Ir para conteúdo

El_viajero!

Membros
  • Total de itens

    9
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

4 Neutra

1 Seguidor

Últimos Visitantes

239 visualizações
  1. Olá. Devido a essa pandemia, adiei meu plano de cair na estrada,mas acho que já é possível ao menos voltar a fazer planos. Busco músicos para embarcar nessa. A ideia é juntar uma galera criativa pra fazer umas jams musicais nas cidades pra ter capital e seguir viagem. Se você toca algum instrumento, tem disponibilidade pra cair na estrada a qualquer momento, vamos conversar!
  2. Olá. Devido a essa pandemia, adiei meu plano de cair na estrada,mas acho que já é possível ao menos voltar a fazer planos. Busco músicos para embarcar nessa. A ideia é juntar uma galera criativa pra fazer umas jams musicais nas cidades pra ter capital e seguir viagem. Se você toca algum instrumento, tem disponibilidade pra cair na estrada a qualquer momento, vamos conversar!
  3. Ei!!! Depois que for possível viajar, vou fazer um mochilão. Vou passar por Curitiba porque vou em direção a Argentina.
  4. Opa! Estava acompanhando a discussão aqui e, vejo muita gente falando da mesma coisa; depressão e falta de grana e como uma viagem vai resolver tudo. E sei lá, resolvi por meu ponto de vista aqui. Pode ser agregador ou não. Sobre o @D FABIANO, concordo em certo ponto com ele. Já viajei só com meu passaporte, umas roupas na mochila e umas moedinhas na carteira. Se você está mal psicologicamente, um mochilão não vai te fazer se sentir melhor. Cura passando uma tarde na cachoeira e aplaudindo pôr do sol e papo furado de hippie. Acredite! Mas o outro lado é tudo questão do que você tem a oferecer lá fora. Eu discordo da parte de não poder exercer uma profissão só com o visto de turista. Há um tempo atrás, no Chile, eu só tinha um visto de turista e consegui um trabalho temporário na minha área. Foi excelente! A clientela era educada, os meu chefes eram pessoas geniais e a grana ótima. Foi um aprendizado raro e precioso pro currículo! Bom, dei sorte? Pra caralho! Também tem que colocar na balança o fato de você não ter direito civil nenhum em outro país. Então, pra um empregador te explorar é só vantagem pra ele! Vender produtos feitos por você na rua ou algo assim, é uma opção. Só vai te cobrir o básico do básico (talvez um quarto não esteja incluido dependendo do que oferecer). Então, é algo muito pessoal. Tem gente que não consegue viver sem algumas mordomias, o que na minha opinião e a idade chegando, me faz concordar com elas. Enfim, é isso.
×
×
  • Criar Novo...