Ir para conteúdo

andreantunes

Colaboradores
  • Total de itens

    197
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

4 Neutra

Sobre andreantunes

  • Data de Nascimento 30-11-1955

Bio

  • Ocupação
    Cardiologista, Professor Universitário.
  1. Posso lhe responder que após se "habituar", o ganho é no mínimo de 20%, pois sem bastão, você não usa a musculatura superior (braços, peitorais). E com os bastões você ganha mais impulso na subida (os braços passam a ajudar), e na descida, você protege mais os joelhos, reduz a chance de cair, desce com mais segurança. Por favor, LEIA e RELEIA atentamente o tópico longo que escrevi no início do post. Está bem detalhado, coloquei tudo que podia estar escrito ou falado. TODAS as dicas. São muitas.
  2. Nathan, bom dia. Abra a página dois, e leia. Tem tudo que vc precisa saber. Abç
  3. Grávida teoricamente não poderá tomar nada desconhecido. Pílulas e chás, esqueça, para segurança do bebê. Converse com seu obstreta, quais remédios ele/a indica para os SINTOMAS que você possa sentir. GENTE, NÃO EXISTE remédio para Mal da Montanha!! Estou aqui há anos, e parece que ninguém entende. Existe tantas informações LEIGAS que confundem. O único remédio para o GRANDE mal de montanha é descer... (em caso grave vai corticoide venoso, etc, mas o remédio que salva da morte é descer). Nos males MENORES é parar de subir, repouso, talvez descer, hidratar, etc. NO MAIS não há provas de "corta
  4. Pode ser um Cardiologista, ou especialista em Medicina Esportiva. Mas como é um assunto pouco frequente, imagino que muitos não terão conhecimento profundo sobre o assunto. Pelo menos começa o seu Check-up básico. Se você tiver asma ou bronquite frequente, precisa de um Pneumologista principalmente.
  5. Maurício, a resposta me parece que é "não resolve nada". Explico: quando a gente é escoteiro, ou mesmo um "sem teto" que dorme no passeio, aprendemos que "papel" ou "jornal'' é isolante do frio do chão, que é bom dormir em cima dele, ou por a barraca em cima. O sombrite não isola nada. Outra função da lona ou footprint é não deixar passar a "pontinha cortante" de uma pedrinha, ou lasca de madeira, ou espinho, que furaria o fundo da barraca. O sombrite é mesmo que nada. Outra função da lona ou footprint é não deixar passar LAMA, que sujaria a barraca. O sombrite vai ficar uma meleca. Outra
  6. Felipe, Nunca fiz nada além de saída de um dia, ida e volta com a Jam 2 da Golite. Acho que 10 quilos seria o limite de um conforto. A barrigueira não é larga, e o tecido é simples, sem sustentação. O tecido é o mais resistente que existe (Dyneema), mais do que aço. É usado pelo exército americano. Na guerra do Iraque não havia estoque para civil comprar nos Estados Unidos. É excelente mochila, leve, hiper resistente. E com bom volume. A do Bullseye é a mesma mochila, já consertando as queixas da minha, que era o costado liso, que esquentava (colava, moldando nas costas, sem nenhuma ventilaç
  7. É isso mesmo. A ARC'TERYX é excelente marca, que consegue associar conforto (pela técnica de estrutura de sustentação, cortes, costura) e pouco peso, em relação à outras marcas. Depois de muita pesquisa, comprei uma cargueira Arc'teryx para meus filhos. Era a cargueira mais leve... Dei uma olhada na Nozone 55, e é interessante. Nessa hora vai ficando difícil ter muita diferença de peso. É um pouco mais leve que minha Deuter ACT Lite 40+10 (1500 gramas). Esta Deuter é muito confortável para 12 quilos, no máximo 15. Já viajei na Patagônia com 17 quilos, e já incomodava um pouco.
  8. Olá, as ponderações do Bullseye são corretas (acima). Eu tenho uma mochila Golite Jam 2, com 600 e poucas gramas. O tecido é Dyneema, ultra forte. Ela é boa para pouco peso. Se pesar, já incomoda, pois não tinha estrutura rígida, e também era queixa comum o "esquentamento" das costas, pois ela moldava no sujeito, e sem ventilação, vinha o calor e muito suor nas costas... Para resolver isto, comprei umas barras de alumínio bem finas, e fiz uma "estrutura" (dobrei e mandei soldar, grosseiramente), que diminuiu um pouco este moldamento da mochila nas costas, e jogando um pouco o peso para o quadr
  9. Olá, são bem semelhantes, do mesmo nível. O seu é até 40 gramas mais leve. Você não irá provavelmente perceber melhor performance entre eles. abç. :'>
  10. Falha minha, é pagina 2. Acho que a 4ª mensagem. Um "Manual" grande e ilustrado que fiz, de como usar. Vale a pena ler, bem detalhado, com dicas novas. Pois nas primeiras vezes que usei os bastões, eu abusei (usei de modo errado, forcei os joelhos muito além do limite) e fiquei meses no estaleiro, recuperando de joelhos lesionados... Existe limitações, se forçar os joelhos, achando que os bastões seguram a barra, vai ter problema. Quanto a usar um ou dois, vai da prática e da necessidade. No início eu só usava um. Num trecking longo e com PESO (mochila), dois são melhores, pois você terá
  11. Olá Lúcio, o bastão não faz força, você que faz. Veja bem: A força que você usou, digamos que seus braços funcionaram só um pouquinho, tipo 10% do esforço de apoio e propulsão... Então ou suas pernas economizaram 10% do esforço ( prá fazer o mesmo trabalho de 100, ficou faltando 90%...) Ou se você manteve as pernas nos 100% de esforço, somado com mais 10% dos braços e ombros, somou 110% de rendimento. Dá pra aumentar facilmente em 25% do seu rendimento. Ou seja, economiza 25% das pernas, ou se manter as pernas no ritmo habitual, você pode encurtar o tempo que gastaria. E lógico, que
  12. Olá, pode ficar com o Quepardo. É bom, já tive um (tenho ainda). É o básico. Não conheço bastões de 4 estágios. Não é o habitual nas principais lojas do mundo. Não compraria... é desconhecido. Não fala a marca, etc, etc. As lojas fora do Brasil, como você olhou algumas que postei, ficaram mais caras, porque o Real desvalorizou muito. E com frequência existe no site, mas não tem na loja física. Quando fui ao Chile, fiz um email, e conversa pelo Skipe, conferindo o que tinha nas lojas... Melhor vc comprar aqui. Por cinquentinha não vai achar nada lá fora. abç, :'>
  13. Olá, Se olharmos só as altitudes, fica mais fácil. Como disse, não conheço a região para "roteirar" pensando em "atrações, hospedagem, distãncia, etc). Estou olhando só as Altitudes, usando as cidades que vc citou. Vamos ver: 1ª Sugestão: Seria dormir duas noites em Arequipa (2800 m). E depois se vocês vão para Chivay 3,635 m. Está melhor assim. 2ª Sugestão: A outra opção de Arequipa duas noite, (2800 m), depois Yanque ( 3417 metros) é interessante, depois Chivay (3.635 m). . Então seria Arequipa 2 noites, Yanque, depois Chivay... Daí você pode reduzir um dia em Cuzco, na parte fina
  14. Olá, Vamos ao seu roteiro: -Arequipa: 2,335 m, chegada súbita (de avião) e pernoite. Razoável, diria que tem que chegar mesmo. Tem que ter o primeiro degrau para subir, e Arequipa é o primeiro degrau. -Dia seguinte, Chivay: 3,635 m, com pernoite. (não gostei: subiu mais de mil metros num dia !!). Não conheço a região, mas procuraria um lugar para dormir mais uma noite abaixo de 3000 mil metros, ou em torno desta altitude. Lembre-se que o IDEAL é subir mil metros em 2 ou 3 dias. Pernoitar uma noite a cada 300 a 400 metros da subida, e pernoitar duas noites quando chegar em 3 mil, 4 mil, 5
  15. Sovietzer, sempre é impossivel prever riscos. Geralmente não acontece nada quando a cada mil metros de mudança de altura (subindo), vc pernoitar, ou seja ficar 48 horas neste intervalo. Idealmente subindo em torno de 400 metros por dia. Geralmente o mal pode acontecer a partir de 3 mil metros. Voce ficará um bom tempo em torno de 2800 metros (vai ajudar), e depois pula para quase 4mil metros (3900 metros). Leia as recomendações do forum (hidratar, evitar muito movimentos no primeiro dia, etc). E vai.
×
×
  • Criar Novo...