Ir para conteúdo

pedrobio

Membros
  • Total de itens

    22
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre pedrobio

  • Data de Nascimento 17-09-1980

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. E ai Goiano, vou aproveitar e pegar uma carona aq no seu topico, blz? Ainda estou em fase de pré-planejamento, só pensando no destino das minhas férias de julho. Tava pensando em ir pro Perú via Bolívia em Julho de 2012 com meu peugeotzinho 206 velho de guerra. Vou sair de Floripa e minha idéia inicial é ir pela bolívia via Corumbá-Santa Cruz-La paz-Cuzco, depois ir pro litoral e voltar por Cuzco-Transoceanica-Acre-Porto Velho-cuiabá. Queria perguntar pra vc q já pesquisou mais ou aos mais experientes q já andaram por essas bandas se é viável essa trip com carro pequeno no inverno. Minha principal dúvida é se tem muita neve na cordilheira nessas duas estradas (Santa Cruz-La Paz e a transoceanica), se eles fecham as estradas periodicamente quando tem nevascas como acontece no chile. Já andei pesquisando por cima e parece q tá quase tudo asfalto e a questão das chuvas vi q é época de seca tanto na amazônia quanto no pantanal, mas quanto a neve ainda não achei nada. Tb to em dúvida quanto ao combustível se tem postos em todo o caminho, principalmente na Amazônia Brasileira e Peruana. Outra questão é a segurança, vi um tópico de relatos de assaltos a carros na Bolívia, será q é muito perigoso ou é só casos isolados? Um abraço
  2. Oi Pessoal, To indo pra Londres agora em novembro ficar 5 dias, eu e minha mulher. Tenho uma dúvida, minha amiga disse que na entrada perguntaram pra se ela já tinha pago o Hotel, vi também aqui no mochileiros que tem que ter hotel pago. Eu paguei somente os 10% da reserva de hostel pra mim e minha minha mulher que foi bem baratinho. Será que eles encrecam com isso? Nao entendi se quando eles pedem o hotel pago é para todo o período ou só esses 10% da reserva. Se alguem souber responder eu agradeço, Valeu
  3. Lucas, Fui agora em dez2008/jan2009 pro atacama com meu peugeot 2006. Na real todos os passeios da pra fazer de carro comum, vi até um ford Ka nos geiseres. Os mais punks são justamente os geiseres e a lagunas miscanti e minhiques. Os geiseres não recomendo pois tem que sair denoite pra chegar lá no por do sol, então são muitos Km de estrada de barro em maus condições, esse foi o único passeio que fui de agencia. Nas Lagunas miscanti e minhiques, fui com o meu carro, a estrada é bem ruinzinha, mas da pra ir. A Laguna Verde é na bolivia, mas é pertinho da estrada da travessia do paso jama, então recomendo que vc vá pra lá quando tiveres atravessando, saia bem cedo que da tempo pra conhecer a laguna e todo o resto da travessia dos andes com calma, leve dinheiro boliviano pois eles cobram uma taxa na aduana boliviana a na laguna, esse passeio eu não fiz pois não tinha dinheiro da bolivia, so cheguei até a aduana. Os outros passeios é bem tranquilho, siga as vans de turisto e so va até onde elas vão. Quanto a aclimatação senti bem pouco só no primeiro dia que dormi em humahuaca a 2500 msm, de resto foi tranquilho Um abraço
  4. Pedro, Fiz uma viagem pro chile, argentina e uruguai, bem no mesmo roteiro que vc está pensanto veja lá meu relato: atacama-santiago-bs-as-montevideo-31-dias-de-peugeot-206-t32761.html Outra pessoa que fez tb foi o André veja em: http://www.aventuranoatacama.blogspot.com No tópico de-carro-para-o-atacama-t28557.html tem bastante informação tb. Bom planejamento e boa viagem
  5. Uriel, Pelo que pesquisei, acho que a Fronteira de Fray bentos ta fechada, acho que a melhor opção seria Saindo por Uruguaiana, ir até Mendoza e depois de Mendoza até Buenos Aires. Acho 7 dias muito em Mendoza, se eu fosse voce dava uma esticada até Santiago, Valparaíso e Viña del Mar, se a travessia da cordilheira estiver aberta quando estiveres lá, ficando assim 3 dias em mendoza e 4 no Chile.
  6. malenkaya, Eu sai por São Borja agora em dezembro de 2008. Fiz o roteiro Floripa>Lages>Vacarias>Passo Fundo>São Miguel da Missões>São borja>Corrientes. Achei as estradas relativamente boas, não peguei nenhum movimento, por isso deu pra desenvolve bem 130-140 Km/h. A fronteira foi tranquilo, peguei uma fila pequena, tem uma boa estrutura e casa de câmbio. Uma outra opção seria sair por Porto Xavier, essa eu não fui, pois teria que pegar uma balsa que acho tem so até as 17:30. Veja lá meu relato no primeiro e segundo dia: http://www.mochileiros.com/atacama-santiago-bs-as-montevideo-31-dias-de-peugeot-206-t32761.html
  7. André e Sueli, Valeu ai! Pois é pra ano que vem queria mesmo Patagônia, mas ainda não sei acho que peru/bolivia é mais barato, mas até lá ainda tem muita água pra rolar... Um abração
  8. Pois é André, Se soubessemos que nosso roteiro ia se encontra, podiamos ter combinado um encontro em Santiago pra tomar umas critais ou escudos lá Fizemos um roteiro bem semelhante... Valeu ai Um abração
  9. Oi pessoal!!! Finalmente consegui fazer um relato completo na minha viagem ao Atacama, Valparaíso, Pichilemu, Santiago, Mendoza, Buenos Aires, Montevideo. Foram 11.000 Km com Peugeot 206 no final de dezembro/2008 e janeiro/2009. Passei todo o diário que fizemos para o computador. Quem quiser ler vai lá em relatos: http://www.mochileiros.com/atacama-santiago-bs-as-montevideo-31-dias-de-peugeot-206-t32761.html Quero agradecer ao pessoal daqui do fórum pelo troca de info e experiências nessa viagem que fizemos! em especial á Sueli, beier, André Marques, Alex Petrillo, Marioluc e Ione e Junior. Gostei bastante também do relato do pessoal, dos blogs do André e do Alex, muito massa e o relato do Marioluc, esse foi longe .... Agora, como esse vício de viagem pega, já to pensando nas próximas férias!!!! Não sei ainda se Peru/Bolívia ou Patagônia, o difícil vai ser juntar o dimdim denovo.... Abraços
  10. Oi pessoal!!! Vou fazer um relato completo na minha viagem para o Chile, Argentina e Uruguai que fiz agora em Janeiro de 2009. Foi eu, Pedro, e a minha mulher, a Raquel. Só tive tempo para postar o relato agora, pois peguei dengue semana passada aqui no Rio (02/03-06/03/2009) e tive tempo para transcrever todo meu diário de viagem para o computador, nos momentos que a febre abaixo. Foram ao total 11.000 Km rodados!!! Fomos com um Peugeot 206 ano 2005. O carro foi excelente, nem um pneu furado. O roteiro foi o seguinte: Data.......Origem/Destino.....................Km Percorrida 25/dez....Florianopolis/São Borja.............961 26/dez....São borja/Joaquín V. Gonzalés....1034 27/dez....Joaquín V. Gonzáles/Humahuaca..313 28/dez....Humahuaca/SP atacama............450 29/dez....SP de atacama 30/dez....SP de atacama 31/dez....SP de atacama 1/jan......SP de atacama 2/jan......SP Atacama/Pan de Azucar.........660 3/jan......Pan de Azucar 4/jan......Pan de Azucar/La Serena...........561 5/jan......La Serena/Reñaca...................400 6/jan......Reñaca (Viña Del Mar) 7/jan......Reñaca (Viña Del Mar) 8/jan......Reñaca/Pichilemu...................300 9/jan......Pichilemu 10/jan.....Pichilemu 11/jan.....Pichilemu 12/jan.....Pichilemu 13/jan.....Pichilemu 14/jan.....Pichilemu/Santiago.................265 15/jan.....Santiago 16/jan.....Santiago/Mendoza..................506 17/jan.....Mendoza 18/jan.....Mendoza/Buenos aires.............1084 19/jan.....Buenos aires 20/jan.....Buenos aires 21/jan.....Buenos aires/Mondevideo.........Buquebus+150 22/jan.....Mondevideo 23/jan.....mondevideo/Rio Grande...........575 24/jan.....Rio Grande/Florianópolis..........785 Obs: So considerei a viagem partindo de Florianópolis, porém sai do Rio de Janeiro, fiz isso pois em Floripa fiquei na casa de parentes e resolvi não considerar como "viagem". Quanto aos gastos, fizemos uma viagem relativamente econômica, ficamos em hostals (quarto privado) e acampamos também, fizemos compras em mercados, e comemos pouco fora. Em reais, foi: Gasolina................R$ 1522,79 Pedágio.................R$ 188,51 Alimentação............R$ 1555,80 Hostel/Camping....... R$ 1570,90 Artesanato/Souvenirs.R$ 326,79 Passeios/Entradas.....R$ 527,16 Buquebus (Balsa).......R$ 255,5 Outros...................R$ 305,35 Total.....................R$ 6252,8 Todos os gastos deste relato são já incluindo as 2 pessoas e considerando, aproximandamente, o cambio de janeiro de 2009 1 Peso Argentino = R$0,70; 1 Peso Chileno = R$0,0038 ; 1 Peso Uruguaio = R$ 0,10; 1 Dollar = R$2,40 Quanto á gasolina na Argentina dei preferência a bandeira ypf, no chile á Copec e no Uruguai á Ancap, resumindo foi: Preço médio da Gasolina Argentina (Super).........3,044 (R$2,13) Chile (95)..................461,4 (R$ 1,75) Uruguai.....................25,5 (R$ 2,55) Km total*.................9037 km Gasolina Litros .........679 litros Gastos................... R$ 1522,79 Consumo**...............13,31 Km/l *não considerando o trecho Rio/Floripa somando 2.000 Km de ida e volta dá aproximadamente 11.000 Km **O Peugeot 206, motor 1.4, superou minhas expectativas quanto á consumo, 13,3 Km/l, visto que andei a velocidade relativamente alta, muitas vezes a mais de 4.000 rpm e com o ar condicionado ligado. Acho que o rendimento relativamente bom deve ser devido a revisão que fiz antes, troca de velas e limpeza da injeção eletrônica, e ainda pelo Gasolina Pura da Argentina e do Chile. A viagem foi maravilhosa!!! Segue abaixo o relato de cada dia da Viagem: 1º Dia 25/12/2008 Saída: Floripa 6:20 Missões 15:00 Chegada: São Borja 18:30 960 Km rodados Nosso primeiro dia de viagem foi maravilhoso! Sol, céu azul, pouco trânsito, boas estradas e muita natureza. Visitamos as ruínas de São Miguel das Missões e ficamos encantados. O lugar é mágico, fascinante. As ruínas possuem mais de 300 anos. São Miguel Arcanjo era um sítio missioneiro que abrigava mais de 4.000 pessoas. Em São Borja jantamos traíra na beira do Rio Uruguai, lá anoiteceu somente ás 21h30. Estradas: Em geral de boas. De Floripa a Lages tem serra com muitas curvas, de Lages á Vacarias a estrada é boa, mas com trechos de curvas. De vacarias á São Borja muitas retas. As estradas estavam praticamente desertas, não sei se porque era dia 25 de dezembro. Deu pra desenvolver bem, rodei á 130km/h e alguns trechos um pouco mais. Estadia: Ficamos no Hotel Executivo no centro de São Borja, pagamos 60 reais para o casal com café da manhã, foi um bom custo benefício. Gastos:Gasolina: 190 Almoço/água: 31 Pedágio: 21,60 Entrada Missões: 7,50 Artesanato: 15 Janta: 28,50 Hotel: 60 Total: R$ 353,60 2º Dia 26/12/2008 Saída São Borja 7:20 Saída Ponte Internacional 8:30 Chegada: Joaquín V. Gonzáles 20:30 1034 km rodados Dia de muita estrada! Hoje entramos na argentina, passamos por muitas cidades, vilas e seguimos rumo ao Chaco argentino. Passamos por muitos animais na estrada, vacas, ovelhas, cavalos, mulas e pássaros. A cidade que paramos para dormir, Joaquín V. Gonzales, fica na província de Salta. Uma cidade pequena, acolhedora e tranqüila. Tem praça principal com chafariz, igreja e crianças brincando na rua. Estradas: Retas intermináveis, de maneira geral boas. No início até Corrientes as estradas são excelentes, porém tem movimento, de Resistência até Pampa Del Infermo são de regular á boa. No meio do chaco, de Pampa Del inferno até Joaquín V. Gonzáles, as estradas são de regular a ruim. Como são muitas retas e sem movimento, dá pra desenvolver bem 130-140 km/h (se tivesse um carro melhor dava pra ir mais rápido), nos trechos que tem animais na pista tem que diminuir bastante 70-80 km/h e parando muitas vezes pra eles atravessarem a pista. Em Rio Muerto, próximo á Pampa de Inferno (olha só onde fui parar!!!), a polícia nos parou. O policial conferiu os documentes e perguntou se fizemos boa viagem, daí ele foi direto ao assunto e perguntou: “tienes algo pra una água?”, eu me fiz de louco e ofereci uma garrafa de água, mas ele insistiu “algo pra compra uma água”, infelizmente eu dei 10 pesos e ele me desejou boa viagem. ANTEÇÃO: No chaco, pouco depois de Pres. Roque Saenz Peña, em Avia Terai, tem que virar á direita e não continuar reto, quase me perdi lá. Aduana: Foi tranqüilo, pediram a carta verde, os documentos do carro, a carteira de identidade e nos deram um papel da imigração que preenchemos e eles carimbaram, que é o visto de entrada, valido por 90 dias. Ruim foi o pedágio da ponte internacional, acho que foi uns $40 pesos, muito caro! Estadia: Em Joaquín V. Gonzales, ficamos na Hospedaria Del Sol á 4 quadras da rua principal, pagamos 50 pesos para o casal, o dona da hospedaria, Dona Marguerita é muito gente fina. O único inconveniente é que não tinha ar condicionado e o ventilador tava muito fraco. Gastos: Gasolina: R$30 + $120 (R$84)+ $86(R$60,2) Extintor de incêndio: R$ 15 Pedágios: $49,5 (R$34,65) Salgadinho: $7,5 (R$ 5,25) Almoço: $31 (R$21,7) Guarda: $10 (R$7) Mercado: $20 (R$14) Lanche: $7 (R$ 4,9) Hotel: $50 (R$ 35) Adaptador tomada: $4 (R$2, Água: $2,5 (R$1,75) Total: R$ 316,00 3º Dia 27/12/2008 Saída: Joaquín V. Gonzáles 9:30 Salta 11:00 Tilcara 17:30 Chegada: Humahuaca 20:30 313 Km rodados Hoje dirigimos menos e visitamos mais lugares. Em Salta andamos no teleférico que sobe o cerro San Bernardo. Visitamos as principais praças da cidade, a 9 de julho, que data de 1582. Os casarões históricos estão bem preservados. Almoçamos ótimas Empanadas Salteñas. Saímos de Salta e partimos rumo á Tilcara e Humahuaca, já na cordilheira dos Andes. As cidades são belíssimas, com feiras de artesanato e ruas estreitas. Quando começamos á subir os Andes percebemos a mudança na vegetação e o surgimento de enormes rios de pedras, quase secos, acredito que passe muita água por lá quando tem derretimento da neve nos Andes. A beleza dos Andes, das montanha coloridas é incomparável. Muitas vilas ou casas isoladas. Clima árido e frio á noite. Dormimos em Humahuaca cidade pequena, rústica e hospitaleira. Ao passarmos por Maimara presenciamos crianças dançando uma espécie de pau-de-fita, e cantando uma música na língua Andina local, foi emocionante. Humahuca fica á 2.500 metros de altitude, lá passamos um pouco mal á noite, não sei se foi por causa da altitude, ou por causa da cerveja, ou da comida apimentada ou uma combinação de tudo. Estradas: De Joaquín V. Gonzáles até a duplicação a estrada é um pouco ruim, na parte duplicada e até S. S. Jujuy a estrada é boa. Depois de S. S. Jujuy a estrada é boa, mas já começa a subida dos Andes e tem muita curva, o negócio é ir devagar, tranqüilo, só curtindo o visual! Estadia: Demoramos para encontrar um lugar que coubesse no nosso orçamento em Humahuca, mas depois de ir á uns 5 hostels (tudo na base de 150-200 pesos), encontramos um que não lembro o nome, pagamos 70 pesos (habitacion privada), o hostel era bom, tinha um aquecedor no quarto. Me arrependi um pouco de não ter ficado em Tilcara, lá parece ter mais opções. Gastos: Media Luna $2,5 (R$ 1,75) Todinho: $4 (R$ 2,80) Gasolina: $177,30 (R$ 124,11) Pedágio: $4,3 (R$ 3) Teleférico: $24 (R$ 16,80) Almoço: $32 (R$ 22,40) Calibrador: $2 (R$ 1,40) Artesanato: $72 (R$ 50,40) Cambão+Kit primeiros socorros: $44 (R$ 30,80) Hostel: $70 (R$ 49,00) Estacionamento: $2,50 (R$ 1,75) Janta: $20 (R$ 14,00) Postal: $1 (R$ 0,70) Total: R$ 318,91 4º Dia 28/12/2008 Saída: Humahuaca 9:00 Chegada: San Pedro de Atacama 18:30 450 Km rodados Aniversário da Raquel! Hoje subimos os Andes e chegamos a altitude máxima de 4.820 metros de altitude. Conhecemos o Cerro Colorado e o Cerro de Las Siete Colores. A subida é alucinante, chegamos ao nível das nuvens e estava bastante frio. O visual é indescritível, casas isoladas, rochas coloridas, Lhamas, vicuñas, jumentos, flamingos, oasis, deserto, salinas, vulcões, lagoas, simplesmente fantástico! Na descida eu queria ver a Laguna verde na Bolívia, a Aduana Boliviana ficava á uns 6 km fora da estrada asfaltada no meio do nada, chegando lá não pude entrar pois a Aduana cobraram uma taxa para entrar, eu não tinha dinheiro boliviano, nem pesos chilenos, nem agentinos, só uma nota de 100 dolares daí não quis dar para o único funcionário que estava dormindo no local, fiquei meio desconfiado que ele pudesse me enganar no troco. Estradas: A estrada do Paso Jama é excelente, novinha!!! Porém é muito íngreme e tem muitas curvas, o bom é ir com calma curtindo o visual. O meu Peugeot 206 sofreu um pouco nas partes mais altas, tive até que botar a 2ª marcha em alguns trechos e mesmo assim ele ia bem devagar, mas não foi nada demais, foi muito tranqüilo. Aduana: No topo dos Andes perto do Paso Jama tem a aduana Argentina, lá tem que parar para fazer a saída da argentina, pegamos uma filinha de uns 30 minutos. A aduana chilena fica em San Pedro de Atacama, lá também tem que parar para fazer a entrada no Chile, são três procedimentos: 1º Dar entrada no carro, só apresentar o documento do carro (não pediram a carta verde, nem a Permissão internacional para dirigir), eles entregam um papel do carro que tem que guardar; 2º Preencher e carimbar o papel do visto de entrada das pessoas; 3º preencher o papel da vigilância sanitária, e revistar o carro, pois não pode entrar com frutas ou alimentos perecíveis, mas qualquer outro tipo de alimento pode entrar. Não tinha fila, perdemos uns 15 minutos nos procedimentos. Atenção: nessas duas adunas não tem cansela e nem guarda que te obriga a parar, porém é obrigatório fazer a saída da argentina e a entrada no chile Estadia: Chegamos em SP de Atacama e tínhamos a intenção de acampar, porém só encontramos camping á 15.000 pesos (57 reais), no Taka Taka o quanto privado com banheiro compartilhado era 17.000 pesos (64 Reais) e ainda eles dão desconto de 10% se pagar em dollares ou no cartão (essa eu não entendi), preferimos ficar no quarto. O Taka Taka foi excelente, passamos ótimos dias lá. Gastos: Biscoitos: $2 (R$ 1,40) Gasolina: $110 (R$ 77) Suco: $3 (R$ 2,10) Internet+todinho: $6 (R$ 4,20) Empanadas: $12,50 (R$ 8,75) Artesanato: $2 (R$ 1,4) Postal+estacionamento: 1.000 (R$ 3,80) Telefone: 3.800 (R$ 14,44) Jantar comemoração aniversário Raquel: 23.000 (R$ 87,40) Total: R$ 200,49 5º Dia 29/12/2008 San Pedro de Atacama / Passeios Valle de La Luna e Valle de La Muerte Tínhamos programado não fazer nada neste dia, mas não conseguimos ficar parados. Pela manhã fomos ao museu de arqueologia da cidade, vimos muitas coisas interessantes da cultura local e dos diversos povos que se fundiram atacañenos, incas, tilcaras, espanhóis, ect. De tarde fomos ao Valle de La Luna e Valle de La Muerte. O Valle de La Muerte é um dos lugares mais inóspitos do deserto, muitas pedras, dunas, nenhum animal e nenhuma planta. Um visual fantástico. Seguimos algumas vans de turismo para descobrir onde eram os mirantes. O Valle de La Luna é outra maravilha da natureza, inóspito, com dunas, cavernas de Sal, escultura de pedras, como o anfiteatro e as 3 Marias. Subimos umas dunas altas e de lá esperamos o pôr do sol. Um espetáculo! Este dia ficamos sabendo que teve um terremoto, mas perdemos, pois estávamos dormindo na hora. Estradas: As estradas para ir pro Valle de La Luna são pavimentadas, o asfasto é um pouco ruim. As estradas para o Valle de La Muerte e alguns mirantes do Valle de La luna são de barro com muitas pedras, mas da pra ir tranqüilo com carro pequeno até onde as vans de turismo vão. O Valle de La Muerte não dá pra descer e atravessar com carro pequeno, só da para ir até o mirante, mas lá já tá ótimo. Estadia: idem ao 4º dia Gastos: Museu: 3.000 (R$ 11,40) Café da Manhã: 3.600 (R$ 13,68) Cortador de unha: 600 (R$ 2,28) Mercado: 12.600 (R$ 47,88) Benzina branca para fugareiro: 1.600 (R$ 6,08) Água: 500 (R$ 1,90) Entrada Valle de La Luna: 3.500 (R$ 13,30) Internet: 1.000 (R$ 3,80) Passeio Geyser para dia seguinte: 30.000 (R$ 114,00) Total: R$ 214,32 6º Dia 30/12/2008 San Pedro de Atacama / Passeio Geyseres El tatio 90 Km com van de turismo Agencia “Colque” Acordamos ás 3h30 da madrugada, a van nos pegou as 4h. Fomos para este passeio com um casal de amigos de Timbó que fizemos amizade no camping. Os geysers El Tatio são incríveis, no alto das montanhas a mais de 4.000 metros de altitude, deu para ver os picos nevados pela primeira vez. Infelizmente não estava muito frio, só uns 4-5 ºC, dizem que lá faz -10º C. A larva aquece um rio subterrâneo quem vem das montanhas, a água borrifa com o sol. Alguns borrifos atingem vários metros. Em alguns lugares era bem forte o cheiro de enxofre. Tomamos o Desayno lá mesmo, que o passeio da agência oferece. Depois tomamos banho em águas termais, no alto da montanha, do lado dos geyseres. Na volta passamos por um vilarejo isolado e por oasis com um rebanho de lhamas, com suas fitas coloridas. Quando chegamos em SP de Atacama almoçamos pollo com papas fritas, voltamos no hostel para descansar e á noite tomamos cerveja em jarro. Estrada: Os 90 km de estrada de barro até os geyseres são bem ruinzinhas, até dá pra ir de carro pequeno, lá eu vi um Ford kA, mas eu não aconselho, pois tem muito daquelas costeletas que faz o carro trepidar o tempo todo e consideram que tem que sair ás 4h da manha é um estress. O pneu da nossa van furou e tivemos que ficar um tempão no calor do deserto esperando o motorista trocá-lo. Estadia: idem ao 4º dia Gastos: Entrada El tatio: 5.000 (R$ 19) Almoço Pollo com papas fritas: 3.200 (R$ 12,16) Chocolate: 1.800 (R$ 6,84) Internet: 1.750 (R$ 6,65) Cerveja: 3.000 (R$ 11,40) Total: R$ 56,05 7º Dia 31/12/2008 San Pedro de Atacama / Passeios Salar de Atacama, Toconao, Lagunas Minhiques, Laguna salgada +-250 Km rodados Hoje os passeios foram muitos, saímos bem cedo no nosso carro e acompanhados por 2 casais de amigos que fizemos lá, que foram com um jipe, caso desse algum problema tínhamos a quem pedir socorro. Fomos ao salar do Atacama, que tem a reserva biológica dos flamingos. Eles são lindos!!! Fomos também ao Valle Jere, um Oasis cheio de frutas, damascos e figos. A guia desse Valle possuía uma mascota, que era uma cabrinha que a seguia por todos os lados. No alto da montanha encontramos um sítio arqueológico (oficinas líticas) que não estavam identificadas e não tinha nenhuma indicação. Posteriormente passamos na cidade de Toconao e visitamos a igreja. Partimos rumo às montanhas para conhecer as lagunas Miscanti e Miñiques, que tem esse nome devido aos vulcões de mesmo nome que ficar do seu lado. São duas Lagoas azuis, lindas!!! Ficam a mais de 4.000 metros de altitude. Na volta, almoçamos carne de Lhama no vilarejo de socaire, a comida estava ótima. Por volta das 16h, já no caminho de volta chegamos á laguna seca, lá tomamos banho na água salgada e flutuamos em virtude da salinidade, quando saímos estávamos cobertos de sal. Na volta compramos bebidas e fomos passar a virada do ano no Valle de La Luna. Na virada do ano, fomos com o casal de amigos que fizemos lá, o Glaco e a Kelly, ao Valle da La Luna, ao contrário do que imaginei, não tinha ninguém, estava totalmente deserto! Levamos cadeiras de praia, vinho, campagne e ficamos completamente isolados, e no escuto, observando o céu, nunca havíamos vista tantas estrelas e estrelas cadentes, cantamos adeus ano velho, foi maravilhoso!!! Estradas: Até toconao é tranqüilo, depois para as lagunas Miscanti e Miñiques é a estrada de terra que vai para o passo San Francisco. A estrada é ruinzinha, com muitas costeletas, o carro sofreu um pouco com a altitude 4.000 metros, novamente fui de segundinha e bem devagar, mas deu pra ir com o peugeot 206. Na estrada que vai para laguna seca (salgada) a estrada também é bem ruinzinha, tinha trechos de areia fofa, passei por esses trechos bem rápido para não atolar, me perdi um pouco nas estradas e fui correndo feito um louco com medo de atolar! No final vimos as vans de turismo e seguimos elas até a laguna. Estadia: idem ao 4º dia Gastos: Entrada Salar do Atacama: 4.000 (R$ 15,20) Entrada Valle Jere: 2.000 (R$ 7,60) Entrada Lagunas Miscanti: 4.000 (R$ 15,20) Entrada Laguna Seca: 4.000 (R$ 15,20) Almoço: 3.200 (R$ 12,16) Bebidas ano novo: 5.200 (R$ 19,76) Telefone: 700 (R$ 2,66) Total: R$ 87,78 OBS: se tivéssemos feito todos os passeios desse dia por agencia turismo ia sair aproximadamente R$ 400,00+ os R$ 87,00 reais que gastamos, pois nos passeio de agencia não está incluso a entrada nos lugares, de carro próprio gastamos uns 70 reais de gasolina 8º Dia 01/01/2009 San Pedro de Atacama / Passeio novamente ao Valle de La Luna Acordamos cedo e fomos á feirinha para comprar artesanatos, durante o resto do dia descansamos bastante. Na final do dia fomos ao Valle de La Muerte e Valle de La Luna. No Valle de La Luna, visitamos as três Marias, caverna de sal, o Anfiteatro e subimos nas dunas para ver o pôr do sol, foi lindo! Estradas: Idem ao 5º dia Estadia: idem ao 4º dia Gastos: Hostel taka taka 5 diárias U$117,00 (R$ 280,00) (desc. de 10% para pagto em dollar, porém a cotação não é das melhores, mas mesmo assim saí ganhando) Mercado: 4.000 (R$ 15,20) Almoço: 4.000 (R$ 15,20) Artesanato: 26.000 (R$ 98,80) Refri: 1700 (R$ 6,46) Valle de La Luna 2.000 (R$ 7,60) Total: R$ 423,26 9º Dia 02/01/2009 Saída: San Pedro de Atacama 8:00 Chegada: Parque Pan de Azuçar (próximo á chañaral) 15:00 600 Km rodados Passamos por Antofagasta, a cidade é muito bonita com casas e prédios nas encostas. Na estrada passamos pela mão do deserto. Chegando ao parque nacional Pan de Azucar, demos carona a um casal de mochileiros que já estava caminhando no deserto a horas, numa estrada de barro. Fomos ao mirador local onde se pode ver quase todo o parque e o oceano pacífico, lá vimos duas raposas. A vegetação é bem diferente de SP de Atacama, é deserto também, mas tem muitos cactos. Planejávamos somente passar pelo parque, mas gostamos tanto que ficamos 2 dias lá.. A praia é maravilhosa!!! Bem diferente do Brasil, pois é deserto, já ouvi muito brasileiro falar mal das praias do Chile, mas discordo totalmente, é que as pessoas esperam que praia tenha vegetação, coqueiro e sombra, temos que estar abertos para visuais e coisas diferentes do que estamos acostumados, não podemos fazer comparações. Enfim, a praia tem muitas rochas, cavernas, ilha na frente, montanhas, muitos pássaros, pelicanos e muita vida marinha. Fomos jantar num restaurante simples, numa mini vila que tem lá. No final de tarde fiz meu primeiro surfe no Chile!!!Quando anoiteceu bebemos vinho, ao luar, na praia deserta. Perfeito! Estradas: As estradas até Chañaral são excelentes, a ruta pan americana é ótima, só tem bastante movimento de caminhões em alguns trechos, mas em geral são muitas retas. No Chile me disseram que a polícia é bem intolerante quanto ao limite de velocidade, por isso preferi rodar á uns 110 Km/h, às vezes um pouco mais. O acesso ao parque Pan de Azucar a estrada é de barro, mas em ótimas condições. Estadia: O camping em Pan de Azucar é muito massa, ficamos literalmente na beira do Mar, visto o grau de isolamento até que tem uma boa estrutura, tem banheiros, mas não tem luz elétrica. Custou 7.000 pesos para o casal. Gastos: Gasolina 29.000 (R$ 110,00) Lava Car 4.500 (R$ 17,10) Almoço 6.800 (R$ 25,84) Vinho 2litros 2.500 (R$ 9,50) Camping 7.000 (R$ 26,60) Total: R$ 189,04 10º Dia 03/01/2009 Parque Pan de Azucar Passamos o dia inteiro na praia. O dia foi de descanso, guarda sol, cadeira, mar. Demos uma volta no costão, lá tinha muita vida marinha, estrelas enormes, ofiuros, ouriços, esponjas coloridas, caranguejos e muitos moluscos. Vimos cemitérios de conchas enormes. Na parte esquerda da praia tem um trecho que era só de pedras redondas, parecidas com pedras de cachoeira. Jantamos peixe e bebemos vinho chileno. Estradas: não saímos com o carro Estadia: idem ao 9º dia Gastos: Mercado na mini vila: 2.300 (R$ 8,74) Almoço: 9.200 (R$ 34,96) Camping: 7.000 (R$ 26,60) Total: R$ 70,30 11º Dia 04/01/2009 Saída: Pan de Azucar 8:20 Chegada: Tongoy 18:30 550 Km rodados Hoje visitamos a Bahia Ingleza e Caldeira, praia muito bonita com pedras e piscinas naturais, mas é um balneário bem turístico com muitos hotéis e restaurantes. Passamos por La Serena, lá sim que é um balneária turístico, é gigante muitos prédios, transito e a praia lotada, não conhecemos muito, mas eu particularmente não gostei muito. Lá fomos num hipermercado gigantesco, o maior que já fui na minha vida e fizemos a compra do mês. Tocamos pra tongoy que é um balneário menor. Estradas: Fomos pela ruta pan Ameriacana, a estrada é boa, com trechos que vão beirando o pacífico, muito bonito!! A estrada tem muitas retas, mas tem trechos de serra e tem um movimento relativamente alto. Estadia: Ficamos em Tongoy no Camping Ripipal, não é lá essas coisas, mas é legalzinho, os lugares para acampar são praticamente na areia da praia. A praia não é lá essas coisas também. Gastos: Gasolina: 24.500 (R$ 93,10) Almoço 4.700 (R$ 17,86) Mercado 47.250 (R$ 179,55) Pedágio 500 (R$ 1,90) Camping 7.500 (R$ 28,50) Internet 250 (R$ 0,95) Total: R$ 321,86 12º Dia 05/01/2009 Saída: Tongoy 8:00 Chegada: Viña Del Mar/Reñaca 15:00 400 Km rodados Reñaca é o principal balneário do Chile, a praia é bem urbanizada, com calçadão, bares, muitos argentinos de mendoza e gente com muita grana. Fomos á praia e ficamos descansando. Hoje perdemos nosso 2º terremoto, esse foi maiorzinho, 4 graus na escala Richter. Atingiu tongoy ás 23hs, mas infelizmente tínhamos saído de lá às 8 da manhã. Sei que terremoto é um desastre natural, mas queria ter presenciado um que não houve estragos, nem mortes. Estradas: Nesse trecho a ruta pan americana é duplicada, a estrada é excelente, muitas retas e muitos pedágios. Estadia: Como Reñaca é um lugar bem caro, rodamos bastante para pesquisar onde ficar, acabamos ficando no camping Reñaca Center, que tem uma ótima estrutura, luz elétrica, banho quente, segurança. Porém foi caro, pagamos 12.000 pesos a diária. Gastos: Gasolina 10.500 (R$ 39,90) Pedágios 11.150 (R$ 42,37) Brinco: 1.500 (R$ 5,70) Camping: 12.000 (R$ 45,60) Coca: 600 (R$ 2,28) Internet: 250 (R$ 0,95) Cerveja: 3.200 (R$ 12,16) Total: R$ 137,75 13º Dia 06/01/2009 Reñaca / Passeio em Valparaíso A cidade de Valparaíso fica toda em encostas, muito bonita! Tem muitos elevadores para subir os morros, nos lembrou muito do bairro de Santa Tereza no Rio de Janeiro. Suas ruas e becos tortos, casas coladas e coloridas. Visitamos a “La Sebastiana” uma das três casas de Pablo Neruda que virou museu, a casa tem motivos marinhos e peças de decoração que foram trazidas do mundo inteiro. Almoçamos num restaurante tradicional no mercado público, apesar do alerta de não começar marisco devido a uma maré vermelha, não resisti e comi um ensopado de mariscos com outros frutos do mar, a Raquel comeu uma Merluza. Na volta andamos de ônibus elétrico e fomos ver o por do sol na praia. Estrada: não saímos com o carro Estadia: idem ao 12º dia Gastos: Ônibus: 3.520 (R$ 13,38) Elevador: 200 (R$ 0,76) Entrada Pablo Neruda: 3.500 (R$ 13,30) Compra loja Pablo Neruda: 5.200 (R$ 19,76) Almoço: 11.000 (R$ 41,80) Sorvete: 2.250 (R$ 8,55) Baralho e lenço: 2.500 (R$ 9,5) Camping: 12.000 (R$ 45,60) Total: R$ 152,65 14º 07/01/2009 Reñaca / Passeio Viña Del Mar De manhã fomos á praia. Depois do almoço fomos pra Viña Del mar, fomos á praça principal, ao cassino e caminhamos no calçadão na praia. A cidade é bem bonita e organizada, muito limpa e com vários jardins com flores. No final de tarde volta a Reñaca e fomos conhecer a praia de Cocon. Estrada: não pegamos estradas Estadia: idem ao 12º dia Gastos: Ônibus: 1.680 (R$ 6,38) Protetor Labial: 1.835 (R$ 6,97) Jornal: 500 (R$ 1,9) Internet: 800 (R$ 3,04) Camping: 12.000 (R$ 45,6) Total: R$ 68,89 15º dia 08/01/2009 Saída: Reñaca 8:00 Isla Negra 11:00 Chegada: Pichilemu 17:00 300 km rodados No caminho a Pichilemu, resolvemos conhecer a Isla Negra, outra casa museu do poeta Pablo Neruda. Essa casa é a mais bonita de todas!!! A decoração também é toda de motivos marinhos, a casa lembra um barco, ele era um grande colecionador de objetos navais, tinha muitas proas de navios, barcos dentro de garrafas, inúmeras garrafas de vidros coloridas. Ele e sua última mulher, a Matilde, estão enterrados lá, com uma vista maravilhosa para o mar. Chegando em Pichilemu fomos direto ao segundo objetivo principal da viagem: surfar!!! Em Punta Lobos,tinha 1 metro, mas muito bom, peguei umas ondas muito longas. Estradas: As estradas pra pichlemu são relativamente boas no início, depois piora um pouco. É muito estreita, muita serra e muitas curvas. A viagem esse dia, foi um pouco cansativa, pois esperava 150 km e na verdade foram 300 Km, com longos trechos estrada sinuosa e demoramos para achar um lugar para Almoçar. Estadia: Chegando em Pichilemu fomos direto ao Yuthy Hostal, um Hostal onde fica um monte de surfistas brasileiros, muito bom, familiar, os donos são muito gente fina! E o preço era muito bom, foi 8.000 pesos a diária. Gastos: Gasolina 13.500 (R$ 51,30) Pedágio 3.600 (R$ 13,68) Entrada Pablo Neruda: 6.000 (R$ 22,80) Artesanato: 4.000 (R$ 15,20) Almoço: 5.600 (R$ 21,28) Estacionamento: 1.300 (R$ 4,94) Total: R$ 134,10 16º Dia 09/01/2009 Pichlemu / Praia e Surf O dia hoje estava muito bom, tinha bastante sol! Acordamos cedo e fomos pra praia de Punta Lobos, ficamos o dia inteiro lá. Tinha umas ondas 1 metro abrindo bem, fiz duas quedas e peguei umas ondas muito boas! A Raquel ficou na areia pegando sol. Dia perfeito!! Estradas: Não pegamos estradas Estadia: Idem ao 15º dia Gastos: Artesanato: 3.000 (R$ 11,40) Empanadas+refri: 5.000 (R$ 19,00) Hostal pagto 5 diárias: 40.000 (R$ 152,00) Vinho 2 litros: 2.000 (R$ 7,60) Internet: 800 (R$ 3,04) Total: R$ 193,04 17º Dia 10/01/2009 Pichlemu / Praia e Surf Fomos á praia, hoje tinha um sol bom novamente, ficamos o dia inteiro curtindo praia. O mar tava um pouco menor, meio metro á meio metrão, peguei umas ondas, mas nada de especial. Estradas: Não pegamos estradas Estadia: Idem ao 15º dia Gastos: Mercado 23.000 (R$ 87,40) Uso da Lava roupas no hostal 2.000 (R$ 7,60) Total: R$ 95,00 18º Dia 11/01/2009 Pichlemu / Praia e Surf O dia foi um pouco entediante, não tinha onda, tava muito frio e nublado com vento. Fomos á praia do Infernilho, em frente ao hostal, mas não deu pra ficar muito tempo na praia. Jogamos canastra no hostal e dormimos bastante. Demos uma volta pelo centro da cidade e fomos jantar. Eu jantei Pailla Marina (ensopado de mariscos) tava uma delícia!, e a Raquel comeu merluza com camarão. Estradas: Não pegamos estradas Estadia: Idem ao 15º dia Gastos: Protetor Solar 2.450 (R$ 9,31) Janta 12.000 (R$ 45,60) Total: R$ 54,91 19º Dia 12/01/2009 Pichlemu / Praia e Surf Hoje tinha umas ondas boas 1 metro. Mas não tinha sol, por isso fomos 2 vezes á praia de manha e final de tarde Estradas: Não pegamos estradas Estadia: Idem ao 15º dia Gastos: Não houve gastos!!! 20º Dia 13/01/2009 Pichlemu / Praia e Surf Hoje ficamos descansando novamente, o mar tava pequeno e tava nublado e frio novamente, final de tarde o tempo abriu e o mar reagiu. Fiquei na água até escurecer, vi o melhor por do sol do pacífico, perfeito! Estradas: Não pegamos estradas Estadia: Idem ao 15º dia Gastos: Internet 800 (R$ 3,04) Mercado 3.200 (R$ 12,16) Hostal (mais uma diária) 8.000 (R$ 30,40) Postais 2.000 (R$ 7,60) Total: R$ 53,20 21º Dia 14/01/2009 Saída Pichilemu 8:00 Chegada Santiago 11:30 265 Km rodados Depois de instalados, fomos á 3ª casa do Pablo Neruda “ La Chascona”, fica num bairro boêmio, tranqüilo, onde tomamos cerveja. Fomos também ao teleférico no Cerro San Cristóbal, dava pra ver a cidade toda, parte da cidade nova e da velha, é uma cidade enorme. Estradas: De Pichlemu até san Fernando, a estrada é simples, muito sinuosa e estreita. De San Fernando até Santiago é toda duplicada, excelente. Estadia: Foi bastante difícil encontrar um hostal em Santiago, estavam todos lotados e depois foi mais difícil ainda encontrar um estacionamento para o carro, acabamos deixando o carro no estacionamento público e propositalmente perdemos o ticket, assim ficamos 3 dias e pagamos somente 1 dia, foi o único jeito, senão teríamos que pagar uns 100 reais de estacionamento. Ficamos no hostal San Lucia, pagamos 25.000 a diária, fica na frente do cerro de mesmo nome, o hostal tinha acabado de abrir era o 5º dia de seu funcionamento, ainda tinha alguma coisa para eles ajeitarem, mas foi muito bom ficar lá, o Sebastian dono do hostal é muito gente fina. Gastos: Gasolina 16.000 (R$ 60,80) Estacinamento 3.000 (R$ 11,40) Táxi 5.000 (R$ 19,00) Hostal 25.000 (R$ 95,00) Almoço 5.500 (R$ 20,90) Teleférico 5.000 (R$ 19,00) Museu Pablo Neruda 4.500 (R$ 17,10) Postais 800 (R$ 3,04) Água 1.400 (R$ 5,32) Cerveja 1.900 (R$ 7,22) Pedágio 3.600 (R$ 13,68) Total R$ 271,66 22º Dia 15/01/2009 Santiago / Passeios cidade Hoje fomos ao museu de arte pré-colombina, o melhor museu até agora, tem um acervo fantástico e ao museu histórico nacional. Fomos também a Plaza da Armas, a La moneda, casa do governo e no final do dia subimos o cerro Santa Lucia, local de encontro de casais apaixonados, dava pra ver grande parte da cidade. Estadas: não pegamos estradas Estadia: idem ao 21º dia Gastos: Museu pré colombiano 6.000 (R$ 22,80) Museu Histórico Nacional 1.100 (R$ 4,18) Picolé 590 (R$ 2,24) Almoço 5.000 (R$ 19,00) Sorvete 560 (R$ 2,13) DVD fotos 900 (R$ 3,42) Sovenir 2.550 (R$ 9,69) Café Star Bucks 4.000 (R$ 15,20) Hostal 25.000 (R$ 95,00) Água 700 (R$ 2,66) Total: R$ 176,32 23º Dia 16/01/2009 Saída Santiago 7:30 Chegada Mendoza 17:00 350 Km rodados Saímos do Chile rumo á argentina. A subida das cordilheiras dos Andes foi maravilhosa. Picos com neve, montanhas coloridas e estações de esqui. Em Potecillo, resolvemos, por acaso, conhecer a estação de esqui, atrás do hotel encontramos uma lagoa azul maravilhosa, que refletia as montanhas nevadas nas suas águas, foi simplesmente um dos visuais mais bonitos que já vimos em nossas vidas. Depois da aduana, vi uns picos nevados que pareciam próximos, não tive dúvida, afinal “não podia perder aquela oportunidade”, parei o carro no acostamento, e convenci a Raquel para irmos tocar na neve. Caminhamos muito, subida com muitas pedras soltas, vi algumas lebres assustadas pelo caminho, mas enfim uns 20 min depois, neve!!! Foi muito bonito, a Raquel tocou pela 1ª vez na neve. Depois paramos na ponte inca e no parque do Aconcaguá. Em Mendoza, depois de instalados, fomos caminhar na peatonal Sarniento, e na Plaza de La independência. Cidade é bem organizada e bonita, praças repletas de pessoas, crianças brincando e ruas limpas. Aduana: A aduana fica no topo dos Andes, tem duas aduanas uma para cada sentido da estrada. Primeiro eles te dão um papel em branco, é importante guardar esse papel, pois eles vão carimbando ao longo do caminho. A aduana é unificada, faz a saída do Chile num Guichê e a entrada na argentina no outro, eles pedem o papel do carro que nos deram na entrada no Chile. No balcão da argentina, a mulher só pediu o documento do carro e não me deu o papel de imigração (visto), eu pedi e ela disse que não tinha, eu insisti, ela me disse para pedir em outro balcão, fui lá e pedi, novamente negaram, fui falar com um outro funcionário que me levou até o mesmo balcão e finalmente ela tirou um bloco da gaveta dela e me deu o papel da imigração carimbado e em branco, disse para eu preencher antes de eu sair da argentina. ATENÇÃO, no sentido contrario, da argentina pro Chile tinha uma fila que dava uns 10 km, o pessoal devia ta lá o dia inteiro. Estradas: De Santiago pra Mendoza são muito boas! Mas muitas curvas e é bem inclinada. O peugeot 206 foi tranqüilo, não sofreu nem um pouco com a altitude, nos caracoles parecia que tava subindo o alto da boa vista ou até o morro da lagoa. Estadia: Ficamos no Hostal Trotamundos, clima familiar, fomos muito bem recebidos. fica bem na região central de Mendoza, pagamos 80 pesos a diária Gastos: Estacionamento 7.000 (R$ 26,60) Gasolina 10.600 (R$ 40,28) Parque Aconcágua 1.400 (R$ 5,32) Pedágio 2.600 (R$ 9,88) Hostal (2 diárias) $160 (R$ 112) Janta $32 (R$ 22,40) Estacionamento $12 (R$ 8,40) Picolé $11 (R$ 7,70) Total: R$ 232,58 24º Dia 17/01/2009 Medonza / Passeios Vinhedos +-150 km com van de turismo Hoje pela manhã visitamos o parque San Martin, Cerro de La Gloria, novamente o calçadão e o Plaza de La Independência. Como só tínhamos 1 dia para visitar os vinhedos resolvermos fazer com uma agencia de turismo, a guia Gabriela foi muito gentil, nos deu uma aula sobre vinhos. Primeiramente visitamos a bodega Dom Arturo, uma bodega familiar, conhecemos o processo de produção, as uvas e degustamos dois vinhos. Em seguida fomos a bodega Baudron, uma bodega maior, mais moderna e que produz em escala industrial, conhecemos as novas técnicas de produção e as uvas Syrah, Merlot, Cabernet Sauvignon e Malbec, também degustamos vinhos. Depois, fomos visitar uma indústria que produz azeite de oliva, entre outras coisas. Por último visitamos uma fabrica artesanal de licores, chocolates e bebidas destiladas. Uma delícia! Degustamos vinhos, azeite, licores e chocolate, foi o dia da degustação! Estradas: as estradas ao redor de mendoza são boas. Estadia: Idem ao 23º dia Gastos: Vinhos e mercado $153 (R$ 107,10) Passeio Vinhos $120 (R$ 84,00) Vinhos $40 (R$ 28,00) Estacionamento $12 (R$ 8,40) Total: R$ 227,50 25º Dia 18/01/2009 Saída Mendoza 6:40 Chegada Buenos Aires 16:40 1054 Km rodados Hoje o dia foi de muita estrada, a viagem foi tranqüila. A paisagem é sempre a mesma, fazenda, pastos e tava muito calor. Estradas: São boas de maneira geral, grandes retas sem movimento nenhum, rodamos o dia todo á 130-140 km/h teve um trecho que fiquei a 160, mas consumiu muita gasolina, alguns trechos teve muito vento, a carro simplesmente não passava de 120, achei até que tinha quebrado. Só tem movimento perto das cidades maiores e a uns 100 km de Buenos Aires. Estadia: Demoramos um pouco para encontrar um hostal, em Buenos Aires as coisas são mais caras, finalmente ficamos no Avenue Hostal, na Avenida de Mayo, pagamos 100 pesos a diária. O hostal é bem meia boca, tinha muitos adolescentes, inclusive trabalhando lá, eles não nos atenderam bem, foram muito mal educados, ficaram rindo quando falávamos algo errado, a cozinha era um nojo só, mas como não tínhamos muita opção acabamos ficando lá mesmo. Pelo menos o quarto estava limpo. Gastos: Gasolina $ 293 (R$ 205,10) Pedágio $12,50 (R$ 8,75) Hostal $100,00 (R$ 70,00) Estacionamento $6 (R$ 4,20) Total R$ 321,80 26º Dia 19/01/2009 Buenos Aires / Passeios pela cidade Primeiro fomos á Plaza de Mayo, Casa Rosada e Banco Central. Depois ao puerto madeiro, passeamos pelo porto e já fomos compra as passagem do BUSQUEBUS para reservar com antecedência. A tarde fomos a La Boca, ao museu e estádio do Boca Juniors e ao Caminito, onde bebemos cerveja e assistimos um show de Tango um legal!!! Fizemos todos os passeios de ônibus e metro. Estradas: Não pegamos estradas Estadia: idem ao 25º dia Gastos: BUSQUEBUS (Carro+2pessoas) $365,00 (R$ 255,50) Almoço $45 (R$ 31,50) Museu Boca JRs $50 (R$ 35,00) Ônibus $4,80 (R$ 3,36) Compras $40,00 (R$ 28,00) Cerveja e Tango $24 (R$ 16,80) Pizza $32,00 (R$ 22,40) Metro $2,40 (R$ 1,68) Hostal (2 diárias) $200 (R$ 140,00) Total: R$ 534,24 27º Dia 20/01/2009 Buenos Aires / Passeios pela cidade Hoje fomos ao bairro da Recoleta, La fomos ao cemitério onde esta Evita Perón, o cemitério tem uns mausoleus enormes, um clima bem macabro. Depois fomos ao museu nacional de Bellas Artes, que tem várias obras impressionista como Van Gough, Monet, Degas e outras como Picasso, Frida Callo, Diego Rivera. Á tarde fomos ao café Tortoni, novamente á casa rosada, á calle Floridae ao teatro colón que estava fechado para reforma. Por último comemos uns alfajores havana. Estradas: Não pegamos estradas Estadia: idem ao 25º dia Gastos: Café $14 (R$ 9,80) Táxi $12 (R$ 8,40) Souvenis $18 (R$ 12,60) Almoço $36 (R$ 25,20) Ônibus $2,40 (R$ 1,68) Metro $2,20 (R$ 1,54) Café $26 (R$ 18,20) Alfajores $11,50 (R$ 8,05) Internet $2,75 (R$ 1,93) Metro $2,20 (R$ 1,68) Total: R$ 89,08 28°Dia 21/01/2009 Saida Buenos Aires 8:30 Colônia do Sacramento 11:30 Chegada MonteVideo 18:00 150 Km rodados Pegamos o Buquebus (balsa) de Buenos Aires até Colônia. A Balsa que pegamos que demora 3 horas para fazer o percurso é show, tem free shop, bares, restaurante, no topo tem um bar massa, mas so tava tocando “é o tchan”. A viagem é muito bonita a vista de Buenos Aires na saída é maravilhosa o rio da prata é bem marron, com muito sedimento, parece um mar de doce de leite. Chegando em colônia comemos uma Parrilhada, muito boa!!! Fomos ao centro histórico, é muito bonito. A cidade é bem pequena e foi de colonização portuguesa. Adoramos colônia!!! Saimos de lá cansados e fomos á Montevideo. Aduana: A aduna é unificada no próprio embarque do buque bus. Lá fizemos nossa saída da argentina, eles pediram para entregarmos o papel da imigração que pegamos na entrada da argentina, aquele tive que insistir muito para me darem. No balcão do lado fizemos nossa entrada no Uruguai, depois desci e foi colocar o carro no buquebus, lá me pediram a carta verde e o documento do carro. Na chegada no Uruguai, pararam nosso carro e pediram para ver o porta malas. Estradas: São 150 Km de Colônia até Montevideo a estrada é boa e tem muitas retas. Mas estavamos muito cansados do passeio em Colôna, esse foi o único trecho da viagem que quase dormi no volante de tão cansado que eu estava, tive que parar algumas vezes para dar uma acordada. Estadia: Em Montevideo, foi o lugar mais complicado para acharmos um lugar para ficar, os hostals não tinham quarto privado, ou estes estavam lotados. Os hoteis com preço acessível eram bem ruizinhos, até tinha um mais ou menos, mas como ainda tinhamos comida queriamos ficar num hostal para poder cozinhar. Depois de muita procura ficamos num quarto coletivo (o único compartilhado em toda a viagem) pagamos 720 pesos a diaria Gastos: Café 19 (R$ 13,30) Água 4 (R$ 2, Parilhada: 620 (R$ 62,00) Sorvete: 70 (R$ 7,00) Internet: 15 (R$ 1,50) Estacionamento: 35 (R$ 3,50) Hostal: 720 (R$72,00) Mercado 300 (R$ 30,00) Total R$ 192,10 29°Dia 22/01/2009 Montevideo / Passeios centro histórico e potocitos Acordamos cedo e fomos ao centro histórico. Montevideo é bem bonito, tem muitos prédios antigos, a cidade parece ter sido muito rica antigamente. Fomos a uma ferinha de antiguidades e depois ao mercado público e ao porto. Como estavamos cansados resolvemos ir pra praia, fomos á praia de potocitos e praia de rio, mas a água já é um pouco salobra, a praia lá é diferente, mas é bonita também, deu pra descançar bem! Anoite tomamos umas Patrícias de 1 litro no Hostal. Estradas: não pegamos estradas Estadia: Idem ao 28o dia Gastos: Hostal 720 (R$ 72,00) Mercado 25 (R$ 2,50) Ônibus 56 (R$ 5,60) Refri 34 (R$ 3,40) Total: R$ 83,50 30° Dia 23/01/2009 Saída Montevideo 8:00 Punta Del Este 10:30 Santa Teresa 14:00 Chegada Rio Grande 18:00 500 km rodados Acordamos cedo e pegamos a estrada rumo ao Brasil! Passamos em Punta Del Leste, a cidade é muito bonita, bem rica, tiramos umas fotos no costão e na praia, na famosa mão do deserto, não ficamos muito tempo lá. Tocamos pra forteleza de Santa Tereza, já próximo a fronteira com o Brasil, onde já tinha ido algumas vezes da época que morei em Rio Grande. Eu amo o Forte Santa Tereza, as praias são lindas!!! Demos umas voltas dentro do parque e fomos em todas as praias. Depois tocamos pro Brasil!!!! Aeee depois de 1 mês é bom ta devolta ao Brasil!!! Ja tavamos com saudades. Fomos no Chuí, compramos queijo e alfajores, adoro o chuí por ser 2 cidades numa só, chuy (uruguai) e chui (Brasil), é só atravessar a avenida principal que já ta em outro pais. Passamos pela reserva do taim bem devagar, vimos Jacaré, Capivara e vários pássaros. Chegando em Rio Grande, onde morei em 2004 e 2005, fui direto pra maior praia do mundo matar a saudades do Cassinão! Como sempre no verão a praia tava lotada, vários carros, tinha trechos de areia fofa que tava uma loucura, sem mão e contramão, os carros todos correndo. Fomos pro terminal e pors moles. A noite encontrei meus amigos que não via a anos e tomamos várias cervas! Aduana: A aduna do Uruguai fica antes do Chuy, não tem ninguem obrigando as pessoas a parar, mas mesmo assim paramos lá para fazer nossa saída do uruguai, atravessamos a rua e entragamos o papel da imigração. Depois do Chui tem a aduana Brasileira, Polícia Federal, tinha um policial na estrada que nos parou e perguntou se tinhamos feita alguma compra, ele so pediu pra abrir o porta-malas. Estradas: De montevideo á Punta Del Leste é toda duplicada ótima. Depois de Punta até o chui a estrada é simple mas também é excelente, são muitas retas, mas teve trechos com bastante movimento. Do Chui até o taim, a estrada ta bem ruizinha com muitos buracos e obras, mas mesmo assim dá pra desenvolver bem a velocidade, quando passava por lá em 2004 a estrada tava ótima, vai ver que não fizeram manutenção. Do taim até Rio Grande melhora um poucoquinho, mas mesmo assim ta mais ou menos, devido as retas da pra ir bem rápido. Estadia: De montevideo já liguei para alguns hosteis e pousadas no Cassino, tava tudo bem caro, 140-150 a diária, acabei achando o Hotel Paraíso por 90 conto. Acho que no Cassino o lance é alugar casa mesmo, mas como iriamos ficar só 1 noite, ficamos no hotel mesmo. Gastos: Estacionamento: 350 (R$ 35,00) gasolina: 1650 (R$ 165,00) Café da Manhã: 200 (R$ 20,00) Almoço: 550 (R$ 55,00) Alfajor: 180 (R$ 18,00) Pedágio: 240 (R$ 24,00) Queijo: 200 ($ 20,00) Lanche: R$ 20 Cerveja: R$ 20 Celular R$ 25,00 Total: R$ 402,00 31° Dia 24/01/2009 Saída Rio Grande-RS 8:00 Chegada Florianópolis 19:30 784 Km rodados Acordamos com uma ressaca grande e muito cansados, sem a mínima disposição de pegar um dia inteiro de viagem, ainda mais BR 101, mas como já tavamos com muita saudades de casa e o hotel tava caro encaramos o último trecho de viagem. Ficamos felizes de chegar bem em casa!!!! Depois de 1 mes, deu tudo certo, o carro foi 100%, não houve rolo nenhum com as adunas, assalto, essas coisas. A Vigem foi perfeita. Estradas: De Rio Grande até Porto Alegre a estrada é relativamente boa, muitas retas, da pra ir bem rápido. Pegamos um acidente no meio e a estrada iria ficar bloqueada por 6 horas, derrepente veio um tiozinho e disse “acho que sei onde tem um atalho” segui ele por uns 7 km de estrada de barro e passamos o bloqueio. De Poa até torres fomos pela freeway e depois pela estrada do Mar, a freeway é excelente, já a estrada do mar tava com muito movimento e encheram de radar. De torres até floripa fomos pela BR-101, que ta toda em obras, ta um lixo, muito desvio, caminhão, movimento, com certeza foi a pior estrada que pegamos nesses 11.000 km de viagem. Estadia:- Gastos: Hotel Rio Grande: R$ 90,00 Gasolina: R$ 192,00 Pasteis: R$ 14,00 Pedágios: R$ 15,00 Total: R$ 311,00
  11. Oi pessoal!!! Tudo bem? Já cheguei.... Ao total 10.119 km rodados!!! O meu Peugeot 206 foi 100%, nem 1 pneu furado! No paso Jama e nas lagos ninhiques, ele foi valente, so diminuiu um pouco a velocidade e algumas vezes tive que botar a 2ª marcha. Atacama é show!!! Exceto os gêiseres, fiz todos os passeios de carro, tranqüilo! Na chegada Tb tentei ir a laguna verde. Quando tava descendo os Andes vi uma estradinha de terra saindo e uma placa toda destruída que tava no sentido contrario, parei o carro no acostamento e vi que aquela estrada ia pra Bolívia, fui so que chegando na aduana, eu não tinha pesos bolivianos para pagar , so tinha uma nota de 100 dollares, daí achei melhor não... Para contar da viagem é difícil não ser redundante, pois quase tudo é maravilhoso! Fui pro atacama e de lá desci o litoral até Pichlemu, uns 200 Km ao sul de Santiago, e depois voltei por mendoza, e fui pra Buenos Aires e Montevideo. Tudo maravilhoso!!!! No atacama fomos ao Valle da Luna, Valle da Morte, gêiseres, salar do atacama, a laguna que é bem salgada, laguna ninhiques, toconao, Valle Jeire, tudo maravilhoso. No Litoral do Chile fomos ao parque Pan de Azucar , Tb muito bonito!!! Fomos pra La Serena, Tongoy, Bahia blanca, Tb show! Fomos pra vina Del mar e Valparaiso, Tb gostamos muito, lá a cidade é maior e toda organizado, tinha muitos argentinos lá. Em Pichlemu, fiquei 1 semana, lá peguei altas onda, não tava muito grande, mas deu pra pegar uns 3 dias muito bons e os outros +-. Em Santiago, Buenos Aires e Montevideo, conhecemos bastante coisa, basicamente os principais pontos turistos das cidades, em mendoza conhecemos as viniculas. Outra hora conto a viagem com mais detalhes. Falando dos gastos, é meio pessoal, pois cada um gasta o que pode. Eu e a minha mulher gastamos em 31 dias, 6.200 Reais, incluindo todas as despesas. Ficamos em Albergues ou Hostels (mas só em quartos privados) e Tb acampamos no litoral, compramos um pouco de artesanato, comemos pouco em restaurante, so as vezes pra experimentar pratos típicos ealguns lanches para otimizar o tempo. As diárias nos hostels e camping, para 2 pessoas, foram aproximadamente: 60 reais no hotel executivo em São Borja; 50 pesos na hospedaria Del Sol em G.V. Gonzáles; 70 pesos em Humahuaca; 17.000 no taka taka em SP de atacama; 7.000 no camping no parque nacional Pan de azucar; 7.000 no camping ripipal em tongoy; 12.000 no camping em renaca; 8.000 no yuthy hostel em pchilemu; 25.000 no hostel Santa Lúcia em Santiago; 80 pesos no hostel trocamundos em mendoza; 100 pesos no hostel avenue em Buenos Aires; 720 pesos uruguaios no planet hostel em montevideo; e 90 reais no hotel paraíso no cassino. A vantagem de ficar em hostel é que da pra usar o cozinha coletiva, assim da pra fazer compras em supermercado e economizar na comida Tb, nos acapamentos levamos fogareiro e cozinhamos tb. Todos os hostels que fiquei eu recomendo, não é nenhum 5 estrelas mas da pro gasto. O mais caros foram em cidade grande. De combustível dei preferência ao posto da YPF na argentina,coloquei so a gasolina super +- 3 pesos, no Chile usei o posto COPEC +-460 pesos e no Uruguai o posto ANCAP +-25 pesos. Ao total gastei 1.720 de combustível. Bom saber que todo mundo Tb fez ou ta curtindo muito na viagem!!!! Muito bom mesmo essa troca de idéias aq no fórum! Depois posto mais coisas.... Um abraço a todos
  12. Oi Pessoal! Hoje sobrou mais tempo para escrever... Nos dias que antecederam a viagem foi a maior correria, revisao do carro, comprar coisas para a viagem, carta verde, presentes de natal, etc... A carta verde comprei no HSBC na felipe schimit em Floripa, ela é valida para Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai e nao lembro se pra bolivia ou peru tb, paguei 92 dollares, dei 220 reais. Como contei ontem, a viagem ta sendo ótima! Sai dia 25/12 de Floripa com um peugeot 206, nesse primeiro dia fui até Sao Borja e parei por 1hora e meia para visitar as missoes em Sao Miguel. As estradas no brasil estavam otimas e muito vazias, acho q porque era dia 25, lá deu pra desenvolver bem, viajando á 120, 130 por hora, dava até pra ir mais rápido. Dia 26 entrei na argentina e passei por santo tomé, corrientes e dormi em G. V. Gonzales, já proximo a salta, as estradas também sao boas na provincia de missoes e da pra ir bem rápido. No chaco, de Pampa del Inferno até a ruta 9 proximo a salta, as estradas já sao um pouco piores em algums trechos e tem muitos animais na pista, mas mesmo assim da pra ir a uns 90, 100 Km/h. A regiao do chaco é muito isolada, andamos vários quilometros sem ver nenhum sinal de civilizacao e nem placas. Em G. V Gonzales dormi no Hospedaria El Sol á 4 quadras da rua principal, eu e minha mulher pagamos 50 pesos, foi um ótimo custo/benifício e a senhora que cuida do hostel é muito gente fina Dia 27 fui até humahuaca, passei a manha em salta, lá comi empanadas, subi o cerro san bernardo de teleferico, a tarde visitei as cidades de Tilcara e Humahuaca (onde dormi) já na cordilheira dos andes. As estradas sao boas tb, e já tem subida e muito visual. As cidades históricas sao muito legais!!! Dia 28 chegei á SP de atacama, a estrada que atravessa os andes pelo Paso Jama é excelente, e o visual é Maravilhoso!!! Levei o dia inteiro para atravessar e parei quase o tempo todo para tirar fotos. Na fronteira da argentina, em santo tomé nao encontrei o cambao, somente o cabo de aco flexivel, fiquei com preguisa de parar na cidade de corrientes para procurar, so fui comprar o cabo em Salta, mas nao me pediram nenhuma vez. Fui parado pela polícia 3 vezes na argentina, as duas primeiras foram rapidas, so pediram o documento do carro, a carteira de motorista e a carta verde conferiram e mandaram seguir. Na ultima vez tb foi rapido, conferiram os documentos, porem depois o guarda foi direto ao assunto e perguntou: ¿tenies algo para comprar una água?, eu me fiz de louco e ofereci uma garrafa de água pra ele, mas ele insistiu, entäo infelizmente dei 10 pesos pra ele nao me encher o saco. Isso foi no chaco nao lembro exatamente aonde. Na argentina so coloquei a a gasolina intermediária que é a Super, dei preferencia para o posto ypf. A normal quase nao tem em nenhum posto e acho q custa em torno de 2,3 pesos, já a super quase sempre tem e custa em torno de 3 pesos o litro Aqui em SP de atacama ta muito massa, to no hostel TAka Taka, pagando 17.000 pesos a diaria na habitación matrimonial com baño compartido. No primeiro dia fui ao Valle de La Luna e Valle de la muerte, o visual é indiscritível!!! da pra ir de carro numa boa, segui as Vans de Turismo pra entrar em alguns lugares que nao tinham placas. Hoje fui ao geiser el tatio com uma agencia de turismo, foi 15.000 pesos por pessoal. Até da pra ir nos geiyser de carro comum, lá vi um ford Ka, mas a estrada é bem ruinzinha, cheia daquelas costeletas. Os geiyser tb sao maravilhosos!!!!! Aq tem bastante brasileiros , a maioria vem de aviao, mas muitos vem de carro. Mas é isso pessoal Boa viagem a todos!!!! Obs: desculpem os erros ortográficos, to sem tempo para revisar essa mensagem
  13. Oi Pessoal! Sai de Floripa no dia 25 e cheguei aqui em SP de Atacama ontem!!! A viagem ta muito boa! Lugares espetaculares! A estrada è muito boa, da pra vir a 120Km/h quase o tempo todo, tirando uns 200 km no chaco que a estrada nâo è tâo boa e tem muitos animais na pista. Aq em SP de atacama tem muitos brasileiros. To sem tempo para contar muitos detalhes pois tem muita coisa para curtir aq. Um abraco a todos e boa Viagem
  14. Oi Pessoal! Tudo bem? Alguém sabe qual é a temperatura miníma em São Pedro de Atacama? Estou perguntando isso porque to na dúvida se preciso colocar anti-congelante no radiador do carro. Por enquanto ta tudo certo pra minha partida no dia 25/12. Tb não vejo a hora de partir! Um abraço a todos
  15. E ai Pessoal! Pois é vou desistir dessa PID mesmo...So tava meio preocupado porque, sabe como é né, marinheiro de primeiro viagem pela américa do sul de carro, queria levar o máximo de documentos possíveis para não ter problema nenhum. Uma dúvida sobre a gasolina, meu carro não é flex, será que ele vai se adaptar bem com essa gasolina pura da argentina e chile e ter um rendimento melhor?
×
×
  • Criar Novo...