Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

marciog18

Membros
  • Total de itens

    99
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre marciog18

  • Data de Nascimento 27-04-1984

Outras informações

  • Próximo Destino
    Chapada dos Veadeiros

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. marciog18

    3 continentes, 4 meses

    Meus sentimentos, queridos! Se vocês fizeram o que estava ao seu alcance, fiquem tranquilos. Todas as lições que vivemos são para aprendermos algo e evoluirmos. Sobre a viagem, sugiro vocês deixarem a América do Sul para uma outra viagem, por ser mais "fácil" de chegar. Talvez vocês possam começar pelos EUA, depois Europa e depois Ásia. Mas isso também depende muito do que vocês querem conhecer. Como já foi escrito acima, é importante planejar, inclusive a época vocês estarão em cada continente, pois isso também determina a quantidade de roupa. E viajar com menos bagagem é mais tranquilo e, muitas vezes, mais econômico. Talvez essa viagem vai servir para treinar também o desapego. Desejo-lhes boa sorte e uma ótima viagem com excelentes experiências!!!
  2. Informações muito úteis. Está ajudando a montar o nosso roteiro. Muito obrigado.
  3. marciog18

    Rota das Emoções em 15 dias – JUNHO/2017

    Muitas informações úteis para organizar a minha próxima viagem Obrigado!
  4. É no mesmo caminho para o Parque Nacional, aí tem uma placa indicando Mirante a esquerda. Se você continuar para a direita, sai no parque. Então você vira a esquerda e segue até chegar em um estacionamento que tem um cristal enorme. Não tem erro! Obrigado!
  5. marciog18

    Noruega Geral - Perguntas e Respostas

    Ótima ideia! Boa viagem!
  6. Obrigado pelo relato, Carol! Uma perguntinha: como vocês acharam o caminho para a propriedade da Cachoeira do Abismo?
  7. Belo relato! Trouxe informações úteis para montar o nosso roteiro. Gostei muito das fotos no blog!!
  8. Belo relato, Domenico! Obrigado pelas informações. Elas estão ajudando a montar o nosso roteiro também.
  9. marciog18

    Noruega Geral - Perguntas e Respostas

    Oi Débora, fiz as trilhas Pulpit rock e Kjerag em julho. Infelizmente não posse te ajudar quanto às datas que estarás lá. Mas aproveito a oportunidade para sugerir não ir pra Noruega tão pouco tempo. Vc vai gastar muito tempo e dinheiro em deslocamentos para chegar aos lugares e aproveitar muito pouco. Minha sugestão é planejar uma segunda Eurotrip (em junho, julho ou agosto) e então incluir a Noruega. Além disso, é bom ter um dia reserva pra caso esteja com tempo muito ruim.
  10. Bom relato, obrigado pelas informações!
  11. Liz, que lugar lindo!!! Obrigado por compartilhar. Acho que vou colocar Bonito já como primeiro destino da lista de viagens!!! Adorei também a ideia do Fe+Liz no mundo no instagram. Pelo que vi, essa viagem foi recente. Seria possível postar alguns preços dos passeios para se ter uma ideia? Grato!
  12. Dia 8 – Ida à Praia do Forte. Dirigimos bastante e chegamos às 15h aprox. na Praia do Forte. Não tínhamos reserva, pois a ideia seria nesse dia fazer a Trilha da Fumacinha lá na Chapada. Como estava sem água, fomos embora um dia mais cedo, mas queremos voltar um dia para conhecer a Fumacinha. Ficamos no hostel (da rede Hostelling International) que tinha várias camas vazias, apesar de no site do hostelworld não ter mais vaga. A diária era R$ 80,00 por pessoa com café da manhã. Achamos caro, mas tem suas vantagens. O hostel é muito bom, fica bem localizado. Os hóspedes têm entrada grátis no Projeto Tamar (preço normal R$ 22) e no Instituto das Baleias, nesse último não fomos. Também se ganha 50% de desconto na entrada da reserva Sapiranga, mas não fomos. No projeto Tamar geralmente tem abertura de ninho de tartaruga às 17h. Ali na Praia do Forte é tudo urbanizado, com calçamento. Tem muitos condomínios, pousadas, restaurantes, lojas, bem diferente de tudo que vimos na Chapada. Dia 9 – Praia do Forte. Ficamos mais um dia pra poder fazer tudo com mais calma e porque não queríamos chegar na sexta à noite em Salvador. Nesse dia a maré estava bem baixa de manhã. Isso possibilita a formação de pequenas “piscinas” naturais, onde é muito bom de tomar banho. Os preços são mais altos ali na Praia do Forte. Existe um local chamado “it’s”, com preços mais em conta. Fica próximo ao Tango Café e ao lado da sorveteria Doce Gelato, que também tem um sorvete ótimo. Dia 10 – Ida a Salvador e devolução do carro. Depois de devolver o carro em Salvador, fomos ao hostel Barra Guest deixar as mochilas. Esse era o último dia da minha irmã, então fomos aos pontos turísticos do centro: Pelourinho, Igreja de São Francisco, Elevador Lacerda, Mercado Modelo. Também fomos à Igreja do Bomfim (fitinhas) e terminamos na Praia do Porto da Barra. Dia 11 – Salvador. Sugestões do que conhecer além disso: - Museu da Misericórdia (recomendo). - Museu do Jorge Amado no Pelourinho (recomendo para quem gosta de literatura). - Casa do Rio Vermelho (casa onde morou Jorge Amado – recomendo para quem gosta de arte e/ou literatura). Dia 12 – Salvador. Sobre o Barra Guest Hostel: havia praticamente só estrangeiros por lá. A localização é boa. O preço é bom. Tem mercado e ponto de ônibus próximo. Fica a uns 800 metros da praia. Fica próximo também ao shopping da Barra. Café da manhã ok. Ali perto do Farol da Barra a rua é fechada para carros, então fica tipo um calçadão onde as pessoas passeiam, praticam esportes etc. Recomendo ficar na região da Barra. Dia 13 – Voo de Salvador para Porto Alegre. Peguei o bus 1003 em direção ao aeroporto. Levou cerca de 1h e 30 min. Também tem bus passando da frente do shopping Barra que vai ao aeroporto. Quem quiser ver mais fotos, pode entrar na publicação que fiz na página dos mochileiros no facebook: E também tem fotos e vídeos no instagram: o meu é @marciog18; e o da minha irmã é @elisabetg7 Dicas finais para visitar a Chapada Diamantina: - Leve repelente. Alguns locais não têm foro, então pode ser importante para conseguir dormir. - Saque dinheiro antes e tenha sempre um dinheiro trocado. - Alugue um carro, pois as atrações são longe umas das outras. - Vá com tempo, pois vale a pena. - Desfrute da maravilhosa natureza na Chapada Diamantina! Quem tiver dúvidas, pode perguntar. Estou à disposição para ajudá-los no que eu souber.
  13. Dia 7 – Trilha da Cachoeira do Buracão. Saímos às 8h30min da casa do guia Neilton (77) 9-8816-8376. Voltando sentido Ibicoara, após alguns km, entra-se à esquerda. Mais um trecho e há um controle de acesso ao parque onde fica o Buracão. Chama-se Parque Municipal do Espalhado. Lá se paga R$ 6,00 por pessoa. E é obrigatório estar com guia. O Neilton cobrou pela trilha R$ 120,00 para duas pessoas. Desse ponto, são mais 7 ou 9 km até o estacionamento, onde inicia a trilha. A estrada é razoável, com alguns pontos críticos. Há um ponto onde se passa com o carro num riacho, mas é algo bem rasinho e passamos tranquilo. A trilha até o Buracão é leve a moderada e dura 1 hora. Nós achamos bem tranquila. A parte menos fácil é no final da trilha quando se desce até o rio, mas mesmo assim é tranquila. Um pouco antes de chegar na água, cada um pega um colete salva-vidas (obrigatório). Quando se chega ao rio, dá pra ir pelos paredões ou pela água. Recomendamos ir pela água, flutuando, nadando. Dali, são uns 100 metros até o Buracão, que é algo incrível e indescritível. Valeu cada metro dirigido por essas estradas todas. Fomos os primeiros a chegar, pois já estávamos no Baixão e não precisamos pegar toda aquela estrada para quem vem de Ibicoara. Mais uma vantagem de pernoitar na casa de nativos por lá. Como estava com menos água do que o normal, pudemos ir até embaixo da Cachoeira. Todo o tempo na água foi super tranquilo, pois estávamos com os coletes. Ali dá pra ficar um bom tempo. Saímos da água e depois entramos de novo. É muito bonito! Ficamos quase três horas lá. Na volta, pudemos tomar uma ducha (ao ar livre) no estacionamento. Há banheiros também. Essa facilidade foi construída recentemente e concluída em dezembro de 2016. Bem, aqui termina a parte do relato da Chapada. A ideia inicial era ficar mais uma noite para, no dia seguinte, fazer a trilha da Fumacinha. Mas, essa cachoeira estava completamente sem água. Essa trilha é considerada difícil, são 9 km de ida, sendo 5 km pelo leito do rio, segundo o Neilton. A vontade era grande, mas optamos por não fazer pela falta de água. No final desse relato, estão algumas dicas que consideramos importantes para quem quer visitar a Chapada. ---- Seguimos viagem em direção ao litoral da Bahia. Pernoitamos numa pousada uns 40 km antes de Itaberaba (R$ 40 por pessoa por noite sem café da manhã).
×