Ir para conteúdo

pavan

Membros
  • Total de itens

    100
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que pavan postou

  1. Relato tão bom que deu vontade de correr pra Rússia agora. Parabéns!!!
  2. Menjoni, Não é possível pegar ônibus ou qualquer outro meio de transporte público entre Peulla e Bariloche. Isso porque a estrada que atravessa a fronteira está numa área privada, pertenecente a empresa que faz o cruce. Meu conselho: faça o passeio no Lago de Todos los Santos, volte pra P. Varas; no dia seguinte pela manhã, pegue um ônibus até Bariloche. Em Bariloche, faça o passeio pelo braço Blest até o lago Frias, na fronteira. Não vai perder nada em relação ao cruce e vai custar 1/4 do preço! abraço,
  3. pavan

    Santiago

    Ainda sobre a comida no Chile. Gosto muito dos frutos do mar: centolla, locos, machas... a merluza negra também é ótima. Gosto especialmente do "chupe", que é uma espécie de sopa, normalmente de camarões, centolla, locos ou outros mariscos. Fora isso realmente é complicado, não gostei da carne, das massas, e muito menos dos lanches com palta (argh!). O mote com huesillos é aceitável, rs.
  4. Viajei de Spanair em janeiro passado e foi tudo bem. Check-in tranquilo, pontualidade, avião meio velho mas arrumadinho, serviço de bordo pago. A vantagem é que permite acumular milhas no TAM Fidelidade, já que a Spanair é integrante da StarAlliance.
  5. Giacomo, Sim, a Vueling voa de El Prat até Barajas e é bem mais em conta do que o AVE, só observe os valores para check-in no aerporto, limites de bagagem etc. que podem encarecer (e muito) sua viagem. A SpanAir deve custar pouco a mais, mas permite uma peça bagagem de até 23kg e não vai ter cobrar por check-in no aerporto, marcação de assento e essas outras coisas que as LC-LF cobram. Outra coisa a se considerar é o deslocamento aeroporto-centro. Estando de mochila, tanto em MAD quanto BCN dá pra usar o metrô fácil! Douglas, Vai de trem rápido, que leva pouco mais de 1 hora. O trem sai da estação Chamartin (com destino a Valladolid e parada em Segóvia), norte de Madrid, e dá pra chegar lá de metrô tranquilamente. Ao chegar na estação do AVE em Segóvia, vá para a porta imediatamente e pegue o ônibus na frente que te deixa debaixo do aqueduto. Do aqueduto até o Alcazar você vai caminhando
  6. Eu trocaria o dia em Villa General Belgrano por La Cumbrecita. Vai ter que passar por Belgrano de qq jeito... Achei La Cumbrecita tão legal que nem vi o tempo passar e acabei perdendo o ônibus das 17h, o único que permite conectar com o que volta pra Córdoba! Tive que dormir em Villa Gen. Belgrano, rs.
  7. Manzali, É possível sim fazer um passeio com ida aos saltos, lago e Peulla, mas de lá você deve voltar a Puerto Varas pra pegar o ônibus pra Bariloche. E acho que não dá pra fazer tudo isso num dia só não, tem que pegar o ônibus no dia seguinte... A estrada entre Peulla e Bariloche está situada numa área particular e nela só circulam os automóveis da empresa que faz o Cruce. abraço,
  8. A Embaixada do Egito é um bocado atrapalhada. No fim do ano passado deixei pessoalmente meu passaporte e os da minha família e, 3 dias depois, quando fui buscar o visto, eles haviam extraviado o passaporte da minha mãe. Entregaram pra outra pessoa, que também não conferiu e o documento acabou indo parar no Maranhão. Foi uma tremenda dor de cabeça (idas e vindas na PF, correios, ligações pra todo lado) para conseguir recuperar o documento em tempo hábil para a viagem. Deu tudo certo no final, mas fica aqui o alerta: verifique se é possível tirar o visto na chegada ao aeroporto do Cairo (vi vários europeus fazendo isso lá), pois lá o passaporte não vai sair da sua vista; ou envie para a Embaixada no Brasil com o máximo de antecedência possível.
  9. pavan

    Santiago

    Chegar no Monumento Natural El Morado de transporte público é uma epopéia, são algumas horas. Sugiro contratar uma excursão em agências de viagem ou ir de carro, se preferir alugar um. Eu prefiro ir de ônibus. É mais barato e traz menos preocupações. Mas se você quiser conhecer toda a região e não só as partes centrais de Viña e Valpo, aí vale alugar um carro.
  10. ale_d_mais, Você vai visitar o parque nacional no dia do mini-trekking, então não precisa separar outro dia só pra isso. E, pelo que eu entendi, vai fazer a navegação pelos glaciares num outro dia, certo? Dois dias são o suficiente, então, em El Calafate. Não é preciso carro em El Calafate, muito menos em El Chaltén. Para viajar entre as duas cidades, acho que é mais barato e fácil ir de ônibus. Não fui pra El Chaltén, mas pelo que o pessoal comenta aqui, 2 dias ainda é pouco. Entretanto, no seu lugar, eu iria num dia de manhã e voltaria no outro à tarde. Acho que dá pra fazer umas duas trilhas por lá nesses 2 dias... abraço,
  11. pavan

    Pucón

    Milla, Fiz Bariloche - Pucón em janeiro comprando um ticket só em uma única empresa: Tas Choapa. O serviço foi bom e comprei com atencedência de um dia só, no guichê da rodoviário de Bariloche. A viagem dura umas 10h, é feita de dia, tem "conexão" em Osorno e uma parada em Valdívia. Não se preocupe com os sites da empresas de ônibus, que nem sempre funcionam bem. Muitas nem têm site, rs. Vai tranquila e compra com uns poucos dias de antecedência que dá certo (a não ser que tenha algum grande feriado que atrapalhe tudo). abraço,
  12. O Cruce de Lagos é monopolizado, por isso o preço tão alto. Acho que existe um desconto para brasileiros, mas ainda sim fica perto dos USD 200,00 por cabeça. A "travessia de ônibus" é pela estrada (viagem bem bonita!) e não é possível fazer o mesmo percurso do Cruce de maneira independente, já que uma parte do caminho está em área privada. Eu fiz dos dois jeitos. O Cruce é realmente muito bonito, vale à pena, mas é caro. Acho que dá pra ter praticamente a mesma experiência fazendo: - Passeio aos saltos de Petrohue e Lago de Todos Los Santos, indo até Peulla se quiser. Peulla é bonitinha, mas não tem nada pra fazer ali. São dois restaurantes, dois hotéis, uma pequena cascata e nada além. No Cruce, a empresa que vende o passeio noa obriga a ficar 3 horas por lá. Uma horinha tava de bom tamanho... - Viagem de ônibus convencional até Bariloche; - Passeio pelo Nahuel Huapi e outros lagos, incluindo Puerto Blest, Puerto Alegre e Puerto Frias (dívisa Argentina/Chile). O trecho entre Puerto Frias e Peulla, feito exclusivamente no Cruce, é bacaninha, mas dispensável; Fazendo desse jeito acho que dá pra gastar apenas 1/3 do valor total do Cruce, vendo as mesmas atrações. A vantagem do Cruce é fazer tudo em 1 dia, ao contrário dos 3 dias necessários fazendo da outra maneira. Se eu fosse de novo, não iria pelo Cruce, pois acho que o custo/benefício é ruim. abraço,
  13. Tiago, As distâncias na Patagônia são grandes. Acho que vale à pena gastar um pouco mais com avião pra não perder tempo. No começo desse ano consegui uma passagem AEP-USH-FTE por uns USD 200,00 apenas. Dei uma olhada no kayak.com e a Aerolineas tem passagem GIG-BUE-FTE-USH-GIG em julho por aproximadamente USD 700,00, o que eu considero um preço razoável pela viagem. Dá uma olhada uns 3,4 meses antes da sua viagem e consulte também a LAN (não tem os preços ainda para julho). Não tenho certeza se é possível fazer o trekking no Perito Moreno durante o inverno. Consulte a Hielo y Aventura. Mas visitar o parque e ver a geleira a partir das passarelas é possível o ano todo. Só se prepara para o frio, pois mesmo indo no verão eu senti bastante o vento patagônico. As roupas não precisam ser pesadas, mas adequadas. Se for fazer um pit-stop em Buenos Aires, aproveita pra comprar tudo nos outlets de Palermo/Villa Crespo. abraço,
  14. Augusto, Eu costumo comprar passagens com um ou dois dias de antecedência e sempre dá certo. E outra, uma vez no Chile ou Argentina, você pode ir na rodoviária e já comprar praticamente todos os trechos de que precisa. Por exemplo,eu quis ir de Pucón a Santiago num ônibus leito. Não tendo certeza se conseguiria a passagem facilmente, preferi comprá-la na Tur-Bus em Osorno, antes mesmo de chegar a Pucón. Fa, Acho que fica mais fácil mesmo contratar uma excursão desde Punta Arenas. Saindo de Calafate vc tem que atravessar a fronteira, o que demora bastante. Agora, se você tiver tempo e disponibilidade pra ficar no parque, vale muito à pena. Eu fiz o seguinte: peguei uma excursão em Puerto Natales de dia inteiro que começou pelo Lago Grey, percorreu o parque durante o dia e me deixou em Laguna Amarga no fim da tarde. De lá peguei a van até o Refugio Torre e dormi lá. No dia seguinte, subi e desci até o mirador Las Torres (animal!!!), voltei, dormi de novo no Refugio e, no outro dia, caminhei uns 10km indo (e voltando) em direção à Laguna Azul. Peguei o ônibus de volta p/ Puerto Natales às 14h30 para dar tempo de embarcar no Navimag. Se eu pudesse voltar atrás, ficaria uns 4 dias no parque e faria o W. abraço,
  15. Augusto, O jeito mais fácil de ir de Puerto Montt ao TDP é de avião até Punta Arenas. De lá, são umas 3-4 horas de viagem até Puerto Natales. De Natales você pode chegar no parque em cerca de 2 horas de ônibus. Não vai custar muito barato não. O jeito mais legal é fazer o cruzeiro da Navimag. São quatro dias nos canais da patagônia chilena, com a vista constante de fiordes, montanhas e geleiras. Muito bacana, mas não mto barato e exige tempo. Sei lá, acho que fica fora de mão ir pra TDP nesse seu roteiro. Eu deixaria para uma próxima viagem pela patagônia e terra do fogo. Incluiria Ushuaia, El Calafate, El Chalten, e TDP. Ou trocaria o norte do Chile pelo extremo sul e deixaria o Atacama pra depois. Acho que em 24 dias não dá pra fazer tudo de uma vez. abraço,
  16. galbongiovani , Para circular pelo Atacama de dia, usei quase sempre bermuda, camiseta e tênis. A temperatura ronda os 30ºC! Porém, assim que o sol se põe e temperatura despenca a aí eu usava jeans e um casaco médio (fleece North Face). Mas eu não sou um cara friorento, então pode ser que você precise de uma meia mais grossa e um casaco mais pesado. Nas lagunas altiplânicas e no gêiseres de Tatio, aí sim o bicho pega. Temperaturas entre -10ºC e 5ºC, com vento cortante. Nestes lugares, pra mim foram suficientes uma calça da Columbia isolante térmica (segunda camada) e uma parka mais pesada, que eu comprei numa loja de departamentos em Santiago. Mas, pra muita gente, acho que seria preciso meias mais grossas e segunda pele. Quanto aos banhos, não tem jeito, você vai passar frio, rs. No caso da Laguna Cejas e Ojos del Salar, dá pra chegar lá de bermuda e camisa de algodão manga comprida, já que o passeio é no fim da tarde. A água não é gelada na Cejas, mas a saída é complicada, por causa do vento e do banho de água doce - e fria - que a agência oferece. A água dos Ojos é beeem fria! Leve um casaco leve/médio sempre que for voltar para S. Pedro no fim da tarde. O banho na piscina térmica de Tatio é muito bom, mas a saída é também muito complicada, com um vento gelado e você correndo pra se enxugar e trocar de roupa sem mostrar o cofre ou pagar peitinho, no caso das mulheres, rsrsrsrs. De qualquer jeito, não deixaria de levar sunga/biquíni, pois os banhos foram pontos altos do passeio.
  17. pavan

    Santiago

    Jackeline, Vou tentar responder aqui: 1. O táxi vai custar mesmo em torno de USD 30. A Tur-bus tem um serviço de micro-ônibus/van que deve custar, pra vocês dois, mais ou menos a metade do preço do táxi. Se quiser economizar mesmo, pode pegar o centropuerto, que é um ônibus urbano comum, e custa uns 1400 CLP. Ele para na estação de metrô Los Heroes, de onde você pode seguir de metrô ou táxi. Se estiverem só de mochilas e não forem chegar em horário de rush, dá pra fazer o esquema centropuerto/metrô tranquilo. Se eu estivesse com muitas malas, acho que ia de táxi mesmo! 2. Portillo é mais longe e dizem que tem pistas mais avançadas. Acho que lá seria melhor passar uma noite. Pra bate-volta, vai pra El Colorado com as vans da própria estação e, no outro dia, pra Valle Nevado com a Ski Total. 3. Eu não consegui esquiar nem no primeiro dia, rs... mto difícil pra mim! Então, experimenta um dia e, se gostar, volta no outro. Dica: evite as aulas coletivas, que são mais baratas, mas péssimas; eu cacifaria uma aula particular, acho que dá pra aproveitar melhor. 4. Essa eu passo! Subi com as vans de El Colorado e lá em cima eu comprei um pacote que incluía lifts de arrasto, equipamentos, roupa e aula coletiva. Desse pacote aí, eu só não recomendo a aula coletiva. 5. Vá até Valpo/Viña com a Tur-Bus ou Pullman. Lá, se preferir, contrate um city tour na própria rodoviária. Quando fui, andei bastante e usei o transporte público (metrô +micro-ônibus). 6. Domingo é o dia mais morto em Santiago! Comércio fechado, ruas desertas... o negócio é aproveitar os parques. 7. Concha y Toro dá pra fazer em meio dia. Dá pra chegar lá de metrô + ônibus, é bem fácil. Mas se quiser conforto, contrate um tour. A viagem de metrô é demorada (1 hora ou mais). 8. Não conheço. 9. Comprar pesos chilenos no Brasil deve ser desvantajoso. Acho melhor levar somente reais e dólares e fazer câmbio lá, quando chegar. As casas de câmbio estão na Calle Agustinas, no centro. No aeroporto o câmbio é ruim, troque só o necessário para um dia. Eu sempre prefiro sacar em moeda local nos meus cartões de débito/crédito.
  18. Fassheber e Juproducao, Alugar carro vai sair mais caro que ir de ônibus, mas você tem mais liberdade pra parar em outros lugares que lhe pareçam interessantes. A rota 5, que corta o Chile de norte a sul é uma rodovia de primeiro mundo, mas não sei dizer como está depois do terremoto. Aposto que está muito melhor que a maioria das estradas do Brasil. Pucón vale MUITO à pena, mas não dá pra ser na correria. Acho que precisa de pelo menos uns 3 dias. Os ônibus são ótimos, há até passagens leito com poltronas reclinando 180º, e eu fiz a viagem à noite de maneira bem confortável, dormindo durante quase todo o percurso. Tendo tempo, acho que Valpo/Viña merecem uma noite. Eu tentaria me hospedar em um dos cerros de Valpo! abraço,
  19. pavan

    Córdoba

    Izabel, Em um dia, se você começar cedo, dá pra visitar a Manzana Jesuitica (e a Cripta também) pela manhã. Durante a tarde, pode continuar na cidade, visitando o bairo de Nueva Córdoba, onde estão o parque, o zoo e o Museo de Belas Artes (que fica num casarão lindo). Outra possibilidade para o período da tarde é pegar um micro-ônibus no Terminal Mercado Sud e ir para Alta Gracia, visitando a missão jesuíta e a casa de Che. Acho que no inverno não vale a pena ir para Villa Carlos Paz, que bomba mesmo no verão. abraço,
  20. Diego, O inverno é a estação chuvosa na região dos lagos chilenos. Em Pucón e Puerto Varas, acho que a melhor opção é esquiar mesmo. As subidas ao Osorno e Villarica são bem mais complicadas no inverno, com neve até o joelho. Quanto aos parques, não devem fechar não, mas algumas trilhas vão ficar mais complicadas com a neve. Fora a chuva!!! Adriano, Fiz o "Cruce" no verão e achei Peulla uma parada completamente desnecessária, mesmo ficando lá só 3 horas. No inverno, vc é obrigado a ficar por lá e temo que não haja nada de interessante pra fazer. Quer dizer, vão arrumar passeio de barco, cavalo, de jardineira 4 x 4, mas pelo que vi é só bobagem. Agora, se vc estiver em boa companhia, dá pra jantar legal, tomar um vinho e passar uma noite romântica, rs. No entanto, o "Cruce" deve ser mais bonito ainda no inverno, com a paisagem toda branca! Para reservar a passagem de ônibus, vá no site da Tur-Bus. Ou compre um dia antes na cidade, que você acha vaga... Se não achar horários a partir de P. Varas, compre saindo de P. Montt, que fica somente a uns 20km de distância e é facilmente acessível por um micro-ônibus que sai de 20 em 20 minutos. Cheers!
  21. Ainda não tive tempo e disposição para atualizar o relato. Sorry, guys! Mas nesse meio tempo o Moacir me mandou e-mails perguntando sobre Cordoba, e acho que vale à pena compartilhar tudo aqui.
  22. Alex, Além dos passeios que a Mi indicou, recomendo também o Parque Nacional. Tem umas trilhas bem curtinhas no Setor Lapataia - incluindo a da castoreira -, nas quais é possível levar uma criança de 4 anos. E dizem que no outono o parque fica ainda mais bonito. Olha só as fotos que eu achei no flickr: Só não vai pra lá de transporte público, porque complica pra voltar (tem que andar um bocado desde o Setor Lapataia até o local de saída das vans). Prefira alugar um carro ou fechar uma excursão. Abraço e boa viagem!
  23. pavan

    Córdoba

    Paula, Tb deixei coisas por ver e preciso voltar! Não fui à Villa Carlos Paz, o Palacio Ferreyra tava fechado e quero alugar um carro e ir até Mina Clavero. O cara do albergue me disse que a estrada é fantástica e que é seu lugar preferido da região, junto com La Cumbrecita. Você tem fotos do passeio no Tren de las Sierras? Queria muito ter feito, mas só tive 3 dias na região e não deu!
  24. Luciana, R$ 600 é realmente uma facada... Mas o trecho entre BRC e BUE tem mais concorrência e provavelmente custa menos. Por que vc não faz MDZ-BRC de ônibus (~1.200 km) e BRC-BUE de avião?
  25. pavan

    Córdoba

    Paula, Pena que não foi até La Cumbrecita. Achei demais, são só umas 3 ruas de terra, casinhas em estilo alemão, num vale entre três riachos. Gostei tanto que acabei perdendo o último ônibus de volta que me permitiria ir p/ Córdoba. Tive que pernoitar em General Belgrano por conta disso, rs... Tô escrevendo um relato da viagem à região e logo coloco essa parte de La Cumbrecita.
×
×
  • Criar Novo...