Ir para conteúdo

poiuy

Membros
  • Total de itens

    1.841
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    35

Tudo que poiuy postou

  1. Quando eu comprei, também foi com a minha noiva, então já atendíamos a condições de ter que comprar 2 pacotes. Nós tínhamos bastante flexibilidade nas datas, mas mesmo assim, a primeira data que eles sugeriram, para viajar uns 45 dias depois, caiu bem numa das poucas semanas onde não podíamos viajar, pedimos outra data, eles sugeriram uma nova data, duas semanas depois da primeira, e desta vez deu certo. O destino escolhido, Jamaica, também não tinha lá muitas restrições quanto a época da viagem, sempre é quente, perfeito para o que era o objetivo da viagem, que era tirar uma semana de folga, num hotel all-inclusive, só relaxando, sem fazer nada, sem se preocupar nem onde ir comer.. rsss
  2. "Engraçado" é que os argentinos pensam e reclamam da mesma coisa em relação a polícia brasileira, que só tem policial corrupto nas estradas brasileiras... Mas a polícia argentina não é diferente da brasileira, a maior parte é honesta, mas sempre tem uma parcela de policiais corruptos no meio. Mas, se você for com tudo certo, com toda documentação correta, com todos os itens de segurança obrigatórios, que são diferentes dos brasileiros, e respeitar a sinalização e limites de velocidade, muito dificilmente voce terá problemas. Na verdade, em todos os relatos que eu ouvi até agora sobre corrupção de policias nas estradas, seja no Brasil, Argentina, Paraguai, EUA, Alemanha, Itália, etc, o motorista sempre tinha cometido alguma infração, estava sem algum item da documentação exigida ou sem algum dos itens de segurança obrigatórios, e nestes casos, a chance de você achar um policial corrupto que queira dinheiro para lhe liberar sem multa é igual a do Brasil. Então o negócio é resistir a tentação de pisar fundo no acelerador naquelas retas imensas e desertas do interior da Argentina, prestar atenção na sinalização para tentar não cometer infrações, ir com toda documentação correta e providenciar os itens de segurança exigidos, assim você não vai ficar dando motivo para algum policial corrupto lhe extorquir dinheiro.
  3. Não posso lhe ajudar, só posso lhe desejar boa sorte nas suas pesquisas. Mas uma coisa para você pensar... Se Myeik é realmente "último paraíso ainda não explorado no sudeste asiático", não seria este o motivo de você não estar nada concreto na internet? Por que realmente quase ninguém foi até lá! Então se você resolver ir para lá, acho que vai ter que encarar isto como uma aposta, e esperar que tenha acertado na aposta e o lugar realmente seja bom, mas já sabendo que por ser uma aposta meio as cegas, também pode não ser tudo aquilo que você imaginou.
  4. Eu não comprei do Hurb, mas já usei outro site que oferece o mesmo tipo de pacote, foi a uns 2 anos atrás, e no nosso caso deu tudo certo, e foi super barato. Lembre que você precisa comprar 2 pacotes para a promoção ser válida, ou então achar uma outra pessoa que tenha comprado o mesmo pacote para viajar junto com você e dividir o quarto com você. Pegando o que se paga nos dois pacotes, dá mais ou menos o custo que o Hurb terá com o pacotes, ou seja, estes pacotes promocionais que eles estão vendendo agora, a maioria é a preço de custo. O problema é você achar outra pessoa para viajar junto com você se tiver comprado só um pacote, e não poder escolher as datas da viagem, você vai ter que viajar na data escolhida pelo HURB, que pode acabar sendo justo quando você não pode viajar, e ai você ficar adiando e adiando a viagem, sem que lhe ofereçam uma data em que você pode viajar... E é ai que começam as reclamações, o pessoal compra sem saber como funciona, e depois quando são contrariadas por não conseguir viajar nas datas que gostariam, ou quando descobrem as multas e taxas contratuais por cancelamento com as quais concordaram ser ler, ficam criando caso nos sites de reclamações. Pessoalmente eu sempre vejo com bastante ceticismo as reclamações em site como ReclameAqui e similares, tem um pequeno numero de reclamações procedentes, mas a grande maioria absoluta das reclamações que aparecem nestes sites é sem razão nenhuma, simplesmente a pessoa não entendeu as regras ou não prestou atenção nas regras quando comprou, e depois quando é confrontada com a realidade, fica dando piti na internet. Neste momento também tem que dar um "desconto" com as reclamações relacionadas aos cancelamentos causados pelo COVID, todo mundo que trabalha com viagens está super sobrecarregado com um volume gigantesco de atendimentos pedindo adiamento ou cancelamento, e as empresas não estão dando conta de atender todo mundo com agilidade, e provavelmente também não vão ter dinheiro para fazer todas as devoluções rapidamente, pode ser que leve alguns meses até conseguir devolver tudo, isto se não acabarem falindo antes devido a crise... Mas eu também tenho o mesmo receio da Nani84, mesmo que eles estejam vendendo estes pacotes a preço de custo sem prejuízo, eles podem acabar precisando deste dinheiro para cobrir o caixa de agora, e lá no ano que vem, que é quando você viajaria, eles não terem condições de honrar todos os pacotes vendidos, ou acabarem falindo devido a crise sem precedentes que o COVID causou. Pessoalmente, neste momento eu não compraria nada para uma data tão longa, não tem como saber como as empresas do setor de turismo vão sobreviver a esta crise, uma boa parte delas infelizmente vai acabar falindo e desaparecendo nos próximos meses. Mas em fim, se já comprou, só podemos desejar boa sorte, e esperar que você tenha entendido como funciona antes de comprar, para não ser mais um a reclamar sem razão nos sites de reclamações caso não consiga viajar nas datas que deseja, lhe colocarem num hotel ruim, ou cobrarem uma multa salgada pelo cancelamento...
  5. Ao pedir estorno, você tem que apresentar um motivo válido e aceito pela operadora de cartão, não é só pedir o estorno por que você quer estornar, eles analisam o motivo apresentado, e somente se avaliarem que é um motivo válido, ou se tem indício de fraude, é que eles fazem o estorno, e eu tenho grandes dúvidas de que o cancelamento do voo pela epidemia de covid-19 seria um motivo válido para eles aprovarem o estorno, pois esta situação já está coberta por outra legislação, que dá 12 meses para a companhia fazer a devolução em dinheiro ou créditos para outro voo.
  6. O problema é você conseguir comprar peso mexicano com uma cotação decente no Brasil, como é uma moeda "exótica", pouco negociada, a maioria das casas de câmbio nem tem Pesos Mexicanos para vender, e as que tem, praticam uma taxa bem ruim, com ágio de 30% ou 40%, a título de comparação o ágio no dólar costuma ser de 3%. Ou seja, qualquer ganho que você teria comprando pesos ao invés de dólares, você vai perder no ágio de 30% ou 40% que as casas de câmbio cobram sobre os pesos mexicanos. Também tem que levar em conta que o mesmo que aconteceu com o Real em relação ao dólar, também aconteceu com o peso mexicano em relação ao dólar, o peso mexicano também se desvalorizou em relação ao dólar. Ou seja, hoje com os seus Reais você passou a conseguir comprar menos dólares, mas em compensação estes dólares compram muito mais pesos mexicanos, por que peso mexicano também se desvalorizou um monte em relação ao dólar, o que acaba compensando a desvalorização do Real perante o Dólar. Claro que a crise tem uma forte contribuição na alta do dólar, e o dólar pode voltar a ficar abaixo do R$ 5 daqui a alguns meses, mas questão do ágio de 30% ou 40% do peso mexicano sempre existiu e vai continuar a existir, e isso vai continuar fazendo com que comprar diretamente pesos mexicanos ou qualquer moeda "exótica" no Brasil sempre seja um péssimo negócio.
  7. Se você se preparar bem, e viajar ciente do frio e das limitações que o inverno impõe no seu roteiro, e fizer um roteiro adequado ao frio, dá para aproveitar e se divertir bastante também no inverno. Mas pessoalmente eu tentaria deixar as passagens em aberto, sem marcar uma data agora e nem nos próximos 2 ou 3 meses, pois por mais que a pior fase tiver passado, mesmo lá por novembro/dezembro, ainda pode existir algum tipo de restrição ou quarentena obrigatória para estrangeiros. Pessoalmente eu deixaria a data da viagem em aberto neste momento, e deixaria para marcar uma data lá por agosto ou setembro, quando acredito que já teremos uma definição melhor de como estarão as coisas em novembro ou dezembro.
  8. Desde 2006 eu tenho uns R$ 500 a receber da Varig, corrigidos hoje daria quase 2 mil Reais, também tenho uns 50 Euros da receber da Air Berlin desde 2017, referente a voos cancelados, mas como ambas as empresas faliram logo depois de cancelarem os voos, este é um dinheiro que nunca vou receber de volta, e agora tenho estes 3 mil da American Airlines que não sei quando vou receber... Então infelizmente neste momento, a única coisa que podemos fazer é torcer para as empresas não falirem, e que em algum momento no futuro elas consigam fazer algum reembolso ou oferecer crédito para outros voos, ou seja, o que vier será lucro.
  9. Acho que é bem difícil você conseguir alguma coisas rapidamente. As companhias aéreas estão passando por uma crise imensa neste momento, a grande maioria não tem nem dinheiro para pagar os salários do próximo mês, muito menos fazer devolução de valores para clientes. Estão todas desesperadas atrás de empréstimos dos governos dos seus respectivos países, para conseguir algum dinheiro que lhes permita sobreviver aos próximos meses sem falir, e quem sabe no futuro conseguir reembolsar alguma coisa aos clientes, seja em dinheiro ou crédito para voos futuros. A lei vigente também já estabelecia prioridades bem claras para pagamentos pela empresas em dificuldades ou em recuperação judicial, o pagamento dos salários dos funcionários tem prioridade absoluta, depois os empréstimos com garantia, impostos, fornecedores, empréstimos sem garantia, e a devolução de valores pagos para os clientes, é a última da fila. Alem disto, a medida provisória que o governo publicou algumas semanas atrás estabeleceu novos prazos para as devoluções/reembolsos para os consumidores, agora o prazo é de 12 meses. Tudo isto tem o objetivo de dar um mínimo de folga para as companhias aéreas neste momento, para que elas tenham ao menos um mínimo de chance de conseguir sobreviver a crise, e assim no futuro conseguir devolver alguma coisa, pois se todas fossem obrigadas a fazer os reembolsos imediatamente neste momento, os primeiros 10% dos clientes receberiam algo, mas os 90% restantes não receberiam nada, pois a empresa iria a falência já no primeiro mês. Ou seja, este é um dinheiro que você não pode contar com ele, pois a lei é bem clara, as devoluções/reembolso agora tem prazo de 1 ano, e acho que todas as empresas vão adotar este prazo, pois se começarem a fazer reembolsos agora, elas simplesmente irão falir em menos de 30 dias, e aí sim a grande maioria dos clientes fica sem receber nada. Eu também tenho uns 3 mil em passagens compradas que não sei quando vou receber de volta, isto se eu receber alguma coisa, é um dinheiro que eu já não estou mais considerando com ele, pois se receber algo, vai ser daqui a um ano.
  10. Pelo que eu sei, esta questão ainda está meio confusa... A regra sempre foi considerar 1 ano a partir da data da compra, mas parece que a Medida Provisória que o governo publicou a algumas semanas, alterou esta regra até o final de 2020 para considerar a data da viagem. Como são muitas alterações e problemas para as companhias resolverem de uma hora para a outra, e cada país com regras diferentes, parece que algumas empresas ainda estavam considerando a data da compra e não a da viagem. Imagine a situação da Air China, ou outra grande companhia internacional, que tem voos para mais 40 ou 50 países diferentes, onde cada um destes países fica publicando leis quase toda semana mudando as regras, é quase impossível você conseguir saber e atender imediatamente a todas as alterações de todos os países. E para piorar, agora os governos publicam medidas provisórias onde a alteração das regras começa a valer imediatamente, diferente do que acontecia antes, que dava tempo de 30 ou 90 dias para a alteração entrar em efeito, o que dava tempo de as companhias aéreas ajustarem os seus processos para se adequar as novas regras. Então se considerarem a data errada, tem que ter um pouco de paciência neste momento, e tentar novamente daqui a alguns dias ou semanas, são tantas alterações nas regras ocorrendo semanalmente no mundo todo, que as grandes companhias aéreas globais estão tendo alguma dificuldade de se manter atualizadas com todas as alterações de regras que estão ocorrendo.
  11. Alem do que o pessoal já comentou, num roteiro como o seu, onde você pretende passar por regiões de clima extremo, é muito importante você ajustar o cronograma da sua viagem de acordo com o clima. Para por exemplo não acabar lá no Peru e Colombia bem no meio da temporada de chuvas, ou pegar um calor insuportável no deserto, ou acabar lá no Canada no inverno canadense, época em que você não conseguirá fazer ou aproveitar nada. Então pode acontecer de que depois que você tiver o cronograma da sua viagem definido, você pode por exemplo acabar percebendo que estaria lá no Canadá em Novembro/Dezembro, no inverno, uma época horrível para estar no Canadá, e neste caso ser melhor adiar a saída de janeiro para abril ou maio, para chegar no Canadá na primavera/verão...
  12. Olá, seja bem vinda. Como diria um ditado popular, acho que "você está colocando a carroça na frente dos bois"! Você está pensando em agência para fazer a travessia do salar de Uyuni, uma coisa que você escolhe poucos dias antes da viagem, ou lá em Uyuni mesmo, sem ter pensado na viabilidade do roteiro como um todo, e na documentação necessária. Por exemplo, para entrar na Nova Zelândia você precisa ter passaporte e precisa solicitar Visto antes de viajar, e nunca deve se contar como fato certo conseguir o visto, pois você simplesmente pode ter o visto negado, e todo o seu plano ir por água abaixo. Então antes de qualquer coisa, você precisa fazer um esboço do seu roteiro, listando quais países pretende passar durante o seu mochilão, e verificar a documentação necessária para entrar em cada um deles. Em alguns países, como os aqui da América do Sul, você consegue entrar com o RG, mas em outros países precisa de passaporte. Nos países onde é necessário passaporte, em alguns não precisa de visto, só é necessário ter o passaporte, passagens marcadas indo embora do país, reservas de hospedagem e dinheiro suficiente, mas em outros países precisa emitir um visto antes de viajar, em alguns casos o visto pode ser solicitado pela internet, em outros você tem que enviar o passaporte pelo correio para o consulado em Brasilia para receber ele de volta depois de alguns dias com o visto, mas também tem países onde você tem que ir pessoalmente até São Paulo ou Brasilia solicitar o visto no consulado do país. Então você precisa começar fazendo uma lista de países por onde você gostaria de passar, para então verificar e correr atras da documentação necessária para cada um deles. Depois que você tiver uma lista dos países, tente estimar quanto tempo ficaria em cada um deles, para ter uma noção dos custos, e se o seu dinheiro será suficiente para fazer aquilo que você quer. Pois de nada adianta você fazer um roteiro de 6 meses, saindo do RS e terminando na Nova Zelândia, passando por 20 países no caminho, se o seu dinheiro já acabar na Bolívia, no segundo ou terceiro país que você visitar.! É nesta parte do custo da viagem que a maioria das pessoas tem problema, depois que elas começam a pesquisar um pouco, e ver quanto que as coisas realmente custam, cai a ficha, e a maioria das pessoa se dá conta de que o dinheiro que elas tem não dá para fazer nem metade daquilo que elas imaginaram. Depois que você tiver estas questões principais definidas, você parte para o micro-planejamento, que é comprar as passagens, procurar hotel, procurar agência para os passeios, etc... Mas antes de chegar nesta faze você tem bastante outras coisas para pensar e correr atras.
  13. Algumas contas e algumas especulações: Na baixa temporada, a diária no hotel que eles sugerem no pacote custa normalmente uns R$ 250 por noite para um quarto duplo, então multiplicando por 8 noites, daria uns R$ 2.000 de hotel para duas pessoas. Passagens SP x Amsterdam, ou Rio x Amsterdam na baixa temporada, você consegue achar com certa facilidade por R$ 2.500, até por menos, se pegar alguma promoção. Então considerando uma viagem para duas pessoas, somando as passagens (2 x R$ 2.500) + o hotel (R$ 2.000), daria uns R$ 6.000 a R$ 7.000 fazendo fora do pacote. Agora se for fazer via pacote, como tem que comprar 2 pacotes de R$ 2.000, na verdade o gasto será de R$ 4.000. Ou seja, por conta própria uma viagem de 2 pessoas custaria 6 ou 7 mil, no pacote sairia por 4 mil, um desconto de 30% a 40%. Agora como que o Hurb conseguiria oferecer um desconto tão generoso? O Hurb compra um lote grande de passagens aéreas, então deve conseguir um bom desconto das companhias aéreas neste momento que o movimento está fraco, supondo que eles consigam fechar com a KLM um lote de passagens por R$ 1.500, 2 passagens custariam para o Hurb R$ 3.000. Também aproveitando o movimento fraco, supondo que também consigam um bom desconto nas diárias dos hotéis por fecharem um pacote grande de diárias, e supondo que consigam fechar um lote de diárias por R$ 150, 8 noites custariam R$ 1.200 Então especulando um pouco, em teoria, se o Hurb conseguiu fechar um lote de passagens e diárias de hotel com um bom desconto, este pacote para duas pessoas teria um custo próximo de R$ 4.000 para o Hurb, mas os 2 pacotes são vendidos por R$ 2.000 cada, gerando uma receita de R$ 4.000 Ou seja, se o Hurb realmente conseguiu fechar um lote de passagens e diárias com um bom desconto, em teoria eles estariam vendendo estes pacotes a preço de custo, sem lucro e em teoria, teriam condições de honrar a oferta sem tirar dinheiro do bolso. Mas eu concordo, que comprar um pacote neste momento é uma decisão meio arriscada, não sei se eu teria coragem de comprar um pacote destes agora, pois vai saber como a crise do setor de turismo vai evoluir nos próximos meses, o Hurb pode acabar usando este dinheiro dos pacotes vendidos agora para cobrir as despesas de hoje, e lá no final do ano, ou ano que vem, quando você iria viajar, eles não terem condições de honrar os pagamentos da KLM e do hotel, e você acabar sem passagens ou hotel confirmado... Mas em todo caso, boa sorte!
  14. Exato, ao pagar antecipado, o consumidor está assumindo o risco, e a contra-partida (desconto) para você assumir o risco tem que ser boa. Se o desconto por pagar antecipado for pequeno, 10% ou menos, geralmente não vale a pena assumir este risco, mas se o desconto for bom, acima de 20%, já vale a pena pensar em assumir este risco. Pessoalmente as únicas coisas que eu pago antecipado com bastante antecedência, são as passagens de avião e trem, pois o desconto comprando antecipado é bem generoso. Alem das passagens, a única outra coisa que eu pago antecipado, são atrações turística onde os ingressos realmente esgotem semanas ou meses antes, ou seja, atrações onde realmente você não vai conseguir achar ingresso na hora, mas estes locais são bem poucos, dá para contar nos dedos das mãos e ainda sobrar dedos... Nas passagens aéreas e de trem, você consegue ter desconto de 50% ou 70% comprando antecipadamente em relação ao preço poucos dias antes da viagem, então vale a pena assumir este risco. Mas nos hotéis, passeios, etc, o desconto para pagamento antecipado costuma ser pequeno, de 5%, ou no máximo 10%, então geralmente não vale a pena assumir o risco.
  15. Então... É uma situação sem precedentes na história, a última vez que o mundo viveu algo parecido, foi em 1918, com a gripe espanhola, e naquela época, a realidade do mundo era bem diferente da atual, não havia todo este transito de pessoas entre os países, então não tem como saber como as autoridades vão reagir nos próximos meses, acho que tudo vai depender de ocorrer ou não uma segunda onda de infecções e de como vai se alastrar pelos demais países, pois somente agora o covid está começando a se espalhar com mais força no hemisfério sul, e o inverno ainda está pela frente no hemisfério sul, e pelas projeções, o pico em muitos países ainda não atingidos com gravidade, pode ocorrer daqui a 3 ou 4 meses. Ou seja, a situação pode estar controlada na Europa, mas o foco pode ter se deslocado para outros países, e o fechamento de fronteiras até setembro que está sendo cogitado, seria para impedir que não ocorra uma segunda onda de infecções, desta vez trazida de volta por pessoas vindas destes países afetados tardiamente. Agora em relação aos voos de conexão, não estou achando novamente, mas eu li em algum lugar que passageiros em transito, onde você só estiver transitando pelo aeroporto fazendo uma conexão para um terceiro país, continuariam a ser permitidos, não seriam afetados pelo eventual lock-down para estrangeiros. Mas aí entra uma outra questão, na sua situação hipotética, se a Alemanha a estiver com fronteiras fechadas para estrangeiros, será que haveria passageiros suficientes para a companhia aérea manter o voo? Não sei se um voo Brasil x Alemanha se sustentaria só com passageiros alemães que não teriam restrições, ou se o voo entre Alemanha e Londres se sustentaria só com britânicos, numa situação hipotética como esta, a companhia aérea poderia acabar cancelando o voo por falta de passageiros, ou no mínimo operar com frequências reduzidas, uma ou duas vezes por semana... O seu caso é um pouquinho mais complexo... França, Bélgica, Holanda, Alemanha, etc fazem parte da União Europeia/Tratado Schengen, e muito provavelmente vão adotar uma regra unificada para todos os países, pessoalmente eu acredito que dificilmente vão chegar a um ponto de cada país fechar as suas fronteiras individualmente, pessoalmente eu acho que vão chegar a um acordo e ter uma regra unica para todos os países membros. Mas o problema é o Reino Unido, que não faz parte da União Europeia/Tratado Schengen, e por causa disto há uma chance maior de o Reino Unido ter uma regra diferente dos demais países, e neste caso, você pode conseguir entrar na França, Bélgica, Holanda, mas pode não conseguir entrar no Reino Unido caso eles estejam fechados, e por causa disto não conseguir pegar o voo de volta... Mas como é tudo especulação, e nada está definido por enquanto, pessoalmente eu não tomaria nenhuma decisão agora, esperaria até umas 2 ou 3 semanas antes da viagem para tomar uma decisão, pois não tem como saber como vai estar, tudo é conversa e especulação por enquanto, o que realmente vai ser implantado ainda está em negociação e pode sair algo bem diferente daquilo que está estão conversando ou pensando. E se realmente implantarem alguma restrição total ou por país, válida até setembro, há grande chance de a companhia aérea cancelar o seu voo, e ai você tem condições melhores de devolução/reembolso do valor pago do que se tomar a iniciativa e cancelar agora, e tem mais argumentos para tentar negociar alguma devolução/cancelamento das diárias dos hosteis.
  16. Realmente este assunto do possível "fechamento" da Europa para estrangeiros até setembro está em discussão também aqui na Alemanha já faz algumas semanas, e vem ganhando mais força a cada dia que passa. Mesmo que não tenhamos um acordo único envolvendo todos os países do Tratado Schengen/Europa, alguns países individuais já estão sinalizando que vão fechar as suas fronteiras por vários meses independente de uma decisão unificada da União Europeia ou não, e se um fechar, outros vão querer fechar também, e ai podemos ter uma situação onde metade dos países estarão com fronteiras fechadas e metade aberto... Mas como tudo é incerto neste momento, e envolve muitas questões políticas, não dá para dar certeza de nada neste assunto. Mas eu concordo com o que o pessoal falou, agora não é o momento de tomar qualquer decisão, espere até algumas semanas antes da sua viagem, pois se realmente cancelarem a fecharem as fronteiras, provavelmente as companhias aérea irão cancelar ou remarcar o seu voo, e ai você poderá cancelar ou alterar as passagens em condições mais favoráveis para você do que se você cancelar agora.
  17. Uma coisa que você tem que ter em mente quando pensa em viajar para SC, é o clima da época da sua viagem. Pois o clima da SC vai dos extremos, super quente no verão, e super frio no inverno, e o tipo de atividades e locais bons para se conhecer mudam de acordo com a época do ano em que você for viajar, por exemplo, litoral e praias não são muito recomendáveis entre abril e setembro, já o ponto alto do interior e serra, são os meses de inverno, entre junho e agosto... Ou seja, seria muito recomendável você falar em qual mês está pensando em viajar, e claro falar um pouco mais sobre os seu perfil, quais os seus interesses, que tipo de atividade gosta ou gostaria de fazer, se vai viajar de carro ou se vai de avião/ônibus, etc, pois para cada tipo perfil tem atividades e locais mais ou menos adequados aos seus gostos e interesses. Ou seja, você tem que falar um pouco mais, pois está tudo muito vago, é bem complicado lhe ajudar com algo com uma pergunta tão vaga assim.
  18. Situações como a sua, me fazem reforçar ainda ainda mais a minha convicção e reafirmar ainda mais veementemente o que eu venho sugerindo e aconselhando as pessoas a vários anos aqui no fórum: Compre e pague antecipado somente aquilo que for realmente necessário, comprar e pagar tudo antecipado, é pedir pra ter problemas, pois na prática, quando você estiver lá em Paris, as chances de as coisas não saírem como você planejou na sua cabeça ou no papel são imensas. Você pode ter algum problema de saúde ou de força maior que faça você ter que cancelar ou adiar a viagem, o avião pode quebrar e você chegar 2 dias atrasado no destino, o clima pode não colaborar com os seus planos e isto pode estragar o seu planejamento do dia-dia, etc... E ai mudar os planos ou cancelar as coisas vai lhe causar muita dor de cabeça e prejuízos. E quando mais coisas você tiver comprado e pago antecipadamente, maior a dor de cabeça que você vai ter, e maiores serão as suas perdas caso precise cancelar ou adiar a viagem por algum motivo. Pessoalmente as únicas coisas que eu pago antecipado são as passagens aéreas e de trem, hotel eu reservo antecipadamente, mas sem pagamento antecipado e com cancelamento gratuito até 2 dias antes, o resto eu deixo para comprar e pagar lá na hora mesmo, ou no máximo alguns dias ou semanas antes, mas somente quando realmente for realmente necessário comprar antes. Nos meus mais de 15 anos viajando frequentemente várias vezes por ano, já teve umas 3 ou 4 vezes em que precisei cancelar alguma viagem já paga por algum motivo que fugiu do meu controle, mas como eu tento pagar antecipado somente o que realmente for necessário, as minhas perdas foram bem pequenas. Por exemplo, ano passado tive que cancelar uma viagem para os EUA por motivos de força maior, e a única perda que eu tive, foram 100 dólares da multa pelo cancelamento do voo, o resto eu consegui cancelar sem custo por que eu ainda não tinha pago nada antecipado. Mas como agora não tem mais o que você possa mudar, mantenha a calma e a esperança, torça para que esta situação melhores logo, que as empresas consigam sobreviver a esta crise sem precedentes na história, para que quem sabe nos próximos meses você consiga recuperar alguma coisas, seja em dinheiro ou em créditos para utilização futura.
  19. Recuperação Judicial significa que a empresa está virtualmente falida, praticamente sem dinheiro para nada. É um mecanismo judicial extremo, decretado por um juiz, e que se usa em ultimo caso, para suspender as cobranças e pagamentos, e assim ter algum tempo para pensar em um plano para tentar salvar a empresa, e caso consigam salvar a empresa, no futuro pagar as dívidas. Algumas empresas conseguem se salvar na recuperação judicial, e depois de algum tempo pagar as dívidas, mas maioria infelizmente acaba mesmo falindo e ninguém recebe nada. Eu não diria que é ser roubado, a grande maioria das empresas do setor de turismo simplesmente não tem dinheiro para fazer as devoluções neste momento, a maioria das empresas do setor de turismo não sabe nem se vai ter dinheiro para abrir semana que vem, todas correm grande risco de simplesmente falirem nos próximos dias por falta de dinheiro. As empresas tem dezenas, centenas ou mesmo milhares de funcionários que estão dando duro e fazendo o máximo possível para tentar resolver os problemas dos clientes, e funcionários estes que acordam toda manhã sem saber se a empresa onde trabalham não faliu e sem saber se vão receber o salário do mês. Imagine você acordar toda manhã, para encarrar uma multidão de clientes bravos, sem saber se a empresa vai ter dinheiro para pagar o seu salário no final do mês. Mas como faz uns 2 meses que as empresas de turismo não vendem mais nada, o dinheiro está acabando, e neste momento estão priorizando o pagamento dos funcionários que ainda estão trabalhando e dados duro para tentar resolver a situação. Tenho um amigo que é gerente de hotel, ele comenta que não sabe como vai fazer para pagar o salário dos funcionários no final deste mês, muito menos devolver algum valor aos clientes que já pagaram antecipado, pois faz quase 30 dias que não entra um centavo na conta do hotel, o dinheiro que eles tinham, usaram para pagar os salários do mês passado, mas para os salários do mês atual, eles não tem mais dinheiro, estão negociando com os funcionários para pagar somente metade do salário nos próximos meses, e tentando levantar um empréstimo no banco para pagar ao menos metade dos salários... A legislação mesmo antes desta crise toda também já estabelecia uma ordem de prioridade de pagamentos em caso recuperação judicial, os primeiros a receber algo são os funcionários, depois empréstimos com garantia, pagamentos de impostos, fornecedores, etc, e os consumidores são os últimos da fila para receberem alguma coisa. No mundo todo também foram promulgadas leis adicionais protegendo as empresas, dando prazo de até 12 meses para devolver valores pagos ou dar um voucher para você usar em outra data, para assim ao menos tentar salvar algumas empresas, para que elas tenham alguma chance de sobreviver e tentar em algum momento conseguir devolver aos clientes os valores já pagos ou prestar os serviços contratados em outra data. Ou seja, você pode até não concordar e achar que está sendo prejudicado, mas as empresas não estão fazendo isto intencionalmente, o dinheiro simplesmente acabou, e elas não tem de onde tirar dinheiro neste momento para lhe devolver, e a princípio elas estão amparadas pela lei neste momento de exceção, que ninguém previu ou imaginou que algum dia poderia acontecer. O que nos resta agora, é ter paciência, e torcer para que as empresas consigam sobreviver a esta crise, e que consigamos algum tipo de reembolso ou crédito no futuro. Eu também tenho uns 6 mil em passagens já pagas que eu não sei quando vou conseguir receber de volta, isto se conseguir receber alguma coisa, pois a empresa simplesmente pode falir antes de conseguir devolver alguma coisa aos clientes. https://www.melhoresdestinos.com.br/alteracao-reembolso-passagens-aereas-novas-regras-coronavirus.html
  20. Não esqueçam de levar em conta a disparada do Euro! Desde o dia em que Giulia postou a ideia do roteiro pela primeira vez, o euro comercial subiu 35%, passando de R$ 4.30 para um pico de R$ 5.80 e hoje está oscilando perto de R$ 5.60, e uma viagem que em 2019 custava 20 mil, hoje fazendo exatamente o mesmo, custaria uns 27 mil... E ninguém sabe qual valor vai estar lá em 2021, pode ter caído um pouco e voltado a ficar abaixo dos R$ 5, mas também pode ter encostado nos R$ 7.00... Tirando uns 2.5 a 3 mil Reais para as passagens Brasil x Europa x Brasil, tirando mais uns mil reais para passaporte, seguro, roupas de frio, etc, arredondando, sobrariam uns 21 mil Reais para o resto. Convertendo 21 mil reais pela cotação de 5.80 de hoje, daria uns 3.600 euros. Descontando uns 300 euros de passagens locais lá na Europa, arredondando, sobrariam uns 3.300 Euros para hospedagem, alimentação, passeios, etc.. Dividindo 3300 euros por 40 dias, dá uns 82 Euros por dia para você gastar com hospedagem, alimentação, passeios, etc.. Em locais como Londres, Paris, Barcelona, Veneza e Florença, 82 euros não é um orçamento folgado, mas em locais como Lisboa, Porto, Roma, já é mais folgado. Se ficar hospedada em hostel, você não vai passar aperto com 82 euros por dia, mas também não pode sair por aí gastando sem pensar, mas se gastar de forma consciente, com 80 euros por dia dá para aproveitar bem e fazer muita coisa. Mas isto tudo só vale se o euro se mantiver na cotação atual, se lá em 2021 ele tiver subido para uns 7 reais, 20% do seu orçamento simplesmente evaporaram e desapareceram, e os seus 40 dias relativamente folgados com 80 euros, terão virado 40 dias apertados com 60 euros! Então num planejamento a tão longo prazo, e num momento de tanta incerteza, você sempre tem que manter o seu roteiro bem flexível, para poder reduzir ou aumentar a duração de acordo com a cotação do Euro nas datas da sua viagem, pois uma disparada na cotação do Euro pode fazer com que 20% ou 30% do seu orçamento evaporem em uma semana, e com isto você ter que cortar uma semana de viagem para caber no seu orçamento!
  21. poiuy

    Pacotes HURB

    O pacote só vale se forem 2 pessoas. Ou seja, se você comprar o seu pacote, tem que conseguir achar alguém que também tenha comprado o mesmo pacote e que possa viajar junto com você, nas datas que o Hurb escolher, o que pode ser complicado se você já não comprar logo 2 pacotes. Se não achar ninguém para viajar junto com você, você paga a diferença de preço referente a segunda pessoa, e ai vai ficar bem mais caro do que fazer por fora, por conta própria. Eu não sei se eles são flexíveis em relação ao hotel, a hospedagem geralmente é em hotéis conveniados deles, em quarto duplo, e dividir um quarto duplo em duas pessoas, costuma ser mais barato por pessoa do que um hostel para uma pessoa. E novamente, se não achar ninguém para dividir o quarto com você, você paga a diária inteira sozinho. Este tipo de pacote até pode ser interessante para quem vai viajar em casal, ou já tem um amigo certo para viajar junto com você, mas comprar um pacote individual, para depois correr atrás de alguém que possa ir junto, é furada, as chances de você conseguir achar alguém para ir junto são pequenas, e não ter controle sobre as datas da viagem, só deixa ainda pior conseguir achar alguém para ir junto. Então pessoalmente, eu só consideraria comprar um pacote destes, se for viajar em casal, que foi o nosso caso, fomos eu e minha esposa, ou então se já tiver combinado e acertado com um amigo para comprar o mesmo pacote. Comprar um pacote para uma pessoa só e depois correr atras de alguém para ir junto, é furada!
  22. Com todo este problema do Corona Virus você ainda quer fazer esta viagem agora em maio? Eu tenho grandes dúvidas em relação a situação já ter voltado a normalidade até maio. Mas segue sugestão de leitura para você montar o seu roteiro: https://www.google.com/search?q=viagem+de+moto+serra+catarinese
  23. Além do que já falaram, tem várias cidades por ai onde colocaram policia na entrada da cidade, e só passa se você for morador da cidade e tiver uma justificativa para sua viagem. Eu também já estou de saco cheio de ficar em casa, mas fazer o que, temos que aguentar fortes, para que passe logo. Então sossegue um pouco, espere passar esta fase, neste momento você não vai conseguir fazer nada, alem de correr grande risco de não conseguir achar lugar para dormir, também corre risco até de passar fome na estrada...
  24. Sim, vai precisar de um pouco de paciência. Pois atualmente já está complicado de conseguir resolver mesmo quando é direto com a companhia aérea. Da mesma forma que você está tendo problemas em resolver as coisas com a Decolar, a Decolar também está tendo dificuldades em resolver as coisas com a Air China, e isto vira uma reação em cadeia, pois a Decolar só vai conseguir resolver a sua situação depois que eles conseguirem resolver a situação deles com a Air China... Mas passagens aéreas tem "validade" de 1 ano a contar da data da compra, ou seja, até 1 ano depois da data da compra você ainda pode pedir devolução do dinheiro de passagens não usadas. Normalmente teria a cobrança da multa de No-Show nestes casos de voos não usados, e seria descontado do valor a receber de volta, mas isto foi abonado e não será cobrado nos voos afetados pela crise.
  25. Claro que depende das suas necessidades pessoais, mas eu também concordo com a Juliana, veja se você realmente precisa tão desesperadamente estar 100% online o tempo todo. Começo do ano eu estive em Buenos Aires por 5 dias, e usei somente wi-fi do hotel, restaurantes, bares, etc que frequentei, usei bastante o google maps offline, e antes de sair, aproveitava a wi-fi do hotel para dar uma olhada nas rotas de ônibus/metrô que eu precisaria pegar, e tirava print para lembrar depois...
×
×
  • Criar Novo...