Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Diogo Falcomer Silveira

Membros
  • Total de itens

    9
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

5 Neutra
  1. Diogo Falcomer Silveira

    Parque Nacional Cavernas do Peruaçu - Januária - 11/2018

    Fala amigo. Eu acho que 4 dias é o ideal, com 4 dias você pode tirar um dia inteiro para fazer o arco do andré (não fizemos). É um trajeto novo. http://www.icmbio.gov.br/portal/visitacao1/unidades-abertas-a-visitacao/8642-o-parque-nacional-cavernas-do-peruacu Nos fizemos em 2 dias, pq o trajeto de volta pra Brasília tem 150km com estrada de chão, então agilizamos o passeio o máximo, porém todas as cavernas nos tivemos tranquilidade para conhecer. Não foi apressado. É mais cansativo, mas da pra fazer tranquilamente em 2 dias, depende mais da capacidade de quem ta indo. O que geralmente ocorre, é que o guia faz um caminho e 13hrs já esta voltando pra casa. No primeiro dia ficamos no parque até próximo as 17hrs.
  2. Fala pessoal, Estou planejando uma viagem saindo de Brasília e indo ao jalapão em junho, mais precisamente entre os dias 08 e 15, pode ser q eu aumente ou diminua. Dependendo dos roteiros. Por enquanto, comecei a fazer um planejamento ( sei que tem vários posts, e li a maioria deles mas mesmo assim resolvi postar para ter mais ideias, locais e se por ventura aparecer alguém querendo fazer a viagem em conjunto) 1° Dia - Saída de Brasília até Aurora do Tocantins = 476 KM (A ideia é ir dar um mergulho no rio azuis - o menor rio do mundo) 2° Dia - Saída de Aurora Até Ponte Alta = 338 KM ( Aurora -> rio da conceição -> cachoeira da fumaça -> Pedra Furada e Ponte Alta) 3° Dia - Ponte Alta, cachoeira da velha, Dunas e Mateiros = 219KM. 4° Dia - Mateiros -> São Felix. (Acordar cedo e ver o sol nascer na Serra do Espirito Santo). Parar em algum fervedouro, ou/e na cachoeira da formiga. 5° Dia - São Felix -> Novo Acordo. ( estou pesquisando ainda os atrativos no caminho. ou se vale ficar mais um dia em São felix) 6° Dia - Novo Acordo -> Arraias ( Passando pela lagoa do japonês) não sei se vai dar tempo disso tudo hehehe 7° Dia- Arraias -> DF Então pessoal, esse é um esboço do que eu estou planejando para minhas férias. O carro é uma TR4 2006 4x4, um dos problemas é que ela tem apenas 53L de tanque. Talvez eu leve um combustível extra (mas não tenho bagageiro de teto). Minha ideia inicial é ir em hotéis ou pousadas, camping ainda estou vendo. No mais é isso, se tiver alguém por lá nessa época! Podemos ver! Se tiverem mais dicas de locais, pousadas e etc. Aceito todas!
  3. Muito legal sua expedição!! Com certeza me motivou mais a fazer a minha pela puna! Grande abraço!
  4. Muito legal essa viagem!! Eu to planejando viajar pela região da puna argentina em 2020. Achei muito legal sua viagem, relato muito detalhado!! Abraços!
  5. Fala top! Então a minha ideia é fazer só NOA ( que é o noroeste argentino). Estou estudando para fazer de humahuaca até quem sabe catamarca. Mas é tudo inicial, estou planejando pra esse ano chapada diamantina, jalapão e algum mitsubishi experience.
  6. Viagem muito massa. Eu to planejando fazer uma viagem dessa pra 2020. Tenho uma Pajero TR4, a minha ideia inicial é andar apenas por NOA na argentina e não atravessar pra bolivia e chile (pelo que li me parece mais complicado q argentina). Muito legal o relato, essa band é muito valente!
  7. Diogo Falcomer Silveira

    Parque Nacional Cavernas do Peruaçu - Januária - 11/2018

    Fala @Hudson Coimbra tudo beleza? Acho que da pra ir de carro baixo, tinha muitos carros populares no caminho. Mas com certeza vai ser mais lento. Com certeza, pode colocar 1 hora a mais ai no roteiro pelo cuidado que você toma com carro baixo. Um dica ( que não sei como ta a estrada ) você pode tentar ir por Montes Claros, é uma volta maior mas aí você vai o trajeto todo asfaltado. Pra falar a verdade, a estrada pior que achei foi na volta de Januária direto a chapada gaucha (sem atravessar o são francisco). Essa estrada estava boa, mas os últimos 30 km estavam bem ruins (mas passei por carros de passeio nela que estavam passando também). A balsa funciona 24 horas 7 dias por semana (inclusive feriados). Não sei te dizer se tem um horário certo pra saída, mas ela saí com um frequência. Eu cheguei bem na hora de saída da balsa. Pelo que eu perguntei, a balsa demora uns 25 a 30 minutos de quando ela chega, desembarca e volta. Então no máximo, você vai perder 1 hora se chegar na hora q a balsa acabou de sair. Não precisa de carro alto para o parque. Os atrativos do parque são feitos a pé, e de januária até o parque é todo asfaltado (ta um tapete). A estrada de chão dentro do parque passa qualquer carro.
  8. Diogo Falcomer Silveira

    Parque Nacional Cavernas do Peruaçu - Januária - 11/2018

    Show!! Vale muito voltar lá! A estrutura do parque ta muito boa. Se programa pra fazer o arco do andré. Eu não fiz, pq é um dia inteiro de aventura, passa por duas cavernas e um mirante. Tem uma proposta mais radical.
  9. Pessoal, viajamos eu e minha esposa para a cidade de Januária no ultimo feriado do dia 15/11/2018 até 18/11/2018, uma das cidades que integra o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu. No site do ICMBio tem algumas informações, e um link com guias: ICMBio Cavernas do Peruaçu Como não tínhamos muitas informações sobre a cidade, fomos ao Google. Encontramos a página do sesc (Link do Sesc ) com muitas informações e hospedagem muito barata. Pagamos um valor de R$ 162 na hospedagem em quarto com ventilador (peguem o quarto com ar condicionado, a cidade é quente pra caramba!!) e com café da manhã incluso. Para reserva é necessário que todos possuam carteira do sesc para apresentar na hospedagem. Após marcar a hospedagem, fomos atrás do guia (ao entrar em contato com pessoas que estão cadastradas no site do icmbio, nos recomendaram o seu Joaquim com apelido kinka). Marcamos um passeio para os dias 16,17 e 18. Porém com o caminho de volta com estradas muito ruins, acabamos fazendo em dois dias, ficando melhora para voltar para casa co mais tranquilidade e aproveitar também o clube do sesc. O valor do Guia ficou em R$ 450 para todas as cavernas que fomos. 15/11 - Saída de Brasília -> Januária Saímos de Brasília 8:40, tínhamos o dia todo para andar na estrada. Durante o percurso, pegamos estrada de chão entre Urucuia e Pintópolis, e de São Francisco a Pedras de Maria da Cruz. A parte com estrada de chão da 138 Kms, o restante do percurso todas estradas de asfalto estavam com pavimentação boa. Estrada de chão em Urucuia - MG Atravessando o São Francisco de Balsa. Chegamos no SESC Januária por volta das 17:30. Não conseguimos pegar a piscina, e pedimos uma carne de sol com batatas fritas e um feijão tropeiro com coca 600ml. Incríveis R$ 32 pra muita comida. Depois fomos andar na cidade, como era feriado tudo fechado. 16/11 - Lapa do Rezar, Caboclo e Carlúcio, Indio, Bonita e Boquete. Primeiro dia de passeio, combinamos com o guia 8 Hrs na entrada do parque, que fica a 45 minutos do SESC. Acordamos 6:20 e fomos pro café (Café muito delicioso por sinal), chegamos na entrada do parque 7:40. Fizemos todos os tramites com o Guia e Fomos a pé da sede, para a Lapa do Rezar. Essa lapa era utilizada pelos locais para rezas e festas, também tem um sítio com desenhos rupestres. Tem uma escada grande pra subir. Entrada da lapa. Conhecendo a lapa por dentro. Pinturas rupestres do lado de fora. Após conhecer a Lapa do rezar, voltamos todo o caminho até a sede. Pegamos o carro e fomos para os caminhos do Silú ( Lapa do Caboclo e Carlúcio). A lapa do caboclo é menor e também tem pinturas rupestres, não entramos muito a dentro. Vemos os desenhos e voltamos para ir para a Lapa do Carlúcio. Pinturas na Lapa do Caboclo. No caminho para a lapa do Carlúcio, temos uma vista do mirante. Lá é possível ter uma ampla visão do vale, na época da seca você consegue ver melhor pois as arvores ficam sem folhas. Lapa do Carlúcio. Chegamos na lapa do Carlúcio (uma das mais bonitas que achei). Essa caverna não tem pinturas, mas tem paredes brancas que dão lindas cores com o sol misturado com a escuridão da caverna. Entrada da caverna Vista do interior para a entrada Após finalizar o passeio, pegamos o carro novamente e fomos em direção as ultimas 3 cavernas do dia, já tínhamos passado das 13hrs. Eu esqueci o lanche, acabamos dividindo o do guia. Mas mantendo o ritmo para fazer em 2 dias. Faltavam ainda 3 cavernas. Chegamos a lapa do índio, que tem uma vista muito bonita para o janelão e todo o vale. Ela também possui mais desenhos rupestres e segundo o guia passando pra dentro tem mais de 150 metros de tuneis. Vista da lapa do índio. Pinturas da lapa do índio. A lapa bonita (é pra mim realmente a mais bonita.) tem um limite de 5 pessoas por vez. Chegamos quase 15hrs então não tinha mais ninguém, ficamos bastante tempo, e da até um pouco de sono pois dentro é bem agradável e com um silêncio delicioso para descansar. Vista de fora da Lapa Bonita. Estalactites No interior da Lapa Bonita. Salão Vermelho (não é possível acessar), ficamos apenas na porta: Mais formações rochosas Vista da Lapa bonita por Dentro. Próximo das 16:30, chegamos ao ultimo destino do dia Lapa do Boquete. E lá foram encontrados várias ferramentas, dois corpos com mais de 7000 anos AP, e um corpo mumificado com entre 2000 e 2500 anos AP. É um local onde também foi encontrado balaios com sementes de feijão e milho que eram usados pelos habitantes do local. Também possui pinturas rupestres. Pinturas da Lapa do Boquete Vista de onde foram feitas as escavações: Depois disso, fizemos todo o caminho de volta, deixamos o guia na entrada do parque e fomos pro hotel. Estávamos cansados, então apenas fomos a lanchonete do sesc e eu pedi uma Galinhada e ela pediu um macarrão na chapa com uma coca no total deu R$ 24. Acabamos não indo na cidade, e as piscinas já estavam fechadas. Tomamos um banho gelado e fomos dormir para acordar cedo no outro dia. 17/11 - Lapa do Desenho, e Janelão. Para o segundo dia de passeio, sobrou a Lapa do Desenho e o Janelão ( a maior atração do PN Cavernas do Peruaçu.) Acordamos cedo novamente, tomamos café e partimos para a entrada do parque. Encontramos o Kinka e fomos de carro até a entrada do caminho para a Lapa do Desenho. Na lapa do desenho encontramos muito mais desenhos rupestres que em outras Lapas, muito legal ficar lá por um bom tempo tentando decifrar os desenhos e verificar como os povos faziam para desenhar nas paredes uma grande altura. A qualidade da preservação do local surpreende, pois o guia nos contou que todas aquelas áreas tinham plantações e gado. Pinturas na Lapa dos Desenhos Voltamos o caminho após admirar os desenhos e fomos para o Janelão. A Gruta do Janelão é bem maior que as outras lapas, tem claraboias e você se sente uma formiguinha lá dentro. São 4,8km de caminhada ingrime. Entrada do Janelão Claraboia do Coração Formação de Cogumelos ( achei bem legal) Sente a Altura dessa caverna Pedra que parece uma Tartaruga A Maior estalactite do mundo - Perna de Bailarina. Após fazer o caminho de volta, deixamos o guia na Sede. Acertamos com ele, e ele ainda nos deu um monte de manga rosa. Fomos de volta ao Sesc, conseguimos pegar a feijoada no refeitório, os 2 pratos de feijoada e mais um h2o ficou por 17 reais. Fomos no quarto rapidinho e por causa do calor que estava em Januária. Fomos direto pra piscina, pedimos uma porção batata frita uma cerveja por 15 reais. Tudo lá no sesc é muito barato pra quem está acostumado com os valores praticados em brasília. Ficamos nadando na água morna do clube até 19hrs. Voltamos pro quarto e fomos dormir, muito cansados o batidão de 2 dias estava cobrando o preço. 18/11 - Volta Januária - Brasília. Acordamos mais tarde, tomamos o café da manhã tranquilamente e fomos pra piscina curtir um pouco da manhã. Água muito boa mesmo, estádia fantastica no SESC. Deu vontade de ficar mais tempo e curtir mais o hote. Saímos do SESC as 11hrs e voltamos para Brasília. O Kinka tinha nos dado uma dica para voltar para brasília por chapada gaucha sem atravessar de balsa. Pegamos 158 Km de estrada de chão e 40 Km estavam bem ruins, porém após chapada gaucha a estrada fica muito boa. Ganhamos um pouco de tempo. Andar pela mistura de sertão com cerrado é muito bom!! Pessoal aqui está o contato do guia: Joaquim (Kinka) - Kinka nasceu e viveu dentro do parque nacional ( antes de virar parque) e conhece tudo lá dentro, inclusive mais de 200 cavernas que nem estão catalogadas ainda. Recomendo demais o passeio com ele. 38 9866-8666
×