Ir para conteúdo

Flavia85

Membros
  • Total de itens

    24
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre Flavia85

  • Data de Nascimento Fevereiro 26
  1. Flavia85

    Bruxelas

    Leo, mto obrigada pela resposta. Td de bom para vc, abraços
  2. Flavia85

    Bruxelas

    Chegarei em pelo aeroporto Charleroi. Alguem pode sabe me indicar o meio de transporte mais economico para o centro de Bruxelas?
  3. Flavia85

    Visto - Canadá

    Fiz um passo a passo no blog contando como fiz para tirar o visto de turismo canadense online. Processo muito rápido, vale a pena. http://casadafla.blogspot.com.br/2014/08/como-tirar-o-visto-canadense-online.html
  4. Oi André, a possibilidade de dar a volta ao mundo é tentadora... eu mesma estou planejando uma trip, inicialmente seria 4 meses dando a volta ao mundo, mas pesquisando melhor sobre cada lugar decidi fazer apenas dois continentes em 4 meses, talvez 3 (se eu contar a nova zelandia) e só. Ainda assim perderei de conhecer muita coisa, mas é o tempo/dinheiro que tenho disponível no momento.
  5. Olá, vou deixar o relato da minha viagem para San Andrés, as fotos para quem quiser ver estão publicadas no meu blog (http://casadafla.blogspot.com.br). Câmbio Dentro do aeroporto de Bogotá, nos caixas eletrônicos (davivienda) eu consegui sacar a quantia máxima COP 600.000,00 e isso ocorreu unicamente lá. Em outros caixas eletrônicos fora do aeroporto, tanto em Bogotá como Cartagena e Santa Marta, o máximo que eu consegui sacar foi COP 400.000,00. Meu banco é o Itau, do meu marido Santander, olha a diferença dos valores cobrados por cada banco: Banco Itau Valor saque COP 600.000,00 Valor saque R$ 718,00 Valor IOF R$ 45,81 Tarifa saque internacional R$ 9,00 Total transação R$ 772,81 Banco Santander Valor saque COP 600.000,00 Valor saque R$ 693,78 Valor IOF R$ 44,26 Tarifa saque internacional R$ 20,00 Total transação R$ 758,04 Obs.: Os saques foram feitos no mesmo dia e mesmo caixa. A conclusão neste caso é, para quem tem conta no Santander, vale mais a pena sacar direto no aeroporto, enquanto quem tem conta no Itau, o mais vantajoso seria levar em dólares. Como vocês podem ver a diferença não é tão significativa. 1º Dia (17/03/2014) As primeira impressões foram as melhores possíveis, perto da aterrizagem eu fiquei encantada com a cor do mar incrivelmente azul. Perto da aterrizagem deu para ver que as casas são bem simples... enfim chegamos ao aeroporto e por falta de informação (não pesquisei com antecedência) peguei um táxi até o hotel. Custou COP 11.000,00 e era totalmente desnecessário, o hotel é tão perto do aeroporto que daria para ir tranquilamente caminhando. Fomos muitos abençoados por Deus, o tempo estava perfeito e o céu limpinho. Mesmo chegando mais cedo que o horário do checking nos deixaram entrar, já que havia quarto limpo e desocupado. Rapidamente trocamos de roupa e fomos caminhar. O que eu posso dizer do mar de San Andrés? É lindo, lindo, lindo, qualquer lugar que você olhe o mar é simplesmente lindo, um local de paisagens fantásticas e beleza rara, difícil escolher qual cor de azul ou verde de mar é mais bonita. Já a cidade em si não é bonita, achei ela mal cuidada... infelizmente. No primeiro dia escolhemos caminhar e conhecer o centro, ficamos um pouco na praia principal que é lindíssima e andamos bastante pelo centro nos familiarizando com a ilha. Almoçamos no El Corral que é uma rede colombiana de fast food. Conheci eles em Santa Marta e como fã em batata frita posso dizer que eles tem uma em espiral que supera qualquer outra, nota 1000. Meu esposo também diz que os hamburguês são os melhores do mundo, como eu não como carne, não posso confirmar. Um combo com batata, refri e hambúrguer sai mais ou menos COP 23.000,00. Neste primeiro dia fizemos algumas pesquisas de preços de passeios, compramos mascara de mergulho e snorkel para não ter que ficar alugando em todos os passeios. A maioria das lojas do centro vendem mascaras e snorkel baratinho de procedência duvidosa, optamos por comprar uma melhorzinha, fomos em uma loja que vende material de qualidade, infelizmente não me recordo o nome da loja. Também compramos as sapatilhas para não correr o risco de pisar em corais e cortar os pés. Essas sim compramos das mais baratas COP 10.000,00 cada uma. Mais tarde fomos comer no Juan Valdez que é a rede de café colombiana muito famosa e vale muito a pena, muito gostoso. 2º Dia (18/03/2014) Acordamos bem cedo, tomamos um café da manhã reforçado e fomos para o porto, escolhemos fazer o passeio da Ilha de Johnny Cay e Aquário. As lanchas partem a partir das 9h por ordem de chegada, esse é o passeio mais comum da ilha, custou COP 15.000,00 cada um e paga-se uma taxa de entrada na ilha de COP 5.000,00. Aviso aos navegantes: comprei um "saco de estanque" em uma lojinha próxima ao porto por COP 15.000,00 achando que a minha câmera estava segura para fotos aquáticas. Burrice pura, encurtando a história, minha câmera estragou e todas as fotos da viagem são de celular. Cayo del Acuario ou Rose Cay é uma ilha com um belo aquário natural, onde por um hora e meia ficamos fazendo snorkelling e ao lado tem a ilhota Haynes Cay que fomos caminhando, a água não passou da cintura. De lá partimos para Johnny Cay onde ficamos literalmente deitados em baixo de um coqueiro, tomando água de coco, tomando coco loco e comendo patacones (banana da terra verde, frita... hummmm, delícia). No início da noite fomos comer no La Regata que é um restaurante excepcional, sua decoração é um evento a parte e comida deliciosa. 3º Dia (19/03/2014) Acordamos cedo, tomamos novamente um café da manhã reforçado e alugamos um carrinho de golfe que nos entregaram na porta do hotel por COP 70.000,00 das 8h00 as 18h00. Antes de ir viajar, eu lia em blogs que deveria se pechinchar os passeios de San Andrés, mas na verdade é que não conseguimos pechinchar nada, coincidência ou não, os passeios oferecidos pela agencia que estava dentro do nosso hotel eram imbatíveis, até tentamos negociar com os caras das ruas mas nunca chegavam nos preços da agência do hotel. Como eu estava dizendo, alugamos o carrinho de golfe e fomos dar a volta na ilha. Aqui eu posso dizer, essa é a melhor forma de se conhecer a ilha, paramos apenas nos locais que nos interessava e no nosso tempo. Antes de dar a volta na ilha, pegamos um mapa com os pontos turísticos, então assim fomos conhecendo um a um. O que vale mais a pena é WestView. Mais um belo aquário natural, nem sei quanto tempo ficamos lá, foram algumas horas. A entrada custa algo em torno de COP 3.000,00 por pessoa com direito a um pedacinho de pão para alimentar os peixes. Lá eles alugam colete salva vida, pé de pato e mascara snorkel por COP 4.000,00 cada. Ainda tem uma plataforma para saltar e um toboágua. Mais a frente tem La Piscinita que basicamente é a mesma coisa que o WestView (um aquário natural) sem a plataforma e toboágua. O passeio com o carrinho de golfe foi super legal, o carrinho não corre nada, as estradas em alguns pontos com má conservação dava uma adrenalina a mais ao passeio, adoramos. Durante a volta da ilha paramos em alguns pontos para tirar fotos, outros para nadar ou apenas ficar com pernas para o ar. No sul da ilha tem Hoyo Soplador, que é um fenômeno natural que ocorre o sopro de vento (em determinadas épocas do ano água) de um buraco. O que eu não gostei foi do assédio dos nativos que ficam tentando insistentemente vender comidas e bebidas com preço absurdo, mas vale a pena a visita, eu teria aproveitado muito mais o local se não fosse isso. Nosso ponto final depois de comermos novamente no El Corral foi no Playa de San Luís, lá o mar é mais calminho e ótimo para passar o dia. Tivemos a surpresa de encontrar uma raia enquanto fazíamos a travessia para ilha para tiramos fotos do navio naufragado. Falando no navio naufragado, dizem que é possível chegar até ele andando, mas nós não tentamos, imagino que tenha peças soltas no mar e pode ser meio perigoso. Foi um dia com bastante atividades, de noite como nas anteriores caminhamos pela praia principal e sentamos na areia da praia para bater um papo. 4º e último dia (20/03/2014) Já havíamos feito os principais passeios que queríamos. Chegamos a cogitar a ideia de fazer o passeio manta raias, mas ficamos na dúvida se era um passeio pega turista ou não. Depois conversando com a minha sogra, ela falou que já fez, foi super divertido e recomenda. Como último dia na ilha e um dos último dias de férias do meu esposo decidimos passar o dia inteiro na praia principal Sprat t Bight desfrutando das paisagens. Almoçamos por lá, fizemos bastante snorkelling, cheguei até ver um cardume de peixe espada. Mais para o final da noite fomos jantar no restaurante Majia e esse sim foi decepcionante. É um restaurante italiano, o prato do meu esposo estava ótimo, já o meu espaguete com lagostin veio nadando em óleo, fiquei com uma puta dor no estomago. Pelo menos o dono fez questão de não cobrar, embora tenha sido meio grosso falando que na Itália o espaguete é assim. Também fizemos as últimas comprinhas de supermercado, regalos e voltamos para descansar. Nosso vôo de San Andrés para Cali saiu das 2h00 da madrugada. Depois pegamos outro avião para Bogotá onde tomamos o café da manhã e comi as arepas do El Corral que são maravilhosas. Em casa só chegamos as 23h00. Compras: San Andrés é um porto livre de imposto, então algumas coisas são mais baratas, outras são pegadinha. Vale a pena levar mascara, snorkel e pé de pato. Se não tiver comprar na ilha é relativamente barato. Também aconselho a comprar as sapatilhas que vendem na ilha por COP 10.000,00. Câmera a prova d'água seria o ideal. Eu cheguei a pesquisar a Sony HDR-SA10 e Sony HDR-SA15 e estão mais baratas do que o no Brasil. As lojas autorizadas que eu saiba são as Riviera e Almacén Jacobo. Bolsa de estanque que é vendida nas barraquinhas eu não aconselho para mergulho, apenas para proteger a máquina da água nos passeios de lancha. Roupas e sapatos na ilha estão no mesmo preço que em São Paulo. Havia uma loja que é o outlet da Quiksilver que tinha bons preços, mas não sei se é original, meu marido acabou comprando apenas uma camiseta. Existe muita pirataria na ilha, tanto em perfumes, como cosméticos e bebidas. Então se for comprar, compre em loja de procedência, como por exemplo Riviera, La Perfumerie, President e Madeira. O dutyfree de San Andrés na volta tem produtos mais baratos do que na ilha, acabei comprando dois perfumes na loja Riviera, mas no DutyFree esses perfumes estavam mais baratos ainda (+ ou - COP 10.000,00 cada um). Pelo que constei as bebidas também estavam mais baratas no DutyFree. O Jack Daniel por exemplo na ilha estava COP 46.000,00 e no DutyFree comprei por COP 41.000,00. No DutyFree de Guarulhos, o mesmo whisky sai por 36 dólares. Maquiagem vale mais a pena comprar na ilha, mas se for comprar no aeroporto, o de San Andrés e de Bogotá são mais baratos do que o de Guarulhos. Um batom da Mac paguei USD 16,00 no aeroporto de Bogotá, em Guarulhos o mesmo batom sai por USD 21,00. Considerações: As imagens do mar das sete cores é de encher os olhos, as belas cores da água são fruto dos recifes de corais, não tinha como não ficar encantada e eu sei que um dia eu ainda vou voltar. Fui para San Andrés nesse mês de março e achei a ilha super tranquila no quesito "muvuca", claro que haviam muitos turistas, mas comparando com Cartagena (que eu fui em setembro do ano passado) San Andrés estava bem mais vazia. No aeroporto de Bogotá pagamos a taxa de entrada da ilha COP 50.000,00 por pessoa. Para saber os valores em reais, desconsiderar 3 zeros e somar 20%. Não tem como não notar a presença de cachorros na ilha, eles estão se multiplicando como coelhos. Existem muitos passeios para fazer na ilha, tudo depende de tempo e disponibilidade de dinheiro. Com certeza San Andrés é um destino que vale a pena. Acredito até que ele seja um dos mais baratos do caribe.
  6. Flavia85

    San Andrés

    Fui para San Andrés no mês passado. Fiz um post falando sobre cambio e compra de dólares. http://casadafla.blogspot.com.br/2014/03/roteiro-pre-viagem-san-andres.html Na data específica que eu fui, compensava mais sacar o dinheiro no caixa no aeroporto de Bogotá para quem trabalha com o banco Santander. O banco Itau por exemplo tem o cambio mais caro, nesse caso compensa levar dólares e vender no aeroporto de Bogotá. Depois fiz um outro post com o relato completo dos passeios. http://casadafla.blogspot.com.br/2014/04/roteiro-de-viagem-san-andres-iii.html
  7. Olá... bom, vamos as respostas. 1. Achei os preços em Cartagena em restaurantes melhores do que em SP. Em geral as refeições são mais baratas e lembrancinhas também; 2. Não conheço o bairro Getsemani, eu recomendaria o bairro de Boca Grande; 3. Não consegui abrir o link que vc mandou, mas é como falei, melhor bairro para hospedagem é Boca Grande; 4. Existem várias outras praias, o negócio é perguntar em agências as opções e negociar preço; 5. Sim, Santa Marta vale muuuuuuito a pena; 6. Não vi a menor graça em Barranquilla, cidade bem suja... feinha... Se tiver alguma coisa, é só perguntar. Vou ver se acho o site do apartamento que alugamos em Cartagena... o custo/beneficio valeu a pena. quote="bernardbraun"] - As coisas em Cartagena são muito caras? Digo comida (almoço e janta), bebida, lembrancinhas, lanches, sorvetes.. ? Eu e ela, se separarmos uma média de US$50,00/casal por dia conseguiremos nos virar bem? - É uma má idéia nos hospedarmos no bairro Getsemani? - Estive olhando alguns hotéis 3 estrelas, e o melhor que achei (custo/beneficio), foi esse: http://www.booking.com/hotel/co/patio-de-san-d ... pt-br.html ... Sabe me dizer que se a localização é boa? - Compensa reservar antecipadamente hotel pelos 8 dias que vou hospedar, ou seria uma boa idéia tentar "pexinchar" um outro hotel mais barato depois que estiver na cidade? - Com relação às praias, acredito que as obviamente as praias de San Andres são infinitamente melhores que as de Cartagena. Mas tem alguma que a cor da água se parece com as de San Andres? - As praias próximas a Cartagena se limitam a: Isla de Rosario, Isla Baru e Playa Blanca? - Você conheceu alguém que foi, ou sabe de relatos sobre visitar Santa Marta? É um passeio que valha a pena? E se for, tem que dormir em Santa Marta? - Por último... você me aconselharia passar um dia em Barranquila ou é uma cidade que posso riscar do meu planejamento? Um beijão, desculpe-me pela amolação.. Att, BERNARD BRAUN.
  8. Olá Bernard, como falei no meu relato eu fui de visita no país dos meus sogros, em Cartagena só conheci Isla del Rosário e Playa Blanca (que é linda, mas muito movimentada). Exite também opções de praias privadas com um preço um pouco mais elevado... acho que vale a pena já que você tem vários dias. Aproveite para caminhar na cidade amuralhada que é linda. Tem uma praia que não tive oportunidade conhecer mas gostaria é a Ilha de San Bernardo, quem sabe na próxima viagem... Se vc tiver oportunidade estique sua viagem até Santa Marta e vá no parque Tayorona, lá existem muitas opções de passeios e praias. Mas é como eu disse, achei as prias de Santa Marta melhores, porém a cidade é mais sem graça. Até mais
  9. Flavia85

    San Andrés

    Também aproveitei a promoção da TAM no fds anterior e comprei passagem para San Andrés por R$ 621,00 ida e volta. Como meu esposo é colombiano, eventualmente ele vai para lá e sempre sacamos dinheiro no caixa eletrônico pelo cartão de débito. Acho que levar dolar é só preju, pq o dolar lá é mais barato que aqui e vc perde 2 vezes no cambio. Na última vez q fomos (set/2013) não conseguimos sacar dinheiro em Cartagena com o cartão do meu esposo, porém conseguimos passar compras no débito. E em Bogota o cartão sacava normalmente.... enfim, mto estranho, então o bom é sempre levar mais de um cartão por segurança. Nunca consegui sacar mais de COP 400.000,00, se alguém conseguiu me avisa qual caixa eletronico pq preciso mto dessa dica... vlw
  10. Olá Cauhana... Respondendo as perguntas: 1 - Não vi nenhum snorkelling na playa blanca, somente na Isla del Rosario. 2 - O almoço é na Playa Blanca. 3 - Não tem barco de a Playa Blanca até Playa Crystal, são cidades diferentes, uma é Cartagena e a outra Santa Marta (de ônibus foram quase 4h de viagem entre uma cidade e outra); 4 - Eu não levei dinheiro para trocar, valeu a pena sacar direito do caixa. Tenta sacar na função débito o máximo possível (o que eu consegui foi COP 400.000,00). Espero ter ajudado
  11. Escrevo aqui no mochileiros um relato mais informativo, no meu blog escrevi um post sobre Cartagena e Santa Marta como uma visão mais pessoal e com mais fotos. Aproveitando as passagens convidativas da Lan (R$ 700,00), fomos para Cartagena. Antes eu preciso explicar que foi uma viagem familiar e embora meu esposo seja Colombiano, ele foi apenas uma vez a Cartagena há muitos anos atrás e vive tanto tempo no Brasil que seus irmãos dizem que além de se vestir como brasileiro o espanhol dele tem sotaque, ou seja, colombianos acham que ele é estrangeiro e cobram tudo mais caro. Saímos de Guarulhos por volta das 17h00 e chegamos as 21h00 em Bogotá (fuso horário 2h para menos). Meu sogro já estava nos esperando no aeroporto, aproveitamos que o voo para Cartagena só saia as 6h30 e fomos para casa dele. As 4 e pouco da manhã voltamos para o aeroporto, a corrida ficou em COP 25.000,00 negociados antecipadamente com o vizinho taxista. 1º dia - 21/09/13 (sábado) As 8h00 chegamos em Cartagena e imediatamente ao sair do avião senti o calor escaldante, algo parecido como ligar um secador de cabelo no seu rosto. O taxi no aeroporto até Boca Grande ficou em COP 17.000,00 (muito caro), os pais do meu esposo que chegaram em um voo depois pegaram um taxi saindo do aeroporto por COP 10.000,00. Lá não existe taxímetro, tudo é negociado antes de entrar. Eramos 9 pessoas e optamos por alugar um apartamento de 3 quartos em Boca grande. Nas fotos o apartamento (Turipanã) tem aparência de mais novo do que realmente é, mas mesmo assim gostei e recomendaria o lugar. A localização eu achei sensacional, perto de bancos, supermercado e praticamente ao lado do melhor crepe do mundo Crepes&Waffles. O preço foi algo em torno de COP 240.000,00 por dia (dividindo em 9 uma pechincha). No primeiro dia compramos o city tour (14h00 as 18h00) por COP 35.000,00. Como ainda estava bem cedo, aproveitamos para fazer feira, conhecer o bairro de Boca Grande e passear pela praia. Aqui vai uma dica, nunca aceite nada dos vendedores de rua! Quando estávamos caminhando pela praia de Boca Grande meu esposo aceitou experimentar um pedacinho de um caranguejo, depois disso o vendedor ficou no seu pé cobrando COP 20.000,00. É claro que ele não pagou, mas foi bem difícil se livrar do dito cujo. As 14h00 uma Chiva (meio de transporte típico) nos recorreu na portaria do apartamento e fomos conhecer os principais pontos turísticos. O tour já estava incluso a entrada ao Castelo de San Felipe, subida ao Morro da Popa, Sapatos Viejos, passeio dentro da cidade muralhada, etc. Mais tarde caminhamos pela praia e jantamos no Crepes&Waffles. 2º dia - 22/09/13 (domingo) Infelizmente não me recordo do nome das agências que contratamos os passeios, aliás, como estava de visita no pais dos meus sogros não programei e pesquisei nada, fizemos o roteiro que eles planejaram. Neste dia acordamos bem cedo, tomamos café da manhã e fomos a uma agência que fica próxima ao Turipanã. Compramos o passeio para Isla del Rosário por COP 40.000,00 incluindo o almoço típico da região. Mais ou menos as 8h o ônibus passou no apto e nos levou até o porto. Lá pagamos a taxa portuária obrigatória de COP 12.000,00 e pegamos uma lancha para 38 passageiros. Cheguei a ler em algum blog que essas lanchas rápidas quicam muito na água... no dia que fizemos o passeio o mar estava tão calmo que chegou a ser tranquilo até de mais. O percurso total durou mais ou menos 50 minutos. Na mesma lancha tinham pessoas que optaram em ficar direto em Playa Blanca, então a lancha fez uma parada rápida, essas pessoas descerem e fomos a Isla del Rosário. Lá havia duas opções, a primeira era fazer snorkel e a segunda visitar o Oceanário. Ficamos com muita dúvida, mas optamos pelo Oceanário pois teríamos oportunidade de fazer snorkel em outra praia. O snorkel custava COP 25.000,00, a entrada no Oceanário COP 20.000,00 e havia uma outra entrada no valor de COP 55.000,00 para assistir o show dos Golfinhos (??? fiquei na dúvida quanto isso). Pagamos a entrada mais barata e conhecemos vários tipos de peixe, tubarões, tartarugas e assistimos um "mini" show com os golfinhos. Tudo isso em 1 hora mais ou menos, depois fomos para Playa Blanca. Sim, Playa Blanca tem a cor da água que pensamos quando ouvimos a palavra Caribe, mas não sabia que tinha tantas pessoas também... e estávamos em baixa temporada. Almoçamos o prato típico e fiquei o resto do dia naquela mar verde/azul com água quente. Aluguel da "tenda" com 4 cadeiras por COP 7.000,00. O barco partiu as 16h00 e voltamos para o apto caminhando desde o porto. Meu Deus como faz calor nessa cidade, impressionante que até de noite o termômetro não saia da casa dos 30º, aproveitamos esse calor todo e fomos para piscina. Mais tarde fomos caminhar pela cidade amuralhada que é super charmosa. 3º dia - 23/09/2013 (segunda-feira) Este dia a programação era não ter programação. Acordamos um pouco mais tarde, aproveitamos o sol para tirar umas fotos, passear pela cidade amuralhada, comprar presentes para familiares, fazer supermercado para trazer coisas diferente do que temos no Brasil, etc. Fizemos uma festa de despedida, meus cunhados com as namoradas voltaram para Bogotá, seguindo viagem apenas meu esposo, sogra, sogro e eu. 4º dia - 24/09/2013 (terça-feira) Cedo pegamos um ônibus para Santa Marta, custo por pessoa COP 42.000,00. A viagem é um pouco longa, no total era para ser 4 horas com pequenas paradas para ir ao banheiro, subida e descida de passageiro. Eis que imprevistos acontecem e o pneu furou... acho que ficamos parados por uns 30 minutos em um borracharia em Barranquilla, depois seguimos viagem. Fizemos o check-in no hotel que era muito bom, mas acho que só para funcionários e aposentados do exercito colombiano. Sei que o preço do quarto era mais ou menos COP 60.000,00 por noite. A infra-estrutura do local é excelente, com piscina, sauna, spa, academia, pedalinho e até um mini zoológico de aves. Almoçamos no restaurante do hotel e fomos de táxi ao centro da cidade (COP 5.000,00), caminhamos pelo Centro Histórico, praça de Simon Bolívar, praça Los Novios e depois pegamos um táxi para o Rodadero (COP 8.000,00). Próximo ao Rodadero jantamos no fast-food favorito dos colombianos, El Corral (dizem que é o melhor hambúrguer que existe, não posso afirmar nada pois não como). Outra corrida de táxi para voltar ao hotel por COP 6.000,00. Os preços dos táxis em Santa Marta segue o mesmo esquema de Cartagena, negociar antes de entrar, se achar caro pegue o próximo, opções de Zapaticos (táxi pequeno amarelo) não faltam. 5º dia - 25/09/2013 (quarta-feira) Em geral os preços das passeios em Santa Marta são um pouco mais baratos do que em Cartagena. Surgiu a dúvida entre fazer a Playa Blanca em Santa Marta ou a Playa Cristal. No tour para Playa Blanca também tinha uma parada em um Oceanário, como já visamos um em Cartagena optamos pela segunda opção. A Playa Cristal fica no interior do parque Tayrona. Fomos com o ônibus da agência de turismo até o Parque, lá assistimos umas vídeo obrigatório e estrangeiros pagam uma taxa de COP 23.000,00 para entrar. Curioso é que na placa estava o preço para estrangeiros de COP 31.000,00 - talvez por ser por agência tenha sido mais barato. Dentro do ônibus o guia perguntou se existiam estrangeiros, duvidando que meu esposo era Colombiano uma "fiscal" do parque solicitou que ele mostrasse o documento. Seguimos de ônibus, paramos em um mirador da Playa das Sietes Olas. A vista é incrível, dizem que não se pode banhar nessa praia, não pelo tamanho das ondas, mas sim porque a correnteza é muito forte. A próxima parada já foi na praia onde pegamos uma lancha para Playa Cristal, que durou no máximo 5 minutos. Playa Cristal para mim é ainda mais bonita do que a Playa Blanca em Cartagena e com muuuuuuuito menos pessoas e sem vendedores ambulantes. Lá finalmente fizemos o snorkel que durou no total 2h30. Só tenho uma palavra para descrever o snorkel, sensacional. O preço foi COP 25.000,00 mais foto (opcional) por COP 10.000,00. O almoço não estava incluso nesse pacote, também pagamos a parte e saiu por COP 25.000,00 por pessoa. O resto do dia aproveitamos o mar lindo, com águas quentes, pouca gente... uma delícia. De volta ao hotel aproveitamos mais uma piscininha. 6º dia - 26/09/2013 (quinta-feira) Dia de translado... voltamos para pegar o avião a Cartagena, fizemos nossas últimas compras... e na sexta de manhã pegamos o avião e volta ao Brasil. Algumas considerações: Optamos por ir no oceanário em Cartagena pois disseram que o em Santa Marta não é tão bom quanto e que em Cartagena é em mar aberto, já em Santa Marta não. O snorkel em Cartagena durava apenas o período de visita no Oceanário, ou seja, apenas uma hora. Na Playa Cristal eles falam que a média do snorkel é 1 hora, mas como não temos uma lancha nos esperando (o que acontece em Isla del Rosário) e por ser baixa temporada o total com explicações e tudo foi de 2h30. Me arrependi muito de não ter câmera a prova d'água, era muito incrível. Não foi a primeira vez que havia feito, já fiz uma vez em Arraial do Cabo no RJ e mesmo assim fiquei impressionada. Aproveite para experimentar frutas e comidas típicas. Claro que existem milhões de passeios incríveis para fazer nessas duas cidades, mas no nosso caso o objetivo principal era passar momentos agradáveis com a família do meus esposo. A viagem foi perfeita, rendeu muitas fotos e boas recordações. Estou super animada pensando em qual será a próxima viagem...... quem sabe San Andrés?!
  12. Gostei muito do seu relato. Pretendo fazer em breve um muito parecido, você pode passar os valores dos passeios. Vlw
  13. Flavia85

    Foz do Iguaçu

    Segue abaixo meu relato. Saí de SJC/SP 27/04 de ônibus pela empresa Kaiowa por R$ 90,00 as 17h00. Por ser véspera de feriado e muita chuva cheguei em foz no dia seguinte as 11h30. Achei o ônibus muito bom, mas que ele para muito... isso ele para. Da rodoviária peguei um táxi até o hostel paudimar falls (R$ 16,00). Sobre o hostel eu não recomendo, não gostei. A limpeza do hostel era péssima, o banheiro do meu quarto era mais sujo do que rodoviária e achei que o café da manhã é bem mais ou menos. Fora isso a localização é boa. (Paguei R$ 90,00 pela diária quarto casal). Fiz o check in no hostel e fui de ônibus para as cataratas do lado brasileiro (ônibus R$ 2,65). Como a Mila contou no relato acima estava chovendo muito e muito frio. Só que ao contrário do que ela falou no horário que eu cheguei (meio dia pouco) não tinha quase ninguém no parque, até estranhei... achei muito vazio. Comprei capinhas de chuva duas por R$ 8,00 com o tiozinnho que vende na frente do parque. Também vendem capinhas de chuva no parque sai R$ 7,00 cada uma. Depois do passeio no parque voltei para o hostel e perguntei sobre o tal vans gratuitas que levam até o duty free e cassino e no hostel disseram que desconheciam essa informação. Como o Jocimar falou no relato dele a cima eles vendem o transporte (não cheguei a ver preço). Fui de ônibus circular mesmo até o duty free (R$ 4,00 ou $ 8,00 pesos arg) e tomei cuidado para pegar o último ônibus que retorna ao Brasil as 19h30 (sorte que ele atrasou). Quem vai somente até o duty free e retorna não é necessário fazer saída do Brasil (inclui estrangeiros). Meu marido que é colombiano acabou descendo para fazer a saída de bobeira, pois o motorista do ônibus tinha informado que era necessário. Detalhe que o motorista do ônibus não esperou, deu um papelzinho para a gente pegar o próximo ônibus. Outro detalhe é que existe mais de uma companhia que faz br/arg, então esse papelzinho para pegar o próximo ônibus só vale para ônibus da mesma companhia. Quanto ao duty free o que eu achei que vale a pena são os perfumes, bebidas, tênis e algumas maquiagens. Não preciso nem dizer que estava muvucado de gente. Voltamos do duty free e comemos no pizza hut que é um pouquinho caro, mas muito boa a comida (não foi pizza, rsrsrs). No dia seguinte 28/04 acordamos cedo e fomos para cataratas do lado argentino. Pegamos ônibus não fizemos a saída do Brasil, somente a entrada na argentina e o motorista dessa vez foi muito legal, até esperou a gente fazer cambio (R$ 1,00 = $ 2,18 pesos arg). Para ir as cataratas do lado argentino é preciso pegar dois ônibus, o que vai até a arg e depois outro que leva as cataratas (R$ 5,00 ou $ 10,00 pesos arg). É um pouquinho longe, com mais pessoas acho que vale a pena alugar um carro. Como cheguei cedo fiz peguei o trenzinho para a garganta do diabo, mas quem chegou depois pegou muita fila. E como a Mila já contou o parque estava lotadíssimo e no mirante das cataratas era quase impossível tirar uma foto de tanta gente e empurra-empurra. Andamos muito, fiz a trilha de cima, de baixo... depois peguei um ônibus para o centro comercial de puerto iguazú (tem horário de ônibus no ponto em frente ao parque). O shopping ainda não está com todas as lojas em funcionamento, muitas ainda estão para abrir e todos os preços são um roubo. Depois pegamos um taxi até o centro de puerto iguaçu e não sei se pq era domingo mas eles tem horário meio estranho, todas as lojas fecham para o almoço e só retornam as 16h30/17h00. Depois fomos para o duty free (pedi para o motorista me dar o papelzinho para não pagar o próximo ônibus) e comemos por lá mesmo. No dia seguinte fui cedo para o parque das aves (incrível - adorei), passamos a manhã inteira. Depois pegou ônibus para o aeroporto - promoção webjet foz/gru R$ 100,00. Cataratas br R$ 24,60 (cartão itau paga meia - não tem meia para estudante). Cataratas arg $ 90,00 pesos arg. Parque das aves R$ 20,00 (estudante paga meia). Foi super rápido, mas adorei conhecer foz e pretendo voltar mais vezes. A cidade tem uma ótima estrutura para turismo, é super fácil andar de ônibus e tranquilo
  14. Cheguei de Buenos Aires recentemente e o melhor cambio que eu vi do real foi na Sarnimento, R$ 1,00 = $ 2,16. O cambio do aeroporto estava horrível, R$ 1,00 = $ 1,78.
  15. Cheguei a semana passada de MVD. Não reservei nadica de nada antes de viajar, mas tinha uma lista de hoteis e telefones para ligar assim que chegasse na rodoviária. Assim que cheguei fui ao balcão de Informações Turísticas e o cara que trabalhava lá ligou para os hostel e hoteis que eu havia listado. Mas me sugeriu a ficar em um hotel que fica no Centro chamado Hotel Montevideo. O Hotel é simples, limpo e seguro. Os donos são mto atenciosos (acho que até d+). O quarto com duas camas de solteiro custou $ 800,00 (mais ou menos R$ 80,00) com café da manhã. Não tem internet. Acho que o hotel não tem site e ele não é dos mais conhecidos lá, já que toda vez que eu fala para o taxista o nome do hotel ele não conhecia e eu tinha que lhe passar o cartãozinho com o endereço. Gostei do hotel, com certeza qdo retornar a MVD ficarei lá novamente.
×
×
  • Criar Novo...