Ir para conteúdo

Maurício RJ

Membros
  • Total de itens

    36
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Maurício RJ postou

  1. Vinícius, Valeu pelo alerta! Mas a minha decisão não foi devido ao preço da trilha não. Por mais que não tenha grande experiência na altitude, estou considerando "todas" as dificuldades possíveis. Realmente não curto a dependência de um guia. Gosto de ser independente para dedicar mais tempo e priorizar o que acho mais interessante. E, sinceramente, pra mim, a graça numa trilha dessas é o perrengue. Chegar morto e ter que armar barraca e "cozinha" faz parte da escolha. Machu Picchu por Salkantey representa 1/6 de uma viagem de 32 dias... esse vai ser o primeiro de outros vários perrengues, inclusive a subida do Licancabur, chegando quase nos 6000 m. Realmente só vou saber onde me meti quando retornar e, com certeza, farei um relato com detalhes desses 32 dias. Grande abraço, Maurício
  2. --------------------------------------------------------
  3. Fala Galera! Programei a ida sem guia para Machu Picchu via Salkantay, para o dia 21 de fevereiro de 2012. Vou com um amigo e dependendo do peso final da mochila, tento contratar um arriero em Mollepata até o Passo Salkantay. Alguém tem idéia de preço e facilidade de encontrar arrieros por lá? A única preocupação é a época de chuvas. Alguem já esteve por lá nesse período? Abraço, Maurício
  4. Fala galera! Ainda em fase de conclusão do roteiro, a minha previsão é chegar em UYUNI na noite do dia 2 e fazer um tour de 4 dias incluindo: Primeiro dia - Sala de Uyuni; - Colchani; - Isla Incahuasi; Segundo dia - Subida do vulcão Thunupa; - Ruinas en Coquesa; Terceiro dia - Los Pueblos y Lagunas Altiplánicas; - Árbol de piedra; - Laguna Colorada; - Geiser Sol de Mañana; - Termas; - Laguna Verde; - Laguna Blanca; Quarto dia - Subida do vulcão Licancabur; Pelo que andei lendo chega-se em SPA no final do dia. Não vi nenhum relato de alguém que tenha feito isso. É viavel? Alguma sugestão?? Conhece alguma agência que faça? Abraço, Maurício
  5. Complementando a informação, segue a transcrição do texto retirado do site www.rumos.net.br. Licancabur Altitude Máxima: 5921 metros. Altitude Mínima: 4.350 metros (refúgio) Temporada ideal: O ano todo Outras montanhas do roteiro: # Cerro Toco # vulcão Juriques # Cerro Laguna Verde # Vulcão Sairecabur Data obtenção dos dados: 4/3/2011 Forma da obtenção dos dados: Georreferenciamento de tracklogs 31/5/2010 e coleta de waypoints in situ por Parofes. Mais informações sobre esta montanha: O vulcão Licancabur é um estratovulcão perfeitamente cônico quando observado do lado chileno. É considerado adormecido, não extinto. Ruínas que cercam o vulcão e até mesmo em sua cratera evidenciam que nenhuma erupção ocorreu pelo menos nos últimos 500 a 1000 anos. Em sua cratera também há um pequeno lago de 70 metros de largura e 90 metros de comprimento, considerado um dos mais altos do mundo. Na região, há um lago com maior altitude situado no vulcão Lullaillaco a cerca de 6.300 metros, outro na cratera do vulcão Pili, a 6.020 metros. O vulcão Licancabur juntamente com seu vizinho próximo Juriques dominam a vista do salar de atacama e de cidades vizinhas, é visto desde 150 kms de distância de qualquer direção. Aproximação: Desde San pedro de Atacama consiga um transporte até a Laguna Blanca, este pode ser privado ou um micro ônibus de alguma agência que esteja deixando a cidade para passeios como Salar de Uyuni e Laguna Verde. Tenha certeza de que o transporte pare na Aduana para que faça sua entrada legalmente na Bolivia, pois é deste lado que fara sua ascenção. Não é aconselhável tentar a ascenção em solitário a não ser que seja bastante experiente, abertura de novas rotas estão fora de cogitação pois o vulcão é cercado de campo minado, todo cuidado é pouco. Centenas de metros após a Aduana há um refúgio muito bom (4.350 m), limpo e barato para se hospedar e aclimatar antes de tentar o cume. Na vila de San Pedro de Atacama existem diversas agências que contam com guias de alta montanha com centenas de ascenções aos vulcões da região, porém o preço é bem salgado, cerca de US$ 300.00. Ao chegar no refúgio, contrate um guia local lá mesmo, custará 10% deste valor. Ascenção: Desde o refúgio siga caminhando (se contratar o guia no refúgio, terá carona até aprox. 4.400 m de frente para a Laguna Verde) e margeando a Laguna Blanca, do outro lado verá uma imponente montanha, é o Cerro Laguna Verde de 5.680 metros. Continue até chegar a Laguna Verde, siga as marcas no chão de carros até que ela se acaba em um local plano que serve de estacionamento. Já estará na base do vulcão. Apesar de absolutamente nada técnica, a subida é exigente, pois o desnível supera os 1.500 metros e a altitude poderá cobrar seu caro preço se não estiver bem aclimatado. A ascenção para aclimatados pode levar de 4 a 6 horas, dependendo do sesempenho, para não aclimatados entre 6 e 8 horas, se chegar ao topo. Muitas pessoas tentam e desistem por não serem montanhistas e por não estarem aclimatados, descem com uma terrível dor de cabeça. No falso cume (que lembra muito o falso cume do Cerro San bernardo – Cordon Del Plata) verá o cume e um totem de pedra com alguns galhos e bandeirolas. Na cratera verá a laguna licancabur que apesar de ficar congelada a maior parte do ano, possui uma fauna própria e até algas em seu interior. Também verá ruínas na cratera do vulcão. A rota de descida pode ser a mesma de subida, mas também pode ser diferente, um acarreio de rochas soltas desde as ruínas da cratera, muito bem marcado não há como errar. Siga este acarreio diretamente até chegar às ruínas ao pé do vulcão e depois siga para seu transporte. A vista de 360 graus desde a cratera é realmente sensacional, dentre as montanhas mais próximas é possível ver muito de perto a gigantesca cratera do vulcão Juriques (5.706 metros), um pouco mais distante o Cerro Toco (5.604 metros) que também era um vulcão e possui até hoje atividade extrativista de enxofre a 5.000 metros. Também próximo, diretamente a norte, é possível observar o enorme vulcão Sairecabur e seu cume chamado de La teta. Na maioria dos dias até mesmo San Pedro pode ser vista. Muito mais ao longe se vê o vulcão Putana (constantes fumarolas) e Colorado. LINK PARA OS WAYPOINTS: http://www.rumos.net.br/news/rumos/arquivos/146/Licancabur.rar
  6. Leandro, Estou em fase de conclusão do roteiro de uma viagem de 34 dias de Lima até Ushuaia. No roteiro, incluo um tour de 4 dias desde Uyuni até SPA e a subida do Licancabur. Está difícil conseguir boas informações das operadoras através de email. Talvez a demanda esteja alta e eles não estejam tão interessados em prestar informações precisas. Vi que a subida é bem demarcada e que um GPS daria conta do recado, mas ja li algo sobre "campo minado" e não entendi se trata-se de uma metáfora ou realmente aparatos de guerra.. rs Farei no sentido contrário do seu mas caso consiga alguma informação, passo pra você. Meu plano é estar no Licancabur no dia 4 de março de 2012. Abraço, Maurício
  7. Noiscasa : - Valeu pela informação, ainda estou estudando a possibilidade mas saber que teoricamente não há restrições já abre o leque de opções. Xaliba: - A grande preocupação é a altitude. Dizem que não há como simular tal sensação sem ser em valores próximos (coisa que não vou conseguir aqui pelo RJ) e isso me deixa no escuro quanto à reação do meu corpo. Mas quanto à alimentação, levar ração mesmo... coisa ruim mas calórica, leve, desidratada. Sempre com um excedente de 2 refeições para o caso de imprevistos. Mas diante do que falou vou repensar, como ainda estou na fase de roteiro, em breve, posto algo ai e agradeceria se desse a opinião sobre o que for ler. Valeu pela atenção, abraço!
  8. Fala galera! Estou planejando o roteiro de uma viagem pela América do Sul em maio. Intenção de começar pelo Monte Roraima (lado da Venezuela) e fechar em Ushuaia. tratando-se de intenção, durante a elaboração do roteiro, vou vendo a viabilidade. Depois de umas pesquisas no fórum, não encontrei informação precisa sobre fazer essa trilha de Salkantay sem guia: se tem alguma pressão dos nativos e dos guias, se existe alguma restrição oficial da localidade e se há algum fator crítico para não fazê-la sem guia, mesmo já estando acostumado com trilhas e sabendo me virar direitinho com waypoints pré inseridos em um gps parceiro de várias trilhas pelo Brasil. Qualquer outra informação é bem-vinda! Abraço, Maurício
×
×
  • Criar Novo...