Ir para conteúdo

andreantunes

Colaboradores
  • Total de itens

    197
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

4 Neutra

Sobre andreantunes

  • Data de Nascimento 30-11-1955

Bio

  • Ocupação
    Cardiologista, Professor Universitário.
  1. Posso lhe responder que após se "habituar", o ganho é no mínimo de 20%, pois sem bastão, você não usa a musculatura superior (braços, peitorais). E com os bastões você ganha mais impulso na subida (os braços passam a ajudar), e na descida, você protege mais os joelhos, reduz a chance de cair, desce com mais segurança. Por favor, LEIA e RELEIA atentamente o tópico longo que escrevi no início do post. Está bem detalhado, coloquei tudo que podia estar escrito ou falado. TODAS as dicas. São muitas.
  2. Nathan, bom dia. Abra a página dois, e leia. Tem tudo que vc precisa saber. Abç
  3. Grávida teoricamente não poderá tomar nada desconhecido. Pílulas e chás, esqueça, para segurança do bebê. Converse com seu obstreta, quais remédios ele/a indica para os SINTOMAS que você possa sentir. GENTE, NÃO EXISTE remédio para Mal da Montanha!! Estou aqui há anos, e parece que ninguém entende. Existe tantas informações LEIGAS que confundem. O único remédio para o GRANDE mal de montanha é descer... (em caso grave vai corticoide venoso, etc, mas o remédio que salva da morte é descer). Nos males MENORES é parar de subir, repouso, talvez descer, hidratar, etc. NO MAIS não há provas de "cortar a doença". Outro GRANDE REMÉDIO é a prevenção, ficar mais tempo num lugar ANTES de subir muito. (Está tudo explicadinho em muitos trechos deste fórum). Chá disso, chá daquilo são "sintomáticos"... PRUDÊNCIA PREVENINDO é o melhor remédio...
  4. Pode ser um Cardiologista, ou especialista em Medicina Esportiva. Mas como é um assunto pouco frequente, imagino que muitos não terão conhecimento profundo sobre o assunto. Pelo menos começa o seu Check-up básico. Se você tiver asma ou bronquite frequente, precisa de um Pneumologista principalmente.
  5. Maurício, a resposta me parece que é "não resolve nada". Explico: quando a gente é escoteiro, ou mesmo um "sem teto" que dorme no passeio, aprendemos que "papel" ou "jornal'' é isolante do frio do chão, que é bom dormir em cima dele, ou por a barraca em cima. O sombrite não isola nada. Outra função da lona ou footprint é não deixar passar a "pontinha cortante" de uma pedrinha, ou lasca de madeira, ou espinho, que furaria o fundo da barraca. O sombrite é mesmo que nada. Outra função da lona ou footprint é não deixar passar LAMA, que sujaria a barraca. O sombrite vai ficar uma meleca. Outra função é isolar a água, pois isolaria também o frio, e o sombrite é todo vazado. Então... Não protege !
  6. Felipe, Nunca fiz nada além de saída de um dia, ida e volta com a Jam 2 da Golite. Acho que 10 quilos seria o limite de um conforto. A barrigueira não é larga, e o tecido é simples, sem sustentação. O tecido é o mais resistente que existe (Dyneema), mais do que aço. É usado pelo exército americano. Na guerra do Iraque não havia estoque para civil comprar nos Estados Unidos. É excelente mochila, leve, hiper resistente. E com bom volume. A do Bullseye é a mesma mochila, já consertando as queixas da minha, que era o costado liso, que esquentava (colava, moldando nas costas, sem nenhuma ventilação). Esta era a única queixa quando você via a revisão dada por usuários americanos, mesmo com clima temperado, e eu moro em região muito quente. Dá prá levar, mas depois que vc vê que uma mochila um pouco mais pesada (Deuter) trás mais conforto com mais peso, deixei a Jam 2 para situações leves mesmo. E acredito que as mudanças do novo modelo favorece levar os 10 quilos com conforto estrutural do peso no quadril e o conforto térmico/ventilação... Fiz uma estrutura com hastes de alumínio (usada para soldar). Uni 2 soldas, e fiz um "U", e coloquei dentro da mochila, com as pontas de cima viradas (para não furar nada). E "olhando" este "U" lateralmente, fiz uma dobra na parte inferior apoiando no quadril cerca de 13 cm, e a parte superior reta, afastado um pouco das costas. Numa próxima trilha leve, vou me aventurar de sair com ela, e ver como ficou. (lembre que o modelo novo já vem melhorada).
  7. É isso mesmo. A ARC'TERYX é excelente marca, que consegue associar conforto (pela técnica de estrutura de sustentação, cortes, costura) e pouco peso, em relação à outras marcas. Depois de muita pesquisa, comprei uma cargueira Arc'teryx para meus filhos. Era a cargueira mais leve... Dei uma olhada na Nozone 55, e é interessante. Nessa hora vai ficando difícil ter muita diferença de peso. É um pouco mais leve que minha Deuter ACT Lite 40+10 (1500 gramas). Esta Deuter é muito confortável para 12 quilos, no máximo 15. Já viajei na Patagônia com 17 quilos, e já incomodava um pouco.
  8. Olá, as ponderações do Bullseye são corretas (acima). Eu tenho uma mochila Golite Jam 2, com 600 e poucas gramas. O tecido é Dyneema, ultra forte. Ela é boa para pouco peso. Se pesar, já incomoda, pois não tinha estrutura rígida, e também era queixa comum o "esquentamento" das costas, pois ela moldava no sujeito, e sem ventilação, vinha o calor e muito suor nas costas... Para resolver isto, comprei umas barras de alumínio bem finas, e fiz uma "estrutura" (dobrei e mandei soldar, grosseiramente), que diminuiu um pouco este moldamento da mochila nas costas, e jogando um pouco o peso para o quadril. A própria GoLite resolveu isto fazendo um acolchoado com ventilação no costado da mochila. Por isso que o peso dela subiu para 840 gramas. Com este tecido Ripstop, é meio mágico este peso da Conquista. Só se economizou em outras estruturas, como zíper, etc, com o design super limpo. De qualquer modo, este peso da mochila não é CONFORTO. Às vezes é melhor ter uma mochila de 1,5 quilos, prá carregar 15 ou mais quilos. Ou uma mochila de 2,5 quilo, prá carregar 20 ou mais quilos. Analise bem também o PESO total dos equipamentos que você pretende carregar. Acredito que o volume (50 litros?) seja suficiente para roupas e sacos leves, mas volumosos...
  9. Olá, são bem semelhantes, do mesmo nível. O seu é até 40 gramas mais leve. Você não irá provavelmente perceber melhor performance entre eles. abç. :'>
  10. Falha minha, é pagina 2. Acho que a 4ª mensagem. Um "Manual" grande e ilustrado que fiz, de como usar. Vale a pena ler, bem detalhado, com dicas novas. Pois nas primeiras vezes que usei os bastões, eu abusei (usei de modo errado, forcei os joelhos muito além do limite) e fiquei meses no estaleiro, recuperando de joelhos lesionados... Existe limitações, se forçar os joelhos, achando que os bastões seguram a barra, vai ter problema. Quanto a usar um ou dois, vai da prática e da necessidade. No início eu só usava um. Num trecking longo e com PESO (mochila), dois são melhores, pois você terá apoios bilateralmente, e terá os dois ombros e braços fazendo parte da propulsão e apoio. Agora, num final de semana, caminhada leve, levo um bastão. Dá pro gasto, uma mão solta, andando devagar, etc. Se for Trecking com Mochilão, levo dois, sempre. MAS demora um pouco pegar a prática... MAS PEGA.
  11. Olá Lúcio, o bastão não faz força, você que faz. Veja bem: A força que você usou, digamos que seus braços funcionaram só um pouquinho, tipo 10% do esforço de apoio e propulsão... Então ou suas pernas economizaram 10% do esforço ( prá fazer o mesmo trabalho de 100, ficou faltando 90%...) Ou se você manteve as pernas nos 100% de esforço, somado com mais 10% dos braços e ombros, somou 110% de rendimento. Dá pra aumentar facilmente em 25% do seu rendimento. Ou seja, economiza 25% das pernas, ou se manter as pernas no ritmo habitual, você pode encurtar o tempo que gastaria. E lógico, que se usa a força do tronco e braços, reduz o esforço em cima dos quadris, joelhos e pés. Sem mágica... Mas veja como COMO USAR BASTÃO DE CAMINHADA na página [t1]2[/t1]. Tem o jeito errado , e o certo... PS: pesquisei na internet, a trespass é marca escocesa, existe deste década de 30.
  12. Olá, pode ficar com o Quepardo. É bom, já tive um (tenho ainda). É o básico. Não conheço bastões de 4 estágios. Não é o habitual nas principais lojas do mundo. Não compraria... é desconhecido. Não fala a marca, etc, etc. As lojas fora do Brasil, como você olhou algumas que postei, ficaram mais caras, porque o Real desvalorizou muito. E com frequência existe no site, mas não tem na loja física. Quando fui ao Chile, fiz um email, e conversa pelo Skipe, conferindo o que tinha nas lojas... Melhor vc comprar aqui. Por cinquentinha não vai achar nada lá fora. abç, :'>
  13. Olá, Se olharmos só as altitudes, fica mais fácil. Como disse, não conheço a região para "roteirar" pensando em "atrações, hospedagem, distãncia, etc). Estou olhando só as Altitudes, usando as cidades que vc citou. Vamos ver: 1ª Sugestão: Seria dormir duas noites em Arequipa (2800 m). E depois se vocês vão para Chivay 3,635 m. Está melhor assim. 2ª Sugestão: A outra opção de Arequipa duas noite, (2800 m), depois Yanque ( 3417 metros) é interessante, depois Chivay (3.635 m). . Então seria Arequipa 2 noites, Yanque, depois Chivay... Daí você pode reduzir um dia em Cuzco, na parte final da viagem, onde estava previsto duas noites, porque já estarão aclimatados por vários dias antes de ir a Puno. PODE fazer diferença sim, e lógico, para melhor. Vocês vão subir 600 metros após duas pernoites em 2800 m. Está mais próximo dos 300 a 400 metros de ascenção por dia. E como disse, prefiro sempre prevenir que remediar. E remediar é ficar mais um dia na mesma altitude, ou, em situação pior, ter que descer. Aí acaba todo o roteiro... Acho a 2ª sugestão melhor: Arequipa 2x, Yanque 1x, Cusco 1x, Aguas Calientes 1x, Cusco 1x e Puno. Abç. :'>
  14. Olá, Vamos ao seu roteiro: -Arequipa: 2,335 m, chegada súbita (de avião) e pernoite. Razoável, diria que tem que chegar mesmo. Tem que ter o primeiro degrau para subir, e Arequipa é o primeiro degrau. -Dia seguinte, Chivay: 3,635 m, com pernoite. (não gostei: subiu mais de mil metros num dia !!). Não conheço a região, mas procuraria um lugar para dormir mais uma noite abaixo de 3000 mil metros, ou em torno desta altitude. Lembre-se que o IDEAL é subir mil metros em 2 ou 3 dias. Pernoitar uma noite a cada 300 a 400 metros da subida, e pernoitar duas noites quando chegar em 3 mil, 4 mil, 5 mil metros. -3ª noite desce para Arequipa (o que é bom). -Depois sobe "devagar" (onibus) para Cusco: 3,399 m (tudo bem, já pernoitou em 3.600 m duas noites antes...). -Dorme alto e desce para dormir baixo em Águas Calientes, 2,040 m (o que é bom). -Sobe para Cusco (3399 m) por duas noites (tranquilo, já havia dormido aí, e prepara para Puno com 3,830 m). NINGUÉM consegue prever mal de altitude. O super atleta passa mal, e o sedentário passa bem. Esta parte OLHANDO SÓ ALTITUDE, eu ficaria uma noite a mais em Arequipa, ou em algum lugar com altitude intermediária. Sou precavido. Não gosto de remediar. Quanto à ASMA, é outro capítulo: TEM que levar as bombinhas, etc, os medicamentos habituais, e HIDRATAR BEM, pois se perderá muita água, devido o AR MAIS SECO, seja no verão ou na neve. Só respirando normal, sem exercícios já perde. E este ar seco pode irritar as mucosas das vias aéreas. E se tiver com ar frio, pode irritar mais ainda. A hidratação ajuda a manter as mucosas mais úmidas. Tem pessoas que pioram a asma quando respiram muito rápido, como rindo demais, dando gargalhadas por minutos. Então tem que ser mais precavido ainda. E evitar esforços que farão ela respirar muito rapidamente!! (você e ela já estarão respirando mais rapidamente um pouco, como forma de adaptação). É conveniente ela visitar seu médico pneumologista, e pedir para fazer uma receita completa, em caso de piora. Para não falar só coisa ruim, nas montanhas, o ar mais puro geralmente tem menos alergenos (pós, etc), então alguns asmáticos até melhoram quando mudam para as altitudes elevadas. E toda essa conversa acima é se sua esposa tem asma controlada. SE tive Asma severa, de difícil controle, ela terá problema, pois aqui no Brasil, ela já estaria com baixa oxigenação, e lá nas montanhas, iria complicar. Os outros medicamentos (diamox, etc) são atenuantes dos sintomas do mal, não estão relacionados diretamente com a melhora da Asma. Espero ter ajudado! :'> boa viagem...
  15. Sovietzer, sempre é impossivel prever riscos. Geralmente não acontece nada quando a cada mil metros de mudança de altura (subindo), vc pernoitar, ou seja ficar 48 horas neste intervalo. Idealmente subindo em torno de 400 metros por dia. Geralmente o mal pode acontecer a partir de 3 mil metros. Voce ficará um bom tempo em torno de 2800 metros (vai ajudar), e depois pula para quase 4mil metros (3900 metros). Leia as recomendações do forum (hidratar, evitar muito movimentos no primeiro dia, etc). E vai.
×
×
  • Criar Novo...