Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Estradasporaí

Membros
  • Total de itens

    33
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

12 Boa

Sobre Estradasporaí

  • Data de Nascimento 15-08-1994

Outras informações

  • Próximo Destino
    Nordeste Brasileiro
  • Meus Relatos de viagem
    https://www.mochileiros.com/topic/77441-rj-x-uruguai-argentina-de-carro-7000-kms-jul2018/
  • Meu Blog

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Aí vai mais um conselho: Pesquise as estradas antes de qualquer coisa. Essa ruta 26 não recomendo para ninguém.
  2. Dia 15: Buenos Aires/ARG - Rivera/URU Dia de iniciar a volta pra casa. Confesso que ficamos um pouco decepcionados com BA. Talvez seja logo pela experiência negativa que tivemos inicialmente. Mas também não gostamos de grandes centros, somos adeptos de locais isolados, fazendas, passeios em meio à natureza etc. Enfim.. Acordamos cedo, fizemos o check-out e já fomos até o estacionamento buscar o carro. Foi o mais em conta que encontramos, 160 pesos a diária. No caminho ainda comprei alguns alfajores. Vi pelo mapa que no caminho passaríamos pelo monumento Floralis, paramos e tiramos algumas fotos, pena que a chuva tava intensa. De lá pesquisei no GPS alguma oficina de gnv, pois nossa intenção inicial seria abastecer também com gás natural na Argentina, o preço é bem baixo se comparado ao Brasil. Fomos até a oficina, porém o instalador nos explicou que o bico de abastecimento é diferente e para fazer a adaptação talvez não fosse dar certo, teria que desmontar o sistema do meu carro etc. Como estávamos com pressa e só seria o caminho de volta até o Uruguai e depois Brasil, decidimos não arriscar. Mas o "pico" de abastecimento gnc Argentino custava 500 pesos. Pra quem for cruzar todo o país até o Ushuaia, acho que vale a pena colocar uma válvula externa Argentina, que aí não precisa mexer no sistema original na frente do carro.. Só um conselho. Pegamos a estrada com chuva e assim foi até a fronteira com o Uruguai. Depois que adentramos novamente ao território Uruguaio, o GPS do Google maps nos indicou a ruta 26 que passa por tacuarembo e chega até Rivera. Infelizmente não pesquisei as condições das estradas antes e essa ruta estava bem ruim, quase intransitável, buracos gigantes por um longo trecho e zero iluminação. A noite caiu e só pedi a Deus que nos guardasse e que o carro resistisse àquelas crateras. Chegamos em Rivera depois de um longo tempo além do esperado e foi só o tempo de tomar um banho e dormir.
  3. Dia 14: Passeios em Buenos Aires. Pedimos para a anfitriã do nosso apt o cartão sube. Um cartão que vc recarrega e consegue utilizar em ônibus e metrô para vários destinos. Nosso carro ficou os três dias no estacionamento, só pegamos para cair na estrada de volta. O trânsito em Buenos Aires é muito intenso, lembra muito o centro do RJ, preferimos utilizar o transporte público para grandes deslocamentos, já que estávamos bem localizados próximo ao Obelisco. Saímos por volta de 10h do apt e já procuramos um local para fazer a recarga. Feita a recarga, pegamos o ônibus para El Caminito. Era o sonho de Laryssa conhecer. Tiramos muitas fotos e compramos algumas lembrancinhas, nessa hora vale a pesquisa de preços, pois várias lojinhas vendem praticamente a mesma coisa, porém há diferença de preços. No local também há muitas dançarinas de tango que se oferecem para tirar fotos.. Na hora não falam nada a respeito do preço, dps que o pessoal aceita, elas cobram R$20,00 kkk. Saímos do Caminito e fomos direto no La Boca, nem entramos pois estava um pouco caro para o nosso orçamento a visitação. Tiramos fotos (com a camisa do Brasil) na estátua do Messi, Maradona, Riquelme, Tevez.. Vivendo perigosamente! Rsrsrs. Pegamos o ônibus de volta e já descemos na Plaza de Mayo, chovia um pouco no local e foi ruim para tirar fotos. Mesmo assim fizemos alguns cliques em frente a Casa Rosada. Fomos caminhando até o bairro Puerto Madero, um bairro novo que homenageia às mulheres. Tiramos fotos na puente de La Mujer e caminhamos de volta até o obelisco. Mais alguns cliques e fomos almoçar. Encontramos um local que vende o pedaço de pizza bem em conta com copo de refrigerante. Lá foi nosso almoço. Voltamos para o apt e descansamos até a noite. À noite demos uma volta pelo centro e jantamos no mesmo lugar do almoço, rsrs
  4. Procura no YouTube o canal do norte ao norte. Eles tem uma doblo e viajam pelo Brasil.
  5. Estradasporaí

    Abastecimento GNV Argentina e Chile

    Fui pra Argentina recentemente e tbm não consegui abastecer. O que acho melhor é colocar a válvula Argentina externa.. Que aí não muda o sistema na frente do veículo. Foi o que me aconselhou um instalador de gnc argentino.
  6. Estradasporaí

    Mochilão pelo Sul do Brasil

    Sugiro pesquisar sobre pomerode, SC. Tbm incluir o Beto carrero, caso goste de parques.
  7. Estradasporaí

    Porto Alegre, Buenos Aires, Santiago (Chile)

    Cara, em Buenos Aires tem muitos lugares pra visitar. Apesar de não ter gostado muito da cidade por conta de ser um centro do RJ que fala espanhol, aconselho a ficar mais dias e deixar o carro em algum estacionamento, andar somente de ônibus ou metrô.. Chegando lá só adquirir um cartão sube.
  8. Lembro-me de tres pedagios desde o chui ate chegar em Montevideu. Os tres foram 95 pesos uruguaios. Mais 2 desde Montevideu a Colonia, tbm de 95 pesos. Agora na fronteira com a Argentina, logo apos a aduana, tem um pedagio bem mais caro, 260 pesos uruguaios, eu acho.. Tbm tive q pagar o mesmo valor no pedagio na volta, sendo q eh do lado contrario, logo apos a fronteira de lado uruguaio, voltando. Na Argentina apos Gualeguaychu ate BA tem uns cincos pedagios, porem nao me recordo os precos, mas sao baratos. Os mais caros foram esses de fronteira. Bom que ambos aceitam pesos uruguaios, argentinos, real e acho q ate dolar. Ate mais!
  9. Dia 13: Buenos Aires/ARG Acordamos às 11h e já aproveitamos o wifi do estabelecimento para procurar uma hospedagem para nós. Conseguimos pelo AirBnb uma bem em conta e próximo do Obelisco. O checkin era a partir das 15h, mandei msg mas a anfitriã não visualizou a reserva e nem as mensagens. Deixamos o carro em um estacionamento bem próximo que custava 160 pesos argentinos por 24h. Ainda enrolamos um pouco para dar o horario, fomos até o carrefour e compramos biscoito e demos umas voltas. Só queríamos descansar e colocar logo um ponto final naquele pesadelo. Não conseguimos esperar até ás 15h e uma hora antes fomos até a residência e tocamos a campainha. A menina respondeu assustada, disse que não tinha nenhuma reserva lá, ainda perguntou se não estávamos enganados. Ela nos deixou subir e explicamos a situação. Alguns momentos depois, a reserva apareceu pra ela e tudo certo. Aquela tarde foi só de descanso e a noite nos arrumamos, demos uma volta próximo ao obelisco e jantamos no BK,que por sinal bem mais barato do que em Punta Del Este. Na volta para o apt, pesquisamos e marcamos os pontos para visitação no dia posterior.
  10. Dia 12: Montevideu/URU - Colonia del Sacramento - Buenos Aires/URU. O dia mais longo da viagem. Dia da final da copa, passei a manhã inteira terminando uns trabalhos atrasados. Consegui assistir ao jogo pelo wifi do apt e na globo online. Após o jogo, partimos e ainda demos uma parada no Mirante Panorâmico, um prédio de 18 andares que se consegue ver tudo em Montevideu. Check-out feito, mais uma parada no Porto para adquirir algumas lembrancinhas. Aqui nos arrependemos de ter comprado doce de "letche". Mais para frente conto o motivo. A saída de Montevideu estava bem complicada, logo a frente passamos por um acidente e a pista estava fechada de um lado. A partir dali, melhorou. Paramos em um posto na beira da estrada para abastecer pela primeira vez no pais. Tentando economizar ao máximo, já que a gasolina beirava os R$7,00 o litro. O computador de bordo ajudou muito, fui baseando por ele a viagem inteira e deu tudo certo. Chegamos e m ColÔnia já ao anoitecer. A cidade é muito linda mesmo. Arrependido de nao ter ficado mais tempo. Nem conseguimos tirar fotos direito, estava bem frio e com pouca iluminação. Fica para uma próxima. Mais uma parada em um posto e abastecer o "mínimo" para conseguir cruzar a fronteira em Fray Bentos-Gualeguaychu e depois abastecerc novamente do lado argentino, que é bem mais em conta. Não fizemos a travessia via Buquebus por ser bem caro, cerca de R$600 para duas pessoas + carro. Partimos por terra mesmo. Cruzamos a fronteira próximo de 23h e logo na saída um pedágio bem caro, 260 pesos uruguaios. Era todo peso uruguaio que eu tinha, até as moedas se foram. Na província Entre Rios, saquei dinheiro e encontrei um posto e consegui abastecer bem mais barato que o Uruguai, R$4,14 litro. Chegamos em Buenos aires por volta de 2:00 e aí comecou a dor de cabeça. O Hotel que havíamos reservado anteriormente pelo booking não constava nossa reserva. Apresentamos o comprovante e nada, não tinha nada com nossos dados. Não conhecíamos nada na cidade, sem internet, com sono e cansados. Foi muito difícil. Conseguimos um "Albergue" lá para as 5 da manhã, o suficiente para cair e apagar, pois o lugar era muito ruim e já não sabíamos mais o que fazer, procuramos em todos os lugares e estava tudo lotado, por conta de ser alta temporada e época de férias. Esse dia parecia não ter mais fim. Colônia Del Sacramento Porto De MontevideuColôniaColônia
  11. Dia 11: Montevideu/URU Logo cedo fomos a Plaza Independencia e depois Teatro Solis. Não entramos, só tiramos muitas fotos por fora. Logo após, seguimos para o Palacio Legislativo para mais alguns cliques. Almoçamos pizza novamente e a tarde fomos até o letreiro de Montevideu, na Rambla. Tava lotado de crianças e era quase impossivel conseguir tirar foto sozinho, os pais não estão nem aí para os filhos.. Ficamos um bom tempo esperando para ver se melhorava, mas nao teve jeito, tiramos com vários convidados na foto kkk. Feito isso, apreciamos um pouco a paisagem sentados na grama e partimos para o shopping para jantar um Mc Donalds.
  12. Dia 10: Montevideu/URU Depois de tomar café, fomos a pé ao estádio Centenário, seguindo o mapa cedido por Clara. Muita história no local, pagamos 300 pesos uruguaios por pessoa, mas vale a pena. Só poderia estar mais bem conservado. Retornamos caminhando, tiramos muitas fotos pelas ruas de Montevideu. Pegamos o carro e fomos até o Punta Carretas Shopping, onde almoçamos e demos umas voltas sem compromisso. Encontramos uma atendente brasileira no Mc Donalds. Na volta passamos no mercado e compramos pizza para assar a noite.
  13. Dia 9: Punta Del Este - Montevideu/URU Acordamos cedo e retornamos com a galera do Hostel até o Los Dedos, conseguimos tirar várias fotos tranquilamente, nesse dia não tinha quase ninguém no local. Voltamos para o hostel bem na hora do café da manhã. Barriga cheia e hora de pegar a estrada rumo a capital uruguaia. Malas no carro. Aproveitei e joguei 10 litros de gasolina que tinha guardado nos galões desde o Brasil. A estrada até Montevideu é muito boa, tem dois pedágios de 95 pesos cada. Mais uma reserva feita pelo AirBnb. Clara, a anfitriã sempre muito simpática, disponibilizou um mapa da cidade para nós. Fomos perguntado de onde estávamos vindo, e quando respondemos Punta, fomos zoados que Punta é como se fosse a lava jato do Brasil, hahaaha, lá tudo muito caro (um roubo). O apt ficava bem localizado, há uns 20 minutos andando do estádio Centenário e um quarteirão da av Brasil. Nesse dia só descansamos e jantamos macarrão com ovo cozido, pois tínhamos a opção de utilizar a cozinha. O carro ficou estacionado em frente a residência, sempre tinha vaga. Não tivemos problemas nos três dias que ficamos lá. Los Dedos e o céu rosa
  14. @Welington Cabral Opa, a carta verde é um seguro obrigatório para circular nos países do Mercosul.
  15. Dia 8: Punta Del Este/URU Nesse dia fomos logo ao Los Dedos (La mano) pela manhã. Porém estava lotado e uma completa desorganização para conseguir tirar uma foto sozinho, é criança pra todo lado e os pais não estão nem aí. Mesmo assim tiramos algumas fotos e depois fomos caminhando pelos quarteirões de Punta, até chegar do outro lado na Playa Mansa. Também tiramos algumas fotos pois a paisagem é bem bonita. Feito isso, voltamos e compramos créditos para o chip antel e depois fomos almoçar. Paramos no restaurante The Family, pedimos o "Prato feito" uruguaio, papas (batatas) fritas, pollo (frango) e arroz. Bem em conta, se considerarmos que lá é tudo caro, 550 pesos uruguaios para duas pessoas já com refrigerante. Algo em torno de R$68,00. Depois do almoço retornamos para o hostel e esperamos dar a hora de ir até punta Ballena para assistir o por do sol ao lado da casa Pueblo. Pegamos o carro e fomos em direção a Punta Ballena. A casa Pueblo tava custando em torno de R$35,00 por pessoa para visita, mas não entramos, fomos só pelo por do sol mesmo, q pode ser visto ao lado da mesma forma. Realmente, é muito lindo. Apesar de o tempo estar um pouco nublado no final da tarde, ver o sol "se pôr no mar" é demais. Logo após, voltamos para Punta Del Este e paramos no Punta Shopping, onde não há cancela no estacionamento, apenas se para o carro e pronto, não paga nada. Demos algumas voltas, ia sacar dinheiro, mas a taxa estava altíssima, então deixei pra lá. Procuramos algum local para comer chivitos (um prato típico uruguaio) e só achávamos com preço absurdo. Retornamos ao hostel. No hostel conversamos com a anfitriã e ela indicou o Capi Bar para comer chivitos. Fomos ao Capi Bar, a pé mesmo, pois é próximo ao hostel que ficamos. realmente um local bem temático e interessante. Minha esposa comeu o chivitos, eu experimentei e não gostei, carne de cordeiro. Não achamos tudo isso, prefiro o churrasco brasileiro mesmo. No Capi bar aceita reais, a cotação estava em 1 real para 8 pesos, então pagamos em reais mesmo, foi um adianto para nós, já que não achávamos mais câmbio a esse valor. Por coincidência lá no bar havia um casal de São Paulo que tbm estavam hospedados no mesmo hostel que nós, lembrei-me de ter visto a kombi parado na porta do hostel e decidi procurar, numa troca de mensagens nos demos conta que estávamos no mesmo ambiente rsrs. Pessoal gente boa. Após o jantar, retornamos para o lar e trocamos ideia com os outros brasileiros até a hora de dormir. Ainda deixamos combinado de acordar cedo no dia seguinte e ir novamente ao Los Dedos para tentar tirar uma foto sozinhos, sem intrusos kkk.
×