Ir para conteúdo

raphavet

Colaboradores
  • Total de itens

    372
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que raphavet postou

  1. Há muito tempo tinha uma curiosidade imensa sobre a “proibida” travessia da Serra Negra, pelo trajeto Rebouças -- cachoeira do Aiuruoca, ou seja, partindo de dentro do parque Nacional do Itatiaia. Devido a proibição por muitos anos pela diretoria do parque, a maior demanda era de outro trajeto, na verdade uma variante , a travessia serra negra a partir da pousada Alsene, esta sim conhecida de muitos, inclusive eu em 2007. Mas a verdade é que os atrativos da Serra Negra “original”, eram muitos, tinha muita vontade de conhecer a cachoeira do Aiuruoca, a pedra do altar e o vale preistórico. Finalmente devido ao levantamento e balizamento da trilha por um grupo de trabalho com participação ativa do grupo GEAN, grupo excursionista agulhas negras, junto à diretoria do parque, a liberação da travessia tornou-se uma realidade. É interessante lembrar que várias pessoas fizeram essa travessia como clandestinos ao longo dos anos.... Primeiro é preciso pedir a autorização junto ao parque, o que poderá ser feito através de e-mail [email protected] ou telefone (24) 3352 1461/3352 7001, a capacidade máxima é de 40 pessoas por dia, o ideal é fazer em 2 dias, o pernoite poderá ser feito na casa do Sr. Anísio e seus familiares, numa região conhecida como Matão e agendada pelos tels: (35) 9915 2460 Sonia e (35) 9149.7746 Marcelo, lá existem várias opções desde camping simples, até pousada em quartos coletivos e chalés pra casais com jantar e café da manhã, tudo por um preço bem justo e a hospitalidade justa dos mineiros.... Consultar maiores informações: http://www.icmbio.gov.br/parna_itatiaia/index.php?id_menu=177 Finalmente no dia 23/05/2009, levantei em plena madrugada como de praxe e fui ao encontro da galera, chegando a van que estava baseada em Resende, ainda as 5:30 da manhã, a possibilidade de conhecer novas pessoas era um atrativo a mais, um grupo totalmente eclético, com jovens, quarentões e até uma criança de 8 anos, oficiais militares, médicos, analistas de sistema, biólogos, pesquisadores, e até uma artista plástica.... No sobe e curva da estrada pra garganta do registro tentei tirar uma soneca, mas claro, numa van lotada e mochila cargueira no colo foi uma missão impossível....Ao chegar na portaria da parte alta – Posto Marcão, uma ótima surpresa, apesar do tempo incerto que predominou no nosso ano de 2009, lá estava tudo limpo, um frio de matar e um sol de rachar, assim como eu tinha desejado. A visão do maciço era perfeita, fiquei lembrando da primeira vez em que conheci aquela paisagem, o sentimento é surreal, foi devido a esse lugar que iniciei na escalada esportiva e passei a adorar o ambiente de montanha. Maciço das Agulhas Negras Tempo bom + trilha nova = Garoto feliz Depois de entregar os papeis, fazer o pagamento do ingresso 24,00 ( 2 dias de trilha), 6,00 ( taxa de pernoite), revisar rapidamente tudo, e regular a mochila comecei a caminhada, O relógio marcava 8:15 da manhã, um ótimo horário pra começar essa travessia... Tudo começa pela estrada em direção ao abrigo Rebouças, observando o morro do Couto à direita e tentando achar um sapo flamenguinho que sempre fica a beira das poças d’água em meio à vegetação... Chegando no Abrigo Rebouças observamos às prateleiras à direita, o maciço das agulhas a frente e o altar à esquerda... Maciço das Prateleiras Pegamos a trilha em direção às Agulhas, atravessamos a ponte pênsil, atravessamos o riacho que possui uma ótima água que sempre consumo sem qualquer tratamento, até esse trecho não tem erro, é tudo muito bem balizado, é só seguir a trilha que é óbvia... Mais a frente uma bifurcação, em reto seguimos pro Agulhas Negras, à esquerda pra pedra do altar, esse é o nosso caminho, pois vamos passar na base do Altar, aí a trilha torna-se bem íngreme, e chegando ao topo do elevado, a visão do maciço é espetacular.... também a asa de Hermes e o ponto de referência mais próximo no caminho, a pedra do Altar. Maciço Agulhas visto de frente, observe o Itatiaiaçú, ponto culminante do maciço, bem pequeno, no meio da imagem 2.792 m, 6º ponto culminante do Brasil. Asa de Hermes, curiosa formação muito parecida com as asas dos pés do famoso Deus grego. Pedra do altar, nosso rumo! Finalmente chegamos à pedra do Altar, aqui vista de frente.... Pedra do Altar vista de frente, ( gostaram do parassol???) Deixamos o altar pra trás em direção ao vale preistórico, esse vale pode ser avistado quando subimos no topo do agulhas, e possui esse apelido, pois realmente parece uma paisagem de filme, uma campo limpo, com pedras gigantes arredondadas, apelidadas de ovos da galinha, finalmente agora eu poderia passar por ele, na sua borda esquerda, agora rumo a cachoeira do Aiuruoca. Vale preistórico, lugar enigmático. Aqui a trilha continua fácil, bem marcada, com algumas passagens por charcos... No caminho pequenos córregos de águas límpidas formados a partir de charcos que drenam pra cachoeira do Aiuruoca. Finalmente chegamos à cachoeira do Aiuruoca, uma queda de águas pra lá de cristalinas, ela está à direita da trilha, pode ser explorada toda sua queda, desde o topo até a base onde se forma um lago esverdeado, muito cuidado com as pedras que são muito lisas, são quase 12:00, um ótimo horário pra descansar e comer um sanduba com suco instantâneo. Deixamos a cachoeira pra trás e contornamos a encosta pela esquerda e logo depois podemos avistar a serra negra bem de frente. Córrego que despenca pela cachoeira, água gelaaaada!!! Linda!!! Cachoeira do Airuoca com seu lago esverdeado. ( cuidado, as pedras são muito lisas e escorregadias) Cachoeira vista do topo antes de começar a descer pra "mata". Serra Negra, iremos contorná-la pela esquerda!!! Agora começamos a descer e entramos na mata, numa trilha óbvia, na verdade existem algumas bifurcações, mas são feitas pela água da chuva ou pelo gado, é bastante comum encontrar fezes de gado por toda trilha, o que denuncia a falta de vigilância das fronteiras do parque... Chegando ao final da mata ainda com a serra negra em frente, observamos uma bela cachoeira, à direita, uma queda maravilhosa, não accessível, somente pra ser contemplada de longe, alguns arriscaram dizer que o nome é cachoeira do Mané, nome confirmado pelo João do Anísio (pousada), que complementa, Mané Emídio, desse ponto segue-se pra esquerda, passando por uma rancho velho, com uma pastagem em volta e alguns cavalos, realmente uma lugar mágico.... conhecido como invernada, acho impossível descrever, é melhor ver as fotos.... Cachoeira Mané Emídio Pra quem ama cavalos como eu, não existe lugar mais interessante na face da terra!!! Invernada, nosso caminho em direção a mata Passamos por esse campo com a serra negra à direita, a mata que acabamos de passar a esquerda, ou seja, vamos contornar a serra negra pela esquerda, pois o que queremos está atrás dela, não parece óbvio, pois imaginando contornar pela direita, parece que realmente vamos descer mais e chegar mais rápido, mas simplesmente não existe trilha, e a orientação na verdade é realmente pra trás da serra.... Finalmente pegamos mais uma trecho com mato alto e árvores e rapidamente chegamos às cabanas do aiuruoca, realmente existe uma cabana de madeira, esse é o ponto onde essa trilha encontra a trilha serra negra a partir do alsene, pra esquerda a uns 20 metros está o Rio Aiuruoca, à direita em uma trilha óbvia dentro da mata, segue-se para o Matão. Paramos pra descansar, agora são 15:30, fico lembrando de quando fiz a alsene maromba e realmente percebo que esse caminho agora é muito mais longo, pois na época, partindo do alsene atingi esse mesmo ponto as 10:00 da manhã. Rio Aiuruoca, banho gelado revigorante!!! Depois do merecido descanso de 30 minutos, partimos pela trilha em direção a estalagem no Matão, como havia comentado nesse trecho a trilha é obvia, se risco de perder, basta olhar bem pro chão, existem muitas pequenas pinguelas, fontes d’água, plantações e até uma casa abandonada à esquerda já no final do trecho. Finalmente depois de muitas subidas e descidas, avistamos ainda de dentro da mata a propriedade do Sr. Anísio, que era o patriarca da família, hoje a propriedade está dividida entre os irmãos Zé do Anísio e João do Anísio. Nesse momento percebo a péssima escolha que fiz, não sei porque, escolhi ficar acampado e trazer minha própria comida, acho que simplesmente estava com muitas saudades de acampar e de executar meus velhos truques em culinária de acampamento, mas isso me custou uma mochila de 15 kgs nas costas...e quando vi o cardápio que haviam preparado na pousada fiquei babando.... truta grelhada, saladas, etc... O quarto coletivo era muito bom, as camas eram realmente confortáveis e bem mais quentes que a minha barraquinha.... Contudo armei minha barraca, tomei meu banho quente e fui pra varanda cozinhar e tomar pinga com mel e choconhaque. Uma noite maravilhosa com muito silêncio e sem chuva, somente a velha geada regional. Antes de dormir observo no gps que hoje foram 18,1 kms de caminhada, melhor impossível!!! Pôr do Sol no Matão. Gramadão legal pra acampar Galera preparando o jantar
  2. Raphavet, após um ano e pouco de uso o que você diz essa calça-bermuda da equinox? :'> Blz Amigo, posso dizer que após 1 ano de uso a calça continua ótima, não aparenta ser velha pois mantém a cor legal, ( verde escuro), as proteções de cordura estão intactas, os zíperes continuam funcionando muito bem, as costuras estão ótimas.... Claro que tem uns 2 furinhos na perna devido a vegetação como tocos e etc, mas mesmo assim esses furos não foram "abrindo" com o tempo, continuam do mesmo tamanho...... Então, o uso foi principalmente pra trilhas em mata, escaladas na rocha e caminhadas em geral, como já havia comentado recomendo essa calça-bermuda equinox com cordura pra qualquer atividade, tenho também uma impermeável da T&R, mas esta cria muita condensação, por isso uso raramente... abração
  3. Amigo, gosto muito desse conjunto trailhead + liner, mas costumo usar também o conjunto military + liner ambos FR, comprei minha trailhead na equinox, dá uma olhada no site deles.... abraço
  4. Pra Ajudar outros.... Enviado em: 07 Dez 2009 02:22 por claudiopsiuerj Olá, amigo! Li que você fez a Travessia da Serra Negra pela atual rota, via cachoeira do Aiuruoca, passando pelo meio do Planalto do Itatiaia. Estou planejando de fazer esta mesma travessia no ano que vem com 3 amigos. Como é um trajeto novo, tenho uma dúvida. Do Abrigo Rebouças até a Cachoeira do Aiuruoca é moleza de chegar. E da Cachoeira do Aiuruoca até eu encontrar a antiga trilha (que sai do Alsene), está bem sinalizado? Creio ser um trecho de aproximadamente 3 a 4 kms, estou correto? O que você poderia me dizer sobre este trecho especificamente? Se puder me ajudar ficarei muito grato! Abraços! Cláudio Beleza Amigo, NA verdade o trecho até a cachoeira realmente é facil de se orientar devido a visalização do maciço das agulhas à direita e depois o maciço do altar ( passamos pelo pé do altar) e depois do vale preistorico, ainda a direita ( vale que fica trás do agulhas). Assim fica fácil , o problema maior é que deve-se ter muita atenção pois é facil perder o traçado da trilha e se isso acontecer vc terá que ralar o peito naquele capim cortante até encontrar novamente, mas isso é facil de se evitar, basta olhar bem pro chão pra não perder a trilha. Trecho da cahoeira até as cabanas do aiuruoca , basta ir descendo, logo vc entra numa mata, fique sempre na trilha principal mais larga, pois o gado acabou abrindo novas bifurcações, mas nào ten muito erro não, dá pra perceber legal qual trilha é original, depois chega-se a uma gramado onde visualiza-se outra cachoeira a direita e a serra negra bem em frente, segue pra esquerda, passa num rancho com aspcto abandonado com alguns cavalos pastando em volta, entramos novamente na mata, sempre com a serra negra a direita, chegamos as cabanas do aiuruoca, pra direita maromba, pra esquerda o rio aiuruoca, ou seja, já atingimos a linha da trilha que vem do alsene, prosseguindo pra maromba o pernoite pode ser feito na casa do seu João ou do seu irmão, acho interessante pois não precisará carregar o peso das barracas e etc... o trecho todo do rebouças até a cas ado JoÃo é de aprox. 17 km, então acredito que o trecho da cachu até as cabanas seja realmente de uns 4-6 kms.... Se vc quiser o tracklog de toda viagem eu passo pra vc, assim poderá ver minha velocidade média e os horários que saí e cheguei, bem como seguir o traçado pra não errar, mas leve em consideração que vc com certeza vai andar mais rápido, pois fiz essa travessia com outras 12 pessoas, inclusive uma criança de 8 anos e outros de 55 anos.... No momento estou viajando então não tenho as fotos aqui , mas quando chegar vou colocar no t'opico pra vc se orientar melhor, abraço
  5. Olha se a barraca fit for nova e estiver sendo usada pela 1º vez, talvez ela aguentará 1 ( UMA) chuva, mas tempestade não, Então como acredito que a barraca alugada não estará nessas situações e como simples chuvas são incomuns na ilha, o normal mesmo, nessa época, são tempestades acho que a chance de vc se dar mal é muito grande... então compra logo uma T&R que tem um ótimo custo benefício... abraço
  6. Agusto!!!!! parabéns pelo relato!!!! já fiz essas trilhas várias vezes, mas nunca todas juntas! E agora em janeiro estou planejando uma volta completa em solitário, meu único receio é a trilha cachadaço-sto antônio , essa eu nunca fiz, mas tenho o livro que vc citou,então vamos as perguntas: Poderei fazer um resumo dessa trilha do livro e confiar nele? Os pontos de orientação que vc citou são suficientes pra fazer esse trajeto? Vc tem, ou conhece alguém que tenha o track log desse trecho? abraço
  7. Verdade, inclusive tenho paquerado um lançamento da fun dive que é a intova, lanterna de mergulho toda em alumínio e a leds, é bem leve e anatômica, custa +/- 170,00, eu já tenho uma estanque que uso em mergulho , mas é bem pesada, usa 4 pilhas médias e é halógena, portanto não serve pra trilhas. Mas confesso que com as novas duo a led, o consumo caiu tanto que ainda estou tentado a comprar uma um dia.... abraço
  8. Comprei uma ZaKharov modelo comando, e é simplesmente impressionante o aço usado, corta muiiiiiiito, acabamento ótimo, quem quiser uma boa faca, com ótimo custo benefício vai nessa....
  9. Meu irmão tem uma lucido simples, é uma ótima lanterna, interessante que ela tem leds sinalizadores vermelhos atrás, ela também roda sobre o proprio eixo escondendo os botões pra não ligar acidentalmente. Agora essa nova lucido parece ser muito boa, a mammut é uma marca super confiável, eu tenho uma icon e acho um ótimo custo benefício, tenho uma myo xp tb, e acho que se fosse comprar uma outra lanterna compraria uma totalmente impermeável, que pudesse ser submergida, como é o caso da petzl Duo. Acho interessante vc poder cair nágua sem precisar se preocupar, e ainda, iluminar o fundo de uma cachoeira ou córrego, uma vez deixei minha faca escorregar de uma pedra enquanto limpava um peixe e caiu na cachoeira , não era fundo, mas a água era muito escura, se tivesse uma lanterna dessas seria muito fácil pois o metal iria brilhar, e não precisaria ficar passando a mão entre as pedras pra achar ..... A Duo led, pode ser submergida até 5 metros,é mais que suficiente. abraço
  10. Olha a foto das medicações e da bolsa onde aperto tudo junto.
  11. OI galera, Todos esses kits descritos anteriormente são ótimos, e acho que deve ser assim mesmo os kits são particulares e direcionados para uso individual , cada pessoa sabe das suas necessidades, e de acordo com o local visitado o kit aumenta ou diminui, ou também de acordo com a formação de cada um. Uma coisa muito importante é que a pessoa deve ter experiência com o uso dos medicamentos que irá levar , ou seja, já devem ser de uso corriqueiro ou pelo menos já devem ter sido usados em outras ocasiões, pois assim, podemos evitar as reações alérgicas aos componentes da fórmula. Deve-se evitar também fornecer medicamentos pra outras pessoas que não são do seu convívio, pelos mesmos motivos anteriores, vc pode ajudar a pessoa de outra maneira... Acho que podemos dividir em 2 kits o básico e o avançado: Kit básico: - neosaldina ( febre, dor de cabeça) - Trimedal ( resfriados, gripe, febre) - Descongestinante nasal aturgil - diclofenaco sódico ( dor muscular, articular, antinflamatório) - diclofenaco gel - fenergan ( alergias, picada de abelhas) - dexametasona comp. 4 mg ( picada de abelhas, junto com fenergan) - allegra ( antialérgico, antihistamínico, rinites, sem efeito sedativo) - carvão ativado ( adstringente de toxinas, diarréia) - cefalexina ( antibiótico de largo espectro, usar na emergência, --ferimentos-- mas procurar rapidamente um outro específico) -clorin ( purificador de água) -pomada quadriderm ( vai servir pra tudo desde picada de inseto até frieira, depois que acabar a viagem convém usar uma pomada específica) - povidine - ataduras 15 cm X 4 m - gaze -esparadrapo micropore ( pode substituir o bandaid) Kit Avançado: Acho que esse kit deveria ser usado preferencialmente por médicos, enfermeiros, ou pessoas que tenham treinamento técnico para tal. - Dexametazona injetável 2 ampolas uso E.V. ou I.M.( reações alérgicas graves, trauma ) - Fenergam Inj. I.M. ( Reações alérgicas ) - Adrenalina I.M , E.V., S.C. ( anafilaxia) - Tenoxican 20 mg I.M ,E.V. ( Antiinflamatório , analgésico) - Hidrocortizona 500 mg I.M, E.V. ( reações alérgicas respiratórias) - diprospan I.M ( lombociatalgia intensa, rinite alérgica não responsiva) - lidocaína 2% ( anestesia local) - Buscopan composto E.V. ( cólica renal) - Tramal 50 S.C. , E.V. ( opióide, reservado para dores não responsivas a analgésicos) - Gilcose 50% ampolas E.V. ,V.O ( hipoglicemia, diluições) - Rifocina spray - ceftriaxona I.M, E.V ( antibiótico injetável de largo espectro) - Seringas variadas 20, 10, 5 ml - Agulhas variadas 40x12, 30x8, 25x 07 - scalps variados 21, 23 - Água p/ injeção E.V. ( diluições) - Fio de sutura Nylon 3-0, 4-0, 2-0 Cat gut 3-0, 2-0, 0 - 1 porta agulha –tesoura pequeno. - 1 tesoura romba-fina - 1 pinça hemostática halsted todo esse kit cabe dentro de uma pequena bolsa/frasqueira, e pesa aprox 500 gramas.
  12. Comprei um suunto observer, gostei bastante, os dados de altitude , barômetro e bússula quase sempre batem com os do meu gps, é bem fácil de operar e extremamente leve devido a sua caixa de titânio.
  13. Já Ví uma menina usando uma curtlo High 50, ela disse que gostava bastante pois ficava bastante confortável, acho que é uma mochila bastante interessante com um preço agradável, gosto bastante do layout dela, acho uma ótima opção, eu não indicaria uma mochila com capacidade menor que 60 litros pra uma viagem dessas.... abraço
  14. Amigo, onde vc comprou em São josé??? ou em Sampa, quando estiver passando por lá eu vou tentar comprar, já pensou em usar querosene? é super seguro, depois que vc pega a mãnha quase não produz fuligem, e a chama é a mais quente de todas , ou seja, ferve tudo mais rápido.... abraço
  15. Cacius, o álcool realmente nunca testei, na verdade já testei indiretamente usando gasolina comum que possui 25% de álcool ou no caso da minha cidade acho que deve chegar a uns 50% porque aqui ´praticamente toda gasolina é bagaceira... Mas imagino que deva ser uma boa opção pra testar, pois não existe nenhum comentário no manual, ou seja, se ninguêm proibiu, vamos fazer!!!! Agora, a verdade é que o álcool possui muita água, o que pode prejudicar bastante o funcionamento, principalmente na hora de pressurizar, vou testar e depois postar aqui, mas vou testar somente o álcool doméstico, pois o álcool do posto é muito fedorento, e com certeza ele vai funcionar, na verdade a minha dúvida seria quanto ao álcool doméstico.... E a sua? abraço
  16. A idéia é essa mesmo, vc pega uma pederneira dessas, encaixa na capa da faca, ou na mochila, e esquece...... pode molhar, ficar no sol, etc, quando precisar ela vai funcionar!!!! detalhe, não deixe que ela fique em contato com outros metais, pois ela pode corroer e aí já era! aconteceu isso com uma minha, não essa de magnésio, mas a outra, em forma de cilindro. abraço
  17. Amigo, acho que vc deveria pensar seriamente em comprar uma symbium, eu não tenho, mas já vi um cara usando e ele disse que aquele sistema de balanço da barrigueira realmente faz uma grande diferença, além do mais o preço dela é bastante justo e atraente, abraço
  18. Teve uma vez que eu levei pra uma viagem praticamente tudo que estava naquela lista, incluindo algumas bebidas.... Mas na época eu tinha uma ford RANGER!!!!!!
  19. Amigo, se vc está começando na escalada é melhor comprar uma sapata por aqui mesmo, pois o desgaste é sempre muito grande quando estamos começando, agora se vc já escala ha algum tempo, parte logo p´ra uma five ten ou la esportiva, não existe comparação entre essas sapatas e as nacionais, a diferença é muiiiiiiiiito grande..... abraço
  20. Oi Helena, Pesquise sobre Aventureiro e Parnaioca. Se vc achar muito longe vai pra Palmas, no camping Paraiso, que é uma ótima opção e bem mais perto e de fácil acesso, comparando com os 2 primeiros. Abraço
  21. Pode comprar tanquilo, mas veja se existe estoque na loja, caso precise trocar o número, vai de snake mesmo, sem dúvida! abraço
  22. fala amigo, Vai de quechua forclaz 70, o pessoal tem falado muito bem dessa mochila, sim as armações são fundamentais em mochilas com grande capacidade, para distribuição de peso e sustentabilidade eu uso um saco protetor da kailash de 110 litros, mas também existem várias opções de bolsas de transporte/proteção especiais para mochilas. abraço
  23. Claro que sim, aguentaria perfeitamente, mas acho que vc deveria aproveitar a sua viagem ao exterior pra comprar uma boa bota lá( assolo), o único problema seria o amaciamento que é muiiiito importante, mas isso depende de quanto tempo vc vai ficar viajando , ou se vai só pra fazer o caminho...... Eu comprei uma salomon qque nunca me machucou, teoricamente nem precisou de amaciamento, mas foi uma excessão, isso não é muito comum, principalmente nos produtos de couro, esses sempre precisam ser amaciados.... abraço
  24. Tenho uma Fr Military, tb muito boa, seca super rápido, abraço
×
×
  • Criar Novo...