Ir para conteúdo

tombrun

Membros
  • Total de itens

    20
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Estava quase me decidindo sobre El Chalten, quando me deparei com outra questão: carregar as malas no ônibus. Tentando evitar isso,comecei a pesquisar alguns transferes com remises,mas em uns, os preços são proibitivos e em outros não recebi respostas a minha consulta. Outra opção, é alugar carro, mas tenho lido alguns comentários sobre a dificuldade do terreno, além de estar pagando diária em Chalten, sem usá-lo, já que estaríamos "treckando" (rsrs). O que sugere?
  2. Vlw Rê !! A minha preocupação, na verdade, é com minha esposa que não é muito chegada a "sacrifícios" (entenda-se mais uma viagem de 3 horas de ônibus para El Chalten, além das duas de avião (para El Calafate e Ushuaia)). Só estou tentando ver a melhor maneira de aproveitar El Chalten devido a sua (e várias outras) dicas sobre os encantos de lá. Por mais paradoxal que seja, penso no famoso bate-volta para El Chalten e fazer somente a trilha do Fitz Roy, como já li em algumas resenhas. Apesar de ser cansativo do ponto de vista de ter de encarar duas viagens de ônibus no mesmo dia, evita-se a pr
  3. Concordo com você, Marthinha29, e com várias outras opiniões pescadas na net (e com certeza será da Renata) sobre a beleza de El Chalten, mas eu provavelmente terei apenas 3 dias em El Calafate (e outros 3, ou 4 em Ushuaia). Por isso, esta opção por um bate-volta. Vou tentar ficar mais tempo, porém o certo, por enquanto, são 8, ou 9 noites (6 ou 7 dias inteiros, descontando as viagens). Aproveito para outra pergunta, meio que fora do estilo mochilão: alguém aqui indica um hotel (não hostel)?
  4. Cara Renata, seu relato é excelente e tem sido super útil na minha programação, pois pretendo ir aos lugares citados em fevereiro (após o carnaval). E como não poderia deixar de ser, seguem uma perguntas:? 1- Sabe sobre algo desabonador quanto a ida em fevereiro (tipo tempo etc..)? 2- Estava pensando em fazer El Chalten num bate-volta. O que você acha? 3- Na minha programação original (sujeita a mudanças), penso em 4 noites em Ushuaia + 4 noites em El Calafate e nessa ordem, porque em minhas simulações, a passagem de retorno de El Calafate é mais interessante, pois consigo chegar no Rio de
  5. Acabei de chegar de Puerto em 08/10 e já me sinto a vontade em retribuir as dicas: 1- Primeiramente vou falar sobre o último "tema" em discussão: que moeda usar. Saquei apenas 600 pesos no banco de La Nacion e foi mais que suficiente (passei 3 dias por lá). Usei basicamente para pagar taxi, pois fiquei no Boutique Hotel de La Fonte (falo dele adiante) e devido ao ENORME calor, não dava pra andar até o centrinho com frequência. Em dois almoços que fiz por lá (no Il Fratelli) e só percebi que poderia pagar em reais (cash), ao digitar a senha na 2ª vez. E observando no meu celular (que tem o
  6. Estive pescando umas dicas sobre Puerto Iguazu, quando me deparei com a pergunta sobre o que usar nas compras. Gostaria de dar uns pitacos: ~ 1- Como regra básica, NUNCA se deve comprar nada no exterior, com preços em dólares, a não ser no DutyFree, ou nos EUA (ou países que usem essa moeda), pois cada loja tem sua taxa de conversão e na hora de se pagar, lembre-se que a gente paga pela moeda local. E é aí que o lojista se dá bem. Ele cobra, em dólar menos que a concorrência, mas na hora de converter para a moeda local, dependendo da cotação, você pagarã mais. Esse não que não deve ser o
  7. valeriaadded » 26 Mar 2011, 21:28 ---Eu não tive esse problema em comprar. Realizei a compra exatamente como realizo aqui no Brasil. Paguei com o cartão de crédito e a confirmação foi instantânea.Sobre as compras no exterior tenho dois elogios: ano passado, pela Avianca, precisei desistir de um vôo que havia adquirido e não tive nenhum problema burocrático para a restituição. Nunca tive um atendimento assim aqui no Brasil. E esse ano num vôo feito pela Copaair, recebi um e-mail para saber minha opinião sobre o vôo e atendimento.
  8. Respondendo a valeriaadded » 26 Mar 2011, 00:36 Então Glauber, acabei fechando as passagens pela avianca, pois era o melhor custo beneficio, preços ok e sem escalas. Fico 4 dias em Bogota, e voo pra Cartagena, em teoria mais 6 dias, que estou pretendendo dividir com Sta Marta/Tayrona, mas nada fixo. Aí San Andres ...mesmo ainda não conhcendo os lugares eu concordo plenamente com vc...tinha que ser no final... do contrário eu correria o risco de ir para a Colombia, e não conhecer a Colombia...rs se é que me entende!! Não vejo a hora! Sobre o comentário do lojudice ... alguém já foi
  9. Respondendo ao Serginho 8000 (se ainda não embarcou) e/ou a quem mais possa interessar: Olá pessoal...estou indo a San Andrés nesta semana ainda com um amigo pra curtir praias, mergulhos e noitadas na Ilha e por isso já li tudo aqui nos Mochileiros, mas possuo ainda algumas dúvidas.Se alguém puder me dar um help... 1- O que compensa mais? Fazer um pacote ( hotel + avião ) ou não? Cara, eu SEMPRE prefiro ir por minha conta, mas vai mais do que você conseguir na época em que for viajar. Compare ambos e escolha. Eu, por exemplo, fui por milhagens até Bogotá e de lá para Cartagena e San
  10. tombrun

    San Andrés

    Galera, estive agora em fevereiro em Cartagena e San Andres e como peguei alguma informações por aqui que me foram úteis na viagem, gostaria agora de compartilhar minhas experiências. Abaixo vão algumas considerações gerais, mas podem perguntar algo qe não esteja escrito. Antes de mais nada, não fui especificamente no estilo mochilão, mas algumas dicas podem ser úteis. Colômbia --> Fui a Bogotá por milhagem pela GOL, mas a TAM também oferece o mesmo serviço (apesar de preferir o Smiles, por conta das limitações de validade de 3 meses da TAM). As passagens internas (BOG x CAR -- CAR x
  11. Galera, tenho um aviso MUUUIITO importante, que espero que consigamos repassar até para as pessoas que viajarão para Bari no próximo ano ( já está quase findando esta temporada de neve). Bem, o aviso é o seguinte: Sempre aconselhei a utilizar o saque e, pricipalmente o pagamento com cartão de crédito, o que continuo a aconselhar. Porém este ano aconteceu algo inesperado: No primeiro dia em Bari, fui sacar no Banco de La Nacion e meu limite diário foi de somente 320 pesos e só podia fazer 1 saque por dia, contra 3 saques diários com o limite de 600 pesos em cada um, no ano passado. Tendo acont
  12. O freeshop de Bari é pequeno, com poucas opções e os preços diferenciam dos daqui em muito pouca coisa (sinceramente não me lembro se para menos, ou para mais). Quanto a falta de produtos, é só deixar reservado pelo site www.dutyfreedufry.com.br , para o dia de seu retorno. Deixar para comprar na volta é mais interessante, porque você teria menos peso na bagagem para se preocupar com o limite. A única coisa que comprei por lá (no freeshop, é claro), foi um óculos de sol, cujo modelo era melhor que o visto aqui. E.T--> Outra vantagem de se fazer a reserva, é que o produto fica garantido
  13. Jana, prestando atenção em sua pergunta, observei que você não indicava a cidade destino de sua viagem e minha dica anterior (Mitre), foi para bariloche. Em Buenos Aires, há vários "cajeros automáticos" espalhados pelo centro. Você com certeza vai esbarrar num deles. Eu cheguei a imprimir uma lista desses "cajeros", porém foi inútil, devido a grande quantidade e a proximidade de alguns deles.
  14. Cara Jana, respondendo a sua pergunta: o banco em que fiz os saques foi Banco de la Nacion, que fica na Mitre 180 (minha memória não é tão boa assim, fui pesquisar para lhe dar o endereço certo). E os meus cartões são justamente do BB (Master e VISA). Lembre-se de solicitar ao seu gerente a liberação para operação de saque no exterior. Sem essa autorização, ele não vai funcionar.
  15. Respondendo a maioria das dúvidas que observei aqui sobre uso de dinheiro, e tentando ajudar como fui ajudado quando fui pela primeira vez, tenho a informar que é MUUUITO mais vantagem pagar com cartão de crédito, ou ainda sacar dinheiro (peso) nos caixas eletrônicos com o cartão. Isso vale tanto para Bariloche, quanto para Buesno Aires. A cotação usada pela operadora do cartão é muito próxima do dólar ofocial e , mesmo pagando a taxa de 2% na operação, é mais vantajoso. Agora, é preciso saber antes se seu cartão permite esta operação. Alguns necessitam apenas de um simples telefonema ao banc
×
×
  • Criar Novo...