Ir para conteúdo

Pipino Magajna

Membros
  • Total de itens

    80
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Pipino Magajna

  • Data de Nascimento Junho 7

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. INFORMAÇÕES GERAIS Novo Mesto é a cidade pólo da região eslovena da Dolenjska, a mais meridional das regiões eslovenas. Com pouco mais de 40 mil habitantes, Novo Mesto situa-se em posição estratégica, a 90 kms da capital da Croácia, Zagreb; 70 kms de Ljubljana, capital da Eslovênia e 150 kms de Trieste, na Itália. A região da Dolenjska é conhecida sobretudo pelas belas paisagens rurais, especialmente ao longo do vale do rio Krka, que corta a região e cidade de Novo Mesto e também por seus castelos. Novo Mesto (em português Cidade Nova) foi fundada em 1365 pelo arquiduque Rodolfo II, dos Habsburgos, que, para se auto-homenagear, chamou a localidade de Rudolfswert (em esloveno Rudolfovo). Assim, como a maior parte da Eslovênia, pertenceu à Áustria até a Primeira Guerra Mundial e, após a guerra, passou a pertencer à recém-criada Iugoslávia até a Independência em 1990. LOCAIS DE INTERESSE A maior atração de Novo Mesto é o panorama do Centro Histórico a partir da margem direita do rio Krka. À beira do rio Krka existem pelo menos 3 bons pontos para se admirar a vista de Novo Mesto. Dias ensolarados ou quando há neve sobre a cidade são os melhores para uma boa fotografia. A igreja de São Nicolau, no ponto mais alto da cidade, também é um local de visita obrigatória. Sua primeira construção remonta ao século XIV e já teve 3 reconstruções durante os séculos. Seu interior, repleto de belas pinturas e de um estilo muito belo, foi restaurado em 2008. Também pode ser visitada a sua cripta, onde normalmente se celebram as missas nos dias de semana. Um antigo e interessante relógio solar também faz parte do ornamento externo da igreja. Os barzinhos e restaurantes do Praça Central, com suas mesas postas sobre a calçada são uma tradição eslovena e não poderiam deixar de faltar em Novo Mesto. Degustar uma cerveja Laško no local é quase que obrigatório. Próximos a Novo Mesto existem vários castelos abertos à visitação. Os mais importantes são os de Otočec, mencionado já no século XIII e que fica numa ilha do rio Krka a 5 kms da cidade e o de Kamen, próximo a Dolenjske Toplice, a 12 kms de Novo Mesto e que inspirou os irmãos Avsenik na música Tam Kjer Murke Cveto. Como já foi dito antes, as belas colinas da Dolenjska, suas vinícolas e as paisagens à beira do rio Krka são dos principais atrativos da região. Hoje já existe uma estrutura local de turismo rural, que tem atraído muitos turistas internos à região da Dolenjska. COMO CHEGAR O fato de boa parte das atrações turísticas ficarem fora da cidade de Novo Mesto faz com que ela seja mais bem visitada de carro. Deve-se lembrar sempre que, no Centro Histórico, devem-se procurar os parquímetros a fim de se comprar o tíquete e colocá-lo dentro do carro, à vista dos fiscais. Nos locais assinalados com uma faixa azul, o carro não pode ser estacionado por mais de uma hora. De trem, pode-se chegar a Novo Mesto em aproximadamente uma hora e meia a partir de Ljubljana. O bilhete custa pouco mais de 5 euros. De ônibus a partir das principais cidades eslovenas (Ljubljana, Celje, Maribor, Postojna, Koper, entre outras), pode-se chegar a Novo Mesto. Não são muitos ônibus que circulam porém há um mínimo de um ônibus ao dia provenientes de todas essas cidades listadas. ONDE FICAR Existem alguns albergues e hotéis em Novo Mesto e outras tantas fazendas que acolhem visitantes espalhadas por toda a região da Dolenjska. Vários websites podem ser utilizados para a reserva e os preços variam de 12 a 80 euros. Mesmo assim, a maioria dos visitantes prefere pernoitar em Ljubljana pela melhor estrutura da cidade e pela facilidade de acesso a Novo Mesto.
  2. Sério que voce trabalha no parque? Nossa, que legal!!! Mais um ponto para o fórum mochileiros ter você aqui!
  3. Suellen, muito obrigado pela contribuição! Dentro do museu, há uma figura que demonstra como eram enterrados os índios (agachados). Pode até ser que a informação deles esteja errada. Na realidade, eu acreditei pois, na antigüidade ocidental (os arianos, por exemplo), também sepultavam seus mortos em posição fetal. De qualquer forma, agradeço a referência!
  4. Então Mauricio, eu comprava sempre aqueles livrinhos que os turcos vendem sobre os locais de interesse e lá havia mais algumas dessas indicações. Realmente, quem procurasse encontraria aqueles desenhos no chão por toda parte. Quanto aos guias, realmente, muitas vezes a gente tem que "filtrar" o que eles dizem.
  5. Na Lituânia fica um dos locais de peregrinação católica mais importantes do mundo, a Colina das Cruzes (Kryžių kalnas) que, durante anos, foi símbolo da luta dos lituanos contra o regime soviético. Consiste em, como o próprio nome diz, uma pequena colina (na realidade a única colina num raio de centenas de quilômetros de planície) repleta de cruzes de todos os tipos que, com o tempo, foram fixadas pelas pessoas que visitam o local. As cruzes da colina foram destruídas várias vezes pelos soviéticos, porém, com a insistência das pessoas que íam lá depositar, dia após dia, suas cruzes, os comunistas acabaram por fazer vistas grossas às cruzes depois de 40 anos de duração do que os habitantes locais chamam de "guerra das cruzes". Para se chegar à colina, o mais aconselhável é ir por Rïga, capital da Letônia. De lá se pega um ônibus que vai a Šiauliai ou Kaunas e se desce ou na estrada, próximo à colina (1200m) ou então na própria Šiauliai. Em Šiauliai é possível tomar outro ônibus (são 12 kms ou 20 mins que separam a colina da cidade de Šiauliai) para a colina, lembrando que o último ônibus que volta da colina o faz às 17 horas! Como opinião pessoal, eu, como católico, me decepcionei um pouco com o local, não voltaria; mas, para quem quer ir aos principais locais de peregrinação do mundo, é de visita obrigatória! Estou à disposição para quem quiser maiores informações. E fica uma foto por aí:
  6. daniel.stos 7 dias no Uruguay são muitos, dá pra ver muita coisa e talvez vá até haver tempo ocioso pois vocês não poderão ir às praias. Poderão ir, sim, porém, somente para ver suas belezas. Punta del Leste, Piriápolis, Colonia (na minha opinião a cidade mais interessante) são de visita quase que obrigatória. Punta de Leste pelo glamour, Piriápolis pela simplicidade e charme, e Colonia pela história. Dizem que Paysandu, no oeste, e Tacuarembó, no norte do Uruguai, são locais de interesse porém não posso julgar pois nunca estive lá. A capital Montevidéu merece uma visita mais detalhada. O centro histórico, o mercado, o porto, o teatro Solis, os estádios, as praças, as praias (a mais conhecida é a de Pocitos), e especialmente o calçadão beira-rio (Rambla) são dignos de visita. Boa viagem para vocês
  7. Mauricio, bem legal o que você disse! Em Éfeso é possível entender o modo de vida e de pensar das pessoas da época! A biblioteca que você citou, é a de Celso; os banheiros são as chamadas latrinas, dentro das quais só os homens podiam entrar e que tinham água corrente, inclusive; as marcações no calçamento estão por toda parte, inclusive indicando onde ficava o prostíbulo. Um outro detalhe do calçamento é que, nas ruas íngrimes, eles tiveram o cuidado de fazer pequenos buracos anti-derrapantes. Éfeso impressiona e o helenismo também!
  8. Durante meu giro por terras turcas, devo dizer que a Éfeso foi o ponto alto da minha incursão no país de Atatürk. Vou destacar, primeiramente, alguns (poucos) aspectos negativos: 1) Realmente o templo de Ártemis, apesar de ser uma das duas maravilhas do mundo antigo que podem ser vistas até hoje (a outra são as Pirâmides do Egito) não é lá grande coisa. Restam duas colunas e meia apenas sendo que uma delas abriga um ninho de cegonhas (em Éfeso a gente até se cansa de vê-las). Imaginar o templo como era no tempo em que ali eram feitas as funções religiosas é realmente algo quase impossível. 2) A casa da Virgem Maria tem uma enorme possibilidade de ser uma farsa. Realmente, a tradição católica dizia que Maria teria vivido em Éfeso, porém, a localização da casa que se visita foi dada por uma freira alemã (Anna Emmerich) que teria tido várias visões sobre o local e, escrevendo um livro sobre as visões, forneceu subsídio para que se chegasse ao local que hoje as pessoas visitam como sendo a Casa da Virgem Maria. 3) As escavações de Éfeso foram coordenadas, a princípio, pelos austríacos. Esses tentaram fazer algumas adaptações e alguns locais que realmente não ficaram boas. Sendo assim, algumas (muitas) estátuas encontradas foram colocadas em locais onde elas nunca estiveram e, em outros, como a biblioteca de Celso, o excesso de argamassa chega a distorcer como era, antigamente o local. 4) Apesar de os sítios arqueológicos estarem perfeitamente bem conservados, a Basílica de Santa Maria, mais conhecida como Igreja do Concílio pois foi lá que foram realizados o primeiro e o segundo concílio de Éfeso- o segundo com a participação brilhante de São Cirilo de Alexandria - encontra-se abandonada, sendo até utilizada como depósito de lixo. Uma pena pois a estrutura da igreja é simplesmente maravilhosa e se notam, ainda, as estruturas e os túneis subterrâneos da antiga basílica. Isso sem contar que existe uma minúscula placa indicativa para o local. Mesmo assim, a visita à Efeso antiga fica incompleta sem essa igreja. E os aspectos positivos: 1) As ruínas igreja de São João, onde a tradição diz que o apóstolo foi enterrado, estão em ótimo estado e do alto do monte em que se encontra, podem ser vistas as colunas do templo de Ártemis e também o mar Egeu. O tamanho da igreja original assusta por ter sido construída no século quarto. A igreja original remonta ao segundo século e isso faz com que se dê ainda mais credibilidade ao fato de o evangelista João ter sido sepultado ali. 2) As ruínas da Éfeso antiga são maravilhosas. Requerem, no mínimo, 3 horas para serem visitadas. A biblioteca de Celso, o Portão de Augusto, o Grande Teatro (com capacidade para 25 mil pessoas, onde pregava o apóstolo Paulo), a latrina, o hospital, o Templo de Adriano, a Agorá, a Estrada Romana e até os encanamentos empilhados são muito interessantes. Valem a pena!
  9. Saudações Emmanuelle!!! Pois bem, a validação do bilhete deve ser feita, como eu já disse, até 6 horas ANTES do embarque para viagens de até 200 km e até 24 horas para viagens de distâncias acima de 200 km. O que a imensa maioria das pessoas fazem é validar a passagem logo antes da subida no trem. Sobre os lugares, existem trens com assentos marcados e outros não. Somente os trens tipo Eurostar têm assentos marcados e, se você perdeu o trem, já era. Caso não seja um trem tipo Eurostar, você pode, com o mesmo bilhete, tomar outro trem, em outro horário, do mesmo tipo (IC, IR ou algum outro). Não existem assentos marcados, somente se devem respeitar as classes (primeira e segunda). Em ambos os casos, o bilhete deve ser validado, como eu já disse; mas, sobretudo no caso de um trem sem assento marcado, aquele que você pode tomar a qualquer hora. Caso você erre a classe no trem, sentando-se na primeira e tendo um bilhete de segunda, é possível pagar a diferença no próprio trem para o controlador, que passa conferindo as passagens. Nos trens com assento marcado, o número escrito no vagão (carrozza, em italiano) corresponde ao vagão que você deve ocupar, ou seja, aquele à qual pertence o seu assento. Já naqueles trens sem assento marcado, o número da "carrozza" corresponde somente à classe (primeira ou segunda) e o passageiro escolhe livremente o seu assento. Acho que é isso, estamos disponíveis para qualquer dúvida e, para mim, é um prazer ajudar! Tenha uma boa semana!
  10. Saudações Emmanuelle! Antes de tentar responder sua pergunta gostaria de dizer que sou totalmente a favor da sua decisão de não comprar o Europass. Pouquíssima gente consegue economizar com esse pass, sem contar os transtornos. Espero que eu consiga responder adequadamente o que você pergunta. 1) Se é tranqüilo comprar na hora: Sim, é muito tranqüilo comprar o bilhete na hora. As estações maiores possuem as máquinas que fazem o bilhete e você pode comprá-los inclusive através do cartão de crédito. Geralmente elas ficam ou na entrada das estações ou então próximas às tradicionais bilheterias, que normalmente estão cheias de gente. Para reconhecer as máquinas, elas se parecem com máquinas de refrigerante com um letreiro escrito "Biglietto veloce". Abaixo uma foto do aparelho: 2) Se tem que fazer reserva: Em setembro, que não é um mês tão movimentado, pode-se comprar os bilhetes quase que instantaneamente para o próximo trem. Na realidade, à excessão dos que possuem lugar marcado (chamados, na Itália, de Eurostar), o bilhete tem validade de 2 meses para O MESMO TIPO DE TREM. Ou seja, caso você perca o trem, pode pegar o próximo. Além disso, os trens do tipo Frecciarossa (assinalados com um símbolo vermelho no monitor da máquina), que são os melhores por também serem mais rápidos, geralmente têm sua lotação completa antes de 24 horas da partida, sendo assim, caso for comprar esse tipo de passagem, faça com antecedência. Os demais trens normalmente têm lugares mas é sempre bom comprar antes. 3) Se vale mais a pena comprar o individual: já respondi sua pergunta, porém, sem contar que o preço não compensa mesmo, tambem porque pode ser que algum trem regional não aceite o europass (o que vai do aeroporto de Malpensa a Milão, por exemplo) e sem contar as filas que se tem que enfrentar para pegar o bilhete nas bilheterias. 4) Em Milão, a principal estação se chama MILANO CENTRALE, escrita, normalmente MILANO C. LE. Existem outras duas importantes que são MILANO PORTA GARIBALDI e MILANO CADORNA, a última é aquela na qual chega o trem que vem do aeroporto de Malpensa, sendo necessário tomar o metro para ir à Centrale. A estação de Veneza que é aquela de Veneza mesmo se chama VENEZIA SANTA LUCIA, escrita, normalmente como VENEZIA SL. Existe também a estação de VENEZIA MESTRE, que é um grande ponto de entroncamento, convergência e baldeação de trens. Bom, e para dar mais uma dica importantíssima, após comprar o bilhete, antes de embarcar, é necessário validar o bilhete. Normalmente, nas plataformas de embarque estão as máquinas para fazê-lo. Basta colocar o bilhete na máquina que ela irá imprimir o horário e o local em que você validou o bilhete. O bilhete, após a validação (em italiano "convalida"), tem validade de 6 horas, para viagens de até 200 km e de 24 horas para viagens com distância superior a 200 km. Validar o bilhete é obrigatório também para os trens com lugares marcados. Espero ter ajudado. Tenha uma boa viagem!
  11. Sem querer desencorajar ninguém mas as piscinas naturais de Pamukkale já estão quase secas. Quase não há mais locais com a água da foto publicada pelo Mauro. Agora existem apenas algumas "pocinhas". O visual ainda é muito bonito e recompensador, porém, não tem a beleza de outrora. Quem quiser fazer um banho verdadeiro pode ir às fontes termais (já inclusas no bilhete de entrada) que ficam a aproximadamente 300 metros das belas formações naturais. Ali existem piscinas naturais muito belas dentro das quais as pessoas se banham. Além disso, os hotéis medianos e melhores do local possuem piscina termal. Uma outra coisa que ninguém citou foi que, junto ao Parque, no complexo de Pamukkale, estão as ruínas da cidade de Hierápolis. De particular interesse estão a sua necrópole(com sarcófagos e tumbas de vários tipos), o teatro (tipicamente romano), o templo de Apolo e o suposto local do martírio do apóstolo Filipe. O complexo Pamukkale-Hierapolis é, na minha opinião, de visita obrigatória na Turquia.
  12. Olha, Mauro, dentre as 10 cidades que visitei na Turquia, Adana foi a única em que me senti inseguro. Tarsus (antiga Tarso), que fica bem próxima a Adana também não parece ser das mais seguras, entretanto, é diferente. O centro de Adana se parece muito com o centro de São Paulo. Existem alguns clubes noturnos um pouco suspeitos, churrasquinho na calçada e alguma sujeira (ao contrário da maioria das outras cidades turcas, em especial Istambul e Konya - antiga Icônio - que possuem uma limpeza exemplar). Os preços em Adana são convidativos, meio litro de água mineral custa 30 kurus (35 centavos de real), por exemplo. A mesquita e seu parque anexo são, também, locais de interesse. De Adana, existem vôos para Roma, Milão, Chipre e Hamburgo. Foi pelo menos esses que vi no painel. Uma outra coisa que me chamou a atenção nos aeroportos da turquia foi o controle de bagagens e pessoas no ingresso do aeroporto, além do controle normal para se adentrar na sala de espera. Espero ter contribuído!
  13. Marina, muito bem lembrado! Laško, além de ser uma cidadezinha belíssima tem esse festival de "pivo in cvetje" (ceveja e flores) que é maravilhoso. Neste ano de 2009, será de 9 a 12 de julho. E para quem já foi aqui está uma das músicas tradicionalmente mais cantadas no festival: Najboljše diplomira kdor z laškim pivom študira horuk, na eks pa v mizo pa še enkrat za kelnerco Lizo
  14. Já se está aproximando a minha viagem para a Turquia. Gostaria de saber se na Turquia são permitidas as bebidas alcoólicas.
  15. Sei que já foi escrito e re-escrito aqui, porém, vale lembrar que na Itália e em Portugal, quem é conribuinte do INSS tem direito a assistência pública de saúde, que, no final das contas, acaba sendo mais profícua. Para retirar o documento, deve-se procurar a sua regional de saúde. Quem é do Paraná, fica em Curitiba, na rua Cândido Lopes, o departamento emissor. Deve-se ter o comprovante dos 3 últimos pagamentos do INSS juntamente com o número do cadastro. Além disso, são pedidos endereços da pessoa no exterior. Isso serve como seguro-saúde para entrada tanto em Portugal como na Itália. Os papéis ficam prontos em 2 dias. Boa sorte
×
×
  • Criar Novo...