Ir para conteúdo

KINO

Membros
  • Total de itens

    8
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Fala Marcão, Muito bom o relato.. parece brincadeira, mas só hoje tive tempo de ler. Na próxima tô dentro novamente. Valeu! Abração!
  2. Fala Raphael, No ano passado eu fui nesta mesma época, mas resolvemos descer pelas quedas das cachoeiras porque era mais rápido. Porém esta opção é a mais perigosa porque é necessário tomar cuidado pra não cair nas pedras e não pisar em alguma que esteja em falso. A trilha começa no mirante e também há a possibilidade de ir por trilha de mata, deve-se pegar a esquerda numa das bifurcações que existem por lá.. desculpe, mas não lembro com exatidão qual era este desvio.. enfim, se você for leve um facão porque tanto pela cachoeira quanto pela mata será necessário entrar em trechos que devem estar fechado.. se for pela cachoeira o caminho não é complicado, basta seguir as quedas d'água, mas chegará um momento que será necessário entrar na mata pra cortar caminho porque há uma queda muito alta. Caso esteja chovendo, jamais vá pela cachoeira porque você pode ficar ilhado e no pior dos casos correrá risco de morte. Na trilha, quando você perceber que não está mais descendo, fique esperto na margem esquerda do rio porque haverá um ótimo local pra acampar..acho que é neste ponto que as duas trilhas se encontram (a por mata e a por cachoeira). Dá pra andar tranquilo no leito do rio Mogi, a água bate na canela.. só no final que chega perto da cintura, mas são trechos bem peque nos.. acho que uns dois trechos de no máximo uns 4 metros de largura cada, antes de ficar fundo mesmo você já sai da trilha. Quando você começar a ver container do seu lado direito fique atento à qualquer entrada para o pátio de onde eles ficam.. é provável que haja barulho de caminhão, neste momento é a hora de entrar no pátio e seguir até a portaria. Lá você poderá pegar um ônibus que vai direto para uma rodoviária da cidade ou fazer como eu fiz, isto é, pedi carona pra um caminhoneiro que me deixou próximo ao início da subida da Anchieta para pegar o ônibus de voltar para SP. Fiz esta caminhada em 3 dias, mas acho que dá pra fazer em dois tranquilo.. na trilha encontrei um pessoal que tava fazendo o caminho contrário e iriam completá-la em um dia, mas este pessoal estava muito bem preparado fisicamente e iriam caminhar durante a noite pra conseguir chegar no mesmo dia. Bom, espero ter ajudado.. vou colocar algumas fotos.. Super dia!
  3. Boa tarde à todos, Estou indo para a travessia Petrópolis-Teresópolis no próximo sábado (05/03/2011). Caso alguém queira ir, por favor entre em contato via email ([email protected]). Estou indo sozinho e sairei no sábado às 7:00h, da portaria do parque em Petrópolis, possuo gps e tenho uma barraca para 2.. caso alguém queira dividir é só falar. Hoje entrei em contato com o pessoal do parque e me disseram que as trilhas neste lado do parque não foram afetadas pelas chuvas que assolaram a região e que hoje um grupo conseguiu completar a travessia com sucesso. Super dia á todos!
  4. Oi Alyne, Então, as paisagens que você vai encontrar pelo caminho são fantásticas.. depois desta viagem eu fiquei encantado com as belezas do sul de Minas. Quanto ao condicionamento físico, acho interessante fazer esta trip quem estiver acostumado com trekking ou que pratique alguma atividade física.. não precisa ser nenhum atleta, mas afinal são mais de 130km de caminhada. Lembro que eu saía para a caminhada bem cedo quando o sol tinha acabado de nascer e terminava o dia de caminhada por volta das 16:00h, às vezes mais tarde e outras vezes menos. Achei no site do Luis um mapa (http://www.brasilcamaecafe.com.br/freigalvao/html/mapa01.htm) da trip, os ponto para almoço são (para quem pretende fazer em 5 dias) apenas o Chalé da Paz e a Fazenda Boa Esperança. Porém neste último ponto você vai chegar nele por volta das 11:00h(saindo de Wenceslau umas 6:00h) e pode não achar almoço.. aconteceu comigo. Nos dias que não deu pra almoçar eu levei um lanche bem reforçado para fazer na hora do almoço.. No mapa você vai ver o local onde eu perdi as unhas dos pés.. são uns 1000 metros de desnível. Qualquer dúvida é só falar. Abraços.
  5. Fala Luis, Então eu estou querendo fazer a Serra Fina novamente porque no ano passado eu não consegui terminar.. subi apenas o Capim Amarelo e tive que descer porque o tempo ficou feio lá em cima. Na época fomos eu e a minha namorada apenas mas quando chegamos lá em cima quase não encontramos lugar para acampar, a noite foi clara com raros momento de nuvens mas no dia seguinte o tempo mudou completamente, frio, neblina e chuva, a barraca estava congelada pela manhã.. todos que estavam no Capim Amarelo desceram, acho que apenas um grupo que não coseguiu ficar no Capim Amarelo e seguiu para ficar mais avançado deve ter descido pelo Paiolinho.. Veja as datas que vc pretende ir e me avise! Abraços. Rafael
  6. Oi Alyne, Fiz o caminho de Frei Galvão em julho de 2008 e recomendo. O caminho começa na pousada do Luiz Zingra (SP) e a partir daí é só seguir as setas azuis que estão pelo caminho e servem para indicar a trilha certa, você caminha uma média de 30km por dia (..fiz em 5 dias de caminhada) até chegar em Guaratinguetá, na casa de Frei Galvão passando por algumas cidades de Minas Gerais. Quando fiz o caminho resolvi esticar até a cidade de Aparecida. O lugar por onde se caminha é muito bonito e o que mais me chamou a atenção foi o contato com o pessoal lá do interior que em alguns casos lhe oferecem abrigo dentro das próprias casas.. não me lembro com exatidão a sequência dos locais de parada mas acho que foram São Bento do Sapucaí, Piranguçu, Wenceslau Braz, Bairro dos Pilões e, finalmente, Guaratinguetá. O Luiz fornece uma espécie de passaporte que serve para te orientar na viagem e serve também como um comprovante de que se está fazendo o caminho, pois é necessário passar por dentro de algumas propriedades particulares.. e se vc estiver com o cartão não terá problemas, além disso, o pessoal que te oferece abrigo carimba o seu cartão ao longo do caminho... no final seu pasaporte estará completo O caminho não é difícil de se fazer, quando fiz havia uma Romaria que também estava fazendo parte do caminho.. mas o penúltimo dia de caminhada é bem pesado.. há uma serra muito íngreme que se tem de descer, recomendo ir de botas porque eu fui de tênis e acabei perdendo algumas unhas dos pés. Não precisa levar mochila muito grande porque dá pra lavar as roupas e também jantar nos locais de parada. Quando cheguei na casa de Frei Galvão e falei que estávamos completando o caminho fomos recebidos com atenção especial, o pessoal da administração tirou fotos com a gente e nos entregou um certificado de conclusão do caminho... lá existe um mural com fotos de quem completou o caminho. Abraços.
  7. Fala Marcelo, Muito grato pelas dicas!!! Elas serão fundamentais! Quanto ao seu relato da travessia, eu gostaria de parabenizá-lo. Lembro-me do fim de semana em que você fez a travessia... o tempo estava feio demais. Cheguei à comentar com a minha namorada que quem havia programado para fazer a travessia no feriado, certamente, teria que mudar os planos e adiar a data...rsrs. Bem, conforme eu havia dito, farei a travessia à partir do dia 12 deste mês(...assim que o tempo ajudar) e pretendo fazê-la de asfalto à asfalto também. Estou precisando saber quais as distâncias(ou intervalo de tempo da caminhada) de P4 à Fazenda Toca do Lobo e da Fazenda Engenho da Serra(Pierre) à Itamonte. Abraços.
  8. Olá Pessoal, Gostaria de um breve relato à respeito das condições da trilha(Travessia Serra Fina) daqueles que a fizerem na primeira quinzena de julho de 2009(ou próximo deste intervalo)... pretendo fazê-la por volta desta data. Abraços.
×
×
  • Criar Novo...