Ir para conteúdo

DannBrazil

Membros
  • Total de itens

    24
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre DannBrazil

  • Data de Nascimento 02-07-1966
  1. Obrigado Adriano, não sabia disto. Como disse, não fui eu que comprei, e recomendo que se compre lá mesmo, nas máquinas automáticas, em que pode-se pagar com dinheiro vivo (notas e moedas) ou cartão. Não é necessário comprar antes da viagem.
  2. Oi Renata Levamos 1500 EUR em notas. Nossa intenção era lá gastar apenas isto, mais o aluguel do carro (uns 200 EUR) no cartão. Devido ao roubo que tivemos em Roma de cerca de 200 EUR, acabamos precisando ser um pouco mais econômicos. Não queria usar o cartão devido ao IOF e variação cambial. Mesmo assim, no final tivemos que recorrer a ele, na compra do passeio às vinícolas (45 EUR cada um, compramos direto no hotel, há varias opções, aconselho comprar lá mesmo) e em alguns gastos do final da viagem. Os trens eu solicitei à uma agência aqui da cidade, a mesma que fez as reservas de h
  3. Dias 13 e 14 - Quarta e Quinta - Lisboa: Na quarta feira começamos nosso retorno. Porém nosso vôo Roma - Porto Alegre teria uma escala em Lisboa, na qual passaríamos a noite. Fomos de Florença direto ao Aeroporto Fiumucino de Roma de trem. O Vôo saia as 11:40, então conseguimos evitar passar a noite em Roma. Chegamos a Lisboa pouco depois das 13:00. Recarregamos para mais 24 horas os nossos cartões do Metrô de Lisboa que haviamos adquirido na nossa primeira passagem pela cidade, e fomos com ele ao Hotel Turim Europa, no centro da cidade. Deixamos as malas e fomos de ônibus (usando o mesm
  4. Dia 12 - Terça - Florença: Último dia na Itália, amanhã vamos a Lisboa, começando a viagem de volta pra casa. O dia começou meio nublado, mas sem chuva. Ficou assim a maior parte do tempo, mas não chover já foi uma grande coisa. Resolvemos fazer um piquenique para nos despedirmos da Itália. Escolhemos o Giardino de Boboli, um grande Jardim na parte de Florença que fica depois do rio Arno. Para comer, resolvemos comprar no caminho queijos e salames. Ainda tínhamos metade da garrafa do vinho comprado no mercado central a dois dias... Giardino di Boboli, Florença by Daniel A. Donaduzzi, on Fl
  5. Dia 11 - Segunda - Florença: No hotel nos disseram que na segunda feira muita coisa fecha em Florença. Então escolhemos este dia para fazer um passeio até o interior. Infelizmente, amanheceu chovendo. Ontem a noite já tinha chovido, pela primeira vez na nossa viagem. Mesmo assim, excursão paga, fomos de ônibus até a cidade de Greve in Chianti e a duas vínicolas onde tivemos degustação de Vinhos e Azeite de Oliva. A paisagem é muito bonita, mas infelizmente o mau tempo não proporcionou boas imagens. Colinas de Chianti, região de Florença by Daniel A. Donaduzzi, on Flickr No ônibus a ma
  6. Dia 10 - Domingo - Firenze: Hoje tiramos o dia pra conhecer melhor a cidade. Porém, antes, precisávamos lavar algumas roupas que, devido ao fato de estarmos poucos dias em cada cidade não estávamos coneguindo. Porém, no hotel era muito caro, não tinha como. Uma peça de roupa a 6 EUR !!! Nem pensar, a própria recepcionista do Hotel havia dito que era muito caro (serviço terceirizado). Mas, como tinhamos visto no dia de ontem uma daquelas lavanderias automáticas, próximas ao hotel, resolvi experimentar. Depois do café, fui até lá, e pelos mesmos 6 Euros lavei e sequei várias peças de roupas
  7. Hoje acordamos cedo, tomamos café e saímos de Tirano as 7:30 da manhã. Nosso destino era Milão. Mas, não para conhecer, e sim para entregar o carro e pegar o trem até Firenze (Florença). Vi no Mapa que o caminho até Milão era costeando um outro lago, o Lecco. Talvez ali conseguíssemos fotografar... Que nada... Assim que aparece o lago, começam a aparecer também dezenas de intermináveis túneis... Muitos mesmo. E vejam só, túneis com intersecção dentro, túneis com mais de um acesso (você está vindo e de uma hora pra outra surgem carros entrando no tunel por outro acesso. Nunca tinha visto isto.)
  8. Dia 8 - Sexta - Tirano - St.Moritz: Acordamos cedo, tomamos café e fomos à estação ferroviária pegar o Bernina Express, o trem panorâmico que cruza a fronteira com a Suiça e vai até St.Moritz, Davos e Chur ( e várias outras localidades no caminho). Nosso destino era St.Moritz, uma das mais famosas estações de esqui da Europa, frequentada por ricos, famosos e turistas metidos como nós, he he. O melhor do passeio é a viagem. O trem passa por pontes, túneis, lagos, vilas alpinas, tudo muito lindo. A paisagem vai ficando branca durante o caminho. Sendo março, final de inverno, já dava pra ver
  9. Dia 7 Quinta: Verona-Tirano: Saímos do Hotel depois do café da manhã. Fomos de taxi até a estação de trens, pois lá eu sabia que havia uma locadora de automóveis. Loquei um Lancia Ypsilon, carrinho pequeno mas bem legalzinho de dirigir. Nosso destino é Tirano, onde, amanhã dia 13 iremos fazer o passeio no Bernina Express, um trem panorâmico que sai daquela cidade, na fronteira com a Suíça e sobe os alpes até St.Morrits, Davos e Chur. Nós iremos até St.Moritz, ficaremos umas duas horas lá e retornaremos à tarde com o mesmo trem. A saída de Verona com o GPS do celular foi bem complicada. Nã
  10. Oi Juliana. Cada dia coloco mais um dia de nossa viagem, pode acompanhar. Editei os posts anteriores para colocar algumas fotos, veja lá, se ainda não viu. Obrigado pelas dicas sobre Lisboa. Pretendemos conhecer o bairro de Belém, na volta. Teremos a tarde toda, passaremos a noite na cidade. E poderemos camnhar sem as malas, o que já será uma boa vantagem em relação à primeira passagem. Abraço
  11. Dia 6 - Quarta - Verona: Nossa intenção era locarmos um carro em Veneza e irmos até Verona. Mas, achei que seria mais econômico irmos de trem. Assim, fomos cedo pra estação, ali pertinho do Hotel, e pegamos um trem até Verona. Tudo muito fácil, compra-se as passagens direto nas máquinas automáticas, paga-se com dinheiro (moedas e notas) ou com cartão. Falo isto porque os outros trens que usamos foram reservados já do Brasil pela agência. Não precisa, pode-se deixar para comprar na hora, assim, pode-se mudar os planos durante a viagem, além de sair mais barato. O problema com Verona é que
  12. Dia 5 Terça - Veneza: Tomamos café cedo no hotel, e saímos, fomos caminhando até o outro lado da cidade, em direção à Piazza San Marco, principal ponto turístico da cidade. A cidade é maravilhosa. Tudo antigo, medieval, mas tudo funciona. E é limpa. Eu tinha ouvido dizer que os canais eram fedorentos, mas não são, não. A gente fica imaginando como é viver em uma cidade sem carros. Todos andam a pé ou de barco. Há ruelas e Piazzas por toda a cidade. Você olha pra frente e acha que a rua não tem saída, mas se reparar melhor vê que tem, sim, é só ir até o fundo... Como dizem por aí... A melhor co
  13. Dia 4 Segunda: Roma - Veneza . Fizemos o checkout no hotel de Roma as 10:30 e fomos para a estação Termini. Como nosso trem só saía as 13:50, ficamos esperando um bom tempo lá. Almoçamos e no horário marcado embarcamos. O trem Frecciargento, da Trenittalia roda suavemente, a uma velocidade que pode chegar a 280 km/h. As 17:30 hs chegamos à Veneza. Saímos da estação de trem e já nos deparamos com o grande canal, as gôndolas e os vaporetos... É um outro mundo. Ficamos encantados com tudo. Fomos a pé até o hotel. Aqui um registro interessante. Chegamos no hotel (Cá Lucrezia), que fica bem pró
  14. Dia 3 Domingo: Roma. Fomos ao Vaticano cedo. Não haveria Missa naquele dia, apenas o Angelus, que é um discurso do Papa,uma oração e uma saudação aos visitantes. Mesmo assim foi emocionante. Como o Angelus acontece ao meio dia em ponto, fomos antes conhecer o interior da Basílica de São Pedro. A Cátia queria subir até a cúpula, de onde, segundo ela havia lido, se tem uma bela visão de Roma. Só que são 320 degraus para subir, em corredores que por vezes temos que andar inclinados para o lado de tão estreitos que são... E isto porque pagamos 7 EUR para subir um trecho de elevador, caso contrário
×
×
  • Criar Novo...