Ir para conteúdo

rataiczyk

Membros
  • Total de itens

    39
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que rataiczyk postou

  1. Opa, eu estava mesmo querendo ir pra la (nunca fui, iria pra conhecer), mas não consigo chegar antes das 8h30. Vc ta pensando em fazer como? subir no sabado e descer domingo?
  2. Veja, como cuteleiro eu sou um ótimo churrasqueiro, então nao posso dizer com certeza por que eles fazem isso... Fato é que é possível eliminar as tensões com apenas um ciclo de aquecimento. o que eu imagino é o seguinte: ao se trabalhar mecanicamente o material, principalmente trabalhos de forjamento (marretadas), estamos deformando o material, e consequentemente "quebrando" os graos existentes. Isso gera tensoes. Ao se aquecer a peça até a temperatura de austenitização (mantendo a peça nesta temp por tempo suficiente), eliminamos as tensoes geradas, mas se não aquecermos a uma temperatu
  3. Exatamente, rafael. Fundamentalmente não tem muita diferença entre normalização e recozimento. A diferença é que no recozimento o tempo de resfriamento é maior que na normalização, pois na normalização busca-se um refino de grão. Poderiamos dizer entao que o recozimento é a linha A e a normalização é a linha C do diagrama. Mas a normalização não é necessária para o alívio de tensoes do desbaste e/ou conformação. Só pelo fato do material sofrer austenitização no processo da têmpera, ele altera toda a sua microestrutura, se rearranjando e assim já elimina as tensões, desde que a peça fiq
  4. Rafael, vc pode fazer o que você quiser com a peça (esmerilhar, amassar, cortar, etc). Isso obviamente vai causar tensões irregulares sim. Mas se normalizar depois não tem problema nenhum, não vai fazer diferença. Pode normalizar antes de trabalhar a peça, para facilitar o trabalho, pois o material fica mais macio. Para normalizar, basta fazer um processo semelhante ao da curva A, que eu citei anteriormente, ou seja, elevar ate a temperatura de austenitização, deixar la por um tempo até homogeneizar (deixa uns varios minutos sem dó), e resfria bem lentamente, pode deixar dentro do forno me
  5. Como o tópico não saia mais dos topicos ativos, resolvi dar uma olhada... Não sou tão aficcionado por facas como vocês, mas confesso que tenho um certo interesse nesse assunto. Vi algumas fotos dos trabalhos que alguns de vcs fizeram e fiquei impressionado... Pra quem se diz cuteleiro de fim de semana realmente as facas que eu vi ficaram muito bonitas. Mas resolvi comentar principalmente por causa das últimas conversas, que vcs falam de problemas com a têmpera, diagramas de fase, etc... Como sou engenheiro mecânico (na verdade não sou ainda, mas ta quase... não fosse a greve dos professore
  6. Então, to querendo ir pra aquelas bandas no corpus christi... Eu queria atravessar do cerro verde pro itapiroca. Mas como vai ser um feriadao, quem sabe dou uma esticada até o ciririca antes, hehehe. Alguém se arrisca?
  7. Como muitos sabem (e outros talvez não), a Fazenda da Bolinha, que dá acesso ao Cirirca, Tucum, etc, leva este nome devido a uma finada cadelinha que acompanhava os montanhistas nas trilhas. Mas isso já faz bastante tempo... No dia 25 de março deste ano, um domingo, eu e meu irmão resolvemos fazer um ataque ao Tucum durante a tarde, só pra dar uma descontraída a aproveitar aquela tarde livre. Pois bem, chegamos la com chuva e previsão de continuar a chuva por toda a tarde. Deixamos o carro, trocamos uma idéia com o proprietário da fazenda, e numa pausa da chuva, por volta das 13h30 iniciam
  8. Temos um impasse aqui! hahahah Quando eu disse que estava engasgado, não me leve a mal, é que eu disse uma coisa da qual tinha praticamente certeza, aí vc veio e disse outra, então fiquei com uma pulga atrás da orelha... Bom, realmente não é necessário ter tantos satélites para obter a posição, o que eu quis dizer é que o celular tem maior capacidade de processamento de informação, que pode ser vantagem em determinados casos, em outros não. E sabendo que hoje temos pelo menos 3 sistemas de satélites de posicionamento (o americano GPS, o europeu Galileo e o russo Glonass) em breve terem
  9. Olá Rafael, eu estava justamente pensando em criar um tópico desses... Bom, eu já usei o my tracks, e realmente ele é muito bom, e se não me engano não precisa desse procedimento todo que vc citou pois dá pra sincronizar ele com sua conta do google my maps que ele faz isso automaticamente. O problema, na minha opinião, é que em modo off line (sem internet) ele não carrega mapas, ou no maximo ele exibe o que está em cache. E além disso consome muita bateria, o que para uma trilha mais longa é ruim. Eu uso o OruxMaps, que pra mim é o melhor gratuito disponível hoje. Ele conta com mais r
  10. Não sei te dizer Otávio... Mas aqui no Brasil não tem! (nunca vi pelo menos)
  11. Aqui vai uma opção pouco conhecida no Brasil, mas que já é razoavelmente popular na Europa em razão do seu custo benefício: http://camp-france.fr/shop/sport/minima-1-sl.html E aqui um vídeo dela:
  12. Pois é Getulio, por isso cabe a cada um analisar suas necessidades... Como minhas lanternas e outros apetrechos não usam pilhas AA fico com o celular. E também se eu nao tivesse nem celular, nem gps, e tivesse que escolher um pra comprar, escolheria o celular, pois mesmo que tenha o gps na trilha acabamos por levar o celular tb por segurança. Quanto ao carregador solar, não é tão grande coisa assim realmente. Ele na verdade é uma bateria de maior capacidade que a do celular e permite carregar o mesmo umas 2 ou 3 vezes. Daí tem um painelzinho solar embutido que leva o dia inteiro (se tiver so
  13. Bom, já que a conversa pendeu pra esse lado, vou continuar a discussão aqui. Fazendo um comparativo com o Defy e o etrex vista hcx: Peso: Motorola Defy > 118g com bateria (bateria 32g, logo só o aparelho 86g) etrex vista hcx > 156g com bateria (cada bateria 25g, mas como usa 2 pilhas, total 50g, logo só o aparelho 106g) (considerando pilhas AA recarregaveis sony) O smartphone nesse caso leva uma pequena vantagem Duração da bateria Defy > 20 ~30h , com gps ligado, como eu citei anteriormente (dados que eu mesmo obtive na prática) etrex > 25h , dados do fabrican
  14. Então, tenho usado o smartphone justamente em lugares onde nem sonho em ter sinal de celular, como trilhas e travessias na região da serra do mar aqui no Paraná. O sinal do gps dele é excelente, e como o processador do smartphone é bem superior à um gps de uso amador (não digo os profissionais, de agrimensura, mas os pessoais estilo etrex da vida), ele consegue processar um maior fluxo de informação de uma vez, por isso acaba trabalhando com mais satelites de uma vez só, aumentando a precisão. O etrex vista por exemplo, se não me engano, é capaz de receber sinal continuamente de 12 satelites s
  15. Infelizmente eu não sei exatamente como resolver este problema.... Mas eu encontrei uma forma alternativa que me serviu perfeitamente: troquei o GPS pelo celular! Isso mesmo, troquei meu aparelho de GPS por um smartphone, mais especificamete o Motorola Defy. Aí vcs vão me dizer "vc é louco, vai detonar o celular na primeira trilha!", "vai molhar e vai estragar, vai cair no chão", "a bateria não dura nada", "mas o gps de verdade funciona bem melhor que o celular", etc, etc... O que eu digo? nada disso! Ele é feito pra aguentar porrada, e aguenta! já derrubei ele varias vezes, and
  16. Na verdade os mapas do ibge são projetados em coordenadas UTM, o que dá uma certa distorção (que depende de cada mapa), fazendo com que o norte geográfico seja um pouco diferende do norte de quadrícula. O norte de quadrícula é a direção das linhas verticais desenhadas no mapa apontando para cima. A diferença entre o norte de quadricula e o norte verdadeiro vem marcada na parte de baixo do mapa, e geralmente fica entre 0 e 3 graus. Não é muita coisa, mas dependendo da precisão da medida que se deseja obter e da escala do mapa, isso pode ser bastante significativo. Já o norte magnético,
  17. Galera... Fiz um esquema bacana aqui pra gente que, como eu, gosta de se aventurar pela região da serra do mar no Paraná (pico parana, ciririca, sete, canal e derivados). Como às vezes é bem difícil encontrar informações de qualidade sobre estes lugares (com exceção dos mais conhecidos como PP e canal por exemplo), fiz um grande apanhado de informações que fui adquirindo com muito custo ao longo dos últimos tempos. O resultado é que consegui mapear boa parte das trilhas da região, com tracklog e pontos de interesse (cumes, bifurcações, pontos de água e acampamento, etc). Alguns for
  18. rataiczyk

    Barracas CAMP

    Pessoal, recentemente comprei uma barraca CAMP Minima 2 na França por cerca de 130 euros. (no Brasil, além de ser difícil de achar, ela custa mais de 1000 reais! ). Acabei escolhendo ela pelo custo x benefício em relação às outras disponíveis naquele país. Vou postar aqui a minha primeira impressão sobre ela, já que não tive oportunidade de testar ela pra valer ainda! Características: Barraca para 2 pessoas, 3 estações. Compacta e leve. Peso total incluindo teto de cobertura, varetas e estacas: 1,9 kg. Com o kit de reparos e os sacos para transporte chega nos 2kg. O saco para transp
  19. rataiczyk

    Barracas QUECHUA

    Existe a T2 ultralight e a T2 ultralight PRO (assim como acontece com a T3 e T4). Sei que a PRO é mais cara, então talvez por isso tenha encontrado esta diferença. A T2 ultralight pesa 2,9kg e tem mais espaço interno que a T2 ultralight pro, que por sua vez pesa 2kg. A ultralight é tipo iglu, enquanto a PRO é tipo túnel. A PRO tem o problema de ser dificil de esticar corretamente o sobre-teto, tem que fazer uma adaptação nele e colocar mais duas alças ou coisa parecida pra prender o meio da base dele no solo e afastar do forro interno, mas fora isso é uma boa barraca. (mas como a maior
  20. rataiczyk

    Barracas QUECHUA

    450 litros/h/m² é o equivalente a uma coluna 4,5 dm (ou seja, 450 mm) de chuva numa área de 1 m² a cada hora mesmo... bem pouco Tentando esclarecer um pouco sobre estes dois métodos para teste de impermeabilidade de barracas: Quando falamos de mm de coluna d'água, estamos tratando da pressão da água sobre o tecido da barraca. Por exemplo, se uma barraca aguenta 2000mm de coluna d'água significa que o tecido dela aguenta uma pressão equivalente a uma coluna de água de 2 metros de altura sem vazar. O problema é saber com qual pressão os pingos de chuva vão bater sobre a barraca quand
  21. Na França, próximo a Compiègne, tem a clareira do armistício (clairière de l'armistice), em meio à floresta de Compiègne, onde foram assinados os armistícios das duas grandes guerras. Há um memorial onde ainda existem os trilhos e o vagão do trem (ou uma réplica, não sei bem certo) em que isso isso aconteceu. Na região ainda é possivel encontrar algumas ruínas de trincheiras utilizadas na primeira guerra, próximas ao Château d'Offemont Não deixaria de visitar também Auschwitz, ou Oświęcim, em polonês, que é o nome certo da cidade. Dá pra ir de aviao até Cracóvia e de lá pegar um tr
  22. rataiczyk

    Mochilas QUECHUA

    Acabei de voltar de uma viagem de 20 dias na qual usei uma quecua 40l. Foi lotada, mas deu conta do recado. Levei ate um saco de dormir. Mas tem um problema: ela é bem menos confortavel que uma symbium por exemplo. Se vc for carregar bastante peso isso pode ser incômodo, principalmente na bacia, que fica em contato com a barrigueira. Recomendo vc dar uma olhada em uma 50l, se vc acha a de 60 muito grande.
  23. rataiczyk

    Mochilas QUECHUA

    Ola pessoal, Moro faz um ano na França, em razão de um intercâmbio de estudo, e por aqui é muito popular a prática da “randonée”, ou trekking. Em razão disso é bem fácil encontrar equipamentos bons para essa prática, seja de marcas conhecidas e famosas ou não. E por aqui existem muitas marcas que o pessoal costuma falar mal, mas na verdade elas não são tão ruins assim. O que acontece é que são marcas "populares" por causa do preço, aí sempre tem os chatos que ficam botando defeito. Um bom exemplo é a Quechua, comercializada pela Decathlon. Tenho muitos produtos dessa marca, em razão de seu
  24. eu fiz uma viagem assim saindo de Paris na verdade, mas foi da seguinte forma: De Paris para Praga de Air France (tava em promoção na época). Cidade muito bacana, com diversas coisas pra visitar e sair a noite e relativamente barato. De praga para Budapeste de trem em torno de 30 euros, (da pra comprar passagens por este site: www.czech-transport.com, qualquer dúvida mande uma pergunta pro email de contato deles, em inglês. comigo foram bastante atenciosos). Foi a cidade que eu mais gostei e quero voltar la para passar uns 10 dias, afinal tem muita coisa pra se fazer e sem gastar muito
×
×
  • Criar Novo...