Ir para conteúdo

willythorpe

Colaboradores
  • Total de itens

    51
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre willythorpe

  • Data de Nascimento 25-04-1980

Bio

  • Ocupação
    Arquiteto de Software

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. willythorpe

    Torres del Paine

    Certamente aos navegantes e mochileiros de primeira viagem, TDP não é lugar para subestimar. Durante a trilha enfrenta-se, como dito por muitos acima, temperaturas e condições climáticas (microclimas) das mais variadas e na maioria das vezes extremas. Constatei pessoalmente, tanto nas trilhas da Patagônia Argentina (El Chaltén / Fitz Roy) quanto do lado Chileno (TDP) realizadas por mim entre novembro de 2014 e março deste ano de 2015, que é muita imprudência duvidar da força natural desta região do Planeta. Fica uma dica para todos: É fato que se não houver preparo e planejamento no Trekking, a chance de correr alguma coisa errada é iminente. Aconselho a todos seguirem as orientações dos amigos mochileiros mais experientes acima (inclusive as que deixei em outros tópicos), são relatos e dicas interessantes e fieis ao cenário que se encontra comumente na Patagônia. No entanto, fazendo o "dever de casa" antes de partir e estando lá, diminui bastante os riscos, não precisa se apavorar, basta seguir as orientações com disciplina que tudo correrá bem. Todavia, desprezar as orientações e não segui-las a risca, literalmente, você estará pondo em risco tanto sua vida quanto a dos outros a sua volta. Uma ótima aventura a todos com muita positividade!!!
  2. willythorpe

    Torres del Paine

    Olá Mario Luc, A titulo de registro, um Miojo custa em média R$ 15 reais (quinze reais) no Refugio Chileno. As refeições estão com valores variados, porém você gastará em média R$ 80 reais (por refeição), foi o que gastei a duas semanas atrás desde o Refugio Grey até o Refugio Las Torres. Uma excelente aventura Willy
  3. Olá mochileiros, Uma boa alternativa é procurar passagens saindo de "Los Angeles" (como fiz da ultima vez que estive na ilha), ou saindo de Seattle, Portland. Dependendo do dia e horários os preços são muito bons pela Delta ou Hawaiian Airlines. A ultima vez que estive por lá foi em meados de Abril, eu sou suspeito para falar pois acho o Hawaii simplesmente indescritível, não esqueçam de colocar a ilha de "Maui" na rota Havaiana é de tirar o fôlego!!! Uma boa caçada de passagens a todos!!! Willy
  4. Boa noite Felipe, Também fiz esta mesma tentativa e vi que, não valia a pena a compra a distância. Fique tranquilo que você fará os trechos terrestres sem maiores complicações, há muitos mochileiros fazendo o mesmo, basta se comunicar que tudo dará certo. Uma ótima mochilada para você!!!
  5. willythorpe

    Torres del Paine

    Concordo com Alberto. Acabei de retornar de lá e durante o circuito Torres Del Paine, há muitas corredeiras com água proveniente das geleiras. Escrevi em um determinado tópico sobre El Chaltén que uma viagem pode encerrar justamente assim, tomando-se água contaminada e/ou alimentando-se com algo estragado. Presenciei alguns mochileiros pelo mundo afora, terminando suas jornadas desta forma. No entanto é uma escolha, ou leva-se muito peso (água) na bagagem, ou toma-se diretamente das corredeiras. Nesta minha ultima trip, tomei água das corredeiras e estou vivo rsrsrsrs Vi algumas pessoas também com duvidas sobre os acampamentos, principalmente o misterioso "Camping Francês". Da mesma forma, antes de ir eu tinha pouca ou quase nenhuma informação sobre este pouco falado camping. Então, ai vão algumas considerações sobre o mesmo, e em seguida algumas imagens comprobatórias: 1. A distancia entre o Camping Italiano e o Camping Francês não é tão pequena assim, adentra-se mata e há trechos íngremes. Para quem já encontra-se exausto provindo do Mirador Britânico por exemplo, o suposto "pequeno trecho" chega a ser torturante; ãã2::'> 2. O Camping Francês ainda está sendo construído, a sensação é como acampar em um verdadeiro canteiro de obra (muito barro, crateras, tratores e etc). Acredito que eles abriram ao publico antes de estarem realmente prontos para poderem antecipar capitação de recursos (esta é a sensação dividida inclusive com outros mochileiros de outros países que lá estavam comigo), pois tudo encontra-se em fase de construção; 3. Se eu fosse replanejar a minha rota, no trecho "Mirador Britânico -> Camping Francês" eu optaria em bivacar no "Camping Italiano", embora gratuito e com mais barracas e mais gente, o achei mais estruturado que o Francês e é claro, eu não precisaria adentrar o "suposto pequeno" trecho entre o Italiano e Francês, já exausto provindo do Mirador Britânico; 4. Resumindo: Acho que paga-se caro por um lugar escondido x distante que ainda encontra-se em estruturação. Eu acredito que daqui há um a dois anos o Camping ficará a contento pelo que se paga, porém neste ínterim de 01 semana para cá, ainda continua sofrível a estádia. Bom estas são minhas considerações de apoio, se precisarem de mais informações estou a disposição. Willy canastra.zip
  6. Olá Felipe, Também estava com esta mesma duvida, antes de embarcar, porém chegando lá descobri como proceder (acabei de voltar do circuito "Torres Del Paine"). Na chegada ao aeroporto de Punta Arenas há algumas vãs que levam rotineiramente os mochileiros para o centro da cidade, custa cerca de 3 mil pesos Chilenos. É seguro, não encontrei problema algum, entregam recibo e tudo o mais, pareciam ser carros oficializados. Converse com o motorista que ele lhe deixará bem próximo do hostel e/ou da empresa de ônibus que lhe levará a Puerto Natales. É tudo muito tranquilo e esquematizado, não vi problema neste percurso terrestre. :'> Todas as passagens de ônibus (tanto ida quanto volta) comprei com cerca de 2h de antecedência, nos próprios guichês das companhias de ônibus (sem mistério): Tem vaga eles vendem e você embarca, não teve vaga, aguarda-se o próximo ônibus. Ou você pode ir a uma companhia concorrente, todas ficam na mesma rua em Punta Arenas e saem praticamente em horários próximos. Na chegada a Puerto Natales você descerá na rodoviária principal, chegando lá há inúmeros guichês de companhias de ônibus com uma gama de horários para Torres Del Paine bem como para o próprio retorno a Punta Arenas. Os ônibus saem de lá mesmo e os hostels ficam a maioria bem próximos do local (fiz tudo a pé sem dificuldade) Obs: Atenção quanto ao retorno, pois vi muitos mochileiros desesperados para comprar uma passagem adequada ao horário do seu vôo em Punta Arenas, portanto planeje-se e se possível retorne a Punta Arenas 01 dia antes, para não perder o vôo de volta. Se precisares de mais alguma dica, estamos a disposição!!! Willy
  7. Saudações Humberto, Acabei de retornar de lá, aquela região é incrível Bom, quanto ao seu roteiro de Treeking embora puxado, acredito que você consegue... basta descansar e se alimentar bem entre os intervalos (bate e volta). Falando dos ventos!!! Caramba é muio forte mesmo!!! Semana passada e as semanas posteriores, estava e estão com previsão de muito vento, mas muito vento mesmo rsrsrsr Para você ter uma ideia nosso barco não conseguiu atravessar o Lago Viedma, tivemos que voltar em meio a uma tormenta com ondas gigantes provocadas pelo vento... Acredite! Parecia que estávamos em alto mar, o barco só não virou por que o capitão era muito experiente e não encontramos um Iceberg pelo caminho (muito comum naquela região)... depois de nossa tentativa todas as navegações foram encerradas... mas é isso mesmo... Patagônia é Patagônia Vi muita gente beber água dos rios e lagos nos trajetos... mas tenho uma regra nos meus mochilões e, uma delas é só tomar água mineral lacrada... pois sabemos que uma viagem pode terminar justamente desta foma (comendo ou bebendo algo contaminado). Já vi mochileiros ficarem na mão desta forma em outras aventuras. Como El Calafate e principalmente El Chaltén não possuem estrutura médica para socorro é bom pensar duas vezes. A unica vez que bebi água de correnteza, foi lá no topo da "Laguna de Los Tres" fora isso preferi não arriscar (levei um bom estoque de liquido para o percurso). Bom é isso, se precisares de mais alguma informação estamos por aqui !!!
  8. Acabei de retornar de El Calafate e El Chaltén... sinceramente, incrível... o lugar é fantástico Na tentativa de ajudar a responder algumas perguntas, eu acredito que ao levar Dolar numa cotação boa daqui do Brasil há maior ganho. Levei justamente uma mistura (Real, Dolar e Pesos) e no decorrer do mochilão, notei que o poder de compra era maior com "Dolar, Euro" do que com "Real, Peso". As outras moedas sofriam variações muito grandes no momento do cambio e, claramente perda na hora da conversão. Encontrei lugares que queriam oferecer desde (1 Dolar por 8 Pesos) a (1 Dolar por 14 Pesos). Atenção quanto as entradas dos parques que, não estão aceitando Dolar, muito menos qualquer tipo de cartão de credito e/ou Travel Money (prepare-se para levar Peso na entrada do parque, para nós Brasileiros custa em média 250 Pesos cada entrada). Interessante que muitos lugares em El Calafate não aceitam Travel Money e fica mais difícil em El Chaltén, bem como qualquer especie de cartão (Tarjeta). Claro que, há estabelecimentos que aceitam (como os supermercados por exemplo), no entanto leve sempre o valor em especie. Um dos meus companheiros de trilha, um mochileiro da Suecia (não foi o primeiro), teve dificuldade em sacar valores no unico caixa eletronico que há em El Chaltén, por pouco a viagem dele não termina ali. A dica é realmente levar Dolar tanto para El Calafate quanto para El Chaltén e quando encontrar um cambio interessante trocar a moeda americana por "Pesos Argentinos". Se precisarem de mais algumas dicas e orientações estou por aqui. Realmente o lugar é fascinante, maravilhoso. Embora eu tenha ido com uma semana de ventos muito fortes, valeu demais a pena !!! Muita paz a todos
  9. Olá Silvana, Bom, sinceramente em todos os albergues que passei, encontrei jovens de 8 a 80 anos. Realmente acho interessante você se informar antes, ligando ou trocando e-mails com à administração do albergue. Mas sinceramente acredito que, não há limites de idade. Na Alemanha, em albergues famosos como o "The Circus Hostel" percebi que, a faixa etária era de pessoas mais novas. No entanto acredito que tenha sido só uma conhecidencia. E não fique constrangida em perguntar, de forma alguma. Para os mochileiros experiêntes, sempre será um grande prazer ajudar =) tenha plena certeza quanto a isso.
  10. Saudações Psbaj, Gostei do serviço prestado pela StarPeru, apenas tome cuidado para realizar este pagamento (diferença) no aeroporto, pois não existe loja da Cia e sim um pequeno "guichet" no terreo, ao final do saguão de desembarque (é só seguir reto). Assim que chegar, procure de imediato e resolva a pendencia, pois normalmente a fila é imensa, haja vista que me pareceu um procedimento bem rotineiro da Cia neste sentido.
  11. Saudações viajantes, Esse é um dos problemas que ouço mais o pessoal falar aqui, o trabalho que dá para garimpar as informações. Mas essa é uma parte divertida, você acaba colhendo muitas informações legais, até mesmo de mochileiros que seguiram outros trajetos. Bom, Miami e Orlando são cidades grandes, com suas peculiaridades. Em ambas achei tudo muito longe, então pela minha experiência vale a pena alugar um carro para aproveitar mais. Achei o sistema de transporte urbano muito lento, principalmente em Miami que tem um transito pesado e os ônibus param literalmente em todas os pontos, fazendo com que a viajem seja morosa e cansativa. Novamente o carro será de grande utilidade quando voces forem visitar o "Cabo Canaveral". Sinceramente, tentei de tudo, de tudo mesmo para chegar a NASA sem alugar um carro, fazendo uso do transporte publico. Todavia já no aeroporto e na própria loja oficial da NASA, dentro do aeroporto de Orlando, as informações eram muito confusas, ninguém sabia informar como chegar a NASA partindo do aeroporto de Orlando via trem, ônibus ou seja lá o que for. Há sim uma possibilidade, pegar uma VAN que sai do aeroporto junto aos ônibus com destino "Disney World", não lembro ao certo, mas parece-me que é a parada 26 e 25. É cobrada a "tarifa simplória" de US 80 doláres por pessoa "On Way"... significa que a volta talvez o motorista pela segunda vez "meta outra facada" e lhe cobre uns US 200 dólares por cabeça para voltar, sinceramente para mim até hoje é uma incógnita. Tentei "pechinchar" por telefone com o dono da VAN mas ele foi irredutível e não queria me dizer quanto custaria a volta. Então eu aconselho comprar o ingresso pela internet no próprio site da NASA e alugar um carro, evitem dores de cabeça com esses espertinhos das VANs. Esse fato me lembrou muito, certa vez um taxista na Normandia que, me cobrou um absurdo para percorrer uns 15 km até a praia de Omaha, pois ele já sabia que os ônibus demoravam ou simplesmente não existiam. Até no primeiro-mundo, tão ovacionado por muitos, contamos com pessoas de "má fé". Qualquer coisa estou por aqui, um abração !!!
  12. Bom dia pessoal, TCBL, as dicas do pessoal são muito boas. Alguns lugares que, realmente, você não deve deixar de ir são principalmente em Santa Mônica, no Pier e, a rua dos artistas, muito legal mesmo, vale a pena. Quanto as baladas, por ser uma cidade muito grande, acredito que não vai faltar. Não coloquei "baladas" em minha lista quando estive por lá. Mas nos albergues por exemplo, encontrei muitas sugestões de noitadas em Santa Mônica e, em outras praias próximas. No próprio albergue havia muitos panfletos e, muitos eventos disponíveis no mural de informações. Alguem mencionou algo sobre "DownTown", sim vale a pena você ir lá durante o dia, pois a noite acredito que deve ser perigoso andar por lá, pelo publico que observei durante o dia transitando. Sinceramente, não vi muita coisa interessante no centro de LA. Se assemelha muito com o centro de Recife e São Paulo, lugar sujo, mal cuidado e bastante movimentado. A unica vantagem que observei, foi pegar o metrô na SubWay. Do centro você consegue chegar de metrô no coração de Hollywood sem maiores problemas. Qualquer duvida estou por aqui !!!
  13. Eu li algumas respostas e concordo com o pessoal. Não acho muito atrativo você ficar em New Jersey, a unica vantagem que eu vislumbro é o fato de ser próximo ao aeroporto, todavia nada que você não resolva pegando um ônibus na estação central, bem no centro de New York e, esteja lá em 40min. Fiz esse trajeto e achei tranqüilo. O único problema é fazer isso a noite, como eu fiz. Não aconselho, pois nas redondezas do aeroporto de Newark é extremamente esquisito. Caso você tenha que fazer a permuta de ônibus como eu fiz, faça durante o dia, fiquei mais ou menos 01h esperando um ônibus no meio do nada, já tarde da noite. Realmente, muito perigoso. Acho que vale a pena ficar em NY, há alguns albergues bem legais e seguros. Quanto ao aluguel de carro, sinceramente, acredito que em NY não vale a pena, se perde muito tempo com engarrafamentos. Apesar dos quarteirões ou "Block" como eles chamam lá... serem muito grandes, acredito que vocês conseguem fazer tudo a pé... e de metrô... é muito tranqüilo.
  14. Saudações pessoal, Voltei recentemente de uma mochilada pelas terras do "Tio Sam". E respondendo a pergunta do companheiro "Simbaro"... certamente, fica difícil escolher qual ilha é a melhor... acho que depende muito do que você procura. No entanto, achei Maui fantástica, pois é uma ilha que conserva um pouco mais a natureza do que as outras. Fiquei impressionado com os viadutos imensos de Honolulu. Notavelmente com uma infra-estrutura nada muito diferente de uma grande metrópole. Se você busca relaxar e, passar uns dias tranqüilos, com clima mais nativo. Deseja cruzar com a galera do surf que foi o meu caso... vá para Maui, você vai gostar. Um abração e qualquer coisa estamos pro aqui !!!
  15. Boa tarde pessoal, Bom, em nenhum momento eu fiz o pagamento de taxas adicionais no trecho Lima / Cuzco / Lima (via Star Peru). No entanto a informação procede quanto as diferenças tarifárias para Peruanos e estrangeiros. Conversando com um de meus guias em Lima, meu amigo Peruano Cristobal me informou que, os Peruanos pagam em torno de 50 Soles, próximo a 20 Dólares (por trecho) para ir e vir de Cuzco. Infinitamente mais barato que nós turistas. A unica taxa que achei estranha, durante todo o meu percurso aéreo, nas terras Peruanas, foi quando embarquei para o Brasil de volta. Houve uma taxa extra aeroportuária para embarque Internacional de cerca de U$ 100 Dólares. Ou pagava ou não embarcava no avião. Moral da história: "Gastamos 200 doletas nessa brincadeira" até hoje não sei se o valor foi para a TAM ou para os orgãos de aviação do Peru... mistérios =P Um abração a todos... Aloha !!! =D
×
×
  • Criar Novo...