure o frio aperta e você não consegue mais fazer muita coisa. Você também não aperta um botão e se materializa na cidade seguinte num instante, toda vez que você for trocar de cidade você perde metade de um dia na melhor das hipóteses contando desde o momento em que começa a fazer as malas na cidade A, até o momento em que largar elas no quarto do hotel da cidade B, isto se os horários dos trens/voo ajudarem, se tiver que pegar um voo/trem num horário ruim, facilmente você perde praticamente um dia inteiro só em função de ir de uma cidade a outra. 5 dias para dividir entre Roma, Pisa e Veneza é pouco tempo! Só Roma demanda no mínimo 3 dias inteiros só para ver as principais atrações de Roma, para fazer as coisas com calma, seria recomendável uns 4 dias. Pisa fica meio fora de mão, e não encaixa muito bem se você não incluir Florença, mas ai precisaria de pelo menos uns 2 dias em Florença/Pisa para fazer as coisas com um mínimo de calma. Veneza é um local que demanda uns 2 dias. Vocês vão gastar um dia inteiro para chegar no resort de Esqui, e outro dia inteiro para ir embora de lá, pois o acesso a estes locais não costuma ser dos mais práticos. Então na prática vocês terão só um dia livre para esquiar, mas já pensou que as pistas podem estar fechadas devido ao mau tempo? Se isto lhe acontecer, vocês terão gasto uma fortuna de dinheiro, pois estes locais são absurdamente caros, terão perdido dois dias de viagem e não vão conseguir fazer nada no único dia livre de vocês nos Alpes. E eu também tenho grandes duvidas se algum resort de esqui vai estar funcionando normalmente no dia 25/12, dia em que normalmente nada abre, e isto seria justo no único dia livre de vocês nos Alpes... Então se for investir um monte de dinheiro indo esquiar, fique pelo menos uns 4 ou 5 dias, para aproveitar bem o local, e ter certeza de que vai conseguir esquiar. 2 dias em Amsterdam é meio pouco tempo, principalmente numa época em que as 15:00 horas já está escuro, e o clima pode ser horrível. Pessoalmente eu recomendaria 3 dias em Amsterdam. Se forem ficar só em Bruxelas, ou no máximo um bate-volta a Bruges, 2 dias estaria OK. Se 5 dias na Itália é pouco tempo, 2 dias em Paris chega ser insano! E se ainda descontar meio dia perdido chegando ou indo embora de Paris, sobra mal e mal 1 dia e meio, e olha lá! Já pensou que este único dia livre em Paris pode ser um dia chuvoso e frio, onde você não consegue fazer nada na rua? Estive em Paris em dezembro por 4 dias, e 2 dos 4 dias que estive lá foram assim, dias horríveis, estava frio, tinha vento, e uma chuvinha intermitente, que não dava nem vontade de sair do hotel. E tem outros detalhe, dia 01/01 nada abre, é até complicado achar um restaurante aberto para almoçar ou jantar. Paris é uma das maiores cidades do mundo, cheia de coisas para ver e fazer, e principalmente filar enormes em quase tudo, mesmo no inverno, O mínimo do mínimo que eu recomendaria seriam 4 dias, ou 5 dias para ver as principais atrações com alguma calma. Mesma história de Amsterdam e Paris, vocês mal e mal terão 1 dia livre, e se o clima não colaborar, pois mesmo em Barcelona faz frio e o clima é ruim em dezembro, será uma merda, e vocês não terão uma segunda chance no segundo ou terceiro dia para fazer alguns passeios. E se o voo para Barcelona atrasar 4 ou 6 horas, ou for cancelado devido ao mau tempo? Isto é bem comum nesta época do ano devido as tempestades que costumam ocorrer nesta época. Se acontecer um negocio destes, já era, você não terão nenhum dia sequer livre em Barcelona, isto se não acabarem perdendo o voo para o Brasil Pessoalmente eu recomendaria pelo menos uns 3 dias em Barcelona. Em resumo, é um roteiro ruim, com muita correria, onde vocês vão gastar um monte de dinheiro com passagens, hospedagem e alimentação, mas não vão conseguir ver ou aproveitar direito quase nenhum dos locais. Ou seja, precisaria dar uma boa enxugada neste roteiro, tirando pelo menos umas 2 cidades para que fique algo minimamente viável de ser feito durante o inverno. Agora o que cortar e manter, é decisão pessoal de cada pessoa.
  20. Poder pode, mas quase nunca tem vagas disponíveis. A última vez que estive lá em setembro do ano passado, resolvemos ir a Auschwitz meio em cima da hora, nós já conhecíamos e não iríamos a Auschwitz, mas meio de última um casal de amigos resolveu viajar conosco, e eles não conheciam e queriam visitar Auschwitz. 3 semanas antes já não tinha ingresso disponível no site nos dias que estaríamos lá, mas como era prioridade dos nossos amigos conhecerem, resolvemos ir assim mesmo e tentar a sorte para ver se tinha alguma desistência ou então ir depois das 16:00 se não conseguíssemos ingressos. Chegamos lá as 10:00, e fomos direto na bilheteria ver se tinha ingresso sobrando, o único tour que tinha vagas era o tour em italiano as 15:30, que teve algumas desistências de última hora. Acabamos não pegando o tour em Italiano, por que não iríamos entender muita coisa, e resolvemos esperar até as 16:00. Para passar o tempo, fomos antes a Birkenau, que tem entrada livre, e voltamos a Auschwitz lá pelas 15:00, para o tour livre. Sendo sincero, não gostei, foi uma correria só, por que queríamos pegar o ônibus das 18:15 para não chegar muito tarde de volta em Cracóvia, não deu para ver nada direito e com calma, e ao final já estava começado a escurecer
  21. Sim, fora deste horários, só com agendamento e pagando o tour guiado.
  22. Sim, é possível visitar sem o agendamento, mas os horários não são dos melhores. Entrada gratuita no período da manha somente antes das 09:00, o problema é chegar lá antes das 09:00. Para chegar antes das 09:00, você tem que sair de Cracóvia lá pela 07:00 da manhã, o que significa acordar as 06:00 da manhã e ir para a rodoviária. No período da tarde, a entrada gratuita é só depois das 16:00, e ai o problema é que dependendo da época do ano, já está escuro as 15:00 e o campo fecha mais cedo, em setembro acho que fecha as 18:00, o que lhe deixa com pouco tempo para a visitação, alem de você estar limitada ao horário do ônibus de volta a Cracóvia, o último é as 19:00, e você tem que estar lá no ponto do ônibusuns 30 minutos.
  23. sendo sincero, tanto faz. se você chegar por Frankfurt, alguns destinos serão mais próximos(Rep Tcheca) e outros mais distantes(Austria), e se chegar por Milão outros destinos serão mais próximos(Austria) e outros mais distantes (Rep. Tcheca). Hungria a distância fica exatamente igual chegando por Milão ou Frankfurt. Então em termos de distâncias, a diferença será minima chegando por Milão ou Frankfurt. Algumas locadoras tem restrição para circulação em países do leste europeu, na alemanha não costuma ter restrições para circular na Rep Tcheca, mas Hungria já costuma ter algumas restrições e seguros extras em algumas locadoras, mas também não é 100% garantido, você teria que verificar isto diretamente com a locadora. Na Itália, alguma pessoas relatam que algumas locadoras tem restrição a ir para Polônia, Hungria e Rep Tcheca, mas não são todas as locadoras que tem esta restrição, somente algumas tem, então novamente tem que verificar direto com a locadora. Em termos de custos, se você chegar por Milão, provavelmente acabe passando pela Suíça, que é um local muito bonito, mas absurdamente caro, se o seu orçamento não estiver muito folgado, é melhor passar o mais longe possível da Suíça para evitar cair na tentação de incluir a Suíça. kkkkkk
  24. Lembrando que não é recomendável deixar para voltar a Milão no último dia, em cima da hora de pegar o voo para Amsterdam, pois se vocês tiverem um imprevisto, errarem o caminho, a estrada estar fechada ou congestionada devido a acidente ou mau tempo, o trem ser cancelado ou atrasar devido problemas técnicos ou climatológicos, etc, etc, vocês podem perder o voo para Amsterdam e com isto arruínar o resto da viagem... Então é recomendável voltar a Milão no dia anterior ao voo para Amsterdam e dormir em Milão, para que em caso de problemas ou imprevistos, vocês tenham folga e tempo hábil para achar um plano B para chegar em Milão a tempo de pegar o voo, e não estragar o restante da viagem.
  25. Então resumindo, você tem que voltar impreterivelmente a Milão no final da parte italiana, antes de pegar o voo para Amsterdam. Ai pessoalmente eu já acharia toda esta parte Italiana muita correria, eu simplificaria e reduziria bem esta parte italiana, por que voltar a Milão vai lhes custar praticamente um dia de viagem. Se a prioridade for visitar Roma, eu enfiaria todo mundo dentro de um trem de alta-velocidade e seguiria direto para Roma, para economizar tempo nos deslocamentos, e fazer o seu pouco tempo livre na Itália render. Agora se Roma não é prioridade, eu alugaria um carro e exploraria o norte da Itália a partir de Milão, fazendo algo mais ou menos assim: - Dia 01: ficar em Milão, explorar a cidade - Dia 02: bate-volta até Lugano/Locarno na Suíça - Dia 03: bate-volta a Turin - Dia 04: em aberto, Milão, bate-volta a Bologna, Aosta/Courmayeur, Parma, Monza, etc... - Dia 05: Milão, voo a Amsterdam
×
×
  • Criar Novo...