Ir para conteúdo

Dickens

Membros
  • Total de itens

    71
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Dickens postou

  1. Sensacionais seus comentários, Káren! Me diverti aqui. Bom, passei a virada do ano já em Buenos Aires, com uns brasileiros muito legais que estavam no mesmo hostel. Mas do reveillon eu só me lembro da metade. Inclusive de ficar perdido em BsAs às 6 da manhã procurando um taxi (que não existia). Pacha Mama é a Grande Mãe no panteão Inca. As pessoas rezam para ela e fazem oferendas até hoje. Seria a correspondente à Mãe Natureza, Gaia, enfim...
  2. Mariana, três opções: 1) Levei um troquinho em dólares para emergências. Eles me salvaram algumas vezes. Era só trocar por moeda local, dólar é bem vindo em todo lugar. 2) Visa Travel Money. As cotações são ruins, mas voce saca em qualquer caixa eletronico com bandeira PLUS. E ainda consegue controlar teu saldo de qualquer computador. 3) Cartão Visa Internacional para uso somente como débito. Me salvou uma vez em que nada mais funcionou, rs.
  3. Fazer o Salar no caminho inverso sai o mesmo preço. Recomendo sair de San Pedro e ir para a Bolívia via Salar. É imperdível! Isso vai te custar umas 120 doletas, mas acho que vale a pena, totalmente.
  4. E aí, Gabriel? Que massa que você curtiu o relato. Pra isso mesmo que eu postei, pra encorajar outros a terem momentos tão inesquecíveis quanto os meus. Então vamos lá. 1) Trilha para Salkantay: Cusco tem 37283763287 agências de viagem. Todas oferecem um serviço diferenciado, bla bla bla bla. Os preços para Salkantay variavam de U$200.00 a U$750.00. Fechei a U$170.00 com ticket para Machu Picchu e Sleeping Bags inclusos pela Hiran Bingham Travels. O serviço foi ótimo, o guia sensacional. O valor também incluía o trem da volta. A minha surpresa foi descobrir que, do meu grupo de 12
  5. Teris, que bom que você curtiu. Cara, você precisa de roupa para MUITO CALOR e MUITO FRIO. Peguei de 45 graus a -25 nessa rota. Recomendo um fleece e um anorak, que são leves e abrigam contra vento e chuva, e aquelas camisas dry fit para as trilhas. Uma boa bota, também. Eu tive que passar por muita lama, água, neve, sal e areia. E pouca roupa. Você lava pelo caminho - as lavanderias são super baratas.
  6. Eu recomendo o roteiro Diamantina/Serro/Milho Verde. Duas cidades históricas e um lugarejo mágico roeado por cachoeiras. O Serro é extremamente mimoso, vale a pena. Hospedagem em conta em todos os lugares.
  7. Dickens

    Belo Horizonte

    Com relação ao trem, o preço da passagem de executivo chega a uns 70 reais, mas é mais baixo que o da passagem de ônibus. O trem sai pontualmente às 07h30 da Estação Central de BH. É bom comprar a passagem com uns 2 dias de antecedência. Em caso de feriados, pelo menos uns 5 dias - são 1200 lugares e eles se esgotam! A chegada a Vitória acontece entre 19h30 e 20h30, dependendo do tempo que a logística de Governador Valadares gastar. Você vai levar a bagagem toda com você, mas é relativamente tranquilo. O trem dispõe de um vagão restaurante e um vagão lanchonete. No caso de classe e
  8. Dickens

    Belo Horizonte

    João, eles podem ir de Metrô! É muito mais prático. Saindo da Rodoviária, seguir as placas de Metrô e pegá-lo na estação Lagoinha, sentido Vilarinho. Descer na próxima estação, a Central. Ela é a estação da Estrada de Ferro Vitória Minas. Dica para o trem: vá de executivo. O convencional é R$10,00 mais barato mas o calor ao longo do trecho é bem forte. Fora isso, quem viaja de convencional chega a Vitória com duas camadas de minéiro sobre o corpo, rs.
  9. Meu Salar de Uyuni também foi pela Colque. Passeio ótimo, comida ok, motorista altamente monossilábico. Mas não tive problema algum (fora um cobreiro que todos os mochileiros pegaram num hostal em que o motorista nos deixou).
  10. AH! E uma dica boa: no Peru e na Bolívia você pode sacar dólares dos caixas eletronicos com seu VTM. Sque dólares e troque por moeda local em postos de câmbio. A cotação compensa muito mais.
  11. 3000 reais ou 3000 dólares? Com 3000 dólares eu viajo uns 6 meses por aqui =P Cara, eu deixaria o contrário. 10% em dólares, 40% en VTM e 50% na conta corrente do Banco do Brasil. Não gaste os dólares que você tem à mão - deixe para gastá-los quando não conseguir sacar dinheiro. Sempre opte por sacar. O único lugar onde voce pode ter algum problema é na Bolívia, em cidades como Uyuni e Copacabana. No resto é tranks,
  12. Realmente, foi uma baita viagem. E não sei se eu mudei tanto ao longo dela ou se o próprio fato de ela ter acontecido foi uma mudança, saca? Na dúvida... vá! =)
  13. Exato. Salar de Uyuni e Atacama são muito diferentes e acho os dois imperdíveis também. RECOMENDADÍSSIMO: Agora o mais imperdível de tudo no deserto pra mim é o tour Astronômico! Na rua principal de San Pedro, há uma agência de um casal de astrônomos franceses que vendem o tour. Você sai de San Pedro à meia-noite em um frio de lascar e vai para a fazenda deles, num transfer de ônibus. Chegando lá, todas as luzes apagadas e você terá uma aula inesquecível de astronomia com os caras - dois apaixonados pelas estrelas. O curso é dado em Inglês, Francês ou Espanhol. Depois de altas explica
  14. Cara, são vários. "Grande Sertão: Veredas", certamente um dos mais belos escritos de uma travessia; "Coração das Trevas" do Conrad e "A Casa dos Espelhos", do Sérgio Kokis, narrativas incríveis do ser estrangeiro. Agora o que não pode faltar mesmo é o "Livro do Desassossego" do Fernando Pessoa. Esse vai comigo a todo lugar.
  15. Durmam na Ilha!!!!!!!!!! Ficando por lá só uma hora não dá para ver nada. O lado de lá é bem mais legal, e só da para ir se você passar o dia todo. Fora isso, o visual é deslumbrante, e o lugar é sensacional para relaxar. Nada de badalação. A trucha é deliciosa. Tomar uma cerveja vendo aquele por-do-sol incrível já vale a viagem toda. Eu fiquei tentado a passar uma semana toda por lá. É ótimo para quem já está cansado de uma viagem longa e quer parar e dar uma reduzida na frequencia. Quanto a Copacabana, CUIDADO! O único caixa eletrônico da cidade não tem dias certos para
  16. Dickens

    La Paz - Onde ficar?

    Hostel sem erro em La Paz: WILD ROVER. Fica a um quarteirão do LOKI. É um hostel muito massa de um irlandês que se encantou por La Paz. Além do atendimento sensacional (em Espanhol e Inglês), o hostel me ofereceu as melhores camas da viagem toda. Largas, travesseiros enormes e aquele edredon quentinho... Banheiros ultra limpos, duchas quentes. À noite sempre rolam uns eventos sensacionais e, quando eles acabam, o dono chama táxis pra galera toda e vai todo mundo pra um bar só pra varar a madrugada. E ele ainda tem umas "punições" pro pessoal que pisa na bola. Quando eu estava lá, u
  17. Moçada, foi essa a minha viagem. Finalmente tive tempo para postar tudo. Um grande abraço a todos e valeu =)
  18. Quarta-feira, 25 de Fevereiro de 2009 Episódio 13: La Paz (Bolívia) E depois de uma longa odisséia no ônibus que vinha de Copacabana, cheguei a La Paz. Sao como três horas de subida pouco íngreme mas constante, e de repente avistamos a cidade no meio de um vale de montanhas nevadas. Uma visao pitoresca: 80% da cidade parece uma favela brasileira, com as casas de tijolo cru sem tinta. Parece, mas nao é - eventualmente descobri que a tinta é muito cara aqui e acaba sendo usada só por famílias mais abastadas e edifícios públicos. No centro, prédios típicos de qualquer cidade grande sulame
  19. Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2009 Episódio 12: O Carnaval de Oruro (Bolívia) Logo depois de sair do Lago Titicaca, tomamos um ônibus para La Paz. A viagem de ônibus foi uma piada - os ônibus nao tem banheiro, e as pessoas gritam "baño!" para que o motorista pare o ônibus e eles desçam. O mais engraçado é que nao há muita discriçao: um dos indivíduos desceu do onibus, colocou o órgao para fora e mijou NO ONIBUS. Bem diferente. Além disso, a toda hora tínhamos que descer do onibus e empurrar para que ele pegasse de novo, ou entao para cruzar o Titicaca numa balsa duvidosa, enquanto o o
  20. Quarta-feira, 18 de Fevereiro de 2009 Episódio 11: O Lago Titicaca (Perú/Bolívia) No sábado, acordei no albergue em Cusco e me encontrei com o Dann, um holandês que fez a trilha até Machu Picchu comigo. Comentei que tinha que ir comprar a minha passagem para Puno e ele disse "Você vai pra Bolívia? Ah, entao eu vou também". Como nessa viagem aprendi a amar pessoas irremediavelmente irresponsáveis, vibrei e logo nós fomos ao terminal de ônibus de Cusco para comprar a passagem. Chegando lá, quase caímos para trás. Quinhentas agências diferentes com quinhentos agentes gritando "Arequipa! Lima
  21. Cara, El Rapido e Andesmar com certeza fazem. Qualquer companhia que faça Cordoba - Mendoza passa por San Juan. Te digo isso porque desci em San Juan por engano, risos.
  22. Domingo, 15 de Fevereiro de 2009 Episódio 10: Cusco, Salkantay, Machu Picchu Johnny, Claire e eu chegamos a Cusco bem cedinho, como às 6 da manha, depois de uma noite complicada em um onibus leito de quinta categoria com uma mulher que sofria de flatulências gravíssimas. Logo que chegamos, já detectamos três coisas: o frio bem mais pungente que o de Arequipa, a beleza das montanhas em volta da cidade (que fica num vale, chamado Valle Sagrado) e, por fim, a quantidade de gente te oferecendo tours a Macchu Picchu (foram mais de 10 nos primeiros 5 minutos depois de descer do ônibus).
  23. Quarta-feira, 4 de Fevereiro de 2009 Episódio 9: Arequipa (Perú) ...e entao era novamente hora de arrumar as malas (ou melhor, mochilas) e cruzar a fronteira. Eu, Claire e Johnny saímos do hostel e pegamos um taxi até o "terminal internacional de Arica". Entre aspas porque é um pátio cheio de táxis velhos. Os taxistas juntam à sua volta igual loucos gritando "Tacna! Tacna!". Outros falam "Perú, donde quieras!". Cheguei até a negociar com um taxista, de brincadeira, quanto ele fazia para me levar de táxi até Macchu Pichu (umas 30 horas de viagem). Ele levou a sério e me deu o preço. Vai
  24. 31 de Janeiro de 2009 Arica (Chile) Foi um pouco difícil deixar San Pedro, lugar de energia tao bacana em que conheci pessoas fantásticas. Acontece; numa viagem dessas, a gente TEM que aprender a se desapegar, ou nao vai para a frente. Entao em 5 minutos voce agradece ao universo e a si mesmo por aquela experiencia, coloca a mochila nas costas e vai rumo à próxima. E foi o que eu fiz. A caminho do terminal, passei na vendinha "Las Delícias de Carmen" (as melhores empanadas de San Pedro, e baratas!), e a Carmen e a sua filha me chamaram pelo nome, fizeram uma carinha triste quando eu di
  25. Rapaz, passei dois meses isolado do mundo virtual. Voltando a postar agora =) Empresa que me levou a Uyuni: não me lembro o nome, mas ela foi indicada pelo pessoal do Hostel em San Pedro. Esse hostel foi fenomenal: é o Hostelling International de lá. Staff nota mil, fiquei muito amigo do pessoal todo. Isso se você não se importar de dormir num treliche de dois metros de altura, risos. Continuando as postagens...
×
×
  • Criar Novo...