Ir para conteúdo

Alan Rafael Kinder

Membros
  • Total de itens

    84
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    8

Tudo que Alan Rafael Kinder postou

  1. Como a maioria das mochilas da Deuter, eu acredito que a ACT Lite teria sido uma boa compra, só mesmo quis ressaltar que se tratava de uma versão mais antiga, e dito isso, existe a opção atualizada deste modelo (naturalmente custará mais, mas também possui tecnologia mais recente, enfim, melhor desde que você acredite estar em um bom preço). Quando estive escolhendo minha cargueira, cheguei a consultar o encarte da Deuter desde 2017 (eles postam em PDF em sites estrangeiros), e fui acompanhando a 'evolução' dos modelos, e também o surgimento de novas linhas (como mochilas para atividades
  2. Buenas @ericksonsilva, só uma dúvida, você adquiriu uma Deuter Act Lite 65+10? Sugiro a leitura desse material que explica a mudança da nomenclatura da linha ACT para Air Contact. Em um breve resumo, quando falamos de uma Deuter ACT, estaremos falando da linha fabricada até 2017, pois a partir de 2018 houve uma reestruturação por parte da marca, qual ampliou seus produtos, e também modernizou as linhas existentes (como no caso a ACT para Air Contact). O modelo mais recente no mercado desta linha é a de 2018 (eu fiz uma puta pesquisa quando estava procurando minha cargueira).
  3. @SalgadoSJCentão, eu cogitei, porém tenho receio que esses mecanismos de busca acabem propagando o número por aí e alguém acabe fazendo mal uso dele. Se alguém quiser eu passo o contato via mensagem privada (acho que é melhor assim). Abraços!
  4. Então pessoas, estou novamente compartilhando um lugar que achei bacana para acampar. No intuito de apresentar algumas opções desse tipo de atividade pelo Médio Vale do Itajaí, temos o Morro de São Bernardo, qual fica na localidade de Alto São Bernardo, no município de Rio dos Cedros/SC (cerca de 50km de Blumenau, só para ter uma base). Trata-se um morro utilizado principalmente para a prática de voo livre (normalmente parapentes), com duas opções de saltos (uma para a cidade de Rio dos Cedros e outra para Timbó). Naturalmente vale a pena conferir a visão panorâmica que o lugar
  5. Não sei se minha opinião servirá, pois nunca pus a mão em uma Forclaz Trek900 50+10. Posso falar da Decathlon, e das marcas Forclaz e Quechua - tenhos diversos equipamentos deles (a primeira vez que fui me 'equipar' para trekking passei na loja física em Florianópolis). Comprei anorak, camisas dryfit, calça técnica modular, segunda pele, meias técnicas, luvas, fleece, toalha de microfibra, mochila de ataque, mochila compacta... enfim, peguei itens de vários segmentos. Amigos próximos compraram coisas de canoagem, arqueria, e outros esportes. O ponto é que os produtos que são vendidos
  6. Infelizmente tenho que concordar com o @ALB, é realmente inviável tentar visitar todos esses municípios (e suas atrações) em tão pouco tempo dependendo exclusivamente do transporte público (ainda mais agora com o COVID). São atrações que valem realmente a pena, mas talvez tenhas que considerar outra aproximação (aluguel de carro) se pensas em fazer tudo isso de uma única vez. Eu digo isso porque - repito, vivo em Santa Catarina e tenho casa no litoral - nessa época a BR-101 (que é a principal conexão entre os municípios do litoral fica absurdamente caótica - especialmente entre Itaja
  7. Boa tarde @Michelle Andrade, sou de Santa Catarina, residente do Vale do Itajaí (cerca de 60km do litoral, uns 150km da capital - calculando de Blumenau). Então, o @StanlleySantos já deu uma resumida geral em algumas opções turísticas em nosso estado. Eu vou dar uma complementada com atrações que eu já experimentei e achei bacana em Florianópolis (não vou falar fora disso porquê tem muuuita coisa). Florianópolis definitivamente merece uma boa visita, na alta temporada o trânsito é meio caótico na parte central e no acesso ao sul da ilha, por isso talvez seja interessante cogitar ao m
  8. Pesquisei sim, vi diversos vídeos dele, inclusive subindo Torres del Paine com ela. Porém optei em investir em um cargueira com mais litros (no caso 80+10), pois já tinha uma de ataque (de 25 litros) - não era conveniente ter uma 'meio termo' de 50 litros. O bacana dessa Curtlo Mountaineer 80+10L é que mesmo não ocupando-a totalmente, ela continua firme e com aspecto bacana (não parece vazia). De toda forma, é muito mais volume que você apontou. Nessa faixa de 50L infelizmente só conheço a Forclaz Escape 50+10L (que no anúncio aponta apenas 50L, e é uma versão melhorada da
  9. Daí @rasflp, sabes se está liberada a subida pro cume do Cambirela? Não digo isso pelo decreto estadual, mas desde o incêndio em abril eu tinha lido que interditaram o acesso para recuperação do morro. De toda forma, bom hiking, a vista do topo do Cambirela é show!
  10. @ericksonsilva o isolante inflável Naturehike FC10 (que é a versão de solteiro do FC11) é tão bom quanto o Azteq Orok - na real são extremamente parecidos. Eu testei um em uma loja física quando decidi comprar o Orok e o FC11. Detalhe que o FC11, por ser de casal, vem com uma 'bolsa para inflar' (eu achei bem prática), visto que fica difícil que usar apenas a boca - os de solteiro tu consegues encher facilmente apenas soprando (é estranho se você nunca viu, mas garanto que é eficiente). Além disso, meu FC11 veio com cinco unidades de reparo rápido na faixa, não sei se é exclusiv
  11. Bom dia @eusouzasamuel! Show! Acampar não tem mistério, a regra costuma sempre ser a mesma. Bom, como pretendes acampar na praia, e por isso presumo na areia solta, é fundamental que tenhas uma barraca autoportante - isto é, que fique de pé mesmo sem os espeques afixados. Não obstante, na mesma linha anterior, algumas barracas ditas autoportantes nem sempre tem o mesmo 'desempenho' que outras. Por exemplo, em uma experiência própria (eu fiz isso, testei pessoalmente), montei uma barraca técnica Naturehike Cirrus 2P na minha garagem para vê-la, tenho piso no chão logo não pude af
  12. Bom [email protected]! Então, bacana esse Azteq Thor. É uma questão de sentir se você suportará o nível de conforto que ele oferece, afinal, ele não difere muito de um isolante de EVA. O EggCrate é similar, apenas de outra marca, não acho que mude muita coisa (a Azteq é uma boa marca). Particularmente eu já tive um isolante desse tipo e não me acostumei, o conforto que ele oferecia - para mim - era zero. Só servia estritamente para sua função original: impedir a umidade do solo chegar até meu corpo. Dito isso, vendi meu antigo isolante e fui até uma loja física e testei o isolan
  13. @Marcelão Ramos quanto volume você estima precisar? Eu estive exatamente na mesma dúvida quando fiz minha escolha (uns meses atrás). No meu caso, estava comparando a Forclaz Trek900 70+10L (R$ 999,99), a Deuter Aircontact Lite 65+10L (R$ 1.826,43), e a Curtlo Mountaineer 70+10L HS (R$ 1.623,87). Na época a Aircontact Lite estava com o preço menor que a Mountaineer, porém como ela não vinha com capa de chuva, eu tinha que comprar separado, e o preço ficava similar. Bom, eu pesquisei horrores sobre as três, vi diversos vídeos e relatos de pessoas que as usavam, e no final dec
  14. Olá [email protected]! Saco de dormir, isolante térmico e colchonetes são três coisas distintas. O saco de dormir tem uma finalidade bem específica: aquecer e manter a temperatura. O isolante térmico, que pode ser de EVA ou inflável, serve para impedir que a umidade (e o frio) do solo chegue ao teu corpo. O colchonete é basicamente para conforto - mas eu particularmente não acho nada efetivo. Mesmo com finalidades definidas, sacos de dormir e isolantes térmicos também podem contribuir na questão conforto. Como muitas coisas da vida, é preciso se expor pra ir
  15. Então @ericksonsilva, de fato cada mochila é desenvolvida com um propósito em mente. Antes de mais nada, é comum que cargueiras possuam uma parte destacável: o objetivo disso é oferecer a opção de levar menos coisas quando você efetua algum ataque. Por exemplo, o Circuito O (completo) de Torres del Paine consiste em uma volta, mas há dois momentos mais específicos que se pode 'atacar' mirantes (Britânico e as próprias Torres del Paine) - nessa hora é muito vantajoso poder deixar a cargueira (pesada) no acampamento e seguir nesse 'bate e volta' apenas com a parte destacável (e uns itens es
  16. @ericksonsilva Tenho dois amigos que possuem uma Forclaz Escape 50+10L (R$ 649,99), eles fizeram a Ferrovia do Trigo em Rio Grande do Sul com elas (apesar que coisa e outra acabou ficando presa por fora). Dá uma olhada nessa, talvez você goste, e o preço é camarada. Ambos estão vendendo elas agora pois elas não vão servir bem para o próximo projeto (que é o circuito completo em Torres del Paine). Eu mesmo tenho uma Quechua MH500 20L (site português, no brasileiro não achei mais) que uso para ataque, e recentemente comprei uma Curtlo Mountaineer 70+10L HS (R$ 1.623,87, também para Tor
  17. Daí @StanlleySantos, o que eu posso é não indicar uma marca específica. Numa onda semelhante a sua, eu fui atrás (lá por março do ano passado) de uma câmera de ação alternativa (que não fosse uma GoPro). Nessa brincadeira dei de cara com o site www.indiegogo.com (um desses sites de crowdfunding) e lá encontrei uma oferta da empresa Mokacam. Na época, o anúncio trazia a câmera Alpha3, que estaria sendo fabricada em duas versões (Pro e Flip). A versão que escolhi - a Pro - era extremamente similar a GoPro Hero Black 8, só com a vantagem de custar cerca de R$ 700,00 reais (sem aces
  18. É uma pergunta muito relativa - existem diversos fatores que podem influenciar (até de forma drástica) o teu gasto calórico em uma empreitada como essa. Antes de mais nada, eu não sou nenhum profissional dessa área, vou opinar mais em cima da minha experiência e daquilo que eu já li em outros lugares. O primeiro ponto é o consumo calórico real do teu corpo (que é algo que um nutricionista poderia apurar), algumas pessoas precisam de mais, outras de menos - mas por via de regra podemos adotar a famosa 'dieta de 2.200kcal diárias'. Andar apenas 5km por dia é quase nada, claro que
  19. Bom dia @Otavio Rodrigues! Cara, você pontuou 'a cidade mais ao sul que existe', então, apesar de Ushuaia ser bem famosa aqui no Brasil - devido aos diversos pacotes que a incluem no roteiro - eu recentemente descobri que, um pouco mais pra baixo, atravessando o Canal Beagle há uma cidade em território chileno chamada de Puerto Williams. Diferente de Ushuaia que tem todo um apelo turístico 'tradicional' (qual agrada o tipo comum de turista), Puerto Williams é basicamente uma comunidade formada por familiares das tropas chilenas que patrulham a região do Cabo de Hornos - mas isso não
  20. Que bom que pude ajudar! De toda forma, tenho certeza que a Mongar também serviria bem. Observe que as 'cores' da Star River na verdade são versões distintas da barraca (com pesos e materiais diferentes). Eu tenho uma Orange, que é feita com 210T Poliéster, ela é mais pesada (cerca de 2.3kg). Tem também a opção da Light Grey (com detalhes vermelhos) e a Green (sem skirt), que são feitas com 20D Silicone (e nylon), pesando um pouco menos (2.0kg). Note que a versão Green também tem a opção com 'skirt' (saias para quatro-estações), mantendo o material, porém pesando um po
  21. Eu comprei uma Star River 2P fazem uns dois meses, testei ela na praia duas semanas atrás. Além de instalar ela na areia, peguei um final de semana que alternava entre garoa e chuva, e muito vento (constante mesmo, com eventuais lufadas). Estou absurdamente satisfeito com ela. Antes de comprá-la eu considerei as demais opções da Naturehike (e também outras marcas). A Cloud Up parece ser uma opção boa se for partir pra versão Wing (que é mais cara), mas eu não peguei essa por ter apenas uma porta. A Cirrus eu pude testar e, apesar das especificações falarem uma coisa, n
  22. @D FABIANO Aproveitando a deixa, eu tenho o desejo de fazer (futuramente) a Costa dos Corais, seguindo de Recife até Maceió (com carro alugado). Lendo a respeito das diversas atrações dessa região, vi que ao sul de Maceió existem alguns pontos famosos como a Praia do Gunga e as Dunas de Marapé. Você acredita que vale a pena incluir essas atrações no roteiro? E seria aconselhável dedicar um dia para cada uma delas, ou dava de visitar as duas num bate e volta de Maceió? Além disso, sem sombra de dúvidas eu tenho o desejo de visitar as piscinas nos corais - e lendo a respeito vi qu
  23. Daí @EdBeck, se eu estivesse no teu lugar eu não arriscaria. Tipo, no início da pandemia fiquei (assim como a grande maioria) me restringindo a fazer nada - mal saía de casa para o básico. Conforme o ano foi passando fui percebendo que aparentemente o negócio não era tão complicado quanto a mídia anunciava (isso considerando a minha realidade) e fui aos poucos empreitando algumas aventuras (que não envolviam aglomerações, mas que de certa forma iam de desencontro com as sugestões dos canais de saúde). Não tive problema algum. Sinceramente não fiz nada mais que o que eu já fazia
  24. Buenas pessoas, dessa vez vim trazer um relato de uma aventura que fiz nesse final de semana com alguns amigos. Nosso destino foi Florianópolis, onde decidimos passar um dia acampando na Praia de Naufragados, no extremo sul da ilha. O deslocamento da ponte até a Caieira (onde começa a trilha que leva até a praia) é simples, porém demorado, pois o trajeto passa por uma ruazinha que disputa seu espaço com as casas próximas da costa. Chegando ao final da estrada, há opção de dois estacionamentos pagos (R$ 20,00 reais por 24 horas, com direito a banheiro e ducha fria). Não vi
  25. Bom, eu não nunca fui no inverno para confirmar, mas estive lá no verão (e pesquisei um bocado antes da viagem) - o que o @FCRO disse é real. Diversas atrações 'dão lugar' para outras, mas no geral, muita coisa fica desativada. Dá uma boa pesquisada nos lugares que você deseja visitar e certifique-se que estão atendendo (e se não tem regras especiais para a baixa temporada). Boa viagem!
×
×
  • Criar Novo...