Ir para conteúdo

Wyllo

Membros
  • Total de itens

    47
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Wyllo

  • Data de Nascimento 14-10-1980

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Olá galera da aventura. Gosto DEMAIIISSS desse fórum mais devido ao trabalho não tenho tido tempo para participar como eu gostaria. Aproveitei um domingo de muito Sol para mostrar minha namorida que Nova Iguaçu não tem apenas shopping. Fomos fazer a trilha do Parque Municipal de Nova Iguaçu na Baixada Fluminense. Bom, como meu caidinho tava na oficina o jeito foi ir a pé, soltamos na estação de Juscelino e fomos andando, andando, andando e andando, mas tudo bem, afinal ela tava muito animada. Logo na entrada do parque tiramos uma foto. depois fomos ver a represa, mui bela, são 13 metros de profundidade. O problema foi quando eu fui mostrar pra ela uma gibóia em cima da árvore, pra ela o passeio acabou ali mesmo rsrsrs fazer o que se eu sou do mato e ela é da cidade. Depois que conheceu a cachoeira a tensão acabou e voltou a animação. Muita gente não conhece esse lugar, apesar de ficar bem no centro de Nova Iguaçu, em pleno domingo de muito sol se vimos 10 pessoas foi muito. Perto dessa cachoeira existe um mata-fome que vende petiscos e refri. Apareceu alguns miquinhos e aproveitei para tirar fotos. Olha eu ai no Casarão Cachoeira Véu da Noiva Resolvi pegar outra trilha na volta, e mostrar a pedreira, ela ficou encantada. Indo em bora. Pra quem não conhece o PMNI, pode ir que vale muito apena. Lugar é fantástico e muito bem preservado. Amplexos
  2. Wyllo

    Camocim

    Ainda mais quando encontra sua "alma gêmea" que foi o caso dele, mais acabaram terminando e nesse meio tempo ele arrumou um emprego na Grandene e é o que segura ele lá. Bye Wyllo
  3. Pois é, aqui no fórum tem até um tópico classificando esses tipos de "Amigos". É até engraçado. guia-para-escolher-seu-companheiro-de-montanha Eu fiquei quase um mês pesquisando e me preparando para essa viagem, já havia alertado aos dois sobre os percursos, e toda a aventura, trexos que não seria fácil e etc... E definitivamente é para quem se sente a vontade quando está no meio do mato. Eles já me conhecem a muitos anos e sabem o tipo de aventureiro que sou, eu dormi feito uma pedra ao lado de um monte de cobras, enquanto eles ficaram a noite toda acordados. No dia seguinte eles me disseram que eu confio muito na mata, não é assim, nós que gostamos de trilhas, principalmente as mais selvagens, estamos na chuva é pra se molhar. Eu só me divirto quando estou perdido e urubus começam a sobrevoar a minha cabeça. E havia avisado que só iria desistir em caso de acidente ou imprevistos graves. Eles desistiram porque não estavam aguentando caminhar pelas trilhas, morrem de medo quando a noite chega e ainda estão na trilha, não estavam aguentando carregar 10 kg na mochila, ficaram desesperados quando nos perdemos em Santo Antônio X Caxadaço, passamos duas noites juntos e eles não durmiram e etc... Então eu resolvi continuar sozinho. Obrigado! Bye Wyllo
  4. A cobra é o terror das trilhas rsrsrs...mais o que mata milhares de pessoas mesmo é o mosquito e ninguém tem medo. As cobras peçonhentas, se voce não for brincar com elas, ela irá fugir, mais se for incomodadas, ficam enrroladas em posição de ataque. As cobras não peçonhentas costumam fugir sempre, mesmo sendo incomodadas. Bye Wyllo
  5. Estarei indo para a Reserva de Tinguá dia 30 com meu irmão, pretendemos passar duas noites, ir no sábado e voltar na segunda. O camping é selvagem próximo a cachoeiras. A última vez que eu estive lá foi em 2003, quem tiver afim de cia é só falar. Bye Wyllo
  6. O único perigo que eu vejo é voce pisar acidentalmente em uma cobra, isso pode ser bem amenizado utilizando um bastão de caminhada. Fora isso pode ficar despreoculpado pois assim que ela sentir as vibrações de sua caminhada ela irá se esconder. A cobra utiliza o veneno para se alimentar, ela não tem intenção nenhuma de gastar o veneno dela atoa em algo que ela não poderá comer, além do medo que ela sente ser maior que o seu, imagine se voce fosse uma cobra e desse de cara com uma pessoa, voce não ficaria com medo? Qual foi o dia em que voce viu uma cobra preseguindo um homem? Em minha última caminhada eu vi 11 cobras, 1 jaguatirica e 2 aranhas. Isso porque eu estava sozinho então minha atenção foi redobrada, caminhava olhando com bastante atenção para a mata em volta de mim, e qualquer barulho eu ia verificar. O problema é que voce acaba ficando paranóico e sentindo medo. No entanto o perigo existe, e se eu fosse picado por uma cobra peçonhenta eu não saberia como agir. Certamente eu iria mata-la ou, o que é mais fácil, tiraria uma foto para saber qual o tipo de soro que eu deveria tomar, eu iria lavar o ferimento, tentar manter a calma, eu iria ligar para os bombeiros e para minha família, e se eu conseguir suportar a dor eu iria procurar ajuda. Acho que é isso que eu faria. Aqui tem algumas dicas: http://www.butantan.gov.br/perguntas.htm Bye Wyllo
  7. Fala André, Essa é a cortada clássica para quem vai fazer a volta, o problema é que voce deixa de conhecer algumas praias. Realmente me serviu como experiência, pois eu acredito que o pior é ir para Lopes e de lá ir para Dois Rios, o restante me pareceu ser bem mais tranquilo. Foram dois colegas comigo, reclamando o tempo todo, do peso, dos mosquitos, de está cansado, andavamos cinco minutos e paravamos 20 minutos para descançar. Saimos de Abraão as 10 da manhã e chegamos em Lopes Mendes as 6 horas da noite. Ou seja, levamos 8 horas para percorrer um percurso que demoraria 4 horas. Pô cara seria uma boa mesmo, dependendo das condições eu vou. 30 conto a diária com café e almoço tá bom pra caramba, a festa junina será em julho o único problema é o clima que é muito frio. Com certeza eu vou fazer a volta na ilha grande, agora é uma questão de honra rsrsrsrs Um abraço Bye Wyllo
  8. Na trilha Dois Rio x Parnaioca já tem uma clareira pronta com banco e lugar para fogueira/fogareiro. Santo Antônio X Cachadaço também possui o mesmo. Acampei sem problemas. Em Dois Rios tem guarda florestal. Bye Wyllo
  9. Olá galera vou relatar os 4 dias que passei na Ilha Grande, numa tentativa de fazer a volta completa na Ilha no sentido inverso. Eu estava com mais dois colegas, que acabaram desistindo no 2° dia. Aventura na Ilha Grande - Parte 01 Chegamos muito tarde ao cais de mangaratiba, e a barca já havia partido, a solução foi negociar com barqueiros, então conseguimos fechar o translado por 10 reais, normalmente eles cobram 25 reais por pessoa, turistas estrangeiros eles custumam cobrar 35 e só falam o valor da passagem depois que estão navegando, então abra o olho. Por outro lado as barcas, mesmo elas sendo demoradas, só elas oferecem garantia, ticket, o valor correto da passagem independente da pessoa, então é bem melhor. Cais de Mangaratiba Igreja no centro de Abraão Aventura na Ilha Grande - Parte 02 Chegamos em Abraão por volta das 10 horas da manhã e fomos direto para a Trilha 10, é uma trilha de nível médio, bem movimentada e exige um bom preparo físico, normalmente demora 3 horas para percorrê-la, no entanto demoramos 5 horas, pois um dos meus colegas alegou que a coluna estava doendo, então além da minha mochila tive de carregar a dele também, eu ia na frente sozinho, escondia minha mochila no mato e voltava para ajuda-lo. Tudo isso para chegarmos logo ao destino. Chegamos na praia do Pouso às 3 horas da tarde, fizemos o nosso almoço e aproveitamos um pouco a praia. Saimos de lá por volta dás 5 horas da tarde em direção a Lopes Mendes. Praia Brava Aventura na Ilha Grande - Parte 03 Chegamos em Lopes Mendes por volta das 6 horas da noite, eu avistei uma fogueira na areia da praia e me aproximei, acabei sendo recebido por um Pit Bull, logo peguei meu bastão e ameaçei o cachorro, depois chegou uns 5 surfistas, a fogueira era deles e o cachorro também, eles já estavam indo embora, então usamos a fogueira deles, e nos informamos onde podiamos conseguir água, e só iria encontrar água no final da praia, cerca de 1 hora de caminhada (ida e volta), em uma casinha com cerca de madeira em volta, tem um balanço de pneus, ah é a primeira casa que voces encontrarem, só existe ela mesmo ali rsrsrsrs. Armamos a barraca, começou a chover, fui até a essa casinha buscar água para fazer a comida, jantei e fui logo dormir, afinal estava exausto. O meu colega que estava alegando dores na coluna ( lembra ), ficou zuando, bebendo e se drogando a noite inteira. E não deixou ninguem dormir direito. No dia seguinte, 5 horas da manhã, eu acordei eles para desarmar a barraca, já que a guarda florestal iria passar por ali. Não deu outra, os guardas nos perguntaram se haviamos acampado ali e eu disse que acabavamos de chegar. Mais os guardas não são bobos e perceberam, nos deram uma bronca e foram embora. Novamente fui buscar água naquela casinha para fazer o café da manhã, andei cerca de 1 hora e quando eu volto encontro os meus colegas dormindo, nem ao menos tinham arrumado as suas próprias mochilas, lavado as panelas, limpado a fogueira e o local onde acampamos. Fiquei com muita raiva, no entanto não reclamei, quando eles acordaram o café já estava pronto e o local todo limpo, pronto pra partir. Saimos de Lopes Mendes por volta das 10 horas da manhã. Nossa intenção era ir em direção a caxadaço, pegamos a trilha errada e saimos em Santo Antônio, mais foi bom, é uma bela praia e assim como Lopes Mendes também é movimentada. Já em Santo Antônio, fizemos nosso almoço e curtimos um pouco a praia. Ah, não faça como nós, não beba da água de um rio ali próximo, vá em direção ao lado esquerdo da praia pelo costão que voce encontra água. Infelizmente eu só fiquei sabendo disso depois. Ah, nesse trageto o que não faltou foram gringos nos pedindo informações, é claro que ajudavamos, ou melhor tentavamos ajudar, até escrever na areia escreviamos. Muito engraçado. Partimos de Santo Antônio por volta das 4 horas da tarde, voltamos pela mesma trilha até encontrar uma fita branca, ali é o caminho para caxadaço, seguimos por ela até que a trilha sumiu, subimos e achamos a trilha, anoiteceu e não estavamos nem na metade da trilha, meus dois colegas ficaram apavorados. Essa trilha já é difícil durante o dia imaginem a noite. Nos perdemos e ficamos rodando pela mata na esperança de encontrar a trilha, não encontramos então a solução foi acampar. Estavamos perdidos no meio da mata, nada de clareira e cobras por todo lado, inclusive nas árvores, montei minha barraca em um declive e dormimos com fome. O medo deles era tanto que entraram para dentro da barraca e não sairam mais, lanternas ligadas durante toda a noite. Não queriam sair da barraca para colher lenha. Então eu alertei que uma fogueira era necessário para manter os animais afastado das barracas, e eles usaram o fogareiro a noite inteira. Conclusão, ficaram sem pilhas e sem gás. No dia seguinte os dois resolveram voltar, então tive de continuar sozinho. Houve uma discurssão, pois a carga estava dividida nas tres mochilas e eles não queriam deixar a comida comigo, visto que eu ia continuar sozinho. E lembram que eu negociei com o barqueiro o translado? Então, eu paguei 30 reais, referente a passagem de nós 3, e ficou combinado deles pagarem a volta, então pedi o dinheiro e eles não me devolveram. Conclusão, me deixaram sozinho, sem comida e sem o dinheiro pra mim voltar. Que amigos hein... Então continuei, até que encontrei a trilha, e uma clareira com uma trifurcação. Tentei a trilha mais aberta e acesa, só que não deu em lugar algum, voltei e peguei a trilha correta. Passei direto por Caxadaço e cheguei na Trilha 14, dei um beijo naquela placa e sentei na pedra ao lado para descançar. rsrsrs Na Trilha 14 (estrada) toda hora passa alguém caminhando, de bicicleta ou de carro. Passou uns surfistas e me perguntaram como estava a praia de Dois Rios, eu respondi que eu estava vindo de Lopes Mendes e que ainda estava indo para Dois Rios, eles me chamaram de doido, e falaram que um turista se perdeu ali e até hoje não encontraram. Daí eu segui em direção a Dois Rios com eles, e fomos conversando. Eles me perguntaram para onde eu estava indo e falei que ia para Parnaióca, eles ficaram surpreso, pois de barco demora quase 3 horas imagine caminhando. Caminho para Lopes Mendes Restaurante flutuante Camping Lopes Mendes Aventura na Ilha Grande - Parte 04 Cheguei em Dois Rios e fui recepcionado por um guarda florestal, perguntou o meu nome e para onde eu estava indo, depois fui até o presídio da Ilha Grande, com um último suspiro do gás, eu consegui cozinhar um miojo e depois tentei telefonar para casa em um orelhão em frente a uma faculdade. Depois, fui em direção a Trilha 16. Vila Dois Rios Aventura na Ilha Grande - Parte 05 Na parte 05, eu mostro um pouco da trilha 16, passei pela Gruta da Cinzas, uma figueira enorme. Meu joelho começou a doer muito, começei a caminhar mancando, puxando a perna. Anoiteceu e aproveitei para acampar em uma clareira com banco feito de tronco e resquicio de uma fogueira, com muita dificuldade arrumei lenha, pois estavam todas molhadas devido a chuva, mesmo assim ainda consegui fazer um arroz e um macarrão com legumes e salsicha. Macacos por todo o lado e dando gritos capaz de deixar qualquer um assustado, mais isso não me incomocou, o que estava me incomodando era a dor no meu joelho. Devido ao cansaço dormi feito uma pedra. Aventura na Ilha Grande - Parte 06 Ainda na T16, continuei até Parnaióca, meu joelho não estava mais aguentando, meu tênis rasgou a sola, não tinha mais comida, não tinha gás e muito menos lenha seca . Então fui obrigado a voltar para Dois Rios. Uma grande decepção. Aventura na Ilha Grande - Parte 07 Na volta, devido as minhas condições o ideal seria seguir pela Tilha 14, pois ela corta caminho, nela eu consegui filmar uma cobra, e pelas caracteristicas, cabeça triangular e cauda fina, era peçonhenta. Aventura na Ilha Grande - Parte 08 Nesse vídeo eu faço um resumo da tragetória, mostro a Gruta de Nossa Senhora de Aparecida e finalizo com algumas dedicatórias e agradecimentos. Infelizmente não foi possível fazer a volta completa pois surgiram diversos problemas, como a falta de gás, o tênis não aguentou e rasgou, meu joelho estava doendo muito, pouco dinheiro, os dois colegas que foram comigo não estavam na mesma sintonia do companherismo, um deles morria de medo a noite e nem ao menos sabia montar a barraca, levei 22 kg entre comida, roupa e equipamento, ou seja muito peso desnecessário, entre outras coisas... Poderia ter sido melhor, mais eu me diverti, conheci lugares maravilhosos, e me serviu como experiência para uma próxima tentativa. Obrigado a todos pelas dicas. Bye Wyllo
  10. Esse trecho onde tem uma corda, é onde colocaram presa em uma rocha para quem passar não escorregue? E no sentido que voce fez logo depois voce passa por dentro de uma caverna? Se for, eu fiz esse trecho durante a noite. O problema ali é que voce dá de cara com uma faixa vermelha, indicando que o caminho não é por ali, então a trilha faz uma curva muito sinistra te obrigando a escalar um pequeno morro de barro. Mais eu gosto desses tipos de trilha, infelizmente eu estava com a companhia errada. Um dos meus colegas ainda chegou a comentar que poderia esta em casa na sua caminha quentinha e com a esposa dando-lhe comida na mão. Eu achei o cúmulo. Só não foi um completo desastre porque me serviu de experiência para a próxima. Não cheguei em aventureiro, conheci apenas as praias do pouso, brava, mangue, lopes mendes, santo antônio, dois rios e parnaioca. Bye Wyllo
  11. Sim, sai da "trilha" em direção aos costões na finalidade de tentar passar por eles e me localizar, a única coisa que consegui foi ver mais costões e a praia de Lopes Mendes bem lá no fundo. No entanto era muito ingreme, escorregadio, não tinha como passar, as ondas muito fortes daí eu preferi não me arriscar. Foi isso que eu fiz, mantive o horizonte sempre a minha esquerda e segui em frente. Não tem erro! Saimos por volta de umas 4:30 hs da tarde de Santo Antônio, quando começou a escurecer estavamos ainda na metade da trilha, tentamos caminhar durante a noite mais acabamos nos perdendo, daí acampamos e pela manhã do dia seguinte começamos a caminhar, meus colegas não quiseram continuar e voltaram, então segui sozinho logo depois me deparei com uma trifurcação. Bom, sempre quando isso acantece eu dou preferência a trilha mais aberta e acesa, acabei chegando em uma clareira, com sinais de que alguém passou vários dias ali, então voltei e peguei a outra trilha mais apagada. Caminhei por ela até a T15 por cerca de 30 minutos, passei direto pela praia de cachadaço e nem percebi. Foi a trilha que mais passei sufoco, o restante é tranquilo. Eu fiz o relato em vídeo, vou jogar no youtube daí eu coloco aqui. Não entendo muito de cobra, uma coisa que eu sei é que se ela for muito colorida é porque é venenosa, e essa do vídeo era toda preta só na cabeça dela que tinha umas cores vermelha. Não sei nem que tipo é, se alguém souber diga ai. Um abraço cara, e obrigado novamente pelas dicas, infelizmente não consegui dá a volta completa na ilha, meu tênis rasgou e meu joelho não aguentou. Mais não desistirei. Bye Wyllo
  12. Tomar cuidado com o ínicio, meio e fim dela. Me perdi 3 vezes e dois colegas que foram comigo acabaram desistindo por conta deste trexo e eu tive que continuar sozinho. Quando a noite chegou ainda estava na metade da trilha e tive que acampar em um local nada agradável, ao lado de um ninho de cobras, a menorzinha tinha uns 2 metros e a maior tinhas uns 3,5 metros. Além de alguns minutos antes ter visto uma jaguatirica negra. Por conta do cansaço, dormi igual uma pedra, os animais não me atrapalharam em nada. No dia seguinte, ja descançado continuei a caminhada, passando direto por cachadaço e chegando a T14, muito aliviado por sinal. Parei para descansar em uma pedra na T14, nisso vinha alguns surfistas e me perguntaram como estava a praia, eles estavam se referindo a dois rios, quando falei que estava vindo de lopes mendes eles me chamaram de maluco. E me disseram que meses antes um turista se perdeu na T15. Veja uma das mais de 10 cobras que vi por lá, só não filmei as outras porque a trilha estava muito fechada, então eu guardava a câmera dentro da mochila, até tirar a câmera da mochila e começar a filmar, a cobra já tinha sumido. Bye Wyllo
  13. Beleza... Este cientista simulou uma situação comum no meio rural. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-41522005000100002&lng=pt&nrm=iso E o resultado se mostrou 100% eficaz... Olha a cor dessa água... Agora, a utilização desse método em uma companhia de saneamento, ai já não sei. Bye Wyllo
  14. Wyllo

    Camocim

    RSRSRSRS Um dia meu irmão foi mochilar em fortaleza, vai fazer 3 anos que ele está vivendo numa república em Camocim. Quem tiver indo pra lá e não tiver lugar pra ficar, fala comigo, que eu falo com ele. Eu tenho uma casinha que comprei em fortaleza, mais não tem como receber ninguém lá, precisa de reforma. Depois que eu reformar eu alugo para os mochileiros, rsrsrs... Bye Wyllo
×
×
  • Criar Novo...