Ir para conteúdo

renato5129

Membros de Honra
  • Total de itens

    326
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que renato5129 postou

  1. Edu, de Veneza a Munique vc usará q tipo de transporte? Se for de trem, aconselharia tirar um tempinho pra alguma cidade austríaca. Pq na Áustria há lugares fantásticos, como Viena e Innsbruck. Viena tem mta história, belezas arquitetônicas e vários palácios. Innsbruk fica nos Alpes, natureza belíssima. Pode fazer Veneza - Viena - Munique (desviará um pouco da rota, mas nada demais) ou Veneza - Innsbruck - Munique (mesma rota pra Munique) e vc conhecerá uma parte fantástica dos Alpes, a região do Tirol.
  2. Alguém aqui conhece a lanterna Tiablo A10? Meu irmão me disse que viu um cara usando uma na Chapada dos Veadeiros e que é uma coisa de outro mundo.
  3. Seguem fotos da "barraquinha" Vendo o sol nascer Nessa dá pra ter uma noção da área telada e do espaço interno
  4. Flavio, das que vc está em dúvida, posso falar sobre as duas que tenho. A Mountain Hardwear Sprite 1 e a TNF Tadpole 23, seguem as especificações: Mountain Hardwear Sprite 1, usei pela primeira vez essa semana. Capacidade - 1 pessoa Peso - 1,4kg Piso - Nylon Taffeta 70D 3.000mm PU Sobreteto - Poliester Taffeta 75D 1.500mm PU Varetas - Alumínio Atlas 7001 8,5mm Ela é praticamente toda telada e o espaço pra uma pessoa é bom, tenho 1,84m e dormi bem tranquilo. Peguei um pouco de chuva e foi de boa, tava fazendo mto calor, fiz o saco de dormir de colchão, mas tbm foi de boa. Ela não é autoportante, é tipo túnel. Comprei nos EUA por 120 dólares, mas gastei mais 10 pra trocar os espeques. Achei a "barraquinha" mto boa! TNF Tadpole 23, não usei aqui no Brasil, só nos Alpes. Capacidade - 2 pessoas (um pouco apertada) Peso - 2,1kg Piso - Nylon Taffeta 70D 190T 5.000mm PU Sobreteto - Poliester Ripstop 75D 190T 1.500mm PU Varetas - Alumínio DAC Featherlite NSL 9mm Toda telada, é autoportante e apertada pra 2 pessoas. A não ser que seja sua namorada, irmão/pais, sugiro que seja usada por uma pessoa mais íntima da gente. vc dorme "bem junto", mas quando usei a barraca achei um espetáculo e acabei comprando uma pra mim. Tava fazendo mto frio e ventando um pouco, mas se comportou mto bem, fazendo com que a noite fosse tranquila. Tbm comprei nos EUA, 200 dólares.
  5. Peter, tenho um MSR XGK EX e tbm uso gasolina (nunca usei benzina), pois não encontro benzina em minha cidade. Não fica nenhum cheiro durante a queima. Tbm testei com gasolina comum e aditivada. Como o danpeig falou, produz mta fuligem, mas é realmente fácil de remover. Fica um pouquinho de cheiro no equipamento após o uso, mas nada demais.
  6. Pois é, André, perguntei por isso mesmo. Fiz uma planilha, com as datas e as atrações já programadas. Tal dia, tal lugar, tal período, pra poder aproveitar melhor meu tempo. Mas nos dias q peguei balada mais pesada, acabei furando toda a programação do dia seguinte. Principalmente em Berlim e Praga, onde fui a umas festas q se estenderem até o sol raiar. Em Berlim deixei de ver uns lugares q tinha planejado em virtude disso. Na maioria, fui mesmo dormindo pouco e meio bêbado pela manhã, mas não é a mesma coisa, vc acaba ficando meio relapso, sonolento. E o q falou da grana é verdade, algumas baladas saem bem carinhas. Tenha um ótimo 2011! Bons ventos!
  7. E aí, André, beleza!? O Stayokay Vondelpark fica a umas 30 quadras do Red Light District, uns 40, 50 minutos caminhando. A opção é pegar o bonde na Leidseplein, sentido Estação Central, linhas 1, 2 ou 5 e descer no ponto da Magna Plaza, bem atrás da Nieuwe Kerk, fica a uma quadra da Dam e a três da área q bomba no Red Ligth. Pra vc se deslocar durante o dia tem a opção de alugar uma bike. Pra vc ir pro hostel, qdo chegar na city, assim que sair da estação, pegue uma das linhas 1, 2 ou 5 no ponto do seu lado direito e desça na Leidsplein. É bem simples. Há um centro de informações turísticas do lado esquerdo da estação e outra na Leidsplein, a direita de quem vem da estação, vc descola mapas lá. Tbm fiz uma trip sozinho. Fiquei rodando lá por 30 dias. Não se preocupe com galera, é bem fácil se enturmar nos hostels. E vc encontra muitos brasileiros tbm. O único lugar que não encontrei brasileiros foi em Budapeste. Em Amsterdã, Bruxelas, Paris e Praga tinham brasileiros no mesmo quarto que eu estava. A questão do frio, não há frio que um absinto ou uma vódca não dêem jeito! hehehe Mas de qualquer maneira, lá vc encontrará muitas opções em roupas de frio e com preços melhores que aqui. Abraço! Boa viagem! André, o que vc pretende fazer na sua trip? Serei mais específico. Vc curte visitar museus e atrações afins, ou está procurando mais pelas baladas? Vi numa mensagem vc falando de cerveja em Bruxelas a 1,50 euros. Há um bar próximo ao 2GO4 hostel, que é o q vc irá ficar, que se chama Celtica, lá vc encontra cerveja a partir de 1 euro. E há muita variedade de marcas, pode escolher cervejas de diversos países.
  8. Esqueci de citar, no início de maio, em plena primavera, a temperatura em Berlim estava em média 5º C e chovendo mto. Pra vc que tá indo no inverno, prepare-se bem. Usei segunda pele, fleece e Anorak, foi tranquilo. Com praticamente esta configuração, aumentando somente uma lã sintética, subi ao Vale Blanco nos alpes e peguei -10º C de boa. Agora seria mto bom vc levar uma bota impermeável, principalmente pq lá vc deve caminhar bastante e a bota auxilia na prevensão a torções nos tornozelos.
  9. E aí, André, tudo bem? Não sei se ainda dá tempo de te ajudar, mas vamos lá. Fiz um roteiro em maio, que incuiu algumas das cidades que vc irá conhecer. Em Berlim fiquei num hostel mto bom, que incluia café da manhã, o Meininger Berlin Prenzlauer Berg, em frente a uma estação do metrô a 19 euros dormitorio coletivo (6 camas). Em Amsterdã fiquei no Stayokay Vondelpark, 22 euros é um pouco metódico, cheio de frescuras, quartos separados por sexo e etc. Longe da Estação Central, mas próximo de uma parada de bonde. Tbm é próximo ao Van Gogh Museum e ao Rijks Museum. Pra vc que gosta de cerveja, ele fica ao lado da Leidseplein, que é uma praça bem badalada, dá pra ir à pé ao Heineken Experience (museu da Heineken) 15 euros com direito a 3 cervejas. O único proplema é ser distante do Red Light District. Mtos acham que pela questão da liberdade, Amsterdã é meio perigosa, engano enorme. Dos lugares que vc ficará, provavelmente é o mais seguro. Fiquei 4 dias andando à pé toda madrugada e sempre chapado, inclusive indo caminhando do Red Light District ao hostel. Deve abrir os olhos em Bruxelas. Em Bruxelas, fiquei no 2GO4 Quality Hostel, 21 euros, tbm mto bom e popular entre brasileiros. Bem localizado, próximo à uma estação de metrô e à Grand Place. Em Paris fiquei no Le Village, em Montmartre. Ao lado da Sacre Coeur e de uma estação de metrô. Diárias de 21 euros com café da manhã. Espero ter te ajudado. Os preços podem ter diferença, pois maio é baixa temporada. Boa mochilada!
  10. Uso duas de microfibra, uma da Azteq e uma Bergson, elas absorvem bem, mas não secam tão rápido. A da Azteq é um pouco melhor, o tecido é diferente, seca um pouco mais rápido, mas ambas quebram o galho.
  11. Ouvi falar em Chamonix, pela primeira vez, na revista Terra há alguns anos, e me encantei com as imagens de lá. Informações, consegui aqui no mochileiros.com. Programei uma trip pela Europa e, a oportunidade de ver neve pela primeira vez na vida e, poder caminhar por altitudes um pouco mais elevadas, fizeram-me incluir essa “cidadezinha” em meu roteiro. Comecei a procurar informações sobre a cidade e acabei me encantando com as imagens e com as atrações do local. Mas a maior parte das informações que encontrei aqui, diziam que além de bonita, a cidade é bem cara, necessitando de não mais que dois dias para visitá-la. Engano imenso se você souber aproveitar tudo que está ao alcance pra quem tem um pouco de disposição. Cheguei à Chamonix em 18 de maio de 2010, tinha 20 dias que estava rodando pelo “Velho Continente”, entrei via Martigny, uma linda cidadezinha nos Alpes suíços, pelo Trem Du Mont Blanc. As paisagens nevadas das montanhas no trajeto são de tirar o fôlego. Fui procurar um local pra ficar, já tinha visto algumas opções pela net, mas sem fechar nada, e descobri que há um albergue em Chamonix, que infelizmente, estava lotado. Acabei ficando num hotelzinho antigo, chamado “El Paso” por 29 euros o quarto privativo com chuveiro quente, o sanitário no corredor. Mesmo na primavera, o dia em Chamonix só escurece depois das 21:00 horas, então aproveitei pra caminhar um pouco. Fui até o centro de informações pra saber sobre algumas trilhas trekking, mas minha dificuldade de me comunicar foi enorme, afinal, não falo nada além de português. Com muita paciência e simpatia a atendente me deu um mapa da cidade e um da região e marcou neles os inícios das trilhas e, num “mimiquês” razoável, falou-me o tempo médio de duração e todas as trilhas eram bem sinalizadas. Voltei ao hotel peguei uma mochilinha de ataque e fui a um supermercado comprar mantimentos. È bom avisar, que em Chamonix praticamente todas as lojas abrem às 09:00h, fecham pra almoço algumas por 2 outras por 3 horas e fecham, rigorosamente, às 18:00h. Comprei um pouco de salame, pães, água, suco e umas frutas, tudo a um bom preço. Peguei o mapa e decidi fazer a trilha até o Plateau des Pyramedes, sendo esta, a mesma trilha que leva à Cascade du Dard e ao Glacier des Bossons, o início da trilha vai acompanhando a estrada até a entrada do túnel do Mont Blanc, ligação entre França e Itália, a partir daí, a trilha fica bem mais íngreme e bonita, atravessando bosques de pinheiros. A primeira atração da trilha é a Cascade du Dard, depois de uns 50 minutos de caminhada. È um bom ponto para pegar água vinda diretamente das geleiras. Mais 15 minutos e chegamos ao Chalet du Cerro a 1.358m de altitude, acho que funciona um ponto de apoio lá, mas quando fui, estava fechado. Do Chalet até o Plateau des Pyramedes foi 1h e 50min. De lá, a uns 2.000m de altitude, a vista é fantástica, e é muito frio também. Curti o visual por uns 15, 20 minutos e peguei a trilha de volta até o Chalet du Cerro, de onde parte uma trilha para o Glacier des Bossons, pertinho, uns 10 minutos. Fiquei por lá uns 20 minutos e rumei de volta à cidade, acabei chegando ao escurecer, pois levei pouco mais de 6 horas incluindo as paradas, ao invés das 3, 4 horas planejado. Fui tomar uma cerveja e dormir, pra poder aproveitar o dia seguinte. No 2º dia acordei cedo e saí pra conhecer os teleféricos. Fui ao teleférico que leva ao Aiguille du Midi a 3.842m de altitude, 41 euros, podendo passar o tempo que quisesse. Ainda estava fechado. Na fila, conheci o Jean Pierre, um francês de Marselha que mora no Pará. O cara tava com a família toda, a esposa brasileira, filhos, irmãos e cunhados. Conversamos um pouco e Jean Pierre me disse que um dos irmãos dele, o Michel, sempre ia a Chamonix, que iria fazer uma trilha até o Mer de Glace e que hoje ele ira caminhar pelo Vale Blanco, perguntei se tinha como eu ir junto e, o Jean falou com ele, e ele concordou, mas disse que precisaria alugar os equipamentos e teria de pagar uma cerveja depois, pois teríamos q voltar pro final da fila. Concordei no ato. Fomos a uma loja a umas duas quadras do teleférico, onde aluguei piolet, crampon, cadeirinha, óculos e capacete, por 20 euros durante 12 horas. Subimos ao Aiguille du Midi e curtimos lá por uma hora, mais ou menos. Depois nos equipamos, eu, Michel e o Albert, cunhado do Michel, e fomos até a plataforma que dá acesso ao Vale Blanco. Tive muita dificuldade pra caminhar com os crampons, mas depois fui me virando. Caminhamos por umas 4 horas na neve, tudo fantástico, a temperatura estava 10º C negativos, o dia bem claro, o sol rachando, o céu bem limpo, um visual que não dava vontade de voltar, indescritível, só indo pra saber como é. Voltamos contra minha vontade, eu meio frustrado, pois queria ficar naquele lugar muito mais, queria aproveitar o tempo, o dia bem claro. Só descobri pq estávamos voltando quando chegamos. Descemos até o primeiro estágio do teleférico, lá tem um bar, tipo um café, bem agradável, o Jean estava esperando a gente com resto do pessoal e me disse que o teleférico para de funcionar entre 17:00 e 18:00h, por isso tivemos que voltar, senão teríamos que ir pra cidade caminhando. Tive que pagar uma bebida pra cada, uma espécie de “quentão” francês, vinho quente com rodela de laranja, naquele frio tava ótimo, 12 euros, 4 bebidas. Combinamos de eu participar da trilha com o Michel, mas ele me cobrou 30 euros pra usar a barraca e os equipos dele, achei justo, pois não precisaria alugar equipamentos e tinha os serviços de “guia” incluídos. Devolvi os equipos, ele me mostrou o hotel onde estava e marcamos de eu ir pra lá as 07:30h do dia seguinte. Fui ao supermercado e enquanto comprava comida o funcionário me mandou pagar, senão iria fechar sem eu fazer as compras, jeito estranho de tratar os fregueses, mas 18:00h eles querem fechar e pronto. Acordei muito animado pra começar o trekking, peguei a mochila que tinha arrumado na noite anterior, fui ao hotel do Michel e partimos em direção à fronteira com a Suiça, no caminho vi várias trilhas de bike. Nas primeiras duas horas foi tudo tranqüilo, depois a trilha entrou num terreno bem acidentado. Às 13:00h paramos pra comer e descansar um pouco. Por volta de 17:00h chegamos ao local onde iríamos acampar. Não sei se é permitido ou não, mas durante nosso trekking, não vi barracas próximas à trilha, mas o cara devia saber o que estava fazendo. Armamos as barracas e fomos até um platô a pouco mais de uma hora de caminhada, de onde se tinha uma linda vista do vale. Voltamos à barraca e dormimos meio apertados, dentro de uma TNF Tadpole 23. Achei a barraca pequena pra dois, a não ser que seja eu e minha namorada. Acordamos umas 06:30 e fomos até o Mer de Glace, não era tão longe, mas tbm não é a atração mais interessante de Chamonix. Andamos um pouco por lá e voltamos pra barraca. Então caminhamos mais umas 2 horas margeando um rio que desce das montanhas passando por uma cachoeira e chegando num local onde a vegetação era mais rasteira. Voltamos pra barraca, desarmamos o acampamento e partimos rumo a Chamonix. Chegamos à cidade já escuro, por volta das 22:00 horas. Tomei um banho e fui saborear um fondue, pois seria minha última noite em Chamonix. No outro dia, fui ao hotel deles agradecer e me despedir, meu trem partiria pra Paris às 19:38h. Voltei ao hotel e perguntei se poderia deixar minha mochila e tomar uma banho às 17:00h na faixa. A atendente concordou, mas teria que desocupar o quarto naquela hora mesmo, arrumei tudo e deixei minha mochila com a atendente. Procurei umas empresas que oferecem vôo de parapente, mas fui dissuadido, pois estavam cobrando 130 euros, preferi ir a uma loja de equipos e comprar uma mochila Deuter Guide 45+, um isolante inflável e uma lanterna Petzl por 115 euros. Fui até uma loja e aluguei uma bike por 15 euros até às 17:00h, passei no hotel, deixei minhas comprinhas e rumei pras trilhas que tinha visto no dia anterior. Pedalei bastante, mas só consegui nas trilhas leves. Voltei a Chamonix 16:30h devolvi a bike, tomei um banho e fui pra estação. Tem um Bar em frente à estação, o Elevation 1904, sentei lá e tomei 7 cervejas pra auxiliar no sono, pois iria pegar um trem pra Saint Gervais e de lá um outro às 20:20h numa cabine com 6 beliches e consequentemente, 6 pessoas desconhecidas para Paris. Fui até Saint Gervais, troquei de trem e só acordei no outro dia às 06:15 já em Paris. Não sei se o sono foi pelo cansaço ou pelas cervejas, mas foi uma viagem super tranqüila. Espero que todos possam conhecer esse local algum dia! Trilha para o Plateau des Pyramedes Cascade du Dard Chamonix Glacier des Bossons Chamonix Caminhada pelo Vale Blanco Paisagem no alto dos alpes Paisagem no alto dos alpes Paisagem no alto dos alpes Vista do alto de um platô Retorno da trilha de bike para os q estão em "forma" Barzinho Elevation 1904
  12. Faz um ano e meio estava querendo comprar uma mochila maior e tinha uma dúvida grande entre uma Deuter Aircontact Pro 70 + 15 e uma Curtlo Mountaineer 75+15 Litros, por sugestão do Ogum777, acabei comprando uma Conquista Fitz Roy 75+15, na época tinha o preço R$ 300,00 menor que a Mountaineer e R$ 500,00 menor que a Aircontact. Não conhecia a marca Conquista Montanhismo, mas por sugestão do Ogum777, fechei os olhos e comprei. Estou mto satisfeito com a mochila, todas as vezes que precisei, correspondeu mto bem.
  13. Usei uma Capri por 4 anos, q me quebrou bastante o galho, pequena pra 2 pessoas. Tenho uma Coleman com capacidade pra 3 pessoas que usei por uns 7 anos, tá bem velha, mas ainda quebra galho em camping. Atualmente, uso uma T&R Cota 2, que me surpreendeu pela eficiência, uma Mountain Hardwear Sprite 1, leve, compacta e de ótima qualidade e uma The North Face Tadpole 23, tbm de excelente performance. MH Sprite 1 TNF Tadpole 23
  14. Comprei um MSR XGK EX há uns 3 meses, mas como tá mto difícil encontrar benzina e gasolina tava sujando o fogareiro pra caramba, causando mto trabalho, estou usando mais o meu velhinho Urano da Aztek. Diferente do q a maioria reclama, o acendedor do meu funciona bem, mesmo após quase 2 anos de mto uso.
  15. Tenho um MSR XGK EX, multicombustível. Como estou no interior de Goiás, é muito difícil encontrar benzina, então tenho usado gasolina como combustível. Mas o equipamento fica muito sujo. Alguém pode me sugerir um combustível melhor, mais limpo? Lembrando q na minha cidade não vende benzina. Alguém q tenha um XGK EX já utilizou alcool?
  16. Conquista - Fitz Roy 75+15l Uma ótima mochila, com boa transferência de peso, leve e confortável. Faltou apenas uma abertura frontal. Trilas & Rumos - Crampon 60l Não é muito confortável e não tem divisão interna, mas é bastante resistente. Uso pra carregar cordas. Deuter - Guide 45+ Excelente mochila. A mais confortável que tenho. Só não é perfeita por não ter bolsos laterais para garrafas e pequenos objetos. Conquista - Face Norte 30l Para pequenas caminhadas é boa, não tem armação. Trilas & Rumos - Anaton 18l Super funcional, resistente e confortável. Pode ser usada como mochila de hidratação.
  17. Irei pra Europa em 03 de maio de 2010. Meu roteiro é o seguinte: Amsterdã - Berlim - Praga - Budapeste - Viena - Milão - Chamonix - Paris - Bruxelas - Amsterdã Não consegui encontrar o valor da passagem de trem de ponto a ponto. No site q pesquisei só com 92 dias de antecedência, não dá pra ver agora. Será q seria mais vantajoso comprar algum passe ao invés de bilhetes avulsos? Ficarei 26 dias.
  18. renato5129

    Fleece

    Valeu Leo! Abraço!
  19. renato5129

    Fleece

    Irei para Ushuaia e TDP em outubro. Será q rola comprar agasalho na Argentina? Ou é melhor comprar aqui no Brasil mesmo? A diferença de preço é grande? Sou do interior de Goiás e aqui não temos mtas opções. Abraço!
  20. Pretendo ir pra Torres del Paine e Perito Moreno em outubro ou novembro. Ficarei uns 20, 25 dias. Pretendo fazer algumas trilhas, portanto, levarei barraca, isolante térmico e demais equipos. Moro no interior de Goiás e não há lojas de equipamentos por aqui. Estou em dúvida entre a Curtlo Mountaineer 75 + 15 e a Deuter Quantum 70 + 10 Litros. Olhei diversas mochilas em Goiânia e Brasília, mas não encontrei nenhuma das duas. A Mountaineer 60 + 15 ficou muito boa no meu corpo, vi algumas da Conquista tbm, mas acho q uma maior seria melhor. Entre a Mountaineer 75 +15 e a Deuter Quantum 70 + 10, qual vcs indicam? Se tiverem outras sugestões, estou pronto pra ouvir.
  21. Valeu galera! Segui os conselhos de vcs e adquiri o Urano. Obrigado!
  22. Não tenho nenhuma experiência com fogareiros e quero comprar um fogareiro a gás. Eles funcionam bem a q variação de temperatura? Podem ser usados abaixo de 10°? Entre o Urano da Azteq e o Apolo da Nautika, qual vcs recomendam? Obrigado!
×
×
  • Criar Novo...