Ir para conteúdo

renatomayer

Membros
  • Total de itens

    58
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que renatomayer postou

  1. Tudo bem Paulo? Creio que o glacial Perto Moreno seja o passeio mais "imperdível" de El Calafate, e realmente vale a pena. Mas, creio que 6 dias é muito tempo para ficar em El Calafate. Divide um pouco esse tempo de estadia com El Chaltén, vilarejo muito aconchegante aos pés do monte Fitz Roy, com diversas e belíssimas opções de caminhada. Veja se esse tipo de atividade o agrada. Se sim, vale muito a pena ficar até mais dias em El Chaltén. O hostel "pioneros" é excelente e com o preço justo, mas tem que reservar com uma certa antecedência para garantir. El Chaltén fica a 3h de ônibus de El Calafate. Abraços
  2. renatomayer

    Aconcágua

    Respondendo a pergunta do Carlos Renan, para fazer o trekking da entrada do Parque até a Laguna de Horcones não é necessário pegar visto em Mendoza, o visto só se aplica quando vamos adiante disso (há uma ponte indicando o "fim de sendero", daí em diante só com visto mesmo...). Caso queira ir até confluência ou outros acampamentos adiante (plaza de mulas, plaza francia, etc...), aí sim seria necessário pelo menos o visto "short trekking" (3 dias), "long trekking" (7 dias) ou "ascenso" (21 dias).
  3. Boa tarde pessoal!!! Tudo bem? Estou a procura de uma barraca para substituir minha Artiach 4 estações que comprei em 2007 (ela foi muito bem usada mas sua vida útil acabou, e infelizmente a marca não existe mais...). Fiz Aconcagua, Torres del Paine e El Chaltén com ela, vai!!! deixar saudades!!! Agora pergunto a vocês: Quais as melhores barracas 4 estações (e com melhores preços) que vocês consideram ideais para novas empreitadas? Sempre faço minhas expedições sozinho, então uma barraca para 1 ou 2 pessoas é suficiente... Pretendo fazer uma nova expedição ao Aconcagua, provavelmente no final de 2016... Abraçosss!
  4. A cidade mais próxima de Torres del Paine é Puerto Natales, com diversas opções de hospedagem e saídas regulares de pnibus para lá... Caso tenha interesse em assistir, fiz este vídeo com a minha viagem para lá, possui todos os trechos do circuito completo O, além de um pouco de Puerto Natales e Punta Arenas. Já estou com vontade de voltar para lá:
  5. Bom dia galera! Demorou demais devido a problemas técnicos (e falta de habilidade em programas de edição de vídeo) mas finalmente disponibilizei um vídeo com o circuito completo feito no relato rs!!! No final encaixei também a Isla Magdalena! Edição bem amadora, sejam compreensivos por favor Rsrs! Segue o link do YouTube: Abraços!!!
  6. Obrigado!!!! Sem dúvida ir sem expedição é uma experiência única!!! Você foi para lá? Se foi, fez algum tipo de relato ou postou fotos em algum lugar? Estou buscando inspirações para uma nova investida... quem sabe até o cume? Abraços
  7. Olá, Resposta um pouco tardia, mas... Fui de ônibus, pela Aerolíneas... Mas, em 2007 fiz uma viagem até Mendoza de ônibus, de São Paulo até Buenos Aires fui pela Pluma e paguei R$200, e de Buenos Aires até Mendoza paguei em torno de R$60 pela empresa "Cata"... Isso tudo em 2007... Mas muito cuidado com os roubos no terminal rodoviário de Buenos Aires (Retiro), cheio de ladrãozinho por lá, deu sopa eles te levam uma mochila, levaram uma minha nessa viagem... hehehe! Abraços,
  8. Fala aí Thiago, Sem dúvida é um dos melhores trekkings da América do Sul, principalmente se for feito completo, passando pelas partes menos exploradas do parque... Que bom que os relatos ajudaram, também fiz essa viagem me baseando em um relato, e logo quando retornei tratei de escrever esse relato... Já se passaram quatro anos, acho que é hora de pensar em repetir essa travessia... Essa vale a pena! Abraços,
  9. Olá, Para o icetrek você usa sua própria bota, mais os crampons. Sim, com certeza sua vestimenta é suficiente para aguentar o frio dessas visitas... Tranquilo! Abraços
  10. Olááá Vanessa! Torres del Paine sem dúvida é uma ótima escolha! Fiz o circuito completo "O" anti-horário em 2009. Foi minha primeira experiência em travessias, fiz sozinho, sem alugar nada, acampando, e sem contratar guias, e foi uma experiência maravilhosa! Como foi minha primeira, passei alguns sufocos mas no final deu tudo certo! rsss Olha... Posso dizer que dá para fazer sim o circuito completo, ainda mais se você vai fechar um pacote, aí dificilmente você terá algum problema grave... Recomendo o completo! Fiz um relato aqui no Mochileiros sobre a minha experiência no circuito completo, tam bastante informação e algumas fotos, e no final eu coloquei algumas dicas importantes para quem está indo pela primeira vez! torres-del-paine-circuito-o-completo-marco-2009-t32955.html Boa sorte!
  11. Pessoal, Para quem planejava ir conhecer o parque Torres del Paine nestas férias e ainda não foi, e para todos no geral, uma notícia realmente triste: Um incêncio de enormes proporções, provocado acidentalmente por um turista, tomou conta de uma boa parte do Parque, atingindo em cheio os principais pontos dos tradicionais circuitos "O" e "W". O incêncio ainda não foi controlado e já consumiu mais de 11000 hectares. O parque está oficialmente fechado agora, e assim permanecerá pelo menos até o final de janeiro. Informações atualizadas podem ser encontradas no twitter: http://twitter.com/TorresPaineCom Não tenho nem palavras para expressar o quanto fico triste com essas notícias e com as imagens e vídeos do parque devastado pelas chamas. Obrigado,
  12. Olá pessoal, TDP foi eu primeiro grande trekking; nunca havia acampado dessa forma anteriormente, e deu tudo relativamente certo; só um descuido ou outro me colocou em situações um pouco mais tensas, mas nada absurdo... Fiz o trekking completo "O" anti-horário, e recomendo ele, pois ver o glacial Grey por cima é algo surreal! São cerca de 8 dias para completar este trekking... E foi inesquecível! Fiz um relato bem detalhado, talvez tenha alguma informação útil nele...rs, além das fotos! http://www.mochileiros.com/torres-del-paine-circ-completo-04-03-2009-a-12-03-2009-t32955.html Abraços
  13. E aííí tudo bem? Quanto a El Chaltén você consegue mapas (e informações úteis sobre clima, etc...) com os "guarda-parques" logo na entrada da vila (a parada é obrigatória quando vamos para lá de ônibus), e no centro de informações turísticas (na rodoviária) há alguns mapas também... Quanto a isso não precisa se preocupar... Mapa é o que não falta por lá! Boa viagem... Abraços,
  14. Oiiii tudo bem? Valeeeu! E aí, como foi de viagem? Conseguiu conhecer um pouco de El Chaltén^? E TDP? Fez algum circuito? TDP foi meu primeiro grande trekking, achei o lugar inesquecível! Já Ushuaia... ainda falta no meu currículo de viagens... rs! Abraaaaços!
  15. E aí Bayerl, tudo bem? Muuuuito bom o seu relato, parabéns! E fico muito feliz de saber que o meu relato serviu para ajudar a inspirar essa viagem... E é sempre bom mantermos os dados atualizados, já vi que preço do camping subiu em 2011... rs! Sem dúvida o lugar é inesquecível, e lendo o seu relato já me deu vontade de voltar lá (quem sabe daqui alguns anos?) . Que bom que vc não pegou o pântano no pior estado... kkk eu não tive essa sorte! E o clima então, como muda rápido! Abração! Agora vou ver as outras fotos que você tirou... Renato
  16. Hummmmm o meu palpite é de que eles compraram no refúgio... Aliás essa foto do vinho "Gato" também me trouxe boas recordações, eu comprei um igual no refúgio Grey, por um preço razoavelmente bom... Mas eu estava tão cansado que dei dois goles e peguei no sono quase que instantaneamente! hehehe Dientes de Navarino? Hummm interessante heim!
  17. Olá alxnd! Parabéns, suas fotos ficaram ótimas! Me fizeram lembrar de cada um dos dias em que fiz o circuito completo, em 2009... inesquecível! Sem dúvida vale muito mais a pena fazer o completo, caso os dias sejam suficientes... A área mais isolada do parque, e a vista do glacial Grey é imperdível! Abraços
  18. Seguindo recomendações de pessoas viajadas nessa região e vendo também alguns relatos e fotos, resolvi dedicar meus escassos dias de férias no final de janeiro/2011 para conhecer essa região da Patagônia argentina: El Calafate, famosa por estar próxima ao imenso glacial "Perito Moreno", e El Chaltén, meu destino principal, também conhecido como a capital do trekking argentino, destino de muitos amantes da natureza das mais variadas idades, de diversos países e de vários estilos de vida diferentes. 24/01 - Maratona São Paulo - El Calafate Aproveitar as passagens aéreas com preços mais em conta requer algum sacrifício a mais. Saí de São Paulo no final da tarde do dia 23 para chegar as 9 da noite no aeroporto de Buenos Aires. De lá peguei um transfer até o aeroporto de Ezeiza onde passei a primeira noite, no meio de pernilongos e muito barulho, para finalmente pegar meu próximo vôo as 7 da manhã com destino a El Calafate (com uma breve escala em Bariloche). Cheguei quebrado no aeroporto em El Calafate, sem dormir, e peguei o transfer para a cidade. Foi quase um dia inteiro de vôos, esperas, transfers... mas enfim, cheguei na cidade e, após largar minhas coisas no pequeno hostel "Huemul", tratei de trocar algum dinheiro e comprar a minha passagem para El Chaltén para a manhã seguinte. Fica aqui uma dica para quem quer ir direto de El Calafate a El Chaltén: Pergunte pela rodoviária da cidade: ela fica estrategicamente escondida dos turistas e lá há várias empresas que oferecem os traslados. Se forem procurar nas empresas de turismo na avenida principal, com certeza tentarão vender algum pacote mais caro... Comprei minhas passagens El Calafate/El Chaltén/El Calafate por 150 pesos. A ida para a as 7 da manhã do dia 25, a volta deixei em aberto... Voltei pro hostel e tive uma surpresa: Havia uns 50 israelenses superlotando o hostel e fazendo aquele barulho todo que só eles sabem fazer... Gritaria, bagunça por todos os lados a noite toda... ainda bem que era só por uma noite... 25/01 El Calafate - El Chaltén - Acampamento De Agostini Apesar de não ter dormido bem na noite anterior, estava muito disposto e animado ônibus das 7 que me levará a El Chaltén, uma viagem de cerca de 220km e aproximadamente 4h30min de duração. No caminho até a rodoviária já senti o vento gelado e fortíssimo já característico dessa região. A medida que nos aproximamos de Chaltén a paisagem se torna cada vez mais bela, maegeando o belo lago Viedna com seu imenso glacial ao fundo, e de repente descortinam-se os belos maciços que fazem de El Chaltén um lugar tão procurado por turistas do mundo inteiro. Não havia uma nuvem sequer no céu então a visão do FItz Roy era perfeita... sempre eo fundo da belíssima estrada. A ansiedade vai aumentando, e perto das 11:30 chegamos na entrada do Parque, onde somos obrigados a descer do ônibus na sede dos guarda-parques para ouvir uma palestra a respeito de informações sobre o Parque, regras a serem seguidas, e principalmente conscientização ecológica, achei muito interessante ver o quanto se preocupam com o meio-ambiente. FInalmente cheguei no pequeno e simpático vilarejo El Chaltén. O clima lá não poderia ser melhor: temperaturas amenas, sem nuvens, sem vento... Tratei de ser rápido para comprar algo para comer e uma garrafa de água no mercado e reservar algumas noites no hostal "Pioneros del Vale" para quando eu voltar dos acampamentos. Em pouco mais de uma hora estava partindo do vilarejo. Mapa em mãos, parti para uma trilha de 3 horas que me levará ao primeiro acampamento em que iria pernoitar: "De Agostini". Já era 1 da tarde mas como a noite chega apenas lá pelas 22h tinha tempo de sobra para fazer a trilha com calma aproveitando a belíssima paisagem só possível de se ver com o céu totalmente limpo. Logo no início a trilha é um pouco íngreme, mas após 1:30 hora chegamos ao primeiro mirante de "las torres" com um ótimo visual, e a partir daí a trilha torna-se mais plana, sempre passando por dentro de florestas e rios onde podemos completar nossas garrafas dágua. Água fresca, gelada e totalmente pura, melhor água que essa não há! Após passar por muitas áreas verdes, ora mais fechadas ora mais abertas, cheguei ao acampamento "De Agostini" que estava bem tranquilo, pouca gente. Montei minha barraca bem próximo ao pequeno barranco com vista para o rio e fui conhecer as redondezas: Laguna Torre. Em menos de 15 minutos de trilha bem demarcada cheguei a "laguna Torre" com o cerro Torres ao fundo. Nessa hora, perto das 18h, o tempo já havia fechado e o vento gelado tomava conta do lugar. Contornei o lago inteiro, subindo cada vez mais em suas encostas, as vezes bem inclinadas, até finalmente depois de 1 hora chegar ao mirante "Maestri" com uma vista privilegiada do lago e do glacial aos pés do "Cerro Torre". Apesar do frio a vista que temos deste mirante é excelente!!! Fiquei algum tempo ainda admirando essa paisagem, tirei algumas fotos e vídeos, e desci novamente rumo ao acampamento. Comida? Hummm desta vez optei por fazer uma viagem mais "leve" com pouca carga... então nem levei meu fogareiro, gás, panela, nada... apenas barras e mais barras... de chocolate, de cereais, de proteínas, multivitamínicos, mais nada... comi uma deliciosa barra de proteínas e lá pelas 21h peguei no sono, ao som do calmo rio que estava a poucos metros da barraca. Uma noite muito tranquila e bem dormida, sem vento nem chuva. Meu primeiro dia em El Chaltén não tinha como ter começado melhor! 26/01 - De Agostini - Poincenot - laguna de Los 3 - Poincenot Apesar de fechado, o dia amanheceu sem vento e sem chuva. Rapidamente recolhi minhas coisas e me despedi do acampamento, rumo ao meu próximo destino, acampamento Poincenot. São cerca de 4h30min de trilhas. Após a bifurcação onde escolhemos voltar para o vilarjo ou seguir a Poincenot, a trilha torna-se bem mais íngreme pelo meio da floresta, até tornar-se plana novamente e aí temos um belo visual dos lagos "Hija" e "Madre". Muito raramente um turista ou outro passava por mim, e apesar da constante garôa neste trecho, fiz o caminho sem correria e curtindo bastante o visual. Quase no final do caminho ainda podemos nos abastecer de água em um agradável rio de águas límpidas. Cheguei ao acampamento Poincenot, estava bem lotado . Achei um canto para montar minha barraca e segui rumo ao famoso mirante onde podemos ver o Fitz Roy. Essa trilha sim é realmente mais empinada. Após passar por uma ponte, a trilha torna-se cada vez mais empinada, deteriorada e escorregadia. Nesse trecho, muitos turistas também querendo chegar ao famoso mirante. Após muito esforço cheguei ao mirante, e que vista linda! O que atrapalhou foram as nuvens encobrindo o Fitz Roy, uma pena! Descansei um pouco na beira do lago. Apesar de esgotado por estar o dia inteiro caminhando, percebi que ainda havia algo mais para ver, mais um lugar para subir. Foram 15 minutos a mais de subida, que me trouxeram como recompensa uma das vistas mais belas que já vi: O mirante de Los 3, de onde podemos ver a Lagura de los 3 com seus tons azulados, a laguna Sucia mais a esquerda beem mais abaixo com seus tons esverdeados, a atrás podemos ver toda a encosta que subimos com uma vista para todo o vale. Uma paisagem inesquecível!!! O vento não estava fácil e o clima também não... resolvi descer para o acampamento. As 20h estava na minha barraca. Lá pelas 22h começou a chover bastante. Para piorar as coisas, havia um grupo de uns 20 alemães fazendo um barulho absurdo, dentro das barracas, uma gritaria sem fim! Esse barulho persistiu até perto das 7 da manhã... TIve ainda mais uma surpresa: a impermeabilidade da minha barraca já era! Com a chuva começou a pingar água por todo o teto... só fui perceber isso quando me mexi e senti um "gelado" no saco de dormir", quando fui ver o que era percebi que a barraca estava inteeeira encharcada por dentro, assim como o saco de dormir... Usei até os bastões de caminhada na tentativa de desviar um pouco as goteiras, ajudou mas não resolveu meu problema. 27/01 - Poincent - glacial Piedras Blancas - Piedra del Fraile A noite não foi nada fácil! Acordei com cara de poucos amigos e, após parar de chover, lá pelas 10h, recolhi todas as minhas coisas, que agora estavam bem mais pesadas por estarem encharcadas! Próximo destino: acampamento Piedra del Fraile, um acampamento pago, fora dos limites do Parque Nacional "Los Glaciares". No caminho, passaria ainda pelo glacial "Piedras Blancas". Por causa da chuva que persistiu pela madrugada inteira, a trilha tornou-se bastante escorregadia e cheia de charcos. TIve uma nova surpresa: minhasbitas também não eram mais impereáveis. Bastou eu enfiar o pé na primeira poça para perceber isso... Peguei um desvio a esquerda e, após algumas boas escalaminhadas nas pedras (bom para testar suas habilidades!), cheguei ao glacial Piedras Blancas. Visual muito belo de um glacial com algumas avalanches, e um lago cheio de gelo. Descansei um pouco e voltei para a trilha original, rumo a Piedra del Fraile. Logo aqui temos que cruzar um rio um pouco mais complicado e trabalhoso, principalmente quando se está sozinho. Mas, deu tudo certo. A partir deste trecho a trilha torna-se monótona, e as nuvens tampavam todas as montanhas ao redor. Aparecem milhares de bifurcações neste trecho, me perdi um pouco em alguns momentos, mas após algumas longas horas encontrie as placas sinalizando o caminho e cheguei ao tal acampamento. O vento era muito forte. Chegando ao acampameto, fui assaltado: 40 pesos para passar uma noite!!! A únca vantagem é que pude tomar um banho quente (depois de 3 dias sem banho, é uma maravilha!!!). Após me informar melhor, vi que meu plano de fazer o "paso del cuadrado" já era, pois há um trecho em que temos de subir e andar em um glacial, como não tenho equipamentos de gelo e estava sozinho, acabei desistindo... Eu faria apenas um trecho intermediário! O tempo estava fechado mas nada de chuva, apenas um vento gelado... ainda bem! Consegui secar algumas coisas... 28/01 - Piedra del Fraile - El Chaltén Consegui dormir bem, sem barulho. Mas tive uma surpresa quando abri a barraca: tempo mais fechado do que nunca, começando a chover. Comi rapidamente uma deliciosa barra de cereal e guardei minhas coisas; não havia muito que fazer aqui com aquele clima. Tomaria o rumo de volta a Poincenot ou voltaria ao vilarejo... No meio da chuva, ao ver as nuvens escuras no caminho que eu faria a Poincenot, achei melhor ir para o outro lado e seguir algum caminho até a estrada para voltar ao vilarejo... O vento estava absurdo, e acabei virando o pé duas vezes no caminho de volta. A idéia de voltar a El Chaltén pela estrada não foi boa, deve ter uns 20 km monótonos e intermináveis em solo em estrada de pedras. Houve u momento em que olhei para trás na estrada e vi aquela poeira toda levantado, de longe achei que fosse algum veículo; eu pediria uma carona com certeza. Ao se aproximar, vi que não havia veículo algum, era uma rejada fortíssima de vento trazendo toda a terra e pedras possíveis... só me encolhi todo e protegi os olhos, para ser bombardeado... Até que demorou para o vento mostrar toda sua força na Patagonia! Só quem já esteve aqui sabe como é... Ao chegar em El Chaltén torci o pé novamente e aí passou a doer demais a cada novo passo... fiquei preocupado, será que eu teria de parar com as trilhas? Consegui um lugar para passar a noite: hostel del Lago. Voltar ao vilarejo foi uma ótima escolha, pois o tempo fechou de vez, chuvas e ventos fortíssimos!!! 29/01 - El Chaltén - Mirante Los Condores e Las Aquilas Logo pela manhã acordei e fui procurar outro lugar para ficar, pois não havia vagas nesse hostel. A dona do hostel me ajudou, e com algumas ligações encontrou um bom lugar para eu passar a noite seguinte: hostel "Lo de Trivy". Após mudar meus pertences para este hostel, aproveitei que o tempo estava péssimo para conhecer melhor o vilarejo e fazer algumas trilhas curtas a partir dele: Mirantes "los Condores" com vista para o vilarejo, e "Las Aquilas" com vista para o lado Viedna. São trilhas curtas, de 40 minutos de ida, e 20 de volta, mas com a força do vento não podemos brincar... Uma pisada em falso e rola morro abaixo! rsss Mas correu tudo bem, as vistas são muito boas, as trilhas tranquilas (fiz elas de papete para descansar os pés), mesmo com o vento nos desequilibrando, e foi um bom teste para o meu pé que eu havia torcido algumas vezes... com cuidado, posso fazer algo mais pesado! Caminho livre para o "Loma del Pliegue tumbado" no dia seguinte!!! Voltei ao albergue e descansei para o dia seguinte. 30/01 - Loma del pliegue tumbado Após nova migração para outro hostel (dessa vez ao Pioneros del Vale, o qual eu já havia reservado logo no início), as 9 da manhã eu já estava a caminho do "loma del pliegue tumbado", trilha bastante puxada com 12 km de ida e mais de 1000 metros de desnível... O vento soprava forte e mesmo com o tempo relativamente aberto as vezes caía uns pingos de chuva não sei de onde... A subida é constante, passando por trechos de floresta mais fechada, campos abertos com granado e vacas pastando, mais floresta, até que a mata dá lugar as intermináveis pedras e a chuva vira flocos de gelo que chegam a machucar por causa da força do vento. Quanto mais subia, mais frio, mais vento e mais difícil tornava-se o caminho. Após chegar a um belo mirante, vi que ainda havia muito mais a subir, um pico que parecia muito alto. Depois de mais 1 hora de muito, mas muuuito esforço subindo em zigue-e-zague uma escorregadia e inclinadíssima ladeira com o vento sempre jogando contra, finalmente cheguei lá em cima. Lá havia apenas uma pessoa sentada, e uma espanhola que eu encontrei muitas vezes pelo caminho. A paisagem infelizmente estava um pouco encoberta, e o vento lá em cima não nos deixava livres para caminhar. O jeito foi descansar um pouco abrigado nas pedras, e descer novamente. Uma ótima trilha! Só faltou mesmo a vista completa dos dois vales (Torres e Fitz Roy), mas de qualquer forma valeu muito a pena. Descer tudo aquilo também foi bastante cansativo... depois de alguma horas terminei a descida e voltei ao albergue.Tomei um ótimo banho, dei umas voltas pelo vilarejo as 9h da noite, e tive uma ótima de sono, apaguei na cama! Muito bom este albergue, excelente estrutura pelo preço de 60 pesos (30 reais) por dia. 31/01 Uma ótima surpresa logo quando acordei... o tempo estava ótimo! Pouquíssimas nuvens, sem vento! Dias assim são raríssimos em El Chaltén... Saí de bermuda e camiseta, sem peso nas costas, e resolvi fazer novamente o percurso de "laguna de los 3" dessa vez através da trilha "Fitz Roy" e passando pela Laguna Capri... Seria meu último dia de trilhas, então resolvi curtir tudo ao máximo, observar tudo, parar mais vezes para ver cada paisagem, aproveitar ao máximo cada momento! Esse foi o melhor dia de todos! Uma parada na bela laguna Capri para algumas fotos, mais algumas paradas pelo caminho, e lá estava eu passando pelo acampamento Poincenot e iniciando a subida até a Laguna de los 3. Essa subida cansa, mas dessa vez eu estava tranquilo, sem pressa, e quando cheguei lá em cima nada de vento, nem de nuvem encobrindo a paisagem, apenas o Sol e uma brisa fresca e suave... Tudo estava perfeito para eu poder contemplar tranquilamente a paisagem mais bela que eu já vi... fiquei mais de uma hora deitado nas pedras contemplando os lagos, o vale, o Fitz Roy... Depois desci ao lago e sua margem dele fiquei também por mais uma hora apenas observando a mudança das nuvens, o imponente maciço FItz Roy, sentindo aquela brisa suave e bebendo água do lago... Um sossego total, estava tudo perfeito, sentiuma energia muito boa. Mas, era hora de levantar e seguir meu rumo... Não era nada fácil descer tudo aquilo até a vila, ainda mais com o desgaste que eu já sentia... Mas nada parecia atrapalhar a vontade de aproveitar cada momento da volta, cada paisagem, cada rio que havia por perto... Nunca vou me esquecer desse dia! Cheguei no albergue e após um banho quente desabei na cama! 01/02 - El Chaltén - El Calafate Dia de voltar a Calafate... Como a volta seria as 18:30, aproveitei o dia para conhecer a cachoeira lá perto e dar mais uma volta pelo vilarejo... e omer alguma coisa decente, afinal estava só nas barras e mais barras desde o início da viagem... Comi um bife de chouriço delicioso e gigante, mais umas empanadas e uma cerveja caseira... Peguei o ônibus para El Calafate e, chegando lá as 21:30, fui procurar um lugar para passar a noite... Dei sorte, hostel "Che Lagarto", minha primeira tentativa... 02/02 - El Calafate - Perito Moreno Após resolver algumas coisas pela manhã, fui conhecer imenso glacial Perito Moreno a tarde... A estrutura é meio "prá turista ver" mas o glacial realmente é muito lindo, enorme, com um branco sem igual! Mas o que me complicou foi confiar no clima... saí de Calafate de bermuda e papete pois estava Sol e sem vento... ao chegar no Perito Moreno, Frio, vento gelado e tempo fechado!!! Como o ônibus só nos buscaria depois de 5 horas, passei frio a tarde inteira pela estrutura do parque esperando por algum desmoronamento do glacial, que não aconteceu. Eu nem sentia mais meus pés de tanto frio... Havia um lugar para comer lá dentro... pedi duas empanadas e fiquei mais de 1 h lá dentro... dei mais umas voltas morrendo de frio, até que o ônibus chegou e fui um dos primeiros a entrar... Ufa! Na volta, belas paisagens moldadas pelo pôr do Sol! 03/02 - Icetrek no glacial Viedna Dia de Icetrek!!! Para quem conhece a região... Sim, esse glacial fica bem ao lado de El Chaltén, mas apesar da distância maior o pacote para esse glacial estava bem mais barato do que o do glacial Perito Moreno... Ida tranquila,passando por alguns mirantes, e chegando a um pequeno portono lago Viedna pegamos uma embarcação muito agradável para chegar ao glacial. Subi na parte descoberta para tirar umas fotos dos enormes pedaços de gelo que se desprendem do glacial, alguns com uma cor azul fortíssima! Descemos da embarcação e, após subir pelas pedras, colocamos os crampons para dar uma volta em cima do glacial... Incrível, parece que estamos em outro planeta, paisagem surreal, mesmo este glacial sendo um pouco sujo por conta das pedras e terra que vem das montanhas próximas... No final do Icetrek, os guias nos fizeram um brinde co Baileys e gelo do próprio glacial, muito legal! Ao voltar, tivemos um problema com nossa embarcação (que conseguiu bater no maciço rochoso e avariar o motor) e tivemos que aguardar mais 40 minutos para pegar uma outra embarcação... Acabou sendo engraçado! Cheguei de volta ao albergue as 21h, e após um pouco de conversa com umas argentinas no quarto, fui dormir... 04/02 Dia tranquilo e chuvoso, fiz o check-out e fiquei enrolando pela cidade e pelo albergue até pegar o transfer e começar a maratona para voltar a São Paulo... Com direito a mais um pernoite no aeroporto de Buenos Aires!!! Foi tudo perfeito, a viagem foi maravilhosa, vai deixar saudades, mas... chegou ao fim! Hora de voltar prá realidade... rs! Ano que vem tem mais! Despesas: Passagem aérea SP-Buenos Aires-El Calafate: Paguei em torno de R$1100 Passagem ônibus El Calafate - El Chaltén - El Calafate: AR$ 150 no total (R$75,00) Acampamentos El Chaltén: De Agostini e Poincenot (de graça), Piedra del Fraile (AR$40) Diárias em albergue El Chaltén: Hostel del Lago (AR$50), hostel Lo de Trivy (AR$60) e Pioneros del Vale (AR$180 para ficar 3 dias) Diárias em El Calafate: Huemul (AR$30), Che Lagarto (AR$58) Visita ao Perito Moreno: AR$200 (100 para entrar no Parque + 100 de transoprte) IceTrek glacial Viedna a partir de El Calafate: cerca de AR$ 400 (não encontrei meu comprovante! Considerações: Recomendo esta viagem para todos os amantes da natureza que tenham disposição para encarar o frio e os ventos gelados da Patagonia e vontade de encarar as trilhas para conhecer paisagens fantásticas ou até mesmo curtir alguns dias de tranquilidade no pacato e simpático vilarejo de El Chaltén aos pés das belísismas montanhas nos dias de tempo ruim. Opções de hospedagem não faltam, para todos os gostos e bolsos, desde acampamentos até hotéis luxuosos. Lugar maravilhoso, que deixa saudades e aquela vontade de voltar mais uma vez para explorar um pouco mais a região.
  19. Olá, tudo bem? Obrigado! Sem dúvida foi uma viagem incrível, pretendo voltar num futuro próximo! Com passagens gastei em torno de R$1100 (São Paulo - Mendoza, com escala em Buenos Aires), fui de avião... Fiz essa viagem de ônibus em 2007 mas demorou bastante, foram quase 40h até Buenos Aires e depois mais 13 até Mendoza... Se existe uma taxa para entrar no Parque? Hummm infelizmente uma taxa enorme, e a cada ano aumenta! Olha só as taxas da última temporada: ASCENT AR$ 3000 De 15/12/2010 até 31/01/2011 (alta temporada) AR$ 2200 De 01/12/2010 a 14/12/2010 -- de 01/02/2011 a 20/02/2011 (média temporada) AR$ 1200 De 15/11/2010 a 30/11/2010 -- de 21/02/2011 a 15/03/2011 (baixa temporada) LONG TRE KKING (5 days) AR$ 800 De 15/12/2010 até 31/01/2011 (alta temporada) AR$ 660 De 01/12/2010 a 14/12/2010 -- de 01/02/2011 a 20/02/2011 (média temporada) AR$ 660 De 15/11/2010 a 30/11/2010 -- de 21/02/2011 a 15/03/2011 (baixa temporada) SHORT TRE KKING (3 days) AR$ 410 De 15/12/2010 até 31/01/2011 (alta temporada) AR$ 380 De 01/12/2010 a 14/12/2010 -- de 01/02/2011 a 20/02/2011 (média temporada) AR$ 380 De 15/11/2010 a 30/11/2010 -- de 21/02/2011 a 15/03/2011 (baixa temporada) Essas taxas desanimam um pouco... Mas, espero ter ajudado! Abraço!
  20. Fala aí tudo bem? Que bom que o relato foi útil! Minha ida ao Torres del Paine também começou numa mudança de planos que era de ir pro Aconcagua... Acabei indo ao Aconcagua no ano seguinte... Bom, sobre a pergunta: Com a agenda apertada, passei rapidinho na Zona Franca apenas para comprar um fogareiro e uma jaqueta de fleece, e consegui preços muito bons. Haviam barracas e sacos de dormir a venda sim, mas não me informei sobre os preços. Encontrar você encontra, sobre ser vantagem ou não comprar lá, creio que seja vantagem sim, pois na Zona Franca os produtos são livres de impostos... Boa sorte na escolha da barraca, lembre-se que elas precisam ser bem resistentes ao vento e a chuva (o clima lá é uma incógnita!). A minha aguentou bem mas infelizmente não é mais fabricada... Abraços.
  21. Olá, tudo bem? Obrigado! Ainda quero fazer a Chapada da Diamantina, tem muita coisa legal aqui no Brasil para explorar... Muito bom! Não sei dizer se a lafuma trekking aguenta o tranco, creio que sim! Lá o maior problema para as barracas é o vento que é fortíssimo... Pelas características da Lafuma acho que aguenta sem problemas, desde que ela esteja bem armada e ancorada... Um par de pilhas a cada 2 dias parece bom, mas realmente lá as pilhas acabam mais rápido e é por causa do frio... Melhor levar alguns pares de pilhas a mais para emergência, não vai pesar tanto na mochila, nem no bolso... Não tenho tracklog de tdp, na verdade nem o gps eu tenho... mas é muito difícil se perder em tdp, o mapa que o parque oferece é bem completo, e sempre há sinalizações nos trechos mais confusos... Se não me engano o site "alta montanha" tem uma divisão só sobre percursos e tracklogs, tenta dar uma procurada por lá (aqui do trabalho o site é bloqueado, não consigo ver se tem). Roupas? Depende do quanto você é resistente ao frio e do clima que você pegar por lá... eu fiz o percurso quase todo de bermuda e camiseta, blusa mesmo só a noite! Meu vestuário foi totalmente desorganizado, não usei nem metade das roupas. Mas lembre-se que lá o clima muda em questão de minutos, as vezes chove bastante... leve roupas impermeáveis e proteções para as mochilas são essenciais... para o frio, uma boa jaqueta de fleece dá conta do recado. Não fui a El Calafate mas em Puerto Natales haviam várias agências que ofereciam passagens baratíssimas a El Calafate, são poucas horas de viagem, se a passagem de avião para El Calafate está bem mais em conta, vale a pena sim, você não terá problemas para conseguir uma passagem a Puerto Natales. Só não deixe para comprar equipamentos em P. Nalates porque há poucas opções para compra por lá, e os preços são mais salgados... Fogareiro no avião sem problema! Só o gás é que não pode, aí não tem jeito. Não sei se funciona com gás de lá... o encaixe deve ser padrão, mas é melhor pesquisar mais sobre isso... e testar antes de ir ao parque, claro! hahaha ps: fui sozinho ao acampamento base "Plaza de Mulas" e "até a parede Sul do Aconcagua, essa é uma viagem bem desgastante para fazer sozinho... mas ainda volto para fazer o cume! Se você for ao Aconcagua me fala quando vai... Boa sorte e boa viagem!
  22. Oi Aline, tudo bem? Desculpe a demora p/ responder... Bom, sobre comprar alguns equipamentos por lá... Se possível tente comprar em Punta Arenas, pergunte pela "Zona Franca" (lá o comércio é livre de impostos) e lá você acha bastante coisa... Além disso, Punta Arenas tem uma variedade maior de lojas... Não tenho nenhum nome mas é só perguntar no albergue/pensão que você for ficar que eles te dão as dicas... Deixar para comprar tudo em Puerto Natales é arriscado... além das coisas serem um pouco mais caras que em P. Arenas, será sua última chance de comprar, P. Natales é pequena e isolada de tudo... Eu fui para Puerto Natales precisando apenas de capa para minha mochila maior, e... não encontrei uma ideal, fui com uma improvisada que me complicou todo! Acho que vale a pena comprar a barraca sim... Hummm interessante esse modelo! Preciso comprar uma nova... As roupas e o gás você encontra fácil por lá... Aliás se você for de avião você nem pode embarcar com o gás (se não me engano), tem que comprar por lá mesmo... rs! Em relação a alimentação... Levei tudo do Brasil... Te aconselho a fazer o mesmo, comer apenas as coisas que seu organismo já conhece e que você já sabe que não vai fazer mal... Lá no Chile comprei apenas alguns chocolates! Vai em novembro? Fazer o trekking em TDP? Caso eu possa ajudar em alguma coisa, é só falar! Beijos.
  23. Obrigado! O valor do "permisso" varia pela quantidade de dias que você vai ficar dentro do parque e em qual época, mas é obrigatório, se não eles não deixam você passar nem pela ponte pênsil! Aconselho o permisso de 7 dias, para não ter de fazer tudo correndo, o caminho até Plaza de Mulas é puxado p/ fazer em 3 dias ida/volta. Estes foram os valores para a temporada 2009/2010, conforme o tipo de permisso e a temporada. O site http://www.aconcaguatrek.com contém informações atualizadas sobre os valores. Tipo Alta Média Baixa ASCENT (21 dias) AR$ 1800 AR$ 1200 AR$ 600 LONG TREKKING (7 dias) AR$ 400 AR$ 260 AR$ 260 SHORT TREKKING (3 dias) AR$ 210 AR$ 180 AR$ 180 Não acampei fora do Parque, esta informação vou ficar te devendo... mas há albergues por cerca de 40 pesos a diária, em Mendoza e Penitentes (cerca de 7 km do Parque), vale a pena! Dentro do Parque, em Confluência não paguei (e você ainda pode pegar água a vontade) e em Plaza de Mulas tive de pagar, acho que foram 10 pesos por dia por um espaço para acampar + água + banheiro químico. Boa viagem! Abraço,
  24. Opa, tudo bem? Fui de São Paulo a Mendoza de avião, com escala em Buenos Aires. Caso prefira, a viagem de ônibus de Buenos Aires a Mendoza dura cerca de 11 horas (fiz isso em 2007). Você vai gastar mais com as passagens e a entrada no parque (todos os anos rola um reajuste), e caso precise alugar algum equipamento. Não fiz a planilha de custos, mas fui bem econômico porque não contratei nenhum serviço de apoio em nenhuma parte do parque... Total de tempo, incluindo os dias de deslocamento a Mendoza... cerca de 12 dias! Espero ter ajudado em algo... Abraços!
×
×
  • Criar Novo...