Ir para conteúdo

marcelvinicius

Membros de Honra
  • Total de itens

    107
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre marcelvinicius

  • Data de Nascimento 18-12-1977

Outras informações

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. a não ser que alguém realmente saiba a marca de qual você está falando vai ser difícil descobrir procure na net por hiking sandals ou algo assim aqui tem um dos resultados da busca... quem sabe não é essa? =P http://www.teva.com/productslist.aspx?g=w&categoryid=339&page=1
  2. tenho uma calça de nylon ripstop preta paguei 75 reais na Av. Tiradentes aqui em São Paulo pode ficar muito quente se usada debaixo de sol, mas prefiro indicá-la para trilhas mais "fechadas".... nunca gostei de usar bermuda para isso, então me sinto muito bem com essa calça.... ela é muito resistente e sei que vai durar anos... se vou para alguma cachoeira, uso bermuda por baixo ou levo na mochila e me troco lá mesmo... então não vejo necessidade de ser uma calça-bermuda....
  3. para quem já foi mais de uma vez e conhece os caminhos, é possível subir por conta própria? e, mesmo indo com agência, é possível ficar quanto tempo quiser no topo? (desde que pague claro =)
  4. vou me intrometer no assunto combustível =P não é verdade em que cidades argentinas (ou uruguaias) próximas à fronteira o combustível está custando o mesmo que no BRasil por causa de tanto brasileiro que ia abastecer lá? lembro que há pouco tempo atrás fizeram várias reportagens sobre o assunto... não foi escolha dos postos não... vou determinação do governo argentino (ou uruguaio) mesmo.... alguém sabe se realmente está acontecendo isto?
  5. Tóquio! --------------------------------------------------------------------------------------------------- Assista aqui o programa Globe Trekker (ex-Planeta Solitário/Lonely Planet) sobre Tóquio. (em inglês) :D :D http://www.youtube.com/watch?v=O51x4iGV6BI http://www.youtube.com/watch?v=2SlnG5IuefE&mode=related&search= http://www.youtube.com/watch?v=asKRUFJmeTE&mode=related&search= http://www.youtube.com/watch?v=RKACRRLGyzQ&mode=related&search= http://www.youtube.com/watch?v=i67-8EwmHR0&mode=related&search= http://www.youtube.com/watch?v=T8fYRqKwVCI&mode=related&search=
  6. Trekking de 22 dias no Nepal pela região do Everest Uma caminhada de 22 dias pelas montanhas Himalaias seguindo os passos de Edmund Hillary, desde de Jiri (Nepal), seguindo pelo acampamento base do Everest até Kala Pattar, a 6000m de altitude para captar o nascer do sol no Everest.
  7. então... alguém que já foi para lá quando ele estava alagado.... o passeio foi limitado? ou tudo normal?
  8. Não há dúvidas de que uma visita ao Salar de Uyuni SEMPRE vai nos proporcionar visões belas e surreais. Porém, a maioria dos websites sobre este local indicam que a melhor época para conhecê-lo é na estação seca! Nunca estive lá... mas a princípio tenho que discordar! Apesar de SEMPRE ser uma visão bela e surreal, como já comentei, ela é muito mais bela e muito mais surreal quando salar está alagado!!! Comparem: E assim se segue em todas fotos encontradas pela internet. O salar alagado faz com que aquela coisa chamada linha do horizonte praticamente desapareça. É quand o céu e terra viram um só. E o melhor, você pode caminhar no meio disso!! Por isso então, minha dúvida: - o tráfego pelo salar alagado prejudica o meio ambiente mais do que quando ele está seco? - quando o Salar de Uyuni está alagado, é possível conhecer todas as "atrações" como no salar seco? As ilhas, os cactos, as lagoas... eles continuam acessíveis? Se a resposta for sim na primeira questão e não na segunda já temos o motivo pelo qual todos indicam que é melhor ir lá na estação seca. Mas mesmo assim, o negócio é ir lá nas duas estações. São dois salares. O seco e o alagado!
  9. respondam: - o tempo médio de subida é? - o tempo médio de descida é? sei que vão dizer que depende de cada um, mas... por isso mesmo, quem já foi levou quanto tempo nesse dois trajetos? essa informação é muito importante para planejarmos a "logística" de visitação ao santuário (como se não estívessemos sujeitos à alterações =) passar o início da manhã em MP aproveitando o local sem a horda de turistas ou garantir a subida ao pico logo cedo e depois visitar MP sem conseguir tirar uma foto com umas 10 pessoas em volta? eis a questão
  10. Quase Famosos não é exatamente sobre mochileiros, mas tem lá seu espírito viajante, afinal, se passa na estrada acompanhando uma banda de rock dos anos 70... nos mostra um pouco do desapego à vida habitual, mudanças... crescimento... amadurecimento muito bom
  11. HIPOTERMIA A hipotermia é uma das principais causas de morte entre os excursionistas e montanhistas. Muitas vezes, por inexperiência, acaba-se confundindo a hipotermia com cansaço ou exaustão. Este colapso do corpo é ocasionado pelo frio, chuva, roupas molhadas ou pelo vento, que roubam calor do corpo rapidamente, não dando tempo para que o organismo produza o calor necessário para mantê-lo na sua temperatura normal, então o corpo passa a diminuir a circulação do sangue para os membros, preocupando-se com as áreas vitais. FASES DA HIPOTERMIA: Os primeiros sintomas são cansaço, tremores, irritação, calafrios. Embora os tremores produzam calor eles também gastam uma grande quantidade de energia. Em seguida a pessoa passa a ter um intenso tremor e a coordenação motora começa a apresentar falhas, inicia-se também as dificuldades em realizar ações simples como realizar um nó ou sacar um mosquetão. Os tropeções e a desorientação são comuns e nesse estado, podendo-se acidentar facilmente. Passada essa fase os calafrios param e a pessoa fica exausta, não agüenta mais andar, os músculos não respondem. Se ela não mais levantar, devido ao sono e a exaustão, a próxima fase, infelizmente será o coma seguido de morte. COMO AGIR EM CASO DE HIPOTERMIA: Se você se deparar com uma pessoa em estado de hipotermia não se desespere: pare o grupo, monte um abrigo, retire as roupas molhadas e coloque-a num saco de dormir, não a deixe-a em contato com o solo porque este também rouba bastante calor, se for possível faça uma fogueira. Sacos de lixo, tetos de barraca, isolante térmico e cobertores de emergência, tudo isso ajuda na hora de isolar a pessoa do vento ou do frio. Em último caso, alguém pode retirar a própria roupa e entrar junto com a vítima no saco de dormir, este procedimento já salvou muita gente, não pense duas vezes em usar esse recurso se a pessoa estiver muito mal, afinal é uma vida que está em jogo. Não desista da pessoa!!! Bebidas quentes e açucaradas ajudam bastante, pois passam o calor para a parte interna do corpo. Veja também como estão os outros integrantes do grupo, pois pode ser que tenha mais alguém com princípio de hipotermia. NUNCA dê bebidas alcoólicas para a vítima. As bebidas alcoólicas fazem com que a pele irradie calor para dissipar toda energia ganha com o álcool. Essa sensação de calor não dura muito tempo e, depois que ela passa, a pessoa acaba com mais frio do que antes. Isto ocorre porque o organismo dissipa grande parte do seu calor e energia para eliminar o álcool. Além disso uma pessoa alcoolizada na montanha pode sofrer acidentes graves. Esteja sempre atento, quanto mais cedo for detectada a hipotermia, mais fácil será o tratamento. COMO EVITAR A HIPOTERMIA: Um bom preparo físico e uma boa alimentação são importantes para enfrentar o frio, já que o organismo consome bastante energia para manter o corpo aquecido. Uma capa de chuva e uma blusa de lã são uma boa combinação contra o vento e a chuva numa emergência. A capa de chuva, ou um saco de lixo, cortam o vento, e a blusa de lã, mesmo molhada, mantém o calor. Leve sempre roupas adequadas e informe-se sobre as características do clima da região que pretende ir. Para qualquer excursão ou escalada leve sempre o equipamento de proteção contra o frio.
  12. Aqui em São Paulo tem aquele serviço de "plastificar" a bagagem, inclusive mochila. Custa 14 reais. Mas é sempre bom lembrar que na volta pode não haver este serviço... então... pense em outros meios... nem que for pra levar um rolo de filme plástico. heheh =P Dri... que história é essa de saco de feijão?? como é que é??
  13. Então... esses backpackers/mochileiros/farofeiros que emporcalham determinado local também existem na Australia por exemplo... mas não ouvimos falar deles aqui... eles agem localmente heeehhe mas pior que também existem os que emporcalham o país alheio... em Morro de São Paulo havia uma inglesa com tais comportamentos e que quando o dinheiro acabava durante a baixa temporada ligava para os pais pedindo mais....... pessoas assim não denigrem apenas o estereótipo mochileiro, mas também o hippie bom... no fim são apenas rótulos que deveríamos ignorar ao invés de ficar tentando encontrar padrões para eles (mania acadêmica?) o negócio é viajar com o MÁXIMO respeito possível com o meio ambiente, onde inclue-se as demais pessoas.
  14. A variedade de "formas e estilos" de viajar é tão grande que o termo backpacker hoje já não se resume a um único "conceito". Existem centenas de estudos sobre isso nos países que prestam mais atenção a esse "mercado" e as definições variam muito. Há backpackers de finais de semana, de feriados, de férias de 15 dias e de um mês. Há backpackers que não fazem planos, enquanto outros até contratam empresas de consultoria. Talvez o conceito mais aceito, ou o estereótipo mais convencional, seja daquele europeu recém graduado que quer aprender mais sobre o mundo do viu em salas de aula, e então resolve passar 12 meses viajando com uma mochila nas costas por uma região pre-selecionada, com certa liberdade no roteiro, antes de voltar ao seu páis para entrar no mercado de trabalho. Este tipo é para poucos brasileiros, pois a realidade financeira da maioria juntamente com a realidade do mercado de trabalho do país, as barreiras de idiomas e valor da moeda, não sustentam a aventura por tanto tempo. Mas uma coisa é certa: BACKPACKER = MOCHILEIRO Claro que no Brasil encontramos peculiaridades, e por isso vamos acabar dizendo que são coisas difrentes, mas... no fundo, eles se traduzem mutuamente. Infelizmente o termo em inglês, como quase sempre, ganhou mais "status". E o preconceito com o "Mochileiro Brasileiro" ainda é uma realidade que com o tempo e "desenvolvimento do mercado" tende a se perder.
  15. Valeu Payakah, Essas informações ajudam bastante. Ainda não sei se vou realmente fazer a caminhada e de que ponto a que ponto faria. Mas vou me preparar com informações e estado de espírito para ela. Estou inclusive levando uma pequena barraca. Vale lembrar aqui também as lagoas na região da Rota do Sol. Encontrei apenas fotos e nada muito sobre "como chegar" até elas. A lagoa Cará Cará parece imperdível.
×
×
  • Criar Novo...