Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

samanthavasques

Membros de Honra
  • Total de itens

    1.571
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

samanthavasques venceu a última vez em Fevereiro 22 2018

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

82 Excelente

1 Seguidor

Sobre samanthavasques

  • Data de Nascimento 24-04-1986

Últimos Visitantes

678 visualizações
  1. Ah e só para reforçar, nessa mesma viagem ainda entrei outra vez na Europa sem passagem de volta, depois de ir ao Marrocos retornei para Viena voando, e dessa vez nem passagem low cost eu tinha porque dali pra frente seria tudo terrestre por uns bons meses. Também entrei em Viena que é espaço Schengen sem problema nenhum e sem comprovante de nada
  2. Ah e uma passagem para qualquer outro país fora do Schengen serve perfeitamente, o que eles querem saber não é se você vai voltar para o Brasil, mas sim se você tem uma passagem para sair de Portugal
  3. Olha, tudo que a galera falou aí em cima é verdade mesmo e o risco sempre existe, mas os oficiais de imigração são muito bem treinados para reconhecer só na conversa, sem nem ver comprovante de nada, quem é que está a turismo e quem pretende ficar ilegal. Eu fui com a passagem só de ida porque peguei com milhas. Se tivesse comprado teria pego a ida e volta para não ter dor de cabeça, mas com milhas acabei não tendo essa opção (a não ser que gastasse o dobro de milhas, mas já contava com elas para o próximo deslocamento, não podia me dar esse luxo) Ainda no aeroporto aqui no Rio o funcionário da TAM me perguntou porque eu não tinha passagem de volta. Falei a verdade, que minha viagem era longa, que da Europa eu iria para a África por via marítima, então não tinha volta, que eu tinha planejado voltar só em 10 meses mas que não ficaria na Europa. Embarquei sem mais nenhuma pergunta. Cheguei por Londres, que é sabidamente uma das piores imigrações da Europa. Não vou dizer que foi tranquilo, fiquei uns 15 minutos conversando com o agente da imigração e explicando minha situação. A única coisa que eu tinha dali pra frente era uma passagem low cost para a Irlanda. Eles não são trouxas, eles sabem que essas passagens são muito baratas e que você pode simplesmente jogar no lixo, então no fundo o que vale mesmo é sua história. Nessa conversa rolou de tudo, qual o roteiro que eu tinha planejado (é claro que não detalhadamente, mas ter um esboço geral da sua rota), quanto tempo eu ía ficar no Reino Unido, como que eu tinha juntado dinheiro para uma viagem desse tipo, quando que eu pretendia voltar para casa, etc. Mas tudo só na conversa mesmo, sem comprovante de nada. Na Europa é relativamente comum as pessoas tirarem ano sabático e não espanta nenhum oficial da imigração, mas o sangue latino sempre desperta suspeitas. No entanto, o meu caso tem uma diferença que é muito significativa do seu. Era a segunda vez que eu estava entrando na Inglaterra, e eu já tinha viajado para um monte de outros países, o passaporte tava lotado de carimbo, tudo a turismo. No seu caso, como você disse que será um primeiro mochilão, um passaporte em branco desperta bem mais suspeitas, então na sua situação eu não arriscaria fazer o mesmo.
  4. O melhor é comprar uma passagem ida e volta com no máximo 3 meses de intervalo entre a ida e a volta. A maioria das companhias aéreas cobram muito caro por passagens somente de ida, sai praticamente o mesmo preço de comprar a ida e a volta. o intervalo máximo tem que ser de 90 dias porque é a permanência permitida dentro do espaço schengen
  5. Tá ótimo! Vai aproveitar bastante!
  6. Eu não conheci Malaga, mas gostei bastante de Cadiz, fiquei 2 dias mesmo. Fui para lá saindo de Sevilha, e de lá cruzei para o Marrocos, mas no seu roteiro Cadiz vai acabar ficando um pouco fora de mão mesmo, de repente valeria mais a pena fazer como bate e volta de Sevilha (não sei se é viável, não me lembro o tempo de viagem), ou trocar mesmo por Málaga que é mais caminho...
  7. Na verdade a cotação do cartão de crédito é melhor que a da casa de câmbio, o que compensa em parte o iof mais alto. Eu prefiro usar o cartão de crédito por segurança, viajo com dois de bandeiras e bancos diferentes para evitar imprevistos como bloqueios. O que levo em dinheiro geralmente é só para emergência, não é com intuito de gastar durante a viagem. Mesmo quando viajo para países que não tem problemas com criminalidade, só de pensar no deslocamento da minha casa pro aeroporto já vale pagar a taxa do cartão para não correr riscos
  8. Bateu saudades dos velhos tempos dos encontros do Mochileiros rsrs
  9. Estava só de olho no assunto rs Cheguei aqui em 2007, de lá pra cá acho que o volume de informação e contribuição aumentou enormemente. Hoje dá para ir na busca e achar informações sobre destinos não muito populares que há 5 anos atrás nem sonhavam em aparecer pelo fórum Conforme o fórum foi se reestruturando o conteúdo prático ficou mais acessível, mas perdemos espaço para o bate papo e a socialização, o senso de comunidade que o Silnei falou. Gostaria que o pessoal novo que está ativo no fórum mas que não pegou essa época tivesse a mesma oportunidade de fazer amigos pra vida toda que eu tive no começo, tenho tantos amigos (daqueles de verdade mesmo) que conheci direta ou indiretamente através do Mochileiros, que sou eternamente grata ao fórum, e nunca deixo de aparecer por aqui, apesar de com frequência um pouco menor que naquela época.
  10. Ihhh não me lembro. Já faz uns 3 anos que fiz essa viagem. Não me lembro se esse trem foi direto ou se tive que fazer alguma troca... comprei lá na hora mesmo, não fiz nenhuma reserva online. Dá uma olhada no Rome2Rio, pra transporte público acho a simulação deles mais confiável que a do Google
  11. Ihhh não me lembro. Já faz uns 3 anos que fiz essa viagem. Não me lembro se esse trem foi direto ou se tive que fazer alguma troca... comprei lá na hora mesmo, não fiz nenhuma reserva online. Dá uma olhada no Rome2Rio, pra transporte público acho a simulação deles mais confiável que a do Google
  12. Eu fiz de trem saindo de Cordoba. Se você pretende alugar carro acho que não faz muita diferença de tempo entre as cidades, mas de transporte público a logística por Córdoba é mais fácil
  13. Concordo com tudo, também faria o mesmo! Ainda mais que vocês preferem as cidades pequenas, não vejo motivo para tantos dias em Madri. Toledo vale a pena dormir, de noite a cidade é linda! Eu deixaria 2 dias para Madri, 1 para Segóvia (não conheci, mas acredito ser suficiente) e ficaria os outros 2 em Toledo. Com os dias que sobram colocaria 1 a mais em Granada e em Córdoba. Acrescentaria também um bate e volta em Ronda que é linda e Cadis também vale a pena.
  14. possivel é, se vai ser bom é outra história. se sua intenção é só ter carimbo no passaporte faça, vai gastar um dinheirão de passagem aérea e ficar mais tempo voando do que nos lugares. se sua intenção é conhecer lugares, pessoas, culturas, se divertir, então escolha 2 ou 3 países que se encaixem mais no seu perfil e que tenham bom clima na época que você vai viajar
  15. Para esse tipo de viagem longa recomendo fazer com a World Nomads, pelo fato de a cobertura de países deles ser muito ampla, e por ter flexibilidade de datas, você pode ir estendendo o seguro. É um seguro mais caro, mas é o que o pessoal mais usa para viagens longas
×
×
  • Criar Novo...