Ir para conteúdo

Cláudia Toscano

Membros
  • Total de itens

    1
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Cláudia Toscano

  • Data de Nascimento 19-06-1965

Bio

  • Ocupação
    Servidora Pública

Informações de Viajante

  • Próximo Destino
    Pedal na Serra da Canastra -MG

Últimos Visitantes

83 visualizações
  1. Bolívia não é um destino muito procurado. Países onde há bastante pobreza infelizmente assusta e perdemos o que há de melhor nesses lugares, gente humilde e simpática e natureza ainda belíssima! Fomos para Bolívia para pedalar no Salar do Uyuni e fazer um down hill na Estrada da Morte. Juntamos um grupo de 9 pessoas, traçamos os custos, fizemos contato com empresas locais para dar estrutura ao pedal (sem isso não dá pra fazer) e seguimos viagem. Escolher passagem aérea mais barata, nem preciso dizer, mas a que faz o melhor roteiro e o menor custo e tempo é a estatal Boliviana. Saímos de Recife-São Paulo- Santa Cruz de La Sierra-La Paz. Ficamos 3 dias em La Paz para conhecer, turistar e também se adaptar à altitude; são 3600 metros a 4200 metros de altitude. O tempo todo temos que tomar chá de coca para aliviar o cansaço. E funciona mesmo! Depois de conhecer a cidade, o Vale da Lua (belíssimo), andar de teleférico é o ponto alto de La Paz. Para mim, foi o melhor sistema de transporte em centros urbanos caóticos e de montanha como La Paz. Não poderiam ter melhor ideia!. Além de ser um belo passeio. As comidas em La Paz não são muito confiáveis. Refiro-me à higiene. Por isso é bom escolher bons restaurantes. Nada de lanchonetes ou comida chinesa! Pão... todo ele é feito pelos indígenas. É lei! Padaria não vende pão de fabricação própria. Apenas vendem o que os indígenas fabricam. Embora no país, a maioria da população seja mestiça, o Governo incentiva bastante as 36 nações indígenas existentes no país, para terem algum tipo de atividade econômica rentável! Mas, apesar de não ser muito higiênico o fabrico, eu comi e gostei. Uma delícia! rsrsrsrsrs. Seguimos numa van de aluguel para Santa Cruz de La Sierra e de lá para o Uyuni. É um vilarejo que vive principalmente do turismo e artesanatos. Contratamos no Uyuni a empresa www.nomadaexperience.com, cujos serviços são excelentes! Foram dois carros 4x4 , abastecidos de suprimentos, bicicletas de trilha alugadas por eles, com equipamentos. Chegando no ponto de partida no deserto de sal, seguimos de bike até uma ilha no meio do Salar, também deserta e cheia de cactus. No meio do caminho fizemos uma parada para almoçar. A empresa Nomada Experience, preparou todo nosso almoço, armou uma tenda no deserto e ali matamos a fome e o cansaço. Na volta, com o vento contra, ficou quase impossível pedalar. O deserto de Sal, não é plano, parece que você está pedalando sobre pedras, mas de sal! Foi uma experiência incrível! Voltamos para o Hotel de Sal no Uyuni, muito confortável, mas com as camas de sal... tudo de sal. Muito legal! À noite, jantamos numa pizzaria e no dia seguinte, seguimos para o cemitério de trens e seguimos para a mina de prata (hoje desativada). Subir a montanha pedalando na altitude é pesado mas conseguimos bem. Melhor a volta pra cidade, 4200 metros de só descida! Bom demais! No quarto dia voltamos para La Paz e de lá contratamos outra empresa para fazer a Estrada da Morte. Eles nos pegaram no hotel num micro ônibus, junto com outros aventureiros. Ao chegar no ponto de partida no pico da montanha a 4700 metros de altitude, confesso que me perguntei, porque escolher morrer agora? A adrenalina vai a mil! A empresa nos deu todo equipamento, capacete, luvas, macacão e a bike de down hill. Começa a descida, inicialmente no asfalto, no acostamento da rodovia. São 20 km de asfalto até chegar à estrada de terra e muiiiiiiiiitas pedras. A Estrada da Morte mata, mas é linda, maravilhosa! A paisagem de montanha e floresta é belíssima. Tem algumas paradas para fotos fantásticas, mas na descida, nem pensar em olhar alguma borboleta no caminho. Concentre-se na estrada. Não dá pra frear o tempo todo. Tem que reduzir nas curvas e seguir na descida. Valeu muito! Amei a Bolívia e seus perigos! Não dá pra voltar, porque o mundo é grande e a natureza me espera!
  2. Quem estiver interessado em fazer o Caminho de Santiago de Compostela, segue meu livro com algumas dicas que poderão ser úteis.  Buen Camino!

    Impressões de um Caminho.pdf

×
×
  • Criar Novo...