Ir para conteúdo

Studart

Membros de Honra
  • Total de itens

    331
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Studart postou

  1. http://kl.chagdud.org/como-chegar/ o mapa está aqui
  2. Studart

    Visto - Canadá

    legal, pelo que me lembro fiquei hospedado a uma quadra do shopping da segunda foto. O Canadá é fabuloso mesmo.
  3. Olá, Parabéns pelo novo relato, tão interessante quanto o primeiro. Um incentivo a mais para quem quer conhecer a região, como eu.
  4. Eu também gostei do relatos e das fotos. Estimulante. É de uma região que eu não conheço, ainda. Parabéns. Vou até pontuar.
  5. obrigado Rodrigo. Devo postar novamente mais tarde, colocando algumas fotografias
  6. X – CONSIDERAÇÕES FINAIS. Exceto Florianópolis, as demais cidades me satisfizeram, acho que fiquei o tempo certo. Floripa merecia mais e certamente voltarei lá, quando for para conhecer Urubici e São Joaquim. Os valores das entradas são inteiras. Em quase todas eram admitidas meia-entradas. Achei que em Blumenau deveriam existir mais empresas de receptivo para fazer passeios a preços justos. Me cobraram 150 reais para ir a Pomerode (30km) e 350 para ir a Nova Trento e Brusque (80km a mais distante). Aluguei o carro, paguei o seguro, a gasolina e ainda economizei centenas de reais. Faltou
  7. IX – FLORIANÓPOLIS Florianópolis ficou para o final. Pegamos o ônibus, cerca de trinta reais para duas pessoas, que demorou uma hora e fração e chegamos na rodoviária. Todos os trechos foram feitos pela Catarinense. O táxi custou apenas 7 reais para o Íbis Centro (há outro, São José, mais distante, fora da Ilha). Encontramos uma amiga da minha mulher, que é de lá, e nos mostrou as principais atrações e praias: Joaquina, Lagoa da Conceição, Santinho e Jurerê, onde afinal aportamos. O aluguel de cadeiras custa 4 reais e de guarda-sol também (pois é, bem diferente de Fortaleza). O m
  8. VIII – BALNEÁRIO CAMBORIÚ Após uma hora e meia de viagem chegamos a Balneário Camboriú (não confundir com a vizinha Camboriú). Se não for visitar Florianópolis, melhor comprar a passagem para Navegantes, cidade bem próxima, ao lado de Itajaí. A passagem custou cerca de 15 reais e da rodoviária gastamos mais 20 de táxi para o hotel. Liguei e consegui hospedagem de última hora no hotel San Remo. É um dos últimos da Avenida Atlântica, com preços honestos em seu restaurante, a 150 reais a diária. A dois passos da areia, foi bacana. O primeiro dia foi apenas para passear
  9. VII – NOVA TRENTO E BRUSQUE No outro dia seguinte fomos a Nova Trento, que se diferencia das demais cidades do Vale Europeu por ser de colonização italiana. Em face disso, a religião predominante não é a luterana, mas a católica. E foi em uma congregação de freiras católicas que morou a Madre Paulina, nascida na Itália, mas com uma obra que transcedeu as fronteiras nacionais e se transformou na primeira santa “brasileira”. Há dois santuários na cidade. O de Nossa Senhora do Bom Socorro, com mais de cem anos, que fica num morro ao lado da cidade, com mais de 500m de
  10. VI – POMERODE. Percebendo que ficaria mais barato alugar um carro, fomos a uma empresa chamada My Way e alugamos um Celta, sem ar, por 65 reais (o seguro varia de 8 a 26 reais, depende da cobertura). Fomos conhecer Pomerode, onde a maioria dos habitantes descende de alemão. Apesar de não ser tão bonita como Gramado, cheia de prédios em enxaimel, é verdade que a colonização deixou marcas fortíssimas. Tire uma foto no pórtico de entrada e que fica ao lado de uma das atrações, a casa do escultor Erwin Curt Teichman, que fez diversos trabalhos pelo Brasil (até a porta da Basílica de Nazar
  11. V – FLORIANÓPOLIS – BLUMENAU Chegada em Florianópolis, cedo. O aeroporto é pequeno e fica ao sul da cidade. O custo do táxi é de cerca de trinta reais, para o centro, onde ficam muitos hotéis e a rodoviárias. A passagem para Blumenau custa 31,50 reais com a taxa de embarque. A viagem dura mais ou menos de 2h15min minutos. Após uns dez minutos já estávamos no Íbis Blumenau, a uma quadra da Rua XV de Novembro, a principal da cidade. A diária varia de 95 reais, nos finais de semana, a 115 reais, nos dias úteis. Ficamos duas noites lá. Vimos muita coisa, O Museu d
  12. IV – O QUARTO DIA – OUTRAS ATRAÇÕES DE FOZ Como viajaríamos na madrugada do dia seguinte, fizemos passeios mais leves e não voltamos às Cataratas. Há quem vá a um dos parques novamente, num eventual quarto dia. Nós visitamos uma mesquita muçulmana, um templo budista e o marco das três fronteiras. Algumas empresas fazem o passeio conjunto, pois táxi lá é muito caro. Uma das características de Foz do Iguaçu é a tolerância religiosa e a diversidade cultural. Ouvi que gente de 82 países ou etnias moram lá. Para uma cidade de 320 mil pessoas, é significativo.
  13. III – O TERCEIRO DIA - PARAGUAI Resolvemos conhecer Ciudad del Leste, como uma experiência antropológica. Não há muito o que contar, apenas relatar que há um comércio fervilhante, como todos já devem ter visto pela TV. Algumas lojas de vários andares surpreendem, como a Monalisa e os shoppings são semelhantes aos brasileiros. Fora isso, o comércio de rua atrapalha quem quer se deslocar, o assédio é intenso, o trânsito é louco e fico impressionado com o fato de eu ter ido e voltado sem que ninguém tivesse pedido, a mim e às outras trinta pessoas do ônibus, nem a carteira de identidade. P
  14. II – O SEGUNDO DIA – ITAIPU E PARQUE ARGENTINO Fomos a Itaipu, pela manhã, e fizemos uma visita panorâmica. É tudo bem organizado. Assistimos o vídeo de introdução e fizemos o tour interno, passando pelas turbinas, e vimos as comportas, que estavam fechadas. É mesmo uma obra de engenharia fantástica. Sob certos aspectos, continuará a maior do mundo mesmo após a inauguração da chinesa Três Gargantas (no que se refere a volume de água, por exemplo). Depois, pegamos um ônibus de excursão ao Parque Nacional Del Iguazu, na Argentina. Tivemos um problema com algumas crianças, que não ti
  15. I – A VIAGEM – FOZ DO IGUAÇU O trecho entre Fortaleza e Foz do Iguaçu foi emitido com milhas da TAM, com conexão no Rio de Janeiro. A rede hoteleira da cidade é bastante grande, mas convém reservar nos feriados e alta estação, pois Foz lota mesmo, sob pena de pagar caro ou não ter vaga. Há poucas cadeias internacionais, (a ACCOR não tem nenhum lá, por exemplo). Mas existem muitas boas opções. Chegamos de madrugada, nos hospedamos no hotel Recanto Park, e já na manhã mesmo dia fomos ao Parque Nacional do Iguaçu. Custa 22 reais a entrada. Andamos nas passarelas, fomos assediados pe
  16. Júnior, Tudo o que eu fiz está no relato e eu recomendo. A sua viagem está bem próxima, já na próxima semana. Quando voltar conte pra gente como foi, as suas impressões, etc. Fernanda, Apesar de haver economizado com as passagens, emitidas com milhas, gastamos cerca de 3,5 mil por pessoa, relativamente muito, porque não houve praticamente compras, só souvenires, etc.
  17. Júnior, Pus as perguntas aqui, para que outros possam se beneficiar e contribuir para a melhor informação possível. Se você chegar quase 11 da noite em Lima, considere que terá de pegar as malas, passar pela imigração e de do aeroporto em Callao, até Lima. Vai chegar bem tarde no restaurante. Isso se o voo não atrasar. No dia seguinte, até dá para ver correndo as atrações do centro e bairro miraflores, mas de taxi. Mas o trânsito é ruim. Que tal escolher um dos dois, centro ou miraflores? Não se preocupe com o valor das entradas. Quando tem, são bem baratinhas. Eu gostei da igrej
  18. Olá Studart, boa noite. Faz um tempo que estou lendo e tentando tirar o maximo de informações sobre o passeio ao Peru. Gostaria de compartilhar minha programação e tirar algumas duvidas com voc~e se possível !!! 29/10 - Chegarei em Lima às 22;50 e nesse dia pretendo no maximo comer na Rosa Nautica com a minha namorada e ficar no hotel Exclusive (até então, ainda não fechei!). 30/10 - Tenho o voo para Cusco às 13:45, então pretendo no periodo da manha, até mais ou menos umas 11 horas, quando vou sair para ir ao aeroporto, visitar Plaza Mayor, Palácio do Governo, Palácio Municipal, C
  19. Oi Crista, Na parte francesa (exclusivamente a província de Quebec, onde estão Montreal e a cidade de Quebec) creio que todo mundo (ou quase todo mundo) fale inglês. Afinal, também é uma lingua oficial do país. Talvez algum adepto do separatismo de Quebec se recuse a falar inglês, sei lá, mas acho que não é o tipo de coisa com que você terá de se preocupar. A maior parte da sinalização em francês possui, embaixo, a tradução para o inglês. Placas são em francês em Montreal, exceto num antigo bairro de ingleses, onde eles pagam periodicamente a multa para a prefeitura, só para manterem as pl
  20. maremusso, Há estradas até perto de Águas Calientes. Você pode fazer de ônibus o trecho de Lima a Cuzco e de Cuzco até metade do caminho para Águas Calientes - Urubamba, Ollantaytambo.... Só o trecho final é que é feito, obrigatoriamente, de trem (ou trilha)
  21. Flávia, Vale a pena ir a Ottawa, claro. E fica no caminho pras demais cidades. As maiores você certamente deverá ficar mais tempo, talvez uns três dias. Quebec e Ottawa bastariam 2. E um dia ou dois pra você ir a Mt. Tremblant ou outra cidade avulsa que quiser conhecer melhor. Dá pra totalizar 10 ou 11 no Canadá e os outros 4 ou 5 em NY, sem problema algum... Letícia, Depende do que você vai querer ver. Em 15 dias é meio corrido, mas nem tanto. Já fiz viagens mais corridas pela Europa... E não tem complicação nenhuma fazer o percurso de trem ou de carro alugado, sem guia. A não se
  22. ele me acompanhou por todo o percurso, dirigido o carro, inclusive. Normalmente trabalha com grupos. Mas, infelizmente, não tenho o celular dele. Vou ver se acho o nome da empresa que faz o transporte receptivo no Canadá e, através dela, você pode conseguir adquirir um pacote diretamente na empresa de lá (não sei se fazem o pacote através empresas brasileiras)
  23. tambem gostei do relato. Estive lá pela segunda vez e irei outras, oportunamente (enquanto existirem as milhas da TAM)
  24. que bom, Clarissa. Quando você retornar, ponha um relato também. Curta a Suiça. Um abraço
×
×
  • Criar Novo...