Ir para conteúdo

dglopes

Membros
  • Total de itens

    57
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre dglopes

  • Data de Nascimento 22-04-1981
  1. Crampons - sugestão

    Caros mochileiros; Procurei pelo site e não achei post relacionado, então estou abrindo uma questão sobre crampons: Irei fazer uma caminhada exigente em gelo e pensei em comprar um destes crampons: http://www.amazon.com/Docooler-Crampons-Altitude-Slip-resistant-Crampon/dp/B00GQROYIA/ref=sr_1_6?s=sporting-goods&ie=UTF8&qid=1412032894&sr=1-6&keywords=crampons http://www.amazon.com/Petzl-AntiSnow-Crampon-Plate-Blackice/dp/B000T2BTAO/ref=sr_1_89?s=outdoor-recreation&ie=UTF8&qid=1412033064&sr=1-89&keywords=crampons http://www.amazon.com/Anself-10-Teeth-Crampons-Climbing-Concrete/dp/B00NYI2YVI/ref=sr_1_127?s=outdoor-recreation&ie=UTF8&qid=1412033213&sr=1-127&keywords=crampons Alguém tem uma sugestão sobre o que usar ou como escolher um crampom? Obrigado e saudações.
  2. Botas LAFUMA

    Olá a todos. Não sei se posso colocar neste tópico, mas eu possuo uma bota (a que foi citada no post acima) e quando fui usar ela ficou pequena. Pretendo vendê-la para quem se interessar: http://www.sierratradingpost.com/lafuma-xlight-mid-ot-hiking-shoes-waterproof-for-men~p~2011t/ Mais detalhes e opniões sobre ela: http://www.backcountry.com/lafuma-xlight-mid-ot-hiking-shoe-mens-laf0178 Está completamente nova, nunca foi usada. Estou pedindo 299 reais nela. Acabou de chegar aqui. Tamanho 42 BR = 10 EUA = 44 EUR Se alguém se interessar, me envie um e-mail: [email protected] - Douglas (Se não puder deixar o post no fórum, me avisem que retiro)
  3. Botas VENTO (Antiga Nômade)

    Oi Trauco! Cara, valeu pela dica, mas fico com receio em usar este produto por dois motivos: Medo de ficar "roçando" na meia ou deixando o pé apertado dentro do calçado e a membrana GoreTex é a mesma que eu tenho na minha bota que vazou água. Conhece alguém que já usou o produto?
  4. Botas VENTO (Antiga Nômade)

    Olha Fabio, me agrada a sua posição de aparecer em um fórum público como esse e discutir sobre a Nômade. Isso foi uma qualidade que percebi quando estava querendo comprar o produto da empresa. Quero discutir ainda sobre o tema porque entendo diferente de você essa coisa de assunto particular/público. Meu caso é meu relato, portanto particular. Da mesma forma é de todos os outros que contribuem para o fórum. Cada post é, por conceito, uma opinião particular sobre um assunto particular. Se eu ficasse toda hora colocando postagens que elogiassem o produto isso afetaria você menos que as críticas, isso é natural. Sei que muita coisa que coloco pode estar um pouco desviado, mas o que eu estou querendo fazer é relatar precisamente o que aconteceu com um produto que a Nômade vendeu. Agradeço sua atenção nas respostas, me desculpe se fui ofensivo, mas eu insisto em um ponto: Não usei a bota devidamente, quando o fiz ela me decepcionou. Sei que a garantia não me cobre mais, tanto que não procurei a fábrica para pedir avaliação nem reposição do produto, mas me senti frustrado quando afirma que depois de 3 meses ela pode deixar de ser impermeável. Citei o advogado, o filho da lei, porque antigamente a Nômade tinha garantia vitalícia na troca de solados, mas por recomendação dos advogados, reduziram para 6 meses. Pelo que explicou e ligando o fato à teoria apresentada, a minha frustração deveria ser encaminhada não ao produto que a Nômade oferece, mas parece estar ligada com o material usado (mas no fim, é a mesma coisa, certo?). Assim, para evitar a deterioração, a bota deveria vir embalada à vácuo! Se nossas botas são produtos químicos, isso poderia ser explicitado em folder, etiquetas, etc. Eu pensei que havia comprado um produto para a vida, mas percebo que eu devo elaborar um plano de compra de produtos visto a depreciação extrema que é vinculada à ele. Se isso é uma questão do material e a Nômade não pode fazer nada, tudo bem, começarei a comprar botas de couro e usar hidrorepelentes para botas como fazíamos antigamente. Quero deixar claro uma coisa aqui no fórum: A bota me garantiu conforto e até hoje ela está em ótimo estado de conservação, mas eu recomendo tomar cuidado com essa questão da impermeabilização. Esse é meu post final sobre a bota. Não sei se isso acontece da mesma forma com outras marcas (Titã foi minha primeira bota técnica). Talvez a Nômade tenha sido azarada em pegar um cliente chato, mas como é meu direito e dever, trouxe essa questão para o fórum. Sem ideologia maniqueísta, esse espaço não serve apenas para elogios, mas para críticas - suaves ou agudas. Nossas discussões particulares fazem parte disso, relaxa! Não vou jogar a Titã fora, mas agora vou direcionar ela para outros usos, só isso. Ela ainda continua confortável, o sistema de transpiração funciona, mas passarei a evitar a água. Fábio, agradeço sua contribuição ao fórum e concordo contigo que não há necessidade de alongar a questão. Tudo já foi dito e registrado. Considero este meu caso arquivado. Abraços Douglas
  5. Botas VENTO (Antiga Nômade)

    Bom, eu prefiro comentar porque acho isso tudo ainda um absurdo (sim, estou frustrado). Sobre só haver 3 pessoas eu penso assim: Os posts iniciais foram na época de compra e agora as botas estão dando defeito porque acabou o prazo de impermeabilização da bota. Todo material estraga, realmente, mas eu acho que isso é uma grande armadilha pra nós brasileiros. Nossa legislação permite que os produtos tenham um prazo reduzido de garantia. O caso da Salomon, como o LeoRJ ou outro editor postou, oferecem 2 a 3 anos de garantia. Nosso caso com a Nômade é, por orientação dos advogados, apenas 6 meses (ou aumentou?) Fabio, kra eu era um defensor da Titã no início, agora não sei mais o que sentir: raiva, frustração, pena (de mim), felicidade, neutralidade, enfim, estou um tanto quanto descontente com a Nômade. Eu mostrava para todo mundo, me gabava de ter o produto e recomendava, mas depois dessa PRIMEIRA tentativa de uso real com a bota, me senti jogado no porão enquanto outros riem lá de cima. Algum tempo atrás antes de usar a bota já havia sentido o dedão ficar úmido e tentava desacreditar que seria a bota. Pensava que água teria entrado por cima, era meu suor, etc, menos os 100% impermeável falhando. Minha bota está com estrutura praticamente nova. Nem mesmo o selo de tamanho de pé saiu da língua da bota. Eu usei ela em raras vezes e sempre para percursos urbanos: Ir comprar pão debaixo de chuva ou ir na casa de amigos. Mas pelo que vejo o prazo de validade é temporal e não material. Uma pessoa que tivesse feito uma trilha pesada com ela por 1 dia já teria feito mais estrago na bota que eu fiz na minha em 2 anos. Então, só me resta pensar que o GoreTex tem prazo de validade...ele perde sua capacidade de manter água longe mesmo que guardado dentro do guarda-roupas. Mas eu imaginava que o GoreTex era um produto que barrava fisicamente a água e não quimicamente. Daí não entendo porque minha bota vaze água... (Cada vez fico mais triste quando vejo a propagando dizendo 100% impermeável) Eu acredito que haja uma falha de projeto na Titã. Pelo que penso (ok, não sou conhecedor pleno) o tecido+membrana constantemente são tensionados na parte frontal da bota no simples movimento de dobra do pé (isso é uma vantagem da bota). Mas esse tensionamento na membrana faz com que os poros da mesma sejam abertos e a água passe. Assim, seria melhor se as membranas fossem colocadas apenas nas partes mais rígidas que não sofrem esforço de tração/compressão como naquela parte crítica. Ou então reforçá-la para que fique mais rígida... Fábio, eu não sei como eu resolvo meu caso, se quiser da uma ajuda eu agradeço, mas eu senti toda minha certeza com a Titã ir por água abaixo...algo como descobrir que seu pai herói é um assassino (guardadas as devidas escalas, claro). Se antigamente eu olhava para a Titã Kevlar como estando em pedestal, guardada em local nobre do guarda-roupas, agora eu larguei-a atrás da porta do quarto. Acabei de comprar outra bota... Até o desenrolar desta conversa. Douglas
  6. Botas LAFUMA

    Estou atrás dessa bota/ tenis : Lafuma Xlight Mid Ot Achei em alguns sites com um preço muito bom e gostaria de saber se alguém tem algo contra ela. Por enquanto vi muita coisa positiva. Cano médio, mas parece ser suficiente. "Wears like a shoe, protects like a boot" Dg
  7. Botas VENTO (Antiga Nômade)

    Senhores, enfim, eu fiz o teste. Filmei e gravei (porcamente porque não tenho câmera além do celular). O filme do teste de resistência à água está logo abaixo neste link do youtube: http://www.youtube.com/watch?v=lG63mGl9mV0 Metodologia: - Escolhi um par de meias de algodão na cor cinza porque se forem molhadas, aparecerá a mancha (como ocorrerá nos últimos segundos do filme). - Coloquei uma meia dentro e retirei para mostrar que a bota estava seca. - Coloquei a outra meia na minha mão e inseri a bota dentro da bacia com água. Fiquei alguns segundos mexendo os dedos e dobrando a bota na tentativa de simular o movimento do pé com a bota. Logo quando retiro a bota já sinto a água na meia. - Retiro da bacia e coloco a meia à exposição para verem a mancha cinza da umidade. Ainda assim marquei as seguintes fotos: http://i1193.photobucket.com/albums/aa358/dglopes/P281111_1807.jpg Pelo que entendi parece que ela perde sua impermeabilização rapidamente. Nunca lavei a bota desde que comprei e só usei a mesma em duas atividades com terreno seco - fazenda, gramado, nenhuma água. A validade de sua impermeabilização é limitada, mesmo sendo uma membrana GoreTex e blá blá blá. Tudo bem ela ter prazo de validade, mas não me deixe molhar o pé na primeira vez que preciso dela, não é mesmo? Esses 6 meses de garantia não valem nada. Joguei fora 400 reais. Agora eu tenho uma bota que nem resistente à água é mais... no dia que pisei em poça d'água segundos depois senti a umidade no dedão... Bom, espero ter ajudado a todos NÃO escolher a Nômade.
  8. Botas VENTO (Antiga Nômade)

    Sei não. Me desculpe Mathola, mas uma resposta de satisfação pelo conserto de uma bota nunca pode ser motivo para plena valorização do produto. Isso mostra que eles querem trabalhar sério e estão preocupados com o produto, mas se precisou recorrer ao serviço de conserto, já mostra que eles ainda precisam de um produto diferente. Sobre mergulhar a bota 30cm na bacia....galera...não chega a tanto...se passar de uns 15cm já entra água pelo buraco do calçado ! O ideal é chegar água até onde termina a bota. Sobre a coluna dágua, pelo que sei os 30cm equivalem a uma água com pressão de 30cm de altura sobre o material. Quanto mais alta a coluna, mais pressão d'água ela aguenta. Tentarei fazer meu teste em breve.
  9. Chapada Diamantina - Perguntas e Respostas

    Kra, sobre a BA-052 está lá no mapa. Dê um zoom in / out pra achar. Não me lembro se o nome Rodovia/Estrada do Feijão está no G.Earth, mas no guia Quatro Rodas de rodovias está. Sobre os preços de guia, tem uma associação de guias que fica no centro da cidade, ao lado do Banco do Brasil (referência de todo encontro na cidade). Eles cobram 80 reais POR GRUPO para subir a Cachoeira da Fumaça. Para visita nos outros pontos próximos e Lapa Doce, Pratinha, Pai Inácio, eles cobram 70,00 por GRUPO. Para trilhas de mais de um dia eles cobram como agências: Por pessoa e por dia, me parece que são 100,00/pessoa/dia. As agências cobram por pessoa/dia em torno de 120 reais já incluso taxas de visitação. Em média, as agências cobram uns 80reais/pessoa/dia para estes percursos simples, mas levam você até lá com o carro deles. Se for para Poço Azul e Encantado em época chuvosa, provavelmente não vai querer ir com Corsa 1.0...eles vao te levar com Toyotas, 4x4, etc. Cachoeira da Fumaça , pratinha, Lapa Doce, Pai Inácio, todas essas fiz com carro pop: Agile 1.4 com 5 pessoas dentro. Só deu medo na Cachoeira da Fumaça que tem uma pista de terra com longa subida...se chover acho que carro normal não passa. Rodando por estes percursos eu gastei uns 400km. (Pratinha e Lapa Doce são 150km ida + volta) Pai Inácio é mais perto. Outra coisa. Tem umas lojas na cidade que vendem o mapa completo com topografia. Acho que era uns 26 ou 30 reais. Vale a pena. Tem todas trilhas e locais marcados em escala 1:20.000 eu acho. É isso!
  10. Chapada Diamantina - Perguntas e Respostas

    Olá! Minha opinião sobre a rota de ida/volta: Eu acabo de voltar de Lénçóis, fui pra lá no dia 11 e voltei no dia 15/11. Escolhi a rota 1 - que vai até Ipirá e pega Itaberaba porque uma amiga me indicou como fuga do trânsito intenso dos caminhões da BR 116. Eu achei a viagem muito tranquila (as retas da Bahia são bem longas...). O único trecho que precisa ter cuidado é logo depois de Itaberaba em sentido a Lençóis. Existem alguns buracos na pista e passar a 100km/h por lá pode deixar seu carro sem condições de uso. Mas no restante da viagem é tudo muito calmo. Saí de Salvador às 7:00 da manhã e acabei chegando em Feira de Santana lá pelas 8:30. Precisei passar dentro da cidade porque meu carro deu um alerta para passar na concessionária...alarme falso. Tanto fez passar dentro ou fora da cidade (fora vc pega a Av. do Contorno), o trânsito estava tranquilo. Logo que sai da cidade de Feira de Santana você passa uns 3km e vê do lado esquerdo da rodovia 116(sentido sul) um posto policial (tem foto dele no Google Earth). Assim que passar dele, mais uns 2,5km à frente tem um viaduto. Você entra à direita nele e pegará a Rodovia do Feijão BA 052. Não tem placa indicando essa entrada, cuidado! Preste atenção no posto policial e no viaduto... Assim que entra na estada do feijão, um km à frente, aí sim, aparece a placa que você está na Rodovia do Feijão... Daí é simples...seguir em frente toda vida. (no trevo de Itaberaba você precisa ter atenção: Não entra na cidade, segue reto no trevo. Se virar à esquerda nele você entra na cidade. O trevo é singular...bem chamativo (olhe no google earth pra ver o "Portal da CHapada") É isso. As curvas aparecem um pouco logo depois de Itaberaba, mas nada como as curvas de Minas. Escolha uma boa trilha sonora e vã. Foi minha primeira viagem longa (acima de 100km) e foi bem tranquila. Ah, uma coisa: Abastecimento: Depois de Itaberaba, uns 285 de Salvador, existe o Posto Santa Helena (Shell) . Eu almocei nele (+- R$29,00/kg) e gostei muito. Padrão turístico com banheiros limpos e comida bem feita (têm café expresso!). A gasolina comum estava 2,75; Shell power 2,78. Mas antes dele e até depois também existem um posto BR. Com um tanque cheio você sai de Salvador e chega em Lençóis, relaxa. Em Lençóis tem um postinho na saída da cidade com Gasolina à 2,75. Sobre os postos, eles tem essa estranha concentração em Itaberaba, antes ou depois até existem, mas não me pareceram confiáveis. É isso! Qualquer detalhe, eu respondo!
  11. Botas VENTO (Antiga Nômade)

    Caríssimos; Este feriado eu consegui fazer meu primeiro teste real da Titã Kevlar. http://i1193.photobucket.com/albums/aa358/dglopes/DSC05640.jpg Comprei em 2009, mas não consegui ir em trilhas médias nem pesadas. Usei uns 3 dias para ir para fazenda e andar um pouco no pasto, nada além disso. Andei uns dias em São Paulo na época que comprei a bota para ir amaciando também, mas até este fim de semana ela não sido testada realmente. Gostei da bota porque me pareceu bem confortável durante meus dias na Chapada Diamantina. Não fiz trilhas pesadas, fiz trilhas leves, as de turista: Cachoeira da Fumaça, ida à Gruta Lapa Doce, Rio Lençóis com Salões de Areia, Cachoeirinha e Poço Harley e também fui à Pratinha. A trilha mais pesada que, no meu caso, durou quase o dia inteiro foi a trilha da Cachoeira da Fumaça. O que irei relatar a seguir se refere à esta trilha. Durante a subida e passagens pelas pedras (até mesmo em outras trilhas) a bota mostrou uma aderência satisfatória, mesmo com areia em algumas pedras. Durante a caminhada de ida, como havia chovido durante os dias anteriores, haviam poças d'água na trilha. Eu pisei em umas 5 poças com a bota (nenhuma delas tinha mais que 3cm de 'coluna d'água') . Logo senti uma umidade na ponta do dedão direito. Imaginei que poderia ser qualquer coisa que não fosse a impermeabilização da bota que me garantia 100% de impermeabilidade pelo seu sistema de camadas. Continuei andando evitando pisar na água e parece que funcionou: a umidade foi diminuindo pelo processo normal de transpiração (Isso eu gostaria de elogiar :'> : Meu pé ficou seco boa parte da trilha, acredito que o sistema de transpiração funcionou muito bem na minha bota). Mas... Quem já foi à Cachoeira da Fumaça deve lembrar que existem dois momentos onde você molha bem o pé: Um poço onde a água bate na altura dos joelhos (só tirando o calçado e arregaçando as pernas da calça para passar) e logo chegando à Cachoeira, onde pode atravessar o rio pode ser molhando apenas os pés na altura do tornozelo. Foi aí que eu pensei: "Se a bota está permitindo a entrada de água, eu quero testar ela é agora!" Colocar ela em bacia com água em casa é uma coisa, mas testar ela in loco é o teste empírico de verdade. Então lá fui eu atravessar o riacho que se transforma na Cachoeira da Fumaça alguns metros abaixo. Fiz um vídeo breve dessa travessia: http://s1193.photobucket.com/albums/aa358/dglopes/?action=view&current=AtravessandoCachoeira.mp4 Neste vídeo é claro o uso da bota: Alguns segundos de contato com água corrente na algura do tornozelo. A água chegou na algura do quarto ilhóes (de baixo para cima). Fiquei com ela 5 segundos parada dentro d'água enquanto passava informação de como uma amiga deveria filmar essa travessia. O que foi filmado foi o momento seguinte quando eu retomo a travessia do riacho/rio. Durante esse tempo que fiquei fazendo a travessia senti meu pé esfriar pela umidade que recebi bem na algura da água. Tratei de atravessar logo para não ficar com a meia molhada. Preferi não arriscar. Cheguei no topo da cachoeira e verifiquei a meia, vejam o vídeo de como ficou o pé direito: http://s1193.photobucket.com/albums/aa358/dglopes/?action=view&current=MOV05215.mp4 E comparem com a foto do pé esquerdo (onde não senti a infiltração): http://i1193.photobucket.com/albums/aa358/dglopes/DSC05216.jpg Está claro como água: Minha Bota Titã Kevlar vazou água. Na volta evitei pisar em água e tirei para atravessar o córrego. Eu gostaria de pronunciamento do fabricante sobre o fato e, além disso, recomendações para evitar ou consertar as rachaduras na biqueira: http://i1193.photobucket.com/albums/aa358/dglopes/DSC05637-1.jpg pé esquerdo http://i1193.photobucket.com/albums/aa358/dglopes/DSC05636.jpg pé esquerdo http://i1193.photobucket.com/albums/aa358/dglopes/DSC05634.jpg pé direito (percebam que a rachadura fica no mindinho, não no dedão que sente a água) http://i1193.photobucket.com/albums/aa358/dglopes/DSC05638.jpg solado pé direito Lembrando que quase nunca uso a bota. Esta foi sua primeira "prova" de fogo, se é que este percurso turístico pode ser chamado como prova de fogo. Sempre guardei a bota dentro do guarda-roupas e nunca lavei completamente, apenas passei pano úmido por dentro e por fora (não tinha feito uso mais pesado ainda). Laudo final: Senti que a bota Nômade Titâ Kevlar é confortável para quem não está acostumado a caminhadas. Seu sistema de transpiração funcionou bem, mas seu sistema de impermeabilização deixou a desejar - trate-a como resistente à água e não como impermeável. Fiquei pensando se o sistema de isolamento hídrico dela seria eficiente baseando-se em uma malha de tecido.Se a malha é tensionada, o tecido abre seus 'poros', não? Talvez um sistema tradicional, monolítico, sem costura e tecido, uma superfície única seja mais adequado. Pretendo efetuar a troca do produto ou devolução (mesmo estando fora da garantia). Até lá usarei a bota porque paguei uns 400 reais na época. Era meu xodó e eu recomendava sempre, mas agora eu estou decepcionado e pretendo juntar uma poupança para compra de, talvez, uma Salomon. Se quiserem, posso ainda fazer o teste de impermeabilização aqui em casa, calçando a bota com meia cinza e imergindo em água por algum tempo. Não sei quanto tempo a norma de impermeabilização indica, mas seguirei a propaganda do fabricante: 100% impermeável. Se eu deixá-la dentro d'água, quando acordar deverá estar seca ainda, certo? Me desculpem pelo tom da mensagem, mas ninguém que tem a confiança destruída conseguiria ser mais educado. Seguirei a recomendação feita pelo LeoRJ na época de minha dúvida sobre qual bota comprar: http://www.mochileiros.com/botas-quais-comprar-t27581-405.html Não quero colocar o Fábio como Cristo para ser apedrejado, sei que em toda equipe existem aqueles que extremamente competentes e alguns que deixam passar detalhes. Ele tem sido atencioso com nossos mochileiros, e estes podem ser o público mais chato do universo, ficam presos a pequenos detalhes (mas eles merecem porque em muitas vezes guardam grana do almoço pra comprar bons equipamentos). Agora que arrumei um bom emprego posso me dar ao luxo de poupar para comprar outros. Abraços e esperanças àqueles que confiam no Brasil Eu ainda confio. Douglas.
  12. Como fazer Hapel só com uma Corda

    Parece que tá falando de um método simplificado e pra macho que é útil se vc não tem nada além da corda. Enfia a corda pelo meio das pernas, puxa pelo lado passado pela coxa e joga em cima do ombro(passando em frente de seu tronco). Ela fica nas suas costas. Pega com a mão e segura ao lado da cintura. Mais ou menos isso. Parece que temos um link: http://www.marski.org/artigos/tecnicas/120-montando-um-rapel-de-emergencia Imagem: http://www.marski.org/images/stories/rapel/rapel_classico.jpg Mas se prepare: O atrito da corda vai te fazer sangrar se não tiver cuidado. Aliás, se não tiver cuidado, o atrito da corda será um dos menores problemas que vai enfrentar. Se quiser ter cuidado, faça um bom curso de escalada e compre um equipamento adequado. Não se inspire em Bear Grylls, ele bebe urina!
  13. kra, vc poderia ir no tópico chapada-diamantina-guia-de-informacoes-t29075.html Chapada Diamantina: Guia de Informações. Poste suas preocupações lá para que possamos centralizar todas informações em um só lugar aqui no fórum. Aí quando precisar saber de algo sobre a Chapada, estará só ali, organizado. Estou indo para lá agora em Novembro e te digo depois! Abração e bom proveito à viagem.
  14. Chapada Diamantina - Perguntas e Respostas

    Kra, não rola... quero calçados para trilhas leves e pra isso o tênis é muito melhor. Ele é mais confortável e mais leve. O que eu precisava saber no fórum é se na chapada, nestas trilhas que envolvem um trekking leve, com mochila leve ou sem, qual o calçado mais adequado? Dentre os que mostrei, seria exagero comprar um "anfíbio" daqueles que podem molhar e ainda funcionar em trilhas porque a água escoa pelo solado ou telas laterais. Não tenho ideia do que vou encontrar na chapada e quero um equipamento adequado. Além disso, já tenho uma bota.
  15. Chapada Diamantina - Perguntas e Respostas

    Eu acabo de voltar da ESPORTIMAR, Dumar e todas logo na Cidade Baixa, próximas ao Elevador Lacerda. A Esportimar era a única que tinha mais que 3 modelos de calçados, destes apenas um era tênis. Eles tinham pouca quantidade e qualidade nos produtos. Qual é a outra opção de loja com equipamentos de camping/trekking em Salvador? Minhas referências são a Casa de Pedra, Caminho das Pedras e a Arco e Flecha de São Paulo. Sei que elas são bem completas, mas eu gostaria de ir em alguma loja com um pouco mais de variedade de itens. Aquela parte do Elevador é muito voltada para esportes náuticos, mas com relação a trilhas ficam devendo.
×