Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Hendrik

Membros de Honra
  • Total de itens

    439
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Nepal, Portugal, Espanha, França, Bélgica, Holanda, Andorra.
  • Próximo Destino
    GR-20, Córsica, França.
  • Ocupação
    Operário
  1. Hendrik

    Dicas de trekking no Nepal

    Eu gastei isso, mas a gente poupou e chorou um bocado. Em certas etapas não adianta chorar. Cê tem 2 ou 3 lodges e pronto, é pagar o que pedem. De Jiri prá Lukla era bem barato e Gokyo era mais barato que EBC. Eu tinha levado o dobro, uns 700 Dolars. Não se perderam, pois tinha ainda as lembrancinhas na volta, pensão em Kathmandu, restaurantes e uma taxa estranha prá embarcar no aeroporto. Tirando os maoístas, não notamos nada. Vi um bocado de gente caminhando só. Risco mesmo só quando cruzando os grupos de agências (como o do Luciano, acho) e suas filas de yaks. Pegamos chuva em Namche e mais uma ou duas vezes acima de Namche. Acho difícil pegar chuva na trilha, já que cê passa sempre por alguma vila e pode entrar nalguma pensão. O pior que pode acontecer é "perder" um dia, mas um dia de descanso é sempre bem-vindo. Em geral as núvens baixam de tarde. Não vai conseguir imaginar nem metade de você sentado ali em cima e olhar pro lado e ver o busão rolando a meio metro do abismo, hehehehe. E dá-lhe buzina!
  2. Hendrik

    Dicas de trekking no Nepal

    In Kathmandu, em especial em Thamel, com dólar você se arranja. Em algumas coisas em Lukla e Namche também. Cê pode não acreditar, mas tem uma pensão em Namche que cobrava 50 doletas a diária. Hehehehehe... o ar rarefeito deixa as pessoas meio avoadas... Mas nas pensões normais e prá comer? Não. Veja se troca seus Dolars por notas pequenas de Rúpias em Thamel mesmo. De 50 prá baixo. A economia local não estava acostumada com notas altas, muito menos com Dolars. E COM CERTEZA as pensões entre Jiri e Lukla não vão ter como lhe dar troco em Rúpia cê pagando em Dolar, mesmo que seja UM Dolar. Eu gastei uns 350 Dolars nos 31 dias no trek, desde quando desci em Jiri até quando embarquei em Lukla na volta. Ei, se puder, VÁ NO TETO DO BUSÃO, com a bagagem! MUITO MASSA! Frio, mas massa.
  3. Hendrik

    Everest - Perguntas e Respostas

    Também li os livros do cara. Foram inspiracionais, sem dúvidas. Como alguém como nós via as montanhas. Alguéns como nós mas com carregadores, não era? Mais facin..
  4. Hendrik

    Dicas de trekking no Nepal

    É, eu tava meio preocupado com medicina prá altitude também. Até descobrir que Thamel e Brasil não são tão diferentes assim. Com umas poucas Rúpia tudo se ajeita. Tem uns supermercadinhos grandes num cruzamento bem movimentado do bairro. Leve seu LP com sua listinha de remédios e apontar os que quer. Comprei uns dois prá altitude, um prá cagar caso preso e outro prá prender quando solto. E mais umas besteirinhas. Levei da Europa uma boa pomada para contusões e como tendo a criar bolhas, levei também uns secondskin. Mas remédio de altitude ou relatado, se acha barato lá. Os remédios de soltar quando preso e prender quando solto são muito eficientes. Até demais. Tomava de prender e PRENDIA. Aí tinha de tomar o de soltar, que SOLTAVA. Aí ficava alternando, o que não era legal. Diamox meu irmão usou UMA vez e era apenas uma leve tonteira e dor-de-cabeça.
  5. Hendrik

    Dicas de trekking no Nepal

    Pois é... quando eu falei do pequeno trecho do Cho la que achei mais perigoso, quis dizer pequeno mesmo. Acho que não chegava a 10m... O Cho la em geral é coberto de neve e gelo. Onde a galera pisa, a neve comprime e vira gelo mesmo. Bem escorregadio. Como esse trecho pequeno é meio exposto e prá direita (sentido EBC-Gokyo) tem uma loooooooga escorregada até os quintos dos infernos, dá um frio na barriga. Bastão e devagar ali. Mas vi carregador de sandália e um pau na mão passando ali com sua carga enorme na testa. Tem uma pensão no Gokyo, Cho Oyu View, acho, que se comer lá e ficar uns dias, o quarto era de graça. Sopinha de alho boa demais. Roupa na trilha eu sugiro uma calça comprida forte e uma camisa de mangas longas. Durante o dia é QUENTE. Acho que por conta do ar rarefeito o Sol TORRA. Eu fiquei cheio de bolhas nos braços e pernas antes de mudar pra calça e camisa manga longa. De manhazinha e de noite faz frio de bater dente. Nessas horas um bom agasalho, luvas e gorrete são essenciais. Se o anorak é quebra-vento, ótimo. Tem trechos que venta prá caramba. Leve ou compre lá umas sandálias sem dedo, porque se for mijar ou cagar no meio da noite, cê não vai querer ficar meia hora amarrando bota com dedo gelado. E eu não vi ninguém que não tivesse caganeira. Bateria e frio não combinam mesmo. Eu levava a minha enrolada em meias e num bolso interno do casaco ou da calça. Eu dormia com ela dentro do saco também. Thamo foi a última vila que vi com tomada e cobrava 100 Rúpias por hora. Isso foi em 2005. É capaz de vilas mais acima já terem tomadas também. Acho que eram tomadas comuns, de dois buracos. Qualquer coisa, pergunte mesmo. Mas tenha em conta que minhas infos são de 2005... Inveja, viu? tou morrendo de vontade de voltar prá lá e acho que dessa vez faria só Gokyo e Thamo mesmo.
  6. Hendrik

    Dicas de trekking no Nepal

    Gokyo é belíssimo! se tiver tempo, VÁ! Os preços são melhores que na trilha pro EBC, a paisagem é fantástica, as pensões melhore, as trilhas, MUITO BOAS. Eu também estava preocupado com a travessia e comprei uns "meio-crampon". Acabou que não usei. Usei quando estive ano passado nos Alpes e sinceramente? é uma sola que cê amarra na sua bota, mais nada. Tem um pequeno trecho no Cho la que achei mais perigoso, mas com os bastões e devagarinho, correu tudo bem. Ninguém estava de crampon lá. Talvez sejam necessários em outras condições, mas não naquele dia. Talvez prá você compense alugar ou comprar segunda-mão em Namche, prá não ter de carregar peso morto desde Jiri. Mas bastões são essenciais! O Cho la é um dia todo de caminhada puxada. Só tem ponto de apoio na saída e na chegada. Os entretantos é só trilha. Eu achei bastante usado. Planeja fazer antes ou depois do EBC. Eu sugiro fazer depois, porque Gokyo é um lugar ótimo prá recuperar as energias e tirando a subida do Gokyo ri, as caminhadas ali são até mais planas. Mas não mais fáceis, já que o vale todo está acima dos 4.000m. A vila está de frente prá um dos "lagos sagrados" com altos picos brancos do outro lado. Muito bonito. O Gokyo ri está do lado e tem um cume enorme com ótimas vistas. Achei que dá prá ver o Evereste mlhor dali que do Kala. Seguindo Norte, paralelo ao glaciar cê pode ver os restantes "lagos sagrados". O último e menor é mais longe, mas vale a pena. Vistas de deixar a boca aberta todo tempo e muito solitário. Quando fui, não vi mais ninguém depois do 5° lago e passei horas e horas sozinho na trilha. Só você e as montanhas. O Cho Oyu é impressionante. Do Gokyo cê pode pegar outro passe pro vale que leva prá Thamo e de lá descer prá Namche. Alguns fazem isso. A trilha por Dole é basicamente descida. Fizemos Gokyo-Dole em menos de 1 dia de trilha, começando tarde. Alcançamos Namche no dia seguinte pro almoço e descemos prá... Jurami... esqueci... uma das vilas logo abaixo Namche.
  7. Hendrik

    Dicas de trekking no Nepal

    Thamo, isso. Muito boa a vila. Preços em conta e pouca gente. Bons passeios por perto. Vale a pena passar uma das noites de aclimatação por lá.
  8. Hendrik

    João Pessoa

    Sim, a localização é ótima. Cabo Branco é talvez a melhor praia urbana de JP. Ela e a do lado, Tambaú, fazem parte da mesma "enseada". Tem transporte público regular, muitos bares e restaurantes. O hotel fica de frente pro mar.
  9. Hendrik

    Dicas de trekking no Nepal

    Eu só conheço o dos trekkings. Mas cê só usaria parte pequena dele, dedicada ao trek do EBC. É descrito desde Jiri e tem umas dica boas de treks secundários. Eu te aconselho fortemente a passar uns dias em Namche. Muito massa essa vila. Acima dela tem outras e seguindo Norte, cê vai parar numa embaixo de um dos mosteiros budistas mais antigos do Nepal, construído nas encostas. Essa vila fica num lugar bem plano e é uma mudança de ares depois de dias sem pisar em lugar plano.
  10. Hendrik

    Dicas de trekking no Nepal

    Ordep, faz tempo que fui prá lá, mas acho que trilha não muda tanto assim. Saindo de Jiri, o trek pode durar uns 20-21 dias. Tudo depende de você. Eu e meu irmão levamos 30 dias, mas fizemos muitos treks de aclimatação e passamos dias extras em etapas apontadas nos guias como "aclimatar bem", tipo Namche e Lobuche. Mas isso depende de você. Pessoalmente, se eu voltar, vou fazer 30 dias de novo, porque é uma pena voar metade do planeta e correr na trilha. Mochila de 60l é até grande demais. Tem muita pensão na trilha, porque as trilhas na verdade são as estradas que ligam as pequenas vilas. Cê vai andar umas horas e encontrar pensão. Um bom saco-de-dormir, bons agasalhos, boas botas, água, lanchinho... pouco mais. Vi gente fazendo o trek com mochila escolar! Leve pouca coisa mesmo, porque as ladeiras são de matar e durante o dia é QUENTE. Um lenço contra a poeira é indispensável, senão vai comer terra o tempo todo cada vez que passar aquelas fileiras de yaks. Imagino que os Maoístas já não estejam mais "pedindo contribuição" uma vez que são governo agora. Tomara, pois essa doação era mais cara que a própria entrada no parque. Qualquer coisa, fique a vontade de perguntar.
  11. Hendrik

    Você é "Spock" ou "Homer"?

    Sou mais Spock, mas Homer tende a aparecer quando fica desconfortável.
  12. Hendrik

    Você é "Spock" ou "Homer"?

    "Viajantes podem ser do tipo 'Spock' ou 'Homer', diz especialista Spock e Homer Simpson Em qual dos dois perfis você se encaixa? Um cientista especializado no estudo do comportamento associado ao transporte diz ter chegado à conclusão de que as pessoas que viajam podem ser classificadas em dois tipos que têm semelhanças com personagens conhecidos de séries de TV: o vulcano Spock, de Jornada nas Estrelas, e Homer Simpson, do desenho animado Os Simpsons. Segundo Glenn Lyons, professor da University of the West of England, em Bristol (oeste da Inglaterra), “os dois personagens ilustram os tipos de comportamentos individuais” na hora de tomar decisões relacionadas às viagens. “Pesquisas mostram que as escolhas individuais são ligadas a inúmeros fatores, incluindo sua personalidade, seus hábitos, sua estrutura familiar e a sua rede social”, disse o cientista ao jornal Evening Post, de Bristol. “Spock é o arquétipo da lógica – ele quer saber todos os fatos para ser capaz de tomar a melhor decisão possível quando está fazendo uma viagem.” O "viajante Spock" seria aquele que navega na internet procurando informações sobre a viagem e procura fazer o possível para evitar congestionamentos. “Homer Simpson, por outro lado, acha que fazer viagens não é complicado. Enquanto as coisas funcionarem, ele pode pensar em muitas outras coisas (e não em como ‘melhorar’ sua viagem).” Esse tipo de viajante, por exemplo, tende a considerar os congestionamentos uma coisa normal e procura se conformar. Em seus estudos, Lyons, diretor da Sociedade de Pesquisa em Transporte da University of the West of England, concluiu que o setor do transporte já trabalha pensando nesses dois tipos de viajantes. Há pessoas trabalhando para fornecer aos “viajantes Spock” conselhos e informações para tornar a viagem mais agradável, e outras que desenvolvem serviços e produtos cada vez mais sofisticados para uso dentro do veículo, a fim de ajudar o “viajante Homer” a passar o tempo." http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/12/081220_viajantes_spockhomerrg.shtml
  13. Hendrik

    Lanternas (de cabeça / de mão / LED's / halógenas)

    A minha é um e-Lite. Minúscula e com boa luz, porém eu achei meio ruim de mexer nos controles, principalmente de luvar. Nesse caso, minha simples Diamond que não lembro o modelo, com 1 led e 1 tipo de luz é boa que chegue pro necessário que faço (uma mijadinha no meio da noite, ler, montar barraca meio tarde, procurar coisas...). Porém a pilha dela é também da Diamond e nunca mais achei no mercado. Acho que a melhor lanterna é a que serve melhor à pessoa.
  14. Hendrik

    Arquivo . Amsterdam - Perguntas e Respostas

    Sei que a galera vai zoar, mas enfim, também é Amsterdam: De 23 à 27 de Novembro estará ocorrendo lá a 21° Cannabis Cup!
  15. Hendrik

    Everest - Perguntas e Respostas

    Bom, eu vi gente com carregadores solares quando fui ao Nepal. Não sei do resultado, infelizmente. Mas... Que tipo de baterias está levando? tem backups delas? se não tem, sugiro ter. Em Kathmandu e algumas vilas maiores na trilha pro EBC tinham energia e venda de pilhas. Mas eu não confiaria 100% na qualidade delas... Em vilas com energia, sempre tem uma pensão onde pode recarregar sua bateria por um preço absurdo. Eu notei que o que mais come bateria é o frio. Então passei a andar com elas dentro do um rolo de meia e em contato com o corpo. Só metia na máquina e ligava quando estava absolutamente certo que valia a pena fotografar. Também dormia com elas dentro do saco.
×