Ir para conteúdo

raphavet

Colaboradores
  • Total de itens

    372
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que raphavet postou

  1. pessoal, tenho um omni fuel e costumo carregar a reserva de benzina em uma garrafa de alumínio dessas tipo cantil mesmo, comprei da mais barata custou 12 reais, acho melhor pois além de não ter problema com a alteração do material e da vedação da tampa ainda é super resistente contra as alterações de temperatura que sempre aumentam a pressão dentro do frasco, abraço
  2. pessoal, essa conversa tá muito interessante, mas como profissional da área de saúde só posso dizer que o benzeno é altamente cancerígeno, incluisve na época de faculdade manipulávamos ela na capela ( era usada pra fixar lãminas de parasitologia), mas como proprietário de um fogareiro multicombustível digo que não tenho coragem de colocar solvente nele, acho que poderia causar desgaste excessivo dos componentes, como já defendi em vários posts anteriores sou fiel defensor do querosene, seguro, limpo ( quando bem regulado), e muito barato, encontrado em qualquer lugar.... e ainda nunca tive problemas com entupimento, basta uma boa manutenção preventiva. abração
  3. Fui na asf de 2008 e não ví o stand da snake, mas acho interessante esse retorno direto pros caras, já que por email não adianta muito, mas ainda sou fã da minhas botas e sapatas da snake, continuo achando uma boa opção.... abraço
  4. Fala Danilão, otima escolha de começar a escalar, a escalada esportiva é sem dúvida um dos esportes mais recompensadores, perfeito equilíbrio entre mente, corpo e natureza. No meu caso foi semelhante, sofri muito, mas nunca comprei números a mais do que o que usava nos calçados normais, então no seu caso vai ser " teta", primeiro coloque uma meia grossa e vai assistir televisão, assim vai diminuir o atrito entre o dorso dos dedos e o couro, que realmente é de matar... com isso ganha tempo formando os calos e deixa que o couro pegue a forma do seu pé, realmente é dificil, tente coloca-la no sol um pouco antes de calçar. quando for escalar pode usar uma meia mais fina, tipo comum do dia a dia, mas sempre retire a sapata do pé quando não estiver na via, com isso descanse os pés um pouco e evite lesões na pele, tenho uma sapata dessas e posso dizer que fez uma ótima escolha , pois ela possui um shape versátil e mais tolerável pra que está iniciando.... abração
  5. boa, sem dúvida o algodão é a melhor mecha disponível no domicílio , e pederneira sem mecha, não vale de nada, no campo nem sempre é fácil arrumar uma boa mecha abraço
  6. amigo, da snake eu recomendo a zodiac, que já fiz travessias no frio intenso do PARNAItatiaia e a trilha do ouro em dezembro num calor infernal, mas prefiro a minha salomon revo, que também já usei muito no frio e nesse último verão na volta da ilha grande sob um calor ininmaginável, essa sim é muito mais leve e com um solado melhor, além de secar bem mais rápido.... abraço
  7. Amigo, se vai comprar nos eua, acho que deveria aproveitar a oportunidade e comprar logo um modelo mais top da garmin... abraço
  8. Oi Amigo, eu tenho o 60 csx, eu recomendo, as pilhas duram 18 horas, tem opção de micro sd, com isso vc não tem limite p/ baixar mapas, vai depender somente do tamanho do cartão que vc comprar, além de ser resistente a água ,mas atualmente andei pesquisando uns lançamentos touch da garmim, acho que vc também deve pesquisar, olha no ML abraço
  9. amigo, palmas tem a vantagem de ser uma praia de fácil acesso e não precisar de autorização prévia, além da grnade oferta de campings, aventureiro é realmente muito mais bonita, com areia bem fina e branca, mas não possui energia elétrica, telefone, etc... além da necessiadade de uma autorização, ainda não é de fácil acesso, com poucos horários de barcos, eu aconselharia conhecer o aventureiro, palmas pode fazer parte de qualquer final de semana na ilha... abraço
  10. Ótima dica!!!! Ogum tb tenho uma zodiac que relamente é um chumbo, fiquei surpreso com o despenho da minha revo gtx, mas realmente é bem mais pesada que essa do Edu, abraço
  11. Obrigado Pedro!!! Jorge, essa travessia que vc citou é a rebouças -- Mauá?!?, que poderá ser feita uma variação pra descer na vila de maromba?!?, faz parte dos meus planos, inclusive já reuni todo material como o mapa e tracklog... Na verdade ela está em estudo pra ser liberada, mas como havia dito antes, o principal impecilho é o pernoite, que só poderá ser liberado quando existir uma solução pros dejetos humanos.... Mesmo essa serra negra, só foi liberada porque o pessoal do GEAN ficou acampado alguns dias no vale preistórico balizando e limpando a trilha, e principalmente porque o pernoite é feito fora da área do parque no matão. abraço
  12. Oi Amigo, tenho um micro desses da T&R, gosto muito dele e já pegeui temperaturas bem baixas no PNI e ele deu conta do recado, mesmo gostando de dormir de short e camiseta, mas acho ele um pouco pesado, fiquei surpreso com o peso do nautica e acho que vc deve escolher esse, quanto mais leve melhor, o preço tb é muito atraente.... Não fique pensanod em usar esses sacos em lugares com neve ou alta montanha, não existe um equipo capaz de tanta versatilidade, então quando vc for viajar pra esses lugares, pense que deverá investir um pouco mais em outro equipo, é assim mesmo, não tem jeito, vai se repetir com as roupas, botas, etc... Portanto esse saco será pro seu uso no Brasil.... Lí em outro tópico que vc quer viajar pra ilha grande, é isso mesmo??? se estiver comprando um saco pra ilha grande, não perca seu tempo, nem leve esse peso a mais pois não vai usar, leve apenas o isolante e um lençol pra se cobrir, (eu tenho mania de dormir com alguma cobertura), mas se vc não se importa, não leve nada de lençol, quaquer coisa, basta se cobrir com a parka, ou então não leve o isolante e leve apenas o saco, assim poderá dormir sobre ele e não dentro dele, duvido que alguêm consiga dormir dentro de uma barraca com saco de dormir lá na ilha até o mês de abril.... abraço
  13. Tenho uma barraca dessas, pode comprar sem medo, como disse o haole, ótima barraca, abraço
  14. Augusto e Divanei, Acabei de voltar de uma quase volta a ilha em solitário, peguei autorização pro aventureiro, mas ninguêm pediu nada, nem timnha fiscal lá, inclusive passei nas praias do sul e leste , sem problemas, a ilha tá muito vazia, nem tem o que fiscalizar, mas se for no carnaval não tem dúvida precisará da autorização , ou vai rodar na mão dos caras, é facil, basta ir na turisangra praia do anil e prencher um papel, paga nada, abraço
  15. É , esse foi o motivo de ter abortado a travessia da segunda vez. Um taxista em Itanhandu ofertou o trajeto pelo mesmo valor que o de Itamonte (R$ 90,00, considerando que iriamos chegar lá de madrugada). Mesmo indo de carro até a portaria, o problema é retornar - os contatos que consegui em Maromba ficavam em torno de singelos R$350,00 (land-rover , até seis pessoas). Some isso a entrada do parque e já se torna um custo alto para uma pernada de apenas um dia e meio aproximadamente. Alias, a ideia do relato do Divanei me chamou a atenção - subir pela trilha que dá no alsense e descer pela triilha "legal", dentro do parque. Mas eu entendi errado, ou em algum ponto elas se tornam a mesma trilha? Negrabela, dá uma olhada na última foto do relato que são os horários de ônibus que saem de maromba pra Resende, chegando lá vc tá salva, tem ônibus pra todo Brasil, Realmente as trilhas se juntam no ponto Cabanas do Aiuruoca, ou seja, 60% do caminho é igual, sendo a trilha "oficial", rebouças-maromba, cerca de 25% maior que a alsene -- maromba, abração
  16. Gosto muito desses modelos que abrem totalmente, são muito práticos e podem ser usados como manta, mas quanto a marca nunca vi um em uso, mas aconselharia comprar uma marca mais conhecida com assistência mais fácil, verifique o peso também que na minha opnião é muito importante abraço
  17. Olha galera, acabei de voltar de uma volta na ilha grande em solitário com a minha salomon revo e meias Fr military, fiquei fascinado com o desempenho dessa bota, tenho uma zodiac, mas não chega nem perto dessa salomon, como todos sabem a ilha grande é úmida, escorregadia e acidentada ( como toda mata tropical)e não tive problemas com o calçado, já tinha utilizado essa bota em trilhas de montanha no Parna Itatiaia, mas no frio é diferente, praticamente não tem transpiração, por isso fiquei muito feliz com o desempenho dela na ilha, fica a sugestão abraço
  18. Achei esse hummer uma boa opção, não ligo tanto pra uns gramas a mais ou a menos, na hora de dormir o conforto compensa tudo, gosto da hummer tenho uma barraca deles que é o meu xodó, acho que não tem como um inflável pesar muito menos que 600 grs, o pvc é muito pesado, a válvula também, na maioria são metálicas... abraço
  19. Pra quem estava querendo o tracklog da trilha, acabei de colocar um anexo no fim do 2º dia, está simples, mas eu gosto assim pois fica melhor pra visualizar no gps, a tela fica menos " poluída", abração
  20. Amigo, essa travessia rebouças-- mauá está em estudo pra ser liberada, na verdade o gargalo da história está na escolha do local de pernoite, já que o abrigo que fica no trajeto está totalmente destruído, então eles não querem liberar uma travessia com camping selvagem sem controle dos dejetos humanos, pra ter uma idéia a Rui Braga só foi liberada porque o abrigo Massenas está com a sala principal ( da lareira) e os banheiros intactos, então foram improvisados aquelas latrinas com cal virgem, o que viabilizou a travessia. Massssss, eu já falei com pessoas que fizeram essa travessia no clandestino e inclusive tenho um mapa da trilha na verdade ela começa assim como a serra negra, e no vale preistórico é só ir pra direita passando pelos ovos da galinha, ou seja, bem na reta atrás do agulhas, então passa pelo rancho caído e desce a serra da direita da cachoeira do escorrega, ou seja, enquanto na serra negra estamos a esquerda da grota do rio, essa grande travessia pode descer pela direita, e acabará naquela porteira no escorrega conhece? ou ainda continuar na crista da serra e descer lá em visconde de mauá... Na verdade estou estudando bem a logística pra poder um dia me atrever.... abraço
  21. Quando comprei minha Salomon Revo fiquei maravilhado pois praticamente não precisou amaciar, foi muito rápido, mas com a minha Snake Zodiac eu sofri bastante, foram quase 2 meses usando direto pra amaciar, então acho que o material conta muito, o couro realmente precisa de uma atenção maior.... Já os sintéticos, acho que dá pra fazer milagre, em 15 dias a minha estava no ponto!!! Abraço
  22. Edu, praticamente não existe movimento, nessa travessia não encontramos nenhum outro grupo, na Rui Braga também não encontrei nenhum outro grupo, já na alsene maromba uma vez eu encontrei um casal, Também vc pode se informar quando for pedir a autorização , aí ficará sabendo se outro grupo estará no mesmo dia que vc , até porque a quantidade de pessoas é limitada... Já o movimento no planalto é intenso no inverno, e um pouco menor nos outros meses, são muitas pessoas subindo o agulhas , prateleiras, cahu do aiuruoca, etc..., já na vila de maromba o movimento é o ano todo, nso finais de semana sempre tem muita gente legal, nos feriados já chega a impregnar de gente, mas não chega a atrapalhar... Contudo se vc quiser privacidade com certeza vai encontrar em qualquer travessia de Itatiaia, mas se gosta de encontrar pessoas pelas trilhas, recomendo os pontos principais, agulhas negras, prateleiras e couto, mas esses são muito pertos tipo bate e volta. Abraço
  23. Realmente Cláudio, concordo com vc, já estive no parque em tempestades e realmente foi muito assustador, o frio é realmente paralizante, mas também já peguei muito tempo bom, o que me levou a aproveitar mais as águas geladas dos rios, Mas Edubisan, não posso contraindicar um treking desses de apenas 2 dias só por ser verão ou primavera, acho que somente precisamos acompanhar as previsões de tempo mais de perto, e até mesmo colher informações locais como por exemplo eu sempre faço, costumo ligar pro Alsene durante a semana e na véspera de sair de casa, acho fundamental pegar tempo bom no primeiro dia, mas no segundo, sem problema é muito perto! apenas 4 horas de caminhada!!! Já fiz a travessia Ruy Braga, (Rebouças -- Parte baixa do Parque), toda com tempo ruim, foram 2 dias sem tirar o anorak, maravilha mesmo assim, Contudo, acho fundamental planejar e estar preparado, eu mesmo estou pensando em ir ainda agora em janeiro, estive lá agora em Dezembro, mas apenas escalei no couto. Abraço
  24. Tenho um T&R de inflar há 2 anos, nunca tive problemas, tb pesa 900 grs, paguei 110,00 na época estou bastante satisfeito, vamos continuar essa conversa na tópico de isolantes ok, abraço
  25. 2º DIA No outro dia partimos cedo, começamos a caminhar as 7:30, nesse início de trecho existem 2 caminhos, ---- seguindo pela estrada de terra, podemos ir pela esquerda, caminhar alguns minutos e ao visualizar um velho curral à direita da estrada, praticamente dentro da mesma, entramos nessa propriedade, passamos pelo curral e subimos um morro de pastagens, rumo a mata no topo, procura-se um passagem na boca da mata, que na verdade é o início da trilha dentro da mata, abre-se uma porteira de arames ( tronqueira) e aí é só seguir a trilha que é um subidão só, recomendo levar água, pois só terá uma boa mina já quase no final do trecho de mata. ---- o caminho que fiz dessa vez foi seguindo pela estrada se pega pra direita, a caminho da casa do João do Anísio, que também é uma estalagem, assim como a casa do seu irmão, em frente a casa dele segue-se por uma trilha também dentro da mata, um subidão também de arrepiar, mas com uma bela vista. Dessa vez eu fui pelo 2º caminho, realmente a subida é de matar, mas a vista compensa, vejam as fotos..... Observe as casas no vale, grande desnível rumo a pedra preta. Pedra Preta, da próxima eu chego lá. Subir bastante tem suas recompensas, como esse lindo visual da serra. Finalmente ao final do morro visualizamos a pedra preta, uma imensa formação que atrai muito, e existe uma trilha pra atingir seu topo, mas vai ficar pra uma próxima viagem, porque é muito longe... Observe no fundo da imagem um ponto branco, é a pousada Alsene. Grande Sensação de vitória. Então descemos um pouco pelo campo aberto e chegamos ao ponto de união com o 1º caminho, que junta-se com esse justamente quando acaba a mata, algumas pessoas entraram um pouco na mata, voltando pelo 1º caminho simplesmente pra pegar água, a mina fica logo a uns 2 minutos, vale a pena, pois não haverá água pra beber nas próximas 3 horas... No planalto que marca o encontro dos 2 caminhos, podemos observar uma pessoa descendo pelo segundo caminho, e a mata a direita, fim do primeiro caminho. Agora são 10:00 hrs, Finalmente paramos pra descansar e comer algo. Continuamos descendo a trilha, seguindo um trilho óbvio, todo marcado pelos casacos dos burros que fazem o transporte de mel e queijos produzidos na serra e escoados pra venda em Maringá, logo entramos na mata novamente, o caminho é todo erodido e arenoso, só descida, o joelho reclama, encontramos várias tropas de burros voltando de Maringá, venderam tudo, não tem nem uma pouco de mel pra gente comprar. Algumas passagens são lindas, pois estão na “crista” do morro, com abismo de um lado e de outro, essas passagens são estreitas, imagino que se a vegetação não for conservada elas irão erodir e tudo ficará muito complicado pra quem depende dessa trilha pro ganha pão. Aqui podemos observar vários pássaros, e também escutar vários cantos e piados bem longe, é uma sensação ótima. Finalmente depois de caminhar bastante, começamos a perceber algumas cercas de arame a esquerda, umas 2 casas também a esquerda e atenção, chegamos a uma bifurcação, reto não é o caminho, deve-se virar a direita num ângulo bem fechado, descendo pra dentro da mata, logo aparece uma boa mina d’água, tem um pequeno trecho de descida dentro da mata, e logo avistamos o telhado de uma casa, descemos pelo gramado, passamos ao lado da casa, passamos pelo portão e seguimos pela estrada a direita, logo atingimos outra estrada, e seguimos pela esquerda, atravessando a ponte, e então asfalto, basta agora descer a esquerda pelo asfalto e logo chegamos a vila de Maromba, são 12:30, olho na tela do meu amigo inseparável, gps, hoje foram 13 kms de trilha, totalizando 31 kms, logo reunimos todos pro almoço, escolho logo meu prato preferido local, truta grelhada com alcaparras, e uma boa dose de pinga com mel como aperitivo. Finalmente chego ao fim de mais uma trilha maravilhosa num dos locais mais espetaculares do mundo, meu amado Parque Nacional do Itatiaia. Horários de ônibus partindo da vila de maromba. Pra quem gosta de GPS, está aí o tracklog da trilha, melhor visualizado na Mapsource garmim. Trilha Rebouças- Maromba Mauá 2009.gdb Abração
×
×
  • Criar Novo...