Ir para conteúdo

mioto

Membros
  • Total de itens

    67
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Só para reativar o tópico. A tão festejada Portaria 85 de 2012 está suspensa. Ou seja, o Parna volta a uma situação pior que a anterior, pois nem os guias/condutores estão autorizados a entrar. Abraços, Mioto.
  2. Carí[email protected], Acabei de fazer o tour de quatro dias (San Pedro - Uyuni - San Pedro) com a Cordillera entre 04 e 07 de janeiro. Paguei 220 dólares. Comida, carros, motoristas e hospedagens de tirar o chapéu. Tudo exatamente como prometido. Contratei o tour em San Pedro. Em breve, ainda estou em viagem, posto o relato. Obs. Parece que o Ministério do Turismo fechou a travessia do Salar até o final de março em razão das águas. Me informaram que meu grupo cruzou o Salar no último dia permitido (06). Os tours continuam saindo, mas apenas entram nas bordas do Salar. A conferir. Abraços, Mioto.
  3. Caríssimos, Viajei 55 dias por AR, Chile e Uruguai. Fui parado BEM menos do que imaginei. Nunca me pediram nada. Só em uma aduana chilena que me pediram a carta verde. Como havia dito, cheguei a comprar o cambão, mas por um erro do vendedor não consegui pegá-lo em tempo. Resultado: fui sem. A informação na Argentina é recorrente: não é obrigatório. Se alguém possuir novidades, não deixe de postar. Abçs. Mioto.
  4. Poxa, Camila, Eu e minha esposa sairemos de Floripa, de carro, rumo a Salta, em 20/12. Quase foi possível te dar uma carona...só gastaria a passagem Joinville - Floripa pela Catarinense...rss... Bem, estive pelo Chile e pela Argentina no final do ano passado/início deste e o dólar estava muito vantajoso. Outra opção que usei muito - e que se mostrou bem vantajosa - foi sacar no débito. Sou cliente Santander. Real eu nem levei. Boa viagem. Mioto.
  5. Só para atualizar. Ao contrário do pessoal que pegou muita chuva (caso do Adam), estou na Carretera desde o dia 21/01. Vim de Los Antiguos, passei por Chile Chico e fiz o fantástico trajeto que margeia o Lago Buenos Aires/General Carrera e parando em Puerto Río Tranquilo. Fiz duas trips lá: (a) Capillas De Mármol (paguei 35.000 pesos o casal, mas fui no barco só com a esposa em um passeio de 1 hora, saindo de muito perto das Capillas, não do "centro" de Río Tranquilo). O local fica a 4 km antes de Tranquilo (sentido sul - norte) e está indicado por uma placa; e (b) trekking no Glaciar Los Exploradores (35.000 pesos por pessoas - e você pode dar a sorte de ir só com mais um), uma caminhada de mais de 8 km, com uma bela vista do Cerro San Valentín (ponto culminante da Patagônia) e bem mais radical que o do Perito Moreno (o Perito Moreno em si bate qualquer glaciar, mas o trekking sou mais este que acabo de relatar. E olha que fiz Perito Moreno há 10 dias). De Puerto Río Tranquilo parti para Coyhaique (onde estou hoje). Amanhã sigo para El Bolsón via Futaleufú. Queria apenas deixar um recado para quem pensa em vir de carro baixo (o meu é um Clio). Eu já li guia que falava em dois estepes, nos riscos, etc. etc. Olha, pra mim, a Carretera é muito mais tranquila e segura que muita estrada que se diz pavimentada no Brasil. Fiquei impressionado. O rípio, pelo menos nos trechos que já fiz, é muito compactado, permitindo média tranquila de 50 km/h, com retas que te permitem ir a 70 ou até 80 km. Outra coisa também me impressionou, mas esta os guias já tinham avisado corretamente: o visual é de cair o queixo. Vale a pena! Abraços, Mioto.
  6. Saudações, Estive na Península dia 26 e as últimas Orcas haviam sido avistadas dia 23, e eram apenas 3. As Francas, então, já partiram faz um tempinho. O calendário faunístico que eles divulgam é um pouco otimista. Por ele, em dezembro se vê tudo, mas na verdade só se vê pinguins e lobos marinhos. Bem, mas que estiver indo para a Península, vá sem medo, o lugar, em si, é surpreendente. Mas que até lá for, tem que ter um motivo gritante para não ir a Punta Tombo e conhecer a colônia de pinguins, um lugar absolutamente surpreendente. Vale muito a pena! Abraços, Mioto.
  7. mioto

    Ushuaia

    Pessoal, Teclo de Ushuaia e deixo algumas dicas para quem está para chegar: 1) Tem lugar aceitando real em cotação favorável (1 real: 2,5 pesos), mas eu tenho sacado dinheiro no débito (1000 pesos por R$ 435,00 já com as taxas) ou pago no débito, mas cuidado com com cartões duplos (débito e crédito), pois eles não entendem muito nosso sistema e vira-e-mexe passam no crédito; melhor é usar o só de débito e pedir para passar no "debito en cuenta corrente", porque senão eles usam outra função e dá erro; 2) ingresso no parque nacional tierra del fuego para residentes no Mercosul, 60,00 pesos; se você for acampar, pode ficar duas noites e três dias: eu acampei uma noite; se o tempo estiver bom vale a pena; 3) ingresso no museu do presídio: 90,00 pesos (caro, mas vale à pena, conta a história da cidade, do presídio, da tierra del fuego e das adjacências); 4) para compras tem coisas caras e baratas; por exemplo, camiseta com o nome da cidade por absurdos 150 pesos e botas Asolo por camaradas 1000 pesos. O segredo é andar a San Martin e transversais e pesquisar; 5) os dias aqui rendem muito, pois amanhece as 04h30 e escurece quase 23h, e olha que nem é um escurece de respeito; 6) quem tiver disposição, vale à pena fazer, no Parque N T F, a trilha do Cerro Guanaco (4 horas pra ir, puxado, muito aclive, e 3 para voltar); vista sensacional. Espero ter ajudado. Abraços, Mioto.
  8. Vejam só! Direto do "site" da policia caminera de Cordoba: http://www.policiacaminera.cba.gov.ar/requisitos.html Já comprei o cambão, mas também já imprimi a página. Abraços, Mioto.
  9. Mario, Sei disso tudo (dificuldades com os policias e com seguradoras). Como farei uma longa viagem por terras hermanas, estou tentando me informar o máximo acerca das exigências "legais" do País vizinho. Eu vou levar um cambão. Se me pararem e perguntarem sobre, mostrarei, mas já aproveitarei a oportunidade (e também me informarei em outros locais) e perguntarei sobre o "fundamento legal" da exigência. Beier, Eu vi esse artigo. Evidente que ele "autoriza" o uso do cambão. Mas daí a exigí-lo vai uma enorme diferença. De todo modo, obviamente minha intenção aqui não é polemizar. Eu quero uma correta informação, só isso. Em muitos sites - inclusive aqui - a gente lê que lençol branco para cobrir corpos é lenda, mas cambão é obrigatório. Ora, parece que não é assim. Tanto o lençol, quanto o cambão não são obrigatórios. Apesar de que o cambão tem uma utilidade e é citado (permitido) no Código de Trânsito. Mas o fundamento da obrigatoriedade ainda não achei. Vamos conversando. A partir da semana que vem mando notícias atualizadas sobre a exigência de cambão diretamente de terras argentinas. Abraços, Mioto.
  10. Marioluc, A Argentina segue a mesma disciplina brasileira: as regras de trânsito são federais. Não existe "legislação provinciana". Existem "policiais provincianos", pelo que tenho lido aqui. Reforçando a argumentação sobre o cambão: http://www.vialidad.gov.ar/archivos_index/Documentaci%C3%B3n%20Obligatoria.pdf Trata-se de site governamental que lista os equipamentos obrigatórios. Vejam que até mesmo o kit de primeiros socorros é apenas recomendado, pois igualmente a legislação de trânsito não o exige. Com relação a uma eventual necessidade de cambão, deixo isso com a Allianz Seguros (rss). Brincadeiras a parte, minha discussão é sobre a "obrigatoriedade". Podemos até levar por precaução ou para reduzir as possibilidades corruptivas da polícia. Mas é o que li em um fórum argentino: "quando querem te extorquir, podem inventar até a obrigatoriedade de circular com a certidão de nascimento de sua avó". Minha conclusão momentânea: não há Lei argentina que exija o cambão. Vamos conversando. Abraços, Mioto.
  11. Mioto Não é lenda não, a informação do cambão ou cabo para reboque consta inclusive da lista de documento/acessórios que o consulado argentino fornece para quem pretende viajar de carro àquele país. Neste post tem a imagem da relação fornecida pelo consulado problemas-com-a-policia-caminera-argentina-t23271-45.html#p334626 Beier, Pesquisei em vários sites argentinos, li o Código de Trânsito deles (Ley 24.449) e as mais recentes alterações (Ley 26.363, de 2008) e os únicos equipamentos obrigatórios nos veículos são: o extintor e dois triângulos. Vou ligar no Consulado e ver se eles reafirmam (e sob qual fundamento) a validade das informações prestadas naquele documento de 2007. Fica, para os interessados, alguns sites: http://www.lacaja.com.ar/lacaja/ART/files/content/EspacioARTDigital2/Espacio-Febrero-10/espacio_art_22/nota_02.html http://www.mininterior.gov.ar/ansv/preguntas/requisitosAuto.php?idName=segVial&idNameSubMenuDerPrincipal=segVialPreguntas&idNameSubMenuDerNivel2=segVialPreguntasRequisitosAuto http://www.cesvi.com.ar/revistas/r38/circulemos38.pdf Valeu. Abraços, Mioto.
  12. Melchi, Que programa estás usando? O jeito mais fácil e rápido de ter imagens GE no GPS Garmin é ter o BaseCamp e pagar a licença de 30 dólares/ano para baixar as imagens. Abraços, Mioto.
  13. Fiz uma pesquisa em alguns "sites" argentinos (governamentais) e em nenhum deles há menção ao tal do cambão. Não sei se em outros tempos foi obrigatório, mas me parece que o cambão tem a mesma origem do lençol para cobrir mortos... Abraços, Mioto.
  14. Sobre a Quest, um comentário: neste feriado li o livro No Easy Day: The Firsthand Account of the Mission That Killed Osama Bin Laden e o autor fez um merchandising muito grande dos equipamentos das tropas especiais que operavam com ele. A maior propaganda foi pra Gerber, com sua Gerber Tool considerada indispensável por eles. Em roupas, a favorita foi a Carhart e as botas que ele usava em operações era a Salomon Quest. Essas operações incluiam além das descidas de helicópteros por corda no local da ação, o salto de paraquedas com todo o equipamento e as caminhadas longas no escuro pelo campo/deserto/montanha até o local da ação, uma possível indicação que esse modelo dá uma estabilidade muito grande para quem carregam um monte de equipamentos na mochila, mais armas e granadas e conforto durante as caminhadas de ida e volta. Não uso Salomon mas achei interessante a marca ser citada (mesmo com alta dose de merchandising). Provei a Quest em uma Loja de Curitiba. Nunca havia provado uma combinação robustez - conforto tão perfeita. Estou para comprar uma. Meu único empecilho (tem o preço também que incomoda...) é que como é uma bota muito cara e os vendedores dizem que se der problema eles mandam para o representante Salomon e tudo mais, gostaria de comprá-la aqui na região de Floripa. Mas nada feito. Ninguém aqui vende. Aqui eu encontrei a Cosmic 4d GTX. Provei e no quesito robustez parece bem equivalente à Quest, mas perde no quesito conforto. Acho que amacia, mas perde feio de saída. A dúvida, então é, Quest ou Cosmic 4D GTX? Há uma diferença mais substancial ou é mais uma questão de preferência, adaptação? Se alguém puder palpitar, agradeço. Abraços, Mioto.
  15. mioto

    Barracas AZTEQ

    Só um relato: na madrugada de 23 para 24 de julho último, eu e um amigo (eu de Nepal, ele de MiniPack) acampamos em 27.50.909'S 49.18.453'O, a 1650m, no Campo dos Padres, em um platô totalmente desprotegido. Sabe aquele acampamento montado no final do dia, já escurecendo, e no meio da cerração? Pois é. Quando acordamos que vimos o quanto estávamos expostos. Bem, durante a noite ventou MUITO. Tenho os dados da estação do INMET no Morro da Igreja, que é mais alto, eu sei, mas acho um bom referencial. Pois bem, as rajadas no MI chegaram a 113,4 km/h. Vejam, vou falar pela NEPAL, que é a minha: tranquilo!!! O vento parecia chutar a barraca. Nós ainda improvisamos uma cozinha com uma maldita lona preta que fez barulho a noite inteira e dificultou MUITO o sono, mas em termos de confiabilidade, sustentação, foi como acampar na praia em uma agradável noite de verão. Posso estar sendo muito otimista, mas não acho que ventos (até mesmo os patagônicos) sejam problema para a NEPAL. A bichinha, mesmo "desabrigada", mostrou-se muito valente. Abraços, Mioto.
×
×
  • Criar Novo...