Ir para conteúdo

Mike Weiss

Membros de Honra
  • Total de itens

    747
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que Mike Weiss postou

  1. Mike Weiss

    Moçambique

    Procure repelentes que tenham DEET / ,N-Diethyl-meta-toluamide na formula, são melhores. Podes até levar uma rede mosqueteira do Brasil e depois doar para alguém...
  2. Oi Dani, Pois é! É só um ponto de vista... cada um tem a sua história, seu caminho... por isso é impossível ter uma receita mágica para "viver mochileiro", porque as pessoas tem valores distintos. Para quem situa a família num ponto de prioridade muito mais alto que os próprios sonhos (como eu) a luta pode tornar-se muito dura. Equilibrar os conflitos de ideias não é fácil! Ainda mais quando acontecem situações que fogem ao nosso controle enquanto estamos muito longe. Digo equilibrar, porque não acredito em desapego total e ilimitado. Há que se apegar a algo... e que este apego seja ao amor pelos outros e por si próprio além do apego pela "mochilagem". Abraços
  3. Já que o tópico do Mochileiros Anônimos continua: Sou mochileiro, viciado, não viajo há 27 horas... Quantas almas boas por aqui! Os mesmos ideais, pensamentos, dúvidas, alegrias. Este ano completo 10 anos por aqui no Mochileiros.com, muita gente passou e sumiu (Maya está vivo, alguém já tentou localizá-lo? O cara ficaria louco lendo este tópico iniciado por uma dúvida dele)! Dei o meu pitaco aqui já fazem 3 anos, lá no início do tópico (veja a página 4) um pouco da minha história. É interessante como tantas coisas mudam em 10 anos ou mesmo em 3 anos... enquanto tantas outras coisas e ideais continuam ali, impressos na pedra, imutáveis. Quando criei o meu usuário no mochileiros eu tinha feito algumas viagens pelo Brasil e sonhava com as típicas viagens de "iniciação mochileira" na América do Sul... o tempo passou e a nega (mochila do viciado que vos escreve) já esteve em mais de 80 países enquanto seu dono mudou-se para quatro países diferentes. Não, eu não sou um colecionador de carimbos. Sou sim um colecionador de momentos absurdamente incríveis, de conhecer pessoas, ideias e culturas fenomenais. Viver mochileiro é uma filosofia de vida e uma paixão. Sou hoje um pouco de todas as pessoas que conheci por esta longa estrada. Tentar absorver e copiar o melhor de cada um deles é quase uma missão... assim como compartilhar, ajudar e tratar da sabedoria também o são. Aqui em letras e palavras tudo parece muito romântico, mas a realidade é que o caminho é intrincado e sinuoso. É preciso muito peito, filosofia budista, peregrina, do capitalismo, do desapego e do escambau para sustentar esse vício de viver mochileiro!!! Muitos falam aqui sobre um porto seguro e da importância do mesmo... desde o meu último post em 2010, algumas coisas mudaram. Eu perdi meu porto seguro (minha mãe faleceu vítima de câncer - viajei para o Brasil para estar ao lado dela durante algumas sessões de quimioterapia, mas estava longe quando ela faleceu. Você está preparado para isso)? Viver mochileiro é ser forte para aguentar isso e ainda conseguir ajudar a quem precisa. Viver mochileiro é realizar os sonhos dos seus pais, irmãos e amigos... mas é também viver o inferno de lutas nunca enfrentadas pelos seus pais, irmãos, amigos e antepassados mais longínquos! Hoje vejo mochileiros brasileiros espalhados pelos superturísticos ônibus vermelhos de sightseeing de Los Angeles e vejo mochileiros brasileiros vendendo pulseiras numa praia catarinense... talvez ambos compartilhem a mesma filosofia, a de viver mochileiros! Os desapegos são distintos mas o objetivo final pode ser muito parecido, porque a paixão é similar. Aliás, Maya... onde quer que estejas, já notastes que é preciso muito mais que R$ 15.000,00 (que já perderam algum valor ao longo deste tópico). Para viver mochileiro é preciso paixão. Não é preciso um passaporte vermelho, azul ou multicor. É mais fácil para alguns estrangeiros, sem dúvidas... mas não usemos isso como muleta. Nosso real está bem forte, obrigado... o mercado está aquecido para quem tem boa qualificação e principalmente boa vontade. O meu vício sempre foi sustentado unicamente pelo meu estudo e trabalho... não nasci em berço de ouro, paguei sozinho pela minha faculdade, mba e mestrado, não recebi herança, seguro, dinheiro caído do céu, do bolso do pai nem do avô. Se dinheiro é uma das soluções para que você possa viver mochileiro, sugiro pensar em jogar o jogo do capitalismo e tentar a melhor remuneração possível sabendo que na grande maioria das vezes, quando mais árduo o trabalho ou o caminho para chegar até ele, melhor será a remuneração - essa é a regra. Eu sou brasileiro e vivo mochileiro, assim como o brasileiro que conheci este final de semana viajando aqui pelo Malawi e assim como outras centenas de brasileiros que não viram no passaporte azul uma limitação para perseguir um estilo de vida. Então, depois de reler este tópico, parei para escrever isso tudo e para poder dar esperanças aos Mikes lá de 2010 que devem estar lendo isso aqui. Companheiro viciado do Mochileiros Anônimos recém chegado ou veterano do nosso grupo: sinto informar que já tentei largar o vício, não consegui. Conversei com muitos outros infectados pelo wanderlust, nenhum deles chegou à cura - a maioria não quer se ver livre do vício. Em alguns casos observei que o vírus ficou ali, latente... escondido sob uma pilha de carnês, acomodação e pressão da sociedade, com episódios frequentes de "mochiloguite aguda", o que torna a convivência com o vírus ainda mais difícil É preciso paixão seja para o desapego, seja para peregrinar, seja para trabalhar e juntar dinheiro, seja para alimentar a resiliência necessária para nutrir um sonho!!! E sonho não se discute - realiza-se. Termino o meu post da mesma forma que fechei em 2003: A certeza que tenho hoje é de que não podemos ser reféns dos nossos pensamentos. Siga a sua vontade e o seu coração. Só você sabe o que quer para você. eu particularmente nao conheco nenhum brasuca que tenha feito isso, mas tenho certeza q eh possivel sim, viver assim com excedente acumulando grana eu acho bem dificil, mas ganhar o suficiente pra pagar o rango e conseguir onde dormir, transporte, nem que seja de carona, isso eu tenho certeza q eh possivel. Eu ja trabalhei na inglaterra e no egito, nao tenho berco de ouro e tb nao tenho passaporte gringo, tb nao tinha visto de trabalho... mas nao conta pra ninguem, rs. E fiquei numa boa. Tem eh q botar o pe na estrada. Fora como ja falei conheci umas par de ripanga, especialmente argentinos... q tao na luta so fazendo artezanato... essa nao eh minha onda, mas da pra fazer. o que nao pode eh ficar falando q o europeu pode e a gente nao consegue... pra nois eh mais dificil, mas querendo, rola!
  4. Mike Weiss

    Moçambique

    Priscilla, Morei 3 anos em Mocambique e moro no Malaui ha um ano. Nunca fiz nenhuma profilaxia para malaria! TODOS que moram aqui evitam tomar os remedios... pois a maioria mascara os efeitos da malaria, nao evita 100% a possibilidade de contrair a doenca, te deixa com efeitos colaterais chatos e pode ate estragar a sua viagem. O melhor conselho que posso te dar e' usar repelente, tentar usar rede de mosquitos (principalmente no litoral de Mocambique) e desencanar!!! Ao menor sinal de uma febre ou dores nas juntas va ao medico fazer o teste... os sinais podem vir ate depois da sua volta para casa. Viaje tranquila!
  5. Tudo bem Tati? Fenomenal! Já está na hora de você postar um pouco sobre o seu roteiro então... como estão as pesquisas, muitas dúvidas ainda? Eu estou planejando uma viagem agora para o final do mês... vou passar 3 dias em Doha (tentar dar um pulo no Bahrain só para tentar sentir um pouco do "mini-país"), depois transfiro em Bangkok para o Butão! Se alguém tiver dicas, agradeço. Fechei com a agência Lhomen e estou aguardando que eles emitam o visto. Depois de muito chorar eles fizeram um desconto de 10% sobre o valor diário indicado pelo Governo! Heka... acabei não fechando com a Kencho, ela foi bem chata no sentido de cobrar muito acima da tabela do Governo e ainda reclamou dizendo que era alta estação, que cinco dias é muito pouco para esta época do ano etc... Depois do Butão vou dar um pulo na Coreia do Sul, agradeço por dicas de lugares inusitados e imperdíveis... Offtopic: comprei pela Amazon o livro THE TRAVEL BOOK do Lonely Planet com fotos (grande e pesado, está com papel muito bom) e dicas principais de lugares e atividades nos 229 países do mundo... muito bom para deixar na sala e de vez em quando abrir numa página aleatória! eheheh Comprei também o Great Adventures... valem MUITO a pena para quem está planejando uma RTW!
  6. Fala Emerson! Wohooo... que beleza! Seja bem-vindo de volta! Vou dar uma olhada no relato... Abraaaços
  7. Fala Jaumz! Eu tinha e aconselho ter dois calçados fechados para ir revezando (e para ter algo para usar quando um for lavado ou molhar - principalmente nos países mais frios) - Um tênis baixo, leve e todo preto... para baladas e afins; - O SEU velho companheiro de guerra - bota ou tenis para andar no mato, na chuva, trilhas etc - Um par de Havaianas para usar na praia, no banheiro do hostel etc Abraaas
  8. Jaumz, Foram mais de dois meses na SEA... deixei de lado Myanmar... e o que mais exigiu frieza foi pular o Laos! Mas consegui fazer tudo que queria no tempo que queria. A segunda volta ao mundo (que vai acontecer ao mesmo tempo que a sua - portanto nós devemos nos cruzar por estes caminhos) vai com certeza me dar mais tempo para aprofundar a estadia por esses povos de lá. O famigerado Japão valeu a pena sim! E lá eu sentir por não ficar ainda mais tempo... é tanta cultura, tanta diferença e tantos lugares interessantes que dá uma dor no coração quando a gente tem que deixar Okinawa de lado, deixar de subir o Fuji... enfim, lugares muito bonitos para onde raramente teremos a oportunidade de voltar. É quase uma síndrome de abandono! É difícil aceitar que você não vai conseguir ver tudo que gostaria... mas é real e é imprescindível saber aceitar as restrições e diminuir a quantidade para melhorar a qualidade do tempo. Eu sempre escrevo que é MUITO cansativo brincar de Amazing Race quando se está fazendo uma RTW, porque aquele é o seu dia-a-dia e não dá para ficar mudando de cidade todas as noites... em um mês você está acabado! Coisas que às vezes o pessoal esquece de levar: - celular (um smartphone ajuda muito... com alarme, lanterna, calculadora, google maps, lonely planet etc); - adaptador universal para tomadas e um T (aquele que você coloca na tomada para plugar mais de um aparelho); - um pedaço de pano tipo saída de praia para sentar no chao, fazer de bandana, usar como toalha, torniquete etc; - um rolo de papel higiênico, seu melhor amigo; - lembranças pequenas do Brasil para você distribuir aos conhecidos na viagem; - Dramin para dormir e enjoos, Cerumin para entupimento dos ouvidos, paracetamol - Cefalexina, para os lugares onde não tiveres acesso a medicamentos. É um antibiotico de amplo espectro... portanto pode ser usado para a maioria das infecções bacterianas comuns nos países tropicais. Não usar em caso de Meningite; - pelo menos uma toalha seca rápido; - uma capa de travesseiro para os hostels mais trash... enfim, tem mais umas coisas que não estou lembrando mas q vamos postando aí rs abs
  9. Agradeço agora por aqui pelas dicas, Heka... vou dar uma pesquisada e deixo vcs por dentro... Jaumz, A história do Japão é uma loucura... entrei la no dia em que meu visto expirava! Mas não tinha a certeza de que visitaria o Japao... não ter gostado muito da Austrália foi um dos fatores que me ajudou a chegar lá em cima da tampa... mas mesmo assim falta muita coisa para eu ver no sudeste asiático, vai "ser duro" ter que voltar lá com mais tempo! eheheh Abraaaços
  10. Hekinha... já que o tópico é mochilão em todos os continentes, deixa eu aproveitar aqui para perguntar sobre o Butão. Vi que você foi mas não consegui ler os detalhes sobre a programação. Já vi diversas agências que organizam o negócio lá... Estou pensando em ir agora no final de Março para lá, dar um pulo também em Darjeeling talvez. Vou ter 10 dias só... Como foi o processo de visto, qual agência você usou, o que valeu a pena e o que não valeu? Bjs e abraços
  11. Hahahah... o mais chato e trabalhoso é desocupar apartamento! Já fiz algumas mudanças e nunca é tranquilo... mas aproveita aí essa fase. A ficha só cai quando você está esperando pela mochila na esteira do seu primeiro destino. A sensação de liberdade é imensa!!! Um surto de febre tifoide aqui no sul da África esse ano... mas é como a gripe, todo ano tem que tomar. Por isso se você for pagar a vacina e vir para cá só em 2014, deixa para tomar depois. Jaumz, vc está pensando em incluir a Antartica no seu roteiro? Já pesquisou sobre algum navio budget? Abs
  12. Oi Hekinha! Pois é, saí da vida a beira-mar em Maputo no ano passado para a pseudo-britânica Blantyre no Malawi... espero a visita de todos vocês para darmos um pulo no Lake Malawi (dê um google nas imagens de Cape Maclear) ou para fazer um trekking no Mount Mulanje! Luccas: todos os países em cinza no mapa do Wiki são países que requerem que você tire o visto antes de chegar na fronteira do mesmo. Isso é importante porque assim você sabe que não será simplesmente "chegar" e o negócio está resolvido... Se China e Japão são a preocupação: China - você consegue tirar o visto em qualquer embaixada da China no mundo, poderá tirar durante a sua RTW. Japão - como a Heka salientou aí em cima, é preciso tirar no país onde você consegue comprovar residência. Ou seja, será difícil tirar durante a sua RTW a não ser que você consiga residência em outro país que não o Brasil ( o que é um tanto complicado). Eu arrisco dizer que a necessidade de visto para o Japão deve cair nos próximos cinco anos, no máximo. Assim como os EUA, o Japão também está de olho nos turistas brasileiros gastadores... logo logo essa situação muda ou melhora para um visto eletrônico como é o da Austrália. Hahahaha... Jaumz já deve estar com frio na barriga com direito a perda de sono! Ô coisa boa!!!
  13. Jaumz, Os mapas do Lonely Planet prestam sim. Deus e todo mundo usa o Lonely Planet... isso virou piada já no meio mochileiro "mais metido / hipster" porque tem muita gente que faz do LP a sua Bíblia, só fica em lugar onde o LP recomenda, só vai nos lugares que o LP destaca... enfim... Eu não critico nem faço grande apologia. Só posso afirmar que EU prefiro dar pelo menos uma olhada num guia para entender melhor o lugar, os preços, para onde ir etc... chegar numa cidade pequena da China, completamente sem noção, sem falar a língua sem nada... sem guia etc faz você perder muito tempo, dinheiro e passar raiva (literalmente)! Aí está outra dica. Ter um guia em lugares onde especialmente o alfabeto é diferente do nosso, faz muita diferença... porque nós não coseguimos ler nem pronunciar os lugares. Assim, facilita toda a vida mostrar para um taxista no guia escrito em mandarim (por exemplo) o lugar onde você quer ir. Isso é também uma vantagem de ficar em hostels... eu pedia para eles fazerem bilhetes escritos em chines/japones/etc dos lugares para onde eu ia. Falando em Hostel... vocês vão notar que em vários países tem hotel vagabundo muito mais barato que hostel. E tem vários lugares e países onde só tem hotel vagabundo mesmo... portanto, não pensem que tem hostel em qualquer buraco do mundo, porque não tem! Nunca me esqueço de uma cena quando eu estava chegando em Damascus (Siria) na rodoviária e falei para o taxista "sayaa fondoq"... já que eu não sabia falar Hotel barato, acabei falando Hotel Ruim hahahahahah E o cara me levou para um hotel legalzinho, no centro da cidade onde os mochileiros costumam ficar hospedados... por isso, se tivesse um guia qualquer já teria ajudado a não chegar tão perdidaço! Tem um app do LP (experimental) inclusive que você vai usando com fone de ouvido e vai caminhando... como ele usa a tua coordenada geográfica, ele vai descrevendo a rua ao teu redor, diz para voce virar a esquina, olhar para cima etc etc... fenomenal, mas tira MUITO da aventura de caminhar sozinho por uma cidade nova. Sobre a questão do seguro viagem, é uma longa história. Cada um tem um fator cagaço específico, eu mesmo já pensei de forma diferente... hoje vejo que vale mesmo a pena ter seguro viagem nos países onde o hospital é muito caro, como EUA, Canadá, Inglaterra, Austrália, Japão e NZ. Fora estes países, o sistema público vai te atender numa emergencia como atropelamento etc... quebrar braço, operações mais simples etc são muito baratas em países subdesenvolvidos e 100% dos seguros (em emergências) só fazem a restituição do pagamento. Na hora, quem paga é você com o seu cartão! Eu hoje tenho um seguro excelente pago pela empresa para a qual trabalho, válido em todo o mundo que é o Allianz www.allianzworldwidecare.com mas existem outros bem mais baratos, e até especificos para mochileiros... eu já usei o www.worldnomads.com , recomendo... o preço é bom e o atendimento também (via Bupa). Sobre o seguro do cartão de crédito, leia muuuuuito bem! O seguro só vale se vc pagar a passagem aérea toda com ele... e a maioria só cobre por até três meses após a chegada, e somente no país de chegada! Ou seja: pousou em Lisboa hoje e foi para Barcelona uma semana depois, seu seguro já não vale mais! Tem alguns sites que fazem cotaçao de seguros ao mesmo tempo e te dão a cotaçao mais barata... atenção a esses sites, na maioria das vezes eles cotam seguros para residentes do UK ou EUA, aí o valor despenca mesmo! Assim como o seguro do cartão de crédito não cobre o seguro de aluguel de carros como Ferrari, Porsche etc... Opa Jaumz, que beleza. Quais vacinas vc ja tomou? abs
  14. Fala Jaumz e Luccas, Tranquilo Luccas! Valeu pela add no Fb. Gosto muito do mapa de visa requirments atualizado pelo Wiki http://en.wikipedia.org/wiki/Visa_requirements_for_Brazilian_citizens Sim, o mapa tem algumas falhas (Swaziland brasileiro pega visto na Fronteira, o mesmo para o Belize)... mas em geral está bem atualizado! Eu gosto desse mapa muito mais do que dos sites em geral que informam sobre a necessidade do visto ou não, porque quando estamos fazendo uma RTW o que mais importa é se o visto pode ser obtido NA FRONTEIRA ou não, e esse mapa está bem atualizado a esse respeito. Tem vistos rápidos... por exemplo tirar um visto da PR China em Hong Kong é mais rápido que tirar no Brasil... sai no mesmo dia. Abraçaaaao
  15. Fala Lucas, Mas também tem o lado bom do Japão... como ele fica num extremo do planeta, você pode ir direto do brasil para lá, ou ir para o oriente (China etc) e depois seguir para o Japão dentro dos três meses de validade do visto emitido no Brasil! Sobre tirar o visto no exterior, atenção: não são todos os países que exigem que comprove-se a residência no local para tirar vistos utilizando as Embaixadas daqueles países. Portanto tirar visto da China em HK, Índia na Tailandia, Vietnam no Camboja etc é molezinha! Os pdfs que eu baixei estão bem desatualizados. Ediçoes etc... mas você sabe que pode baixar a última versão dos LPs na AppleStore? Bem mais barato que comprar o original em papel... depois o LP tambem fez alguns Apps guias de grandes cidades com todas as dicas, e os mapas ajudam muito também... vale dar uma olhada, guebra um galhão. Abs
  16. Fala Lucas e Jaumz, O Japão é mesmo um ingrato... mas quem sabe isso não mude até a data da sua viagem, Lucas?! A Russia também era muito complicada quando eu viajei, tanto que não fui para a Russia durante a minha RTW... acabei indo depois! As coisas mudam, e o nosso passaporte brasileiro é excelente para viajar, não dá para reclamar não! (Australianos por ex ainda precisam de visto para Ucrania, Russia etc)! Voltando ao assunto do Japão, é possível tirar fora do Brasil sim. Tenho amigos que tiraram em Maputo, Moçambique... mas sempre comprovando a residência no país através dos vistos de residência... sem eles não acredito que teria sido possível tirar. Sobre as relações com Embaixadas segue a dica: ao invés de pedir as informações por email, tente ligar para o responsável da área consular/vistos... por telefone eles podem falar a situação real. Escrever para eles é sempre mais complicado, por algumas coisas que são flexibilizadas não podem ser escritas. Eu tenho alguns pdfs dos Lonely Planet que baixei pelo torrent... recomendo baixar todos nessa fase inicial de investigação... ajuda muito! Abraços de Blantyre, Malawi!
  17. Jaumz, Opa... que banco é esse que te isentou das tarifas de saque? Mesmo assim, levando em conta que você vai ficar fora por 3 anos... tenha cuidado para ver se esse banco não está "metendo a faca" na conversão, ou seja... se não está cobrando mais que outros bancos na conversão e te isentando das taxas (o que pode te deixar no prejuízo). O dólar da conversão é quanto acima do comercial? Como você vai gastar aprox. 75 mil dólares em 3 anos, eu consideraria abrir uma conta offshore. Não sei como andam os procedimentos aí no Brasil para abrir uma conta fora, mas recomendo muito para o teu caso. Porque a historia dos cartões pré-pagos é engana trouxa... o cara carrega um cartão tipo Visa Travel Money a uma conversão absurda e logo de início perde muito dinheiro, além de perder nas taxas de saque e conversões. Preste atenção nisso aí, que fará diferença na sua conta no final! Outra dica que fica, é SEMPRE levar uns 200 dólares em notas escondidas. Podem te salvar em enrascadas em países onde a rede do cartão não está funcionando, quando você é roubado... enfim, sempre bom ter um dinheiro vivo para resolver problemas. Sobre os vistos: Russia já foi um problema, hoje todo mundo sabe que somos privilegiados em entrar sem necessidade de visto. Austrália tbem já foi mais complicada, só emitia em embaixadas de países onde você comprovasse residência, hoje o processo já é feito pela internet. Japao é que pode ser uma pedra no seu sapato... não sei se alguma embaixada emite o visto japonês para brasileiros que não residam no país onde está a embaixada, vale a pena você pesquisar e postar para a gente. A mesma observação vale para Arabia Saudita, Iraque, Paquistão e Bielorrusia. Sobre os demais países no seu roteiro, você conseguirá emitir o visto em países vizinhos no caminho. Sobre os documentos para tirar os vistos no caminho, recomendo que você leve varias fotos 3x4, comprovante de renda ou poupança no Brasil... raramente te pedem documentos além do passaporte, é sempre um formulário para preencher e o seu passaporte, sobre isso é tranquilo. A maioria dos países sequer pedia comprovante de bilhete de saída para a emissão dos vistos, mas os que pediam, eu acabei colocando trechos (digitando no formato de uma reserva, baseado em números de voos dos sites da internet) bilhetes que não eram exatamente verdadeiros... mas que comprovavam a minha intenção real de sair do país, eles ficavam satisfeitos e eu também. Os vistos em geral não registram a fronteira pela qual você disse que iria entrar... portanto poderá apresentar um bilhete aéreo para entrar na China por Pequim, mas acabar entrando pela fronteira por terra vindo do Vietnam, o mesmo vale para a saída! O mais importante é cumprir os prazos dos vistos e claro, sempre mostrar que a sua intenção é fazer a viagem de volta ao mundo, confirmar as datas de saída sem hesitar (eles - oficiais de imigração - costumam perguntar mais de uma vez para ver se você não fala respostas diferentes). Quando começa a tua viagem? Abs
  18. Fala Jaumz, Hahahah, obrigado. É uma honra para o "membro de honra" aqui ser inspiração para alguém. Aliás, é sempre muito bom ajudar o pessoal a viajar mais e melhor! Na época em que fiz a minha RTW, utilizei o Hospitality Club... o CS ainda estava engatinhando. Infelizmente o CS está migrando para uma plataforma de pensamento mais capitalista... o negócio ficou grande DEMAIS, mas FELIZMENTE isso não impossibilita os usuários de fazerem o que querem com o site. Vamos ao que interessa: em geral o pessoal do CS tem prazer em hospedar. Eu tenho hospedado muita gente aqui no Malawi, por isso não há muito desse sentimento de hospedar sem lucrar. O lucro sempre tem que ser a troca cultural, o conhecimento... a quebra de rotina. Eu costumo dizer que se eu não posso viajar, por que não trazer a viagem/viajantes para a minha casa? O CS não vale para lugares onde você só vai pular rápido... porque é estranha a sensação de usar a casa de alguém como hotel. O ideal é ter tempo para gastar com o seu host... seja no final do dia (não esqueça que muita gente trabalha, por isso também não vão ficar como se fossem seus cicerones) ou num final de semana. É sempre muito interessante fazer couch surfing... economiza-se em dinheiro com hospedagem e às vezes até com comida, lavanderia... e ganha-se muito no quesito cultural, na troca de informações dos lugares que os locais frequentam, de como é a vida, a política, os negócios no país... em contrapartida você vira uma espécie de embaixador do Brasil... porque estão ali medindo de certa forma o seu comportamento, o seu jeito de ser... enfim... CS pode te trazer experiências muito diversas, tudo vai depender das pessoas envolvidas. Tem de tudo, o segredo está em escolher bem as pessoas, para que elas batam com o que você está esperando da viagem e das experiências. Sobre o orçamento, era uma curiosidade minha. Cada um tem o seu orçamento, e nas RTW é quase impossível prever o seu orçamento com um grau de certeza alto. Acho 70 dólares por dia uma boa média... eu gastava em média 1000 dólares por mês, com os cintos apertados. Claro que no sudeste asiático, China, América Latina, Egito e países do Leste Europeu a média caía para compensar o tempo nos países mais caros. Uma das coisas que você vai notar é que você vai acabar se dando mais luxos nos países mais baratos, e isso acaba puxando a média deles para cima... o que é perfeitamente normal, porque muito mochileiro fica perambulando quase como mendigo na Europa e não aguenta esse esquema por muito tempo... chega na Eslováquia por exemplo e começa a gastar mais numa festa a noite, num taxi porque está cansado de carregar a mochila... enfim... rs rs Normal. O importante é economizar com o que é fácil de se economizar... investigar agora qual banco tem uma melhor taxa de conversão e menores taxas para saque no exterior, tentar lembrar de amigos que poderão te hospedar no exterior... esquecer o preconceito com agua da torneira (isso vale para as cidades onde a agua de torneira é potável) e ter sempre o seu cantil para recarregar. Prestar atenção na alimentação é um fator muito importante... tentar cozinhar sozinho ou em grupo no hostel ou na casa do teu anfitrião. Não tem corpo que aguente comida de rua ou de restaurante por mais de alguns meses viajando! Estamos aí para o que precisar... Abraaaços
  19. Fala Jaumz, Excelente roteiro!!! (fiz uma RTW em 2008/2009) Vc pretende ficar em albergues/CS? Qual orcamento voce tem imaginado para esses tres anos? Que equipamento fotografico esta pensando em levar? Abraaaacos
  20. Tudo bem, Pri? Se vc decidiu que vai fazer a RTW através do bilhete de alguma aliança, o ideal é investigar quando eles farão o aumento da tarifa. Eu levei azar e por alguns dias perdi a tarifa antiga... rs Sobre o Japão, foi um problema para mim. O visto do Japão é sim emitido nas embaixadas japonesas no exterior... algumas exigem que você comprove residência no país onde o visto será emitido, e aí é que começa a complicar. Faça uma investigação... Hong Kong geralmente impõe menores exigências no sentido de comprovar residência... liga lá e tenta confirmar. Mas você sabe como é... a regra pode mudar no meio do jogo eheheh Abs
  21. Alô Pessoal! Alguém por aqui já conseguiu o VOA (visto emitido na chegada - no aeroporto em Teerã)? Como foi? Quanto tempo de estadia deram? Abraaaços
  22. Love you Dete! Saudades imensas! Quanto tempo vc fica em Portugal? Por onde vai passar? Me manda uma msg para eu te ajudar... Sobre o Marrocos, não deixa de fazer o tour para as dunas de Merzouga, É FENOMENAL E INDISPENSÁVEL!
  23. De nada! Aguardo os feedbacks e atualizações das RTWs de vcs também! Abraaaços
  24. Detinhaaa... olha eu respondendo aqui de novo! eheheh Cinquenta dólares por dia está bom, ou seja... saca uns 3000 dirhams. Se for pagar acomodação com o dinheiro também... aí é melhor dobrar o valor! Ah, quando fui lá só uma máquina do aeroporto funcionava com o meu cartão do Banco do Brasil... não lembro mais qual era! bj
  25. A sugestao da Angela é boa... mas NUNCA confie totalmente nesse tipo de site. Vários tem enganos e as atualizações não são feitas com a periodicidade que deveriam ser feitas. Um exemplo que eu mesmo testei nesse site foi a Suazilândia (país da África Austral) fui várias vezes para lá e nunca precisei emitir visto... ali eles indicam que é necessária sim a emissão de um visto na embaixada deles... mentira, brasileiros podem entrar e permanecerem lá como turistas por 30 dias, não é necessário emitir visto nem pagar por ele.
×
×
  • Criar Novo...