Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

doispassos

Membros
  • Total de itens

    53
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

27 Excelente

1 Seguidor

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. doispassos

    Dúvida sobre quantia para levar em viagem!

    Carona e Couchsurfing são formas de viajar e dormir gastando nada ou quase nada. Mas não é para qualquer um, no primeiro caso, e tem que ter um perfil estabelecido na comunidade para conseguir tanta hospedagem sem pagar, no segundo, acredito. Boa viagem.
  2. doispassos

    Perguntas IMIGRAÇÃO para aposentados na ESPANHA??????

    Um cartão de crédito internacional ajuda também.
  3. doispassos

    Tickets para atrações e trem na Europa

    1) Para trens dentro da Alemanha (Berlim para Stuttgart, cerca de 6 horas de viagem) e para de Stuttgart para Paris (de 3 a 6 horas de viagem, a depender do tipo de trem que você pegue): saindo de Stuttgart, desce em Manheim, pega o próximo trem 10 minutos depois ou pega o trem TGV e vai direto, veja o site da DB BAHN (o link abaixo já está em inglês): https://reiseauskunft.bahn.de/bin/query.exe/en?ld=38111&country=DEU&protocol=https:&seqnr=1&ident=l0.03822111.1533685824&rt=1&newrequest=yes&&country=USA 2) Para trecho Paris - Bruxelas (1h20 de viagem), veja o site do THALYS: https://www.thalys.com/fr/en/?utm_source=Public-Idees&utm_medium=affiliate&utm_campaign=Public-Idees-FR-44681&xts=475592&xtor=AL-3887-[Affinitaires_Train]-[44681] 3) Para o trecho Bruxelas - Amsterdã, atenção, você tem duas opções. a) O Thalys (vantagem: mais rápido e mais moderno; desvantagem: preço mínimo cerca de 30 euros; máximo quase 90 euros; regra geral para trens e especial para o Thalys: tem que comprar com antecedência para ter o melhor preço; passagens de trem começam a ser vendidas com 3 meses antecedência na Europa; compre 90 dias antes de sua viagem para ter melhor preço possível); viagem: 1h40; o Thalys tem café/lancheria a bordo, wifi, tomadas (confirme tudo isso, o mundo muda). Site do Thalys acima. b) o Intercity (vantagem: mais barato, com preços a partir de 26 euros e chegando a no máximo 48 euros -- sempre confirme o valor, pode mudar de um dia para o outro; ele sai de uma estação melhor localizada do que o Thalys; desvantagem: tempo de viagem: 3h; não tem café à bordo, leve sua comida, não deve ter wifi, pode ter tomadas apenas na primeira classe; sobre isso: em geral, não tem muita diferença de conforto entre classes nos trens europeus; veja se vale a pena pagar se quiser a 1a; em geral, a segunda classe já é bastante confortável). Você pode encontrar tíquetes para o Intercity no site: https://www.nsinternational.nl/en Não é o site oficial do Intercity. Não encontrei esse site. Talvez não exista. - O Thalys sai da estação Brussels Midi; o Intercity sai da estação Brussels Central, que fica no centro histórico praticamente. - A diferença maior entre Intercity e Thalys: o Intercity não tem lugar marcado. Você compra um tíquete, entra no trem que quiser, desce onde quiser (dentro do percurso do tíquete, é claro). O Thalys tem lugar marcado. Compre com a antecedência indicada. Quando compartilho informações detalhadas assim, gosto sempre de frisar: elas são uma orientação, mas eu não trabalho nessas companhias, não posso me responsabilizar se algo mudou -- se o preço subiu, se algum trecho está interditado, se alguma modalidade mudou etc. Confirme tudo nas páginas de compra, elas dão todos os detalhes. Atente para os tipos ou nomes do produto/trem que você está comprando. Sempre aparece: TGV, Thalys, ICE etc. Clique para ver detalhes. Qualquer pergunta, fico feliz se puder ajudar. Boa viagem.
  4. doispassos

    Tickets para atrações e trem na Europa

    Castrotrip, Não subi ao terraço do Parlamento Alemão em Berlim, mas sei que é uma atração concorrida e que tem filas. Atualmente, você precisa se registrar com antecipação para fazer a visita. Faça isso no site: https://visite.bundestag.de/BAPWeb/pages/createBookingRequest.jsf?lang=en Já no site: https://www.bundestag.de/en/visittheBundestag você encontra informações sobre horários, tipo de visita etc. Quanto a Torre Eiffel, é absolutamente recomendado que você agende uma visita. Você ainda aguardará na fila, mas vai demorar muito menos do que quem não agenda/compra com antecedência. Faça isso no site: https://www.toureiffel.paris/en/rates-opening-times Boa viagem.
  5. doispassos

    Foz do Iguaçu e seus passeios

    Gisele, No Che Lagarto você estará a 500 metros do TTU - Terminal de Transporte Urbano de Foz, de onde saem ônibus para o aeroporto, para o parque brasileiro (é o mesmo ônibus, inclusive). Pela cidade tem ônibus para o templo budista; acredito que haja para todas as outras atrações, na real. Há ônibus inclusive para o Paraguai e para a Argentina (esses não passam dentro do terminal; passam em um ponto em frente). Pergunte nos guichês turísticos do terminal de ônibus. Segundo o Ricardo Freire, o Uber começou a operar lá. Nos comentários, viajantes dizem que pode demorar um pouco em alguns pontos da cidade: https://www.viajenaviagem.com/2018/07/uber-foz/ Boa viagem.
  6. doispassos

    Remédios controlados no exterior

    Samuca, Você provavelmente já fez isso, mas, além das sugestões do lobo solitário, eu me informaria também no ministério das relações exteriores e na Anvisa. Acho os sites do governo caóticos e pouco confiáveis, portanto, eu telefonaria ou, se possível, iria pessoalmente a algum escritório. Além da informação, pode ser (estou chutando/imaginando) que haja alguma coisa que eles possam acrescentar à receita, para que ela seja melhor reconhecida por autoridades estrangeiras. Sei que existe, em caso de documentos civis, o apostilamento -- que é um documento concedido pelas autoridades do país onde o documento foi emitido e que atesta que aquele documento é, sim, verdadeiro. O apostilamento, por exemplo, se aplica a diplomas e certidões emitidas em cartórios. Apenas países signatários de uma convenção reconhecem essa apostila e isso tem via dupla. De novo, pode ser que não faça sentido algum em relação a receitas médicas. Mas, como burocracia não é uma particularidade do Brasil, penso que não custa se informar e se cercar de garantias. Por fim, pode ser que você consiga informação também no centro de Medicina do Viajante, em São Paulo (http://www.emilioribas.sp.gov.br/pacientes-e-acompanhantes/medicina-do-viajante/). Boa viagem.
  7. doispassos

    Milhas: como acumular e multiplicar?

    Acho que você é que está simplificando. Mas, tudo bem, cada um vai na sua, o importante é ficar satisfeito no final, usando ou não as milhas.
  8. doispassos

    Milhas: como acumular e multiplicar?

    Dispenso a garrafa de vinho depois de dois anos de gastos. Sabe por que? Porque essa moeda que as companhias criaram, a milha, é a mais volátil que existe. De um ponto de vista da economia, da transação econômica, você sai, sim, perdendo, mesmo que ganhe um prêmio. Sabe por quê? Porque o preço que a milha custou para você juntá-la é muito mais alto do que o preço que a milha tem quando você gasta ela -- isto é, quando você vende ela, ou, no caso, troca ela por um prêmio. Uma milha que custe 1 dólar para ser adquirida (você comprando da empresa) custa 30 centavos para ser usada (a empresa comprando de você). As milhas são uma moeda inventada que faz o cliente pensar que ele está ganhando, mas ele está é fidelizando suas compras no cartão da empresa (primeiro ganho da empresa), sempre tentado a gastar um pouco mais ou aproveitar promoções de coisas que ele não precisa (segundo ganho da empresa) e gastando aquilo que ele ganhou com produtos que a empresa oferece (terceiro ganho da empresa). As milhas são uma parte de um microssistema financeiro criado artificialmente no qual você compra uma por X e vende ela por X dividido por 3. Nessa transação, você perdeu, tanto porque seu ativo (a milha) se desvalorizou quanto porque você comprou algo por um preço absurdo -- uma garrafa de vinho, por exemplo, que custe 2.400 milhas, é uma garrafa que custou, digamos 800 reais, se 3 milhas custarem 1 real. Você não ganhou a garrafa de graça. Você teve de consumir 800 reais para ter direito a ter um prêmio. Mesmo que você fosse consumir esses 800 reais de todo jeito, porque é sua necessidade, a garrafa não é um prêmio gratuito, é a compensação pelo fato de você ter usado seus 800 reais nos canais que favorecem a empresa e que a fazem ganhar 2, 3 vezes em cima do seu comportamento. Entende o que quero dizer? A empresa cria o jogo, cria as regras, mas trapaceia, ela mesma burla as regras, manipula a situação, de modo que você sempre vai pagar mais para adquirir do que vai usufruir para receber. Por isso, não é prêmio, na minha opinião, é prêmio de consolação. Prêmio é pagar 5 reais em um bilhete de loteria e receber 10 milhões. Prêmio é correr 100 metros rasos em 8 segundos e entrar para a história. Prêmio é algo desproporcionalmente maior do que o esforço. Outro dia desses troquei uns 2 mil pontos que iam vencer por um mixer de cozinha para minha sogra. 2 mil pontos. O mixer custa 50 reais em qualquer loja. Isso é prêmio? A gente acaba dando muito mais (em tempo, dinheiro, atenção, dados, resposta à marca) do que percebe para a empresa, e isso apenas porque vislumbra lá na frente um ganho. É o cenário do desenho animado, a cenoura pendurada na frente do animal que anda numa esteira rolante. Ele pode até chegar a comê-la, mas fez um esforço danado...
  9. doispassos

    ROTEIRO MOCHILÃO EUROPA OUTONO 2018

    Aila, Acredito que as cidades de seu roteiro são pérolas urbanas, e não de natureza. Natureza na Europa: florestas alemãs, fiordes nórdicos, praias espanholas, campos franceses, costas montanhesas italianas, montanhas suíças... A ideia de ir por uma cidade e voltar por outra é fundamental. Sempre vale a pena. Mesmo que você pague um pouco mais, é uma economia de tempo absurda. O aproveitamento de sua viagem é sempre maior. Pessoalmente, achei seu roteiro muito espalhado, mesmo para 30 dias. Entre Lisboa e Pisa, por exemplo, são 2 mil km. Em termos brasileiros, é a distância entre São Paulo e Salvador. Mas, para uma viagem europeia de férias, eu acho que é demais. Minha sugestão é você se concentrar em uma região menor do mapa (não do mesmo país, necessariamente). Outro dificultador que vejo é o excesso de deslocamentos. Muita coisa aí será feita de avião. Isso significa táxi/metrô, aeroporto, check in, táxi/metrô... Não sei o quão literal seu mochilão vai ser, mas se você for de mochila e não de malas de rodinha, é mais uma coisa a se evitar ficar mudando muito de cidade. A Europa ama malas de rodinha. Calculei aqui, seu roteiro terá mais de 4 mil km em distâncias entre cidades. Em média, 150 km por dia. Acho muito cansativo. Minhas sugestões são: concentre-se entre Itália, Suíça e França. Vá a Pisa, descanse, veja os amigos. Suba para a Suíça. O que você quer ver em Zurique? Considere um bate-volta em Berna, uma cidade menor e que também pode ser agradável e dar uma boa ideia da Suíça. De lá, Estrasburgo e Paris, de onde há muitos voos para o Brasil. Dê mais tempo a Paris. 4 dias é pouco, sobretudo se essa não é a 5a vez que você visita a cidade. Boa viagem.
  10. doispassos

    Ajuda roteiro Eurotrip 2019

    Feu, Para quem tem qualquer interesse em Londres, 3 dias é muito pouco. A não ser que você queira ver 2-3 coisas específicas e pontuais, e não ligue para o resto. Para qualquer pessoa com interesse na Europa em geral, Paris em 4 dias é apenas aumentar a vontade de conhecer Paris. Não resolve nada. Berlim, ao contrário de Paris e como Londres, é uma cidade bem comprida, espalhada, as coisas são distantes umas das outras. E é uma cidade em que o mais interessante, talvez, seja a atmosfera. Em 3 dias você vai vivenciar isso apenas superficialmente Talvez você consiga ver o básico do básico em Roma em 3 dias, mas, de novo, a Itália é um país sensorial, sons, aromas, comida. Vale a pena se deixar um pouco ao léu. Veneza, idem: há monumentos, mas talvez o mais legal seja se perder pelos becos, até encontrar um bar. Como o colega @111111 citou acima, Londres - Paris - Amsterdã dá para fazer de trem. Quem sabe você poderia se concentrar nessas 3 cidades. Digamos, chegando por Amsterdã, 4 dias, trem para Paris (você pode passar uma noite em Bruxelas também, é bem no caminho, já que sua vibe é conhecer vários países), 7 dias em Paris, trem para Londres, 7 em Londres, volta para o Brasil. Com isso você teria 3 cidades completamente diferentes, 3 culturas, e mais um pulinho na Bélgica para experimentar cervejas e comer mexilhões com fritas (em setembro ainda dá para sentar ao ar livre sem morrer de frio). Só aí foram 19 dias. Coloque mais 3 para deslocamentos e você tem 22. Não sei qual é sua experiência em viagens, mas, acredite, 22 dias é bastante tempo, dá para cansar, dá até para ter saudade de casa. 22 dias exigem também um planejamento de atividades excelente, porque há risco de chegar um dia e você não fazer ideia do que tem para fazer. Acho um roteiro bom esse. Exigente, mas sem ser correria nem extenuante. Vá com calma que a Europa estará esperando você na próxima. Boa viagem.
  11. Sim. Porém, como no caso em que eu citei, às vezes o hotel dificulta as coisas. O Booking pode auxiliar no contato.
  12. doispassos

    Bonito-PE

    Marcela, Existe uma longa discussão aqui no fórum sobre Bonito-PE. Você pesquisou lá? Boa viagem.
  13. @marianesp, Acredito que a @renata83 tem razão. É comum fazerem uma cobrança teste em transações internacionais, mas fique atenta porque essa transação tem que ser cancelada em seguida. De todo jeito, o Booking é um site sério. Você pode telefonar para eles, caso tenha dúvidas. Há atendentes que falam português. Eu já consegui resolver um problema com um hotel que não queria cancelar minha reserva e devolver meu dinheiro, infringindo regras publicadas no site, e o Booking me auxiliou nesse caso. Outra possibilidade é o tempo que leva para algumas transações aparecerem nos aplicativos de banco. Não sei qual você usa, mas sei que alguns demoram mais de atualizar do que outros. Alguns bancos têm dias da semana específicos nos quais eles atualizam para o cliente as informações de débitos. Você pode falar com o banco também para se certificar. Boa viagem.
  14. doispassos

    Milhas: como acumular e multiplicar?

    Pois é, tem cartão de crédito para todos as faixas de renda, até renda inexistente. Mas, o benefício em milhas desses cartões é desprezível. Por isso, não acho que é "basta se informar para ter um cenário benéfico". Nem sempre o cenário é benéfico, às vezes é até ofensivo, lesivo, perda de tempo e ilusão. A questão é justamente essa, acabamos voltando para o ponto inicial: quem realmente aproveita milhas com regularidade é quem ganha acima da média, acima da maioria, é um fato. As pessoas que têm cartões comuns podem até conseguir, mas com muito mais esforço de organização, planejamento, controle etc. É por isso que milhas não são gratuitas. Tempo, trabalho e contenção de gastos são fatores a ser contabilizados na hora de calcular quanto custam as milhas. Nem o ar que respiramos é gratuito, porque o corpo gasta energia (conseguida pela alimentação, paga com dinheiro) para funcionar. Quanto a aproveitar promoções de transferência, renovação ou compra de milhas, é, sim, uma maneira de turbinar, mas só fato de essas promoções serem irregulares, estarem cada vez mais raras (quem acumula milhas há mais de 15-20 anos sabe do que estou falando) e aparecerem apenas quando as empresas querem, quando é conveniente para elas, só torna ainda mais custosas as milhas. É mais um fator que dificulta o acesso às milhas (porque é preciso pagar para renovar ou para comprar, ou porque é preciso gastar -- como no caso de promoções de transferência de milhas). E é mais um fator influencia o gasto por impulso, porque impõe uma janela de tempo para o cliente: compre agora ou perca. Em suma, entendo os argumentos, espero que as regras não mudem e que continuem a permitir que algumas pessoas consigam usufruir, mas eu, pessoalmente, pensando na minha vida financeira, acho perda de tempo (e já perdi muito) se preocupar com milhas. Faço as coisas mínimas: uso apenas um cartão de crédito e transfiro sempre para o mesmo programa. O que vier (mas há anos não vem nada) é bem-vindo.
  15. doispassos

    Milhas: como acumular e multiplicar?

    @raarosaEntão, peço desculpas pela presunção errada.
×