Ir para conteúdo

doispassos

Membros
  • Total de itens

    54
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

28 Excelente

1 Seguidor

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Olá, Compartilho abaixo algumas infos da experiência de viajar a Boipeba de carro saindo de Salvador. Preços de dezembro de 2018. Roteiro Todos sabem que há quase 20 maneiras de chegar à Boipeba. Carro, avião, lancha, ferry, ônibus... Estávamos de carro e decidimos ir pela estrada o máximo possível, isto é, chegar até o ponto mais próximo da ilha e navegar o mínimo possível. Por quê? Opção pessoal. Gostamos de estrada. Fomos de Salvador até o Cais de Torrinhas, onde pegamos uma lancha para Boipeba. Esse roteiro passa por dois outros pontos onde é possível pegar lancha: Val
  2. Carona e Couchsurfing são formas de viajar e dormir gastando nada ou quase nada. Mas não é para qualquer um, no primeiro caso, e tem que ter um perfil estabelecido na comunidade para conseguir tanta hospedagem sem pagar, no segundo, acredito. Boa viagem.
  3. 1) Para trens dentro da Alemanha (Berlim para Stuttgart, cerca de 6 horas de viagem) e para de Stuttgart para Paris (de 3 a 6 horas de viagem, a depender do tipo de trem que você pegue): saindo de Stuttgart, desce em Manheim, pega o próximo trem 10 minutos depois ou pega o trem TGV e vai direto, veja o site da DB BAHN (o link abaixo já está em inglês): https://reiseauskunft.bahn.de/bin/query.exe/en?ld=38111&country=DEU&protocol=https:&seqnr=1&ident=l0.03822111.1533685824&rt=1&newrequest=yes&&country
  4. Castrotrip, Não subi ao terraço do Parlamento Alemão em Berlim, mas sei que é uma atração concorrida e que tem filas. Atualmente, você precisa se registrar com antecipação para fazer a visita. Faça isso no site: https://visite.bundestag.de/BAPWeb/pages/createBookingRequest.jsf?lang=en Já no site: https://www.bundestag.de/en/visittheBundestag você encontra informações sobre horários, tipo de visita etc. Quanto a Torre Eiffel, é absolutamente recomendado que você agende uma visita. Você ainda aguardará na fila, mas vai demorar muito menos do que quem não agenda/co
  5. Gisele, No Che Lagarto você estará a 500 metros do TTU - Terminal de Transporte Urbano de Foz, de onde saem ônibus para o aeroporto, para o parque brasileiro (é o mesmo ônibus, inclusive). Pela cidade tem ônibus para o templo budista; acredito que haja para todas as outras atrações, na real. Há ônibus inclusive para o Paraguai e para a Argentina (esses não passam dentro do terminal; passam em um ponto em frente). Pergunte nos guichês turísticos do terminal de ônibus. Segundo o Ricardo Freire, o Uber começou a operar lá. Nos comentários, viajantes dizem que pode demorar um pouco
  6. Samuca, Você provavelmente já fez isso, mas, além das sugestões do lobo solitário, eu me informaria também no ministério das relações exteriores e na Anvisa. Acho os sites do governo caóticos e pouco confiáveis, portanto, eu telefonaria ou, se possível, iria pessoalmente a algum escritório. Além da informação, pode ser (estou chutando/imaginando) que haja alguma coisa que eles possam acrescentar à receita, para que ela seja melhor reconhecida por autoridades estrangeiras. Sei que existe, em caso de documentos civis, o apostilamento -- que é um documento concedido pelas aut
  7. Acho que você é que está simplificando. Mas, tudo bem, cada um vai na sua, o importante é ficar satisfeito no final, usando ou não as milhas.
  8. Dispenso a garrafa de vinho depois de dois anos de gastos. Sabe por que? Porque essa moeda que as companhias criaram, a milha, é a mais volátil que existe. De um ponto de vista da economia, da transação econômica, você sai, sim, perdendo, mesmo que ganhe um prêmio. Sabe por quê? Porque o preço que a milha custou para você juntá-la é muito mais alto do que o preço que a milha tem quando você gasta ela -- isto é, quando você vende ela, ou, no caso, troca ela por um prêmio. Uma milha que custe 1 dólar para ser adquirida (você comprando da empresa) custa 30 centavos para ser usada (a emp
  9. Aila, Acredito que as cidades de seu roteiro são pérolas urbanas, e não de natureza. Natureza na Europa: florestas alemãs, fiordes nórdicos, praias espanholas, campos franceses, costas montanhesas italianas, montanhas suíças... A ideia de ir por uma cidade e voltar por outra é fundamental. Sempre vale a pena. Mesmo que você pague um pouco mais, é uma economia de tempo absurda. O aproveitamento de sua viagem é sempre maior. Pessoalmente, achei seu roteiro muito espalhado, mesmo para 30 dias. Entre Lisboa e Pisa, por exemplo, são 2 mil km. Em termos brasileiros, é a distânc
  10. Feu, Para quem tem qualquer interesse em Londres, 3 dias é muito pouco. A não ser que você queira ver 2-3 coisas específicas e pontuais, e não ligue para o resto. Para qualquer pessoa com interesse na Europa em geral, Paris em 4 dias é apenas aumentar a vontade de conhecer Paris. Não resolve nada. Berlim, ao contrário de Paris e como Londres, é uma cidade bem comprida, espalhada, as coisas são distantes umas das outras. E é uma cidade em que o mais interessante, talvez, seja a atmosfera. Em 3 dias você vai vivenciar isso apenas superficialmente Talvez você consiga ver o bá
  11. Sim. Porém, como no caso em que eu citei, às vezes o hotel dificulta as coisas. O Booking pode auxiliar no contato.
  12. Marcela, Existe uma longa discussão aqui no fórum sobre Bonito-PE. Você pesquisou lá? Boa viagem.
  13. @marianesp, Acredito que a @renata83 tem razão. É comum fazerem uma cobrança teste em transações internacionais, mas fique atenta porque essa transação tem que ser cancelada em seguida. De todo jeito, o Booking é um site sério. Você pode telefonar para eles, caso tenha dúvidas. Há atendentes que falam português. Eu já consegui resolver um problema com um hotel que não queria cancelar minha reserva e devolver meu dinheiro, infringindo regras publicadas no site, e o Booking me auxiliou nesse caso. Outra possibilidade é o tempo que leva para algumas transações aparecerem nos apl
  14. Pois é, tem cartão de crédito para todos as faixas de renda, até renda inexistente. Mas, o benefício em milhas desses cartões é desprezível. Por isso, não acho que é "basta se informar para ter um cenário benéfico". Nem sempre o cenário é benéfico, às vezes é até ofensivo, lesivo, perda de tempo e ilusão. A questão é justamente essa, acabamos voltando para o ponto inicial: quem realmente aproveita milhas com regularidade é quem ganha acima da média, acima da maioria, é um fato. As pessoas que têm cartões comuns podem até conseguir, mas com muito mais esforço de organização, planejamento,
×
×
  • Criar Novo...