Ir para conteúdo

nario

Membros
  • Total de itens

    9
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que nario postou

  1. Trota Nando = Sim, conheci a ilha toda de bike, acontece que você tem que sair de manhãzinha pra voltar numa boa.. É muito cansativa a viagem de bike, e talvez não se aproveite tanto comparando a energia pra desfrutar os lugares, por isso o aluguel de uma scooter ou um carro é uma boa, entretanto escalonadamente a bike, moto, carro tem valores graduais que fazem diferença pra economizar.. eu fiz um dia de bike, outro de moto, a moto eh a melhor coisa pra ficar numa boa. Voluti = bike se não tiver pressa e energia de sobra, ou scooter pra ficar de boa e conhecer mais rápido. Luciolambert = Segue aqui um mapa que achei na internet que parece muito fiel, inclusive a linha laranja é a rota principal, no canto esquerdo está a vila da ilha, então o que todos fazem é ir pelo meio chegando lá na ponta direita na praia de Anakena, onde tem os ahus NAU NAU, voltando pelo litoral por baixo e adentrando a pequenos lugares pra conhecer detalhezinhos e os vulcões.. EllenAbreu = Infelizmente só vi seu post agora, mas mesmo assim, hoje atualizando, gastando razoavelmente, eu chuto uns 150 reais por dia.. tirando os custos de albergue.Então arredonda tudo 200R$ por dia.. isso é uma estimativa apenas. Que bom que gostaram deboranacleto, femarques10, Nandadodi, Claudia Sales, Wesley Oliveira, Petroni-SP, Paulo_gusmao Ao Alisson&Ione e NicolaSauer, só acabei vendo agora os posts e tendo tempo de entrar, minha caixa de e-mail tava uma bagunça rsrs
  2. Muito bom relato.. eu fui pra lá em 2010, tbm deixei meu relato por aqui, vi que mudou o lance de visita aos vulcões, porque antes era uns 10 reais pra entrar no Rano Raraku e Rano Kau, agora pelo jeito subiu muito o valor.. mas ainda vale muito a pena fazer isso tudo.. esta ilha é sensacional, cara me emocionei com seu relato, lembrei dos momentos que passei por lá em 2010.. Como toda viagem falta conhecer algum detalhezinho sempre tem o gostinho de quero mais e espero voltar pra lá dentro de uns 2 anos e conhecer detalhes e observar outros mais que a curiosidade inventa... Depois da viagem, aqui em Santos, achei um livro num sebo que falava sobre a Ilha de Páscoa, detalhe, o livro foi escrito na década de 60 ou 70.... E os fatos remetiam as décadas de 40 e 50... onde o cara além de falar do misticismo da Ilha, dizia que lá por ocasião ainda ser moradores nativos, quando se aproximavam os barcos provenientes dos navios que iam as ilhas, os habitantes trocavam artefatos deles, uns até que pareciam bem antigos e históricos, trocavam por sabonetes e outros produtos de utilidade que lá obviamente não tinha. Imaginem o valor histórico que se foi nesses atos.... Ainda não acabei o livro, na verdade, li só um belo pedaço, mas quando for pra lá denovo, vou ler tudo e tentar ver detalhes que passam despercebidos por nossos olhos.. Se quiser, embora de 2010.. tem meu relato e algumas fotos mais e em breve tento por as filmagens que fiz de lá porque o youtube travou os videos por causa de música e direitos e tal..então apaguei e tô pra editar e conseguir colocar denovo.. ilha-de-pascoa-rapanui-abril-2010-relato-de-viagem-t50947.html Abraçosssss
  3. Valeu pessoal..que bom q gostaram do relato.. esse intercâmbio de relatos de viagem e dicas q agente vê e relata é sensacional.. em julho agora era pra eu ter feito outra mochilada dessa vez pra Turquia, mas mudei de regime de trabalho justamente nesse mês, tive que remarcar vários compromissos e acabei suspendendo essa nova trip, mas em breve nas próximas férias to doido pra outra mochilada por aí.... voltar pra Ilha de Páscoa tbm.. e se voltar, ir um pouquinho mais longe, até o Taiti... aí sim!
  4. Fotos Terça 06/04/2010 Chegando no vulcão Ranu Raraku, a fábrica de MOAIS Taekwondo num lugar místico! O guardião dos MOAIS rsrs... Essa foto valeu por toda viagem! Em seguida, fui ao vulcão Rano Kau.. Depois próximo a vila Hanga Roa, após o Ahu Tahai, caverna Ana Kakenga Entrando em Ana Kakenga Final do dia remando com a galera Rapanui.. A seguir.. Fotos do último dia de manhã antes do voô Quarta 07/04/2010 Albergue KONA TAU Já no aeroporto, o avião chegou, para ir embora da ilha Última visão da ilha já no avião.. É isso aí...
  5. Fotos Segunda 05/04/2010 Várias fotos que tirei do pôr do Sol dos Moais próximo a vila Hanga Roa Grupo MATATOA - Show de danças típicas e música RAPANUI As dançarinas e dançarinos descendo ao público e tirando algumas pessoas pra dançar E eu tive a sorte de ser escolhido por uma morena RAPANUI e fazer uma dancinha no palco..
  6. Fotos Domingo 04/04/2010 Se jogar sozinho no meio do nada é bem mais divertido rsrs Indo pra Anakena Nem tudo são flores na ilha... árvores derrubadas durante o caminho até Anakena Quase chegando lá..visual perfeitooo Chegando em Anakena Entre os coqueiros Pra mim o Ahu mais lindo da ilha pelo conjunto do cenário Ahu Nau Nau - ANAKENA Barraquinha na praia de Anakena com churrasquinho de porco e uns sanduiches e refrigerantes, bem caseirão.. Te Pito O Te Henua - O umbigo do mundo Pu O Hiro - pedra com desenhos antigos Os 15 Moais... Ahu Tongariki
  7. Fotos sábado 03/04/2010 Na foto acima: Ahu Tahai / Ahu Vai Ure / Ahu Ko Te Riku Ahu vai ure
  8. Ae galeira mochileira, deixarei aqui o relato da viagem que fiz sozinho de 2 a 9 de abril de 2010 para Ilha de Páscoa como objetivo e aproveitei um pouco de Santiago também por ser caminho. Começou como uma conversa com uma amiga minha quando perguntei que lugar seria legal pra eu viajar e ela disse Ilha de Páscoa, ela mesmo ainda não foi pra lá mas comentou de lá, e eu sempre via as estátuas, MOAIS, e achava bem enigmático, porém parecia um lugar inatingível do tipo pirâmides do Êgito.. que agente ve desde pequeno mas parece distante... então olhei alguns tópicos aqui, pesquisei na internet e a logística seria simples, São Paulo Santiago, Santiago Ilha de Páscoa! Então aí começou tudo! Quando comprei as passagens pela LAN para o trecho Santiago - Ilha e pela TAM no trecho São Paulo Santiago, comprei quase 40 dias antes, o que deixou a passagem ligeiramente mais barata, porém tive um azar que comprei as passagens sexta, e sábado rolou o terremoto no Chile... pensei que minha viagem estaria perdida, porém em poucos dias o Chile se reergueu em estrutura e aeroportos e um mês e pouco depois estava tudo normal por lá. DIA 2 de abril - Sexta - Peguei o voo São Paulo - Santiago, era sexta-feira santa, a capital Santiago estava meio deserta, fiquei com um certo receio de andar pelas ruas com uma mochilona nas costas e não saber ao certo o perigo ou não de se andar perdido por Santiago num feriado onde tudo estava fechado, deserto total. Peguei um Ônibus no aeroporto que me deixou na esquina quase da Rua Cienfuegos, local onde tem um HOstel Internacional de Santiago, que por sinal é nota 10! e custava a diária na base de 27 reais convertendo para os reais, com café da manhã e tal, você precisa só alugar a toalha de banho por 2 reais convertendo, ou 500 pesos chilenos, caso tenha sua toalha não há problema. Esse dia como tudo estava fechado me limitei a descansar e preparar os objetivos do dia seguinte que já iria voar pra Ilha. DIA 3 de abril - Sábado - Peguei o voo de manhã no aeroporto, a empresa LAN achei muito boa, bem prestativa e pontual, o voo durou aproximadamente 5 horas e enfim estava na terra RAPANUI. Cheguei lá depois do almoço, fiquei no Hostel Internacional que reservei pelo site HIHOSTELS.COM porem notei um certo desencontro do hostel de lá com esse lance da Internet de reserva porque o cara não tinha minha reserva, vi uma plaquinha desse hostel no aeroporto que é bem pequeno a estrutura de embarque e tal, mesmo porque a Ilha de Páscoa tem voos de Santiago por um lado e TAHITI do outro, movimento bem pacato por lá heheheh E falando com o cara do hostel ele nao tinha meu nome, mas mostrei o papel do site e que tinha pago dai ele deu um ok, muito prestativo e hospitaleiro, o pessoal das pousadas e albergues e hotéis são muito hospitaleiros na ilha e ali era fora de temporada, mesmo se não reservasse eu encontraria lugar... esse albergue foi 15 mil pesos por dia ou quase 60 reais por dia com café da manhã... pra uma ilha no meio do pacífico..é um baita preço porque os hoteis lá são caríssimos, assim como o custo de vida, uma garrafa de água de 1,5 L custava aprox.8 reais.. Esse primeiro dia dei uma volta pela vila na ilha a pé mesmo, respirei o ar do pacífico, conheci alguns moais perto da vila, tirei umas fotos e já mapeei a ilha planejando os outros dias, os passeios e tal, não encontrei nenhum brasileiro na ilha durante os 4 dias que estive, exceto esse primeiro dia que vi 3 brasileiros do Sul que passavam de bicicleta pela praia. Como havia lido em relatos de outros mochileiros, os brasileiros conseguem uma sintonia boa com o povo chileno, e isso é verdade, com o povo Rapanui também notei essa simpatia. DIA 4 de abril - Domingo - Então o ponto pitoresco da viagem..era DOMINGO DE PÁSCOA na ILHA DE PÁSCOA!!!!! Fui até a rua principal da ilha, que por sinal você se encontra fácil, a ilha é apenas uma pequena vila, e então alugei uma mountain bike, que custa 8mil pesos ou 32 reais e você anda nela o dia todo, como eu estava sozinho curtindo a viagem e conhecendo o lugar fui pedalando, cruzei a ilha toda chegando aos primeiros moais no final do caminho que corta a ilha pelo meio, é um local chamado ANAKENA, tanto a praia, quanto o AHU ANAKENA, onde na minha opinião são os moais mais lindos da ilha, tem uma base de pedras e uma areia bem branca cercada de coqueiros enormes por toda a volta e ao fundo a praia de ANAKENA com um azul cristalino, fenomenal! Chegando lá nesse local eu havia pedalado por algumas horas e foi realmente exaustivo (DICA: SE FOR PEDALAR LEVE ÁGUA) eu achei que iria encontrar locais pra comprar água e não achei. A salvação foi na praia de Anakena onde havia um quiosquezinho com uma tiazinha senhorinha que tinha um fogãozinho com uns sanduiches lá por fazer e refrigerantes de vários tipos, era o único quiosque e comi um belo de um sanduiche e vários refrigerantes e água...fiquei ali quase uma hora relaxando, o Sol estava muito forte, recuperando energias de quase 3 horas de pedaladas com paradas para foto de paisagens que eu achava legal. Quando sai de lá comprei duas garrafas d'agua pois sabia que a volta sob o Sol iria ser tão boa quanto a ida rsrsrs E então na volta fui fazendo o caminho do litoral(FUI PELO MEIO DA ILHA, VOLTEI PELO LITORAL) era a dica que um cara no hostel falou pra mim que todos faziam, porque no meio vc nao ve nenhum moai, só fazendas, áreas desmatadas, poucas árvores, e raríssimos animais, talvez encontre um rato atropelado na estrada rsrs Voltando pelo litoral vc tem vários pontos, desde o primeiro ponto ANAKENA e os outros pontos de moais, assim como a pedra considerada simbólicamente O 'umbigo do mundo' chamado Te pito o te henua, Pu O Hiro (Uma pedra com desenhos antigos), Ahu Tongariki (Esses são os famosos 15 moais um do lado do outro, enormes e num cenário perfeito) dentre outros... Depois desse passeio de bicicleta cheguei na vila de Hanga Roa me hidratei tomando 1,5 litro de suco de laranja, comi um lanche e estava realmente acabado pois o Sol forte e pedalando uns 40km(tudo) ida(quase 3hs parando e tirando foto) e voltando umas 3hs e meia parando e tirando foto, num terreno que tinham subidas constantes e descidas constantes tbm, tem q estar preparado mas é ótimo... mas foi sensacional me senti explorando a terra RAPANUI, Indiana jones .. Sai livre tirando foto de tudo q achava ou via no mapa, porém deixei o vulcão Ranu Raraku pro dia seguinte porque pretendia tirar umas fotos fazendo alguns chutes de taekwondo. Depois disso fui até a Lan House da ilha, o preço não era caro, se não me engano era 6 reais a hora, ou 1.500 pesos... algo assim.. descarreguei as fotos conversei com a galera aqui no Brasil, pra mim que estava sozinho foi interessante trocar idéia com a galera e ir contando o que acontecia, mesmo porque o albergue não estava muito cheio e o pessoal (só gringos, não tinha brasileiros) se reunia de umas 20:30 até umas 22hs trocando idéias até durmirem, isso quando não iam jantar em algum restaurante da ilha ou iam ver os shows de dança típica de 2 grupos de dança da ilha, coisa que eu recomendo, vale a pena, então eu ficava todo dia das 18hs até umas 20hs e poco descarregando fotos e trocando idéia com a galera do hostel das 20hs as 22. A empolgação dos amigos por aqui me incentiva a fazer as coisas também, foi bem legal. as 18hs eu ia pra lan house porque era a hora de devolução dos alugueis de bike e moto, exceto se voce alugasse por 2 dias poderia ficar com ela, levava pro hostel e deixava lá com voce, quando vc aluga eles dão um cadeadinho, não que vá precisar, porque lá na ilha achei superseguro, andei pra cima e pra baixo com câmera pendurada no pescoço e na maior naturalidade tanto de dia quanto a noite pelas ruas escuras da ilha e foi superseguro) DIA 5 de abril - Segunda - Nesse dia já por dentro dos locais e dos passeios, ainda faltavam muitas coisas pra visitar, e aí veio meu erro na viagem, fiquei na dúvida de alugar uma bike ou uma motinha scooter, a diferença era de 30 reais, não foi nem pelo lado da economia porque seria pequena, mas o excesso de confiança de ter pedalado o outro dia todo e ter sido demais, achei que seria uma boa pedalar denovo, me enganei... e pra cagar com o dia eu peguei o caminho errado e acabei por fazer o mesmo caminho do dia anterior, foi um erro tão banal que fui perceber a paisagem igual do meio da ilha, via que ela não chegava ao litoral, ou seja, não acompanhei o mapa e desprezei uma entradinha meio de terra achando que não era, mas era rsrs.... Isso não dava em nada, apenas o caminho pro vulcão Rano Rarako eu iria fazer vindo do fim, ou seja andaria uns 30% a mais de caminho, mas isso me bateu uma canseira repentina, fiquei meio desanimado de ter pedalado meia hora em vão, ainda era cedo, umas 10 e meia da manhã, então pensei em voltar e durmir...foi isso que fiz hahaha... Devolvi a bicicleta na locadora, fui pro Hostel e capotei, a empolgação do dia anterior fez eu não ver a minha saúde, deveria ter pego esse segundo dia pra me alimentar muito melhor, alugar uma moto pra descansar o pedal do dia anterior e etc.. mas enfim durmi muito novamente e acordei as 16hs e pensei (PRONTO PERDI O DIA rsrs).. Nisso, chega no hostel uma galera que tava no quarto do lado, uma estadunidense, um estadunidense e uma inglesa, muito simmpáticos, haviamos conversado no dia anterior, e eles iriam embora no dia seguinte, disseram também que iriam aproveitar pra ir ver o show de danças típicas e me chamaram pra ir com eles, então não pensei duas vezes e fui com eles lá pelas 20hs da noite já que meu dia só faltava fazer algo a noite, já que estava sozinho era uma boa oportunidade.. Fomos no show do grupo MATATOA, com danças e música local, eu que sou apaixonado por música achei sensacional, os músicos são bons demais, e a encenação teatral dos dançarinos durante a música dão um ar bem legal da cultura RAPANUI e você se sente realmente em uma típica ilha do pacífico, o ingresso pra ver o show é 10 mil pesos(40 reais) nesse dia acabei pagando em dólar(20 dólares) havia levado um dinheiro em dólar e pela conversão pra mim tava valendo queimar os poucos dólares que havia levado.. O show fica na avenida da praia principal onde tem o campo de futebol, então você de costas para o campo de futebol olhando pro mar, segue pra direita pela avenida que beira o litoral, e em 200 metros aproximadamente tem alguns restaurantes e esse local da apresentação, vale a pena! Também tem outro grupo em outro ponto da ilha que não lembro o nome, mas fique atento pois ambos os grupos não se apresentam todos os dias.. Na volta desse show, eles estavam afim de ir num restaurante e como estava com eles, fui também, até pensei "Deve ser caríssimo um restaurante aqui" Porque eles eram bem ajeitadinhos e tinham cara de ser bem caros já que comida nos mercadinhos e lanchonetes eram ligeiramente quase o dobro que Santiago. Entramos num restaurantezinho num clima de luz de velas, vários deles são assim, e olhando o cardápio vi que não era um absurdo, barato não era, mas acho que vale a pena voce ir um dia pelo menos, mesmo porquê a comida era muito boa, eu pedi um prato que vinha arroz alcaparras e carpaccio(carne crua fininha fatiada) com um molho diferente lá... muito boa a comida, bebi um refrigerante qualquer e a conta ficou em 8 mil pesos o prato(32 reais) e 1,5mil pesos o refrierante... arredondando esse jantar ficou tudo 40 reais, valeu muito a pena, porque tambem conheci essas pessoas de outros lugares. Acho que as vezes numa viagem não se deve cortar momentos por alguns reais, acho que você tem que gastar em alguns momentos. DIA 8 de abril - Terça - Esse dia já estava pra lá de experiente e fui em busca de tentar fechar o que havia definido que era fazer os chutes de Taekwondo no meio dos Moais, andar de canoa havaiana(pura sorte e perseverança).. Faltava eu conhecer os vulcões Rano Rarako, Rano Kau, Orongo (a vila antiga) e as cavernas... Estava apertado não sabia se ia conseguir fazer isso tudo, então fui primeiro pro vulcão mais distante (Rano Raraku) lá paga pra entrar no Parque Nacional Rapanui, não lembro o preço mas é coisa pouca, o resto da ilha todinha é tudo FREE, essa entrada engloba o outro vulcão também próximo a Hanga Roa(a vila da ilha), e enfim cheguei nos Moais do Rano Rarako "A fábrica de MOAIS" era lá que eles eram feitos e levados pro resto da ilha, e digo uma coisa, foi o lugar mais místico, enigmático, você sentia uma energia fora do comum, é indescritível, as imagens talvez passem um pouquinho da magia desse lugar. Coloquei a calça branca do taekwondo que havia levado, por cima da bermuda tactel e me ajeitei achando alguns angulos, alguns turistas acharam estranho ficaram olhando, nisso os guardinhas do parque ficaram olhando(talvez achariam que eu iria causar algum ato desrespeitoso, ou subir nos MOAIS, coisa que é proibida, então eu conversei com um deles, a vantagem de ser brasileiro acho que ajuda, e o guardinha virou meu fotógrafo rsrs... e conversando com ele, me disse que já foi praticante de Karatê e entendia essa vontade de ter fotos desse tipo, então fiz um amigo que me ajudou e muito, as fotos ficaram ótimas, e num segundo ponto uma mulher guardinha também bateu uma foto em que eu pulo chutando pros lados, ou seja, missão cumprida, conheci o vulcão e bati as fotos..então peguei a moto e parti pro outro vulcão próximo a vila.. Sabia da existência de 2 cavernas, uma bem grande, a outra bem pequena próxima a vila, onde você entrava e saia duas janelinhas com vista pro mar, era nesse que eu decidi ir pelo tempo, porque já eram 13hs, ainda precisava almoçar.. Então comi um lanche fui até o outro vulcão que é lindo demais, Rano Kau, 200metros de buraco até o lago de água acumulada, e 1.800 metros de largura de boca... uma energia também perfeita! Acabei esquecendo de ir até a vila de ORONGO (falha minha) e fui em direção a caverna Ana Kakenga, já era umas 15H30.. O tempo corria ( e via o quanto fez falta praticamente o dia anterior perdido pela minha falha de planejamento) masss estava suprindo todo o resto então fui em frente, fui a caverna Ana Kakenga e só faltava andar de canoa havaiana, coisa que não existe nenhum passeio pago nem atração turística, alguns da ilha praticam por tradição, e eu queria ter essa experiencia, como ando de canoa havaiana na minha terra, aqui em Santos, agente atravessa o canal do porto, vai até o Guarujá, beira a costa todinha, eu precisava remar na terra RAPANUI, eu não seria um turista chato atrapalhando, iria ser um intercâmbio esportivo rsrsrs e pra isso eu desde o primeiro dia perguntava pra algumas pessoas que pegavam onda, lojas de roupas esportivas, coisas assim e ouvia falar de uma praia próxima ao aeroporto, depois de entregar a moto na locadora, comprei água e fiquei na praia esperando, então conversei com alguns garotos que remava aqui no Brasil, que pra mim ia ser legal remar com eles, aquela era uma turma de garotos que praticavam por prazer e longe dos holofotes do turismo na ilha, e então um garoto trouxe um remo e saímos com a canoa de 6 pessoas, remei como se estivesse valendo uma medalha de ouro de tão contente rsrs, saímos de leve pro mar e entramos na baía pegando onda com a canoa, uma experiência única, fiz alguns amigos que mesmo não vendo mais, não esquecerei. A terra RAPAUNI entrou no meu coração pra sempre, receptividade, energia e magia! Fui pra Lan house descarregar as fotos, e me preparar pra ir embora o dia seguinte, pensar no que iria fazer, comer muitoooo com a sensação de missão cumprida, e capotar até o dia seguinte heheheh. Só faltou ver ORONGO com a construção de uma antiga vila que remete aos incas pela semelhança de arquitetura, faltou ver a placa de médicos brasileiros que estiveram na ilha na década de 60, e faltou ir na outra caverna maior, mas acho até que foi bom assim, se eu voltar um dia, vai ter mais coisa pra descubir Se quiserem ver o vídeo resumido da viagem, está abaixo o link: DIA 7 de abril - Quarta - Neste dia eu durmi bastante, tomei o café da manhã no hostel, acertei o que faltava pagar no Hostel Kona Tau, e na minha memória já estavam registrados os momentos mágicos, ainda desci até a rua principal de Hanga Roa e fui até a praia pra olhar por alguns momentos a praia e aquela ilha que me encantou, depois voltei peguei as coisas e fui pro aeroporto pelas 11:30... as 13hs tinha voô pra Santiago, o cara do Hostel, muito simpático, chileno, faz o caminho até o aeroporto e busca também na chegada de carro, ele inclusive chama a galera, tanto na ida quando na volta, ou seja, a cada voô sempre tem uns 3 ou 4 mochileiros que vem e vão, ele fala na porta dos quartos "AIRPORTTTT the flight is now" rsrsrs Eu até falei pra ele, "Brasileiro é AVIÃOOO o voo é agora!" e chileno simpático que era, dava risada e me chamava de ''Ronaldinho'', e eu nem tava com uma barriga mas brasileiro pra alguns é sinonimo de Ronaldinho rsrs E enfim fui de carro com mais 2 mochileiros pro aeroporto, mas pra mim que já conhecia o local até pensei em ir a pé, qualquer momento a mais naquela ilha era uma alegria, mas fui de carro pois estava muito sol e ainda faltavam 5 horas de avião até santiago, q com o fuso horário cheguei lá as 20hs da noite, e as 21 e poco estava no Hostel de Santiago, a volta é um dia perdido on avião, mas as lembranças, juro, vale muito a pena... é só alegria! DIA 8 de abril - Quinta - No dia 8 acordei cedo em Santiago, peguei um metrô e pensei "Vou me perder nessa cidade!" Então desci numa estação, estava com um mapa em mão e visitei uns 4 museus, ruas e locais turisticos de Santiago, provei das comidas locais, doces, salgados e etc.. Andei pela cidade com a camisa do glorioso alvinegro praiano, SANTOSSS... e por falar em futebol, nos mercados e lojinhas você vê a briga que é entre os times chilenos e suas torcidas... La "U" e o Colo-Colo rsrs... Santiago tem uma beleza sem igual, vale a pena, fiquei um dia na ida e na volta, valeria a pena ficar mais tempo, mas essa parcela de férias fi muito rápida, o dia seguinte, sexta eu voava de volta pra São Paulo, sábado ainda ia ter aula na pós-graduação e não poderia faltar, foi tudo bem apertadinho e deu tudo muito certo, isso foi bom, mas a tentação de rodar vários outros lugares e sair por aí é muito grande rs DIA 9 de abril - Sexta - Esse dia acordei tarde, descansei bastante e fui pro aeroporto umas 3 horas antes pra garantir a volta com tudo certinho, check-in e etc.. São Paulo e ainda uma pezada de ônibus até SANTOS de volta pra casa.. É isso aí.. espero contribuir mais com outras viagens..abraçossss AS FOTOS POSTAREI EM SEGUIDA SEPARADA PELOS DIAS!
  9. então a minha idéia é conhecer Turquia praticamente por inteiro, tem história demais por lá, capadócia, efeso e uma cidade chamada Bodrum onde havia uma das antigas maravilhas do mundo antigo (Mausoléu de Halicarnasso).. andei pesquisando na net rsrsrs... eoutros países do leste europeu.. Então to começando a ver sobre Turquia e Grecia (conhecer esses 2 países muito bem) pela história dos dois.. e passeio rápido pelas capitais ou cidades principais que o trem passará de Bulgária, Romênia, Hungria, Eslováquia, Áustria(2 cidades - onde mozart nasceu e a capital Viena) (conhecer mais rapidamente).. queria ir até a Polônia (Cracóvia e Varsóvia) mas aí vai estender a viagem em mais uns 4 dias e aí fica complicado até descer voltando pro Brasil de Istanbul.. pra dar isso no total 22 dias..
×
×
  • Criar Novo...