Ir para conteúdo

Zuzo

Membros
  • Total de itens

    19
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

3 Neutra
  1. Para ir de bike à Playa Ancón, fui pela estrada que vai à playa La Boca e depois segui pela beira mar. É bem tranquila, não tem nada de perigoso e possui muitas praias lindas de recifes e águas claras. Voltei pela estrada Casilda. Esta é mais movimentada, mas também mais plana. A volta é bem cansativa. Se conseguir algum esquema para ir de bike e voltar de carro, pode ser interessante.
  2. Para ir de bike à Playa Ancón, fui pela estrada que vai à playa La Boca e depois segui pela beira mar. É bem tranquila, não tem nada de perigoso e possui muitas praias lindas de recifes e águas claras. Voltei pela estrada Casilda. Esta é mais movimentada, mas também mais plana. A volta é bem cansativa. Se conseguir algum esquema para ir de bike e voltar de carro, pode ser interessante.
  3. Fui agora no final de março/2019. Deixo algumas dicas: Viñales é uma cidadezinha bem simpática que dá vontade de ficar mais. Tem ótimos restaurantes mais baratos do que Havana. É um oportunidade de comer muito bem por menos de 10 cuc. Lá tem o passeio dos Mogotes, plantações de tabaco e o Cayo Jutias. Bate e volta é pouco tempo e será cansativo. Trinidad é muito legal, sugiro ficar mais um dia. É um cidade histórica bem simpática com noite animada nas escadarias do centrinho. Recomendo o restaurante Dom Eduardo que fica na Calle Santa Ana com Calle Amargura, muito bom e também menos de 10 cuc. Na praça Santa Ana tem uma cervejaria com chopp local de 500 ml por 2 cuc. Se tiver disposição, vale a pena ir pedalando para Playa Ancón e aproveitar as piscinas maravilhosas nas praias de recifes que tem pelo caminho. Aluguel de bike custa 5 cuc. De manhã você consegue escapar dos chatos "guardadores de praia" que te cobram 1 cuc para "estacionar" a bicicleta. Antes de chegar na Playa Ancón tem uma obra onde estão construindo um resort. Tinha um tio lá cobrando pedágio para passar pela "praia dele", dizendo que era o único caminho. Contorne a obra pela estrada para seguir adiante e não caia no golpe. Não que Havana não seja super legal, mas o interior de Cuba é mais tranquilo, mais aconchegante, mais barato, mais simpático e com muito menos assédio e golpes. Acho que sua programação está muito concentrada em Havana e Varadero. Outra dicas: Quando encontrar mercado vendendo água em galão de 5 litros, compre mesmo que seja um fardo levar pra casa. O galão custa 1,90 cuc e são poucos lugares que vendem. Água de 500 ml custa 1 ou 2 cuc. Água de torneira lá não é confiável. Em Havana, procure conversar e obter informações com pessoas que estão lhe prestando algum serviço. Se um estranho puxar papo na rua não é mera simpatia. Com certeza vão te oferecer ou pedir algo. Procure sempre pedir cardápio com preços, pois em vários lugares os garçons cobram mais caro e embolsam a diferença. Não tenha receio de pechinchar preços de transporte, pois há muita oferta e eles sempre cobram muito mais caro dos turistas. Ande sempre com moedas e trocados para pagamentos e pedágio de banheiros. Se você deixar troco toda vez que pagar alguma coisa, no fim da viagem vai ver o baita prejuízo. Apesar das precauções, todo mundo será enganado em algum momento ou várias vezes. É inevitável. Deixe para comprar rum e charutos no aeroporto, quando estiver indo embora. Não há muita diferença de preços, pois esses produtos são tabelados. Assim aproveita os cuc que sobram e não precisa carregar peso durante a viagem.
  4. Atualização em 23/10/2017: passagem ida e volta El Calafate - El Chaltén: 1200 pesos + 20 pesos de imposto. Empresas: Caltur e Taqsa.
  5. Só pra atualizar este tópico, caso algum maluco tenha a mesma ideia. Não há menor condição de acampar em El Chaltén no inverno. É muito frio, tem muita neve e muuuuuuito vento. Mesmo fora do inverno, a cidade está num túnel de vento.
  6. Estou respondendo este tópico apenas para atualizar uma sugestão de casa de câmbio em Buenos Aires. Em 18/10/2017 achei a melhor cotação na casa de câmbio Maguitur, localizado na Sarmento, 464 - Centro. Não é preciso levar dólar pra Argentina. O Real é muito fácil de cambiar e muitos lugares turísticos o aceitam. No Aeroparque tem uma casa de câmbio do banco La Nación, mas é um assalto comprar pesos lá. Compre no máximo para pagar um táxi e um lanche.
  7. Também estou indo pra El Calafate com minha esposa. Estaremos lá entre 18 e 25 de outubro de 2017. Estou querendo alugar um carro por alguns dias, pois o transporte lá é muito caro e ficar limitado a horário de excursão é foda. Se quiser entre em contato. Somos de Curitiba. Att Fabiano
  8. DICAS GERAIS PARA INICIANTES NO ESQUI Primeiramente, vou classificar o tipo de frio de acordo com minha experiência: Frio moderado (FM): em torno de 2°C ou mais Frio intenso (FI): em torno de -3°C ou menos e com vento. Nas estações de esqui você pode alugar o conjunto de equipamentos (botas + esquis + bastões + capacete). Luvas são opcionais, mas é claro que você não deve deixar de usar uma grossa e impermeável. Se não tiver a sua própria, alugue um par. Vale a pena levar uma de lã para usar por baixo da alugada caso esta seja muito grande. Em caso de FM é possível usar apenas uma de lã, mas você pode fazer calos nas mãos devido ao uso dos bastões. Óculos para esquiar também são opcionais. Você pode alugar ou usar um óculos de sol esportivo que seja bem firme e não corra o risco de cair. Não recomendo usar óculos de passeio. Nas duas estações de esqui que fui, não vi lugar para alugar roupas e todo mundo vai com a sua própria. Portanto, não confie que terá e compre a sua. Uma calça para esquiar pode custar a partir de U$70 e jaqueta impermeável a partir de U$100 dependendo da época e da loja (preços nos EUA). Procure jaquetas que possam fechar embaixo (com ribana ou cordão). Uma ótima dica é comprar um macacão impermeável para esquiar ao invés de calça. No começo você vai cair bastante e não correrá o risco de ter as costas úmidas com neve que entra por baixo da jaqueta. As roupas para esqui devem ter vários bolsos com zíper, pois você pode precisar carregar coisas contigo (documentos, dinheiro, cartões, câmera, luvas, lenço, protetor labial, filtro solar, etc). Em caso de FI, use uma toca balaclava por baixo do capacete para proteger o rosto. Não esqueça que apesar do frio, se tiver sol você pode se queimar como na praia. Esquiar é um esporte que exige esforço físico e quando se é iniciante, a energia desperdiçada é ainda maior. Isso esquenta o corpo, portanto, não tenha medo exagerado do frio. Se o frio for moderado, uma boa jaqueta e uma camisa de manga longa de malha já é suficiente. Se o frio for intenso use apenas mais uma blusa de lã ou soft por baixo. O uso de ceroula é indispensável em qualquer dos casos. Se você exagerar nas roupas, o calor pode ser tanto ao ponto de suar. Se possível, vá com uma bota impermeável para a estação de esqui, pois os estacionamentos e vias podem estar cheio de lama e poças d'água por causa da neve derretida. Nas estações de esqui, você paga o ticket que te dá direito à usar as pistas e os teleféricos o dia inteiro e quantas vezes quiser. O aluguel de equipamentos é separado. Inclusive, muitos americanos já tem seus próprios equipamentos e pagam apenas pelo uso da estação. O estacionamento é gratuito. Os preços dos restaurantes e lanchonetes não são exorbitantes se comparados aos preços fora de uma estação. Portanto, não se preocupe em levar comida e dar uma de farofeiro. Se tiver sede, não se preocupe em comprar água, pois há bebedouros próximos aos banheiros. Diga-se de passagem, no Colorado os restaurantes servem água em copo e não cobram por isso. Para quem vai alugar equipamentos, funciona assim: na recepção tem vários computadores onde você deve preencher seus dados pessoais, altura, peso, nº que calça, etc. Ao completar o formulário, os atendentes recebem seus dados em outra sessão, onde você vai pegar os equipamentos adequados ao seu tamanho e nível (beginer é claro). Após vestir as botas de esqui, normalmente tem um lugar para guardar o calçado que você trouxe. É bem estranho andar com as botas de esqui e você fica parecendo um robô, mas a partir daí, você só vai tirá-la quando for devolver o equipamento. Até para ir no banheiro e restaurantes, todos usam as botas de esqui. Os esquis possuem travas que encaixam-se um no outro, facilitando para carregá-lo antes de chegar nas pistas de neve. Ao chegar na pista, você encaixa as botas nos esquis. Os bastões servem para várias coisas: apoio, reduzir velocidade, ajudar no equilíbrio e encaixar\desencaixar as botas do esqui. Depois que você aprender a se equilibrar nos esquis e quiser se aventurar nas montanhas, pegue os teleféricos que levam para as pistas de iniciantes. Quando você paga o ticket da estação, recebe um cartão, o qual será exigido antes de embarcar nos teleféricos. O funcionário do teleférico que fica ajudando as pessoas a embarcar nas cadeirinhas, passam um leitor no seu cartão. Se for cartão RFID, basta guardá-lo num bolso com zíper e indicá-lo ao funcionário onde está o cartão quando ele for passar o leitor. Se for com código de barras, eles prendem na sua jaqueta. Quando estiver esquiando em pistas compridas e com declive acentuado, o segredo para manter uma velocidade sem risco é fazer zigue-zague. Jamais siga sempre em linha reta em descidas fortes, pois você vai acelerar demais e se não tiver controle pode causar um acidente trágico (bater em obstáculos, atropelar alguém ou cair numa ribanceira fora da pista). Se isto ocorrer, tente fazer uma curva acentuada e se jogue na neve. O pior risco para amadores não é cair, mas sim, não parar. Cair na neve não machuca. Os riscos possíveis ao cair são: cair de mal jeito ou o esqui bater em você. Em resumo: se perder o controle jogue-se. É a melhor forma de evitar acidentes. Não esqueça de ter um seguro de saúde válido, caso precise de atendimento médico. Site indicado para coletar informações sobre o Colorado: http://www.coloradowinterinfo.com ESTAÇÕES DE ESQUI (fui em março e abril de 2013) Loveland Ski Area - http://www.skiloveland.com Localização: Georgetown, CO (90Km de Denver) ticket p/ o dia: U$61 aluguel de equipamentos: U$40 Uma refeição de lanche: aprox. U$15 Tem ótimas pistas para experts e intermediates. A localização é bem fácil e fica ao lado da estrada E70. Excelente para fazer bate e volta de Denver. Keystone Resort - http://www.keystoneresort.com Localização: Keystone, CO (130Km de Denver) ticket p/ o dia: U$89 aluguel de equipamentos: U$50 Uma refeição de lanche: aprox. U$20 Tem uma pequena pista com esteira, ótima para as primeiras lições. O resort possui apartamentos e chalés para locação (com cozinha e tudo). Quem tiver mais informações de outras estações, favor postar aqui.
  9. Estive no Colorado há pouco tempo e adorei este pedaço do EUA. Quem diz que Denver não tem o que fazer é porque não a conhece ou não tem um espírito curioso de viajante. Denver e região é muito bonita, especialmente na periferia. Ao contrário do Brasil, os bairros e municípios periféricos são os melhores lugares para viver e é onde os mais ricos moram. Ruas e avenidas super largas, casas e terrenos enormes, parques e ciclovias formam o cenário de um primeiro mundo realmente bem projetado urbanisticamente. Na periferia, você pode andar a qualquer hora sem preocupação. Provavelmente, você será o único na rua, pois, quase ninguém anda a pé. Porém, não se pode dizer o mesmo do centro. Denver e os municípios limítrofes não são muito grandes em extensão, portanto, é comum você estar numa rua que de repente vira outra cidade. Se você não tiver um carro em Denver, pode passar sufocos para se locomover, pois tudo é longe e o transporte público não é muito favorável. Tem trens, mas não vi muitos ônibus. Taxi pode sair muito caro. Com exceção do Centro, quase ninguém anda a pé na cidade. A freeway E25 é a principal que corta Denver de norte a sul. Evite-a nos horários de pico (06:00 - 09:00 e 18:00 - 20:00) A partir de Denver, você pode ir para vários parques e estações de esqui no Colorado. Alguns lugares imperdíveis são: Red Rockies, Garden of the Gods e Keystone.
  10. Cotação que vi em NY: R$2,34 por 1 dólar. Realmente não vale a pena fazer câmbio nos EUA.
  11. Alguns dias atrás fui num banco em Denver que tinha Travelex e a cotação para trocar Real por Dólar era altamente desvantajosa: em torno de R$2,40 para U$1,00. Estou em NY agora. Caso eu encontre uma casa de câmbio, vou ver a cotação e postarei aqui.
  12. Ninguém mais??? Com tantas pessoas que vão p/ os EUA, será que ninguém pensa nesses aspectos práticos?
  13. Valeu Diego, quando tiver a informação agradeço. Só para exemplificar, pesquisei na rede de casas de câmbio Travelex. A cotação deles é: R$1 = U$0,564 ou U$1 = R$1,773 Porém, este preço é o que eles pagam para o americano que quer comprar Real. No meu caso que quero comprar Dólar, não acredito que seja esta cotação. Se fosse seria excelente. Em outra casa de câmbio americana que pesquisei, a cotação era parecida.
  14. Olá pessoal, gostaria de saber de quem foi aos EUA recentemente se vale a pena levar Real e trocar por Dólar lá. Pergunto isso porque para todos os países da América do Sul para os quais já fui, sempre valeu mais a pena levar Real e cambiar fora (principalmente em bancos, ao invés de casas de câmbio). Moro em Curitiba e a melhor cotação que encontrei foi no Banco do Brasil (U$1 = R$2,03 na compra), mas paga-se uma taxa de R$40 + IOF para fazer a operação. A melhor cotação em casa de câmbio ficou em torno de R$2,08 + IOF e sem taxas adicionais. Pesquisei na Internet a taxa de algumas casas de câmbio nos EUA, mas eles informam somente o preço para quem vai comprar Real (o que não é meu caso).
  15. Acho meio apertado este prazo. Tirei o meu visto recentemente num tempo razoável, conforme abaixo: Preenchimento do formulário de passaporte: aprox: 20/12 Processamento do pagamento da taxa e liberação para agendar biometria: 1 ou 2 dias Biometria para o passaporte: 21/01 Retirada do passaporte: 28/01 Preenchimento do formulário DS-160 p/ visto: aprox. 30/01 Processamento do pagamento da taxa e liberação para agendar entrevista: aprox 01/02 Biometria e entrevistas: 14 e 15/02 Chegada do passaporte: 26/02 No total deu mais de 2 meses, sendo que o mais demorado foi agendar biometria para o passaporte. Diga-se de passagem, os feriados de fim de ano atrapalharam um pouco, além de eu ter preterido algumas datas pra pegar o horário mais conveniente para mim. O processo para retirar o visto, apesar de chato foi rápido. Talvez o fato de estar embolado com o carnaval tenha ajudado na disponibilidade de vagas. Talvez demore mais agora, porque a partir da primavera no hemisfériio norte começa a alta temporada.
×
×
  • Criar Novo...