Ir para conteúdo

edgarjrbr

Membros
  • Total de itens

    57
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    3

Tudo que edgarjrbr postou

  1. Olá @George André, acredito que você respondeu no tópico errado. Neste aqui deixamos nosso relato de uma viagem que fizemos neste incrível estado do Sergipe, com a intenção de ajudar outros viajantes. O tópico da @TheiaAsteroid, que você mencionou nos comentários, pode ser acessado pelo link: https://www.mochileiros.com/topic/86237-destinospasseios-exóticos-no-sergipe/ . Mas isso ai, bom passeio e você vai amar este maravilhoso destino.
  2. Silnei, deu certo, muito obrigado!
  3. Infelizmente acho que ele caiu em moderação novamente, a única coisa diferente que há é uma padaria Chinesa que no nome dela há caracteres em Mandarim, que faz parte do nome da padaria. Consegue desbloquea-lo novamente? Faço o teste removendo este nome.
  4. Muito obrigado, vamos continuar com o relato, o roteiro ficou grande vamos demorar um pouco a conclui-lo, mas valerá a pena. Aproveitando o ensejo gostaria de agradece-los, sou muito grato ao mochileiros.com, essa viagem incrível saiu graças a ter encontrado cia. de viagem aqui no fórum, tudo começou neste post abaixo:
  5. Olá bom dia, Estamos criando um relato de uma viagem, mas pela quantidade de conteúdo dividimos em partes, sendo o post e 9 respostas com o conteúdo, e especificamente no comentário do link abaixo ele sumiu, nele estávamos adicionando informações da cidade de San Francisco e já estávamos no terceiro dia de viagem. https://www.mochileiros.com/topic/90867-road-trip-eua-roteiro-19-dias/?tab=comments#comment-806761 Há algum administrador do fórum que poderia, por gentileza, verificar? Grato.
  6. 15º Dia - Continuação Las Vegas (NV) Erguida no deserto do estado americano de Nevada, Las Vegas recebe cerca de 45 milhões de turistas anualmente e movimenta cerca de US$ 45 bilhões na economia local, além de gerar mais de 350 mil empregos, somente no setor de turismo. A cidade surpreende os visitantes com os shows de luzes dos gigantes Hotéis-cassinos, espalhados pela Las Vegas Boulevard (Strip). Famosa pelo slogan "O que acontece em Vegas, fica em Vegas" e Sin City "Cidade do Pecado", devido as suas infinitas tentações; durante o verão as temperaturas chegam a 46 graus Celsius, enquanto os invernos são gelados, chegando a zero grau. Interessante também a história da origem da frase "O que acontece em Vegas, fica em Vegas". Em 2004, a ex-primeira-dama Laura Bush estava sendo entrevistada por Jay Leno no "The Tonight Show", e durante a entrevista o apresentador disparou sobre a estada dela em Las Vegas na noite anterior, questionando se ela havia apostado e festejado até amanhecer. E foi em resposta a tudo isso que Bush soltou a agora célebre frase: “Jay, o que acontece em Vegas fica em Vegas”. Isto veio do slogan de uma empresa publicitária chamada R&R Partners, que tinha a função de atrair turistas para Vegas; porém a frase, apesar de já existir como slogan, só veio a se tornar viral quando foi dita pela ex-primeira-dama durante o programa de entrevistas. Seu fuso horário com relação ao horário de Brasília é variável de Menos 4 (durante o horário de verão americano) a Menos 5 horas. 19:00h – Check-in no The STRAT - Stratosphere Hotel, Casino & Tower – (2000 Las Vegas Blvd S Las Vegas, NV) → CUSTO: R$ 524,89 hospedagem e US$ 149,60 resort fee (4 noites, suíte para 2 pessoas) 20:30h – Show no Mandalay Bay Resort and Casino do Michael Jackson: One by Cirque Du Soleil – (3950 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV) Esse espetáculo lançado em 2013, em cartaz no Mandalay Bay Resort e Casino, é sucesso de público em Las Vegas. O show recebeu o título de ONE, pelo pensamento de Michael Jackson de acreditar que todas as pessoas são únicas. Antes da entrada, no corredor de acesso ao teatro, aproveitamos para tirar fotos dos painéis, além de algumas das vitrines com os objetos pessoais do artista; já que é terminantemente proibido tirar fotos dentro do evento. Com direção de Jamie King, o musical conta a história de quatro jovens desajustados, fãs do Rei do Pop, que se vingam dos paparazzis que incomodaram tanto Michael Jackson, onde cada um recebe um utilitário que era de Michael e começam a dançar como o cantor. No evento de 1 hora e meia, o espírito de Michael Jackson se faz sentir na energia do elenco, com 63 bailarinos e artistas, e é refletido em acrobacias aéreas e coreografias vibrantes inspiradas pelo hip hop. Durante o show, alguns sucessos como "ABC" e "I'll Be There" ainda na infância ao lado de seus irmãos; além dos hits "Rock With You", "Bad" e "Beat It" já na carreira adulta, emocionam a plateia com uma trilha sonora impecável. Uma das partes mais impressionantes durante o show é quando MJ aparece através de recursos holográficos dançando, trazendo-o novamente ao palco... Surpreendente!! Surreal! Nos emocionamos do início ao fim do espetáculo, pois a sensibilidade e competência apresentadas pelos artistas no evento é imensurável, ou seja, valeu cada centavo. A melhor atração que fomos nessa cidade decadente. Apesar de haver 1.805 lugares no teatro, e bem distribuídos por sinal, além dos três alto-falantes potentes; a experiência, a imersão do show de um assento localizado próximo ao palco é totalmente diferente das últimas fileiras, que estão afastadas do palco. Pela pouca diferença do valor dos ingressos, realmente vale a pena pagar por um pouco a mais e ter uma melhor visibilidade nos assentos da frente, para não ter a experiência prejudicada, já que nesses pontos há a interação dos atores com a plateia. No espetáculo Michael Jackson ONE do Cirque du Soleil, em Las Vegas, o espírito do Rei do Pop é canalizado através da energia vibrante dos 63 artistas e bailarinos que desempenham performances aéreas, acrobacias e coreografias empolgantes usando como pano de fundo a linguagem hip-hop. ONE é um tributo emocionante ao trabalho, espírito inovador e legado de Michael Jackson, considerado rei, gênio, visionário… e principalmente único. Visão de nossos assentos previamente adquiridos Visão após ganharmos o upgrade de assentos, o qual fez a diferença pela proximidade dos atores → CUSTO: R$ 405,91 23:55h – High Roller – (3049 South Las Vegas Blvd, The Linq Promenade, Las Vegas, NV) HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 10:30h às 02h. Passeio bastante interessante, com vista panorâmica de boa parte de Vegas, não sendo possível ver a Strip, e sim alguns hotéis, com também a Fonte do Bellagio. A volta completa leva cerca de 30 minutos e quase não sente a cápsula fechada se movimentar, afinal está em baixa velocidade. Na cápsula fechada, que tem as laterais em vidro/resina e é climatizada, o cliente é livre para se levantar e tirar fotos como quiser, dessa que é considerada a maior roda gigante do mundo. → CUSTO: US$ 32,00 (noturno) 00:45h+1 – Jantar - In-N-Out Burger (3545 S Las Vegas Blvd Suite L24, Las Vegas) → Retorno ao Stratosphere Hotel, Casino & Tower (2000 Las Vegas Blvd S Las Vegas, NV) 16º Dia Feriado nos EUA: Columbus Day 06:00h – Deslocamento de Las Vegas para o Death Valley 07:45h – Red Rock Canyon National Conservation Area (1000 Scenic Loop Drive – Las Vegas, NV) O Red Rock Canyon está localizado no deserto de Mojave, com fácil acesso de carro, a menos de meia hora da avenida principal de Las Vegas. Não será possível passar pelo Centro de Visitas do local - espaço bacana, com a história da flora e fauna, e algumas obras de arte, já que este abre apenas às 08h. Possui uma área de 195,819 acres que há mais de 500 milhões de anos estava dentro de uma bacia oceânica e já foi ocupada por dinossauros no período jurássico. Não é a toa que a região recebe geólogos e pesquisadores do mundo todo. Todo o passeio pretendido será de carro, uma vez que só passaremos em alguns pontos e não fazer trilhas. Mas há trilhas de 1,2KM até 10km (de 55 minutos a 03 horas e meia de tempo estimado), a maioria delas de leve a moderada e uma só mais intensa. A Scenic Route, estrada de mão única que circula o parque, tem quase 21 km. Nela o visitante terá uma visão das belíssimas paisagens do deserto, suas formações rochosas multi coloridas e sua flora rica em cactáceos. Em cada ponto de parada há local para estacionar o carro, placas e banheiro em alguns pontos. As cabines de banheiro são do estilo sem pia, para lavar as mãos e vaso sanitário com fundo infinito. → CUSTO: US$ 7,00 (por carro) Death Valley National Park (Vale da Morte) O Death Valley National Park, ou Vale da Morte, tem mais de 8.000 quilômetros quadrados e é o maior parque nacional americano, fora do Alasca. Ele se estende ao longo da fronteira entre a Califórnia e Nevada e fica a 160 km a oeste de Las Vegas. O Death Valley é famoso por seu clima muito quente, com recorde de temperatura de 59 graus Celsius e é onde fica o ponto mais baixo de toda América do Norte, o Badwater Basin, 84,6 metros abaixo do nível do mar. Devido as características extremas, a região que era super isolada foi considerada uma das travessias mais difíceis durante a Corrida do Ouro na Califórnia. O Death Valley ou Vale da Morte recebeu este nome quando um grupo de pioneiros ficou perdido na região em 1849, quando os garimpeiros sofreram com as altas temperaturas e a falta de água. Quando eles foram cruzar a região todos eles assumiram que iriam morrer. Dizem que apenas um deles não voltou, mas quando foram resgatados um dos homens, olhou para trás e disse “adeus, Vale da Morte”, registrando o nome do parque esta história é conhecida como The Lost ’49ers! O deserto do Death Valley está situado na fronteira entre Nevada e a Califórnia, em uma ‘‘zona de sombra de chuva’’ da Sierra Nevada, que dificilmente ocorre precipitação e ainda assim, quando ocorrem os temporais de inverno, podem acabar causando estragos imensos. 11:45h – Furnace Creek Visitor Center, Centro de Visitantes do parque– (328 Greenland Boulevard, Death Valley, CA) HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 8h às 17h. Optamos por iniciar a visita pelo Centro de Visitantes do parque, por ser um dos pontos que vendem o ticket em dinheiro (US$ 30,00 por carro, válido por 7 dias). O Furnace Creek Visitor Center é onde está o coração funcional/comercial do parque. Porém, como o ponto de partida ocorre em Las Vegas, haveria o gasto de tempo (aproximadamente 25 minutos – ida/volta) além de precioso combustível, para a visitação deste Centro. O Furnace Creek fica a 48 km da entrada do Death Valley Junction, pra quem vem de Vegas e 24 km do Stovepipe Wells Village que é o principal lugar pra quem vem da costa oeste Los Angeles ou San Francisco. O parque possui excelente infraestrutura, e bastante tranquilo no quesito segurança. Nas entradas do parque não há guarita, mas é necessário fazer o check-in em Furnace Creek. Furnace Creek é um centro de atendimento ao turista, onde você deve pagar pela entrada e retirar os passes para visitar ou cruzar o parque. Neste local vendem tickets para camping, hiking, além de oferecer todas as informações necessárias para a estadia. Além disso, no Furnace Creek há um interessante museu interativo, onde se conhece um pouco da história do lugar, vida selvagem, geologia, clima e aproveitar para usar os banheiros e renovar as garrafas de água. Entre um lugar e outro no parque, há algumas cabines de banheiros, na qual se pode utilizar. Dificilmente haverá pontos com pias e bebedouros. 12:05h – Primeiro Ponto – Zabriskie Point Interessante iniciar o tour no Zabriskie Point, dirigindo de Las Vegas até o Zabriskie Point, onde muitos visitantes se interessam para assistir à Alvorada. As montanhas coloridas e os picos nevados ganham tons de avermelhados e a cor das montanhas varia significativamente. Aqui foi um importante cenário para o clip musical "Today", da banda Smashing Pumpkins, onde Billy Corgan fez o papel de um sorveteiro, que leva uma van de sorvetes para o deserto (em seu uniforme, seu nome está escrito "Billie"). Parte do clipe filmado nesta parte, no Vale da Morte, na Califórnia, misturando homenagens; tanto ao filme de 1970, Zabriskie Point; como também revelou que decidiu homenagear um sorveteiro da época, que no último dia de seu trabalho, teve a virtuosidade de distribuir sorvetes grátis no bairro, na sua infância. 12:55h – Segundo Ponto – Dante’s View Há aproximadamente 33 quilômetros do Zabriskie Point, seguindo o tour, encontra-se o ponto acessível mais alto do Death Valley: Dante’s View, 1.642 metros acima do nível do mar. Para chegar até este ponto, tem de se percorrer uma estrada com 15 graus de inclinação e diversas curvas. (A estrada é restrita para carros e vans maiores de 25 pés). Deste ponto se consegue uma vista panorâmica, para ver o ponto mais baixo e o mais alto dos Estados Unidos, Badwater e Mt Whitney (4.400 metros), respectivamente. 14:10h – Terceiro Ponto – Badwater Basin Há aproximadamente 65 quilômetros do Dante’s View encontra-se o também bastante visitado Badwater, onde você pode caminhar sobre tabuleiros de sal, por cima de uma camada de água mineral em constante evaporação. O Badwater, ou Água ruim, é um dos lugares mais turísticos e lotados do Death Valley, mesmo assim, caminhar pelos campos salgados e ver a placa indicando a altura do nível do mar no alto de um morro. Algumas vezes, no Badwater encontram-se pequenas lagoas de água salgada. Imagine só a tristeza de quem chegava aqui, há centenas de anos atrás, no lombo de uma mula e desavisado no verão – com um sol de mais de 40 graus nas costas – e resolvia provar um golinho dessa lagoa. Decepção, ou melhor, desidratação na certa. No Bad Water, dá para aproveitar a imensidão branca para criar umas ilusões de ótica bacanas e tirar diversas fotos. 14:30h – Quarto Ponto – Devil’s Golf Course Há aproximadamente 22 quilômetros do Badwater, e seguindo roteiro, a próxima parada do trajeto é no Devil’s Golf Course, literalmente o campo de golfe do capeta. É uma paisagem super interessante formada pelos cristais de sal no solo do deserto. Apesar de difícil de caminhar, a vista aos cristais merece uma visita. 14:40h – Quinto Ponto – Artist’s Pallet Fica distante aproximadamente 14 quilômetros do Devil’s Golf Course. Outro ponto de interesse dos visitantes é ir até o Artist’s Pallet, onde muitos adoram assistir o pôr do sol. Essa linda rota de 15 quilômetros passa por um conjunto de montanhas colorido cujas cores variam de acordo com a hora do dia. A rota tem dois mirantes bem bacanas com pequenas trilhas adjacentes. Subir ás montanhas coloridas foi uma das experiências mais bacanas do meu dia. Aqui foram gravados diversos cenários dos filmes de Star Wars. 15:35h – Sexto Ponto – Mesquite Sand Dunes Local com dunas onduladas de areia que dão um contraste na paisagem do deserto. As dunas recebem esse nome devido às mesquitas, pequenas árvores típicas, presentes nas dunas menores. É uma área onde pode-se encontrar alguns animais como lagarto, coiote e cascavel. Como o pôr-do-sol ocorre no Death Valley em torno das 16:30h, o ideal é curtir a noite no Mesquite Sand Dunes, um dos melhores lugares do parque para ver estrelas. O céu, sem nenhuma poluição visual, é absolutamente lindo. A constelação via láctea, é bem visível. 16:30h – Saída do Death Valley National Park → CUSTO: US$ 30,00 (por carro, válido por 7 dias) 17:30h – Jantar – Mc Donald’s (710 S, NV-160, Pahrump, NV) Neste restaurante da rede o cliente não encontra os famosos totens eletrônicos de autoatendimento, para efetuar os pedidos. Bom atendimento dos funcionários e ambiente limpo nesta filial em Pahrump. Apesar de ser incomum os clientes darem gorjetas nos restaurantes fast food, nós fizemos uma exceção para a atendente gentil deste Mc. 18:05h – Walmart Supercenter (Pahrump, NV) 19:20h – Observação da Lua - Chevron (12325 NV-160, Las Vegas - West, NV 89445, Estados Unidos) 20:00h – Chegado ao Stratosphere Hotel, Casino & Tower (2000 Las Vegas Blvd S Las Vegas, NV) 17º Dia 06:50h – Saída do Stratosphere Casino, Hotel & Tower Las Vegas, em direção ao Grand Canyon, AZ Arizona Lar para 22 etnias nativas, o Arizona é o mais “indígena” entre todos os Estados Unidos. Hopi, Navajo e Havasu são algumas das tribos mais numerosas e, embora parcialmente miscigenadas, cada grupo mantém sua identidade cultural bastante viva e presente, nas reservas ou nas cidades. Dos 1,9 milhão de índios registrados no censo de 2008 em todo o país, aproximadamente 307 mil são da etnia navajo. Só na capital, Phoenix, vivem 44 mil nativos. É uma das cinco cidades norte-americanas com maior população indígena, competindo com Anchorage, no Alasca e Nova York, que está na lista apenas por ser a cidade onde todos os números são superlativos. No Arizona a cultura indígena está em toda parte. Nas questões políticas, na decoração urbana, na música, na comida, nos museus. Todo mês de março o Museu Heard de Phoenix sedia uma feira de arte nativa, que reúne mais de 700 artistas indígenas, reforçando a presença dessa indígena no Estado. O Estado também é famoso por estar nas telinhas do desenho dos Looney Tunes, Papa-léguas e Coyote, criado em 1949. O Coyote é o personagem faminto que tenta perseguir o Papa-Léguas com ajuda dos produtos ACME, uma empresa fictícia que vende de tudo um pouco. No entanto, as mercadorias sempre deixaram o Coyote na mão. 08:45h – Parada para foto perto do Museu Ferroviário de Kingman, (AZ) - Caixa d'Água - Water Tower (Kingman, EUA) A cidade de Kingman possui menos de 30 mil habitantes e é conhecida por ser “The Heart of Historic Route 66”, ou seja, O Coração da Histórica Rota 66. Durante a Segunda Guerra Mundial, a cidade teve um papel importante sendo uma das bases da Força Aérea Americana para treinamento de soldados. 10:30h – Parada em Seligman, AZ Seligman é uma pequena cidade do velho oeste que pertence ao Condado de Yavapai, no Arizona, Estados Unidos, considerada o berço da Historic Route 66. A população no censo de 2000 era de 456, e no último censo de 2010 apontou 445 habitantes, numa área total de 6,4 milhas quadradas ou 17 km2, portanto 26,81 pessoas por km2. Localizada entre as cidades de Flagstaff e Kingman, o município se autodenomina “Ponto de nascimento da histórica Rota 66” e mesmo que Springfield, no Estado do Missouri conteste essa afirmação é inegável que o espírito da Route 66 é muito mais vivo nesta região, afinal ainda conserva o estereótipo das cenas que vemos nos diversos filmes de viagem. Esta não é apenas mais uma rota, este é o símbolo do espírito empreendedor norte-americano, uma via que foi construída com a missão de juntar estados tão diferentes entre si e permaneceu com a alma dos antigos desbravadores e sem a interferência dos tempos modernos. Em 1984, a Rota 66 foi declarada extinta do sistema viário americano, portanto a estrada mais famosa da América deixou de existir, já que houve a construção da Interstate-40. Poucos anos após isso, houve o surgimento na cidade de Seligman um movimento, uma associação em pró da "HISTORIC ROUTE 66". Na cidade há a reprodução do Velho Oeste, pois há prédios, fachadas de lojas clássicas que são iguais às daqueles tempos, quando Seligman foi criada, no final do século XIX. Este espaço serviu como pano de fundo para muitos filmes, clipes musicais, documentários e comerciais de TV. Ao lado, Destaque-se a prisão, que foi a primeira prisão territorial do Arizona, totalmente preservada. A carrocinha com grades já manteve presos bandidos notórios como Seligman Slim, Four Fingered Frank e o lendário Carl “Curley” Bane. Nos tempos modernos, a cidade de Seligman inspirou o filme ''Carros'', da Disney. Grand Canyon (AZ) Conhecido por suas formas e cores fantásticas, o Grand Canyon é uma das paisagens mais espetaculares dos Estados Unidos. O extenso cânion é um desfiladeiro íngreme e foi esculpido em suas muitas camadas de pedra pelas águas barrentas do rio Colorado. Ele se estende por 466 quilômetros através do noroeste do estado do Arizona, variando de 200 metros a 29 quilômetros de largura. Em alguns lugares, tem mais de 1,5 quilômetro de profundidade. Algumas das rochas do Grand Canyon têm 04 bilhões de anos. O rio Colorado começou a corroer, ou desgastar, as pedras há cerca de 06 milhões de anos, ao longo de seus 2334 km de extensão entre o Rocky Mountains National Park nas montanhas do Colorado, passando pelos estados de Wyomming, Colorado, Utah, Nevada, Novo Mexico, Arizona e Califórnia; carregando todos os anos toneladas de sedimentos que ao longo de milênios modificou completamente a paisagem por onde passou (Zion National Park, Bryce Canyon National Park, Canyonlands National Park, Arches National Park, Capitol Reef National Park, entre outros são prova e resultado desse processo), até finalmente encontrar o Oceano Pacífico no Golfo da Califórnia no México. O vento e a chuva ajudaram nesse processo, chamado erosão. O cânion é principalmente vermelho, mas várias camadas de pedra são marrons, roxas, verdes, cor-de-rosa e cinza. Segundo um estudo publicado pela revista científica Science, o Grand Canyon, teria cerca de 70 milhões de anos de idade, confrontando estudos anteriores, com base na análise do cascalho encontrado no rio Colorado, apontam que o cânion poderia ter sido formado há “apenas” 05 ou 06 milhões de anos. Salgueiros e álamos crescem no fundo do cânion, onde há bastante água. Há florestas magníficas de pinheiros, abetos e faias na extremidade norte do cânion. Os cactos são comuns nas áreas mais secas. A vida selvagem inclui coiotes, raposas, veados, texugos, pumas, linces, coelhos e esquilos. O Parque Nacional do Grand Canyon é riquíssimo em Urânio, e o governo dos Estados Unidos, na gestão de Barack Obama, proibiu a mineração em uma área de 400 mil hectares no entorno do Grand Canyon pelos próximos 20 anos. Em vigor desde 2012, essa proibição é a mais longa permitida pela legislação americana, já que os pedidos de mineração aumentaram pelo menos oito vezes entre 2005 e 2009. A exploração desse mineral pode contaminar a água da região, além de que as minas de outros tempos já teriam deixado uma série de locais contaminados e uma série de patologias à população Navajo. 12:50h – Grand Canyon National Park (Arizona, EUA) → PRIMEIRA PARTE DO ROTEIRO (ÁREA OESTE): Chegar pela Entrada Sul, que é a principal entrada do parque e fica próximo da cidade de Tuyasan. A entrada fica na frente do mirante mais imponente do parque, o Mather Point. Como os estacionamentos perto dos mirantes são pequenos e frequentemente lotados, então o ideal é estacionar o veículo no Centro de Visitantes (The Grand Canyon Visitor Center) e usar os shuttles internos gratuitos, para passear pela área, com o intuito de conhecer a borda Oeste do Parque Pima Point, é um dos lugares indicados para assistir o pôr do sol. Mohave Point, além de abranger o The Abyss, o destaque fica por conta da visão, mesmo distante, de uma das corredeiras do rio Colorado. É um ponto essencial para quem quer contemplar essa vista combinada com o Grand Canyon. Parada super recomendada! Este nome é uma homenagem à antiga população indígena da região. No ponto final, há um centro com banheiros, água potável e uma loja simpática com produtos indígenas e souvenirs. Powell Point, um lugar bem interessante por questões históricas. Tem um memorial em homenagem ao explorador John Wesley Powell, o primeiro a organizar uma expedição pelo rio Colorado,em meados do século XIX. → SEGUNDA PARTE DO ROTEIRO (ÁREA LESTE): 16:00h – Acesso ao Desert View Drive O circuito completo leva cerca de 80 minutos, sem contar o tempo das paradas. Destaque para alguns pontos de parada considerados mais interessantes → PIPE CREEK VISTA Localizado na Desert View Drive, entre o Grand Canyon Visitor Center e o South Kaibab Trailhead no Yaki Point, o Pipe Creek Vista oferece vistas espetaculares do Pipe Creek, o principal desfiladeiro entre a Kaibab Trail e a Bright Angel Trail. O Pipe Creek Vista fica na Rim Trail, que se estende ao longo da Grand Canyon South Rim, do Hermit Rest e vai até o South Kaibab Trailhead. Devido à sua proximidade com o Grand Canyon Village, o Pipe Creek Vista é uma alternativa popular e mais tranquila, em relação ao Mather Point. → MORAN POINT - DUCK ON A ROCK VIEWPOINT Mirante na qual se observa uma rocha, em formato de um pato. → GRANDVIEW POINT Mirante popular do Grand Canyon, com pontos de vagas de estacionamentos escassos. → LIPAN POINT Excelente visibilidade do cânion, tanto do lado esquerdo quanto ao direito. Algumas pessoas acessam, de forma arriscada, algumas rochas mais abaixo, o que permitia uma maior visibilidade do abismo à esquerda. → DESERT VIEW WATCHTOWER Área organizada, com uma ótima estrutura, além de uma torre de observação gratuita no Grand Canyon. A vista é de tirar o fôlego, como também há visibilidade de um bom trecho do rio Colorado. 19:45h – Jantar – Road Kill Cafe & O.K. Saloon – (22830 W Old Highway 66, 502 W Hwy 66, Seligman, AZ) Bom atendimento, com preços honestos e ambiente pitoresco do velho oeste, com bastante animais empalhados. O Road Kill Cafe é inspirado nos Estados norte-americanos, na qual o consumo de animais mortos à beira da estrada é permitido, inclusive os itens do cardápio incluem pratos com nomes bizarros. O termo “Roadkill” sempre foi utilizado de forma pejorativa pelos caminhoneiros que cruzavam os Estados Unidos e queriam se referir aos restaurantes de beira de estrada como “vendedores de carne ruim”, mais ou menos como o pessoal do Brasil que se refere a algumas comidas de rua como “churrasquinho de gato”. No Tennessee, por exemplo, recuperar e consumir bichos atropelados (com exceção de animais de estimação ou domésticos) é perfeitamente legal perante a lei e não necessita de nenhum registro ou intervenção, já no estado de Maine a polícia tem que marcar os animais mortos antes dos moradores levarem para casa. No Colorado as pessoas podem consumir os animais atropelados encontrados em beiras de rodovias desde que autorizados pela Divisão de Parques e Vida Selvagem, mas os restaurantes que desejarem servir cozidos e bifes de bichos mortos encontrados nas estradas não é simples, a carne precisa ser fresca e não estar muito machucada. No Arizona, as leis estaduais não só proíbem a coleta e consumo de “roadkill” como a jurisprudência também proíbe especificamente a caça de camelos (as leis americanas podem ser bem doidas às vezes). Este restaurante definitivamente soube usar do marketing para atrair clientes. 23:20h – Welcome to Fabulous Las Vegas Sign – (5200 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV ) Local tradicional para fotografias em Vegas. Há estacionamento no local, que é totalmente gratuito. Há fotógrafos por lá, que tiram fotos através dos próprios celulares dos visitantes, em troca de gorjetas. – Retorno ao Stratosphere Casino, Hotel & Tower, em direção à Las Vegas, NV 18º Dia 07:30h – Saída do Stratosphere Casino, Hotel & Tower Las Vegas 07:50h – Welcome to Fabulous Las Vegas Sign – (5200 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV ) O site Earthcam, além de conseguir ver Las Vegas ao vivo, armazena 24 hrs do que é filmado, então há tempo de ir pro hotel e buscar pelo horário em que esteve por lá e salvar o momento em que o grupo esteve lá no letreiro de Las Vegas, Nevada: Para isso é só acessar ao lado do botão LIVE, um botão denominado Archive. 08:00h – Deslocamento para a cidade de Henderson, NV 08:45h – Réplica da Casa dos Simpsons – (712 Red Bark Ln, Henderson, NV) Para comemorar os 10 anos do seriado, The Simpsons em 1997, uma empresa chamada Kaufman & Broad construiu uma réplica perfeita da casa da família mais pirada do universo. 09:30h – The Venetian – (3355 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV) O The Venetian está localizado na Strip – principal avenida de Las Vegas. É um dos hotéis mais luxuosos da cidade e está interligado ao Hotel The Pallazzo. O hotel possui mais de 4 mil quartos distribuídos em 36 andares e um total de 11 categorias de acomodação para escolher. Há opções de quarto mais simples, porém bastante confortáveis, como também suítes requintadas e sofisticadas, dependendo do seu orçamento. São mais de 42 locais para alimentação nas dependências do hotel. Desde cafés, confeitarias, bares e restaurantes de culinárias diferentes. O teto é impressionante! A iluminação nos faz parecer estar a céu aberto. Uma praça central imita a Praça de San Marco, com atrações a toda hora e vários restaurantes legais. 09:45h – The Palazzo – (3325 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV) Inaugurado em dezembro de 2007, possui 3.068 acomodações, sendo todas elas suítes. Grandioso, com luxo típico dos grandes hotéis de Las Vegas. Tudo nele é superlativo! Ele compartilha com seu irmão, o The Venetian, o tema Itália e seu lobby é todo em mármore italiano, transbordando opulência. No The Palazzo você tem um dos maiores cassinos à sua disposição, com slot machines (caça-níqueis), roleta, Black Jack, pôquer e outros jogos do gênero. São centenas de máquinas e mesas ao seu dispor. É praticamente impossível não passar pelo cassino, pois ele está localizado em um ponto estratégico. Lá dentro você não encontrará janelas ou relógios. Em seu interior é permitido beber e fumar. 10:00h – Treasure Island Localizado no extremo norte da The Strip, com mais de 2800 quartos, de todos os cassinos visitados esse foi o de longe o que tinha maior cheiro de cigarro, entranhado dentro do estabelecimento. A área de Cassino é pequena comparada às outras, e é interessante para o cliente que busca ficar distante de badalação ou luxo. 10:30h – The Mirage 10:40h – Caesars Palace – (3570 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV) Caesars Palace é um dos mais icônicos da famosa Strip, a principal avenida de Las Vegas. Fundado em 1966, o hotel e cassino tinha como objetivo passar para os hóspedes uma sensação de estar no Império Romano através de muitas estátuas colunas, pinturas. Logo na entrada, uma estátua de mais de 6 metros do antigo imperador Júlio César decora a fachada. O complexo é gigantesco, luxuoso, com cassino integrado, lotado de lojas de grife e restaurantes bacanas, mas com preços muito altos. O wi-fi é gratuito, porém muito instável. O hotel conta com uma arquitetura belíssima, finamente decorado. É uma daqueles lugares que você entra e logo de cara se deslumbra. Na área externa, fontes, estátuas, tudo em clima de decoração romana. Na parte interna, quadros, estátuas, pinturas nas paredes, teto decorado. Possui 3.960 quartos e suítes distribuídos em seis torres diferentes. São mais de 28 mil m² de área! Além disso, o hotel abriga uma arena para shows e espetáculos que frequentemente recebe nomes consagrados da música e do teatro. Fomos acompanhar o show gratuito Fall of Atlantis, no Caesars Palace Forum Shops, em frente do Cheesecake Factory. Ela acontece diariamente às 11h e apesar da suntuosa apresentação, na nossa opinião não valeu a pena. O curto espetáculo apresenta personagens da mitologia grega, com efeitos de água e fogo, em uma fonte composta por estátuas. A trama mostra como a rivalidade entre irmãos levou ao declínio de Atlântida, a famosa cidade da mitologia. 11:30h – Bellagio – (3600 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV) O Bellagio é um ponto turístico de respeito em Las Vegas, com uma localização estratégica na The Strip, além de seu imponente show das águas, que sempre muda de tema; e seu jardim florido com um número inacreditável de cores e formas, o chamado Conservatório de Flores, sendo uma atração gratuita oferecida pelo complexo. Este importante cassino-hotel sedia um dos mais disputados espetáculos de Las Vegas, o espetáculo do Cirque du Soleil, o “O”, que é apresentado em um enorme tanque de água. Exclusivo da cidade de Las Vegas, “O” é a única atração em teatro do Bellagio. A última cena do filme “Onze Homens e um Segredo” (2001), dirigido por Steven Soderberg, ocorre no Bellagio o famoso baile das águas, onde o espetáculo dura alguns minutos. Nós tivemos a oportunidade de conferir um dos mais belos espetáculos da cidade do pecado: as icônicas imagens do show das águas, no famoso Bellagio! Foi antes do almoço, no final da manhã, com o ritmo da música “Viva Las Vegas”, de Elvis Presley. E a melhor parte: rápido (não mais que 05 minutos) e gratuito. 11:40h – Paris Las Vegas – (3655 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV) A principal atração do hotel Paris é a Torre Eiffel. Diferente do que muitos turistas pensam ela não é apenas uma maquete. Você poderá subir até o mirante e ter uma das mais belas vistas de Las Vegas, especialmente à noite. Todo o complexo do hotel segue a temática da capital francesa e prima por detalhes capazes de encantar a todos os visitantes apaixonados pela Cidade Luz. Os corredores do cassino e as “ruas” de lojas são totalmente decorados com detalhes que remetem os hóspedes e visitantes imediatamente à Paris. 11:50h – Almoço – Le Village Buffet – (3655 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV) Grande ambiente. Instalado em um cenário que imita uma vila provençal, o Le Village foi uma opção bacana pra sair da mesmice. A parte de doces tem bons macarons e cheesecakes, as carnes e massas são as melhores opções na parte salgada. Se for de crepe, prefira os doces do que os salgados. Não é uma boa opção em Vegas para fãs de comida japonesa. → CUSTO: US$ 32,00 (Buffet livre). 13:20h – ESTACIONAMENTO: GRATUITO: The Venetian – (3355 Las Vegas Blvd. South, Las Vegas, NV) O acesso é feito pela Strip – siga as indicações. É possível entrar pela Koval Lane – atrás do hotel – siga os sinais e vire para o norte. Dicas: O estacionamento tem 14 andares. Possui serviços com manobristas nos níveis 2 e 4 – fique atento, pois podem existir taxas. O nível 1 destinado a veículos maiores. Existe uma área de estacionamento de poker/VIP no 5° andar. 13h:45 – Bonanza Gift Shop – (2400 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV) Enorme loja de souveniers, sendo considerada a maior loja de presentes do mundo, com mais de 40.000 pés quadrados de espaço para compras, com estacionamento próprio e está localizado ao lado do Hotel The Strat. Bastante variedade de bugigangas, se garimpar bem na loja o cliente consegue encontrar itens úteis e com preços condizentes. O ponto negativo fica por conta do staff que vigia os clientes como se fossem, quisessem furtar/subtrair algo. 14:15h – Retorno ao The Strat - Stratosphere Casino, Hotel & Tower 19:30h – ARCO 19:45h – Trato Feito – (713 S Las Vegas Blvd, Las Vegas, NV ) A Gold & Silver Pawn Shop é a famosa loja de penhores da família Harrison, que está localizada em Vegas, do reality show "Trato Feito", que está em sua 15ª temporada e que se mantém até hoje como um dos programas mais populares do canal por assinatura The History Channel no Brasil. Trata-se de uma loja comum que virou um polo de peregrinação de turistas que querem "negociar" com os famosos proprietários (Rick, Corey, The Old Man e Chumlee). O público faz fila para entrar, mas os donos não ficam mais na loja. Só vão para lá para gravar o programa. 20:00h – Fremont Street Experience – (425 Fremont Street, Las Vegas, NV) A Fremont Street Experience é um local bem divertido e curioso, onde estão os antigos hotéis e cassinos de Las Vegas, com diversos shows gratuitos, junkies, pedintes, bailarinas sexys, gogo boys, cover de Michael Jackson, entre outras coisas estranhas e bizarras. Lá estão os famosos hotéis e cassinos que fizeram a história de Las Vegas e já foram cenário de vários filmes. O Golden Nugget revitalizado, o Golden Gate que nasceu em 1906 e as famosas fachadas que foram revitalizadas e são símbolos de Vegas, como o cowboy Vic e a cowgirl Vicky. Esse lado esquecido de Vegas, além de não possuir o glamour dos grandes hoteis da Strip, impera o quase insuportável cheiro de cigarro nos cassinos e o seu comércio de rua é deprimente. Lá está a maior tela de led do mundo. Ela tem 1.500 pés de comprimento e 90 pés de largura. As principais atrações na Fremont Street estão na maior pepita de ouro, exposta no Golden Nugget Hotel & Casino ou tirar foto ao lado de um milhão de dólares expostos no Binion's Gambling Hall. 21:15h – 7-Eleven (1100 Las Vegas Blvd S, Las Vegas, NV) 22:00h – Retorno ao The Strat - Stratosphere Casino, Hotel & Tower 19º Dia 01:30h – Check-out no Stratosphere Hotel, Casino & Tower – (2000 Las Vegas Blvd S Las Vegas, NV) 02:30h – Devolução do Carro na locadora Hertz - Las Vegas McCarran International Airport – (7135 Gilespie Street Las Vegas, NV US 89119-1256) - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO 24h A devolução do carro é simples. Como os demais locais, utilizamos o aplicativo Waze para chegar corretamente ao endereço, algumas milhas próximas ao aeroporto há várias placas sinalizando o local de devolução "car return ". No prédio de devolução há sinalização do local de estacionamento para a devolução de cada locadora, estacionamos o carro no local destinado a Hertz e deixamos as chaves na ignição. Devido ao horário que devolvemos, não havia funcionários disponíveis para efetuar o checklist, após duas horas recebemos o recibo de locação no e-mail: Conforme descrito anteriormente, umas das dificuldades que tivemos no planejamento foi com relação a informações da devolução do carro em outro estado americano. A melhor escolha foi a reserva feita por telefone da Localiza Hertz, foram inclusas as taxas, inclusive a taxa de retorno (conhecidas como one way e drop fee), no valor fixo de US$ 100,00, além dos seguros LDW (seguro para o carro) e LIS (seguro para terceiros). → CUSTO: US$ 488,30 (15 dias, com milhagem ilimitada, seguro LDW e LIS, taxas totais inclusive a de retorno do carro em outro estado, pagamento exclusivo em cartão de crédito). 05:20h – Voo de retorno ao Brasil - (Las Vegas McCarran International Airport). Extras ''Colecione momentos e não coisas! Viaje!'' → Distribuição de noites, foram 18 noites distribuídas da seguinte forma: - San Francisco (04 Noites); - Monterey (01 Noite); - San Luis Obispo (01 Noite); - Los Angeles (03 Noites); - Anaheim, (03 Noites); - San Diego (02 Noites); - Las Vegas (04 Noites). → Curiosidades a) O percurso total rodado de carro foram 2.733 milhas (4.372 quilômetros). b) Essa incrível viagem saiu graças ao site Mochileiros. Nós nos encontramos aqui, em procura de companhia de viagem. → Mapa do nosso trajeto, link: https://www.google.com/maps/d/viewer?usp=sharing&mid=1ScYIwXiW2XynoO3JrhuEoOX-UOXir9fo → Playlist criada para a Road Trip, link: https://open.spotify.com/playlist/1lmDQJPqOLcgTvuzDlE4h9?si=oN1iFkWtTE6K824CITtMrg ''Viajar é a única coisa que você compra, que te faz mais rico.'' __________________________________________________ FIM __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  7. 13º Dia - Continuação San Diego (CA) Cidade com alta qualidade de vida, antitabagista e antialcoólica, é considerada uma das melhores localidades norte-americanas para se viver. Segundo município mais populoso da Califórnia, com quase 1,5 milhão de habitantes, San Diego é um verdadeiro oásis de diversão, já que está situada entre o deserto, o mar e o México. Um dos seus pontos altos é a marina, que está sempre lotada de veleiros e barcos que fazem deliciosos passeios pelo Pacífico. 10:00h – San Diego Bay Park Lindo parque na entrada de San Diego, há banheiros públicos disponíveis. 10:30h – Cabrillo National Monument – (1800 Cabrillo Memorial Dr, San Diego, CA) HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 09h às 17h. O caminho até Point Loma é deslumbrante ao chegar a este local, que fica na ponta da Península de San Diego, na qual oferta uma bela vista da baía de San Diego com seu porto, e a gigantesca base naval; até mesmo atravessando o Fort Rosecrans National Cemetery, cemitério onde descansam combatentes das guerras. Lá há um monumento em homenagem ao português Juan Cabrillo que foi o primeiro europeu a pôr os pés na costa oeste da América em 28 de setembro de 1542, uma enorme escultura em pedra calcária de cerca de quatro metros. No local ainda há instalações de um pequeno museu, que narra toda a história da expedição europeia, além das mudanças na região, ao longo dos séculos na região. É possível vislumbrar peças de vestuário, cartas antigas, ferramentas, utensílios domésticos e um pouco da fauna e flora locais. No inverno é possível a observação das baleias migratórias, que passam todos os anos pela região. Local com amplo estacionamento. → CUSTO: US$ 15,00 (por carro, válido por sete dias). 12:00h - ALMOÇO – Las Cuatro Milpas – (1875 Logan Ave, San Diego, CA) Restaurante típico mexicano com bastante movimento e normalmente com filas longas, que terminam em alguns minutos. Aceitam somente no dinheiro. Não há estacionamento próprio, e servem carne bovina, frango, arroz e feijão. 13:20h – Check-in no Best Western Plus Bayside Inn – (555 W Ash Street, San Diego, CA) O quarto possui duas camas Queen, como a maioria dos hotéis americanos → CUSTO: R$ 1.134,18 (2 noites, suíte para 2 pessoas) 15:00h – La Jolla Cove – (1100 Coast Blvd, La Jolla, CA) → Local recheado de turistas, com mau odor, sendo povoado com uma colônia de leões-marinhos, aves como cormorões, pelicanos e gaivotas em um local lindo, em seu habitar natural, com um pôr do sol fantástico. Bem estruturado, através de mirantes e escadarias que colocam os visitantes em locais estratégicos para ver, filmar ou fotografar; além de banheiros e vestiários. → Quanto ao estacionamento, o ideal é estacionar fora da área congestionada, e ir a pé até a atração. 16:20h – Dog Beach – (Ocean Beach Bike Path, San Diego, CA) Desde 1972, a praia dedicada para receber os cães, que adoram o contato com a água e correr livremente na areia. Possui uma infraestrutura para recebê-los, de saquinhos para recolher as sujeiras, como também bebedouros na altura deles. 17:00h – Ocean Beach Pier – (1950 Abbott St, San Diego, CA) Utilizado também pelos locais para pescar, nas proximidades aluguel de equipamentos está disponível; o passeio caminhando pelo Píer é relaxante e agradável, principalmente para observar o pôr-do-sol em San Diego. Bastantes restaurantes nas proximidades. 18h30 – Dollar Tree – (3337 Rosecrans St, San Diego, CA) 19:15h – Retorno ao Hotel Best Western Plus Bayside Inn San Diego, CA 20:20h – Seaport Village – (849 W Harbor Dr, Downtown, San Diego, CA) Lugar com boa estrutura turística, bem cuidado e arborizado, semelhante à um mini-shopping a céu aberto, ideal para descansar e ver o pôr do sol. Ambiente familiar, encontrando desde jovens, casais, grupos de amigos, idosos, pais com crianças pequenas, além de bastante vendedores de artesanato nas calçadas. Um passeio interessante no Seaport Village é andar de bicicleta, na qual há lojas para aluga-las, por cerca de US$ 05. 21:10h – Skyline de San Diego (Centennial Park , Coronado, CA) z 22:15h Retorno ao Hotel Best Western Plus Bayside Inn – (555 W Ash Street, San Diego, CA) 14º Dia 06:30h – CAFÉ DA MANHÃ no Best Western Plus Bayside Inn – (555 W Ash Street, San Diego, CA) 08:00h – Balboa Park – (1549 El Prado, San Diego, CA) Considerado o maior parque cultural da América do Norte, contando com diversas atrações imperdíveis para se conhecer. O parque foi inaugurado no ano de 1868 e, ao longo de toda a sua história, foi se tornando um dos símbolos de San Diego. Parque com ambiente familiar, que inclui diversos museus e o famoso zôo, onde tem um casal de pandas. Estacionamento amplo e gratuito. → Figueira de Moreton Bay (Ficus macrophylla) Plantada em preparação para a Exposição Panamá-Califórnia de 1915, a árvore nativa australiana cresceu a uma altura de aproximadamente 24 metros e estima-se que tenha 108 anos. Está listada nas grandes árvores da Califórnia. Em outros tempos, era um local popular para crianças e turistas subirem em suas raízes magníficas. Mas a árvore começou a declinar devido a danos nessas raízes, e a árvore foi isolada em 1989. → Balboa Park Carousel A coleção de animais coloridos foi esculpida à mão em 1910 na fábrica Herschell-Spillman, em New York. O carrossel foi enviado para Los Angeles e instalado no Luna Park. Em 1912, foi transferido para Coronado e, finalmente, para o Balboa Park, em San Diego, em 1922. Originalmente situado no extremo leste de El Prado, foi transferido para seu local atual perto do zoológico, em 1968. Todas as suas características originais estão intactas hoje, incluindo os 58 lugares, e suas pinturas coloridas. → Inez Grant Parker Memorial Rose Garden Este jardim exibe cerca de 1.600 rosas, com centenas de variedades. Os jardins são mantidos durante todo o ano, por uma equipe de cerca de 45 voluntários. 09:00h – Zoo de San Diego – (2920 Zoo Dr, San Diego, CA) HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 09h às 17h. Incontestavelmente o Zoológico de San Diego é a principal atração da cidade. Ao invés de tristes animais enjaulados, os visitantes – crianças e adultos – terão uma viva experiência observando os 4 mil exemplares de 800 espécies em ambientes especialmente criados para eles. Localizado dentro do parque Balboa, tem estacionamento amplo e gratuito. HISTÓRIA Tudo começou em 1916, durante a Exposição Panamá-Califórnia, quando O jovem Dr. Harry M. Wegeforth ouviu os gritos de um leão enjaulado. Em uma faixa ao longo da Park Blvd. abrigava uma zona. Incluía uma coleção de animais exóticos, alojados em um grupo de gaiolas em ruínas. Originalmente criados como parte da exposição, os donos haviam falido e havia a questão do que seriam destes animais. Harry Wegeforth e seu irmão, Paul, tiveram uma ideia aparentemente absurda de comprar alguns animais de moradores locais, como cobras e até mesmo roubar um jacaré de estimação no quintal, para criar um zoológico para a cidade de San Diego. Eles também não tinham experiência em gerenciamento de zoológicos, mas insistiram com a ideia. Eles formaram a Sociedade Zoológica de San Diego. As quotas e doações de membros forneceram a renda do projeto. Eles administraram o pequeno zoológico por vários anos, adicionando novas exposições com animais doados principalmente por pessoas da região. Em 1921, foi oferecida à Sociedade Zoológica um terreno no Balboa Park. Era composto por mais de 600.000 metros quadrados, do que era considerada uma terra "inútil" pela cidade. Mas Harry Wegeforth teve a visão de um novo tipo de zoológico, com animais cercados ao ar livre, em vez das gaiolas. → CUSTO: US$ 56,00 13h:45 – Deslocamento do ZOO San Diego 14h:10 – T. J. Maxx – (3355 Rosecrans St, San Diego, CA) 15h:10 – Retorno ao Hotel Best Western Plus Bayside Inn San Diego, CA 17:15h - Unconditional Surrender ou ‘‘Estátua do Beijo’’ – (55 Tuna Lane, San Diego, CA) A icônica foto ‘’The Kiss’’, tirada pelo fotografo Alfred Eisenstaedt, que protagonizou a enfermeira Greta Zimmer Friedmane (falecida em 2016) e o marinheiro George Mendonsa (hoje pescador aposentado), ficou imortalizada na história, pelo mundo todo, foi tirada na Times Square em Nova Iorque. Ela possui um significado importante, pois representa a celebração do fim da Segunda Guerra Mundial, no dia 14 de agosto de 1945. Ao lado esquerdo do porta-aviões USS Midway, está localizada a Estátua do Beijo. A estátua é gigante, possui um pouco mais de 7 metros de altura. 18:00h – Top Gun Party and Movie Nigth Midway Museum – (910 N Harbor Dr, San Diego, CA) O USS Midway Museum fica em uma região chamada de Embarcadero, que faz parte do centro da cidade, ou downtown San Diego, em inglês. O maior museu dentro de um porta-aviões no mundo, voltado para a aviação naval, sendo uma máquina de guerra transformada em museu, para que todos possam conhecer um pouco mais sobre a Marinha americana. O USS Midway começou sua vida no final da II Guerra Mundial, em 20 de março de 1945. Depois de muitos anos servindo seu país foi aposentado e em 1997 virou museu, sendo preparado para tal. Foi aberto ao público dia 6 de junho de 2004. Na entrada do USS Midway, há disponível o aparelho para fazer o áudio tour, e dentre os idiomas inclusos neste passeio, há a opção em Espanhol. Cada visitante decide o que quer ver, em qual momento, e quanto tempo deseja ficar em cada lugar. Seu estado é ótimo e você chega a ter dúvidas se ele não poderia estar navegando até os dias atuais. Para um passeio proveitoso é ideal separar, pelo menos duas horas. 20:25h – Dollar Tree (3355 Rosecrans St, San Diego, CA) 21:00h – Retorno ao Hotel Best Western Plus Bayside Inn – (555 W Ash Street, San Diego, CA) 15º Dia 07:30h – CAFÉ DA MANHÃ no Best Western Plus Bayside Inn – (555 W Ash Street, San Diego, CA) 09:00h – Check-out no Best Western Plus Bayside Inn – (555 W Ash Street, San Diego, CA) 10:00h – International Friendship Park – Parque da Amizade – (Monument Road, San Diego, CA) Inaugurado em 1971, pela então primeira-dama dos EUA, Pat Nixon, o Friendship Park é o único ponto de encontro binacional, ao longo dos mais de três mil quilômetros de fronteira, entre Estados Unidos e México. Tivemos a oportunidade em conversar com um mexicano, através do muro. Ele ficou feliz em conversar com brasileiros. Visivelmente as pessoas do outro lado, queriam estar deste lado. Ponto de contato com pessoas, que estão do outro lado do muro Helicópteros sobrevoando a região, com um ostensivo patrulhamento da fronteira, e um muro com extensão, até mesmo sobre o Oceano Pacífico, é visível a experiência humilhante na triste situação entre dois lados. Atualmente 930 km de muro entre os dois países já existem, tendo sido construídos a partir do governo de George Bush (1991) e ampliados na administração de Bill Clinton (1994). A fronteira entre México e EUA na região entre San Diego e Tijuana tem, hoje, duas cercas. A primeira foi construída em 1994 com aço que fora usado na Guerra do Vietnã. A segunda, em 2009, é paralela à primeira e tem cerca de 20 quilômetros, contra mais de 70 da original. Ela tem arame farpado e alcança até o oceano. Visão entre os dois muros Há também uma sofisticada rede de sensores e câmeras que detectam qualquer movimento que possa significar um cruzamento ilegal. Isso reduziu o número de migrantes na área, que, há três décadas, eram metade das apreensões de todo o país. Desde a construção da primeira cerca, em 1994, estima-se que seis mil pessoas tenham morrido tentando cruzar a fronteira, o que reduziu em 75% as entradas de imigrantes ilegais. Portão de acesso ao ponto de contato com pessoas, que estão do outro lado do muro O portão é aberto somente aos sábados e domingos entre as 10:00 e as 14:00 → CUSTO: US$ 5,00 por veículo. → Deslocamento de San Diego, CA para Las Vegas, NV. 12:45h – Original McDonald's Site and Museum - (1398 N E St, San Bernardino, CA) A primeira loja do McDonald’s – localizada em San Bernardino, Califórnia, na Historic Route 66 – hoje em dia, não é mais um restaurante. Porém, muito de sua aparência original está intacta, pois o lugar tornou-se um museu não oficial da marca. Aconteceu quando o empresário Albert Okura decidiu comprar o prédio da primeira loja para instalar o escritório da também rede de fast food Juan Pollo Chicken, da qual é fundador e CEO. Sendo também um grande fã do McDonald’s, ele achou injusto que o local do primeiro restaurante da marca não fosse um ponto de referência para outros aficionados como ele. Como o espaço que ele precisava para o escritório da Juan Pollo Chicken era pequeno, toda a parte que ele não utilizou foi transformada em um “templo” do McDonald’s. No local, é possível encontrar relíquias que foram enviadas para lá de todos os cantos dos EUA: brinquedos de época dos restaurantes, roupas antigas das mascotes da marca, bonecos do Ronald McDonald, hambúrgueres gigantes de fibra de vidro e, claro, um cardápio original de 1940 e a placa que estava na frente do estabelecimento quando este foi adquirido por Albert Okura em 1998, anunciando hambúrgueres a 15 centavos (os preços originais na época da fundação). Possui estacionamento, com entrada gratuita. SÍNTESE DO SURGIMENTO DA REDE Em 1940, Richard McDonald e seu irmão Maurice, conhecido como "Mac", abriram um restaurante que vendia churrasco em San Bernardino, na Califórnia (Costa Oeste), na qual mal imaginariam que viriam a construir a rede de lanchonetes McDonald's, a maior empresa desse setor no mundo, sendo a pioneira no conceito de fast food. Em 1955, os irmãos McDonald ofereceram uma franquia exclusiva para Ray Kroc, que abriu a nona lanchonete da rede em Illinois (Meio-Oeste). Seis anos depois, eles venderam todos os direitos para Kroc. Richard McDonald era Perito em marketing, foi ele quem criou os arcos amarelos que formam a letra "M", símbolo do restaurante, e seu visual em vermelho e branco. Faleceu em 1998, em Manchester, EUA. 13:45h - Almoço - McDonalds (718 W Highland Ave, San Bernardino, CA 92405, Estados Unidos) 14:50h – Southern California Logistics Airport – (19209 N Perimeter Rd, Victorville, CA) Apesar do local não ser uma atração turística oficial da região, foi uma base da Força Aérea norte-americana e virou nos anos 1990, o Southern California Logistics Airport, aeroporto logístico multifuncional; tem como uma de suas funções, de servir de estacionamento para antigas aeronaves comerciais que já levaram passageiros pelo mundo todo e agora estão, temporariamente ou em definitivo, fora de uso. 16:45h – Zzyzx Rd Sign – (I-15, CA) Situado no condado de San Bernardino, no meio do deserto de Mojave, rodeado do mais absoluto "nada", foi nas suas origens um posto militar do exército dos Estados Unidos abandonado no século XIX e que passou a ser um lugar onde as pessoas que atravessavam o deserto com direção a Califórnia, podiam descansar e se abastecer de comida. Logo chegaria a ferrovia que uniria Nevada com Califórnia e os viajantes se tornaram cada vez menos frequentes. Aos poucos, o lugar foi caindo no esquecimento até quase desaparecer. Em 1944, um pregador evangélico com uma certa fama no rádio, chamado Curtis Springer, solicitou uma permissão para construir na zona um balneário e um centro religioso, aproveitando as águas minerais do lugar. Até 1974, Curtis fez negócio com o lugar afirmando que em seu "milagroso" centro, se podia curar o câncer inclusive. Mas o governo procedeu uma denúncia contra ele por fraude, curiosamente, não por proclamar essas falsas curas, mas sim, porque Curtis havia obtido a licença para atividades mineradoras, não para um balneário. A localidade já reuniu alguns filmes, o mais famoso deles é ‘’Zyzzyx Road - Estrada da Morte’’ (2006), um filme independente com roteiro e direção péssimos de John Penney, que entrou para a história como a película menos rentável dos Estados Unidos, com uma arrecadação total de US$ 30 e um custo de US$ 2.000.000,00. → Deslocamento para Las Vegas, NV. __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  8. 10º Dia - Continuação Anaheim (CA) Na California, na cidade de Anaheim localizam-se os 2 parque da Disney. O primeiro complexo de turismo da Disney no mundo, inaugurado em 17 de julho de 1955, é constituído por 2 parques temáticos (Disneyland Park e o Disney’s California Adventure), que somados apresentam 77 atrações; 3 hotéis e um complexo de entretenimento (Downtown Disney, inaugurado em 12 de janeiro de 2001) composto por lojas, cinemas, bares e restaurantes, instalados em uma área de 2 km². Também é servido por um sistema de Monorail, implantado em 1959, que percorre quase 4 quilômetros do complexo. 19:30h – Abastecimento 19:40h – Check-in no Kings Inn Anaheim at the Park & Convention Center (415 W Katella Ave Anaheim,CA US +17147786900) Ponto positivo deste hotel com característica de ambiente familiar é a proximidade dos parques da Disney, podendo o cliente se deslocar até mesmo a pé, destarte economizando o valor do estacionamento, que custa US$ 25 por dia. Nosso quarto era no andar superior, dificultando um pouco o transporte das malas, porém nada que atrapalhou a experiência. Hóspedes com dificuldade de locomoção devem reconsiderar estadia neste estabelecimento. Estacionamento e café da manhã já estavam inclusos nas diárias. Este último está localizado num ambiente próximo à entrada do hotel, num local apertado, porém com assentos adicionais no terraço. Víamos muitos dos hóspedes se servindo e se deslocando para os seus respectivos quartos. Quanto ao uso dos micro-ondas, ele são coletivos e estão localizados dentro da lavanderia. → CUSTO: R$ 1.375,56 (3 noites, suíte para 2 pessoas) 11º Dia 07:30h – Café da manhã no hotel Kings Inn Anaheim at the Park & Convention Center (415 W Katella Ave Anaheim,CA US +17147786900) 08:20h → Disney California Adventures Park O Disney California Adventure Park é um dos dois parques de diversões que está situado dentro do Disneyland Resort, em Anaheim, Condado de Orange, na Califórnia. O Disney California Adventure Park teve sua inauguração em 2001 e no ano de 2007, o local passou por uma grande reformulação que o deixou ainda mais legal e cheio de novas atrações, sendo 30 no total para crianças e adultos de todas as idades. A maioria destas áreas  tentam se assemelhar ou reconstruir vários aspectos da Califórnia, sua cultura, costumes e história. A entrada da área de Hollywood Pictures Backlot exibe  duas esculturas de cerâmica com elefantes em cima de colunas como homenagem a um sistema enorme construído pela grande intolerância épica de 1916 para o filme de Hollywood dirigida por D.W. Griffith. Esta homenagem repete-se em Hollywood e o complexo de entretenimentos  em Los Angeles que contém atualmente a academia que realiza cerimonias no Kodak Theatre (que abriu no mesmo ano que o parque 2001) que também possui as esculturas. Dica: Não perca as atrações: Soarin, Springer Radiators Springs, Toy Story e Word of Color. 1º - Atração  Soarin‘ Around the World - Entramos em consenso que não haveria necessidade de pegarmos o Fast Pass nesta atração, e fomos direto para a atração. Tempo de espera foi aproximadamente 25 minutos. Este simulador promove um sobrevoo de lugares incríveis como os Alpes Suíços, a Grande Muralha da China, as Grandes Pirâmides do Egito e o Taj Mahal, na Índia, as poderosas Cataratas do Iguaçu, na América do Sul, a Torre Eiffel reluzente como uma joia à noite e termina pela Disney California; 2º - Adotamos a estratégia de Realizar o agendamento do Fast Pass para o Toy Story Midway Mania!; 3º - Atração Roda-gigante Mickey’s Fun Wheel - Ida ao Mickey Fun Wheel, com duração em torno de 15 minutos e a fila de espera foi estimada em 25 minutos; 4º - Atração Silly Symphony Swings - Com pouco tempo de espera arriscamos em se divertir no Silly Symphony Swings, brinquedo conhecido no Brasil como ‘’Chapéu Mexicano’’, onde o brinquedo com assentos individuais gira rapidamente, com uma música de fundo da série de curta-metragens Disney Silly Symphony, clássico dos anos 30. 5º - Atracão Goofys Sky School; 6º - Atração Golden Zephyr  - Outra atração com baixo tempo de espera foi o Golden Zephyr. É um brinquedo de giro suspenso a bordo de dirigíveis retrôs. Também é uma espécie de ‘‘Chapéu Mexicano’’, apenas mais leve e fechado que o Silly Symphony Swings. 7º - Atração Toy Story Mania com FastPass Antes de entrar no carrinho, lembrar de retirar o óculos 3D. Logo no começo há um teste, que não pontua, onde o visitante aprenderá a atirar. Você e sua dupla atiram com armas de laser e marcam pontos o mais rápido que puder, claro quando acerta-se o alvo. No final, quem acertar mais, vence. Dica: Tentar procurar acertar os alvos mais difíceis, pois valem mais pontos. Experiência muito divertida nesse brinquedo, com certeza um dos destaques viciantes deste parque, tanto que é bastante concorrido pelos visitantes! 8º - Springer Radiators Springs Desta vez destinamos o nosso tempo à atração mais concorrida de todo o parque: o Radiator Springs Racers. Brinquedo tipicamente familiar e com tempo de duração em torno de 05 minutos, é um simulador de corrida de alta velocidade e com uma riqueza de detalhes incrível, para os fãs do filme Carros. Adotamos a ideia conjunta de irmos na fila de Single Riders, na qual ficamos em torno de 40 minutos ao invés de 120 minutos previstos no tempo normal. Não havia disponibilidade neste brinquedo do Fast Pass. A riqueza de detalhes da atração é incrível, com um cenário tentando imitar as Montanhas Rochosas do filme, inicialmente dark ride como trechos, em cenas em que o Matt assusta os “filhotes de tratores”, e em seguida começa a perseguição pela enfurecida “mãe trator” e na segunda etapa mais light, como transformação do carro na loja de Ramona e troca de pneus do Luigi e Guido. Até o cheiro da loja não saiu das nossas mentes... rsrsrsrsr Ao final o visitante tem a possibilidade de comprar a foto tirada durante a corrida neste simulador, simplesmente informando o código no app do Disneyland mobile. Há também o Disney Max Pass, no valor de US$ 15, que possibilita o download das fotos tiradas em todos os brinquedos, não havendo necessidade de pagar individualmente. 9º - Fomos almoçar no Smokejumpers Grill (Grizzly Peak, próximo ao Soarin), lanchonete/restaurante com espaço interno temático de aviões, climatizado e com razoável tempo de espera. Tem assentos no lado de fora, para quem preferir. Estilo fastfood americano, com hambúrgueres gostosos e o acompanhamento das batatas fritas, sequinhas com formato de Waffle. 10º - Atração A pequena Sereia -The Little Mermaid – Ariel’s Undersea Adventure; 11º - Teatro Frozen - For the First Time in Forever: A Frozen Sing-Along Celebration; 12º - Cars Land; 13º - Apreciar o pôr do sol; 13º - Show Word of Color. O tradicional show noturno ocorre após o encerramento de todas as atrações da Disney, às 22 horas, bem em frente à Roda Gigante que é o símbolo do Parque. Um espetáculo incrível e imperdível, na qual é em geral apresentado com uma mistura de fogos de artifícios, que são lançados de dezenas de pontos; além de um show de projeção mapeada, que transforma o conjunto de jatos de águas projetadas em uma grande tela de cinema, envolvendo luzes, músicas, lasers e animações, passando cenas de diversos desenhos clássicos do selo Disney. Para nós foi o melhor show dos Parques da Disney, fechando com ‘’Chave de Ouro’’. Não corremos o risco de se molhar, pois ficamos um pouco mais distantes do lago. O ponto negativo é que é necessário assistir de pé, pois neste horário que partimos do hotel e chegamos em cima da hora, onde achamos prudente ir para o hotel horas antes, para descansar e tomar um banho, e em seguida retornar para o show, pois passamos o dia inteiro no parque e estávamos cansados naquele dia. Quem quiser e tiver disponibilidade financeira pode ficar nas mesas logo a frente, através da compra do jantar, que permite ao cliente de ficar nas mesas, para acompanhar com comodidade o espetáculo. - Retorno ao hotel Kings Inn Anaheim at the Park & Convention Center (415 W Katella Ave Anaheim,CA US +17147786900) → McDonald's mais antigo do mundo ainda em funcionamento – (10207 Lakewood Blvd, Downey, CA) (HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 06h às 23h ) O McDonald's mais antigo do mundo ainda em funcionamento preserva os ares dos anos 50. Inaugurado em 1953 na cidade de Downey, na Califórnia, seu visual é bastante diferentes dos restaurantes modernos da mais famosa rede de fast food. Os funcionários usam uniformes no estilo antigo, incluindo chapéus de papel. No cardápio, no entanto, também é possível encontrar apenas os sanduíches mais recentes. Segundo o jornal britânico Daily Mail, a empresa pensou em demolir o estabelecimento para construir um novo em estilo retrô, mas moradores defenderam a revitalização do local original. Ele foi reaberto com mais lugares do lado de fora, além de uma loja de presentes. O restaurante foi o terceiro da rede a ser inaugurado, mas os outros dois não funcionam mais. Interessante, que ainda preservam inclusive o mascote antigo, Speedee - que só foi substituído na década de 1960. 22:40h – Retorno ao hotel Kings Inn Anaheim at the Park & Convention Center (415 W Katella Ave Anaheim,CA US +17147786900) 12º Dia 07:00h – Café da manhã no hotel Kings Inn Anaheim at the Park & Convention Center (415 W Katella Ave Anaheim,CA US +17147786900) 08:00 - DISNEYLAND (1313 Disneyland Dr, Anaheim, CA) Horário de funcionamento: funciona de segunda a quarta das 9h às 22h. Todas as quintas das 9h às 23, sextas, sábados e domingos das 9h às 00h. ) Inaugurada em 1955, a Disneyland é o primeiro parque temático criado pela Walt Disney Company. Aqui o parque inaugurou a tradição de entretenimento aliado á magia e encanto. Complexo Galaxy’s Edge Star Wars Smuggler's Run Simulador de voo, com controles de direção e de artilharia; em que o visitante pilota a lendária aeronave Millennium Falcon, numa missão misteriosa de contrabando intergaláctico. O simulador de voo leva 06 tripulantes, 02 pilotos, 02 artilheiros e 02 engenheiros, e cada indivíduo tem uma tarefa. * Como o parque é pequeno, a distância a pé não demora mais de 05 minutos de caminhada do Complexo Galaxy’s Edge Star Wars ao Indiana Jones; mesmo em lados opostos. * Entrada pelo Acesso da Critter Country, região do brinquedo Splash Mountain. Adventureland -Indiana Jones Adventure Ride (montanha russa) Este passeio leva o convidado a ter uma experiência numa jornada emocionante, através de um templo amaldiçoado para encontrar Indiana Jones, a bordo de um jipe que dá a simulação de dirigir sobre terrenos acidentados. -Jungle Cruise (passeios por animais animatronicos) cuidado os animais de pé jogam água; A Jungle Cruise funciona como uma espécie de safari. Na companhia de guias engraçadinhos, as pessoas passam por uma série de animatronics que representam os principais animais selvagens da África em uma floresta; Fantasyland -Castelo da Cinderela; Frontierland -Big Thunder Mountain Railroad; Montanha-russa Big Thunder Mountain Railroad. Ela se destaca pelo percurso animado, mas também chama a atenção por conta dos belos cenários; -Golden Horseshoe Saloon a fim de assistir um musical cômico. “Billy Hill e os caipiras”; -The Mark Twain (passeio de barco); New Orleans Square -Piratas do Caribe; - O Pirates of the Caribbean da Disneyland inspirou a criação da famosa franquia de filmes com Johnny Depp no papel de capitão Jack Sparrow. Vale a pena se aventurar pelo mar cenográfico e viver alguns minutos como um pirata; Tomorrowland -Space Mountain; O estilo da montanha-russa é Clássica, rápida e sem loops. -Finding Nemo Submarine Voyage; -Buzz Lightyear Astro Blasters; A Buzz Lightyear Astro Blasters fica na área Tomorrowland. Dentro da atração, o pessoal recebe armas de laser, que devem ser usadas para atingir monstros espaciais. No final, dá para saber quem fez a melhor pontuação; -Star Tours - The Adventures Continue Atração para os fãs de Star Wars, inspirada nos filmes de George Lucas, sendo um verdadeiro passeio exibido em um telão, na qual o visitante embarca na jornada do voo Star Tours com R2-D2 e C-3PO para completar uma missão. * Não esquecer de pegar o óculos 3D. -Eletrical Parade → Para conseguir aproveitar os dois parques, recomenda-se ir às terças ou quartas-feiras e evitar ir em feriados ALIMENTAÇÃO New Orleans Square é a região preferida do parque para comer, tanto o Blue Bayou quanto o Café Orleans são boas opções. A lanchonete da parte do Star Wars é bem legal e tem kits temáticos para comprar. → CUSTO: R$ 780,23 (ticket para 2 dias de parque, comprado no Brasil ). Tabela praticada na bilheteria da Disneyland Resort em Anaheim 17:00h – Saída do Parque em direção à cidade de Los Angeles 18:30h – Staples Center – (1111 S Figueroa Street, Los Angeles, CA) A meca de Los Angeles, a arena para a maioria dos grandes concertos e eventos desportivos da cidade. Sedia quatro equipes esportivas: Los Angeles Lakers e Los Angeles Clippers da NBA (liga americana de basquete), dos Los Angeles Kings da NHL (liga americana de hóquei no gelo) e dos Los Angeles Sparks das WNBA (liga americana de basquete feminino). Mesmo que não pareça, todas elas são do mesmo local e do mesmo período, o STAPLES Center. Em cada apresentação de uma das equipes, todo o tablado é trocado para ficar de acordo com time que entrará em quadra. Inclusive, a troca do piso de madeira – dos jogos de basquete - para os tablados de gelo – dos jogos de hóquei. Estacionamento – Public Parking – Custo US$ 10,00. → Los Angeles Clippers x Denver Nuggets (Staples Center) A nossa experiência ao assistir o jogo da NBA, no Staples Center foi ótima! Com as torcidas de ambos os times se respeitando, num clima festivo e bem organizado. Fomos assistir ao jogo da estreia das equipes na pré-temporada 2019/2020, entre Denver Nuggets e Los Angeles Clippers, na qual a equipe visitante foi vitoriosa por 111x91. A equipe Angelina, com destaque para a estreia de Kawhi Leonard (ex-Toronto Raptors), estava melhor na partida até o segundo quarto; pois após a metade da partida, houve uma reviravolta pela equipe de Denver que dominou completamente a partida. Apesar da equipe que torcíamos ter sido derrotada, curtimos esse espetáculo, já que não foi a primeira vez que assistimos à um jogo da franquia americana. Infelizmente não pudemos acompanhar a estreia de Paul George (ex-Oklahoma) pelos Clippers, já que estava lesionado dos ombros. Chegamos com bastante antecedência, então pudemos rodear o entorno do Staples Center e ver as estátuas na frente do ginásio e tirar fotos. Pouca fila, quanto ao esquema de segurança para a passagem pelo detector de metais. Logo após a entrada, fomos à bilheteria pegar os vouchers pelos ingressos e nos deslocamos aos nossos assentos, facilmente, já que havia a descrição do setor e lugar. Os intervalos foram um show a parte, pois possui haviam músicas animadas, mostraram no telão os torcedores que estavam no estádio, arremessaram camisetas dos Clippers para a plateia, teve a dança das cheerleaders e algumas brincadeiras, como a disputa famosa do clássico ‘‘Jogo da Velha’’. 22:30h – Locação do filme Donnie Darko (2001), Aero Theatre – (1328 Montana Avenue at 14th Street, Santa Monica, CA) Filme dirigido por Richard Kelly, Donnie Darko (Jake Gyllenhaal) é um jovem excêntrico que despreza a grande maioria de seus colegas de escola. Ele tem visões, em especial de Frank, um coelho gigante que só ele consegue ver e que o encoraja a fazer brincadeiras humilhantes com quem o cerca. Um dia, uma de suas visões o atrai para fora de casa e lhe diz que o mundo acabará dentro de um mês. Donnie inicialmente não acredita, mas, momentos depois, a turbina de um avião cai em sua casa e ele começa a se perguntar qual é o fundo de verdade dessa previsão. 23:00h – Retorno noturno ao Píer de Santa Monica – (200 Santa Monica Pier, Santa Monica Pier Restoration Corporation, Santa Monica, CA) Centro de Informações Turísticas próximo ao Pier Santa Monica Santa Mônica 23:55h – Retorno ao hotel Kings Inn Anaheim at the Park & Convention Center (415 W Katella Ave Anaheim,CA US +17147786900) 13º Dia 06:30h – Café da manhã no hotel Kings Inn Anaheim at the Park & Convention Center (415 W Katella Ave Anaheim,CA US +17147786900) 07:00h – Check-out no Kings Inn Anaheim at the Park & Convention Center (415 W Katella Ave Anaheim,CA US +17147786900) 08:00h → Deslocamento para a cidade de San Diego, CA __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  9. 7º Dia - Continuação Los Angeles (CA) 15:15h – Check-in no Super 8 by Wyndham Los Angeles Downtown – (1341 Sunset Blvd, Los Angeles, CA) Hotel simples, porém com cama confortável, quarto limpo e espaçoso, ou seja, bom custo x benefício. Quanto aos pontos positivos da estadia foram com relação ao estacionamento, incluso no valor das diárias, onde na maioria das vezes conseguimos por o veículo nas vagas cobertas e a boa localização, quando o visitante dispõe de transporte próprio. Os quartos dispõem de micro-ondas, frigobar e cafeteira. Quanto ao frigobar, encontra-se sem bebidas. Bom café da manhã, pelos padrões hoteleiros americanos e regular para os padrões brasileiros. → CUSTO: R$ 1.325,79 (3 noites, suíte para 2 pessoas) 16:20h – Observatório Griffith (2800 E Observatory Rd, Los Angeles, CA) - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: de terça à sexta-feira: meio-dia às 21h; sábados e domingos de 10h às 22h O Observatório Griffith é um grande parque – com entrada grátis – localizado bem próximo ao letreiro de Hollywood. O local atrai turistas e locais para piqueniques em família. A vista do local para a cidade de Los Angeles é belíssima – além de render uma boa foto do letreiro de Hollywood. Há um museu no local, com informações sobre o espaço. Além disso, um grande telescópio é aberto ao público quando anoitece. Cada dia, um astro ou planeta é mirado e as pessoas podem ver, enquanto um especialista explica o que você está vendo. Alguns pequenos telescópios também são levados para o gramado do local. Na entrada do observatório há um busto de James Dean. Primeiramente o ideal é ir ao telhado, com acesso através escadas laterais pelo lado de fora, para uma linda vista e neste horário o pôr-do-sol. De um lado, a região das Montanhas de Santa Monica, na qual está o letreiro de Hollywood. Do outro lado, uma linda vista do centro da cidade de Los Angeles. Em seguida, aproveitar a exposição do observatório. Chegamos no Griffth Observatory por volta das 16:20h e já estava com o estacionamento lotado. Conseguimos encontrar uma vaga bem na subida, onde haviam algumas vagas públicas demarcadas, relativamente próximas do Observatório. Apesar do conhecimento de astrologia que tivemos no Griffith Observatory, uma verdadeira aula de geografia e ciências, com painéis interativos, exposições sobre as fases da lua, dos planetas, etc.; o que realmente mais valeu a pena foram as vistas incríveis, pois há uma visão panorâmica da ‘‘Cidade dos Anjos’’ e uma visão do Hollywood Sign. → CUSTO: Gratuito, porém as atrações são pagas a parte. 17:30h – Hollywood Sign – (6332 Mulholland Hwy.) Construído na década de 1920 por H. J. Whitley o sinal divulgava “HOLLYWOODLAND” originalmente, como uma propaganda para divulgar um novo loteamento residencial perto do distrito de Hollywood em Los Angeles. O sinal foi oficialmente erguido em julho de 1923 e não era para ser permanente. Nos anos subsequentes, com a ascensão do cinema americano, principalmente em Los Angeles, o letreiro acabou ficando mundialmente famoso por aparecer em diversos filmes, fazendo com que a prefeitura optasse por deixa-lo por lá. O lugar mais popular para ver a placa de Hollywood é no 6332 Mulholland Hwy. É possível estacionar o veículo no Parque Lake Hollywood, aproximadamente 100 metros descendo a rua. O estacionamento é gratuito, e não tem parquímetro. 19:00h – Shopping The Groove Mall – (189 The Grove Drive, Los Angeles, CA) Localizado em um bairro movimentado, o lugar é charmoso e agradável, principalmente à noite; ideal para passear, dar uma volta, olhar as vitrines das lojas e também realizar uma refeição. Possui um ambiente familiar. Gostamos de ter aproveitado esse passeio agradável neste Shopping a céu aberto, com clima de uma rua antiga, onde percorremos despreocupadamente suas lojas no início da noite, na qual vimos algumas vitrines de lojas famosas, e até mesmo chegamos a adentrar a loja da Apple e da livraria Barnes & Noble que possui um Starbucks. Dali esticamos a caminhada e visitamos o complexo gastronômico The Original Farmers Market, anexo ao The Grove. 19:30h – The Original Farmers Market – (6333 W 3rd St, Los Angeles, CA) São cinco corredores, cheios de restaurantes e pequenos mercados lado a lado. Estão a venda os mais variados tipos de comida, como carnes, frutos do mar e todo tipo de vegetal. Deu Ruim! Mesmo contando com o apoio da maioria dos angelinos, o LA Dodgers não conseguir se classificar para a Final da Liga Nacional de Beisebol 20:00h → Jantar – Fritzi Coop – (8570 W 3rd St, Los Angeles, CA) Mapeamos inicialmente o jantar no Nonna’s Empanadas Argentinas, porém a enorme fila no Fritzi Coop nos atraiu, porque brasileiro gosta de uma fila! Foi uma excelente escolha, compensou cada segundo perdido na fila. Comemos um delicioso frango empanado com batatas fritas, diferente da franquia KFC. 21h30 – Walmart Supercenter (301 N Victory Pl, Burbank, CA) 22:00h – Retorno ao Super 8 by Wyndham Los Angeles Downtown – (1341 Sunset Blvd, Los Angeles, CA) 8º Dia 07:15h – CAFÉ DA MANHÃ no Super 8 by Wyndham Los Angeles Downtown – (1341 Sunset Blvd, Los Angeles, CA) 07:50h – Big Bronze Bruce Lee – Estátua de Bruce Lee na Chinatown de Los Angeles – (943 Sun Mun Way, Los Angeles, CA) A estátua de bronze com aproximadamente 2,5 metros de altura, feita por um escultor da província de Guangdong, na China, é a primeira e única de Bruce Lee existente nos Estados Unidos. O artista responsável provavelmente seria o mesmo que esculpiu a estátua de Hong Kong e a gigantesca obra fixada em Jun-an na China. Essa estátua, no entanto, lembra a de Mostar, na Bósnia e Herzegovina, pela pose típica de Bruce Lee segurando um nunchaku com a mão direita e com o braço esquerdo estendido à frente em posição de guarda. Inicialmente a obra foi instalada provisoriamente em frente ao Central Plaza, no bairro chinês de Los Angeles, em 15 de junho de 2013. Mas ela não foi fixada permanentemente por falta de recursos (150 mil dólares) necessários para instalá-la de forma definitiva num pedestal de concreto e mais alguma obra de acesso ao seu redor. 08:20h – Hollywood Walk of Fame ‘‘Calçada da Fama’’ – (7089-7099 Hollywood Blvd, Los Angeles, CA) Desde 1960, a cidade tem imortalizado celebridades honradas com uma estrela cravada na calçada, um costume que começou como um truque para atrair visitantes para uma área que estava perdendo o seu encanto. Essa extensão de pavimento, de 1,6km, estrelada ocupa 15 quadras da Hollywood Boulevard e algumas ruas vizinhas. O que pouca gente sabe é que o privilegio da estrela, além de passar pelos votos de um comitê especial custa para o estúdio ou indivíduo homenageado, cerca de 30.000 dólares. Abaixo do nome de cada homenageado, há um dos cinco símbolos que representam a área de contribuição específica, na indústria do entretenimento: uma câmera de filmagem, um aparelho de televisão, um microfone, uma máscara teatral ou um fonógrafo. As estrelas não estão todas voltadas para o mesmo lado, porque esse design estratégico facilita a visão dos visitantes que caminham nas duas direções. Apesar de todo o glamour, muitas estrelas estão quebradas e sujas, além do forte cheiro de urina e maconha. CURIOSIDADES: → Para caçar estrelas específicas, se recomenda realizar a busca neste site: http://www.walkoffame.com/starfinder → Estrela ‘‘The Simpsons’’ – 7021 Hollywood Blvd. → Estrela ‘‘Michael Jackson’’ – 6927 Hollywood Boulevard – OBS: Não confundir com o Britânico Michael Jackson, locutor de rádio. A estrela virou ponto de peregrinação dos fãs do artista, após sua morte em 2009. → Britney Spears foi a pessoa mais jovem a receber uma estrela, em novembro de 2003, com apenas 21 anos; → Sophia Loren recebeu a estrela de número 2.000 em 1994; → Em comemoração ao seu 50º aniversário, em 1978, Mickey Mouse foi o primeiro personagem animado a ter uma estrela na calçada. 08:30h – Grauman’s Chinese Theatre ‘‘Teatro Chinês’’ – (6925 Hollywood Blvd, Hollywood, CA) Mais conhecido como Teatro Chinês, é onde acontecem as estréias mundiais de muitos filmes. É um teatro com arquitetura inspirada nos edifícios chineses. A grande atração é o piso em frente, onde estão as marcas dos pés e mãos das celebridades desde 1927, incluindo Marilyn Monroe, Donald Duck, passando por C3PO e R2-D2. Serviu de inspiração para que Hollywood criasse a calçada da fama. Diversos relatos avisam que o tour não vale a pena, os US$ 14 gastos. 08:50h – Dolby Theatre – (6801 Hollywood Blvd, Hollywood, CA) Desde sua inauguração em novembro de 2001, tem sido o local de entrega dos Prêmios da Academia, o Oscar, cerimônia para a qual foi especialmente desenhado, tendo capacidade para 3.400 pessoas sentadas e com um palco de 20 metros de profundidade por 40 metros de largura, um dos maiores do país. Foi patrocinado pela Kodak, que pagou US$ 75 milhões para ter seu nome associado à empresa e alugado para a Academia na noite de premiação. As colunas em seu átrio de entrada têm escrito o nome de todos os filmes vencedores do prêmio desde 1928. No resto do ano, o teatro é usado para shows, concertos, homenagens , óperas, desfiles de moda e também já foi palco de uma entrega especial dos prêmios Emmy. Depois de se chamar Kodak, em 2012, foi rebatizado com o nome do seu novo patrocinador, Dolby, empresa pioneira da tecnologia de som, depois do precedente, Kodak, em falência, ter rompido o seu contrato. 09:45h – Beverly Garden Center – (9439 Santa Monica Blvd, Beverly Hills, CA) → Letreiro Beverly Hills – (9390 N Santa Monica Blvd, Beverly Hills, CA) ao lado da Rodeo Drive A placa marco do Beverly Garden Center é um dos lugares mais fotografados na região, localizado em um lindo parque com fontes, árvores antigas e jardins de cactus e rosas. Possui também uma pista de caminhada só que dependendo do horário, fica lotado. 10:00h → Locação do filme Pretty Woman (1990) ‘‘Bervely Wilshire Hotel’’ – (9500 Wilshire Blvd, Beverly Hills, CA) Comédia romântica de 1990, que conta a história de uma atraente prostituta chamada Vivian Ward (Julia Roberts) que conhece por acaso o milionário Edward Lewis (Richard Gere), que a contrata por uma semana e que acaba apaixonando-se por ela. Em uma das cenas de Vivian, nterpretada no filme por Julia Roberts, vai às compras e a vendedora a destrata. → Uma curiosidade: as cenas internas do hotel no filme “Uma Linda Mulher” não foram filmadas no Wilshire e sim no antigo hotel Ambassador (demolido em 2005). Somente a fachada do Wilshire foi usada pela produção e que fachada! As ruas do 2 Rodeo possuem um estilo europeu, com praça pública e postes em estilo vitoriano. A Spanish Steps é uma escadaria réplica da Scalinata di Spagna de Roma. 10:25h – Rodeo Drive – (Rodeo Drive, Beverly Hills, CA) O nome dessa rua vem de um antigo lote de terras doadas chamado El Rancho Rodeo de las Aguas. Aqui concentram-se as lojas de grifes mais famosas como Gucci, Armani, Fendi, Hermes, Cartier, Louis Vuitton, Jimmy Choo entre outras. Muitas delas atendem seus clientes VIP só com hora marcada. São três quarteirões ao norte de Wilshire Blvd até ao sul de Little Santa Monica Blvd com vitrines atraentes, pessoas elegantes e automóveis caríssimos pela rua. Vale a pena caminhar sem pressa por esse boulevard tão arborizado, cheio de palmeiras e de repente encontrar a placa na calçada com assinatura do seu estilista favorito. Nos EUA, talvez seja um dos melhores lugares para passear (ou flanar, como em Paris). Cheio de gente bonita, turistas, carros exóticos e luxuosos. E ainda arrisca encontrar um ou outro famoso, ou alguém fazendo alguma gravação de filme ou clipe musical. Este lugar atrai muitos turistas, que vão admirar o que há de mais sofisticado, dirigido a um público alvo de elevado poder aquisitivo. Há opção de estacionar, no lado de quem vai para a Wilshire tem um valet-parking que cobra US$ 24 por dia, como também estacionar no “Two Rodeo Drive”, a Via Rodeo é uma rua luxuosa de pedras que lembra uma charmosa vila italiana repleta de boutiques e restaurantes renomados, sendo um lugar charmoso, agradável e com estacionamento grátis. Lá os turistas têm 02 horas de cortesia, das 07hs às 18hs. 11:10h – Canais de Venice Beach Os canais de Venice, chamados de Venice Canal Historic District foram construídos em 1905 por Abbot Kinney (que virou nome da rua mais famosa do bairro), que pretendia recriar o ambiente de Veneza nos Estados Unidos. Visto de cima, formam um retângulo e a partir de 1992 é que começaram a ser revitalizados. 11:30h – Distrito de Venice Beach Região de encontro das pessoas envolvidas no mundo artístico, Venice Beach estava na moda entre os anos 1950 e 1960. Há diversas barracas de comida, salões de massagem, lojas de souvenir, pontos de aluguel de bicicleta, venda de “maconha medicinal”. Alto número de junkies e homeless. Ali em Venice Beach surgiram o The Doors e o Jane’s Addiction, além do skate moderno com os Z-Boys e o movimento halterofilista liderado por Arnold Schwarzenegger. → Grafites de Venice • 1817 Speedway, Venice, CA – Grafitti de Arnold Schwarzenegger; • 1901 Speedway, Venice, CA – Prédio em que a famosa banda RHCP, em 2011, no terraço de um prédio onde lançou o novo CD, e gravou o clipe de "The Adventures of Rain Dance Maggie", novo single do Red Hot Chili Peppers. O vídeo foi dirigido por Mark Klasfeld. → Passeio no Calçadão (Ocean Front Walk) É o local “onde tudo acontece” em Venice. O calçadão super descolado faz qualquer visita se tornar uma experiência memorável. Esse bairro eclético fica ao de Santa Monica e o ideal é deixar o carro em um dos estacionamentos públicos, próximos ao píer e ir até Venice a pé para curtir a beira da praia mais badalada da Califórnia. 12:20h – Almoço – Mc Donald’s (2457 Lincoln Blvd, Venice, CA) 13:20h → CHECK-POINTS a) – Última residência de Michael Jackson (100 N Carolwood Drive, Los Angeles, CA) Situada no bairro de Holmby Hills, em Los Angeles, a mansão na qual morreu Michael Jackson, em 2009, foi desenhada pelo arquiteto californiano Richard Landry, e construída em 2002, num terreno de 5.000 m²; com sete quartos (suítes), 13 banheiros, sala de cinema, adega, piscina, Spa, academia, lareiras e elevador. Michael Jackson morreu em 25 de junho de 2009, aos 50 anos de idade, por overdose do anestésico Propofol, que utilizava como sonífero. Em 07 de novembro de 2011, Conrad Murray, que trabalhava para o Rei do Pop desde 2006, foi sentenciado a quatro anos de prisão pela morte do astro da música, devido a sua ‘loucura por dinheiro através da medicina’, afirmou o juiz da Corte Superior Michael Pastor, que ainda declarou que o doutor não demonstrou culpa pelo acontecido ao astro pop, chegando a declarar que ele teria responsabilidade pela própria morte. Durante o transcorrer da decisão, os promotores alegaram imprudência de Murray, que deu medicamentos para o cantor e não tinha os aparelhos para ajudá-lo a respirar, e o deixou sozinho para checar seus e-mails. Após cumprir dois anos de pena na Prisão Central de Los Angeles, Dr. Murray teve sua sentença modificada e redução da sua pena, como parte de um plano do Estado da Califórnia para reduzir a superlotação das cadeias. Jackson se mudou para a mansão californiana, junto com seus três filhos, quando começou a ensaiar para uma série de concertos que realizaria em Londres, esgotada, que ficou só nos preparativos. Um ano antes, os proprietários do imóvel - o casal Hubert e Roxanne Guez, o colocou à venda pela primeira vez, mas, como não obteve êxito, decidiu alugá-la a Jackson por US$ 101.500,00. Quarto o qual morreu o Rei do Pop Atualmente a mansão pertence à Steven Mayer, um investidor muito rico -diretor administrativo sênior. Ele pagou um valor entre US$ 18,1 milhões, pela propriedade de 17.000m². b) – Uma das residências em que morou Elvis Presley (144 Monovale Drive, Los Angeles, CA) 14:15h – Píer de Santa Monica – (200 Santa Monica Pier, Santa Monica Pier Restoration Corporation, Santa Monica, CA) Ótimo lugar para conhecer, porém um ponto turístico com muito movimento de pessoas, vendedores de rua, bastante tráfego de veículos até a chegada e uma ventania danada. As atrações vão além da espetacular vista para o Oceano Pacífico e da longa faixa de areia na praia de Santa Monica. O passeio começa onde termina a famosa Rota 66. É lá o ponto onde chegam tantos aficionados pela histórica estrada. Percorra toda a extensão da plataforma de madeira e experimente várias atrações. A marca registrada de Santa Monica é o cenário do pôr-do-sol, com o parque de diversões (Pacific Park) ao fundo, com montanha russa, roda gigante e vários outros atrativos, uma escola de trapézio (Trapeze School of New York), um carrossel de 1922 e um espaço repleto de fliperamas, o que garante belas fotos. Foi inaugurado em 1909, sendo cenário de dezenas de filmes hollywoodianos, como o mais famoso deles: ‘’Forrest Gump – O Contador de Histórias” (1994), com a icônica frase do personagem interpretado por Tom Hanks: “A vida é uma caixa de bombons. Você nunca sabe o que vai encontrar.”. e de games, como no Grand Theft Auto V, com o nome de ‘’Del Perro Pier”. →ESTACIONAMENTO: Para estacionar no píer, é cobrado estacionamento por hora ou por entrada. Uma dica para economizar, basta estacionar em um dos inúmeros prédios de estacionamento próximos à Third Street Promenade, que fica a cerca de dez minutos de caminhada do píer. → Outra opção: Santa Monica Place – (395 Santa Monica Place - Santa Monica, CA) No valet-parking, o valor máximo cobrado por dia é alto, US$ 20. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: Segunda à quinta: das 10h às 22h (último check-in) Sexta e sábado: das 10h às 23h (último check-in) Domingo: das 10h às 20h (último check-in) 15:30h – 3rd Street Promenade – (Wilshire e Broadway, próximo ao Píer Santa Monica, Santa Monica, CA) A localização, quase à beira da praia de Santa Monica, é um shopping a céu aberto, sendo um convite para um passeio despretensioso, seja para quem busca comprar ou apenas para ver a moda passar. Toda reservada para pedestres, é recheada de artistas de rua que fazem da avenida um ambiente ainda mais descontraído. É um excelente passeio antes ou depois de ir à praia. A mais famosa das ruas da região de Downtown Santa Monica é a Third Street, porém a área de compras estende-se também entre a Ocean Avenue e a Seventh Street. Além das lojas, alguns teatros, cinemas, bares e muitos restaurantes são atrativos para estender o passeio até a noite. As especialidades percorrem o mundo: japonês, tailandês, chinês, indiano, italiano, grego, britânico, espanhol, sem falar nos clássicos de Los Angeles, como o mexicano e o americano. As compras também não decepcionam e as lojas são de excelente qualidade: Apple Store, GAP, Urban Outfitters, Guess e H&M são apenas alguns exemplos de boas oportunidades de compra. Do outro lado da rua, o shopping Santa Monica complementa a Third Street Promenade e torna a região uma das melhores para compras em Los Angeles. 16h45 – Praia de Malibu Com mais de 30 quilômetros de praia, Malibu está situada na Grande Los Angeles e diferentemente do Big Sur, há muitos trechos de sofisticadas residências à beira-mar e que já fazem parte da paisagem, ou seja, atrapalhando. Entretanto, isto não tira o brilho da linda visão do alto da Pacific Coast Highway, onde paramos e estacionamos o veículo, em local permitido. 17h15 – Píer de Malibu (23000 Pacific Coast Hwy, Malibu, CA) O Píer possui um aspecto cinematográfico, além da ótima vista para se contemplar o Por do Sol. Menos badalado que o píer de Santa Monica, porém também turístico, é um lugar agradável com pessoas pescando, outras descansando e apreciando a linda vista do Oceano Pacífico. Há banheiro público, alguns restaurantes e no final dele tem um Café - e uma loja de suvenires. Provavelmente o visitante terá dificuldade para conseguir estacionamento gratuito, próxima à rodovia, caso não queira pagar pela vaga logo na entrada e com preço fixo. Estacionamento (22900-23066 State Highway, Malibu, CA): → Custo: US$ 15,00 → 19:00h - Jantar - KFC (1400 Glendale Blvd, Los Angeles, CA) Essa franquia não diferencia muito das outras, famosa por seus crocantes e gordurosos frangos fritos. A localização desta lanchonete é desagradável, com homeless e junkies em torno do estabelecimento. Bom estacionamento e atendimento ao cliente, porém o tempo de entrega do lanche foi um pouco demorado. Mas nem sentimos a demora, pois o dia foi de alto astral e acompanhamos alguns instantes do jogo pela a liga norte-americana de beisebol (MLB), ocorrido na Capital Federal na TV da lanchonete, entre as equipes do LA Dodgers x Washington Nationals, com sucesso do time angelino na vitória por 10x04. 19:50h - Abastecimento - United Oil (1467 Sunset Blvd, Los Angeles, CA) 20:00h - Retorno ao hotel Super 8 by Wyndham Los Angeles Downtown 9º Dia 07:00h – CAFÉ DA MANHÃ no Super 8 by Wyndham Los Angeles Downtown – (1341 Sunset Blvd, Los Angeles, CA) 08:10h –Cenário da Série ''Anos Incríveis'' (516, University Avenue, Burbunk) A Série ''Anos Incríveis" foi exibida, na década de 90, pela Rede Bandeirantes. Casa de Kevin Arnold. 08:30h → Estúdio da Warner Brothers (3400 W. Riverside Dr. Burbank, CA) Estacionamento: (3400 Warner Blvd., Burbank, CA) • Studio Tour: uma experiência bem bacana pelos estúdios da Warner e que custa US$ 65 (nov/2018) e tem duração aproximada de 3 horas Os tours são oferecidos em inglês, francês, ou espanhol. Cuidado para não perder o horário de início do tour no trânsito. Crianças com menos de 8 anos não são bem vindas aos Tours. Importante: compre seus ingressos com antecedência, pois os Tours costumam esgotar. • Endereço: 3400 Warner Blvd, Burbank, CA • Horário dos tours: 8:00am – 4:00pm • Duração do tour: aprox. 3 horas Cenário de Nova Iorque utilizada na série Plantão Médico 12:30h - ALMOÇO – Dirt Dog Inc. – (2528 S Figueroa St, Los Angeles, CA) → Ótimo local para comer hot-dogs, infelizmente com grande espera, e normalmente colocam apenas uma pessoa para receber os pedidos, apesar de serem atenciosos e gentis. Dificuldade de estacionamento, sendo um desafio achar uma vaga para o carro. 13:55h – Locações da série ‘‘Buffy – A Caça Vampiros’’ A história de Buffy se inicia antes da série Buffy – The Vampire Slayer (1997-2003). Ela começa num filme homônimo de 1992, na qual passou diversas vezes, na Sessão da Tarde, da Rede Globo, até meados da década de 2000. O seriado ‘‘Buffy – A Caça Vampiros’’ conta a história de Buffy Anne Summers (Sarah Michelle Gellar), uma garota de 16 anos que acaba de mudar para Sunnydale com a mãe. Essa não é uma simples mudança: na verdade, Buffy colocou fogo no ginásio da antiga escola e foi expulsa, seus pais se separam, e agora ela e a mãe estão recomeçando em outro lugar. Mas Buffy não queimou o ginásio por ser uma garota rebelde, e sim por estar lutando contra vampiros, pois é uma caçadora; A Escolhida, a única que poderia lutar contra as forças do mal. → Torrance High School – (2200 W Carson St, Torrance, CA) Estacionamento – Na frente da escola Escola centenária, que serviu de locação para as séries ‘‘Buffy – A Caça Vampiros’’ e ‘‘Barrados no Baile’’ Conhecida na série pelo nome de Sunnydale High School, era ali que Buffy Summers cursava o Ensino Médio e vivia ameaçada pelo diretor da instituição, por ter um histórico escolar nada agradável. É no colegial que Buffy, vai com o tempo, construindo relações de cumplicidade e fraternidade. Lá ela conhece Rupert Giles, seu novo guardião (toda caçadora tem um guardião que a treina e guia), que viria a se tornar uma figura paterna na vida de Buffy. É no Sunnydale High que ela também conhece Willow e Xander, companheiros de classe, dois queridos personagens que se tornariam seus grandes e melhores amigos, com quem formaria a Scooby Gang. A escola foi uma locação fundamental nas primeiras três temporadas. → Residência de Buffy Summers – (1313 Cota Avenue, Torrance, CA) Inicialmente, Buffy e sua mãe Joyce, viviam no domicílio. Em seguida, Dawn (irmã) se une a Buffy e a sua mãe como residente na casa. Depois da morte de Joyce, os moradores são: Buffy, Dawn, Willow, Tara, Xander, Giles, Anya, Amy Madison e Spike; já que casa era a sede, na guerra contra o Mal. Após ser filmada por três temporadas, essa residência aparecia esporadicamente na série, porque a cidade de Torrance proibiu a equipe da série, de gravar na cidade, depois das cenas de explosão no seriado, que quebrou janelas e acabou aciono diversos alarmes automobilísticos. 14:40h – Locações da série ‘‘O.C. – Um Estranho no Paraíso’’ A série O.C. – Um Estranho no Paraíso foi sucesso de audiência, principalmente entre os jovens, de 2003 a 2007, sendo produzida pelo canal norte-americano Fox e fazia referência ao fortunado bairro californiano: Orange County. No Brasil era exibido na TV aberta no SBT e no canal fechado Warner Brothers. O público acompanhou os altos e baixos de Ryan e, principalmente, teve a chance de refletir sobre questões de classe social, drogas, violência, amor, amizade e família. The O.C. chegou às telinhas pelas mãos de Josh Schwartz, que adaptou o roteiro para a Fox. O episódio que chamou mais a atenção do seriado, ao som de Halleluya, ocorreu quando Ryan carrega o corpo de Marissa, em uma estrada deserta após o acidente de carro. Essa cena forte encerrou o terceiro ano de The O.C., e por consequência, também marcava o começo do fim da série. → Redondo Beach Pier Praticamente todas as cenas internas do Píer localizadas na série, que consideravam na Península Balboa em Newport Beach, foram gravadas no Píer de Redondo Beach (CA) (exceto as cenas aéreas). Para quem é fã do seriado "The O.C." esse píer é parada obrigatória. Nele foram gravadas diversas cenas de Ryan, Seth, Marissa e Summer. O local poderia estar um pouco mais conservado e bem cuidado. → Redondo Coffee Shop & Bait ‘‘The Pier Diner’’ na série - (141 Fishermans Wharf, Redondo Beach, CA) HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 07:30h às 21h Este diner está localizado à direita, no cais dos pescadores, foi utilizado como locação da série ‘‘The O.C.’’. Possui opções de café da manhã saborosos e os preços são médios. Pedimos dois sucos no Redondo Coffee Shop, e apesar do ambiente ser decadente, estava tudo muito limpo e um atendimento muito bom, pelo senhor com traços orientais. Foi agradável se alimentar ali, já que foram filmadas diversas cenas do seriado “The O.C. – Um Estranho no Paraíso”, sendo uma boa lembrança para quem curtia a turma dos personagens Ryan Atwood e da Marissa Cooper. → Lifeguard Off-Duty (Redondo Beach) Típica Casinha Salva-vidas, na qual Marissa Cooper (Mischa Barton), aparecia no seriado. A real, foi filmada num estúdio de gravações, e não em uma praia real. 15:30h -Manhattan Beach Pier (2 Manhattan Beach Blvd, Manhattan Beach, CA) Mais um dos diversos píeres localizado no centrinho de Manhattan Beach, com uma linda visão de grande parte da Costa do Pacífico, sendo um lugar agradável para ficar observando o movimento. Ao final tem um aquário para visitação (pago) e no meio do píer há também duas lunetas para observação da costa (pago). Encontramos dificuldade para estacionar o carro, já que as vagas ali próximas são limitadas e não obstante há o pagamento através de parquímetros. 18:00h - Super 8 by Wyndham Los Angeles Downtown 10º Dia 09:25h – Check-out no Super 8 by Wyndham Los Angeles Downtown – (1341 Sunset Blvd, Los Angeles, CA) 10:00h - UNIVERSAL STUDIOS HOLLYWOOD, ESTADO DA CALIFORNIA - (100 Universal City Plaza, Universal City, CA) Horário de funcionamento: funciona de segunda a sexta das 10h às 18h. E nos sábados das 09h às 18h e domingos das 10h às 19h. O parque do Universal Studios fica localizado na região Norte de Los Angeles, em um bairro chamado Universal City. Ele fica pertinho de Burbank, sendo uma mistura de parque de diversões com estúdio de cinema, uma combinação perfeita para quem ama filmes. O Universal Studios de Hollywood foi o primeiro parque da empresa a ser construído no país, e vendo o sucesso da Disneyland lá na Califórnia, no ano de 1964 resolveram abrir um parque temático, que continua em funcionamento e se renovando até hoje. PRINCIPAIS ATRAÇÕES DO PARQUE: → The Wizarding World of Harry Potter: Mergulhe no mundo mágico de Harry Potter e conheça o maravilhoso castelo de Hogwarts. Encontre diversas lojinhas com produtos da franquia e comidas personalizadas. → Transformers – The Ride 3D: É a sensação do momento no parque. Ela é baseada no famoso filme Transformers, dirigido por Michael Bay, que foi um sucesso nas bilheterias. No simulador você verá a guerra entre os autobots e os Decepticon. Você participará ativamente dessa disputa, com os fantásticos efeitos 3D. Prepare-se para tremer, sentir frio, calor e acompanhar de perto a batalha. 12:30h- → Jurassic Park Ride: Atração que pode molhar um pouco, mas vai te levar para ver dinossauros no caminho que vão tirar seu fôlego. Tudo inspirado no filme Jurassic World. → Revenge of The Mummy: Infelizmente estava em manutenção no mês de outubro de 2019, mas esse é um dos brinquedos mais radicais de todos. Gosta de uma pitadinha de suspense? Viva a experiência na montanha-russa temática do filme “A Vingança da Múmia”, completamente no escuro. 13:00h → Almoço - O Krusty Burger é um bom restaurante temático dos Simpsons para comer. Além disso, o famoso Moe’s Tavern – pub que o Homer Simpson costuma tomar a Duff Beer. Para uma deliciosa sobremesa, o indicado é comer no Lard Lad Donuts. Há também um Restaurante de Frango dos Simpsons, o Cletus Chicken, bom para almoçar, principalmente com sanduíches e nuggets de frango, tipo KFC. Os drinks são do tipo self-service. 14:00h – Studio Tour → Horário de funcionamento do Tour en Español: 14:00h e 15:30h. É considerado o passeio mais divertido do parque e um dos mais procurados pelos turistas. Trata-se de um passeio que é feito através de trem que vai passando por vários cenários e sets de filmagens dos estúdios da Universal. Durante o passeio tem um guia que vai explicando cada detalhe e curiosidades sobre os sets de filmagens. No geral, o tour dura em torno de 45 minutos. Para resumir, as atrações do Studio Tour passa pelos cenários do A Guerra dos Mundos, King Kong, Desperate Housewives, Tubarão e até o famoso e assustador Psicose. E a grande atração deste tour são alguns brinquedos que também fazem parte do passeio como o 3D do King Kong, uma demonstração de terremoto (Earthquake) no qual os turistas entram em um cenário de metrô. Há cenários utilizados no filme Back to the Future, como a entrada do bairro do Marty McFly, Lyon Estates, o bar estilo anos 50, e a famosa praça do relógio! No Studio Tour da Universal Studios Hollywood há a locação do acidente de avião, no filme "War of the Worlds", estrelado por Tom Cruise. Para criar este set, os produtores do Universal Studios compraram um 747 ex-commercial jet original e o despedaçaram para criar o dramático cenário apocalíptico do filme. Durante o passeio VIP, os visitantes podem caminhar e conferir os pedaços do 747 mais de perto, seguindo os passos de estrelas como Tom Cruise e do diretor Steven Spielberg. No Studio Tour se quiser bater boas fotos de Jaws é melhor ficar no lado direito do carro. Se quiser bater boas fotos dos carros de filmes, fique do lado esquerdo. É uma experiência incrível. Além disso, ainda conta com uma mini apresentação dos carros usados no filme Velozes e Furiosos. O passeio todo é feito dentro do trenzinho. 15:00h → The Simpsons Ride: O brinquedo fica dentro de uma área toda tematizada com a família Simpsons. Há uma fiel réplica do cenário de Springfield. Aproveite a volta na montanha-russa com as aventuras dos personagens: Homer, Marge, Bart, Lisa e Maggie. 15:15h → Animal Actors. 16:10h → Despicable Me – Minion Mayhem: Ambientação idêntica ao filme “Meu Malvado Favorito”, com casas da vizinhança do Gru e até o orfanato onde suas filhas moravam. Aproveite para conhecer o laboratório dos famosos Minions, pois a diversão é garantida. 16:30h → The Walking Dead Attraction: É uma das mais novas atrações do Universal Studios Hollywood. Inspiradas na série de sucesso “The Walking Dead”, passe por uma casa de terror e por diversas cenas da série, que são bem assustadoras por sinal. 17:00h → Special Effects Show Como sugestão de Trajeto no parque, inicia-se no: Studio Tour, Lower Lot, Upper Lot e o CityWalk para finalizar o dia. → Lower Lot Acessível através de vários lances de escada rolante gigante ou de elevador, tem uma boa vista do parque, e vale a pena algumas fotos. Nessa parte do parque tem Transformers, The Mummy, e Jurassic World. Nessa parte da Lower Lot, o Jurassic Café é uma boa opção de lanche. → Upper Lot Localizado logo após a entrada do Parque, é onde possui a maioria das atrações do Universal. → City Walk A Universal CityWalk é a rua de entretenimento do Universal, que tem seu movimento maior quando as portas do parque se fecham. À noite tem o show de fogos no castelo do Harry Potter e as opções são muitas para quem está disposto a prolongar a noite, a começar pelas dezenove salas de cinema – entre elas sete IMAX! Além de ser divertido, você ainda permanece na temática cinematográfica proposta pelo Universal Studios. A Citywalk oferece boas lojas, entre elas: Abercombie & Fitch, Fossil e Guess. O melhor, no entanto, é aproveitar as opções temáticas. Os filmes e desenhos vistos dentro do parque estão estampados em camisetas, canecas, bonés e em todo tipo de souvenir. Depois das compras, é hora de aproveitar as fartas opções de alimentação (dentro do parque as opções são limitadas a sanduiches, coxas de peru, fast food em geral). A Universal Citywalk concentra alguns dos clássicos gastronômicos de Los Angeles, como: Johnny Rockets, Tommy’s e Pink’s. Além das lanchonetes, o espaço é cercado de bons restaurantes. Dicas: Na entrada, não esqueça de pegar a versão atualizada do mapa. Interessante o uso do App Universal Hollywood para ter acesso facilmente ao tempo de espera das filas e horários dos shows. → CUSTO: R$ 390,12 (Comprado antecipadamente no Brasil); → ESTACIONAMENTO: US$ 27,00 (General parking), mas tem outros mais próximos à entrada do parque por US$ 35,00 (Preferred parking) e US$ 50,00 (Front Gate parking). Pagamento em espécie ou cartão de crédito. 18:15h → Deslocamento para a cidade de Anaheim, CA __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  10. 6º Dia - Continuação San Luis Obispo de Tolosa (CA) Praticamente no meio do caminho entre Los Angeles e San Francisco é o clássico ponto de parada viajantes. Sem qualquer atrativo especial a visita à San Luis Obispo demanda pouco tempo. Tem qualidade de vida invejável, porque foi nomeada a cidade mais feliz da América. 22:00h – Check-in no Rose Garden Inn San Luis Obispo (585 Calle Joaquin, San Luis Obispo, CA, 93405, Estados Unidos) Quarto e banheiro super espaçosos, Wi-Fi grátis (lento) e estacionamento descoberto grátis. Café da manhã "de luxo" para viagem grátis: → CUSTO: R$ 476,70 (1 noite, suíte para 2 pessoas) 7º Dia 07:00h – Café da manhã no Rose Garden Inn San Luis Obispo 07:30h – Check-out no Rose Garden Inn San Luis Obispo (585 Calle Joaquin, San Luis Obispo, CA, 93405, Estados Unidos) 08:00h – Parada para fotos no Bubblegum Alley Atração um pouco bizarra, são milhares de pedaços de chicletes mastigados na parede de um beco ao lado da Higuera Street, entre as ruas Garden e Broad Street, através da tradição dos estudantes locais, na década de 50. 08:30h – Mission San Luis Obispo de Tolosa (751, Palm Street, 2001,San Luis Obispo, California) → Missão criada pelos espanhóis em 1772, é considerada uma das mais bonitas entre as 21 missões construídas na Califórnia, funcionando como igreja católica até os dias atuais. A San Luis Obispo Mission é normalmente chamada de "Príncipe das Missões", pois tem certas peculiaridades que a difere das outras, já que você não precisa pagar e não há um mapa guiando o visitante, simplesmente segue o seu próprio ritmo. Há um museu dentro da missão, dedicado aos índios Chumash. Na parte de fora, há banheiros públicos e uma praça. Na frente da Mission, um chafariz com ursos, uma menina e um peixe. Uma tradição na Califórnia: Esfregar nas pontas dos dedos dos pés de Padre Serra, para dar sorte; muito parecido com o beijo irlandês da Pedra de Blarney, como também os chineses esfregam o Buda. Busto de Junípero Serra, em tamanho real na Mission Foto da Fonte no jardim, além de parte das copas dos Jacarandás A capela desta Missão tem uma arquitetura diferenciada, porque é a única de todas as missões que forma um L. Com relação ao retábulo da San Luis Obispo de Tolosa Mission é visivelmente menos ornamentado do que em outras missões. No interior do prédio, um pequeno parreiral e o jardim florido. Altar histórico, protegido por uma parede de vidro. Seção de uma parede, que foi propositadamente exposta para mostrar que o material de construção utilizado foi o adobe. 10:00h – Seguimento da viagem pela U.S. Route 101 O destino abaixo não estava previsto em nosso roteiro, desta forma não deixamos engessado o planejamento como, por exemplo, em outros destinos. Uma ideia acertada, pelo ótima experiência que tivemos. Santa Barbara (CA) Linda cidade litorânea com palmeiras, Santa Barbara é chamada de "Riviera Americana" por seu clima mediterrâneo e sua localização em uma baía encimada isso por montanhas arborizadas. 11:30 - Posto de Combustível - Chevron (401 W Montecito St, Santa Barbara, CA) 11:40 → Calçadão West Beach → Pier Stearns Wharf Dica: O estacionamento no pier é gratuito por 90 minutos. → 12:30h - Almoço - The Habit Burger Grill Custo: US$ 11,25 (Valor do combo, incluindo US$ 0,90 de taxas) → Seguimento da viagem em destino a Los Angeles. __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  11. 6º Dia - Continuação Carmel-By-the-Sea (CA) Com sua confusa mistura arquitetônica de chalés dos Alpes suíços e dos livros de história ingleses, a pequena cidade de Carmel, no Norte da Califórnia é uma idílica aldeia situada na costa de Monterey, a cerca de 200km de São Francisco ou 530 km ao norte de Los Angeles. O nome da cidade foi dada por seu fundador Sebastián Vizcaíno em homenagem a sua santa de devoção, a Virgem Maria, a qual foi consagrada o título de Nossa Senhora do Carmo (ou “Nossa Senhora do Monte Carmelo”). Após o terremoto de 1906, em San Francisco, muito artistas visuais e artesãos migraram para Carmel, provocando um forte movimento artístico na região e em 1910, sabia-se que 60% das casas abrigavam moradores que viviam de suas artes. A Cidade é Pequena, possui aproximadamente 4.000 habitantes, e mostra um pouco da verdadeira Califórnia: a costa escarpada do Pacífico com afloramentos rochosos, ciprestes fantasmagóricos e a área verde radiante do famoso campo de golfe de Peeble Beach. A cidade de cerca de 2,6 quilômetros quadrados não possui postes de luz, parquímetros ou mesmo numeração nas casas, mas você não a chamaria de discreta. Antes um reduto boêmio para pessoas como Jack London, Carmel atualmente é um local de imóveis altamente valorizados, e o vale ao redor está repleto de restaurantes de ponta, vinícolas-butique e lojas preciosas. Pertence ao Condado de Monterey, na qual o ex-ator e diretor Clint Eastwood já foi prefeito da cidade, na década de 80. Muitos americanas se dirigem à esta cidade, nos finais de semana, para passear com seus cachorros e se divertir com a família. 11:20h → Carmel Beach Praia com areias brancas (rodeadas de ciprestes), águas claras e um pôr do sol pra ficar na memória. Lugar com bastante vento. Para ver a praia do alto, caminha-se até a plataforma que fica do lado direito da praia, pois tem um melhor ângulo. 11:45h Almoço – Tommy's Wok – (Mission between Ocean & 7th, Carmel-By-The-Sea, CA) Para a tristeza dos mochileiros, a cidade de Carmel não possui rede de fast foods. Entretanto, conseguimos descobrir este restaurante que foi um achado, com um bom custo x benefício. Ao final da refeição, o cliente recebe de brinde um biscoito da sorte. Restaurante de localização escondida, atrás do estacionamento do banco Wellsfargo, possui ambiente simples, com bom atendimento. Porções generosas, além de ser difícil de encontrar assentos ociosos para a refeição. Preços em conta, por estar em Carmel-By-the-Sea. Prato de Entrada Opção de Prato Principal Opção de Prato Principal 12:30h Carmel Plaza (Ocean Avenue & Mission Street, Carmel-By-The-Sea, CA) Centro Comercial a céu aberto com três pavimentos, sendo um bom local de apoio para descanso, uso de banheiros públicos e compra de souvenires. Big Sur (CA) Refúgio de autores e artistas, a região do Big Sur traz paisagens costeiras que podem ser percorridas de carro pela sinuosa Highway 1, uma estrada levantada entre as montanhas de Santa Lucia nos anos 1930. O percurso é de 125 km, entre as cidades de Carmel e San Simeon, mas o passeio pode levar o dia todo, graças às paradas pontuadas por rochedos repletos de ciprestes e praias desertas porque apesar do verão, a água é gelada e o vento, frio. Durante o trajeto é comum aparecer as placas "scenic views" (vistas panorâmicas), sendo ideal descer do carro e tirar belas fotos. Também deve-se destacar a portentosa ponte Bixby, símbolo da Highway 1 e representada no livro "Big Sur" (1962), de Jack Kerouac (1922-1969). Foi em uma cabana perto desta ponte que ele se refugiou nos anos 1960. Henry Miller (1891-1980) foi outro marcado por Big Sur. A casa em que viveu por quase 20 anos e por onde suas cinzas foram espalhadas é atualmente uma biblioteca na beira da estrada, com festivais de música e cinema. Dica: Como na área do Big Sur não há área de cobertura de telefonia móvel, assim dificultando o estabelecimento de conexão via internet, nossa sugestão é realizar previamente o download do aplicativo gratuito de GPS Offline HERE WeGo para utilizá-lo nesta região. PRIMEIRA PARADA: 13:10 → Point Lobos - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 08h às 19h. Um desses cantinhos especiais da Costa da Califórnia, onde há refúgios de animais marinhos como focas, lontras e um dos melhores lugares de Carmel, para ver a migração das Baleias Cinzas. Custo U$S 10,00 (valor por carro) SEGUNDA PARADA: 13:45h → Parada entre Point Lobos e Garrapata, não mapeada inicialmente. TERCEIRA PARADA: 13:55h → Garrapata State Park O Parque é grande e possui várias entradas – 01 a 19. a) Nas paradas 08 e 09 você vai conseguir subir ao ponto mais alto do parque e tem uma vista deslumbrante; b) Parar na entrada 19, que dá acesso (após uma curta trilha) à praia Garrapata, que é extensa, deserta, muito bonita, rodeada por uma grande cadeia de montanhas, o que deixa o visual ainda interessante. QUARTA PARADA: 14:05h → Rocky Point Restaurant Outra ''scenic view'', para estacionar o carro e tirar fotos. QUINTA PARADA: 14:15h → Rocky Creek Bridge Datada de 1932, localizada na US-1, rende boas fotos. Diversos acostamentos para paradas, tanto antes quanto depois da ponte, para aproveitar a vista dos ângulos da engenharia dela. Bastante parecida com a Bixby Bridge, que vem logo à frente. → Bixby Bridge - Infelizmente não foi realizada a parada, pois a rodovia encontrava-se em manutenção com o sistema pare e siga impedindo o estacionamento neste ponto. A ponte mais famosa do Big Sur; foi inaugurada em 1932 e tem 79 metros de altura. É uma obra grandiosa, bem bonita e imponente, e um dos pontos de parada mais fotografados. Símbolo da Highway 1, a Ponte Bixby é representada no livro "Big Sur" (1962), de Jack Kerouac (1922-1969). Também cenário do game Grand Theft Auto V, lá conhecida como Cassidy Creek Bridge. SEXTA PARADA: 14:30h → Hurricane Point Neste mirante é possível visualizar montanhas que avançam sobre o azul do Pacífico, encostas vertiginosas, além de praias desertas. Aqui também se tem a vista mais incrível da Bixby Bridge, sendo um mirante bem sinalizado, grande, com diversos lugares para estacionar. Foi o ponto que mais ventou na nossa experiência de todas as paradas realizadas na Big Sur. SÉTIMA PARADA: 14:50h → Mirante Vista do encontro do Little Sur River com o Oceano Pacífico. OITAVA PARADA: 14:55h → Point Sur Light Station Ao visualizar de longe parece uma ilha, mas quando vai chegando perto dá pra ver que tem comunicação com o continente. No Point Sur há um farol, com 12 metros de altura e inaugurado em 1889, que ainda continua em funcionamento como um auxílio para a navegação, sendo uma antiga base naval, na qual só se permitem visitas guiadas, durante os finais de semana. NONA PARADA: 15:10h→ Andrew Molera State Park A trilha leva a uma praia, que está longe de ser destaque na Big Sur, porém há belas paisagens, pontos de vista e pontos turísticos impressionantes. Seguimos pela Beach Trail, essa trilha leva aproximadamente 01 hora de ida e volta, uma caminhada percorrida em torno de 02 milhas. Rio Big Sur River → Partington Cove Após estacionar o carro no acostamento à direita, há a oportunidade de observar a paisagem da estrada ou fazer a trilha, com cerca de 800 metros. DÉCIMA PARADA: 16:25h → Julia Pfeiffer Burns Vista Point As caixas de correio americanas coloridas marcam a localização próxima a entrada do Parque Julia Pfeiffer Burns, não há placas indicativas. DÉCIMA PRIMEIRA PARADA: 16:50h → Mc Way Canyon Julia Pfeiffer Burns State Park (não confundir com o Pfeiffer Big Sur State Park, que fica 11 milhas antes). Pfeiffer State Beach, não confundir com Pfeiffer Park ou Julia Pfeiffer Burns Park, é uma das praias escondidas mais lindas de Big Sur. A Pfeiffer Beach tem águas bravas e uma caverna de pedra linda bem pertinho da areia. Um lugar incrível para fazer picnic, curtir uma tarde de sol, e nos dias mais quentes do ano, dar um mergulho na água (infelizmente a água é muito gelada). Dentro do Mc Way Canyon Julia Pfeiffer Burns State Park, para acessar a cachoeira McWay Falls, a partir do estacionamento do parque, o visitante deve seguir a Overlook Trail a oeste do estacionamento e passar por um pequeno túnel (a pé mesmo), sob US-1. → McWay Falls – Big Sur – Trecho com a paisagem mais bonita da Roadtrip. A McWay Waterfall é uma cachoeira de quase 25 metros de altura, onde o riacho McWay despeja suas águas sobre uma pequena praia em uma queda livre de 24 metros de altura McWay Falls foi destaque para a foto de capa de uma das edições do Lonely Planet California: . O nome McWay Falls está relacionado como uma homenagem a família McWay, na qual foi a primeira a viver nessa região. Para entrar no parque, o custo é de US$ 10,00 por veículo. O pagamento como mostra a foto abaixo é no estilo self registration, onde o próprio visitante põe o dinheiro no envelope que está ali disponível, preenche, logo após deposita-se o envelope na caixa conforme indicado e em seguida utiliza-se uma parte do ticket no vidro do carro, para comprovação do pagamento. Estes procedimentos sem nenhum tipo de fiscalização. Com o pagamento da taxa de estacionamento, além do veículo estar mais seguro, o pagamento desta contribui para a manutenção dos Parques Nacionais, e ainda por cima ganhando tempo, pois a cachoeira se distancia apenas 5 minutos de caminhada, ao invés da possibilidade de se estacionar na via pública. DÉCIMA SEGUNDA PARADA: 17:25h → Mirante Big Creek Brigde Após a passagem da ponte Big Creek Bridge, há um belo mirante, e com vistas incríveis da ponte e das formações rochosas do Oceano Pacífico. DÉCIMA TERCEIRA PARADA: → Big Creek Cove Vista Point Este ponto fica logo após a Ponte Big Creek, aproximadamente 01 milha de distância. → Gamboa Point Há um belo mirante, e com vistas incríveis da ponte e das formações rochosas do Oceano Pacífico. DÉCIMA QUARTA PARADA: Estacionamos o carro no acostamento da via, sem maiores problemas, para evitar o pagamento da taxa de US$ 10,00. 18:00h → Sand Dollar Beach O Sand Dollar Beach é o maior trecho ininterrupto de faixa de areia, com forma crescente, da Big Sur. Apesar de grande, não é muito bem visível durante a estrada da US-1. A razão de ser chamada assim, é porque costumeiramente agraciada com as Bolachas-do-mar em suas areias. Este local é fascinante para os amantes da natureza contemplarem o por do sol, uma good vibe, uma experiência incrível num dos locais mais lindos da Big Sur. Apesar de haver a trilha principal para acessar a praia, nós preferimos ver a bela paisagem do alto da falésia através das diversas trilhas laterais. Não é interessante visitar o local para apreciar o banho de mar, normalmente frio e com mar perigoso. Pelo que vimos não é possível fazer acampamento durante à noite. Observamos alguns nativos na praia, jogando Frisbee, outros apenas contemplando essa maravilhosa paisagem, no retorno para o carro, e até mesmo pintando quadros na área destinada ao piquenique. Sand Dollar é um lugar espetacular para se apreciar o pôr do sol. → Jade Cove Depois de tempestades, quando a maré está mais baixa, é comum encontrar pedras de jades trazidas pelas ondas e depositadas no local. Alguns norte-americanos brincam de Caça ao Tesouro, na qual o vencedor é quem achar a maior jade. DÉCIMA QUINTA PARADA: 18:48h → Willow Creek Picnic Area and Beach DÉCIMA SEXTA PARADA: → Jantar - Ragged Point Além de ter vistas incríveis na Big Sur, neste ponto é uma ótima base de apoio rodoviário, com restaurante, loja de presentes, Posto de Combustível e até mesmo hotel. Sugestões de próximas paradas que não pudermos conhecer, devido a falta de tempo: a) Art "Portal to Big Sur" Portal inteligente localizado na Big Sur, para tirar a foto com a paisagem ao fundo. b) Piedras Blancas Local de preservação, com uma estrutura organizada por uma entidade objetivando educar as pessoas, sobre elefantes marinhos e outras formas de vida marinha. Paisagem belíssima e vistas das colônias de elefantes marinhos. Odor desagradável. c) San Simeon Na região da cidade de San Simeon há grande concentração na praia, de Elefantes Marinhos. Fim do trajeto da região Big Sur. __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  12. 5º Dia - Continuação Monterey (CA) Há duas horas e meia de San Francisco (190 km), base de pernoite do trajeto da Highway 1, a parte turística de Monterey está concentrada em duas regiões diferentes: A Cannery Wharf, uma rua divertida e vibrante repleta de lojas e restaurantes, e o antigo Fisherman’s Wharf de onde saem os passeios de barco, caiaque e mergulhos pela região. É a cidade do personagem Zorro, na época da California Hispânica, em que viveu seu auge por ser a maior cidade do Estado da California, pujada pelo histórico Porto marítimo; até mesmo desbancando Los Angeles. 15:50h – Monterey Bay Aquarium (886 Cannery Row, Monterey, CA) HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: Das 09:30h às 17h (ÚLTIMA ENTRADA) Aquário com diversas espécies de medusas, tartarugas, tubarões - inclusive tubarão martelo – entre outros. Um dos maiores e mais famosos aquários do mundo, foi inaugurado em 1984 e instalado em Cannery Row, bairro histórico que antigamente foi sede das milionárias fábricas de sardinhas da região. Com mais de 30 anos de existência, conta com mais de 35 mil criaturas, representando mais de 550 espécies. CUSTO: US$ 50,00. Informações gerais: - As fotos são permitidas somente sem flash, não é permitido o uso de tripés. - Não é permitido se alimentar dentro do aquário ou nos decks (área externa), somente nas áreas específicas (café ou restaurante). - Estacionamento: Tem o estacionamento do aquário que custa US$ 15,00 o dia inteiro, é só seguir as placas porque não fica a beira mar e sim do outro lado da rua. Optamos pelo estacionamento na rua com parquímetro que custa US$ 1,50 a hora, o procedimento é bem simples, basta colocar o cartão de crédito no parquímetro e escolher o tempo de permanência. 17:00h – Fisherman Wharf - Primeiro porto da cidade, construído no fim do século 19, onde concentrava a atividade pesqueira na região. Abriga em seu deque, restaurantes de frutos do mar e lojas de suvenires. 17:30h – Monterey Canning Company – Um conjunto de antigas fábricas de enlatados, que virou centro comercial. 18:00h – Check-in no Motel 6 Monterey (2124 N Fremont St, Monterey CA +18316468585) → Com quartos grandes e limpos. Oferece geladeira, micro-ondas, ferro de passar, secador de cabelo e há piscina. Não  há café da manhã, mas em frente há um Dennys e ao lado tem uma conveniência CVS. → O estacionamento não é coberto. → CUSTO: R$ 323,90 (1 noite, suíte para 2 pessoas) 20:00h – Jantar – Gianni's Pizza (725 Lighthouse Ave, Monterey, CA) → Uma das melhores pizzarias da culinária italiana, do Estado da California e não há atendimento de garçons. Bons preços comparados com os custos praticados nos EUA. Estacionamento próprio. Sugestão: Meia Pesto di Mari e meia Alfredo di Ronaldo: 20h30 – Posto de Combustível - Valero (700 Lighthouse Ave, Monterey, CA) → Retorno ao no Motel 6 Monterey (2124 N Fremont St, Monterey CA +18316468585) 6º Dia 8:30h – Check-out no Motel 6 Monterey (2124 N Fremont St, Monterey CA +18316468585) → Locais encontrados pelo caminho, não encontravam-se mapeados: a) Lake El Estero b) El Estero Skate Park 09:20h → Inicio do deslocamento de Monterey em direção ao Big Sur → Rodovia 17 Mile Drive Seguimento da Road trip em direção à 17- Mile Drive em direção a Carmel. Ela passa por dentro de um condomínio fechado repleto de mansões e campos de golfe. Na entrada, há uma guarita onde devemos pagar uma taxa para ter acesso à 17 Mile Drive. A Rodovia 17 Mile Drive, construída há quase 130 anos para dar caminho a um hotel, atualmente trajeto do condomínio Pebble Beach. É entregue um mapa com 21 paradas nos pontos mais interessantes do trajeto. Custa US$ 10,50 por automóvel. Uma das paradas icônicas, é a da paisagem do ‘‘Cipreste Sozinho”. → Tempo normal: 25 minutos. Ideal: 02 horas. → Pacific Grove Gate Entrada para percurso do trajeto, onde se encontra o pedágio. PRIMEIRA PARADA: 09:40h→ Bird Rock Vista Point É uma rocha no meio do mar que serve de abrigo para inúmeras aves marinhas e grupos de focas e leões-marinhos. SEGUNDA PARADA: 10:20h → Lone Cypress É o famoso Cipreste Solitário. Árvore que sobrevive em cima de uma rocha, por mais de 250 anos. É um dos ícones da Califórnia, sendo considerada uma das 10 árvores mais famosas do mundo. TERCEIRA PARADA: 10:35h → The Ghost Tree É uma "árvore fantasma", um cipreste de tronco esbranquiçado e retorcido devido à ação do vento, dando um aspecto assustador. Toda esta parte da estrada tem árvores retorcidas. QUARTA PARADA: 10:50h → Pebble Beach Condomínio com campos de golfe e lindas paisagens. __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  13. 5º Dia - Continuação Silicon Valley (CA) Dia dedicado para conhecer as cidades em torno do Vale do Silício: Stanford, Palo Alto, Montain View, San Jose. Uma programação "nerd" para conhecer um pouco mais acerca da área de tecnologia e inovação, sendo um passeio bastante interessante. 08:25h → YouTube,LLC – (901 Cherry Ave, San Bruno, CA) O YouTube é uma plataforma de compartilhamento de vídeos com sede em San Bruno. O serviço foi criado por três ex-funcionários do PayPal - Chad Hurley, Steve Chen e Jawed Karim - em fevereiro de 2005. A Google comprou o site em novembro de 2006 por US$ 1,65 bilhão; o YouTube agora funciona como uma das subsidiárias da Google. 09:40h → Facebook – (1 Hacker Way – Silicon Valley, CA) Sede do Facebook, a rede social mais famosa do mundo, comandada por Mark Zuckerberg. Ela fica localizada na cidade de Menlo Park e, infelizmente, não disponibiliza tours abertos ao público. Estacione o carro e fique na fila de visitantes ávidos por tirar uma foto junto à placa de “curtir”, em frente da empresa. 10:30h → Hewlett Packard Garage – (367 Addison Ave, Palo Alto, CA) Tudo começou na década de 1930 quando dois ex-alunos da Universidade de Stanford, William Hewlett e David Packard, desenvolveram em uma garagem na cidade de Palo Alto, um oscilador óptico que foi vendido aos estúdios Disney. Nascia a empresa HP. A garagem da HP é considerada o berço de nascimento do Vale, porém não está aberta para visitas. Imperdível a uma foto com a placa que mostra que ali é o “local de nascimento do Vale do Silício”: 11:00h→ Stanford University – (Stanford University, 450 Serra Mall, Stanford, CA) Ela faz parte da história da formação e desenvolvimento do Vale do Silício por ser um centro de excelência em pesquisa e inovação extremamente eficiente. Tem muita coisa bacana e gratuita para conhecer na universidade, inclusive tours frequentes que passam pelas principais áreas do campus. → Stanford Stadium – (625 Nelson Rd, Stanford, CA) Casa da Universidade de Stanford, uma das mais tradicionais do meio acadêmico e da NCAA, o campo foi a “casa” do Brasil na maioria dos jogos do torneio. Lá, a Seleção bateu a Rússia na estreia (2×0), Camarões (3×0) e o emblemático jogo contra os donos da casa no dia da Independência norte-americana (1×0).Na época da Copa de 94, o gramado da Universidade de Stanford teve que ser alargado para se adequar às exigências da FIFA, tanto que na época a delegação da seleção brasileira reclamou da grama dos estádios norte-americanos, considerada muito "seca", dificultando o deslizar da bola. → Memorial Court – (450 Serra Mall, Stanford, CA) É o coração da parte antiga da universidade e que foi completado em 1906.O Jardim do Memorial Court é decorado por uma Impressionante estátua de Rodin a “The Burghers of Calais”. → Hoover Tower – (550 Serra Mall, Stanford, CA) - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: das 10h às 16h A Hoover Tower ou Torre de Stanford é uma parada imperdível para ver a escola e todo o Vale do Silício do alto. A subida é feita de elevador e o número de visitantes por vez é limitado. CUSTO: US$ 4,00 → Igreja Memorial de Stanford – (450 Serra St, Stanford, CA) - Horários de visita: De segunda a sexta: 8h às 17h Domingos: 11:30 am – 15:30 pm 12:30h → Casa de Steve Jobs – (2101 Waverley St, Palo Alto, CA) A casa onde o Steve Jobs morou por 20 anos, até falecer. Sua casa não se diferencia das outras da vizinhança. 12:45h → Hewlett Packard Enterprise Executive Briefing Center – (3000 Hanover St, Palo Alto, CA) Curiosidade: Observamos nos EUA que há um aumento considerável do número de veículos elétricos e híbridos, com relação ao nosso país. Os americanos são grandes defensores ao meio ambiente, no quesito da diminuição do uso dos combustíveis fosseis. 13:20h→ Almoço - In-N-Out Burger – (1159 N Rengstorff Ave, Mountain View, CA) Rede americana famosa de Fast Food, que usam carnes frescas, não usam aditivos e nem conservantes. As embalagens, os copos, o design, dos restaurantes e os uniformes dos funcionários são em estilo vintage. 14:00h → Googleplex – (1600 Amphitheatre Pkwy, Mountain View, CA) Nome dado ao complexo de prédios que abriga a sede do Google, uma das melhores empresas do mundo. Há uma infinidade de prédios e locais para se explorar nesse campus colorido e animado. Não existem tours oferecidos para o público, já que o trabalho lá dentro é estritamente confidencial. Sugestões de locais que não pudermos conhecer, devido a falta de tempo: a) Museu da História do Computador – (1401 N Shoreline Blvd, Mountain View, CA) Fechado nas segundas e terças-feiras, o museu procura contar toda a história do computador desde os primórdios até os dias atuais! Além de computadores para uso pessoal, o museu mostra a importância do desenvolvimento de tecnologias durante períodos de guerras, em avanços feitos para a conquista do espaço e na indústria do entretenimento com jogos, videogames e tantos outros itens. b) Residência – (2066 Crist Dr, Los Altos, CA) Local onde Steve Jobs passou sua infância e adolescência, e Steve Wozniak na qual montaram o primeiro Mac e deram início à famosa Apple. As primeiras 50 máquinas da Apple foram postas, para serem comercializadas. É proibido se aproximar demais da residência. c) Apple – (1 Infinite Loop, Cupertino, CA) Sede da Apple, em Cupertino (CA). E o campus é formado por vários edifícios modernos. Assim como as demais empresas, a Apple não disponibiliza visitas aos seus escritórios. O único local aberto ao público é a “The Company Store”, a única loja do mundo autorizada a vender produtos oficiais da Apple como camisetas e itens como o logotipo da empresa. __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  14. San Francisco (CA) Banhada pelo Oceano Pacífico de um lado e pela baía de São Francisco do outro, a cidade californiana de San Francisco se assemelha a uma ilha. Sua mais importante conexão com o continente é também o principal cartão-postal: a famosa ponte Golden Gate, com seus 2,7 quilômetros de comprimento, está entre as paisagens mais fotografadas do mundo. Cerca de 120 mil carros passam pela Golden Gate todos os dias. São Francisco também é um dos principais destinos gays, afinal é o berço dos movimentos em favor dos direitos dos homossexuais. A primeira Chinatown dos Estados Unidos, e a maior fora da Ásia, está em San Francisco. Quarta maior população do Estado da California, com 871.000 habitantes. Fuso horário - são quatro horas a menos que o horário de Brasília. Entre novembro e fevereiro, os EUA atrasam os ponteiros do relógio em uma hora. Nesse período, o fuso são de cinco horas a menos que o horário de Brasília. Visão da ponte Golden Gate, a partir do Crissy Field 1º Dia 15:05h – Chegada ao Aeroporto Internacional O viajante em caso de bom tempo e disposto a caminhar por cerca de 25 minutos com as malas, do aeroporto ao hotel poderá ir de metrô BART (Bay Area Rapid Transit), já que existe uma estação dentro do aeroporto de San Francisco. Para não caminharmos, a alternativa entrada em consenso, com um custo de US$ 26,64 (incluindo US$ 4,44 de gorjeta) foi pegar um Lyft até o hotel. Dica: Após o desembarque internacional no aeroporto de San Francisco, para acesso ao embarque de transporte por aplicativo (Uber/Lyft), no saguão deve-se deslocar a direita e em seguida subir as escadas rolantes, para acessar o piso superior. 16:00h – Check-in no Casa Loma Hotel (610 Fillmore St, San Francisco, 94117, CA, US - Telefone +14155527100) Check-in liberado após as 15:00h. → CUSTO: R$ 1.432,08 (4 noites, suíte para 2 pessoas) 17:30h – Lanche – Mc Donald's – (1100 Fillmore St, San Francisco, CA) Esta rede de San Francisco possui a opção de fazer o pedido diretamente através de uma tela touch, sem interação humana, com isso é uma ótima opção para os turistas que não tenham fluência no idioma inglês. Além do mais, a maioria dos funcionários também falam em espanhol. 18:15h Deslocamento até o Fishermann Wharf 19:00h – Panoramic Night Tour Blue Route – Big Bus Tours San Francisco – (99 Jefferson St, San Francisco, CA) Passeio em torno de uma hora, através de um sistema de transporte exclusivo para turistas com um guia turístico relatando detalhes do passeio, em inglês. Trata-se de um ônibus de 2 andares com rota definida e que percorre os principais pontos turísticos da cidade, ideal para se ter um panorama da cidade de San Francisco. Atente-se o passeio noturno atravessa a Ponte Willie Brown Jr. para o acesso a Treasure Island, local com parada para a ver a skyline da cidade de San Francisco, na parada há banheiros disponíveis para uso. Dica: Sentar-se no andar superior no lado direito e levar casaco (corta vento), mesmo em dias calorosos. → CUSTO: US$ 35,00 (noturno). 22:00h – Retorno ao Casa Loma Hotel – (610 Fillmore St, San Francisco, 94117, CA, US - Telefone +14155527100) 2º Dia 06:00h – Café da manhã → Locais encontrados pelo caminho, não encontravam-se mapeados: a) Japantown, também conhecido como Nihonmachi. Possui um impressionante Pagode da Paz de cinco andares. b) Parque Lafayette c) Haas-Lilienthal House, é a única casa da era vitoriana intacta da cidade que está aberta regularmente como um museu, completa com móveis e artefatos de época. d) Parque Nacional Marítimo 08:10h – Ghirardelli Square Localizada na antiga fábrica da empresa, o quarteirão Ghirardelli é um local com diversas opções de gastronomia e um pequeno comércio. Destaque para loja da empresa localizada na antiga fábrica, fundada em 1952, onde é possível degustar diversos produtos (sundays, cafés) e também comprar os produtos da marca. Essa região tem um dos odores mais cheirosos de San Francisco, que cheira chocolate. O acesso é através do pátio central, onde há uma série de outras pequenas lojas ou pela entrada lateral na Larkin Street. 08:30h – The Cannery at Del Monte – (2801 Leavenworth St, San Francisco, CA) O Cannery at Del Monte Square, na Leavenworth Street foi originalmente construído em 1907 como uma fábrica de conservas, de frutas e vegetais para a Associação de Conservas de Frutas da Califórnia, que se tornaria Del Monte em 1916. Em 1909, era a maior fábrica de conservas do mundo com capacidade de 200.000 latas soldadas de forma manual por dia, além de empregar mais de 2.500 pessoas. As operações cessaram em 1937 e o prédio funcionou como um armazém até o início dos anos 1960, quando foi programado para ser demolido. Leonard Martin comprou a fábrica de conservas em 1963 e trouxe uma equipe de arquitetos e desenvolvedores liderados por Joseph Esherick, para transformá-la em um complexo de três andares com passarelas e pontes de tijolos, que abrigam uma grande quantidade de lojas, restaurantes e locais de entretenimento; na qual foi aberto no ano de 1966. 08:40h – Take a Ride on the Cable Cars – Dando uma volta de Bonde – Linha Vermelha (Hyde St & Beach Street, San Francisco, CA) - horário de funcionamento: das 06h às 00:30h. Foi interessante observar também, além do curioso sistema operação de freio manual e sem motores internos, o funcionamento do retorno dele (turnaround). Quando o Cable Car chega ao final do trilho, os 2 condutores/cobradores descem e realizam um processo manual. A plataforma de madeira gira e um deles manipula manualmente para que o bonde vire. Dica: Quanto mais tarde realiza-se o passeio com o Cable Car, maiores são as filas, que giram em torno de 45 minutos a 01 hora de espera. Não obstante é perceptível que vendem mais ingressos do que a capacidade do veículo. Com o passar da manhã, os Cable Cars saem lotados e infelizmente muitas vezes as pessoas que ficam em pé, cobrem a visão dos passageiros que estão sentados. Uma alternativa é ficar em pé pendurado no Cable Car, em cima da parte do estribo. → CUSTO: US$ 7,00 (Entrada única - Single Ticket) Descida em Nob Hill, região nobre de San Francisco, residencial e misturada com diversos hotéis luxuosos, além de vistas caprichadas da cidade. 09:40h – Passeio pela Union Square A Union Square, umas das praças mais badaladas de São Francisco ganhou este nome durante a guerra civil, ao ser usada como ponto de apoio e de comício dos partidários pró união. A estátua no centro da praça representa a deusa da Vitória “Nike” e foi erguida em comemoração a vitória de uma das batalhas durante a guerra entre Estados Unidos e Espanha em 1898 na baía de Manila. Comercial quanto NYC. Ali estão as grandes lojas como Forever 21, Macy’s – com uma Cheesecake Factory gigante bem grande no topo; como também shoppings grandes. Caminhando até a Market Street e já, já você avistará os prédios. O "Grand" hotéis estão aqui, e algumas quadras ao norte em Nob Hill (muito íngreme para caminhar até lá). As grandes lojas de departamentos estão próximas, além de muitas pequenas lojas e hotéis do estilo "boutique". É também ao lado do distrito dos teatros. Talvez os restaurantes Franciscanos mais “elegantes” estejam nessa área (Fleur de Lys, Farallon, Masa, Ritz Carlton, Postrio, etc). Há menos "simples", "Mom-n-Pop", ou do tipo étnicos que se encontrará em outras partes da cidade. A principal desvantagem é a proximidade com o The Tenderloin, que geograficamente a oeste e sul da Union Square. Existem muitos arranha-céus, então haverá menos de luz do sol do que se encontrará em outro lugar. A Union Square é “morta” aos domingos, e não tão animada quanto a outros lugares à noite. O estacionamento é muito caro (US$ 50 por noite ou mais), e dirigir é uma tarefa difícil. → Corações da Union Square Na Union Square há algumas estátuas de coração, umas diferentes das outras, nos quatro cantos da praça. Essa é uma tradição que vem desde 2004, a cada ano novos corações são pintados e os antigos são leiloados, onde a renda é doada para o Hospital Geral de São Francisco. a) Fairmont San Francisco – (950 Mason St, San Francisco, CA) O The Fairmont é um hotel clássico na cidade, na qual recebe muitos hóspedes famosos entre presidentes e celebridades, e tem um dos bares mais icônicos de San Francisco o Tonga Room. Os quartos tem uma decoração bem clássica e muitos deles com vistas lindas da cidade. b) James Clair Flood Mansion – (1000 California St, San Francisco, CA) O James Clair Flood Mansion é uma mansão histórica, localizada na California Street, no topo da Nob Hill. Atualmente sendo o Pacific-Union Club, foi construído em 1886 como a casa de James Clair Flood, um barão do século XIX. Foi o primeiro prédio a oeste do rio Mississippi e a única mansão em Nob Hill a sobreviver estruturalmente ao terremoto, como também ao incêndio de 1906 em San Francisco. Foi declarado Marco histórico nacional, no ano de 1966. c) The Masonic – (1111 California St, San Francisco, CA) O California Masonic Memorial Temple é um imponente prédio de mármore branco localizado no todo da Nob Hill, centro de São Francisco. Construído nos anos 50, é um ícone da arquitetura pós modernista. É a sede da Grande Loja da Califórnia e eventualmente oferece palestras e visitas informativas sobre a Maçonaria. Em 2015, aqui ocorreu a XIV Conferência Mundial das Grandes Lojas Maçônicas Regulares, O tema deste evento foi “A Cadeia de União: Reforçar os Laços Fraternais num mundo em Mudança”, estiveram presentes 105 Grandes Lojas Mundiais e cerca de 1.000 participantes. d) Grace Catedral – (1100 California St, San Francisco, CA) Inspirada na Catedral de Notre Dame em Paris, ela foi construída no estilo neogótico e, hoje, é um prédio que destoa do restante da cidade de San Francisco por sua beleza ímpar. Situada no bairro de Nob Hill, bem pertinho do hotel Fairmont San Francisco, que é um dos mais famosos e luxuosos da cidade, ela foi fundada no século XIX como uma pequena paróquia, na época, da corrida ao ouro na Califórnia. Sua construção foi finalizada somente em 1964, tornando-se a terceira maior catedral dos Estados Unidos. e) City Hall de San Francisco – (1 Dr Carlton B Goodlett Pl, San Francisco, CA) A atual Prefeitura de San Francisco abriu as suas portas em 1915, substituindo o prédio que foi destruído no terremoto de 1906. O edifício lembra bastante o “Les Invalides de Paris” e se destaca por sua grande cúpula que, com 90 metros de altura, é uma das maiores do mundo. O City Hall de San Francisco foi utilizado em várias ocasiões como cenário para rodar alguns filmes, como “Endiabrado”, “O Casamento dos Meus Sonhos” e “A Rocha”. Dicas: Há banheiros públicos disponíveis dentro da prefeitura, porém não é permitido entrar no City Hall com mochila ou bolsas grandes. Dia de feira na Praça – Normalmente nas quartas e domingos das 7h às 17h, há um mercadinho de produtos locais na praça. f) Hotel Whitcomb – (1231 Market St, San Francisco, CA ) Em uma cidade conhecida por sua história, o Hotel Whitcomb em São Francisco tem uma história própria. Como a cidade foi devastada pelo terremoto de 1906, o hotel entrou em cena e se tornou temporariamente a prefeitura, de 1912 a 1915, enquanto a original estava sendo reconstruída. Em 1916, o hotel abriu suas portas oficialmente. Embora o prédio tenha parado de funcionar como Prefeitura em 1915, as palavras “City Hall” ainda podiam ser vistas levemente, gravadas acima da entrada principal até meados dos anos 90. 11:30h – Almoço – Tropisueño – (75 Yerba Buena Ln, San Francisco, CA) Restaurante típico mexicano, atendimento cordial e rápido, com comida bem gostosa e porções generosas. Recomendamos o Regular Burritos with meat: → CUSTO: US$ 8,25 – Preços honestos 15:00h – Roteiro a pé, com caminhada (sem pausas é em torno de uma hora, mas fizemos em aproximadamente três horas) a) Observação de artes de rua, na Fell Street Muro dos fundos do Colégio de Ensino Médio Ida B Wells: Rainha Marta em um mosaico, em uma arte abstrata. : Colégio de Ensino Médio Ida B Wells Harlem, Paris of the West (S.F.) (2010): Muro de uma residência, nas proximidades da 1101 Fell Street, Fell St at Scott St, realizado pela artista Marina Perez-Wong, com uma arte envolvendo os principais pontos turísticos de San Francisco: Painted Ladies, Ponte Golden Gate, Cable Car... b) Painted Ladies As Painted Ladies da Alamo Square foram construídas em 1892 e 1896, e hoje, dividem com a Golden Gate Bridge o título de símbolo de San Francisco. Elas já apareceram em mais de 70 filmes diferentes. c) Alamo Square Park Praça localizada no alto de Hayes Valley em San Francisco, é lá e que estão as famosas Painted Ladies, uma fileira de casas vitorianas lindas, pintadas em cores diferentes e com vistas lindas do centro da cidade. d) William Westerfeld House Esse palácio mal-assombrado de madeira foi construído em 1889, para ser a moradia do William Westerfeld, um famoso banqueiro da época. Sua arquitetura é típica de um dos estilos de vitorianas, as sticks (palito). Quando San Francisco estava passando pela fase do Summer of Love, diversas pessoas subiam na torre e ficavam procurando discos-voadores, com relatos de várias aparições. e) McAllister Street Trecho com maior quantidade de casas de estilo Vitoriano, da cidade de San Francisco. f) Chateau Tivoli Bed and Breakfast Neste antiga casa Vitoriana, afinal histórica de 1892, já se hospedaram Isadora Duncan (bailarina), Mark Twain (escritor), e a história que o povo conta, também o fantasma de uma diva da ópera vitoriana, e como hoje é um Bed & Breakfast, qualquer um está convidado a se hospedar também. g) Casa da Série Três É Demais, da Família Tanner (1709 Broderick St, San Francisco, CA) Esta casa onde as irmãs D.J., Stephannie e Michelle cresceram em San Francisco, na vizinhança da Lower Pacific Heights, serviu para as cenas externas da casa da família Tanner, do seriado da ABC Family, como também para o recente reboot “Fuller House”, na Netflix, enquanto as internas eram gravadas em estúdio. Atualmente o imóvel pertence a Jeff Franklin, criador da atração nos anos 80 e 90, avaliada em mais de US$ 4,15 milhões. Construída em 1883, a casa de três pisos conta com cerca de 230 metros quadrados que incluem quatro banheiros e quatro quartos. De 2002 a 2006 a série foi exibida no SBT, inicialmente ocupando o horário das 18h dos sábados, mas já em 2003 a atração passou a ser diária, às 13h15. h) Jefferson Square Park Grande parque na selva de concreto da cidade. Muito bem conservado. 20:00h – Retorno ao Casa Loma Hotel – (610 Fillmore St, San Francisco, 94117, CA, US - Telefone +14155527100) 3º Dia 06:30h – Saída do Casa Loma Hotel (610 Fillmore St, San Francisco, CA) → Passeio na Chinatown 08:30h – Dragon's Gate – Arco ornamentado, doado pela Tailândia em 1970 é a Porta de entrada para Chinatown. → Parede Lateral da padaria Eastern: Arte dedicada ao Bruce Lee (720 Grant Ave com a End Commercial Street, San Francisco, CA) → Sugestão para o café da manhã – Eastern Bakery – (720 Grant Ave, San Francisco, CA) Um cartaz deste estabelecimento histórico, na qual foi a primeira padaria chinesa em Chinatown (1924), anuncia com orgulho a visita do ilustre ex-presidente Bill Clinton à padaria, no ano de 1997, comendo um Mooncake, bolinho tradicional chinês com a finalidade de atrair fortuna. Os Mooncakes são bolinhos, que podem ou não ser recheados, com relevos especiais escritos em Mandarim e normalmente representam longevidade, harmonia e fortuna; além de desenhos lunares, por isso o nome Mooncake ou bolo lunar, e também um desenho da Deusa da Imortalidade. → Waverly Place - Homônimo de um dos principais personagens do sucesso de vendas O Clube da Felicidade e da sorte, de Amy Tan. Procure esta ruazinha para contemplar bandeiras com preces e lanternas vermelhas reverenciando templos com varandas pintadas; → Logo após o Tien Hau Temple, o templo budista antigo de 1852 (e curioso) que fica no terceiro andar de um prédio; numa época em que os chineses de San Francisco não podiam habitar ou trabalhar em outras áreas da cidade. Com enfeites vermelhos e incenso pendurados no teto, detalhes dourados e dezenas de divindades em miniatura, o templo faz com que você se sinta no oriente. → Spofford Alley – Nesse beco, Sun Yat-sem conspirou a derrota do último imperador da China número 36 e os anos 1920 viram lutas armadas de contrabandistas, mas Spofford mudou com o tempo; → Sugestão seguir pela rua e degustar alguns chás na Vital Tea Leaf (1044 Grant Ave), que é uma loja de chás que graças a seu divertido e carismático dono, um chinês figura, que faz absoluta questão de ser chamado de “Uncle” (Tio), conquista locais e turistas. A degustação de chás é grátis, servidos quentíssimos e num copo pequenino vem acompanhado de histórias interessantes, sabedorias chinesas e possivelmente algumas ''histórias para boi dormir'' inventadas pelo uncle. Os chás da Vital Tea não são baratos, mas são deliciosos. → Ross Alley – Conhecida popularmente como Rua Manila, Espanhola e México devido às garotas de programa que trabalham nesse quarteirão, esta rua é repleta de murais e ocasionalmente é retocada para produções de Hollywood, como Karate Kid II e Indiana Jones e o Templo da Perdição. A cena da creche de Christopher, do filme A Procura da Felicidade (2006), foi recriada na 20 Ross Alley, uma estreita passagem entre as ruas Jackson e Washington, no coração de Chinatown. → 654 Jackson Street – Apartamento onde viveu Bruce Lee na cidade de San Francisco, antes de se mudar para Seattle, WA. Lee Jun Fan, o Bruce Lee, nasceu no dia 27 de novembro de 1940, em San Francisco, Califórnia. Faleceu no dia 20 de julho de 1973 em Hong Kong, China, aos 32 anos de idade. Bruce Lee era lutador, artista marcial, filósofo, diretor, roteirista e mestre em artes marciais. É o grande responsável pela popularização do Kung Fu no Ocidente. Esta arte marcial de origem chinesa , e com mais de 300000 adeptos no Brasil, em quase todos os seus estilos imitam animais e usam armas, com golpes demolidores. Apesar de nascer em San Francisco, onde viveu até os três meses, sua família retornou a Hong Kong. Já com 19 anos incompletos viajou para sua terra natal, através de conselhos de seus pais, com uma passagem de terceira classe de um navio, porém foi convidado a ficar na 1º, com a condição de ensinar dança aos passageiros; além de US$ 100 no bolso, se encontrando lá com a sua irmã Agnes Lee, que já estava morando com amigos da família. A brilhante carreira no cinema, que inclui filmes como ''O Dragão Chinês'' e Operação Dragão, foi tragicamente encerrada com sua morte, aos 32 anos, em circunstâncias misteriosos, porém a versão oficial indica que seu falecimento ocorreu numa provável reação alérgica ao medicamento analgésico Equagesic, frente ao edema cerebral agudo. O mestre ficou famoso pelo soco de uma polegada, envolvendo bastante treino, coordenação e neurônios. → City Lights Book Sellers & Publishers – ( 261 Columbus Ave, San Francisco, CA) Esta livraria independente, com mais de duzentas publicações, começou apenas com um piso e nos tempos atuais ocupa todo o prédio, que é antigo, sendo uma parada obrigatória para os amantes de literatura. Aberta desde 1953, é um ponto importantíssimo da história da literatura americana, com três andares de publicações e um clima muito agradável. O proprietário da livraria por todas estas décadas é o poeta Lawrence Ferllinghetti, que não cansa de mencionar os inúmeros eventos, leituras e encontros marcantes da história literária que aconteceram e continuam acontecendo por lá. As paredes relembram como tudo começou com fotos e a história dos amigos Lawrence e Peter. No segundo andar diversos livros dos autores beats (muitos publicados pela própria livraria). Neste estabelecimento inclusive possui seção de literatura brasileira, no idioma inglês. Já no terceiro andar, tem o quarto do poeta, que é dedicado a livros de poesia. Um dos pontos negativos é que não tem banheiro (tem uma placa no caixa avisando). A CULTURA BEAT Elementos centrais da cultura Beat incluem a rejeição de valores narrativos padrão, a busca espiritual, a exploração de religiões ocidentais e orientais, a experimentação de drogas psicodélicas, a rejeição ao materialismo, retratos explícitos da vida humana e liberdade e exploração sexual. Devido aos seus valores e cultura, os membros da Geração Beat desenvolveram uma reputação como novos hedonistas boêmios que celebravam a não-conformidade e a criatividade espontânea. Os Beats eram amigos primeiro e depois juntos se tornaram um movimento. O grupo central - Jack Kerouac, Allen Ginsberg, Neal Cassady, Gregory Corso, Herbert Huncke e William S. Burroughs - se reuniu na Universidade de Columbia, em Nova York, em meados da década de 1940. Depois de se mudar para o oeste de São Francisco, o grupo acrescentou os membros principais Gary Snyder, Lawrence Ferlinghetti (um dos fundadores da City Lights Bookstore), Michael McClure, Philip Whalen e Lew Welch. Desde então, a cultura Beat foi entrelaçada com a cidade de São Francisco. → Jack Kerouac Alley – o beco dos poemas Alley em inglês significa beco e Jack Kerouac Alley que já foi chamada de Adler é uma ruazinha do lado da livraria que conecta a avenida Grant e a Columbus. Anteriormente este beco era um lugar comum para o despejo de lixo, mas o porta apresentou uma idéia ao Conselho de Supervisores de San Francisco para modernizar o local, proibindo o lixo e a passagem de veículos. Desde 2007 a rua Jack Kerouac Alley é conhecida pelos poemas gravados no chão. O nome da rua é em homenagem ao escritor da geração Beat Jack Kerouac que costumava frequentar a livraria. JACK KEROUAC Kerouac nasceu no dia 12 de março de 1922 em Lowell, Massachusetts. Filho de pais franco-canadenses, ele aprendeu o inglês como segunda língua. No colégio, Kerouac era um astro do futebol americano e ganhou uma bolsa de estudos para a Universidade de Columbia. Na Segunda Guerra Mundial, foi expulso da Marinha de Guerra por conta de seus problemas de personalidade. Depois disso, se tornou um marinheiro mercante. No final de 1940, vagou pelos Estados Unidos e México, e escreveu seu primeiro romance, The Town and the City. Um dos primeiros romances do movimento beat dos anos 1950, "On the Road" (ou "Pé na Estrada", em português), de Jack Kerouac, foi publicado neste dia, em 1957, na qual muitos chamam este livro de a ''Bíblia Hippie''. O romance narra as andanças de Sal Paradise e seu amigo Dean Moriarty por caminhos em que eles experienciam drogas, amor livre e o nascimento da contracultura. Kerouac escreveu o livro em apenas três semanas, e sua obra se tornou um clássico instantâneo. Ao todo, ao longo de sua carreira, escreveu 20 livros de prosa e 18 de ensaios, cartas e poesia. Apesar do lema hippie da década de 60 dizer "nunca confie em ninguém com mais de 30", Kerouac tinha 35 anos quando seu livro foi publicado. O escritor já era frequentemente associado ao movimento beat quando sua obra foi lançada. O romance está repleto de personagens baseados em figuras beat como Allen Ginsberg e William Burroughs. Após publicar o livro que o levou ao sucesso, Kerouac escreveu The Dharma Bums (Os vagabundos iluminados), – um romance com franca inspiração budista –, The Subterraneans (Os subterrâneos) ambos em 1958; Maggie Cassidy, em 1959; e Tristessa, em 1960. A partir daí, Kerouac tendeu ao posicionamento político de direita: criticava os hippies e apoiou a guerra do Vietnã. Publicou ainda Big Sur e Doctor Sax, em 1962, Visions of Gerard, em 1963, e Vanity of Duluoz, em 1968, entre outros. Visions of Cody, considerado por muitos o melhor e mais radical livro do autor, só foi publicado integralmente em 1972. → Street Art – Em cima do restaurante E Tutto Qua (270 Columbus Ave, San Francisco, CA) há uma arte de Banksy chamada de Airstrike (2010), onde uma criança com máscara de gás relata: ''If at first you don't succeed - call an airstrike'' - Se a princípio você não conseguir êxito - chame um ataque aéreo. Banksy é um artista de rua, nascido em Bristol/Inglaterra, em 1974, especializado em trabalhos em estêncil, talvez o mais importante artista inglês vivo. Além de artista grafiteiro, Banksy é ativista político e diretor de cinema. Suas obras costumam ser carregadas de conteúdo social expondo claramente uma total aversão aos conceitos de autoridade e poder. Em telas e murais faz suas críticas, normalmente sociais, mas também comportamentais e políticas, de forma agressiva e sarcástica, o que provoca identificação com o público que as observa. A arte é uma declaração comovente sobre como a América é percebida pelo mundo, como um país feliz como um ataque aéreo, como também de forma inteligente em mostra a dependência norte-americana dos ataques aéreos. → Language of The Birds – (320 Columbus Ave, San Francisco, CA) Os livros pendurados no alto da rua remetem aos poetas do movimento Beatnik. → Brunch - Molinari Delicatessen – (373 Columbus Ave, San Francisco, CA) A Molinari&Sons foi fundada em 1896 e trouxe pra San Francisco a arte italiana de fazer linguiças. De lá pra cá, são quatro gerações que se dedicam a produzir os melhores salames e linguiças da cidade. Esta Delicatessen tem ótimas opções de Sandwiches, sendo ideal para um brunch. Sandwiches preparados na hora, estilo Subway. → Igreja de São Francisco de Assis - National Shrine of St. Francis of Assisi - (610 Vallejo St, San Francisco, CA) → Caffe Trieste – (601 Vallejo St, San Francisco, CA) Tradicionalíssimo, o Caffe Trieste foi aberto em 1956 e foi o primeiro lugar a servir expresso na costa oeste dos Estados Unidos. E ainda mais curioso, que aqui Francis Ford Coppola escreveu parte do roteiro de O Poderoso Chefão (1972). Para ser mais preciso, foi no Caffe Trieste, um café hoje muito visitado por fãs de um dos filmes mais importantes da história do cinema. → Greenwich Street Steps – (231 Greenwich St, San Francisco, CA) 11:00h – Coit Tower – (1 Telegraph Hill Blvd, San Francisco, CA) - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 10h as 18h A Coit Tower começou a ser construída em 1929, em art déco, quando a milionária Lillie Hitchcock Coit faleceu e deixou uma generosa herança para a cidade de San Francisco pedindo que o dinheiro fosse usado de maneira inteligente e em algo que deixasse a cidade mais bonita. Como Lillie era fã dos bombeiros, a torre construída em sua homenagem tem o formato de mangueira de bombeiros. Subir na Coit Tower a pé é uma das atividades físicas preferidas dos moradores da região e a subida a pé é cansativa, com 400 degraus, através de vários lances de escada passando por jardins bem cuidados e a cada passo, conquistando uma linda vista da cidade. O último lance de escadas que leva à torre tem os degraus decorados com o nome das pessoas que contribuíram para a construção da torre. Visão de 360 graus que contempla a Golden Brigde, Lombard Street, Pier 39, SF Bridge numa visão de 360°. → CUSTO: US$ 9,00 (Venda do último ingresso às 17:30h) 13:00h – Lombard Street – (Lombard St, San Francisco, CA) Com 27 graus de inclinação, esta famosa rua tem oito curvas fechadas e é toda decorada com flores. Possui uma vista panorâmica no topo, com uma boa visão de Alcatraz. 14:00h – Fisherman's Wharf (na tradução literal, cais de pescadores) Em 1853, foi construído nesta zona o primeiro porto de São Francisco, que rapidamente se tornou um importante centro marítimo de distribuição de peixe fresco até que, em 1950, com a chegada da tecnologia moderna, a zona da baía entrou em decadência. Muitas das indústrias pesqueiras da zona declararam falência ou tiveram que se mudar. Nos tempos hodiernos é uma grande atração turística de San Francisco, onde o coração da agitação é o Pier 39, além do famoso grupo de preguiçosos leões-marinhos que costumam tomar sol por ali. 12:40h - USS Pampanito – (PIER 45, Embarcadero, San Francisco, CA) HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 9h às 18h Submarino restaurado norte americano ancorado definitivamente em San Francisco, da época da Segunda Guerra Mundial, na qual completou seis patrulhas de guerra entre 1944 a 1945 e serviu como um Navio de Treinamento de Reserva Naval de 1960 a 1971. Agora é um marco histórico nacional, preservado como um memorial e museu na Associação de Parques Nacionais Marítimos de São Francisco localizada no Fisherman's Wharf . O Pampanito foi transformado em um memorial e museu em San Francisco em 21 de novembro de 1975, transferido para a Maritime Park Association (anteriormente National Maritime Museum Association) em 20 de maio de 1976, e aberto ao público em 15 de março de 1982. Em 1986, o Pampanito foi listado no Registro Nacional de Lugares Históricos e declarado ser um marco histórico nacional, onde está aberto para visitas. → CUSTO: US$ 21,94 (US$ 1,94 Fee) 13:40h - Musée Mécanique – (PIER 45, Shed A, San Francisco, CA) 14:00h – PIER 39 – (PIER 39, Embarcadero, San Francisco, CA) Ponto turístico descontraído para visitar as centenas de leões marinhos que ocupam as docas da marina. O mais legal é parar ali por algum tempo e observar as brigas e situações inusitadas que acontecem muitas vezes por causa da falta de espaço. Um empurra o outro, que cai dentro da água, que volta pulando em cima de todos e sai urrando pra todos os lados. 17:00h – Ferry Building Marketplace – (Embarcadero/Ferry Building, One, San Francisco, CA) O mercado tem uma localização privilegiada, em pleno centro financeiro, quase de frente para a elegante Bay Bridge e fica em um dos prédios mais lindos da cidade. Um prédio centenário, com influência arquitetônica europeia e que passou ileso pelos dois grandes terremotos da cidade. Na área interna tem dois andares, onde no primeiro piso funciona o mercado com várias lojas com diferentes tipos de comida e produtos locais, enquanto no segundo andar funciona a administração do prédio e alguns salões para eventos. Visão da Ponte Willie Brown Jr. a partir da área externa do Ferry Building Marketplace Na área externa tem bares e restaurantes com uma vista incrível para o porto e próximo ao mercado, há uma bonita estátua de Mahatma Gandhi, doada pela Fundação Gandhi em 1988. → HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: das 10h às 19h. → Lanche/Jantar – El Porteño: Empanadas Argentinas (Ferry Building Marketplace) El Porteño é uma banca bem pequena que fica na lateral de uma das portas de entrada e que vende as melhores empanadas da cidade. As empanadas de carne, e as de champignon são destaques da casa. 18:00h – Passeio noturno à Penitenciária Federal de Alcatraz (Night Tour) – (Alcatraz Island, San Francisco, CA)  – A saídas dos passeios noturnos são às 17:55h e 18:30h  → CUSTO: US$ 36,00 (noturno) Originalmente terra indígena, a “Isla de Los Alcatraces” (nome dado pelo conquistador espanhol Juan Manoel Ayala) virou forte militar em 1859 e protegeu a baía até o final da Guerra Civil, em 1865. O local, que já foi prisão militar, tornou-se um presídio federal de segurança máxima em 1934 e fechou as portas em 1963. Atualmente a ilha funciona como parque e integra a Golden Gate National Recreation Area. Na Penitenciária Federal de Alcatraz é possível ver as celas, de entrar nelas, de ouvir histórias de tentativas de fugas cinematográficas e de apreciar a bela vista da baía de San Francisco, com um visual incrível. Penitenciária que ficou famosa por estar eternizada nas telas de cinema no suspense “Alcatraz – Fuga Impossível“ (1979), estrelado por Clint Eastwood no papel de Frank Morris e os irmãos Anglin foram vividos por Jack Thiabeau e Fred Ward. Os irmãos, John e Clarence Anglin foram encarcerados em Alcatraz por assalto à mão armada. Na prisão, conheceram Frank Morris, com quem planejaram a fuga. Os três cavaram túneis em suas celas e navegaram até a costa em uma balsa feita com capas de chuva roubadas. Para enganar os guardas, fizeram cabeças em tamanho real de papier-mâché e colocaram nas camas, como se fossem eles dormindo. Na manhã seguinte, os policiais avistaram coletes salva-vidas, feitos do mesmo material, boiando a poucos metros de Alcatraz. Apesar de nunca terem encontrado os corpos, os agentes do FBI concluíram que os três não seriam capazes de nadar nas águas geladas do Oceano Pacífico e encerraram o caso. Até hoje a teoria predominante é a de que Frank Morris e os irmãos John e Clarence Anglin se afogaram na gélida baía de San Francisco. Há também outras suspeitas de Morris ter morrido em 2008 e Clarence Anglin, em 2011. John Anglin revela que viveu “muitos anos” na cidade de Seattle, que depois havia se mudado para a Dakota do Norte, até finalmente se instalar no sul da Califórnia. O tour parte do Píer 33 a cada meia hora, com o percurso, realizado em um ferry, dura pouco mais de dez minutos e o grupo que aporta na ilha é recepcionado por um guarda que dá as explicações básicas sobre o lugar e encaminha os visitantes para o início da rota de visita. Maravilhoso pôr do sol, registrado dentro do Ferry Alcatraz Cruises A primeira parada é na sala de banho, onde todos os visitantes recebem um audioguia (disponível em português) para seguir a visita, o que torna o percurso muito mais interessante, divertido e eficiente. O tempo total do tour guiado, se você conseguir todas as direções do áudio, é de 45 minutos. O turista ouvirá sobre a história do presídio, as fugas mais famosas (uma delas executada com uma colher), os presos ilustres (entre eles Al Capone) e como era o dia a dia de Alcatraz. Basta seguir as orientações do áudio para ver exatamente o que ele conta. Você andará por celas, refeitório, salas de visita, pátio do banho de sol, sala da direção e outros ambientes. Ao todo, nos anos em que Alcatraz esteve em funcionamento, 36 presos tentaram escapar. Do total, 23 foram recapturados, seis morreram baleados e dois, por afogamento. No entanto, cinco deles nunca foram encontrados. A prisão fechou as portas em 21 de março de 1963. 22:00h – Retorno ao Casa Loma Hotel (610 Fillmore St, San Francisco, CA) 4º Dia 07:00h – Saída do Casa Loma Hotel (610 Fillmore St, San Francisco, CA) 08:00h – Haight & Ashbury Visita a Haight-Ashbury, bairro com ares jovens, modernidade e mistura de estilos que vão de hippie a punk, seu lugar de compras, que conta com lojas de discos, feirinhas hippies, lojas de roupas tie-dye, artesanatos, estúdios de tatuagem e boutiques de roupas e acessórios vintage; como também uma das melhores cervejarias da cidade, a Magnolia. Há 50 anos, a cidade vivia um momento revolucionário: o Summer of Love, onde os hippies se uniram neste bairro na época, sugerindo uma nova sociedade regada a amor livre, antimaterialismo e rock n' roll. Lugares interessantes: • Casa do Jimi Hendrix (1524 Haight Street) no topo da loja de tabaco; • Amoeba Music (Haight St. Número 1855 ) Loja de discos e CDs. 09:30h - Golden Gate Park Fundado em 1871, com uma área de 411 hectares e mais de 13 milhões de visitantes anuais, o Golden Gate Park, apesar do nome, ele não fica próximo da ponte homônima. E apesar de ser enorme e cheio de plantas de várias espécies, ele foi construído artificialmente numa área onde só existia um monte de areia. Seu criador, aliás, morava no próprio parque e continuou trabalhando nele até uns 90 anos de idade. A proposta deste parque é tornar o espaço acolhedor e inclusivo, e por isso é permitido andar por qualquer gramado, fazer piquenique, levar animais sem coleira e até consumir álcool. O parque possui plantas de diversas partes do mundo, sendo que muitas são típicas de áreas desérticas. E que isso tem uma explicação: como o Golden Gate Park foi criado artificialmente e a princípio só tinha areia, foi gasta muita água cultivando as plantas “do nada”, e essas espécies que costumam viver no deserto obviamente precisam de menos água. → Memorial da AIDS – (Golden Gate Park) → Japanese Tea Garden San Francisco – (75 Hagiwara Tea Garden Drive) HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: das 09h às 18h             Construído em 1893 para a California Midwinter International Exposition, o Japanese Tea Garden possui Bonsais, lagos com carpas, pontes diferentes e jardins milimetricamente cuidados e aparados, um Buda de 1,5 toneladas; além de construções tipicamente orientais. Os Biscoitos da sorte foram criados e servidos aqui pela primeira vez em 1914 e ainda podem ser apreciados na casa de chá. \ →CUSTO: US$ 9,00* Entrada é gratuita até às 10h nas segundas, quartas e quintas-feiras. 10:45h Stow Lake Boathouse            Belo lago artificial do Golden Gate Park, para caminhar ao redor dele ou ficar sentado na beirada fazendo um piquenique, ou vendo os patinhos e a cachoeira também artificial. 11:00h Young Museum - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: das 09:30h às 17:15h Museu que abriga uma coleção com peças desde o século XVII aos dias atuais, incluindo arte das Américas, Oceania e África, arte têxtil, fotografia etc., além de exposições temporárias. O nono andar da Hamon Tower do museu tem uma vista deslumbrante de 360 graus de San Francisco e do Oceano Pacífico, através de uma sala coberta de vidro, tendo sua entrada gratuita. →CUSTO: US$ 15,00 → Conservatory of Flowers – (100 John F. Kennedy Drive) Um dos lugares mais lindos do parque, essa estufa feita de madeira e vidro tem orquídeas, palmeiras, lírios e samambaias belíssimas e um belo jardim em frente. → CUSTO: US$ 9,00 → California Academy of Science Local para explorar um aquário, planetário e museu de história natural no mesmo endereço. Uma floresta tropical viva de quatro andares e um ecossistema de recifes de coral impressionante encantarão visitantes de todas as idades, enquanto as apresentações do planetário transportarão o público no tempo e espaço para uma perspectiva diferente do nosso planeta. → Parque Hippie Hill Neste famoso parque os hippies costumavam se reunir na década de 1960, quando a cidade (na região de Haight-Ashbury, mais especificamente) fez surgir o famoso Summer of Love. Todo dia 20 de abril, ou 4/20 no formato de data americano, é o feriado mais importante da cultura canábica; quando estudantes universitários se reúnem – às 16h20– nos pátios de suas universidades, em meio a nuvens de fumaça, e quando lojas de maconha em Estados onde a venda da maconha é legalizada agradecem a seus fregueses, oferecendo-lhes descontos. POR QUE 4/20? As origens da data e do termo "420", de modo geral, passaram muito tempo desconhecidas. A teoria mais aceita é que o termo teria nascido de um grupo de amigos do colégio de segundo grau San Rafael, na Califórnia, que se deram o nome de "The Waldos". O irmão de um dos amigos estava com medo de ser preso por estar cultivando uma plantação de maconha em um bosque de Point Reyes. Diz o relato que ele desenhou um mapa do local e autorizou os teens a colherem sua maconha. No outono de 1971, às 16h20, depois do término das aulas e do treino de futebol americano, os amigos se reuniam diante da estátua do químico Louis Pasteur, no pátio da escola, fumavam um baseado e então saíam à procura da plantação de maconha. Eles nunca a localizaram, mas o termo que cunharam para falar de seus encontros – "420 Louie", mais tarde encurtado para apenas "420"– ganharia vida própria. Os Waldos conservaram cartas com carimbo postal e outros artefatos da década de 1970 contendo referências a "420", que eles hoje guardam em depósitos em bancos. No mês passado, quando o dicionário Oxford da língua inglesa acrescentou o termo ao léxico do idioma, citou alguns desses documentos como estando entre os primeiros registros da utilização do termo. COMO O FERIADO É COMEMORADO? Com maconha, é claro. Algumas das comemorações são maiores que outras; a festa de Hippie Hill, no Golden Gate Park, em San Francisco, geralmente atrai milhares de pessoas. O 20 de abril acontece todo ano, após o sucesso das campanhas pela legalização da maconha na Califórnia, Nevada, Maine e Massachusetts, que se juntaram ao Alasca, Colorado, Oregon e Washington como Estados que permitem a maconha para fins recreativos. Mais de metade dos Estados americanos autoriza o consumo da droga para fins medicinais. Entretanto, as leis federais ainda proíbem o consumo de maconha. 12:00h – Almoço – Pho Huynh Hiep 2 - Kevin’s Noodle House - (1833 Irving St, San Francisco, CA) – HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: das 11h às 21h. Recomendamos o prato chamado Grilled pork chop, shredded pork with steamed rice → CUSTO: US$ 9,50 13:20h - Lyon Street Steps – (Lyon St, At Green St, Pacific Heights, San Francisco, CA) O passeio começa no topo dos Lyon Steps (Broadway com Lyon St), uma das vistas mais caprichadas de San Francisco. Evitar vir da Chestnut Street ou do Palace of Fine Arts, senão terá que subir bastantes lances de escadas. Essa é uma das escadarias mais lindas da cidade e é muito usada pelos locais para fazer exercícios, lá do alto se tem vistas da baía de San Francisco, com a cúpula do Palace of Fine Arts em cena. 13:30h – Lover’s Lane (The Presidio, San Francisco, CA) Em seguida, entramos no Parque Presídio pela entrada ao lado do Broadway St. (caso ela esteja fechada – às vezes acontece – há outra entrada um quarteirão para cima: Presidio Boulevard com Pacific Avenue. Assim encontra-se o Lovers Lane (O caminho dos apaixonados) – Essa caminhada de 01 milha (1,6Km) é uma das mais antigas do parque e tem esse nome porque conectava o Presídio a antiga linha de bonde que ligava o parque a cidade, a linha era usada para que os soldados pudessem visitar suas famílias e esposas no centro de San Francisco. → Wood Line by Andy Goldsworthy (Presidio Boulevard, San Francisco, CA) O Wood Line (linha de madeira – construído em 2011) do artista inglês Andy Goldsworthy é um caminho feitos de curvas, em meio a floresta de Eucaliptos do Presidio. Uma das características do trabalho de Goldsworthy é exatamente mesclar materiais e formas característicos do lugar, com formas criadas pelo homem. Em seguida, descer o Wood Line até o final e logo após caminhar até o Escritório do Lucas Film. 13:45h – Yoda Fountain (Building B Courtyard, 1 Letterman Dr) Local da pequena fonte do mestre Yoda, guerreiro extraordinário Jedi da saga Star Wars, que fica em frente ao escritório do Lucas Film (hoje parte do grupo Walt Disney Company). 14:10h – Palace of Fine Arts – (3301 Lyon St, San Francisco, CA) O Palace of Fine Arts foi construído para sediar a exposição mundial Panamá-Pacífico, que contou com 10 obras, comemorando o término da construção do Canal do Panamá, em 1915. Seu arquiteto, Bernard Maybeck, se inspirou em ruínas fictícias gregas e romanas para criar um conjunto imponente e grandioso. E como o intuito da exposição mundial era passageiro, o Palácio foi construído com materiais frágeis que previam sua demolição logo após o termino do evento. Só que os San Franciscanos ficaram tão apaixonados pelo edifício que se uniram e fundaram a “Palace presenvation league”, uma organização para ajudar a preservar o Palácio. E foi assim que o palácio sobreviveu à demolição, e se tornou uma das atrações arquitetônicas de San Francisco. Como citado anteriormente, a obra não era estável, pois não foi construída com materiais duráveis, então em 1964, o Palácio original foi destruído e a obra foi reconstruída permanente, mas ela permanece no mesmo local e com as características originais. 14:50h – Main Post Chegou a hora de visitar a parte mais antiga do parque, o Main Post, local onde os espanhóis estabeleceram uma fortificação em 1776. Anos depois, em 1847 o Main Post se tornou uma base militar Norte americana. Atualmente o Main Post é um conjunto de prédios históricos rodeado por um gramado caprichado. → Walt Disney Family Museum (104 Montgomery St, San Francisco) → CUSTO: US$ 25,00 (Ticket adulto). No planejamento optamos por não visitá-lo, já que a Disneyland encontra-se neste planejamento. 15:33 – Inspiration Point Ponto que possui uma bela visão. 16:00h – Cemitério Nacional Há apenas dois cemitérios dentro dos limites de San Francisco, o cemitério histórico da Missão de San Francisco de Assis, e o cemitério militar do Presidio. O cemitério do Presidio é enorme e tem uma grande vista para a Golden Gate. Dica: No Cemitério Nacional há banheiros gratuitos e limpos. 17:00h – Crissy Field Calçadão espaçoso e ótimo para caminhar, correr, andar de bike. Visão panorâmica da Golden Gate, na qual é o principal cartão postal de San Francisco, a ponte Golden Gate liga a cidade a Sausalito e é uma das mais conhecidas construções dos Estados Unidos, considerada uma das Sete maravilhas do Mundo Moderno. Tem quase 3 quilômetros de extensão e é praticamente onipresente na paisagem da cidade. Construída em estilo Art Déco em 1937, recebe cerca de 10 milhões de turistas todos os anos. 19:00h – Retorno ao hotel para arrumar as malas Casa Loma Hotel (610 Fillmore St, San Francisco, 94117, CA) 5º Dia 06:30h – Check-out no Casa Loma Hotel, 610 Fillmore St, San Francisco, 94117, CA, US - Telefone +14155527100 Horário Limite 11:00 h 07:00h – Retirado o Carro na locadora - Hertz – (1398 Bryant St, San Francisco, CA) - HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 07h às 18h Umas das maiores dificuldades que tivemos no planejamento desta fantástica viagem foi com relação ao aluguel do carro. Incertezas das poucas informações encontradas na internet, e principalmente da execução da entrega do veículo em outro estado americano, no nosso caso retiramos no Estado da Califórnia e devolvemos no Estado da Nevada. Por segurança, eu tive a ideia de locar no Brasil através do contato telefônico com a Localiza Hertz (0800 979 2000), na qual foram retiradas todas as dúvidas acerca da locação do veículo com o atendente da empresa e que se concretizou com sucesso nos EUA, a reserva foi realizada para a categoria C com referência a um veículo intermediário Sedan. Nessa negociação via telefone já foram inclusas a taxa de retorno (conhecidas como one way e drop fee), não obstante o diferencial em relação as demais locadores foi que ao invés de ser cobrado por milhas houve uma cobrança de uma taxa única, no valor de US$ 100,00. Também foi ofertado na reserva realizada via telefone um desconto de 10%, além de estar incluso os seguros LDW (seguro para o carro) e LIS (seguro para terceiros), havendo rapidez e a facilidade no momento da retirada do veículo Kia Forte, através da assinatura do contrato, para que não houvesse os famosos "empurrões" de adicionais na contratação do carro. Na devolução do carro em Las Vegas não foi cobrada a taxa de limpeza, mesmo o carro estando sujo. Veículo locado Kia Forte 2.0, no Brasil a nomenclatura é Kia Cerato → CUSTO: US$ 488,30 (15 dias, com milhagem ilimitada, seguro LDW e LIS, taxas totais inclusas, como a de retorno do carro para devolução do carro em Las Vegas, pagamento exclusivo em cartão de crédito). → Deslocamento de San Francisco em direção ao Vale do Silício Curiosidade: Durante a viagem a direção ao Vale do Silício, em San Francisco encontramos um local para estacionamento de Motorhomes e Trailers, chamado de Ocean Beach (não confundir com Ocean Beach perto de Venice). __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  15. Oh coisa boa viajar! Auxilia na auto-realização da construção da nossa identidade, no desenvolvimento do "eu", além de deixar marcado diversos momentos especiais na biografia pessoal do turista. Mas nem tudo são flores... sem dúvida alguma, o maior percalço nosso foi com relação ao planejamento da viagem. Tomar notas de guias, buscar informações em blogs/sites e tentar estabelecer um itinerário foram situações sensíveis e incomodativas, porém de extrema valia para resultar em uma melhor experiência da viagem. Apesar de programarmos os roteiros, também houve o cuidado de ele não ficar de certa forma "engessado", porém com o cuidado de não ir viajar de forma despreparada ou relapsa. Muitos aventureiros têm, por preferência não tomar de seu tempo, investindo na criação de roteiros gostando mesmo é do improviso e do calor do momento, na famosa tentativa acerto/erro. Crêem, na maioria das ocasiões, que a forma de planejamento de datas e horário de um determinado roteiro, a chateação da mão de obra de confeccioná-la e da impressão de não estar de férias, mas sim "cumprindo metas". Nossa intenção aqui no site é disponibilizar o roteiro/guia turístico construído para essa fantástica viagem que ocorreu no mês de outubro de 2019, com o intuito de ajudar outros viajantes nas suas futuras jornadas. __________________________________________________ → San Francisco (CA); → Silicon Valley (CA); → Monterey (CA); → Carmel (CA) e Big Sur (CA); → San Luis Obispo de Tolosa (CA) e Santa Barbara (CA); → Los Angeles (CA); → Anaheim (CA); → San Diego (CA); → Las Vegas (NV), Vale da Morte (Death Valley) e Grand Canyon (AZ).
  16. @iWT, não há necessidade, veja no relato tem algumas fotos da praia da Conceição, é uma praia fora do parque nacional utilize-a no dia que você quiser um dia de praia com família, lá tem quiosque que fornece o guarda-sol. Como pode-se ver no relato devido ao pouco tempo disponível utilizamos o máximo para contemplar a natureza na ilha, como descrito neste post.
  17. @iWT, não recomendo você descer a escadaria do Sancho com seu filho no canguru, na parte inicial ela é estreita e você pode machuca-lo involuntariamente. Olhe um horário que é liberado tanto descer quanto subir e combine com sua esposa para ir um por vez. Referente as garrafas de águas, também tinha o receio de levar líquidos, mas quando passamos por Recife - PE perguntei no raio X e me informaram que era só falar que o destino era Fernando de Noronha que faziam a liberação, dito e feito, no dia da viagem embarcamos em Natal e no raio X já avisamos que tinha 10 garrafas de 510 ML de água e o destino não questionaram, estávamos em dupla e ambos com essa quantidade.
  18. Obrigado. Fizemos o relato com intenção de ajudar outros viajantes e mostrar que é possível aproveitar bem a ilha, mesmo em poucos dias.
  19. Desfrutamos três dias em Alagoas, no mês de março de 2019. Compartilho nosso roteiro com algumas dicas interessantes para auxiliar os visitantes interessados em visitar esse estado maravilhoso. 1º Dia MACEIÓ (AL) 10:30h – Chegada a Maceió, AL – Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares - Desembarque; - Locado o carro na Localiza Hertz Rent a Car, ganhamos upgrade de categoria para um veículo automático, em seguida realizado o Checklist na retirada do veículo da locadora, com o agente de locação presente. Locação com a intenção de conhecer as praias nordestinas, como também ter mais autonomia durante a viagem. 12:00h – Almoço – Churrascaria Sal e Brasa (Rua Prof. Ernani de Figueiredo Magalhães, número 41, Maceió – AL) → Distante a 06 minutos de carro do Hotel Intercity Maceió, com sistema de rodízio de carnes e self-service, a um bom custoxbenefício (aproximadamente R$ 45,00), com atendimento diferenciado. Possui estacionamento privativo e banheiros limpos. 13:30h – Check-in no Intercity Maceió (Rua Prefeito Abdon Arroxelas, número 147 - Ponta Verde, Maceió-AL) → Ótima localização no Bairro nobre de Ponta Verde e perto do Oceano Atlântico, o hotel oferta estacionamento e uma pequena piscina na cobertura. Atendimento razoável pela recepção. Café da manhã bom, porém com reservado espaço físico, dificultando a circulação dos hóspedes. Possui apenas dois elevadores, formando filas em determinados horários do dia. 15:30h – Passeio nas orlas das Praias de Ponta Verde e Pajuçara → Prédios modernos dividem o cenário com o mar verde-claro, coqueirais e trechos de areia fofa em Ponta Verde, a melhor praia urbana de Maceió. Assim como a vizinha Pajuçara, as piscinas naturais são a grande atração daqui. Ocasionalmente, o mar fica impróprio para banho. 16:30h – Letreiro ‘’Eu Amo Maceió’’ (Avenida Silvio Carlos Viana, 2121 - Ponta Verde, Maceió – AL) → Letreiro com fácil localização e cheio de turistas tirando fotografias. Onde as fotos são tiradas, tem como pano de fundo a praia. 17:00h – Feirinha de Artesanato da Pajuçara (Avenida Dr. Antônio Gouveia, S/N - Box 67, Pajuçara, Maceió-AL) → Feirinha localizada entre a Praia da Pajuçara e Ponta Verde. Boa opção para comprar artesanato e souvenires de Maceió, onde os artesãos locais expõem sua arte autêntica por preços bons. HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 10h Às 22h 18:30h – Retorno ao Intercity Maceió (Rua Prefeito Abdon Arroxelas, número 147 - Ponta Verde, Maceió-AL) 19:45h – Jantar – Maceió Shopping (Av. Comendador Gustavo Paiva, 2990 - Mangabeiras, Maceió – AL) → HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: 10h Às 22h → Moderno, possui uma espaçosa praça de alimentação no último pavimento, forte ar-condicionado, com bons restaurantes e lanchonetes. Tem livraria, lojas de departamento organizadas. → Quanto ao estacionamento, é amplo e localizado ao redor de todo o shopping, totalmente descoberto. 21:00h - Le Cirque África (Estacionamento do Maceió Shopping) → O Le Cirque com seu espetáculo África nos animou em uma noite, com muita música, dança e acrobatas, o circo, que contou com artistas do Quênia e Etiópia. 23:00h – Retorno ao Intercity Maceió (Rua Prefeito Abdon Arroxelas, número 147 - Ponta Verde, Maceió-AL) 2º Dia 04:30h – Saímos de Maceió em direção a Maragogi. MARAGOGI (AL) Há 130 km de Maceió, conhecida como o Caribe Brasileiro, Maragogi é lembrada pelos turistas de todo o Brasil como uma bela opção de cidade para se conhecer no verão, por sua região conter belas praias, cenário paradisíaco e toda a tranquilidade que a região nordeste tem a oferecer. O conjunto de piscinas naturais é o maior de Alagoas. As principais Galés são o ponto forte do turismo. A cerca de 6km da praia de Maragogi, elas se formam em alto mar por conta de formações rochosa de corais, e só é possível chegar até lá através de lanchas ou catamarã. E para visitar as piscinas naturais de Maragogi, o ponto negativo do passeio é a maré é um fator determinante, tanto do dia e horário que teremos que estar lá, ou seja, apenas no turno matutino. 07:00 - Café da Manhã – Ponto de apoio rede Auto Café posto Ipiranga (Rod. AL 101 Norte KM 128 - Maragogi - AL) → Local de bom apoio rodoviário, conta com uma lanchonete da rede da Casa do Pão de Queijo, caixa automático banco 24 horas, restaurante próprio e conta com banheiros limpos. 07:30h – Mirante e Letreiro ‘’Eu Amo Maragogi’’ da Pousada Alto do Cruzeiro (R. Projetada III, 41 - Morro do Cruzeiro, Maragogi - AL) → Logo após a saída do posto Ipiranga percorremos a rodovia AL 101 até sair em direção ao Morro do Cruzeiro, para chegar no Mirante da Pousada Alto do Cruzeiro. → CUSTO: R$ 2,00 – Por pessoa (mirante particular). 08:00h – Praia de Maragogi → Local de embarque nas embarcações para a visitação das piscinas naturais. 10:00h – Passeio de Lancha até as galés de Maragogi com mergulho com cilindro (realizado com a Mércio Sub Dive) → Passeio de lancha com mergulho com cilindro incluso, o primeiro destino da lancha são os corais onde realizamos o mergulho com cilindro, aproximadamente 15 minutos por pessoa e não há necessidade de saber nadar porque o instrutor guia o turista durante o mergulho e também é realizado fotos subaquáticas que são enviadas posteriormente por Whatsapp, sem custo adicional. Em seguida, continuando o passeio de lancha, deslocamos até as piscinas naturais (galés) o qual ficamos por aproximadamente 40 minutos. As galés ficam a 6km da praia de Maragogi, e só é possível chegar até lá através de lancha ou catamarã O último destino do passeio de lancha é a Praia de Antunes, local que é realizado fotos pelo Mércio, através do dispositivo móvel dos turistas em diversos ângulos. Não há necessidade de reservar com antecedência. As lanchas chegam antes dos catamarãs nas galés, e o número de turistas na lancha é menor. Transportam até doze pessoas e o tempo de deslocamento menor, com relação ao Catamarã. Há centenas de lanchas que realizam o passeio, porém não são todas que realizam o mergulho. O passeio de lancha tem aproximadamente quatro horas e meia de duração. Recomendamos realizarem o passeio com o Mércio Sub Dive, inclusive passamos por uma fiscalização da Marinha do Brasil e as documentações da embarcação estavam em dia e com todas autorizações necessárias para o passeio. → CUSTO: R$ 150,00 – Por pessoa de Lancha, com mergulho com cilindro e fotos do mergulho inclusas. 15:00 - Almoço – Ponto de apoio rede Auto Café posto Ipiranga ( Rod. AL 101 Norte KM 128 - Maragogi - AL) → Local de bom apoio rodoviário, conta com uma lanchonete da rede da Casa do Pão de Queijo, caixa automático banco 24 horas, restaurante próprio e conta com banheiros limpos, afinal Maragogi carece de banheiros públicos. – Retorno ao Intercity Maceió (Rua Prefeito Abdon Arroxelas, número 147 - Ponta Verde, Maceió-AL) 3º Dia 07:15h – Café da Manhã – Intercity Maceió – (Rua Prefeito Abdon Arroxelas, número 147 - Ponta Verde, Maceió-AL) MARECHAL DEODORO (AL) 09:00h – Praia do Francês – Marechal Deodoro (AL) → Está localizada no município de Marechal Deodoro, a 24 km ao sul de Maceió. Segundo os historiadores, a praia leva esse nome porque os franceses no século XVIII contrabandeavam o pau-brasil, abundante na época colonial, nessa enseada estrategicamente natural. Inicialmente era chamada de Porto dos Franceses, depois o nome derivou para Praia dos Franceses, e hoje chama-se apenas Praia do Francês. A região era habitada pelos índios Caetés na época da colonização. Vários conflitos aconteceram entre os índios, colonizadores e invasores. Índios, franceses, holandeses e portugueses, todos disputavam essas terras. Situada entre o Oceano Atlântico e a Lagoa Manguaba, há vários canais e ilhas que se encontram na região, assim como um manguezal imenso que completam um quadro natural perfeito. Um dos atrativos da praia é o monumento ‘’Eu Amo o Francês’’ e a água quente e limpa do local. Esta linda praia costuma lotar nos fins de semana ensolarados e nos feriados. Para ver a areia assim, vazia, o melhor é chegar no começo do dia. Normalmente na praia, há dois tipos de público: de um lado está o point dos surfistas, que encaram as fortes ondas, enquanto do outro, as famílias com crianças aproveitam o mar calmo protegido pela barreira de recifes, na qual formam as piscinas naturais. O agito fica na orla, onde há uma concentração de bares e lojinhas. A melhor pedida é caminhar para os dois lados da praia. O assédio do vendedores ambulantes é enorme na Praia do Francês, na qual estes cobram por esse serviço, na qual você nem pede para que tirem fotos, sem a autorização do dono, pegam o celular e depois cobram um agrado pelas fotografias. 12:00h – Almoço – Restaurante Tropical (R. das Algas, 186 - Praia do Francês, Mal. Deodoro - AL, 57160-000, Brasil) ROTEIRO (AL) 14:00h – Praia do Gunga – Roteiro (AL) → A Praia do Gunga, situada numa área privada, fica apenas a 33 km sentido litoral sul da capital alagoana, por uma boa rodovia asfaltada. O estacionamento, obrigatório, custa R$ 20,00. No entanto, o ponto alto da Praia do Gunga é o passeio pelas falésias. Também é feito uma parada no lago, onde é possível nadar. O tour nas falésias através de quadriciclo custa R$ 100,00, para duas pessoas, com duração em torno de 1h. O nosso grupo foi composto por dois quadriciclos, além do guia que acompanha de moto. O Pagamento somente poderá ser em espécie. O imenso coqueiral, contrastando com o azul do mar, ilustra um dos cartões postais mais bonitos de Alagoas. Aliás, um dos momentos mais interessantes da visita, é a subida ao Mirante do Gunga, local com vista privilegiada do coqueiral e do mar. O Mirante está localizado à margem da rodovia 124, e para acessá-lo é cobrado uma pequena taxa de cerca de 3 reais, por pessoa. Todo cuidado é pouco, se for visitar o mirante na praia do Gunga, pois não há vigilância no estacionamento, com isso é uma prática comum a ocorrência de furtos, nos carros estacionados, enquanto as pessoas visitam o mirante. 20:00h – Retorno ao Intercity Maceió (Rua Prefeito Abdon Arroxelas, número 147 - Ponta Verde, Maceió-AL) 21:30h – Jantar - Churrascaria Sal e Brasa (Rua Prof. Ernani de Figueiredo Magalhães, número 41, Maceió – AL) → Distante a 06 minutos de carro do Hotel Intercity Maceió, com sistema de rodízio de carnes e self-service, a um bom custoxbenefício (aproximadamente R$ 45,00), com atendimento diferenciado. Possui estacionamento privativo e banheiros limpos. Sugestão de passeio programado que não conseguimos contemplá-lo Associação Peixe Boi (Rua Luiz Ferreira Dorta, número 25 | Povoado Tatuamunha, Porto de Pedras, próximo a Maragogi, Alagoas) → TELEFONE: (82) 3298-6247 → WHATSAPP: (82)99359-7473 → Necessário o agendamento dos dias e horários, via Whatsapp. → CUSTO: R$ 50,00 → TEMPO DO PASSEIO: Aproximadamente 50 minutos. O peixe-boi, apesar de seu tamanho e peso avantajados, é considerado um mamífero dócil. Ele vive em águas doces e salgadas e se alimenta de leite (nos primeiros anos de vida), algas e outros vegetais. A visitação a esse santuário é uma ótima oportunidade para conhecer mais a fundo esse curioso animal e entender seu modo de viver. O projeto da associação é baseado na monitorização do peixe-boi (Trichechus manatus) em seu habitat e orientação para situações de risco, como encalhe de animais por exemplo. O trabalho está nos municípios de Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres, em uma área conhecida como APACC (Área de Proteção Ambiental dos Corais) e mantida pelo Governo Federal. A visita inicia no Centro de Visitantes, onde há banheiros limpos, água, café e uma loja de artesanato local, com peças remetendo ao projeto e ao peixe-boi. Na primeira parte da visita há um vídeo institucional, na qual explica a história do peixe-boi e como os seres humanos colocaram em risco sua existência, além de detalhar o trabalho de proteção e reintrodução desses mamíferos na natureza. Há 200 metros Dalí ocorre o passeio guiado de jangada, pelo Rio Tatuamunha, sendo a segunda parte da visita. Os ingressos são adquiridos na própria recepção. Em carro próprio, segue-se para o local de embarque, distante cinco minutos da Associação, em área de mangue, que dá acesso ao rio. São vários monitores, organizados e com escala para conduzir o barco e orientar o turista. O barco é de pequeno porte, propositalmente direcionado a remo, uma vez que o uso de motor é vetado. Hoje a Associação tem 7 peixe-boi em cativeiro, que estão sendo preparados para voltar à natureza. Como o cativeiro é uma réplica do habitat natural deles, pode ser ter a sorte de vê-los ou não. Uma curiosidade é que no ano de 2014, O santuário do peixe-boi marinho, teve seu projeto apoiado através do programa Caldeirão do Huck, na qual o apresentador esteve no município para gravar o quadro “Um por Todos, Todos por Um”, que apoia projetos com potencial de transformar comunidades carentes no Brasil.
  20. Geovana, quando penso em viagem de ônibus gosto de destinos mais próximo, por exemplo, no estado de SP há destinos incríveis se querem praia vão para Ubatuba ou se aquele clima de montanha e friozinho gostoso vão para Campos do Jordão, dependendo do local do interior de SP que você encontra-se também pode pensar em ir no sul de MG, cidades como Poços de Caldas visitando os campos de uvas em Andradas ou até mesmo Monte Verde.
×
×
  • Criar Novo...