Ir para conteúdo

Eduardo Brancalion

Membros
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

14 Boa

Últimos Visitantes

456 visualizações
  1. PAI, um vilarejo hippie na Tailândia . Não sei bem quando foi que descobrimos a existência de Pai, bem ao norte da Tailândia, a caminho de Myanmar. Mas a promessa de uma cidedezinha com uma vibe hippie nas montanhas chamou nossa atenção. Talvez por ter sido um importante polo na rota do ópio no passado, Pai tenha se tornado esse destino alternativo, que atrai os viajantes em busca de algo diferente do turismo de massa tão comum nas ilhas do sul, por exemplo. Apesar de não ser nenhuma reencarnação de Woodstock, ao chegar na cidade de 3 mil habitantes realmente a gente percebe o tal clima
  2. O Charyn Cânion se estende por 90 km ao longo do rio de mesmo nome, a 200 km de Almaty no sul do Cazaquistão e quase na fronteira com a China. Há 12 milhões de anos que o vento, a areia e as águas do rio vêm esculpindo as mais diferentes e intrigantes formas nas pedras avermelhadas do Cânion, formando um dos locais de natureza mais exuberante que visitamos no Cazaquistão. Chegamos tarde e tivemos que acampar no topo do Cânion, tendo sido surpreendidos no meio da noite por uma ventania das mais severas que já enfrentamos, que nos obrigou a fechar a barraca que ameaçava voar pelos céus e nos dei
  3. Diogo te mandei uma imagem com todos os gastos da viagem de 14 dias no Egito, na verdade eu deixaria mais alguns dias para conhecer o mar vermelho também. Post completo hem: http://pandoraontheroad.com.br/dicas-do-egito/
  4. WORLD NOMAD GAMES - QUIRGUISTÃO Nossa experiencia no pequeno país do Quirguistão, que fica na fronteira dos gigantes Cazaquistão e China fica para um próximo post, esse relato é sobre os Jogos Nômades, uma das experiencias mais increíveis que tivemos a oportunidade de participar em nossas vidas: Imagine jogos brutais, tribais realizados a seculos, em todos os países que tem o sangue nômade nas veias, todos reunidos em Cholpon-Ata, no lago Issyk- Kul, maior lago do país. Desde que ficamos sabendo da existência do World Nomad Games, que ocorrem a cada 2 anos desde 2014
  5. Primeiras Impressões do Egitão veio de guerra. Li em algum dos tantos blogs que visitei que “o Egito se vive, não se explica”. E é a mais pura verdade. Não tem como ficar indiferente em um país desses. As mais diferentes sensações se mesclam e se confundem ao mesmo tempo; uma mistura de exuberância e decadência, caos e esplendor. Poder ficar frente à frente com os templos gigantescos e construções milenares, onde viviam os Faraós e a mística dos deuses antigos é viver na pele as melhores aulas de História que tínhamos no colégio. Ao mesmo tempo em que se convive com muita miséria, um
  6. Percebo que a nacionalidade é um mero acaso e minha idade é só um número. Desapego daquilo que não faz mais sentido. Experiências em vez de subserviência. O desconhecido como força motriz. Os prazos e obrigações dão lugar ao compromisso com a estrada que leva cada dia a um novo destino. Coração que pulsa com a verdadeira emoção de viver, e não sobreviver aos dias que se acumulam na redoma cinza da rotina. Aprendi a ressignificar o conceito de casa, que perdeu as paredes e os tijolos, para virar o lugar onde eu estiver. Liberdade em sua plena existência assusta, porque ainda preciso aprender a
×
×
  • Criar Novo...