Ir para conteúdo

divanei

Membros de Honra
  • Total de itens

    503
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    2

divanei venceu a última vez em Março 28 2020

divanei tinha o conteúdo mais apreciado!

Reputação

80 Excelente

7 Seguidores

Sobre divanei

  • Data de Nascimento 12-02-1970

Últimos Visitantes

2.955 visualizações
  1. TRAVESSIA SACO DAS BANANAS 360 Quase 25 anos atrás, quando pisei pela primeira vez na Travessia do Saco das Bananas, eu ainda era um jovem iniciante, pesava quase meio quilo a menos do que peso agora, num tempo em que internet inexistia e as fotografias eram em maquinas yashica de 36 poses. O mundo era outro, a atividade de aventura era renegada a meia dúzia de esforçados, gente que foi ganhando conhecimento aos poucos, meio que na tentativa e erro, transformando frustações em experiências. Essa tal travessia era só conhecida pelos caiçaras e poucos locais, num litoral isolado e
  2. Eu tinha certeza que esse tipo de relato sobre grandes animais sempre vai causar desconfiança, mas por sorte estava com minha filha, conforme relatei. Mas eu já havia visto uma onça parda na Mantiqueira, que também relatei aqui anos atrás. Enfim, eu poderia , fica aí o relato, acreditar fica por conta de cada um, muito porque, esse relato é sobre uma travessia incrível entre pai e filha, a onça era só um bônus , mas nem precisava diante da beleza desse roteiro.
  3. Valeu Andrei , escrevo aqui há mais de uma década, mas escrever relatos estando junto com minha filha é sempre motivador. Abraços !
  4. Obrigado , seu incentivo faz a gente continuar escrevendo, mesmo num mundo onde ninguém parece querer ler algo que tenha mais de 2 parágrafos.
  5. TRAVESSIA CANASTRA ..........“Na vida, as coisas parecem acontecer no seu devido tempo. Tinha que ser ali, naquele lugar, justamente quando nada esperávamos, justamente quando a história já parecia ter sido encerada. O momento era para ser aquele, um fim glorioso para uma jornada perfeita e o destino escolheu que estivéssemos juntos, pai e filha numa viagem que beirou a perfeição, numa travessia selvagem que transcendeu qualquer expectativa. De cima daquela colina, com os olhos voltados para o vale mais abaixo, era difícil acreditar no que víamos, na verdade, procurávamos soluções para d
  6. Valeu, aprender com os erros dos outros é sempre melhor do que apender com os nossos, se for pra errar, que sejam erros novos, rsrsrssr
  7. Valeu meu amigo, nunca canso de me surpreender com a Serra do Mar Paulista. Abraços !
  8. VALE DO GUAXINDUBA Naquela madruga choveu. Choveu como há tempos não chovia e eu estava feliz por estar numa cama quentinha, abrigado em baixo das cobertas e ficava pensando quem seria trouxa de sair para fazer trilha com um tempo daqueles, mas não demorou muito para a realidade ser jogada na minha cara. - Diva, acorda, já passa das 4 da manhã, hora de partirmos. Levantei-me imediatamente. Pulei para dentro da minha calça e da minha bota e me pus pronto para a aventura, mesmo sabendo que com aquele tempo ho
  9. Salgado, faz muito tempo que não faço essa Travessia, mas com um traklog vai de boa, a trilha é de boa.
  10. Outras fotos: https://aventurebox.com/divanei/ilha-montao-de-trigo-remar-ate-morrer/report?fbclid=IwAR3CxenUdJG-_1f7qFN5vQMENZR2yogYV8n4Z76RvyU5fHLXT1jkJcicxX8
  11. https://aventurebox.com/divanei/ilha-montao-de-trigo-remar-ate-morrer/report?fbclid=IwAR3CxenUdJG-_1f7qFN5vQMENZR2yogYV8n4Z76RvyU5fHLXT1jkJcicxX8
  12. MONTÃO DE TRIGO Deitado naquele caiaque de plástico amarelo, vejo o céu qualhado de estrelas, enquanto ele roda sem rumo, num vai e vem de ondas que sobem e descem, chacoalhando feito uma máquina de lavar. Ao meu redor, uma escuridão avassaladora e a única coisa que enxergo são as luzes ao longe, numa ponta distante que deduzo ser para onde devo seguir. Fico me perguntando que fim levou o Alexandre, teria sido tragado para o fundo do mar ou estaria em segurança em algum lugar da costa, mas não há tempo nem para procurar tais respostas, preciso me levantar dessa inércia que me co
  13. MONTÃO DE TRIGO Deitado naquele caiaque de plástico amarelo, vejo o céu qualhado de estrelas, enquanto ele roda sem rumo, num vai e vem de ondas que sobem e descem, chacoalhando feito uma máquina de lavar. Ao meu redor, uma escuridão avassaladora e a única coisa que enxergo são as luzes ao longe, numa ponta distante que deduzo ser para onde devo seguir. Fico me perguntando que fim levou o Alexandre, teria sido tragado para o fundo do mar ou estaria em segurança em algum lugar da costa, mas não há tempo nem para procurar tais respostas, preciso me levantar dessa inércia que me co
  14. Travessia Cuscuzeiro x Forquilha- De Paratí ao Patrimônio (Vagner, Thiago, Divanei, Trovo e Tomaz ) Todos em fila indiana. Cabeças baixas, passos lentos e olhares laterais. Respiração presa e movimentos friamente calculados a fim de não irritar nenhum índio. Na hora me lembrei do Alemão Hans Staden, que quase foi devorado pelos índios Tupinambás quando foi capturado nessa região, 500 anos atrás. Agora não era o caso, mas mesmo assim, estávamos apreensivos com aquela situação. Atrás de nós, uns 30 índios nos seguiam, enquanto um que parecia ser o líder, nos dizia desa
×
×
  • Criar Novo...